Cientologia 1

A parte 1 desta série está a ser identificada como plágio, obviamente não pelo autor mas por alguém que não sabe que não é ninguém. Mais dados aqui.






Este culto (não religião) com 6 milhões de membros chama-se: Cientologia com sede em Clear Water, Florida. O seu fundador: Ron L. Hubbard foi também quem escreveu os textos sagrados: Dianetics. Apesar de ser um culto, está registada como Religião (com isenção de impostos) mas o seu fim é Comercial

L. Ron Hubbard, era um famoso escritor de ficção, nos anos 30 e 40. Ele decidiu mudar, e começou a escrever textos religiosos pouco tempo depois de numa entrevista ter afirmado, "escrever por 1 penny é ridículo. Se um homem quer fazer um milhão de dólares, deverá começar a sua própria igreja". Esta frase foi levada na brincadeira, pois nunca ninguém imaginou o que ele viria a criar. No ano seguinte, ele publicou o seu primeiro livro religioso, chamado "Dianetics: A ciência da saúde mental", mais escritos dentro deste assunto se seguiram e pouco tempo depois deu-se inicio ao culto, com Dianetics como sua bíblia.

O fundador desta igreja, foi casado 3 vezes, os seus dois primeiros casamentos acabaram em desastre com a sua segunda esposa, S. Northup a acusá-lo de violência doméstica onde incluía espancamentos, estrangulamento, isolamento sem comida nem água e insinuações para que ela cometesse suicídio. Este assunto parece ter sido resolvido fora do tribunal, sem se conhecerem os valores envolvidos.
Antes de criar a sua igreja ele era membro da igreja satânica de Jack Parsey, considerada um culto criminoso. Hoje, os seus seguidores defendem-no, dizendo que era um agente infiltrado que trabalhava para o governo. Não se conhece ou pelos não encontrei qualquer tipo de confirmação por fontes governamentais.

Este homem dizia ser um físico nuclear. Dizia que foi mortalmente ferido na segunda guerra mundial e que ressuscitou, não uma mas duas vezes, talvez na tentativa de ser visto como divino.
Na verdade ele foi expulso da universidade por chumbos no segundo ano. Ele apresentava um diploma da universidade de Sequóia que a própria universidade diz ser falso. Não existem documentos nenhuns sobre ele alguma vez ter sido ferido durante a segunda guerra mundial.
Hubbard morreu em sua casa como recluso de si mesmo. A igreja recusa-se a aceitar que ele morreu, afirmando que ele abandonou a sua vida terrena, para continuar os seus estudos.

Toda a base da crença religiosa se baseia na mente. O objectivo é de se tornarem uma "clear person" e finalmente num "homo novus". O que é que isto significa?
Bem, a mente é dividida em 3 categorias, Analítica, Reactiva e Somática.
A Analítica trabalha sempre na perfeição, não comete erros. A Reactiva, guarda imagens e memórias das nossas experiências passadas chamadas de engramas. A Somática mantém as funções do corpo.

O problema é que os engramas, influenciam o funcionamento da parte analítica, isto causa depressões, traumas, etc e até doenças mentais. Para se ser uma "clear person", os crentes devem submeter-se a testes, para se ser um "homo novus" os engramas terão de ser eliminados. Isto é feito com uma terapia intensa feita pela igreja e paga pelo crente a peso de ouro, a terapia chama-se "audição". No fundo é como que uma entrevista onde o crente irá usar uma máquina estranha da igreja chamada galvanometro (instrumento de medição de pequenas correntes eléctricas) electrónico e vai falar das suas experiências passadas, que são todas gravadas pela igreja., ficheiros arquivados pela própria, mantendo informação pessoal de todos os crentes. Algo que além de ilegal, poderá destruir vidas, dos que optam por abandonar a igreja. Este processo poderá demorar anos de tratamentos e podemos chamar-lhe em termos correntes "lavagem cerebral". Estes tratamentos são pagos e bem pagos.

A primeira pessoa a ser uma "Clear person", foi uma estudante de física chamada Sónia Bianca, que após o seu tratamento foi apresentada ao mundo pela igreja como tendo atingido um estado superior de conhecimento, pois todos os seus engramas foram apagados com sucesso. Ela foi declarada como sendo uma "homo novus". Esta apresentação publica foi um fracasso, pois após algumas perguntas verificou-se que ela não reconhecia as formulas físicas mais básicas e nem mesmo a cor da gravata do homem a seu lado. Ela na verdade estava numa espécie de estado catatónico, onde não tinha experiências passadas e só via a sua crença na igreja. Como se tivesse nascido adulta.

