Stirb nicht vor mir

Porque és mais do que pensas ser. Porque és melhor do que achas ser. Porque podes tudo e nada pareces querer. Porque sonhas com tudo o que achas não alcançar. Tu pensas que queres e tu podes se quiseres realmente. Não basta falar, não basta pensar, não basta chorar. É preciso gritar interiormente, como se de uma revolução interna se tratasse e partir para a luta.

Magoas por palavras sem saber que o fazes, ou será que sabes? E se sabes porque o fazes? Ou porque é que no final, parece que foste tu ofendida? Não percebo. Tentar adivinhar cansa. Eu sou um comunicador e gosto de falar, como adulto que sou e não conversas de surdos que só ouvem o que querem e só dizem o que querem que ouçam.

Magoar é uma morte lenta.
Deixar de sonhar é uma morte lenta.
Deixar de acreditar é uma morte lenta.
Fugir é uma morte lenta.
Com tanta coisa que nos mata, morro lentamente, mas tu... Não morras antes de mim, pois eu vou-te encontrar e tu vais-me encontrar. Espero por ti. Espera por mim.





Stirb nicht vor mir (tradução)

(Ele)
A noite abre-lhe o colo
O nome da criança é solidão
É fria e sem movimento
Eu choro suavemente no tempo
Não sei o teu nome
Mas sei que existes
Eu sei que um dia
Alguém me amará

(Ela)
Ele vem até mim todas as noites
Não há palavras por dizer
com suas mãos em torno do meu pescoço
fecho os olhos e faleço
Não sei quem ele é
Nos meus sonhos ele existe
A sua paixão é um beijo
não consigo resistir

(Ele & Ela)
Espero aqui
Não morras antes de mim
Espero aqui
Não morras antes de mim
Não sei quem és
Sei que existes
Não morras
Por vezes o amor parece longínquo
eu espero aqui
não nego o teu amor
espero aqui

(Ele)
todas as casas cobertas de neve
a luz de uma vela nas janelas
ali ficam a duase eu
só espero por ti

(Ele e Ela)
espero aqui
não morras antes de mim
espero aqui
não morras antes de mim
não morras antes de mim

73 Comentários:

  ipsis verbis

quinta-feira, fevereiro 05, 2009 12:30:00 da manhã

de repente, lembrei-me do álbum "murder ballads" do Nick cave.

:)

  Mel

quinta-feira, fevereiro 05, 2009 12:32:00 da manhã

Como ele está...

  Jane Doe

quinta-feira, fevereiro 05, 2009 12:32:00 da manhã

Ui... Temos alguém apaixonado!

A letra da música é... Bonita, mas...

Mas...

Isso...

No way.

  Eu mesma!

quinta-feira, fevereiro 05, 2009 12:45:00 da manhã

bem...
em primeiro lugar deixa-me dizer-te que gosto do novo look...

em segundo lugar.....
ui.....

com calma.... vais ser ouvido e vais ouvir alguém...

  ipsis verbis

quinta-feira, fevereiro 05, 2009 1:00:00 da manhã

ah... gosto da nova cara do blog.

  *Joana*

quinta-feira, fevereiro 05, 2009 1:03:00 da manhã

Essa música faz-me recordar...

  Van

quinta-feira, fevereiro 05, 2009 1:57:00 da manhã

Beeeeeeeeeeeem...mmmm...primeiro um poste sobre discutir...depois...mmmm...mmm... :-))))

gostei. Tantas vezes tantos de nós já se sentiram assim. É por isso que dói, qd a pessoa que mais gostamos, se torna fria numa dessas discussões.

Mas todas as discussões que magoem, são discussões parvas. E são bilaterais, a razão está quase sempre dos dois lados. Mas no meio do calor, ninguém quer ver isso. E eu, ah ah, eu detesto dar o braço a torcer ou admitir que me enganei ou errei. Sei lá. É como uma confissão de fracasso. Detesto errar. Por isso, se não admitir que errei, não erro. Lógica interessante, não é?...

:)

  Van

quinta-feira, fevereiro 05, 2009 1:59:00 da manhã

Gosto da música, mas tenho alguma dificuldade em acompanhar. O baixo sobrepõe-se à voz e soa-me distorcido, a modos que perco muito da cena. Daí que seja tão eclética lol.

  ลndreia

quinta-feira, fevereiro 05, 2009 3:04:00 da manhã

Contínuo à espera. *

  Gravepisser

quinta-feira, fevereiro 05, 2009 3:38:00 da manhã

Uma extraordinária música, de uma das melhores, mais originais e mais poderosas em palco, de todas as bandas da actualidade.
E a voz da Christiane assenta que nem uma luva no estilo do Till.

P.S.: Gostei do novo layout, simples e de fácil leitura, ao contrário do anterior.

