Maçonaria e Illuminati - Parte 3

Por motivo de ter hoje publicado no Prisão de Palavras, esta terceira parte da minha actual série será mais simples devido à falta de tempo.



Os graus da maçonaria são desenvolvidos em câmaras próprias, um pouco como a nossa educação passa por escolas diferentes.

Escola 1: Do 1° ao 3° Graus - Lojas Simbólicas

1°- Aprendiz. Tal como no nome indica tem como única função aprender as regras da casa as funções de cada um e é o primeiro contacto com o simbolismo maçónico que rege toda a organização.

2°- Companheiro. Avança no conhecimento do simbolismo e dá os seus primeiros passos nos rituais maçónicos para desenvolvimento de carácter (ou falta dele como é o caso).

3°- Mestre. É considerado o grau de plenitude maçónica. É o grau mínimo para ocupar um cargo. Aqui já possui alguns conhecimentos de história e objectivos maçónicos... ou pensa que sim. É neste grau que se é considerado Maçon.




Escola 2: Do 4° ao 14° Graus - Lojas de Perfeição

4°- Mestre Secreto. Além de avançar acentuadamente com o estudo do simbolismo, entra também na aprendizagem das virtudes do silêncio.

5°- Mestre Perfeito. Um título parvo pois perfeição e Maçon não combinam, pois são todos muitos inteligentes para tudo o que não interessa e burros que nem um porta para o que é realmente importante. Neste grau aprende-se a "meditação interior" coloco entre aspas pois é este o nome que lhe dão e eu não conheço meditação exterior. É neste grau que as coisas começam a descambar, pois é quando começam as cerimónias de culto aos chamados "honrados antepassados".

6°- Secretário íntimo ou Mestre por curiosidade. Prefiro o segundo termo, pois o primeiro faz-me lembrar um secretário que faz favores sexuais ao patrão, o que não deixa de ser verdade pois a homossexualidade é um dos "caminhos para iluminação" nos graus superiores, bem como actividades pedófilas são ligadas à "busca pela imortalidade".
Neste grau é cultivada a busca pelo conhecimento, ao publico é dito que se estuda a pobreza social e formas de combater, quando na verdade são formas de a controlar.

7°- Preboste e Juiz ou Mestre Irlandês. Aqui estudam-se os princípios da Justiça, direito natural e alguns princípios de liderança. Tudo temas bastante interessantes devido à perspectiva de abordagem que leva aos temas bastante polémicos de alguns dos meus texto mais recentes. Em particular sobre pessoa vs ser humano.

8°- Intendente dos edifícios ou Mestre em Israel. Só pelo nome dá para perceber que é quando entramos na agenda Sionista que pouco tem a ver com os Judaísmo. Neste grau estuda-se o direito à propriedade que na verdade não existe, pois todos os que compram propriedades nunca são proprietários, são meros inquilinos até que o Estado necessite dessa propriedade.

9°- Mestre eleito dos nove. Aqui estudam-se os ciclos, forcas negativas e a forca da reconstrução. Tudo é um ciclo, tudo começa e acaba dando lugar a um novo inicio e quando digo tudo falo também na Democracia que acabará dando lugar a... se deixarmos será tirania, se lutarmos poderá ser uma real democracia de poder popular.

10°- Mestre eleito dos quinze. Aqui começa-se o desprendimento do Maçon de todas as paixões e tendências pouco proveitosas, ou seja tudo aquilo do qual não se possa retirar vantagem: Religião, politica, amor, compaixão, etc

11°- Sublime Cavaleiro Eleito ou Cavaleiro Eleito dos Doze. O estudo aqui é centrado na regeneração.

12°- Grão-Mestre arquitecto. Estuda o poder da representação popular e as suas aplicações.

13°- Cavaleiro Real Arco. Estuda o Egipto e Jerusalém.

14°- Grande Eleito ou Perfeito e Sublime Maçon. Só pelo nome dá para ver que o ego aqui está em altas, pois este é o grau mais alto das Lojas de Perfeição.


Escola 3: Do 15° ao 18° Graus- Capítulos

15°- Cavaleiro do Oriente. Estuda a razão.