Hubbard, definiu o espírito do Homem pelo nome de 'Thetan'. Um organismo vivo com 80 biliões (dados do Dianetics) de anos que vive no nosso cérebro. Ele afirma que os "Thetan" são seres espaciais que entram no cérebro do ser humano quando ele nasce.

No fundo, todos sabemos que a lavagem cerebral é possível, já foi praticada por governos em particular em espiões e soldados. Logicamente ao apagar memórias, o cérebro fica fragilizado e aceitará com mais facilidade novas ideias que devido à sede de conhecimento de um cérebro vazio, tomam conta do crente. No fundo, o fundador da cientologia foi mais um exemplo da genialidade e loucura de mãos dadas. Um brilhante escritor de ficção cientifica que tornou um dos seus livros, num culto religioso, com 6 milhões de seguidores, cegos.

Considero que ele foi um louco, loucamente genial (a genialidade não tem de ser positiva, para o ser). Não podemos esquecer que Hubbard era um fantástico escritor de ficção cientifica e isto fica provado com o numero de crentes desta idiotice.

Próximo texto: Cientologia 2 - Os crimes

(o uso justo deste texto refere-se unicamente à tradução)

Adenda: Um deficiente mental anda pela blogosfera a acusar-me de plágio, completamente alheio ao facto de ambos os meus textos sobre a cientologia (este e a parte 2) terem as devidas autorizações e referencias feitas no segundo texto que marca o final desta série. De maneira a clarificar as acusações desse verme publiquei um texto onde mostro, sem precisar de o fazer, o e-mail que me autoriza a utilizar o que bem entender do conteúdo daquele texto e a acrescentar o meu ponto de vista - O meu plágio e a "inveja" na blogosfera.
Para efeitos dramáticos, ele obviamente alterou os factos a seu gosto. Que vergonha!
Para mais esclarecimentos sobre direitos de autor podem consultar este texto.

50 Comentários:

  Jane Doe

terça-feira, fevereiro 10, 2009 12:03:00 da manhã

A primeira!

Ahahahahaha

Suck it!

(eu avisei! Vou ler agora.)

  Jane Doe

terça-feira, fevereiro 10, 2009 12:14:00 da manhã

Já tinha ouvido falar por alto da Cientologia. Mas nunca soube o que era realmente.

A forma como ele divide a mente parece-me um bocado arcaica.

Mas a maioria das religiões, são baseadas em... loucuras...

Acho eu.

  Mel

terça-feira, fevereiro 10, 2009 12:15:00 da manhã

Este tipo de religião é uma idiotice...nunca sei qual a melhor maneira de a comentar...

  Sanxeri

terça-feira, fevereiro 10, 2009 12:55:00 da manhã

Hum, todo o tipo de excesso acaba por se tornar negativo. Infelizmente a cientologia acaba por levar a extremos, por isso sou muito reticente nestes casos.

  Nanda Assis

terça-feira, fevereiro 10, 2009 12:56:00 da manhã

nossa, muito bacana.
bjosss...

  José

terça-feira, fevereiro 10, 2009 1:28:00 da manhã

Como em qualquer religião, o que é preciso é ter fé! :)

  ceptic

terça-feira, fevereiro 10, 2009 3:06:00 da manhã

:)

ela assenta no principio do senso comum...
que temos que resolver os nosssos problemas, para poder seguir em frente, para poder evoluir como ser humano!
O que faz sentido porque depois veem outros problemas e convem termos a cabeça livre para lidar com esses...
No entanto nao passam de textos vagos que dao liberdade suficiente a cada um para se reconhecer neles...
Mas sem soluçoes concretas...

Dá para o pessoal passar o tempo :P, acho mais logico do que acreditar em entidades superiores omnipresentes e omnicientes...

so paga quem quer! :P

  *Joana*

terça-feira, fevereiro 10, 2009 3:13:00 da manhã

Bem cientologia só me fazia lembrar Tom "semi-tresloucado" Cruise e a maravilhosa história de comer a placenta...Nunca me tinha dado ao trabalho de procurar fosse o que fosse acerca do tema porque achei logo que devia ser coisa de gente maluquinha. E pelo que li aqui não estou muito enganada...

Acho sinceramente que esse senhor não era genial porque para mim genialidade é uma coisa positiva e todo o seu trabalho de uma vida no conjunto de positivo não tem nada!Mas pronto, são opiniões.