P.S.2: Espero que não deixes de escrever, como deste a entender no comentário lá no meu blog. Ainda que muitas vezes exageres e eu não concorde com muitas das tuas opiniões, escreves bem e suscitas debates de ideia interessantes, que devem ser incentivados, e nunca castrados.
É a minha opinião.

  Bruno Fehr

quinta-feira, fevereiro 05, 2009 6:42:00 da manhã

ipsis verbis disse...

"de repente, lembrei-me do álbum "murder ballads" do Nick cave."

Rammstein lembrou-te de Nick Cave?

  Bruno Fehr

quinta-feira, fevereiro 05, 2009 6:42:00 da manhã

Mel disse...

"Como ele está..."

Como é que ele está?

  Bruno Fehr

quinta-feira, fevereiro 05, 2009 6:42:00 da manhã

Jane Doe disse...

"Ui... Temos alguém apaixonado!"

Será?

  Bruno Fehr

quinta-feira, fevereiro 05, 2009 6:42:00 da manhã

Eu mesma! disse...

"com calma.... vais ser ouvido e vais ouvir alguém..."

Lido chega, o texto não é para ser ouvido, é só um texto.

  Bruno Fehr

quinta-feira, fevereiro 05, 2009 6:43:00 da manhã

ipsis verbis disse...

É uma cara linda :)

  Bruno Fehr

quinta-feira, fevereiro 05, 2009 6:43:00 da manhã

*Joana* disse...

"Essa música faz-me recordar..."

Espero que nada da mau.

  Bruno Fehr

quinta-feira, fevereiro 05, 2009 6:43:00 da manhã

Van disse...

"gostei. Tantas vezes tantos de nós já se sentiram assim. É por isso que dói, qd a pessoa que mais gostamos, se torna fria numa dessas discussões."

Ou nós nos tornamos, o que é pior ainda.

"Mas todas as discussões que magoem, são discussões parvas. E são bilaterais, a razão está quase sempre dos dois lados. Mas no meio do calor, ninguém quer ver isso. E eu, ah ah, eu detesto dar o braço a torcer ou admitir que me enganei ou errei."

Dar o braço a torcer, sim, mas até partir, não!

"Gosto da música, mas tenho alguma dificuldade em acompanhar. O baixo sobrepõe-se à voz e soa-me distorcido, a modos que perco muito da cena. Daí que seja tão eclética lol."

Sim, a voz dele é grave e mistura-se com a musica.

  Bruno Fehr

quinta-feira, fevereiro 05, 2009 6:44:00 da manhã

ลndreia disse...

"Contínuo à espera. *"

Ahahahahah, com este comentário oportuno deixaste toda a gente confusa. Houve já, mais pessoas a clicar no teu perfil do que a comentar o texto!

Tenho de admitir que fiquei confuso, quando li o teu comentário. Sei lá, eu tenho uma memória terrível para nomes :S
Bem vinda a este espaço!

  Bruno Fehr

quinta-feira, fevereiro 05, 2009 6:44:00 da manhã

Gravepisser disse...

"Uma extraordinária música, de uma das melhores, mais originais e mais poderosas em palco, de todas as bandas da actualidade."

Sim, sem duvida.

"P.S.: Gostei do novo layout, simples e de fácil leitura, ao contrário do anterior."

Tinha de ser Wordpress :)

"P.S.2: Espero que não deixes de escrever, como deste a entender no comentário lá no meu blog. Ainda que muitas vezes exageres e eu não concorde com muitas das tuas opiniões, escreves bem e suscitas debates de ideia interessantes, que devem ser incentivados, e nunca castrados.
É a minha opinião."

Pois o castramento já aconteceu, mas irei ser muito mais polémico até ao ultimo post.

  Bruno Fehr

quinta-feira, fevereiro 05, 2009 6:47:00 da manhã

ลndreia disse...

"Contínuo à espera. *"

Demorei uns minutos, mas percebi o teu comentário e o que queres dizer com ele. Deves esperar enquanto achas que deves esperar, nem mais um segundo que isso.

  Teté

quinta-feira, fevereiro 05, 2009 9:00:00 da manhã

Bem me parecia que estavas a brincar, com as minhas "mudanças"... :D

Gostei do novo visual! Aliás, acho que se lê sempre melhor preto no branco (ou claro)!

Também gostei da música, embora o refrão reflicta tudo o que mais tememos na Vida!

E concordo que baixar os braços é que não, o caminho é em frente, sempre!

:)*

  ipsis verbis

quinta-feira, fevereiro 05, 2009 9:55:00 da manhã

Bruno Fehr disse:

"Rammstein lembrou-te de Nick Cave?"

Esta música (
quando ela canta isto: "com suas mãos em torno do meu pescoço
fecho os olhos e faleço") fez-me lembrar UM álbum de nick cave.O "murder ballads", quem conhece sabe por que o digo.

é claro que não comparei rammstein e nick cave no geral.

