Desarmado


Desarmado por um sorriso proibido.
Desarmado por um sentimento fingido.
Desarmado mas não perdido.
Acordado por um sentimento banido.

Tens medo de morrer? Eu tenho medo de viver e não saber. Perder.
Os dias passam a morte é presente num futuro incerto. Aceitei-a, abracei-a, ela fugiu. Foge sempre não me quer, não me aceita mas ouço o seu chamar distante. Constante.
É hora, eu sei, é sempre hora. Não agora. Volta mais tarde, estou ocupado. A sério, agora não me apetece partir. Fugir. Sentir.
Não morro pois já fui morto. Por algo me ter matado. Alguém me ter amado e partido, sem querer partir. Partido fiquei sem querer ficar. Amar.

Não quero o que quero, as coisas acontecem, aparecem. Roupas novas nascem no armário. O dinheiro cresce na carteira. O tempo, esse escasseia.
De que vale toda a luta? Disputa? Putas de lutas em vão, onde um sim é sempre um não. Então?
Por que haveremos de lutar? Continuar? Querer ser mais e maior, sempre o melhor nem sempre melhor. Vencer vencidos em jogos perdidos. Ser grande no meio de anões. Ter olho em terra cegos. Escapar ao amor numa terra de apaixonados, só para ver melhor, pensar melhor. Amor.

O amor tolda a visão, estupidifica a opinião. Porque sim e porque não. Em vão.

Desarmado por um sorriso ocasional.
Desarmando por um sentimento geral.
Consciência de que é impessoal.
Tempo de fugir ao normal.
Etc, etc e tal...

48 Comentários:

  anatcat

segunda-feira, março 30, 2009 11:02:00 da manhã

Quem te desarmou?

:)

Bjs

  a.menina

segunda-feira, março 30, 2009 12:17:00 da tarde

Ainda não tinha tido o prazer de conhecer este teu lado .. Como sabes sou novita por estes lados :P
Mas gostei, gostei mesmo muito... foge ao que estou habituada a encontrar por cá, e surpreendeu-me, de uma forma muito positiva =)
Boa semana ***

  Paula

segunda-feira, março 30, 2009 12:34:00 da tarde

nem sei bem como comentar este texto. talvez não seja de comentar e apenas absorver as suas palavras e pensar na forma como nos atinge por dentro.

  Who Am I

segunda-feira, março 30, 2009 12:56:00 da tarde

Bruno,

não estarás cansado com isso da tese e quê? .....

PS: Eu desconfio,mas não ligo. Pois claro! lol

  Fada

segunda-feira, março 30, 2009 3:01:00 da tarde

Caído mas não vencido...

(foi o titulo de uma foto minha do Hi5, que vou por no meu blog das fotos e dedicar a ti, um dia destes... :) )

Amar? Sempre... Desde que mereça... E não estou a falar de pessoas, estou a falar de estar vivo, amar a Vida, mesmo que doa, não recear a morte que é certa...

É tempo de fugir ao normal, se souberes o que é normal... E quiseres ser diferente, pois nem sempre o normal é mau...

Muito mais poderia dizer, mas este post é teu, e não meu... Diria que acordaste num daqueles que eu chamo de Strange Days...

Beijito, tem uma boa Segunda...

  Afrodite

segunda-feira, março 30, 2009 3:13:00 da tarde

Hmmm...hmmmm...pois...hmmm...

Que se passa????

Podias ter terminado o verso em anal EHEHHEHEHEHE!!! Só naquela :)! Acho que ficava bem, digo eu digo eu que tenho a mania que sou Bocage :)!

Abreijinhos e hmmm...hmmm...estranho! Hmmmm!!!

  vita

segunda-feira, março 30, 2009 3:29:00 da tarde

Estamos nostálgicos?

Anda cá à vitinha que eu faço cafoné;P

Tens imenso jeito para este estilo de escrita;)

  Diabólica

segunda-feira, março 30, 2009 4:29:00 da tarde

Vejo que as coisas andam mal por essas bandas... Mas, o que é preciso é força para levantar e continuar a caminhar na estrada da vida!

Beijinhos e votos de melhores dias.