Quanto a mim, este tipo de cultos resume-se a pessoas altamente fragilizadas que se deixam levar nas patranhas de gente perspicaz que sabe como conseguir "sugar" os coitados até ao tutano (monetaria e psicologicamente). E acho que é um sinal dos tempos aparecerem na América tantos desgraçados que se entregam a estas coisas. A raça humana precisa de acreditar em algo, de se guiar por uma crença qualquer, para que cada um não se ache só e sem sentido neste mundo. Algumas pessoas vivem sem religião, é certo, mas muitas acabam por experimentar uma sensação de vazio e têm de o preencher com algo - claro que não podemos generalizar mas praticantes ou não, a verdade é que a maioria de nós sente, nalguma altura da nossa vida, a necessidade de se agarrar a algo, mesmo que por um instante apenas. Esses infelizes foram-se agarrar ao tronco errado...

PS - obrigada pela vertente serviço publico deste blog, se não lesse isto aqui nunca o iria procurar a outro lado (se calhar falta-me curiosidade):)

  Bruno Fehr

terça-feira, fevereiro 10, 2009 3:53:00 da manhã

Bruno

deixou um comentário. Por ele se demonstrar mais preocupado em apontar defeitos do que em comentar os textos e pelo facto de ter usado o meu blogue para devaneios anónimos, eu não autorizo que os seus comentários sejam publicados, sempre que sejam desse teor.

Ou comentas os textos, ou nao comentas!

"Existe aqui alguma confusão de conceitos. O que existe são "engramas","

Correcto são enagramas e foi corrigido.

"- "Galvanomer" não existe; o que existe é "Galvanómetro", que é um aparelho que mede a corrente eléctrica."

Galvanomer é o aparelho de localização de memórias usado pela cientologia é inspirado no Galvanómetro mas não é um galvanómetro.


"- Não são "80 triliões de anos". O que quererás dizer é que foram "80 biliões de anos" ou seja 80 000 000 000 000 (80 elevado a 12)."

Nao li ainda o Dianetics, terei de ler primeiro.

"- "Eléctronico" tem acento no primeiro "o". O correcto teria sido: "electrónico"."

Nao sei onde leste isso, mas não foi aqui com toda a certeza, isso poderá facilmente ser confirmado. Mas deixo a liberdade aos dois primeiros comentadores de o fazerem.

"Para além de algumas falhas de acentuação, algumas falhas de pontuação e um ou outro detalhe já costumeiros nos textos aqui apresentados."

Como já te disse, poderás comentar o conteúdo dos textos, todas as tuas divagações puristas, não são aceites!

O meu blogue é baseado em conteúdo e é o conteúdo que lhe dá o protagonismo que tem. Se fosse baseado em purismo, não teria leitores!

  Bruno Fehr

terça-feira, fevereiro 10, 2009 4:13:00 da manhã

Jane Doe disse...

"A primeira!"

:)

"(eu avisei! Vou ler agora.)"

Isso é batota.

"Mas a maioria das religiões, são baseadas em... loucuras..."

Dinheiro. A loucura é só um acessório.

  Bruno Fehr

terça-feira, fevereiro 10, 2009 4:13:00 da manhã

Mel disse...

"Este tipo de religião é uma idiotice...nunca sei qual a melhor maneira de a comentar..."

Nao é religião, é uma seita, um culto, uma fantochada.

  Bruno Fehr

terça-feira, fevereiro 10, 2009 4:13:00 da manhã

Sanxeri disse...

"Hum, todo o tipo de excesso acaba por se tornar negativo. Infelizmente a cientologia acaba por levar a extremos, por isso sou muito reticente nestes casos."

Sim, exageros como o homicídio, mas isso é para o texto de amanha.

  Bruno Fehr

terça-feira, fevereiro 10, 2009 4:13:00 da manhã

Nanda Assis disse...

:)

  Bruno Fehr

terça-feira, fevereiro 10, 2009 4:13:00 da manhã

José disse...

"Como em qualquer religião, o que é preciso é ter fé! :)"

Nao é uma qualquer religião, é um grupo criminoso.

  Bruno Fehr

terça-feira, fevereiro 10, 2009 4:14:00 da manhã

ceptic disse...

"ela assenta no principio do senso comum..."

Ela assenta em dinheiro.

"que temos que resolver os nosssos problemas, para poder seguir em frente, para poder evoluir como ser humano!"

Mentira, eles nao dizem que resolvem os teus problemas ensinando-te a lidar com eles. Eles APAGAM essas memórias e isso é lavagem cerebral.


"O que faz sentido porque depois veem outros problemas e convem termos a cabeça livre para lidar com esses..."