  Eu mesma!

quinta-feira, fevereiro 05, 2009 10:16:00 da manhã

Bom dia Bruno...
pensei que estavas a falar para alguém em especial... que não fosse atenção mais um texto,

Assim sendo....
o meu comentário já não se adequado

  Bruno Fehr

quinta-feira, fevereiro 05, 2009 10:26:00 da manhã

Teté disse...

"Bem me parecia que estavas a brincar, com as minhas "mudanças"... :D"

Mas sao mudancas, gostei da parte dos e-mails, mas isso só tem piada quando acontece aos outros :)

  Bruno Fehr

quinta-feira, fevereiro 05, 2009 10:27:00 da manhã

ipsis verbis disse...

"Esta música (
quando ela canta isto: "com suas mãos em torno do meu pescoço
fecho os olhos e faleço") fez-me lembrar UM álbum de nick cave.O "murder ballads", quem conhece sabe por que o digo.

é claro que não comparei rammstein e nick cave no geral."

Eu percebi, foi uma pitada de ironia com sono à mistura :)

  Bruno Fehr

quinta-feira, fevereiro 05, 2009 10:30:00 da manhã

Eu mesma! disse...

"pensei que estavas a falar para alguém em especial... que não fosse atenção mais um texto,"

Todos os textos são mais um texto. Eu julgo que todos magoam e são magoados, todos ofendem e são ofendidos, todos desistem de algo, todos choram e todos não percebem certas situações. Por isso julgo que pelo menos uma parte, nem que seja uma frase, se pode adaptar a qualquer pessoa.

"Assim sendo....
o meu comentário já não se adequado"

É adequado, pois eu posso estar unicamente de uma maneira hábil a fugir ao assunto. É que comigo, nunca dá para ter a certeza de quando escrevo realidade e ficção.

  Eu mesma!

quinta-feira, fevereiro 05, 2009 10:32:00 da manhã

bem respondido!

  Sad Tear

quinta-feira, fevereiro 05, 2009 12:13:00 da tarde

"deixar de sonhar é uma morte lenta.."

Por isso é que nunca, mas nunca, nunca devemos deixar de sonhar... mas ás vezes é preciso não sonhar alto demais... a queda pode ser fatal!

  Pax

quinta-feira, fevereiro 05, 2009 12:25:00 da tarde

Se não fosse o género, diria que este texto poderia ter sido escrito não por ti mas sim PARA ti.

:)

  Pax

quinta-feira, fevereiro 05, 2009 12:28:00 da tarde

Este comentário foi removido pelo autor.
  Jane Doe

quinta-feira, fevereiro 05, 2009 1:01:00 da tarde

Bruno Fehr disse...

"Será?"

Agora sei!

Ahahahahhah!

Mas nao digo!

LOL

  Marta

quinta-feira, fevereiro 05, 2009 1:56:00 da tarde

Uau.

Gostei!
Suficientemente lato para nos identificarmos todos, ou quase, com um ou outro lado, mas provavelmente especifico o bastante para que o/a destinatário/a o entenda.
Gostei. Já Rammstein, talvez por não perceber a ponta dum corno dá-me voltas ao estômago. :)

  vita

quinta-feira, fevereiro 05, 2009 2:02:00 da tarde

Música linda, gostei que tivesses traduzido, obrigada.;)

E sim,tu és muito hábil.;P

  I.D.Pena

quinta-feira, fevereiro 05, 2009 2:35:00 da tarde

Bruno,

Não me identifiquei com o 1º paragrafo, fiquei confusa com o 2º paragrafo e contesto o 3º paragrafo.

"Magoar é uma morte lenta.
Deixar de sonhar é uma morte lenta.
Deixar de acreditar é uma morte lenta.
Fugir é uma morte lenta.
Com tanta coisa que nos mata, morro lentamente, mas tu... Não morras antes de mim, pois eu vou-te encontrar e tu vais-me encontrar. Espero por ti. Espera por mim."

Numa de fazer de advogada do diabo, vou me fazer de psicóloga LOL.

Tudo isso é uma morte lenta, mas não mata necessariamente, há quem ainda precise de morrer dessa forma (errando)e errante mesmo que aparentemente seja = a sofrimento, isso tudo para dar valor ao que realmente importa - o próprio.

  Van

quinta-feira, fevereiro 05, 2009 3:10:00 da tarde

Sim, ou nós mesmos. Eu assusto-me qd fico fria. Mas às vezes, a melhor forma de não me passar é, precisamente, esfriar e deixar de sentir. Mas é assustador estar num estado em que nada te desperta qq sentimento. É assustador estar-se anestesiado. Mas é algo que consigo fazer com cada vez maior frequencia. É uma máscara para mim mesma lol.

Ah, quem te vai lendo vai começando a aperceber-se que muita da tua ficção é realidade heheheh.

