A corrida à Lua (Parte 3)

Texto anterior: Parte 2

Não existe cratera de aterragem do módulo lunar. A desculpa dessa falta de cratera, pois a NASA sabia que iria ser levantada essa questão, foi dada por Neil Armstrong assim que pisou a lua. Indo ao site da NASA pude retirar a transcrição do que ele disse:

"Okay. O motor de aterragem não deixou uma cratera de tamanho algum. Está a 30 centímetros de distancia do chão. Estamos essencialmente numa zona nivelada. Vejo vestígios de raios emanando do motor de aterragem, mas numa quantidade insignificante"

Este comentário vem desculpar a questão que mais tarde foi levantada de não haver crateras de aterragem, não só no Apollo 11 mas também no 12, 14, 15, 16 e 17, nem um deixou a cratera que seria de esperar.
Resolver este mistério é fácil, bastou no site da NASA saber qual o poder de propulsão do motores dos módulos de aterragem. Cada um daqueles motores tem 4.500Kg de propulsão e não deixaram marca a aterrar, mas o simples facto de andarem na superfície da lua, já levantava terra. Isto não tem lógica e as leis da física não se aplicam só à terra.
Ao aterrar na lua, além de deixar uma cratera enorme levantaria uma nuvem de pó que demoraria algum tempo a assentar e a cratera seria tão grande, que o módulo lunar caberia dentro dela.
Um dos maiores problemas apresentados pelos físicos, era que a potência dos motores para um módulo tão grande, iria levantar tanto material da superfície lunar que poderia cobrir por completo os motores impossibilitando o regresso dos astronautas... mas eles regressaram, pois nunca partiram.

O último homem a pisar a lua (Apollo 17) diz que eles desligaram os motores a 3 metros do chão para evitar a criação de uma cratera e que caíram em queda livre. E diz que todas as missões Apollo fizeram o mesmo. Isto é mentira, pois como podem ver no vídeo da missão Apollo 11 do texto anterior, Niel Armstrong desligou os motores após a aterragem e afirma o momento em que o faz.

Outro facto interessante é que a terra do solo lunar ao ser mexida se agarrava às botas dos astronautas, mas nas pás de suporte do módulo lunar não existe um único grão de pó.



As pernas do astronauta estão sujas de terra de andar, mas a nave até brilha mesmo depois do pó que a aterragem deveria ter levantado.


O astronauta aqui está limpinho pois ainda não pisou o solo, e o módulo de aterragem, está como se ainda não tivesse saído da NASA... até brilha.

Durante a aterragem do Apollo 11, Buzz disse: "A 40 pés... 2 e meio... apanhando algum pó...". No entanto nas imagens não há qualquer pó na nave, parece que está exposta num museu ainda por usar. Apesar de no vídeo, ser claro que que Buzz diz "picking up some dust", algo que é confirmado por inúmeras fontes, a NASA no seu site tem escrito que ele disse: "Kicking up some dust", para que se justificasse a ausência de pó, não estando minimamente preocupados com o facto do mundo ter acesso aos vídeos originais. No entanto, "picking" ou "kicking" no fundo significam que o pó foi levantado quer a nave o esteja a apanhar ou afastar, significa que ele foi levantado e se levantou deveria ter deixado marcas, que não deixou... e se levantou tem de aterrar e a nave está limpa.
Há quem diga que os 4.500Kg de propulsão foram reduzidos até 1500Kg de propulsão reduzindo a possibilidade de criar uma cratera. OK, aceito isso, mas quando forem à praia soprem na areia a 30cm do solo, o vosso sopro nem 1Kg de propulsão tem e irá criar uma cratera afastando grãos de areia... na lua o solo é mais leve que a areia, é basicamente pó.

Mesmo sem motor nenhum, em queda livre, o simples impacto contra o solo iria levantar pó, deixar marcas e sujar os pés da nave. Vejam os pés nestas fotos tiradas na "Lua":




Nem um grão de pó!
Mas como posso provar que o pó se iria agarrar às pás? Simples, basta pegar nas fotos da missões Surveyor que não eram tripuladas, eram módulos mais pequenos com motores mais fracos e o resultado foi este:




Uma questão levantada pelos defensores da ida à lua, é que: "Não tendo ido à lua como é que duplicaram o solo lunar? Pois a areia não tem capacidade de manter pegadas tão perfeitas". A resposta é simples, como é que sabemos que o que vemos é a duplicação do solo lunar, se só o conhecemos por estas imagens? Além disso os Russo tinham amostras de solo e sofreram diversos acidentes estranhos, entre os quais a morte de um dos principais investigadores, um dos principais astronautas e a destruição em pleno voo de missão Russa tripulada que iria aterrar na lua. Além disso os Russos ao contrário dos Americanos publicavam as suas descobertas e por exemplo o Japão comprou toda a investigação Russa e Americana.