  Vani

segunda-feira, março 30, 2009 5:26:00 da tarde

Bolas, tens aí umas frases q podiam ter sido ditas por mim. Especialmente a parte do medo de viver e de me sentir já morta...mas sem coragem para morrer literalmente, em vez de metaforicamnete...
Sim, não quero o quero nem as coisas que aparecem sem que eu tenha lutado por elas. Aparecem. Não as mereço e vivo constantemente sentindo uma culpa de algo. É verdade, para que vale esta estúpida luta se no final, daqui a não sei quantos anos, não seremos mais do que pó? Se tantos anos foram desperdiçados e se o futuro é um ponto de interrogação cheio de desesperança?
Eu quero sempre mais e maior, quero ser a mais e a maior. A melhor. Mas não posso,pq a perfeição não existe. Então, chamam-me egocentrica. Pois que seja, que tenha um ego centrico.

Mas, não concordo com uma frase. O amor não tolda a visão,não, nem estupidifica a opinião. No inicio, na fase hormonal e de enamoramento,é normal que isso aconteça. Mas ao fim de um tempo, isso passa e verás as pessoas como elas são. E é aí, no modo como lidas com o lado menos bom do outro, que descobres se há ou não amor.
Ou então tou errada. Pra variar.

  Miss Me

segunda-feira, março 30, 2009 6:13:00 da tarde

acho que gostei. digo acho, porque tenho a sensação de que as mesmas palavras podem ser interpretadas diferentemente. dizes algumas com as quais concordo, outras não, outras até que não acho que sejam negativas. mas gosto, sobretudo, da arma que fazes da escrita... e sobretudo gosto de me sentir surpreendida...

  Mónica

segunda-feira, março 30, 2009 7:09:00 da tarde

Gostei do texto e dessa conjugação de palavras...pena que o sentimento que elas geram não seja os melhores: a confusão, o medo e a incerteza quando a lógica é amar são os piores obstáculos...Força!
Beijinhos,

  Green Eyes

segunda-feira, março 30, 2009 8:36:00 da tarde

como uma vez "alguém" me disse e plagiando o autor...

"Texto ficcionado… ou não… É um óptimo texto"
;)

  lontra (MR.)

segunda-feira, março 30, 2009 9:20:00 da tarde

"Desarmado por um sentimento fingido?"

Que quererá isto dizer afinal? já num outro texto falavas "assim" e eu não entendi...

um texto de janeiro,lembras?
Kiss kiss

  Trolha

segunda-feira, março 30, 2009 9:43:00 da tarde

Com um nick desses podias ser mais um parvalhão. Dos que andam por aqui. Mas não. Tens tolinha.
E abordas um tema bem pertinente nos dias que correm: nascemos a competir uns com os utros e morremos a competir. Por causa da puta da competição. Mas a competir para quê? Para levarmos uma vida de merda e morrermos na merda?
Grande abraço

  Bruno Fehr

segunda-feira, março 30, 2009 10:03:00 da tarde

anatcat:

Ninguém.

  Bruno Fehr

segunda-feira, março 30, 2009 10:03:00 da tarde

a.menina:

Este blogue é de apetites, e regra geral escrevo uma série de textos que estão de certa maneira interligados ou dentro do mesmo assunto. Como o blogue não tem tema, tenho liberdade total.

  Bruno Fehr

segunda-feira, março 30, 2009 10:04:00 da tarde

Paula:

Comentar é o abordar do que é escrito, sem pensar nos sentimentos que possam ou não ter inspirado o texto.

  Bruno Fehr

segunda-feira, março 30, 2009 10:04:00 da tarde

Who Am I:

Cansado e muito mas não quero perder o ritmo. Acho que dentro de um mês, ela estará terminada e fico com quase 10 meses para a afinar.

  Bruno Fehr

segunda-feira, março 30, 2009 10:04:00 da tarde

Fada:

Uma dedicatória? Mas que honra!

"Muito mais poderia dizer, mas este post é teu, e não meu... Diria que acordaste num daqueles que eu chamo de Strange Days..."

Strange inspiration days, só isso.

  Bruno Fehr

segunda-feira, março 30, 2009 10:04:00 da tarde

Afrodite:

No passa nada.

A minha veia Bocage só se exprime quando estou numa de o fazer, e não estou nessa onda, agora.

