Fazer sexo? Fazer amor?




Fazer? Eu tenho sexo, tu tens sexo, juntos temos sexo, o nosso e o do/a parceiro/a. Agora fazer sexo ou amor? Como se faz? Digam-me como, pois gostaria de fazer em grandes quantidades, principalmente fazer amor, aos litros, se descobrir uma maneira de o engarrafar, fico rico em pouco tempo.

Eu não consigo escolher quem amo, simplesmente amo. Amar alguém não significa ser amado por essa pessoa, portanto isso coloca de parte a possibilidade de fazer amor. Mesmo um casal que tenha a sorte de amar e ser correspondido, o "fazer" amor é algo confuso.


Amor e sexo não se fazem, o amor sente-se e o sexo tem-se ou pratica-se. A mulher é que tem a mania de se referir ao acto sexual com fazer amor, independentemente se ama o parceiro sexual ou não. Isto retira toda a magia á palavra amor.


O termo correcto é "foder", "foder" é um verbo, é Português, uma palavra injustiçada por motivos incompreensíveis. Este verbo identifica o acto mas foi feito tabu por quem escreve e por quem lê. Tanto o homem como a mulher gostam sexo, logo, gostam de foder mas só usam a palavra na intimidade. A senhora dona pudica, diz ás amigas que faz amor com o seu namorado, mas dentro do quarto diz-lhe: "fode-me". Por outro lado, regra geral ninguém quer morrer nem ver morrer, mas não existe qualquer tabu em relação a este verbo. Mesmo um verbo com significado mais desprezível como "violar" tem uso mais corrente do que "foder". Não percebo!


Seria ridículo dizer que todas as mulheres fazem amor, posso dar alguns nomes de mulheres com quem tive sexo, que confirmam o que digo. Não houve amor, houve atracção física, houve tesão e isso gerou sexo. O amor ficou lá fora.

Ter uma vida sexual activa, pressupõe ter sexo, que por sua vez nada tem a ver com amor.

14 Comentários:

  shadows in love

quarta-feira, julho 18, 2007 12:27:00 da tarde

C� est� mais uma vez a conota�o errada que damos �s palavras, h� que fazer distin�o de coisas completamente diferentes, mas que se podem dizer de forma igual, agora tudo depende de quem o diz, depois provavelmente para uma mulher � mais f�cil dizer que fez amor que fez sexo, mas hoje em dia o mais f�cil � ouvir que se deu uma "queca"... viva a lingua portuguesa...

  Lésbico

quarta-feira, julho 18, 2007 4:42:00 da tarde

Queca? Queeeeeee-caaa, não me soa nada bem. Foda ainda vá, agora quecas?

A queca está para a foda como fazer amor está para foder.

É a mania que as mulheres têm de complicar o que é simples.

  Crestfallen

quarta-feira, julho 18, 2007 5:16:00 da tarde

Este comentário foi removido pelo autor.
  Crestfallen

quarta-feira, julho 18, 2007 5:32:00 da tarde

Se elas não complicassem, o homem perdia a curiosidade em tentar conhecê-las e elas iriam perder o seu mistério que é o que nos atrái. Sendo assim, homem e mulher não seriam tão diferentes, o que iria reduzir o numero de heterosexuais.

  Babe

quinta-feira, julho 19, 2007 10:25:00 da manhã

Como bem disseste, o amor sente-se o sexo faz-se. Se fizer amor com alguém é porque sinto amor por essa pessoa, mas o acto em si é sexo. E posso não ser correspondida, é um facto.

  Crestfallen

sábado, setembro 08, 2007 5:02:00 da tarde

Babe:

É sempre sexo, com ou sem amor.

  Jo

quarta-feira, outubro 10, 2007 3:17:00 da tarde

sim, é sempre sexo mas vivido de forma diferente consoante haja ou ão amor...disso nao tenhas duvidas..

  Crestfallen

quarta-feira, outubro 10, 2007 5:23:00 da tarde

Jo:

Não tenho dúvidas que seja verdade, simplesmente acho que é a banalização da palavra "Amor", como algo que se pode fazer e não sentir!

  Jo

quarta-feira, outubro 10, 2007 5:44:00 da tarde

penso que os homens nos dizem (mulheres) vamos fazer amor? pois pensam que é isso que nós queremos ouvir..senão é logo apelidado de insensível, que so nos quer comer, se vir com "vamos dar uma?". outra coisa que tb nao entendo é o facto de haver pessoas que dão quecas atras de quecas com a mesma pessoa e esse acto não se converte em alguma mais..não passa a ter mais significado..

  Jo

quarta-feira, outubro 10, 2007 5:45:00 da tarde

*vir=vier

  Crestfallen

quarta-feira, outubro 10, 2007 6:30:00 da tarde

Jo:

Eu acho que fazer sexo uma vez ou 300 vezes é sempre sexo, não se transforma em nada mais. Tal como alguém que passa a vida a escrever não se torna num escritor.

O amor é um sentimento, muito forte, dizer que se "faz amor" é retirar poder ao sentimento.

  Joana

quarta-feira, outubro 10, 2007 8:34:00 da tarde

Devido ao Amor ser um sentimento muito forte, me refiro ao facto de, como referiste, ao dar 300 quecas, a 300ª ser mais especial do que foi a 150ª. há quecas que têm esse poder, de se transformarem no falado "fazer amor".

  Crestfallen

quarta-feira, outubro 10, 2007 9:08:00 da tarde

Joana:

Acho que aquela que se torna a mais especial, não sei porquê é sempre a última.

"há quecas que têm esse poder, de se transformarem no falado "fazer amor"."

Pessoalmente distingo o sexo, do mau sexo e do bom sexo. O mau é para esquecer, o bom é para fazer novas categorias.

  DramaGirl

quarta-feira, julho 29, 2009 12:18:00 da manhã

Já fiz sexo e já fiz amor. É diferente mas um não tem de ser necessariamente melhor que o outro. Aliás, já tive sexo bem melhor com desconhecidos do que com namorados. Sexo, foder, o que for, é óptimo, recomenda-se e eu não consigo viver sem.