Tens de aceitar, tens de lidar com os teus problemas e nao sonhar que um dia acordas e esqueces tudo.

"so paga quem quer! :P"

Aí é que a porca torce o rabo. Pois ou pagas, ou não é membro da igreja!

  Bruno Fehr

terça-feira, fevereiro 10, 2009 4:14:00 da manhã

*Joana* disse...

"Bem cientologia só me fazia lembrar Tom "semi-tresloucado" Cruise e a maravilhosa história de comer a placenta..."

A loucura é uma consequência possível das "audições"

"Acho sinceramente que esse senhor não era genial porque para mim genialidade é uma coisa positiva e todo o seu trabalho de uma vida no conjunto de positivo não tem nada!"

A genialidade é pegares numa ideia e torná-la em algo que poderá ser visto, tocado.

A bomba atómica não é para o bem, mas é algo genial. A genialidade é ter uma ideia, colocá-la em prática e aparecer com um produto.

O seu livro Dinetics, sendo a bíblia desta igreja, está perpetuado.

"Quanto a mim, este tipo de cultos resume-se a pessoas altamente fragilizadas que se deixam levar nas patranhas de gente perspicaz que sabe como conseguir "sugar" os coitados até ao tutano (monetaria e psicologicamente). E acho que é um sinal dos tempos aparecerem na América tantos desgraçados que se entregam a estas coisas. A raça humana precisa de acreditar em algo, de se guiar por uma crença qualquer, para que cada um não se ache só e sem sentido neste mundo. Algumas pessoas vivem sem religião, é certo, mas muitas acabam por experimentar uma sensação de vazio e têm de o preencher com algo - claro que não podemos generalizar mas praticantes ou não, a verdade é que a maioria de nós sente, nalguma altura da nossa vida, a necessidade de se agarrar a algo, mesmo que por um instante apenas. Esses infelizes foram-se agarrar ao tronco errado..."

Mas aqui, falamos em morte em homicídio. Mas isto fica para o texto de amanha.

  Bruno Fehr

terça-feira, fevereiro 10, 2009 4:35:00 da manhã

Bruno disse...

A título excepcional este teu comentário será publicado, para que o leiam e para que percebas o meu ponto de vista de uma vez por todas.

"Quanto ao "electrónico", a versão que li estava errada, agora já corrigiste."

Tenho a certeza que se tu viste isso a Jane Doe também viu. Esperemos que ela confirme ou desminta, visto que normalmente ela lê as respostas aos comentários.

"Quanto ao Galvanomer, desculpa voltar a corrigir-te, mas o aparelho utilizado por esses senhores designa-se Galvanómetro e não Galvanomer... e serve para aquilo que já escrevi no comentário anterior."

Esquece... não vale a pena mesmo!


"Quanto ao conteúdo do texto, terei todo o prazer em discuti-lo, não com o tradutor da prosa para português, mas obviamente com o verdadeiro autor do texto."

Colocas em causa o meu trabalho de investigação e a minha originalidade. Em vez de vires para aqui armado em parvo nas tuas acções de marketing, PROVA que o texto não é meu.

Ou provas que o texto não é meu, ou te desculpas, ou podes ir apanhar na bolha para outro blogue.

Nao me importo, nem nunca me importei com acções de marketing no meu blog. É normal elas existirem na blogósfera e eu, visto que sou bloguer desde 2003/2004 sei bem a utilidade de sem ser de forma anónima arranjar brigas com bloguers de maior protagonismo. Se um bloguer sem leitores "pega" com com muitos leitores, poderá ganhar leitores, numa proporção de 1/10.

Aqui só há um problema... Eu quando pego com alguém nos seus blogues, faço-o em relação ao que é escrito, não coloco em causa a originalidade, não comento anonimamente. Eu comento o texto, argumento melhor e acabo por atrair leitores. Esses leitores ao virem ao meu blogue, encontram conteúdo que lhe interessa.

Ora, se queres leitores, tens de dar algo em troca. Primeiro dares luta argumentativa sobre o que é escrito, que é o que é importante para os leitores e depois ofereceres conteúdo no teu blogue. Mas com o tempo que passas a analisar os meus textos, não vejo como poderás fazer isso.

  SuNshyne

terça-feira, fevereiro 10, 2009 4:39:00 da manhã

Nossa!
Quando as pessoas nascem são invadidas por seres extraterrestre!
Eu acho que eu não fui!

  Bruno Fehr

terça-feira, fevereiro 10, 2009 7:16:00 da manhã

SuNshyne disse...

"Quando as pessoas nascem são invadidas por seres extraterrestre!
Eu acho que eu não fui!"