16°- Príncipe de Jerusalém. Estuda a liberdade com sendo consequência de coragem e perseverança, este segundo ponto o que tornou a maçonaria tão forte usando da coragem do povo.

17°- Cavaleiro do Oriente e Ocidente. Estuda o direito de reunião, ou seja não faz um cu senão falar.

18°- Cavaleiro Rosa-Cruz. Estuda o triunfo da luz sobre as trevas, mas que não se pense que tem algo a ver com a religião até porque as definições de luz não são as mesmas para os maçons e para todos vós. Estuda também a libertação pelo amor (versão pública), libertação do amor (realidade).

19°- Grande Pontífice. Estuda o pontificado.


Escola 4: Do 19° ao 30° Graus- Conselhos de Kadosch

20°- Mestre Ad Vitam. São chefes de lojas maçónicas.

21°- Noaquita ou Cavaleiro Prussiano. Estuda a ambição.

22°- Cavaleiro do Real Machado ou Príncipe do Líbano. Estuda a propagação de sentimentos.

23°- Chefe do Tabernáculo. Que soa a um clube de bêbedos e é quase, pois estuda os valores da propaganda e o combate à superstição.

24°- Príncipe do Tabernáculo. Conserva as doutrina maçónicas.

25°- Cavaleiro da Serpente de Bronze. Combate o despotismo.

26°- Príncipe da Mercê ou Escocês Trinitário. Estuda os princípios da organização social.

27°- Grande Comendador do Templo. Defende os principio de governo democrático... e isto não é na verdade tão bonito como soa, pois a verdade democrática não é um principio democrático, antes pelo contrário.

28°- Cavaleiro do Sol ou Príncipe Adepto. Estuda a verdade, o que na verdade é o que o comum dos cidadãos acha ser mentira.

29°- Grande Escocês de Santo André. Estuda a Maçonaria Escocesa (existe também a de York).

30°- Cavaleiro Kadosch. É o final do estudos do ciclo Kadosh. Estuda profundamente a simbologia e Filosofia Maçónica.


Escola 5: Do 31° ao 32° Graus- Consistórios - Estes graus estão já fora do acesso dos comuns Maçons, sendo o 31° difícil de atingir e o 32° ser só por convite.

31°- Grande Juiz Comendador ou Inspector Inquisidor Comendador. Estuda história.

32°- Sublime Cavaleiro do Real Segredo. Estuda o poder militar.


Escola 6: 33° Grau - Supremo Conselho - Posição de destaque dentro da Maçonaria, atingido por convite.

33°- Soberano Grande Inspector Geral. É o responsável filosófico pela maçonaria, sendo na verdade uma marioneta como todos os outros. Mas no que toca a marionetas é a mais "importante".

Abaixo podem ver os graus da vertente Escocesa e de York.



Próximo texto: Parte 4

23 Comentários:

  Vani

quarta-feira, setembro 23, 2009 12:30:00 da manhã

ainda por cima têm cá uma falta de imaginação para nomes...

  Jane Doe

quarta-feira, setembro 23, 2009 12:35:00 da manhã

Pese a falta de imaginação, como diz a Vani, eu não sei porquê sempre me senti fascinada por isto. Maçonaria.

O que é uma grande merda porque não tem nada a ver com nada a não ser com ambição. Salvou-me da curiosidade uma má experiência com uma dita seita, que se pretendia passar por sociedade secreta. Tal foi a experiência, que jurei para nunca mais, e foi o melhor que fiz.

Mas nunca deixa de ter o seu quê de fascínio. E eu sei porquê.

A falsa ideia de Conhecimento.
Coisa que qualquer pessoa com vontade e disciplina pode conseguir.

  I.D.Pena

quarta-feira, setembro 23, 2009 2:58:00 da manhã

Confesso que não é a primeira vez que vejo essa tabela de graus.

A minha primeira reacção foi :

INACREDITÁVEL os gaijos que mandam nesta merda e que podem fazer algo realmente melhor não fazem !!! :) são completamente lélés da cuca :D

logo já não há aquela surpresa inicial...

Agora é mais , inacreditável as mentiras que estes pamonhas contam ao ser humano comum que só quer viver e ser feliz.

