Veritas 3

Capítulo 3 - Objectivo social

"O universo não é mais estranho do que o que imaginamos. O universo é mais estranho do que o que conseguimos imaginar"

E esta frase aplica-se a tudo nas nossas vidas, pois somos limitados pelas nossas capacidades: criativa, imaginativa, intelectual, social, moral, visual, etc...

Como é que alguém pode dizer compreender o presente e saber a caminho para o futuro, quando há tanto para descobrir no nosso passado? Monumentos que não sabemos como, quem, e o motivo pelo qual os construíram. Construções que revelam conhecimentos antes de nós como sociedade actual os termos: Astronómicos, Físicos, Geométricos, humanos, etc...

Os objectivos da conspiração Maçónico-Illuminati são:

1- A transformação da civilização global numa civilização Babilónio-Egípcia. Isto significa um mundo sob um líder visto como um Deus e não eleito pelo povo. Um mundo de controlo total da elite sobre o povo onde não há classes. A divisão social é feita em duas partes: Elite & Escravos:


Ser-se escravo nada tem a ver com levar chicotadas, pois é uma escravatura moderna. Na antiguidade ter escravos dava muito lucro com baixas despesas, pois tinham de dar ao escravos comida e abrigo que retribuíam pagando com trabalho, além disso tinham de os guardar. Na escravatura moderna isso não acontece, pois trabalhamos em troca de dinheiro que devolvemos às elites pois precisamos de comprar a nossa própria comida e pagar o nosso próprio abrigo. Ou seja, tudo o que produzimos já é pago com o nosso trabalho mas mesmo assim ainda temos de comprar os produtos que criamos, temos de garantir a nossa alimentação e abrigo e pagar impostos só por existirmos. Todo o dinheiro que recebemos devolvemos às elites mais o nosso trabalho físico ou mental e ainda ficamos a dever pois o dinheiro que recebemos e que usamos é na verdade dívida. E com o bónus de não precisarmos de guardas, pois nós impedimos outros seres humanos de serem de diferentes, de pensarem de forma diferente. Não é preciso a autoridade atacar-me, pois se eu dissesse publicamente o que escrevo, seria ridicularizado pelas pessoas que tento alertar.
Até as ovelhas precisam de um cão pastor, nós controlamos os passos uns dos outros.
O objectivo é destruir as classes e dividir a sociedade em dois. Como já foi, voltar a ser... uma espécie de encerramento de um ciclo que depende de nós evitar.

No Egipto quando alguém nascia ele não era cidadão, era Egípcio mas não cidadão. Para se ser cidadão precisariam de trabalhar ao serviço do estado e aí seriam cidadãos. Isto é algo que é vulgarmente visto em filmes futuristas (por exemplo na série de filmes Space Troopers) em que para se ser cidadão e se gozar de direitos teriam de servir a Federação mundial nas forças armadas em defesa do planeta.

Enquanto um Egípcio não servisse o estado, não era cidadão e vivia com uma madeixa de cabelo cobrindo parte da sua cara e um olho, o que simbolizava que não era cidadão e não era responsável por erros que cometesse por não saber fazer melhor, era um ser humano de segunda categoria.

Após servirem o estado física, intelectual ou com sacrifício humano eram então em vida ou na morte declarado cidadãos durante uma cerimónia onde lhes eram ensinados os mandamentos para serem cidadãos: "Obedecer às leis dos Deuses do Egipto", "Obedecer às leis de Osíris", "Obedecer às leis do Estado", "Até obedecer à lei não poderás ser cidadão", etc. No fundo é Obedecer, algo também patente em imensos filmes e livros de onde destaco o 1984.
Após passar por esta cerimónia e depois de se tornar num servo do Estado, a madeixa de cabelo era cortada e o Egípcio passava a ser um cidadão.

Um corte de cabelo, que ainda ontem enquanto esperava para cortar o cabelo, reparei que este estilo era uma tendência de moda em 2009.

A Maçonaria pretende que ninguém nasça cidadão e que todos tenham de se tornar cidadãos por serviço ao Estado. Prestem bem atenção às discussões sobre o direito à cidadania, isto é um tema actual.

Próximo texto - Veritas 4 - Isís e Sirus

12 Comentários:

  Anónimo

quarta-feira, setembro 30, 2009 5:36:00 da manhã

Desculpe comentar como anónimo mas gostaria de colocar uma questão.
Tenho um amigo pessoal que usa um anel com o símbolo que já a vi aqui várias vezes. Um anel em ouro com uma pedra azul e no centro tem o tal compasso e esquadro com um G no meio.
Nunca lhe perguntei sobre o significado do anel mas já tive várias conversas sobre um tema que ele aborda constantemente sobre matéria vs anti-matéria como sendo dimensões diferentes no mesmo plano e que nós como matéria podemos contactar com a anti-matéria por forma a evoluir interiormente.
O tema da anti-matéria é também abordado no filme baseado no livro Anjos e demónios de Dan Brown e gostaria de saber se isto é um assunto maçónico e se tem alguma base cientifica.

