A nossa bandeira


Aviso desde já que vai ser um post comprido, pois não percebo como é que apareceu a nossa bandeira. Além disso a "lenga lenga" de quem tenta explicar, não convence ninguém.
Respeito-a. Andei com ela no carro, às costas e pendurada na janela de casa durante o Euro 2004, quando estive em Portugal. Andei com ela às costas, no carro e pendurada na janela de casa, no mundial 2006, aqui na Alemanha. E farei o mesmo em 2008, quando me deslocar à Suíça e Áustria.
Ela Representa Portugal, o meu país, respeito-a por isso, mas só por isso. Na verdade não gosto da nossa bandeira. Portugal, desde que tem esta bandeira, não fez nada se não cair no esquecimento internacional, empobreceu e continua a empobrecer.
A bandeira que trouxe, poder ao nosso país. A bandeira que foi respeitada e temida a nível mundial, for morta a 19 de Junho de 1911 e substituída pela actual. A desculpa usada pelos republicanos foi, que a antiga bandeira tinha a coroa real, símbolo da monarquia e Portugal era agora uma republica. Idiotas. Custava muito tirar a porra da coroa da bandeira e manter a nossa identidade intacta? Agora, temos aquela coisa vermelha, verde, amarela, azul e branca, um símbolo sem história. Ainda deverão haver portugueses mais velhos do que a bandeira.
Os putos na escola não conseguem desenhar aquilo, eu sei, eu tentei várias vezes. Mesmo que um gajo consiga desenhar a esfera armilar, tem de ter em conta que são 2/5 de verde por 3/5 de vermelho, nem mais nem menos, depois desenha-se o escudo das armas nacionais orlado a branco e com uma lupa, as 5 quinas em cada escudo, uns fazem 5 bolas outros 5 cruzes, mas isso não é o pior.
O maior problema... Os castelos. Eu sei que são 7, o que não sei é como se desenham, nem eu nem ninguém. A bandeira do palácio de Belém tem castelos desenhados de uma maneira, a de São Bento, já tem castelos diferente. Umas têm as 3 torres de igual tamanho, outras com a torre central mais pequena, etc, etc. Não existe um padrão. Foi uma coisa feita "á lá" Republicano, ou seja, feito à pressa, sem pensar muito nisso.

Reparem na evolução da nossa bandeira e digam-me lá como é que ela evoluiu até á actual. Existe uma evolução lógica, até à ultima da monarquia. O salto para a actual, não faz sentido.

1143 a 1185 - O escudo de armas de D. Afonso Henriques.




1185 a 1248 – A cruz da bandeira anteiror foi eliminada e substituída por 5 escudetes mas mantendo as cores e a forma em cruz.



1248 a 1384 - O centro desta bandeira é a bandeira anterior onde os besantes foram reduzidos para 5. Foi adicionado a bordadura a vermelho com castelos dourados em volta.





1385 a 1481 - Visivelmente respeitando a bandeira anterior, foram acrescentadas as pontas da cruz verde da Ordem de Avis.




1481 a 1495 - Rei morto, Rei posto, a Ordem de Avis foi esquecida, os castelos passaram a ser 7 e os escudos foram colocados verticalmente.


1557 a 1640 - Esta bandeira difere no facto de a coroa real ser fechada




1640 a 1816 - Alterações mínimas na coroa




1816 a 1828 - Adicionaram á bandeira a esfera armilar em fundo azul, simbolizando o Brasil como parte do império. Esta bandeira após a morte de D. João VI a bandeira voltou a ser a anterior.


1828 a 1910 - Visto que a esfera armilar em fundo azul, fez parte da bandeira unicamente 12 anos, tendo sido substituída pela bandeira anterior. A alteração significativa é que o fundo que passou a ser azul e branco, ou seja as cores originais da primeira bandeira Portuguesa. O escudo de armas sofreu uma pequena alteração na forma

1911 até aos nossos dias é aquela que conhecemos.

Agora é isto, a esfera armilar que simbolizou em 1816 o Brasil, voltou, mas desta vez simboliza o mundo. A coroa real desapareceu como é compreensível. Agora eu pergunto, por que raio desapareceram as cores nacionais o azul e o branco? De onde veio este vermelho e este verde todo? É que vermelho e verde, são cores que não combinam, a malta só mistura estas cores em eventos desportivos internacionais, caso contrário parecemos um semáforo. Há e tal e coiso, o verde é a terra conquistada, o vermelho é o sangue derramando. Poupem-me!!! Toda a terra conquistada e sangue derramado foi durante a monarquia, quando as nossas cores nacionais eram azul e branco. Para vossa informação, o vermelho foi inicialmente introduzido na bandeira nacional pelo D. Afonso III de Portugal para honrar o seu avo, D. Afonso III de Castela. É isso, o vermelho na bandeira é de influencia espanhola e hoje a maior parte da bandeira é vermelha. Em outros países temos uma cruz com um fundo de outra cor e está feito. Metade de uma cor, metade de outra e siga para bingo, 3 barras verticais ou horizontais pintadas a 3 cores e não se fala mais nisso. Nós? Temos o sangue, a terra, a esfera que simboliza o mundo, os 5 escudos que dizem ter a ver com os 5 ferimentos de guerra de D. Afonso Henriques, as 5 quinas que dizem simbolizar as chagas de Cristo, os castelos... aaaaaahhhhhh. Chega!!