  MIB

quarta-feira, setembro 23, 2009 1:28:00 da tarde

Parabéns, já vi que leste o ultimo livro do Dan Brown...

  Bruno Fehr

quarta-feira, setembro 23, 2009 2:19:00 da tarde

Vani:

"ainda por cima têm cá uma falta de imaginação para nomes..."

Os nomes possuem significado simbólico.

  Bruno Fehr

quarta-feira, setembro 23, 2009 2:19:00 da tarde

Jane Doe:

"eu não sei porquê sempre me senti fascinada por isto. Maçonaria."

É a ideia de secreto e mistério.

Seitas por seu lado nunca me fascinaram, mas já andei às cabeçadas com uma delas e odeio a cientologia com nunca odiei nada na minha vida.

"A falsa ideia de Conhecimento."

A ideia não é falsa, existe realmente acesso a conhecimento que não se encontra em qualquer lado, mas existe também uma má aplicação e interpretação desse mesmo conhecimento.

  Bruno Fehr

quarta-feira, setembro 23, 2009 2:19:00 da tarde

I.D.Pena:

"Confesso que não é a primeira vez que vejo essa tabela de graus."

A Maçonaria é o mais antigo dos esquemas de pirâmide, pois também envolve dinheiros.

"INACREDITÁVEL os gaijos que mandam nesta merda e que podem fazer algo realmente melhor não fazem !!! :) são completamente lélés da cuca :D"

Eles querem e vão tentar, mas não será melhor para nós, mas eles acham que será melhor para a humanidade.

  Bruno Fehr

quarta-feira, setembro 23, 2009 2:28:00 da tarde

MIB:

"Parabéns, já vi que leste o ultimo livro do Dan Brown..."

Não, não li, mas obviamente tu também não!

Primeiro porque não acredito que Dan Brown escrevesse alguma coisa do que eu escrevi e se o fez no livro, ele acertou ao lado como faz sempre.

Dan Brown quer nos livros, quer nos filmes, ele não informa, desinforma nada do que ele escreve tem algum valor histórico nem mesmo literal, pois bastou ler um livro dele em Inglês e perceber a pobreza da sua escrita. Os factos que apresenta são conhecidos e os segredos são 100% ficção.

Dan Brown faz o seu trabalho para o sistema, se dissesse a verdade ou expusesse segredos, não teria tanto sucesso.

O código de Da vinci é uma excelente comédia pois acertou ao lado dos estudos existentes e de todas as teorias sobre o quadro e centrou-se na descendência de Jesus para que se fique a pensar que é ficção por aparecer na televisão. Quando ela é a décima-terceira família Illuminati. Mas existem verdades escondidas no livro. O símbolo feminino e masculino existem mas não significam o que ele diz significarem, ambos formam quando sobrepostos os símbolo da maçonaria e o símbolo que ele diz ser o masculino na pintura de Da Vinci, falta-lhe um linha e forma uma outra coisa. Ele não fala na localização dos pães, nos nós aos cantos da mesa, em imagens espelhadas, nada ele só fala em tretas.

Maior comédia ainda foi o Anjos e Demónios, apresentando os Illuminati como sendo uma organização religiosa tentando controlar o Vaticano(e falhado) quando na verdade são Pagãos adoradores da cultura Babilónia e Egípcia e são parte de um todo que inclui o Vaticano.

Agora vem-me dizer (de acordo com sinopse que li) que a Maçonaria não é uma sociedade secreta mas sim com segredos... deve ser por isso que escreveu o livro Anjos e Demónios e os separou da maçonaria.

3 dos livros dele falam de maçonaria mas ele não faz a ligação. As 3 ordens dos 3 livros são Maçonaria, este último livro será mais uma anedota como todos os outros, para enganar tolos.

Admito que não o li, pois não pago por lixo, esperarei por versões piratas, só assim leio lixo, mas tenho a certeza absoluta que também não o leste e daí o teu comentário.