Eu não sei durante quanto tempo mais a NASA poderá esconder a verdade, seria preciso um outro país ir à lua, coisa que a China quer fazer e os EUA impedir e para isso, ainda este ano a lua será bombardeada (como já referi no primeiro texto desta série). Isto é dito no site da NASA, só não referem que tipo de explosivo será usado, mas seja que tipo for, terá de ser de grande poder explosivo pois o objectivo é estudar não só a coluna de pó levantada mas também a composição do interior da lua através da cratera criada, isto meus amigos é ciência perigosa.

Próximo texto: A corrida à Lua Parte 4

25 Comentários:

  Rui Oliveira

quarta-feira, agosto 12, 2009 3:44:00 da manhã

Este comentário foi removido pelo autor.
  Rui Oliveira

quarta-feira, agosto 12, 2009 3:44:00 da manhã

Isto tudo faz crescer um medo imenso em mim... caramba, tantas evidências, esta gente baseia a vida em mentiras, mexem na cabeça de tantas mentes ignorantes que conseguem fazê-las acreditar de que essas coisas realmente acontecem... mas lá está.. há sempre uma pontinha de optimismo em mim, no final de contas hitler acabou por se suicidar(? já nem digo nada...) e esse pesadelo dos nazis teve um sério refreio.. quem sabe se este fascismo refinado não terá também um fim... grande abraço

  Bruno Fehr

quarta-feira, agosto 12, 2009 3:55:00 da manhã

Rui Oliveira:

Tudo isto não nos dever criar medo, deverá ter o efeito contrário, deve criar confiança de que somos capazes de ver para além das mentiras. Não há nada que o poder tema mais do que pessoas com o poder do conhecimento.
Quem questiona o que ouve e o que aprende, procura resposta e aí estuda as duas versões tirando as suas conclusões.

O que pode acontecer de mal ao pensar por nós próprios? Ao retirar conclusões? Nada! Mesmo que após estudar a nossa conclusão seja que o homem foi à lua, ou Bin Laden é o responsável pelo 9/11, que o 25 de Abril foi para derrubar o fascismo e que é um dia mais importante que o 25 de Novembro, no mínimo estimulámos o que não querem que seja estimulado, estimulámos o nosso cérebro quebrando barreiras de pensamento em nós próprios.

Toda a gente diz pensar por si, mas sob pressuposto informativos controlados por terceiros, isso é como ler o que queremos no meio de frases seleccionadas...

Não há que ter medo, há que pensar e tirar as nossas conclusões, pois nesta luta só um lado pode ganhar e esse lado será o nosso. Nós somos 6 biliões de seres inteligentes e somos governados por 10.000 pessoas a nível mundial.

"há sempre uma pontinha de optimismo em mim, no final de contas hitler acabou por se suicidar(? já nem digo nada...)"

ehehehe, bem morto ele está, agora se morreu no bunker ou não, não sabemos. Segundo as teorias policiais, sem corpo não há crime e neste caso não há corpo. Sim, pois o suicídio é visto pela lei como um crime.

Essa tua pontinha de optimismo é positiva, pois significa que estás aberto às duas versões da mesma história, retiras as tuas conclusões pessoais e percebes que no fundo está tudo bem, pois consegues ver um pouco mais do filme do que a maioria envolta nas suas vidas e alheias ao mundo.

  provocação

quarta-feira, agosto 12, 2009 12:10:00 da tarde

Essa história de bombardearem a lua não devia ser permitida, se algo acontece ao satélite vai haver um preço muito alto a ser pago pelo nosso planeta...

  Bruno Fehr

quarta-feira, agosto 12, 2009 12:17:00 da tarde

provocação:

"Essa história de bombardearem a lua não devia ser permitida, se algo acontece ao satélite vai haver um preço muito alto a ser pago pelo nosso planeta..."

A bomba tem duas toneladas, uma explosão cria uma alta temperatura e vácuo, no vácuo a água ferve e desaparece... no entanto eles dizem procurar água... é possível a NASA esteja cheia de asnos, ou então são mentirosos.

O interessante é que até é possível que a lua seja oca, podendo ser destruída por engenho destes, se isso por acaso acontecesse, a nosso planeta iria ser afectado por diversas catástrofes "naturais".

