O dilema da sanita


O assento da sanita, em cima ou em baixo?

Mulher:
- Em baixo obviamente!

Homem:
- Essa merda não me diz nada!

Eu digo, “Porra”.
Quando estava na faculdade partilhei um apartamento com uma mulher. Era uma amiga de infância, daquelas quem nem pensamos em cobrir pois já as vimos nuas com dois anos. Há qualquer coisa em ter tomado banho aos dois anos com uma mulher, que nos alivia da pressão sexual para o resto da vida. Por isso, nos dávamos tão bem. Claro que quando ela passava em frente ao meu quarto, com uma toalha do tamanho de África enrolada ao cabelo e outra do tamanho de um guardanapo enrolada ao corpo, deixando pouco espaço para a imaginação. Eu pensava “bolas, já tomei banho com aquele corpo todo?”, mas depois passa.

Por sermos da mesma cidade, termos andado na mesma escola, as nossas famílias são amigas e nós nunca perdemos o contacto. A nossa amizade era diferente, eu sentia-me como o seu irmão mais velho. OK, dois meses, mas mesmo assim mais velho!

Devido ao facto de termos entrado na mesma faculdade e no mesmo curso, depressa chegámos à conclusão que os valores que cada um nós estava a pagar por um quarto com WC e cozinha, era o suficiente para alugar algo bastante maior, com sala de estar e morar juntos. Antes de assinar o contracto fizemos uma lista de regras a cumprir para evitar problemas.

As minhas regras... Uma. Uma única regra. O meu quarto é o meu reino, não admito interferências, invasões, opiniões, etc.

As regras dela 23. Sim, 23 regras. Regras sobre coisas que nunca imaginei. Coisas que nós homens não ligamos nada como: pêlos na banheira, pés na mesinha de café, roupa fora do cesto, não deixar a roupa 3 meses no estendal, lavar a nossa louça antes que os pratos fiquem verdes e se os pratos forem verdes, antes das moscas colocarem ovos. Imensas regras, em que eu concordei com “todas”... Excepto uma. Ainda me lembro:

Regra numero 16: O assento da sanita deverá encontrar-se sempre em baixo


Chamem-me louco, mas se eu tenho de levantar o acento da sanita para urinar, porque motivo o tenho de baixar? A mulher a isto responde, “Porque o lugar dele é em baixo”.

Desculpem minhas senhoras mas onde e que isso esta escrito? Nas instruções da sanita? As mulheres vão dizer que faz parte das regras de boa educação, que é mais higiénico. Mais higiénico? Higiénico é o papel e nada tem a ver como o posicionamento do assento da sanita.

Eu sei que se o homem urina com o assento em baixo, há grandes probabilidades daquilo ficar tudo salpicado. Mas, o homem levanta e urina, deixa ficar o assento em cima. A mulher chega, baixa o assento e urina. Qual é o problema? Assim ambos executam trabalho manual antes de urinar, é trabalho 50/50.

Quer dizer, o homem seria o único a mexer no assento constantemente, ao levantar e ao baixar. Eu posso muito bem urinar com o assento em baixo. Recuso-me a fazer trabalho manual com assentos de sanitas.

Estou farto da mulher se sentir a Rainha da sanita, pois ao chegar à casa banho a “cagadeira” tem de estar prontinha. A mulher só tem de baixar a cueca e soltar o seu tarolo.

Com esta minha amiga o problema foi resolvido, pois eu fiz a ameaça de greve. Iria urinar estivesse o assento em baixo ou em cima. Houve guerra, claro. É nestas pequenas merdas que começa a guerra dos sexos.

Visto que na minha opinião, não é justo para o homem, estar sempre a mexer com as mãos num local onde elas nem tocam. Tocam, mas com a peida. Fiz uma proposta. Independentemente de quem vai urinar, ou da posição do assento, colocamos em baixo o assento e respectiva tampa. Assim, ambos encontramos a sanita nas mesmas circunstâncias.

O que é que isto resolve? Nada. Sinceramente não me faz diferença nenhuma baixar o assento. Mas bolas, há merdas estúpidas, por isso porque não discutir uma estupidez com argumentos ainda mais estúpidos?

6 Comentários:

  bela_sonhadora

quarta-feira, julho 25, 2007 10:16:00 da manhã

pois... eu sou rapariga e sinceramente nao vejo assim essa coisa de deixar o tampo da sanita levantado tao problematico que exija tanta discussao entre os sexos... nao entendo, a serio :p

bigada pela visita, pero que voltes mais vezes ;)

  Babe

quarta-feira, julho 25, 2007 12:36:00 da tarde

Bem, percebo perfeitamente a tua amiga. Aliás, em casa o problema resolveu-se bem: eu uso uma casa-debanho e o meu pai a outra. Assim não há discussões.

  Crestfallen

quarta-feira, julho 25, 2007 2:32:00 da tarde

Que giro, duas opiniões femininas bem diferentes.

Na verdade a mulher presta mais atenção aos pormenores do que o homem.

Perguntem a um homem depois de ele sair do WC, a cor do assento da sanita, ele não vai saber, não vai saber sequer, se quando ele entrou o assento estava em cima ou em baixo.

Um gajo não sabe, não presta atenção.

  Musa

sábado, setembro 08, 2007 2:07:00 da tarde

Esse acho que é o único pormenor na partilha de uma casa com um homem que não me incomoda nada...agora cabelos espalhados no lavatório, banheira e afins...arghhhh

  Crestfallen

sábado, setembro 08, 2007 5:40:00 da tarde

Musa:

Seja homem, mulher ou extra-terrestre, pelo também não gosto!

  Orquidea

quarta-feira, outubro 10, 2007 12:27:00 da manhã

Grave é quando, seja homem ou mulher, pingam o tampo da sanita e o "freguês" seguinte que se "amanhe"!

p.s._ preferi este post ao dos tomates e grelos e, lá manda o sr doutor, comentar um post do crest por dia dá saúde e... boa disposição!