Gostei do comentário da pax, ahahah.

Mas, mesmo assim, aposto que te chateaste com alguém ahahahaha. ;-) Quer dizer, eu sinto-me assim qd me chateio a sério com alguém de quem goste.

  Ana

quinta-feira, fevereiro 05, 2009 3:16:00 da tarde

Lutar e uma das nossas capacidades inatas e constantes, o que faz de nos humanos e mesmo isto... uma batalha constante em especial com nos mesmos! E, se ha pessoas que me causam alguma estranheza sao aquelas que sabem o que sao, o que querem, quando querem e como querem, sao tao acertivas e tao certas no seu ser! Sera que foi assim numa dessas batalhas consigo mesmos que alcancaram esse estado de certezas absolutas? Basta querer? Talvez...

Em associacao ao teu post anterior e como neste referencias o silencio, no meu comentario disse que os "lalalas" me deixavam possessa mas o silencio ainda me perturba ainda mais causa me uma aflicao imensa e que ensurdece constantemente na espera de algum som... principalmente porque no final dou por mim a ter conversas mentais com essa pessoa, o que acaba por ser um pouco triste e infelizmente estou a passar por esta situacao com um amigo/irmao... mas ele sabe que estou aqui e por ora vou me manter!

  Joana

quinta-feira, fevereiro 05, 2009 5:10:00 da tarde

adoro como escreves !

  Joana

quinta-feira, fevereiro 05, 2009 6:06:00 da tarde

Gosto tanto da forma como escreves. Os teus textos, para mim , são como músicas ou poemas ou livros que quando ouvimos ou lemos..pensamos "escreveu isto para mim,é exactamente o que sinto".
Gosto mesmo de te ler.
Beijinhos

  Carlos II

quinta-feira, fevereiro 05, 2009 8:18:00 da tarde

Que é feito da Nina Hagen!?

  Salto-Alto

quinta-feira, fevereiro 05, 2009 11:31:00 da tarde

Está muito giro o texto. Digno de constar de um livro...

(O novo visual do blogue está muito bom! Coincidência gira, é o visual que tenho num dos meu blogues provados! :))

  ipsis verbis

quinta-feira, fevereiro 05, 2009 11:35:00 da tarde

Bruno Fehr disse:

"Eu percebi, foi uma pitada de ironia com sono à mistura :)"

Ah. :)

  Bruno Fehr

sexta-feira, fevereiro 06, 2009 1:32:00 da manhã

Eu mesma! disse...

:D

  Bruno Fehr

sexta-feira, fevereiro 06, 2009 1:32:00 da manhã

Sad Tear disse...

"Por isso é que nunca, mas nunca, nunca devemos deixar de sonhar... mas ás vezes é preciso não sonhar alto demais... a queda pode ser fatal!"

O sonho é uma forma de estabelecer objectivos e os objectivos dão sentido à vida.

  Bruno Fehr

sexta-feira, fevereiro 06, 2009 1:32:00 da manhã

Pax disse...

"Se não fosse o género, diria que este texto poderia ter sido escrito não por ti mas sim PARA ti."

Sim, por acaso tentei manter o texto neutro, mas lá me saiu o género feminino.
Sempre disse que escrevo para mim, mas partilho com os outros. No entanto qualquer pessoa, se poderá identificar com algo, neste texto.

  Bruno Fehr

sexta-feira, fevereiro 06, 2009 1:32:00 da manhã

Jane Doe disse...

"Mas nao digo!"

:)

  Bruno Fehr

sexta-feira, fevereiro 06, 2009 1:33:00 da manhã

Marta disse...

"Suficientemente lato para nos identificarmos todos, ou quase"

Nem que seja com uma frase, dá mesmo para todos.

"mas provavelmente especifico o bastante para que o/a destinatário/a o entenda."

Aahahahhaha, dúvido!

  Bruno Fehr

sexta-feira, fevereiro 06, 2009 1:33:00 da manhã

vita disse...

"E sim,tu és muito hábil.;P"

Ora, aqui está um adjectivo que nunca usaram para me definir.

  Bruno Fehr

sexta-feira, fevereiro 06, 2009 1:33:00 da manhã

I.D.Pena disse...

"Tudo isso é uma morte lenta, mas não mata necessariamente, há quem ainda precise de morrer dessa forma (errando)e errante mesmo que aparentemente seja = a sofrimento, isso tudo para dar valor ao que realmente importa - o próprio."

Claro que mata, se é uma morte lenta mata com toda a certeza. Nao mata fisicamente mas mata sentimentos.

"Nao morras antes de mim", não se refere à morte física, mas sim à morte de sentimentos. Nao deixes que os maus sentimentos morram antes eu estar ao pé de ti. É isto que a frase quer dizer.

Antes de eu ter a mulher com que sonho ao meu lado, vivo uma vida "antes dela". :D

  Bruno Fehr

sexta-feira, fevereiro 06, 2009 1:33:00 da manhã

Van disse...