Nem tu nem ninguém :)

  I.D.Pena

terça-feira, fevereiro 10, 2009 7:33:00 da manhã

Tenho a ideia de quem leva a sério uma religião-ficção , seja ela qual for, recusa-se a viver no mundo real .

  Bruno Fehr

terça-feira, fevereiro 10, 2009 8:02:00 da manhã

Ao Bruno:

Gostaria de referir que no meu comentário anterior identifiquei-o com um link incorrecto...
É complicado pois este rapaz num ataque de fantástica originalidade chamou ao seu blogue:

Por tudo e Pornada
http://portudoenada.blogspot.com

Quando existe um blogue:

Por tudo e por nada
http://portudoepornada.blogspot.com

Ora, vindo de alguém assim, quem é ele para me acusar de plágio num texto de investigação?

Bruno, vai escrever merdas que as pessoas queiram ler e não devaneios estúpidos, dignos de uma pessoa frustrada e invejosa.
Eu sei que escreveste umas merdas sem piada, para um programa de televisão. Merdas essas que foram obviamente rejeitadas, porque não há qualquer tipo de qualidade ou piada.
Agora alteras o teu blogue para falar de relações, uma formula eficaz para conseguir leitores e mesmo assim, não tens leitores. Os únicos comentários que tens, são teus, escritos como anónimo, só para que os teus tristes textos não apareçam com zero comentários.

Agora vens para aqui, pendurar-te na minha pila, para chamares a atenção de quem me lê?
Mas tu estás parvo? Ainda está para nascer o deficiente mental que me vai atacar e vencer. Tu és só um como muitos outros que já tentaram.

Ora isto é triste, muito triste, pois tu és uma pessoa triste que se comenta a si mesma e que acha que deve ser lido. Mais triste ainda é passares mais tempo no meu blogue, que eu:

Visit Length 1 hour 52 minutes
Page Views 5
Visit Number 251,990

Meu "amigo", duas horas por dia no meu blogue é coisa de gente doente. Eu gosto muito de mim, mas tu gostas ainda mais!
Se usasses esse tempo para escrever algo de jeito...

Tu daqui não levas nada a não ser enrabadelas verbais e a minha publicidade a ti, acaba aqui.

Tu aqui não comentas mais, nem que te fodas todo, ou eu te de a esmola de o permitir. Sim, a esmola!

  ceptic

terça-feira, fevereiro 10, 2009 11:36:00 da manhã

"Blogger Bruno Fehr disse...

Ela assenta em dinheiro.

Mentira, eles nao dizem que resolvem os teus problemas ensinando-te a lidar com eles. Eles APAGAM essas memórias e isso é lavagem cerebral."

Para mim dianética difere de cientologia...

1) pela dianetica "o dinheiro" ou a ganancia de o ter, representa uma "doença" na sociedade, porque a vontade de o ter é tanta, que se perde certos valores...
assim os cientologistas até fazem um favor e ficam com ele!LOL :P

2)so se mete nisso quem quer! quem acredita em soluçoes milagrosas, caminhos faceis, e acha que tem de pagar por isso, força!e nem todos teem uma predisposiçao para suportar lavagens cerebrais!

Se acreditam nos princ. da dianetica em vez de pagar para pertencer a um culto comprem uns livros e entretenham se!


se eu formasse um culto ou seita ou religiao ou associaçao tambem iria cobrar que 'tamos em tempos dificeis!! não ha cá pão para malucos, pelo menos de borla :P

  Rach

terça-feira, fevereiro 10, 2009 12:02:00 da tarde

Pronto, eu confesso que sou um bocado para o ateu e não gosto muito de julgar as crenças dos outros...mas muito sinceramente, será que não podiam ter arranjado uma religião que se baseasse em algo mais do que "estava aqui a olhar para este peny e dava mesmo muito jeito ganhar mais uns trocados"? Enfim...

  provocação

terça-feira, fevereiro 10, 2009 1:11:00 da tarde

Eu sempre achei o Tom Cruise um bocado alien...

  André

terça-feira, fevereiro 10, 2009 2:46:00 da tarde

Então parece que tudo não passa mesmo de um conto, e todos os seguidores devem de pensar que andam em algum enredo de ficção cientifica!

  Van

terça-feira, fevereiro 10, 2009 2:50:00 da tarde

Aquele mito que tu disseste ser errado está numa dessas fontes e em outra página, que é mais gozatória, cujo link é dado nos comentários. O facto de os tethans nos entrarem por aqui adentro não invalida que tenham sido destruidos por uma bomba atomica a mando de xenu, ahahahahahahah! Afinal, a biblia tb tem adao e eva.
Penso que a dianética era uma disciplina qq q já existia, com raízes na psicologia. Essa divisão da mente, já Freud a fazia, sob outros nomes.