Sou e sempre fui nacionalista, prestei serviço militar como voluntário após ter terminado a faculdade. Se Portugal precisar de mim, eu estarei lá, mas o Portugal que amo não são os símbolos, mas sim algo que se sente dentro de nós.
Não tem lógica a bandeira ter evoluído assim. Perdemos a bandeira dos nossos antepassados, perdemos o Hino nacional dos nossos antepassados (Hino da Carta substituído por A Portuguesa), perdemos tudo o que simbolizou Portugal como potência, perdemos identidade... Perdemos história.

8 Comentários:

  Rafeiro Perfumado

segunda-feira, julho 23, 2007 3:20:00 da tarde

Crestfallen, não posso concordar inteiramente contigo. Apesar de ser um símbolo, representa em parte o nosso país, seja em que época for, seja em que forma for. É um pouco como a aliança de casamento, que apesar de não passar de um pedaço de metal, tem um valor simbólico. Eu, pelo menos, se um dia a perco, bem posso fugir...

  Crestfallen

segunda-feira, julho 23, 2007 4:57:00 da tarde

Tal como referi, respeito e gosto que respeitem a bandeira, por ser um símbolo nacional, mas não posso concordar que algum ataque que se faça à bandeira seja um ataque a Portugal.

Portugal, seria Portugal com qualquer bandeira. Eu simplesmente não encontro significação lógica para a actual.

  Fly

segunda-feira, julho 23, 2007 7:54:00 da tarde

É a 1ªvez que aqui venho e posso dizer que gostei muito deste blog. MAs não foi para dizer isto que comentei, foi sim a questão que levantas acerca da cores da nossa bandeira, para isso podes ir a este blog que explica muito bem-->

http://acrisedeportugal.blogspot.com/

As cores da nossa bandeira actual não são outra coisa que as cores das duas maiores lojas maçonicas portuguesas a GOL (Grande Oriente Lusitano e a GLNP (Grande Loja Nacional Portuguesa), lojas estas que tudo fizeram para depor o nosso último rei e implantarem a republica em Portugal. Daí as dúvidas que o apoquentam terem razão de ser porque estas cores e simbolos nunca foram nacionais foram sim simbolos e cores maçonicas transformados em nacional. Mas isto não é de admirar visto ainda hoje sermos governados por estas seitas, basta fazer uma pesquisa acerca dos politicos do governo e não só e ver quantos pertencem à maçonaria ou à opus dei.

abraço

  Crestfallen

terça-feira, julho 24, 2007 9:08:00 da manhã

Irei fazer uma visita a esse blogue, agora estou curioso :)

Obrigado

  Musa

sábado, setembro 08, 2007 1:52:00 da tarde

Eu pintava a bandeira com a parte vermelha e verde, com uma bolinha amarela ao meio e estava feita!

  Crestfallen

sábado, setembro 08, 2007 5:13:00 da tarde

Musa:

Lol

  Anónimo

domingo, julho 19, 2009 4:17:00 da manhã

Bastante pertinente esta questão... Mas acho que já vens tarde... Talvez se no 25 de Abril tivessem falado disto se tivesse voltado, mas esses tinham outras preocupações como caminhar para o socialismo... lol

  Bruno Fehr

domingo, julho 19, 2009 4:28:00 da manhã

Anónimo:

"Bastante pertinente esta questão... Mas acho que já vens tarde... Talvez se no 25 de Abril tivessem falado disto se tivesse voltado"

Não acho que se tivesse voltado, porque quem criou a bandeira e quem criou o 25 de Abril foram as mesmas pessoas, a nossa actual bandeira não é mais do que um tributo a essas pessoas, ou seja, as duas maiores lojas maçónicas Portuguesa, basta comparar as cores.

"mas esses tinham outras preocupações como caminhar para o socialismo... lol"

Correcto, no entanto damos mais importância ao 25 de Abril que foi o caminho para o comunismo, do que a 25 de Novembro que foi o que nos livrou dele.