"Mas é assustador estar num estado em que nada te desperta qq sentimento. É assustador estar-se anestesiado."

Desde que nao se permita a morte dos sentimentos, tudo bem.

"Ah, quem te vai lendo vai começando a aperceber-se que muita da tua ficção é realidade heheheh."

Só porque consigo dar o real significado?
É que o facto de lerem o texto como real, fez com que a maioria não percebesse o que "Não morras antes de mim, pois eu vou-te encontrar e tu vais-me encontrar. Espero por ti. Espera por mim" quer realmente dizer.

"Gostei do comentário da pax, ahahah."

Mas lá está. Na preocupação de identificar o texto com o autor, a mensagem perdeu-se.

  Bruno Fehr

sexta-feira, fevereiro 06, 2009 1:34:00 da manhã

Ana disse...

"Lutar e uma das nossas capacidades inatas e constantes, o que faz de nos humanos e mesmo isto... uma batalha constante em especial com nos mesmos!"

Mas cada vez mais, vejo pessoas a desistir do que é importante e a lutar só por merdas banais.

"E, se ha pessoas que me causam alguma estranheza sao aquelas que sabem o que sao, o que querem, quando querem e como querem, sao tao acertivas e tao certas no seu ser! Sera que foi assim numa dessas batalhas consigo mesmos que alcancaram esse estado de certezas absolutas? Basta querer? Talvez..."

Sim, basta querer. Para chegar a esse ponto alto, tens de descer ao ponto mais baixo dos sentimentos, onde moram os piores e mais escuros, aí, olhas para cima e percebes que é o teu único caminho. Durante a subida até à superfície vais-te conhecendo e quando a atinges tudo mudou, sabes o que queres e o que queres é mais. Se lutares por mais, vais ter mais, desde que acredites que o podes atingir.

  Bruno Fehr

sexta-feira, fevereiro 06, 2009 1:34:00 da manhã

Joana disse...

"adoro como escreves !"

Obrigado.

  Bruno Fehr

sexta-feira, fevereiro 06, 2009 1:34:00 da manhã

Joana disse...

"Gosto tanto da forma como escreves."

Obrigado.

"que quando ouvimos ou lemos..pensamos "escreveu isto para mim,é exactamente o que sinto"."

Acho que esse é um dos objectivos da escrita. Mais importante do que vender livros, é haver alguém que se identifique e melhor que isso, só mesmo haver nem que seja uma pessoa, perceber exactamente o que é escrito.

  Bruno Fehr

sexta-feira, fevereiro 06, 2009 1:34:00 da manhã

Carlos II disse...

"Que é feito da Nina Hagen!?"

Ahahahaha, esse susto anda por aí a meter medo ao pessoal, agora faz parte do juri do "Deutschland Super Star", o equivalente ao "Idolos" aí :)

  Bruno Fehr

sexta-feira, fevereiro 06, 2009 1:34:00 da manhã

Salto-Alto disse...

"Está muito giro o texto. Digno de constar de um livro..."

Obrigado pela primeira frase. A segunda já é exagero :)

  Bruno Fehr

sexta-feira, fevereiro 06, 2009 1:35:00 da manhã

ipsis verbis disse...

"Ah. :)"

:)

  vita

sexta-feira, fevereiro 06, 2009 2:20:00 da manhã

"Ora, aqui está um adjectivo que nunca usaram para me definir."

Muito me admira, porque tens o "dom" de fugir bem a certas questões...

Isso é habilidade sabias?.;P

  Bruno Fehr

sexta-feira, fevereiro 06, 2009 2:40:00 da manhã

vita disse...

"Muito me admira, porque tens o "dom" de fugir bem a certas questões..."

Sim, mas nao lhe chamam habilidade, pois eu fujo ao que nao me interessa muito bem e sem dar nas vistas, mas aqui afirmei-o :)

  lontra (MR.)

sexta-feira, fevereiro 06, 2009 3:47:00 da manhã

A pior parte é as cicatrizes que inevitavelmente ficam dessa espera. Será que depois a pessoa que tanto se deseja não se vai assustar quando as descobrir.
É como uma cicatriz no rosto, tentamos tapar com o cabelo…até mesmo quando nos olhamos ao espelho.
Podia ter sido eu a escrever o texto, do princípio ao fim, mas não tenho o teu jeitinho.
Vês daqui a 55 dias…não tenho quem escreva como eu penso! Snif..

  I.D.Pena

sexta-feira, fevereiro 06, 2009 10:54:00 da manhã

Bruno,

"Claro que mata, se é uma morte lenta mata com toda a certeza. Nao mata fisicamente mas mata sentimentos."

Sim mata os sentimentos, mas os sentimentos não são coisas palpáveis, pessoalmente acho que mudam apenas de forma. Sejam como forem nem sempre se sente da mesma forma.