  Bruno Fehr

segunda-feira, março 30, 2009 10:04:00 da tarde

vita:

Não, só inspiração diferente.

  Bruno Fehr

segunda-feira, março 30, 2009 10:04:00 da tarde

Diabólica:

As coisas andam bem, é só um texto. Mas se dá a entender que andam mal é porque até não foi mal escrito. l

  Bruno Fehr

segunda-feira, março 30, 2009 10:05:00 da tarde

Vani disse...

"Mas, não concordo com uma frase. O amor não tolda a visão,não, nem estupidifica a opinião. No inicio, na fase hormonal e de enamoramento,é normal que isso aconteça. Mas ao fim de um tempo, isso passa e verás as pessoas como elas são."

Eu disse que tolda e estupidifica nao disse quando, nem disse que era um estado eterno.
O teu comentário começa por um "nao concordo" mas termina em concordância.

  Bruno Fehr

segunda-feira, março 30, 2009 10:05:00 da tarde

Miss Me disse...

"acho que gostei. digo acho, porque tenho a sensação de que as mesmas palavras podem ser interpretadas diferentemente."

Claro que podem, muitas erradas uma correcta mas que não acho que seja fácil chegar lá, eu nunca digo tudo, misturo muitas metades :)

  Bruno Fehr

segunda-feira, março 30, 2009 10:05:00 da tarde

Mónica:

Estas palavras mais do que sentidas foram imaginadas, logo poderão despertar sentimentos mais fortes em quem me lê, do que em mim.

  Bruno Fehr

segunda-feira, março 30, 2009 10:05:00 da tarde

Green Eyes:

É verdade! Boa memória.

  Bruno Fehr

segunda-feira, março 30, 2009 10:05:00 da tarde

lontra (MR.):

Quer dizer exactamente o que está escrito, não tem outras interpretações. Existem diversos motivos que levam pessoas a fingir sentimentos, insegurança, medo, solidão, interesse, ambição, desejo, egocentrismo, etc, etc, etc. Sentimentos fingidos umas vezes para convencer terceiros, outras para se convencerem a si próprios.

  Bruno Fehr

segunda-feira, março 30, 2009 10:05:00 da tarde

Trolha disse...

"Com um nick desses podias ser mais um parvalhão."

Ora, o meu nick é Bruno Fehr, o teu é João Trolha... sinceramente qual de nós está mais sujeito a ser rotulado como parvalhão?


Como sou curioso por natureza, ficou-me a pulga atrás da orelha de como aqui vieste parar.

  Rubs

segunda-feira, março 30, 2009 10:10:00 da tarde

Não sei, mas acho que o Trolha com "nick" refere-se ao nome do blogue. O que acaba por ser na mesma "diz o roto ao nu".

  Bruno Fehr

segunda-feira, março 30, 2009 10:13:00 da tarde

Rubs:

Se assim for não altera em nada o que disse, pois a palavra "cobrir" não é sexual e o sexo virtual é... sei lá, desespero?

  Raio de Luar

segunda-feira, março 30, 2009 11:12:00 da tarde

Bem, desconhecia o teu blog, mas gostei do k vi!
Simplesmente adorei este texto, não encontro palavras que demonstrem o quanto gostei de o ler!
Parabéns!
Bjs

  lontra (MR.)

segunda-feira, março 30, 2009 11:33:00 da tarde

"Sentimentos fingidos umas vezes para convencer terceiros, outras para se convencerem a si próprios."

Mas como é que isso afinal funciona, se fingirmos sentimentos a nós proprios não os sentimos na mesma? será que podemos achar que são menos sentidos?menos sentidos que os que são supostamente de verdade?

"Existem diversos motivos que levam pessoas a fingir sentimentos, insegurança, medo, solidão, interesse, ambição, desejo, egocentrismo, etc, etc, etc."

Sim, e há tb quem finga não os ter. =)
uma rara minoria, é certo. o que será pior??? se é que se pode dizer assim...

  Catwoman

segunda-feira, março 30, 2009 11:38:00 da tarde

Raio de luar eu disse-te que o blog era fixe não disse???

Beijinhos bruno

  dualitate

terça-feira, março 31, 2009 1:24:00 da manhã

Adorei os 4 primeiros versos.