  MIB

quarta-feira, setembro 23, 2009 3:31:00 da tarde

Por acaso tens uma certez muito mázinha...
Está acabado de ler hoje mesmo na versão original!
Se quiseres citações é só dizeres pàgina, se quiseres resumo não vale a pena pois é sem duvida o mais fraquinho dele, sim aborda a maçonaria e todo o tema é a volta da maçonaria...
As vezes mais valia não tentares fazer previsões e adivinhações, corres risco de dar passos em falso ;)

Abraço,

  Bruno Fehr

quarta-feira, setembro 23, 2009 3:39:00 da tarde

MIB:

Pronto, leste-o, só tenho de acreditar. Só não penses que sabes mais sobre a maçonaria por causa disso.

Não temo incorrer em erro pois errar faz parte de todos nós, tal como erraste ao afirmar que li essa coisa.

"sim aborda a maçonaria e todo o tema é a volta da maçonaria..."

O tema de todos os livros dele, foi a maçonaria.

"As vezes mais valia não tentares fazer previsões e adivinhações, corres risco de dar passos em falso"

É um bom conselho mas só para quem teme errar, pelos vistos nem tu, nem eu temos esse problema ao fazemos adivinhações ;)

  Migas-o-Sapo

quarta-feira, setembro 23, 2009 4:34:00 da tarde

Fantástico.
Concordo com todos aqui. Falta de imaginação e muito Sol na moleirinha, é o que vos digo.

Não é por nada que muitos estadistas foram contra a Maçonaria: ou escondem algo ou são malucos... e a loucura pode ser perigosa.

  Migas-o-Sapo

quarta-feira, setembro 23, 2009 4:35:00 da tarde

Escondem algo ou são malucos, os mações, claro.

  Jane Doe

quinta-feira, setembro 24, 2009 1:00:00 da manhã

Bruno Fehr:

"Seitas por seu lado nunca me fascinaram, mas já andei às cabeçadas com uma delas e odeio a cientologia com nunca odiei nada na minha vida."

Nem a mim, mas naquela altura, e aquela... vinha vestida de alguma coisa de estudos, e quando dei por mim, foi pra os mandar passear...

O novo livro do Dan Brown é sobre maçonaria?

Li o primeiro, nada de mais. Li o segundo, igual. Tentei ler o terceiro nao consegui. E agora todos os que vêm atrás com a mesma estrutura, nomeadamente José Rodrigues dos Santos, e outros autores, nem consigo iniciar.

Mas nunca me dei ao trabalho de cruzar as informações dos livros dele. Lia aquilo como ficção e ponto.

:)

  Bruno Fehr

quinta-feira, setembro 24, 2009 12:03:00 da tarde

Migas-o-Sapo:

"Não é por nada que muitos estadistas foram contra a Maçonaria: ou escondem algo ou são malucos... e a loucura pode ser perigosa."

Estadistas contra a maçonaria? Teoricamente sim, na prática não pois por exemplo em Portugal desde 1910 que não há um líder não maçónico.
Existiram lideres contra as sociedades secretas mas os governos não consideram a maçonaria secreta. Por exemplo JFK tentou ilegalizar as sociedades secretas e o seu discurso parecia dirigido aos Free Mason, no entanto ele era Free Mason e era um Kennedy uma das 13 linhas de sangue principais Illuminati.

A Maçonaria usa o principio "dividir para conquistar" e por isso quer sejam conflitos religiosos quer sejam políticos o importante é manter a população dividida e assim controlável.
Quando aparece alguém contra a maçonaria, esse alguém ou é ou foi maçon e se é, não terá qualquer credibilidade e será uma distracção que segue uma agenda.

  Bruno Fehr

quinta-feira, setembro 24, 2009 12:03:00 da tarde

Migas-o-Sapo:

"Escondem algo ou são malucos, os mações, claro."

Esconder escondem muito, loucos sim são-no mas maluco não é bem o mesmo que louco e não os devemos subestimar.

  Bruno Fehr

quinta-feira, setembro 24, 2009 12:03:00 da tarde

Jane Doe:

"O novo livro do Dan Brown é sobre maçonaria?"

Ele diz que sim, mas pelo que li na imprensa "trechos, criticas e sinopses", é sobre qualquer merda que ele quer fazer passar por maçonaria, mas não o é.

"José Rodrigues dos Santos"

Este senhor é outra anedota.