"Antes de eu ter a mulher com que sonho ao meu lado, vivo uma vida "antes dela". :D"

Claro, :) hehe, vives tu e muita gente, e fazes tu muito bem !

;)

  Ana

sexta-feira, fevereiro 06, 2009 12:13:00 da tarde

"Durante a subida até à superfície vais-te conhecendo e quando a atinges tudo mudou, sabes o que queres e o que queres é mais."

Dizes isso a alguem, que nao acredita que as pessoas mudam... Eu acho mesmo que as pessoas se adaptam; adaptam-se conforme as suas necessidades e o ambiente em que se encontram e principalmente daquilo querem alcancar, seja a que nivel for... talvez, se as batalhas que travam consigo mesmos fossem maiores e reais deixassem de batalhar por merdas banais!
Querer e poder, sim e! Mas sempre numa de adaptacao...
Para mim as verdades absolutas nao existem!
"Não morras antes de mim, pois eu vou-te encontrar e tu vais-me encontrar. Espero por ti. Espera por mim"
A certeza de que um dia se irao encontrar faz com que querer seja poder mas o que e hoje para ti pode nao ser amanha, e ai o que acontece??? E o que acontece pelo meio??? Durante a espera??? Sonhar tambem pode ser uma morte lenta...

  Pax

sexta-feira, fevereiro 06, 2009 4:02:00 da tarde

"Na preocupação de identificar o texto com o autor, a mensagem perdeu-se."

Será que sim?

  Bruno Fehr

sábado, fevereiro 07, 2009 12:21:00 da manhã

lontra (MR.) disse...

"A pior parte é as cicatrizes que inevitavelmente ficam dessa espera. Será que depois a pessoa que tanto se deseja não se vai assustar quando as descobrir."

Mas eu não falo de espera, antes pelo contrário.

"Vês daqui a 55 dias…não tenho quem escreva como eu penso! Snif.."

Podes sempre fazê-lo, tu mesma.

  Bruno Fehr

sábado, fevereiro 07, 2009 12:21:00 da manhã

I.D.Pena disse...

"Sim mata os sentimentos, mas os sentimentos não são coisas palpáveis, pessoalmente acho que mudam apenas de forma. Sejam como forem nem sempre se sente da mesma forma."

Nada se perde, tudo se transforma, mas há sentimentos que se transformam em nada.

  Bruno Fehr

sábado, fevereiro 07, 2009 12:22:00 da manhã

Ana disse...

"Dizes isso a alguem, que nao acredita que as pessoas mudam..."

Quando eu digo que tudo mudou, refiro-me a tudo o não é a tua essência, pois essa não muda, aprendes é a ver e a lidar com as coisas de forma diferente.

"talvez, se as batalhas que travam consigo mesmos fossem maiores e reais deixassem de batalhar por merdas banais!"

Nao há batalha maior, do que descer ao mais fundo posso sentimental, a subida até à superfície é a maior batalha que se pode travar.

"Para mim as verdades absolutas nao existem!"

Sem acreditar não chegas a lado nenhum, esta é uma verdade, que se não é absoluta é a mais próxima.

"A certeza de que um dia se irao encontrar faz com que querer seja poder mas o que e hoje para ti pode nao ser amanha, e ai o que acontece??? E o que acontece pelo meio??? Durante a espera??? Sonhar tambem pode ser uma morte lenta..."

Tendo em conta que o texto fala de um sentimento supremo por uma pessoa utópica, o que sinto hoje, será o que sentirei amanha. O querer o melhor para mim, não é algo que mude.

  Bruno Fehr

sábado, fevereiro 07, 2009 12:22:00 da manhã

Pax disse...

"Será que sim?"

Sim. E ninguém melhor que eu para o dizer.
Pelos comentários neste texto ninguém chegou exactamente ao que eu queria dizer, ao significado do "não morras antes de mim", que não tem nada a ver com mortes. Apenas três pessoas estiveram lá muito perto.

  Ana

sábado, fevereiro 07, 2009 4:26:00 da tarde

"Tendo em conta que o texto fala de um sentimento supremo por uma pessoa utópica, o que sinto hoje, será o que sentirei amanha. O querer o melhor para mim, não é algo que mude. "
Exactamente, por falares num alguem de uma forma utopica e que te questionei sobre o que sentes hoje e no amanha, sendo que ambos concordamos nas batalhas do ser humano e no seu ascender, ao te ler parece-me que "vemos" essas batalhas de forma diefrente mas ainda assim, e o que se perde pelo meio? Duante a espera? Sera que nao estaras a perder algo??
E, como te disse sonhar tambem pode ser uma morte lenta...
"Quando eu digo que tudo mudou, refiro-me a tudo o não é a tua essência, pois essa não muda, aprendes é a ver e a lidar com as coisas de forma diferente. "
Se na subida de uma de varias batalhas que temos dizes que tudo mudou... Sera que sim? Ou foi a forma como tu ves o mundo? Te apercebes o que realmente es, o que sentes, o que te rodeia, sim a essencia nao muda mas a forma como abordas o mundo sim! Aqui adaptas a tua nova visao do mundo... existe uma transformacao, uma morte de algo e o renascer de outro... e ai, esse ser utopico deixar de ser como o querias para ser de outra forma... e se essa "busca" terminar em outros resultados, como podes saber assim o que e melhor para ti? E como podes saber se esse melhor ja nao se encontra tao perto de ti que apenas por esse teu acreditar simplesmente nao o ves?