Bem, já vi que andaste a fazer o refogado de um arrozinho, ahahah.

  provocação

terça-feira, fevereiro 10, 2009 3:56:00 da tarde

Não havia uma família qualquer que cantava "I fell in love with an alien"? Será que andamos paralelos a uma verdade que insistimos em negar? Eu às vezes solto uns barulhos que me parecem muito estranhos, como que uma forma de comunicar com o mundo mas noutra língua, serão memórias de um passado??? Vêm-me dos intestinos, mas não acho que isso seja de desvalorizar, afinal muita gente abre a boca e só diz merda...estou inclusivé a reparar que Xenu rima com cú... onde é que posso assinar para me juntar à igreja da escatologia???

  Sandra Oliveira

terça-feira, fevereiro 10, 2009 4:04:00 da tarde

E esses não andam a bater às portas?

Logo agora que tenho um cão grande e mau...

  Paula

terça-feira, fevereiro 10, 2009 5:01:00 da tarde

o que de facto interessa é o modo como certas seitas ou religiões anulam o ser humano e tudo o que lhe é inerente apagando a identidade individual.
estas genialidades assustam-me e o facto de o seu número de seguidores aumentar. tal como em outros movimentos que se conhece.

  anatcat

terça-feira, fevereiro 10, 2009 6:21:00 da tarde

Eu bem que sabia que não devia ter deixado aquele comentário da kate e do tom... :D

foste investigar, óbvio :D

pronto, lá vamos ter que passar de agnósticos à cientologia... :D

Bruno que não o Crest, se quiser pode vir ter com anatcat num café lisboeta qualquer, que eu explico-lhe algumas coisas básicas, das quais nem eu sei,nomeadamente, "blogs" ou "blogues"

BJs

  Jane Doe

terça-feira, fevereiro 10, 2009 6:25:00 da tarde

Ora bem...

Parece que fui chamada a depor.

E o meu depoimento é o seguinte:

Li o texto "Cientologia" às 00:03, hora de Espanha, 23:03, hora de Portugal.

No texto que li não me lembro de ter visto erros ortográficos, e não me lembro de ter visto, nomeadamente, esse erro ortográfico. Sei ler, sei escrever, e mais que isso, conheço o suficiente da língua portuguesa para poder redigir textos de outrem. Isto para dizer que, se esse erro tivesse existido, eu te-lo-ia visto, e não teria qualquer problema em o dizer.

  2cute4you

terça-feira, fevereiro 10, 2009 9:17:00 da tarde

É mais uma religião! Mais um refúgio como outros para as frustrações de se ser humano!
Acho que estamos numa era que o importante é ser eloquente independentemente da loucura que defendas se a defenderes bem não te faltarão seguidores!!

  Marta

terça-feira, fevereiro 10, 2009 11:36:00 da tarde

Este seria o tipo de texto que eu iria ler, como li, mas não iria comentar. Mas... como li os comentários e segui um determinado link deparei-me com uma acusação de plágio. Considero o assunto sério e dei-me ao trabalho de ler o "original" e comparar com a "cópia", o teu texto. Se este fosse um post que fala de sentimentos, ou um conto eu diria que sim, era plágio, acontece que este é um texto que relata factos. Sim, o teu texto enquanto relatador de factos umas vezes é igual e outras é um resumo, mas factos na verdade são factos. Não me chocou. Não, porque não copiaste as impressões pessoais do autor do outro texto que se encontram nos últimos parágrafos.
Leio este post como um artigo de opinião, com o mesmo formato do outro é certo, mas esse mesmo formato permite primeiro relatar factos para situar o leitor (o que me parece bem e até comum) e em seguida é dada uma opinião pessoal. A tua opinião é diferente da do autor do outro texto, quase uma resposta, o que confirma o inevitável, inspiraste-te no texto, mas não o considero um plágio. Na minha opinião, o teu erro foi não apresentares desde logo as fontes da tua pesquisa, ponto. Até porque como sabes, andam em cima de ti, quando te corrigem pequenos erros, por vezes com outros maiores ainda, convém estares precavido para estas situações.