"Mas nunca me dei ao trabalho de cruzar as informações dos livros dele. Lia aquilo como ficção e ponto."

É ficção. O que ele menciona que é verdade ele não esclarece preferindo colocar ficção lá no meio por forma a destruir o fundo de verdade.

  Anónimo

quinta-feira, setembro 24, 2009 4:15:00 da tarde

Quem me diz a mim que tu próprio não és um mação ou um illuminati com informações falsas de modo a desviar a atenção dos individuos "comuns" que assim com eu estou na ignorância de forma a que eles (maçonaria) executem os seus reais intentos? Já agora como faço para ser um mação?

  Mistal

quinta-feira, setembro 24, 2009 6:37:00 da tarde

Quando andava na faculdade trabalhava as vezes numa loja de antiguidades nas Amoreiras. Recordo-me sempre do ar pomposo de um iniciado que lá foi saber o preço de uma Espada...mas que era tudo muito secreto...enfim. Depois não levou a Espada...achou-a muito cara...LOL.

  Bruno Fehr

sexta-feira, setembro 25, 2009 1:43:00 da manhã

Anónimo:

"Quem me diz a mim que tu próprio não és um mação ou um illuminati com informações falsas de modo a desviar a atenção dos individuos "comuns" que assim com eu estou na ignorância de forma a que eles (maçonaria) executem os seus reais intentos?"

Nada te diz isso, nem nada te diz o contrário. O objectivo destes textos não é dar-te a verdade é só fazer-te duvidar da forma honrada com que a maçonaria se apresenta. Se o objectivo fosse fazer propaganda maçónica, poderia usar de termos mais simpáticos do que chamar-lhes: Corruptos e criminosos.

"Já agora como faço para ser um mação?"

Tens de conhecer um maçon, quanto mais alto o grau dele mais facilidade terás em ser convidado. Terás de ter recursos financeiros para pagar tributo, pois a maçonaria é um esquema em pirâmide composto por milhares de maçons de baixo grau que financiam a elite maçónica e a agenda.
Os maçons de baixo grau só servem para pagar tributo de modo a subir dentro da maçonaria e a receber lucros, terás de ter utilidade para eles, ou seja, posição social, profissão de influencia, ou estares nas artes ou politica.

  Bruno Fehr

sexta-feira, setembro 25, 2009 1:43:00 da manhã

Mistal:

"Recordo-me sempre do ar pomposo de um iniciado que lá foi saber o preço de uma Espada...mas que era tudo muito secreto...enfim. Depois não levou a Espada...achou-a muito cara...LOL."

Deveria ser um iniciado com tesão de mijo, a espada é um adereço de alguma importância para rituais. Se fosse um maçon de grau superior o preço não seria questão pois milhares de idiotas entram para a maçonaria e pagam tributo.

  Mistal

sexta-feira, setembro 25, 2009 12:51:00 da tarde

Bruno says
" espada é um adereço de alguma importância para rituais."

Das tuas pesquisas sabes se tem algum significado especifico?´Ou é mesmo só um adereço

  Bruno Fehr

sábado, setembro 26, 2009 12:27:00 da manhã

Mistal:

"Das tuas pesquisas sabes se tem algum significado especifico?´Ou é mesmo só um adereço"

É a ligação entre a maçonaria e as origens. Um maçon tem uma espada com determinadas características como os Cavaleiros Templários. Obviamente que a maioria nao pode comprar uma antiguidade dessa altura por isso ficam-se por réplicas como:

http://www.a2armory.com/masonic.html

ou

http://www.amazon.com/Poker-Classic-Masonic-Sword-Red/dp/B000PWVPKC/ref=pd_bxgy_sg_text_b

  Migas-o-Sapo

sábado, setembro 26, 2009 9:34:00 da manhã

«Estadistas contra a maçonaria? Teoricamente sim, na prática não pois por exemplo em Portugal desde 1910 que não há um líder não maçónico.»

Bem,durante a Primeira República talvez... menos o Sidónio Pais ou o Canto e Castro... talvez... agora o Estado Novo era assumidamente contra sociedades secretas, em especial a Maçonaria. Da Terceira República conhece-se o paspalhão do Soares mas não me admirava que existissem mais.