  Bruno Fehr

domingo, fevereiro 08, 2009 9:27:00 da manhã

Ana disse...

"ao te ler parece-me que "vemos" essas batalhas de forma diefrente mas ainda assim, e o que se perde pelo meio? Duante a espera? Sera que nao estaras a perder algo??"

Mas não é uma espera é uma procura. Ao procurar alguém, esperamos por ela, esperamos encontrar, mas é uma espera que vem de esperança e não o facto de ficar sentado à espera que caia do céu.
Nao vemos as coisas de forma diferente, tiraste foi uma interpretação diferente do texto, que admito, não ser claro por opção própria.


"E, como te disse sonhar tambem pode ser uma morte lenta..."

Com esta frase, nao poderia nunca concordar, pois vai contra toda a lógica pela qual vivo.
Sonhar é a única maneira de termos objectivos e os objectivos sao a única coisa que dá sentido à vida. Sem sonhos nao vivemos, sobrevivemos e seu sobrevivesse, sem sonhos, nao teria objectivos e sem objectivos, já teria morrido de aborrecimento.

"Se na subida de uma de varias batalhas que temos dizes que tudo mudou... Sera que sim?"

Eu nao falo de uma de várias batalhas, falo no final do poco, onde se desces uma vez, podes ter forcas para sair, mas se desdes duas vezes, nao voltas.
Sim, depois de estares num ponto de tristeza tal em que poderás se vale a pena viver e recuperas, sim, tudo mudou. Vês tudo de forma diferentes, tu mudaste. Acontecimentos traumáticos mudam as pessoas e mudam todas as pessoas.

"Ou foi a forma como tu ves o mundo? Te apercebes o que realmente es, o que sentes, o que te rodeia, sim a essencia nao muda mas a forma como abordas o mundo sim!"

Se falarmos a partir do teu ponto de vista, em que te referes a depressões mais banais, sim tens razão. Mas se a depressão, a perda, o trauma é tal que te leva a encontrar os teus próprios limites, sim mudas e se não mudas não voltas.

"Aqui adaptas a tua nova visao do mundo... existe uma transformacao, uma morte de algo e o renascer de outro... e ai, esse ser utopico deixar de ser como o querias para ser de outra forma... e se essa "busca" terminar em outros resultados, como podes saber assim o que e melhor para ti?"

Quando todo o nosso mundo é destruído, quando toda a tua razao de viver te é roubada, quando estás numa situacao em que a dor te domina. Há 3 maneiras de lidar com isso:

- Ou encontras forcas para voltar à superficie. E neste caso o ser humano faz isto uma vez, em raros casos duas. Nao há forca para mais.

- Ou entras em loucura.

- Ou tomas a tua vida.

É o extremo, o nivel mais baixo sentimental, que te muda e muda qualquer pessoa. Nao me refiro a banalidades diária de auto-analise que mudam 1mm na tua vida. Do que falo, pode mudar tudo, podes renascer uma pessoa completamente nova, onde até ao te olhares ao espelho nao te reconheces.

"E como podes saber se esse melhor ja nao se encontra tao perto de ti que apenas por esse teu acreditar simplesmente nao o ves?"

Nao coloco isso em causa. Eu falo em busca e a busca só pode ser feita onde nós estamos. Nao busco ninguém na China, pois nao posso nada lá buscar.

  Ana

segunda-feira, fevereiro 09, 2009 12:29:00 da tarde

"Sonhar é a única maneira de termos objectivos e os objectivos sao a única coisa que dá sentido à vida."
As palavras Sonhar e Objectivos na mesma frase, no meu ver nao se coadunam...
"Nao coloco isso em causa. Eu falo em busca e a busca só pode ser feita onde nós estamos. Nao busco ninguém na China, pois nao posso nada lá buscar. "
Estou-me a perder, nao estamos a falar de um alguem idealizado??? Essa procura e feita baseada nos teus ideais, foi "produzida" na tua mente num momento e no ser que es, seras ou foste!!!
"Se falarmos a partir do teu ponto de vista, em que te referes a depressões mais banais, sim tens razão. "
As pessoas nao mudam, as pessoas adaptam-se! As pessoas permanecem sempre iguais mas perante um momento, accao ou alguem desconhecido, reagem de acordo com a situacao desconhecida e como ate ai era desconhecida "revelam-se"!