Comecei por dizer que este seria o tipo de texto que eu não comentaria, e não o faria porque não é de todo o tipo de texto que prefiro ler aqui, mas como muitas vezes comentei a criticar, achei que seria justo desta vez deixar aqui o que pensei. Para mim, pessoalmente não vejo um plágio, vejo um artigo de opinião, que não acho brilhante, não como outros textos que li por aqui, mas que acho válido e informativo.

  Salto-Alto

quarta-feira, fevereiro 11, 2009 12:24:00 da manhã

Eu já me tinha informado, embora que muito vagamente, sobre esta religião. Não entendo mesmo como alguém pode acreditar naquilo nem como podem ser tão "ceguinhos". Não entendo mesmo!!!

  A Grafonola

quarta-feira, fevereiro 11, 2009 1:02:00 da tarde

Não estando directamente relacionado, mas dentro do tema "seitas e religiões". Hoje de manhã sofri uma tentativa (mal sucedida) de encurralamento por parte de uma testemunha de jeová ahahahaha. De imediato comecei a puxar pela mioleira a tentar relembrar algumas das dicas que deste, mas, na flição, nãome lembrei de nenhuma e tive de arranjar sozinha...
Comecei por dizer:
- ah não! não estou interessada, desculpe lá.
- mas...
- não estou interessada.
- mas deixe-me só...
- não estou interessada.
- ahh...
- não estou interessada.

Bem, tanto lhe cortei a palavra que acabou por se ir embora e nem bom dia disse ahahahahaah!
Portanto, uma forma mais eficiente de lalalazar, ahahahah!

  Bruno Fehr

quinta-feira, fevereiro 12, 2009 3:25:00 da manhã

I.D.Pena disse...

"Tenho a ideia de quem leva a sério uma religião-ficção , seja ela qual for, recusa-se a viver no mundo real ."

Concordo contigo.

  Bruno Fehr

quinta-feira, fevereiro 12, 2009 3:26:00 da manhã

ceptic disse...

"Para mim dianética difere de cientologia..."

Mas a cientologia nao diz ser dianética, a biblia deles é que se chama Dianetics, mas poderia chamar-se qualquer outra coisa.


"1) pela dianetica "o dinheiro" ou a ganancia de o ter, representa uma "doença" na sociedade, porque a vontade de o ter é tanta, que se perde certos valores..."

Para entrares nesta seita, pagas 200 dólares e depois tens de fazer audições de preço mínimo de 200 dólares cada.

"2)so se mete nisso quem quer! quem acredita em soluçoes milagrosas, caminhos faceis, e acha que tem de pagar por isso, força!e nem todos teem uma predisposiçao para suportar lavagens cerebrais!"

Sim e os em que igreja falha, acontecem-lhes "acidentes".

  Bruno Fehr

quinta-feira, fevereiro 12, 2009 3:26:00 da manhã

Rach disse...

"Pronto, eu confesso que sou um bocado para o ateu e não gosto muito de julgar as crenças dos outros...mas muito sinceramente, será que não podiam ter arranjado uma religião que se baseasse em algo mais do que "estava aqui a olhar para este peny e dava mesmo muito jeito ganhar mais uns trocados"? Enfim..."

Ahahahaha, é mesmo assim :)

  Bruno Fehr

quinta-feira, fevereiro 12, 2009 3:26:00 da manhã

provocação disse...

"Eu sempre achei o Tom Cruise um bocado alien..."

Cada vez pior!

  Bruno Fehr

quinta-feira, fevereiro 12, 2009 3:26:00 da manhã

André disse...

"Então parece que tudo não passa mesmo de um conto, e todos os seguidores devem de pensar que andam em algum enredo de ficção cientifica!"

Sim, um perigoso conto.

  Bruno Fehr

quinta-feira, fevereiro 12, 2009 3:27:00 da manhã

Van disse...

"Aquele mito que tu disseste ser errado está numa dessas fontes e em outra página, que é mais gozatória, cujo link é dado nos comentários."

Sim, mas o erro é que o Thetan entra à nascença e não faz parte de nós. Além disso ela volta a sair se nos tornamos em "homo novus".

"Bem, já vi que andaste a fazer o refogado de um arrozinho, ahahah."

Foi refogado de idiota, ora quer conversa ora quer pichota!

  Bruno Fehr

quinta-feira, fevereiro 12, 2009 3:27:00 da manhã

provocação disse...

"Não havia uma família qualquer que cantava "I fell in love with an alien"?"

Kelly family? Ou uma merda assim...