  T

quarta-feira, agosto 12, 2009 12:51:00 da tarde

Relativamente a esta "Teoria da Conspiração" (alusão propositada ao filme), como aqui já foi (mal) dito não tenho muito tempo para pesquisar, numa tentativa de verificar se aquilo que escreves é na íntegra, factual. Apesar de saber que é o conjunto de aspectos mal explicados que compõem (e muito bem, na minha opinião) esta teoria, não estou muito preocupada, nem sequer me tira o sono, tentar saber se/porque a bandeira oscila, nem tampouco, porque raio as sombras num corpo não têm o mesmo efeito que noutro…

Não obstante, vi os vídeos e, considerando que os programas que desenvolveram os melhoramentos de imagem e sequentes comparações de luminosidade, trazendo á vista de todos, o que foi camuflado nas fotografias originais, são fiáveis, não preciso de muito mais para elaborar a minha opinião de que, o homem não foi á lua naquele dia, coisa nenhuma!

Este terceiro post, serviu para reforçar tudo o que foi dito até agora, bem como, as primeiras elações que daqui retirei, no entanto aguardo os restantes, serão eles que corroborarão esta saga pois deduzo, que estará guardado the best for the last…

"O que pode acontecer de mal ao pensar por nós próprios? Ao retirar conclusões? Nada!"

Aparentemente, e baseada nas leituras que fiz dos post's alusivos ao 9/11 e 7 de Julho, não é bem assim! Várias testemunhas fulcrais, que assimilaram e concluíram que o que viram, não foi meramente acidental e/ou inocente, recusando categoricamente as explicações transmitidas pelo governo, tiveram "partidas" suspeitas e céleres deste mundo... Assim como, pelo que percebi, tens sido alvo de algumas "censuras" ou “espreitadelas” por parte de instituições governamentais e outras... Logo, pensarmos por nós próprios pode ter consequências; nefastas ou não… Cabe a cada um, decidir se o pensamento livre e, consequentes buscas da verdade (com os respectivos efeitos colaterais) compensam um despertar nem sempre apaziguador, mas para sempre soberano e libertador…

Evidente, que este meu último comentário é totalmente abusivo, no que diz respeito a uma realidade próxima de nós, comuns mortais, porém achei piada á frase...

Desculpa, a iniciativa de tratamento em primeira pessoa, não te conhecendo de parte nenhuma e, desculpa se me alonguei…

  Bruno Fehr

quarta-feira, agosto 12, 2009 1:42:00 da tarde

T:

"Aparentemente, e baseada nas leituras que fiz dos post's alusivos ao 9/11 e 7 de Julho, não é bem assim! Várias testemunhas fulcrais, que assimilaram e concluíram que o que viram, não foi meramente acidental e/ou inocente, recusando categoricamente as explicações transmitidas pelo governo, tiveram "partidas" suspeitas e céleres deste mundo..."

Sim, mas o que disse é que devemos pensar por nós e pensar não nos trás nada de mal. O que aconteceu a muita gente no caso do 11/8, 7/7 e até neste caso do Apollo 11, foi por falarem e não por pensarem.
Tirar as nossas conclusões pessoais é quebrar barreiras mentais que nos são impostas na escola e TV com informação suspeita e unilateral. É claro que há muita gente que sente necessidade de partilhar as suas opiniões, e aí sim poderá haver risco que terá de ser assumido por quem o corre.

Tal como dizes, cada um sabe de si, logicamente não digo a ninguém para partilhar com o mundo a suas conclusões pessoais, eu faço-o com algumas precauções, se bem que certas "espreitadelas" não me perturbam minimamente pois não estou a violar a lei e quem se sentir atacado que aprenda a viver com isso, como eu aprendi a viver neste mundo de mentiras.

"Evidente, que este meu último comentário é totalmente abusivo, no que diz respeito a uma realidade próxima de nós, comuns mortais, porém achei piada á frase..."

A frase tem de ser interpretada como uma acção pessoal, pensar e concluir é um acto pessoal de analise de informação ao qual terceiros não podem aceder, a não ser que exprimas esses pensamentos. Todos nós temos de pensar mais e não deixar que a TV pense por nós, mas isso não significa exprimir opiniões aos 7 ventos pois quem o faz é rotulado de louco.

  T

quarta-feira, agosto 12, 2009 3:13:00 da tarde

Correcto!
Penso exactamente da mesma forma, até porque, sempre me recusei a ser um autómato e a ficar satisfeita com as explicações governamentais, de lobby's, etc...
Na ultima parte do meu texto o que quero dizer, é;

Serão, os detentores de verdades flagrantes e inauditas(que eventualmente começaram por ser pensamentos/opiniões), capazes de se calar, porque receiam retaliações?

E já agora...

A "verbalização" do que pensas encontra-se publicada na internet,("com algumas precauções") cujo acesso é mais irrestrito que quaisquer 7 ventos... Serás tu louco? :-)

  Bruno Fehr

quarta-feira, agosto 12, 2009 3:43:00 da tarde

T:

"Serão, os detentores de verdades flagrantes e inauditas(que eventualmente começaram por ser pensamentos/opiniões), capazes de se calar, porque receiam retaliações?"