  Bruno Fehr

quarta-feira, setembro 30, 2009 6:01:00 da manhã

Anónimo:

Se o seu amigo tem um anel assim é porque é maçon da linhagem Escocesa. Muito depende da forma do anel e de como o usa, se com as pontas do compasso viradas para ele ou para terceiros. No entanto pelo simples facto de ter o anel significa que é no mínimo um Mestre Maçon de terceiro grau e teve disponibilidade para investir 500Euros numa idiotice. Se ele aborda o tema matéria/anti-matéria significa que está num grau muito superior pois não é estudo de um Mestre. Na verdade de acordo com o juramento ele nem deveria mencionar esse assunto, mas se o faz é porque está actualmente a estudar isso e possivelmente está fascinado com as possibilidades.

O tema matéria/anti-matéria será abordado nesta série. Deverá reparar se ele menciona o tema "Jinn", "espectros" ou "Merkaba", isso dará uma ideia do grau que ele ocupa na maçonaria.

Não lhe posso dizer se o que ele fala tem ou não sustentação cientifica pois o único estudo oficial que conheço fora da maçonaria é o CERN e pouco do que se faz lá é tornado público.

Mas nesta série tenciono abordar esse tema do ponto de vista maçónico pois não o posso fazer do ponto de vista cientifico.

  Selenyum

quarta-feira, setembro 30, 2009 10:05:00 da manhã

Antes de mais parabéns pelo artigo.

Deixa que te corrija, mas se não me engano existiu um acelerador mesmo pertinho de ti, que colidia anti-partículas:

http://zms.desy.de/forschung/teilchenphysik/teilchenphysik_an_hera/index_ger.html

(segundo paragrafo)

Segundo, por exemplo o LHC no cern está muito bem documentado e os documentos estão disponíveis para consulta de todos.
Podes descobrir os respectivos artigos, por exemplo aqui:

http://arxiv.org/

Procura por palavras chave como por exemplo: LHC, ATLAS, CMS, ALICE, LHC-b. Pode dar um bocadinho de trabalho mas é possível saber os detalhes de como a máquina foi feita, o que é suposto medir, como vai medir, etc...

Para terminar existem centenas de aceleradores espalhados pelo mundo, se não estou em erro só a Alemanha tem uns 15, muitos deles capazes de fabricar anti-matéria (nos dias de hoje isso é trivial, basta fazer passar fotões num meio denso para obter anti-electrões ou fazer colidir protões com núcleos atómicos para obter anti-protões).

  I.D.Pena

quarta-feira, setembro 30, 2009 10:07:00 da manhã

Quanto ao veritas 3

Tem lógica, mas os tempos agora são outros, acho que a ideia de escravo moderno é demasiado romantizada.

Tinha a ideia inicial que povo egipcio, por exemplo, era demasiado passivo , quando na verdade não tinham era outra alternativa se não acreditar nos deuses.
A civilização egipcia sempre me fascinou especialmente por algumas construções arquitectónicas são tanto geniais como funcionais.

Aguardo atentamente pelo veritas 4
-----------------

Quanto a teorias de conspiração àcerca da nwo, já tive conhecimento de algumas, onde se falou de implantação de chips, o fim da moeda dando asas ao dinheiro electronico, etc...
Mas paralelamente e não acreditanto em coincidências 60000 grávidas já tem vacina agendada para a nova gripe, 1a vacina que funciona tanto como assassina, os efeitos secundários , os piores são tardios, e eu já sei como é o português só reclamam quando já é tarde demais para reclamar algo.
A OMS devia era preocupar-se com as calamidades existentes e não forçar absolutamente nada. Organização Mundial de Saúde, serve para organizar e não intrometer-se, só acho que ninguém devia ser obrigado a tomar uma vacina quando não está testada e à qual já se ficou provado que mata.

Quantas pessoas terão que morrer, ou adoecer para aceitar esta nova realidade que nos apresentam ?

E mais... existe um caso de virus da gripe A , relativamente perto de mim que merecia investigação por parte das autoridades , o doente que já faleceu entrou lá doente, mas sem gripe. Existe algumas razões para acreditar em negligência médica e esperemos todos que não seja bio-terrorismo.

desculpa o aparte

  Bruno Fehr

quarta-feira, setembro 30, 2009 1:19:00 da tarde

Selenyum:

No que disse sobre o CERN nao me referia a fabricar anti-matéria mas sim por ser uma tentativa de aceder a anti-matéria existente. Mas a seu tempo irei explicar o que quero dizer com isso, em que pontos o cern é único nesta área.