"Será que andamos paralelos a uma verdade que insistimos em negar? Eu às vezes solto uns barulhos que me parecem muito estranhos, como que uma forma de comunicar com o mundo mas noutra língua, serão memórias de um passado??? Vêm-me dos intestinos, mas não acho que isso seja de desvalorizar, afinal muita gente abre a boca e só diz merda...estou inclusivé a reparar que Xenu rima com cú... onde é que posso assinar para me juntar à igreja da escatologia???"

Ora aí está um bom principio para um culto. Tudo o que vem de dentro é puro, os peidos são meros exemplos.

  Bruno Fehr

quinta-feira, fevereiro 12, 2009 3:27:00 da manhã

Sandra Oliveira disse...

"E esses não andam a bater às portas?"

Andam sim, nos EUA, Franca, Inglaterra já andam de porta em porta. Na Alemanha já é mais difícil, estão presentes, podem ter as suas crenças, mas a sua actividade é semi-legal, não podem andar de porta em porta, nem comprar bens imobiliários.

  Bruno Fehr

quinta-feira, fevereiro 12, 2009 3:28:00 da manhã

Paula disse...

"o que de facto interessa é o modo como certas seitas ou religiões anulam o ser humano e tudo o que lhe é inerente apagando a identidade individual."

É grave, pois abusam de pessoas que só procuram apoio, procuram refugio.

  Bruno Fehr

quinta-feira, fevereiro 12, 2009 3:28:00 da manhã

anatcat disse...

"Eu bem que sabia que não devia ter deixado aquele comentário da kate e do tom... :D

foste investigar, óbvio :D"

Já tinha este assunto em mente.

  Bruno Fehr

quinta-feira, fevereiro 12, 2009 3:28:00 da manhã

Jane Doe disse...

"No texto que li não me lembro de ter visto erros ortográficos, e não me lembro de ter visto, nomeadamente, esse erro ortográfico."

Muito obrigado, I rest my case!

  Bruno Fehr

quinta-feira, fevereiro 12, 2009 3:28:00 da manhã

2cute4you disse...

"É mais uma religião! Mais um refúgio como outros para as frustrações de se ser humano!
Acho que estamos numa era que o importante é ser eloquente independentemente da loucura que defendas se a defenderes bem não te faltarão seguidores!!"

Isso é verdade, mas os perigos desta, são só comparáveis à inquisição.

  Bruno Fehr

quinta-feira, fevereiro 12, 2009 3:29:00 da manhã

Marta disse...

"Mas... como li os comentários e segui um determinado link deparei-me com uma acusação de plágio. Considero o assunto sério e dei-me ao trabalho de ler o "original" e comparar com a "cópia", o teu texto. Se este fosse um post que fala de sentimentos, ou um conto eu diria que sim, era plágio, acontece que este é um texto que relata factos."

Correcto, mas o link, nao te leva a um original.

"Sim, o teu texto enquanto relatador de factos umas vezes é igual e outras é um resumo, mas factos na verdade são factos. Não me chocou."

Os dados biográficos do autor, sao factos, logo alterá-los retiraria verdades.

"Leio este post como um artigo de opinião, com o mesmo formato do outro é certo, mas esse mesmo formato permite primeiro relatar factos para situar o leitor (o que me parece bem e até comum) e em seguida é dada uma opinião pessoal. A tua opinião é diferente da do autor do outro texto, quase uma resposta, o que confirma o inevitável, inspiraste-te no texto, mas não o considero um plágio."

A minha inspiracao vem da maior directoria de sites anti-cientologia, tal como o sr. do texto em ingles se inspirou. Além disso já contactei esse autor, que me deu carta verde para usar qualquer palavra daquele artigo.

"Na minha opinião, o teu erro foi não apresentares desde logo as fontes da tua pesquisa, ponto."

Se chamam à blogosfera "jornalismo sem curso", as fontes podem nao ser reveladas. Quem nao deve nao teme e nao tenho nada a temer.

  Bruno Fehr

quinta-feira, fevereiro 12, 2009 3:29:00 da manhã

Salto-Alto disse...

"Eu já me tinha informado, embora que muito vagamente, sobre esta religião. Não entendo mesmo como alguém pode acreditar naquilo nem como podem ser tão "ceguinhos". Não entendo mesmo!!!"

Eu também nao.

  Bruno Fehr

quinta-feira, fevereiro 12, 2009 3:29:00 da manhã

A Grafonola disse...

"Hoje de manhã sofri uma tentativa (mal sucedida) de encurralamento por parte de uma testemunha de jeová ahahahaha. De imediato comecei a puxar pela mioleira a tentar relembrar algumas das dicas que deste, mas, na flição, nãome lembrei de nenhuma e tive de arranjar sozinha..."

Ahahahahahaha :)