Bastaria esses versos. Para imaginar, sonhar, esquecer ou relembrar. Para mim bastariam esses versos.

Beijo

Espiral

  Teté

terça-feira, março 31, 2009 8:49:00 da manhã

Uma prosa quase poética e em rima.

Desculpa se tomei como um exercício de escrita, embora de caminho escrevas um certo sentir...

Desperdiça-se muito tempo, sabe-se lá porquê! Talvez até encontrar a própria verdade... ;)

  Vani

terça-feira, março 31, 2009 2:21:00 da tarde

:-p para a esguichadela de retórica. Desta vez tens razão. Não disseste quando, ahahahah, és mas és um mestre de retórica e com esses não se discute...muito. :D

  Joana

quarta-feira, abril 01, 2009 12:12:00 da manhã

Gostei do resultado dessa diferente inspiração.

  Nana

quarta-feira, abril 01, 2009 11:51:00 da manhã

O sr Bruno perdeu a cabeça...virou sentimentalista!!

Que desgosto...

  Bruno Fehr

quinta-feira, abril 02, 2009 4:22:00 da manhã

Raio de Luar disse...

"Simplesmente adorei este texto, não encontro palavras que demonstrem o quanto gostei de o ler!"

Muito obrigado, mas aviso desde já que são textos que só aparecem de tempos a tempos. 1 a 4 por mes.

  Bruno Fehr

quinta-feira, abril 02, 2009 4:22:00 da manhã

lontra (MR.) disse...

"Mas como é que isso afinal funciona, se fingirmos sentimentos a nós proprios não os sentimos na mesma? será que podemos achar que são menos sentidos?menos sentidos que os que são supostamente de verdade?"

Claro. Há quem finja sentimentos para fazer outra pessoa acreditar, e faz isso até atingir os seus objectivos. Há também que se tente convencer que sente.


"Sim, e há tb quem finga não os ter. =)
uma rara minoria, é certo. o que será pior??? se é que se pode dizer assim..."

Todos os tempos, mas alguns não se permitem sentir, ou não são motivados a sentir.

  Bruno Fehr

quinta-feira, abril 02, 2009 4:22:00 da manhã

Catwoman disse...

"Raio de luar eu disse-te que o blog era fixe não disse???"

Disse, sim :)

  Bruno Fehr

quinta-feira, abril 02, 2009 4:22:00 da manhã

dualitate disse...

"Adorei os 4 primeiros versos.

Bastaria esses versos. Para imaginar, sonhar, esquecer ou relembrar. Para mim bastariam esses versos."

Muito obrigado.

  Bruno Fehr

quinta-feira, abril 02, 2009 4:23:00 da manhã

Teté disse...

"Uma prosa quase poética e em rima."

Por opção não rima, gosto deste tipo de estrutura.

"Desculpa se tomei como um exercício de escrita, embora de caminho escrevas um certo sentir..."

Interpretaste muito bem, é um exercício de tentar transmitir sentimentos sem ter de os sentir no momento.

  Bruno Fehr

quinta-feira, abril 02, 2009 4:23:00 da manhã

Vani disse...

":-p para a esguichadela de retórica. Desta vez tens razão. Não disseste quando, ahahahah, és mas és um mestre de retórica e com esses não se discute...muito. :D"

Desta vez? SEMPRE! :D
não se discute muito? NÃO SE DISCUTE! :D

  Bruno Fehr

quinta-feira, abril 02, 2009 4:23:00 da manhã

Joana disse...

"Gostei do resultado dessa diferente inspiração."

Diferente mas não do que costumo aqui fazer.

  Bruno Fehr

quinta-feira, abril 02, 2009 4:23:00 da manhã

Nana disse...

"O sr Bruno perdeu a cabeça...virou sentimentalista!!

Que desgosto..."

Ahahahaha, por vezes escrevo assim, mas é raro.

  Nana

sexta-feira, abril 03, 2009 1:06:00 da manhã

Ainda bem que o sr Bruno não escreve assim muitas vezes...porque senão vou ter que deixar de cá vir =P

  Bruno Fehr

segunda-feira, abril 06, 2009 5:19:00 da manhã

Nana:

A Naninha não vai fazer isso, ou terei de ir atrás de sim com paus e um grupo de velhos bandidos!