  Bruno Fehr

quarta-feira, setembro 30, 2009 1:19:00 da tarde

I.D.Pena:

"Tem lógica, mas os tempos agora são outros, acho que a ideia de escravo moderno é demasiado romantizada."

Olha à tua volta. Por exemplo Hitler tornou um país destruído numa potencia mundial por ter criado um sistema financeiro que não se baseava em dinheiro como divida, o que foi sem dúvida a razão que levou os EUA a atacar. Toda a economia Alemã era baseada num sistema inovador de a forca de trabalho dar valor ao dinheiro, ou seja, tudo o que precisas poderá ser pago com trabalho sendo o dinheiro quase desnecessário.

Claro que isto irritou o senhor Rothschild com o seu familiar Hitler.

"Quanto a teorias de conspiração àcerca da nwo, já tive conhecimento de algumas, onde se falou de implantação de chips, o fim da moeda dando asas ao dinheiro electronico, etc..."

O chips já estão implantados, os novos passaportes biométricos e os cartões do cidadão possuem a primeira versão de chip RFID.O próximo passo será criar um mundo de vantagens para que o chip seja injectado no ser humano. Quanto ao dinheiro 70% já é electrónico e nunca foi imprimido.

"A OMS devia era preocupar-se com as calamidades existentes e não forçar absolutamente nada."

As calamidades existentes não matam o suficiente e não são eficazes como redutores de população.

A nova vacina no cancro está já a matar no Reino Unido.

"Quantas pessoas terão que morrer, ou adoecer para aceitar esta nova realidade que nos apresentam ?"

Segundo a nova ordem mundial na sua pedra de mandamentos "Georgia's guide Stones" o ideal será a morte de mais 80% da população mundial e depois de existirem unicamente 500 milhões de humanos será implementada a Eugenia, quer por leis de proibição de reprodução quer por infertilizacao feminina.

"Existe algumas razões para acreditar em negligência médica e esperemos todos que não seja bio-terrorismo."

Qualquer médico que de a vacina está a ser negligente e a vacina é Bio-terrorismo.

  ★ Aralis ★

quarta-feira, setembro 30, 2009 3:28:00 da tarde

Só posso dizer que adorei o post!
Um texto que realmente nos deixa a pensar sobre a civilização actual. Ando pessoalmente numa fase que me faz pensar sobre este tipo de assuntos e sobre motivações pessoais para a existência actual.
postei sobre isso (de uma forma não tão erudita confesso). Resumindo -adorei e anseio por mais!
bjo

  Noivo

quinta-feira, outubro 01, 2009 2:04:00 da manhã

tinha saudades de te ler!um abraço

  Migas-o-Sapo

quinta-feira, outubro 01, 2009 4:42:00 da tarde

Bem, essa coisa da Eugenia é muito rebuscada. Só gente que padece mesmo muito da moleirinha é que se lembrava de uma coisa dessas. Uma rebelião à escala mundial cortaria esse mal pela raíz. Porém, como aplicar algo assim é uma loucura descarada, duvido que alguém o faça.

  Bruno Fehr

sexta-feira, outubro 02, 2009 12:13:00 da manhã

★ Aralis ★:

"Ando pessoalmente numa fase que me faz pensar sobre este tipo de assuntos e sobre motivações pessoais para a existência actual."

Todos a certa altura das nossas vidas nos questionamos, e só quem não tem questões, tem na verdade problemas sérios.

  Bruno Fehr

sexta-feira, outubro 02, 2009 12:13:00 da manhã

Noivo:

Outro.

  Bruno Fehr

sexta-feira, outubro 02, 2009 12:13:00 da manhã

Migas-o-Sapo:

"Bem, essa coisa da Eugenia é muito rebuscada."

É? O falecido dono da IBM, o mesmo que criou a identificação por código de barras dos prisioneiros judeus, quando morreu deixou em testamento toda a sua fortuna à Eugenics, para que fosse feita investigação da melhor forma de parar e regular o crescimento da população mundial.

A China praticou e pratica eugenia e não teve qualquer oposição mundial.

"Uma rebelião à escala mundial cortaria esse mal pela raíz."

E de onde viria essa rebelião, quando as pessoas já não protestam ataques directos aos seus direitos?

"Porém, como aplicar algo assim é uma loucura descarada, duvido que alguém o faça."

Como disse a China pratica Eugenia. Um caso de sucesso no crime.