  Van

segunda-feira, fevereiro 09, 2009 12:30:00 da tarde

Certo,mas a mensagem não se perdeu, não. Tanto que todos se sentem identificados, de uma ou de outra forma. No meu caso, era assim que reagiria se me chateasse com alguém. A escrita é ambigua, tem os significados que a vivencia de cada um lhes quer atribuir. Eu vi-a assim.
O querer imputar significados ao autor do texto, só prova que se tem consciência que há uma pessoa por detrás das palavras. E, pessoalmente, como acho que já disse algures, é-me dificil dissociar a escrita do escritor. Procuro sempre o escritor na escrita.

  Bruno Fehr

terça-feira, fevereiro 10, 2009 1:36:00 da manhã

Ana disse...

"As palavras Sonhar e Objectivos na mesma frase, no meu ver nao se coadunam..."

Nao? Quando eu estava a estudar sonhava em ter o conforto financeiro que tenho hoje, esse sonho fez-me lutar por isso e atingi! Se tivesse perdido o meu tempo com o sonho de ser uma estrela de rock, estaria hoje ou rico ou no metro a tocar por esmolas.

O objectivo a longo prazo é um sonho. A mulher de sonhos, só é de sonhos porque não é ainda a mulher da nossa vida. O sonho é o nosso objectivo o de o tornar real.

Sonho e objectivo não só de coadunam como são uma consequência um do outro.

"Estou-me a perder, nao estamos a falar de um alguem idealizado??? Essa procura e feita baseada nos teus ideais, foi "produzida" na tua mente num momento e no ser que es, seras ou foste!!!"

Então, mas por idealizar alguém, será que forçosamente essa pessoa não existe?
É que se o pensamento é esse, porque motivo procuramos?

"As pessoas nao mudam, as pessoas adaptam-se! As pessoas permanecem sempre iguais mas perante um momento, accao ou alguem desconhecido, reagem de acordo com a situacao desconhecida e como ate ai era desconhecida "revelam-se"!"

Isso, só pode ser dito por alguém que nunca esteve no limite. Eu já fui alguém que nao sou e no limite entre ficar e partir, entre viver e morrer, abrimos os olhos da alma e sim, mudamos. Eu sei quem fui, como fui e o que pensava e dei perfeitamente que mudei. As pessoas mudam, mas para mudar tens de atingir o limite e é esse o problema, raras sao as pessoas que arriscam ao ponto de encontrar os seus limites.

  Bruno Fehr

terça-feira, fevereiro 10, 2009 1:38:00 da manhã

Van disse...

"Certo,mas a mensagem não se perdeu, não. Tanto que todos se sentem identificados, de uma ou de outra forma."

Sim, mas essa era a intenção e não a mensagem.

"O querer imputar significados ao autor do texto, só prova que se tem consciência que há uma pessoa por detrás das palavras. E, pessoalmente, como acho que já disse algures, é-me dificil dissociar a escrita do escritor."

Sim, já reparei que sim, mas qualquer pessoa que escreva muito, sabe que se podem separar. O problema é que nunca se sabe, quando é o autor e quando é uma personagem desse autor.

  Ana

quinta-feira, fevereiro 12, 2009 11:16:00 da manhã

"O objectivo a longo prazo é um sonho. A mulher de sonhos, só é de sonhos porque não é ainda a mulher da nossa vida. O sonho é o nosso objectivo o de o tornar real."
Eu realmente nao vejo as coisas assim, para mim sonhar esta mais no campo do fantasiar, imaginar... mas pondo as coisas assim, queres me dizer que nao podes ter ao teu lado a mulher da tua vida e ela ser tambem uma mulher de sonho???
"Então, mas por idealizar alguém, será que forçosamente essa pessoa não existe?
É que se o pensamento é esse, porque motivo procuramos?"
Nao pelo contrario, claro que existe... mas o idealizar tem que ser algo que nao passe apenas pelo sonhar porque um dia ela pode estar tao perto de ti que nao a vejas e muitas vezes as pessoas idealizam de uma forma irreal, procuram a um ser imaginario, esquecendo-se que as pessoas nao seres perfeitos!
"Isso, só pode ser dito por alguém que nunca esteve no limite. Eu já fui alguém que nao sou e no limite entre ficar e partir, entre viver e morrer, abrimos os olhos da alma e sim, mudamos."
Adaptamo-nos e isto dito por alguem que ja viveu no limite e que sabe os seus limites e que sabe que nunca mudou, que vive em constante adaptacao!

  Sanxeri

quarta-feira, maio 27, 2009 10:22:00 da manhã

Ui... Texto bonito. Talvez para uma pessoa ainda mais bonita. :)