Sim. muitos calam-se por medo, outros vendem o seu silencio, outros ainda reconhecem os riscos e não falam.
Nos anos 70, 7% dos Americanos não acreditavam que em 1969 tivessem pisado a lua e 5% não tinha opinião formada. Hoje 20% não acredita e 10% não tem opinião formada... no entanto só algumas dezenas de vozes falam no assunto.


"A "verbalização" do que pensas encontra-se publicada na internet,("com algumas precauções") cujo acesso é mais irrestrito que quaisquer 7 ventos... Serás tu louco? :-)"

Sem dúvida que essa é a classificação que recebo. Há quem ache que só se deva lutar por uma causa quando temos algo a ganhar, mas eu não acredito nisso. Sei perfeitamente de homens que perderam a vida como William Cooper e até um Amigo meu pessoal Rik Clay por dizerem aquilo que pensam e darem a cara por isso. Acho que se há homens a fazê-lo é porque vale a pena. Ok, não vale a pena morrer, mas o simples facto de algo que possamos dizer leva nem que seja uma pessoa a investigar e a tirar as suas conclusões olhando para as versões oficiais com desconfiança é só por si recompensador.

Mas quem fala contra o Estado é sempre rotulado de louco. Os leigos até nos chamam responsáveis por teorias da conspiração quando na verdade a conspiração é esfregada na cara das pessoas todos os dias pelos governos, nós expomos não as criamos.

Hoje sou louco porque estou na Europa, mas aqueles que como eu dizem que o governo americano foi o responsável pelo 11/9 são agora com uma lei aprovada esta semana, considerado "Home grown terrorists", por isso em breve também aqui na Europa serei promovido de louco a terrorista.

  Inconstante

quarta-feira, agosto 12, 2009 4:24:00 da tarde

obrigada pela explicação Bruno, continuarei a acompanhar atentamente
abraço
ana

  T

quarta-feira, agosto 12, 2009 6:01:00 da tarde

Já há algum tempo que tenho um pensamento recorrente... George Orwell e sua obra-prima "1984"...

Obra inspirada na opressão dos anos 30 e 40(o livro foi escrito em 1948 - o seu titulo invertido, por pressões editoriais), almejava retratar um "futuro" onde disfarçada de democracia a Oceania [conjunto de países congregados de forma a gerar a Alca(Área de Livre Comércio das Américas)]vive um totalitarismo desde que o IngSoc (o Partido) chegou ao poder sob a batuta do omnipresente Grande Irmão - Big Brother.

Deixo um pequeno resumo, retirado da net:

"...o livro conta a história de Winston Smith, membro do partido externo, funcionário do Ministério da Verdade. A função de Winston é reescrever e alterar dados de acordo com o interesse do Partido(...)Winston questiona a opressão que o Partido exercia nos cidadãos. Se alguém pensasse diferente, cometia crimidéia (crime de idéia em novilíngua) e fatalmente seria capturado pela Polícia do Pensamento e era vaporizado. Desaparecia.

O livro não se resume a apenas criticar o stalinismo e o nazismo, mas toda a nivelação da sociedade, a redução do indivíduo em peça para servir ao estado ou ao mercado através do controle total, incluindo o pensamento e a redução do idioma.

Winstom Smith representa o cidadão-comum vigiado pelas teletelas e pelas diretrizes do Partido. O próprio ofício de Winston era transformar a realidade. No Miniver (Ministério da Verdade), ele alterava dados e jogava os originais no incinerador (Buraco da Memória) de tudo que pudesse contradizer as verdades do Partido.
A função de Winston é uma crítica à fabricação da verdade pelos media e da ascenção e queda de ídolos de acordo com alguns interesses. Winston lembra os "Dois minutos de ódio", parte do dia em que todos os membros do partido se reunem para ver propaganda enaltecendo as conquistas do Big Brother e, principalmente, direcionar o ódio contido contra os inimigos (toteísmo usado amplamente pelo ser humano: odeie o seu inimigo e se identifique com o seu semelhante).
Esta é uma crítica às alianças políticas principalmente ao pacto de Hitler e Stalin. Os nazis chegaram ao poder financiados também por sectores dos EUA para combater o avanço do comunismo. Durante a vigoração do pacto, a aliança entre Moscovo e Berlim sempre existiu para a população dos dois países.
Eles não eram amigos, eles sempre foram amigos!
No ano seguinte, rumo ao 'espaço vital alemão', os russos sempre foram os inimigos.
Sempre tinham sido.
Bastante actual se compararmos o apoio logístico e bélico dado a Saddam Hussein e Osama bin Laden para combater o comunismo. Agora, eles são os inimigos eternos.
(...) "

Qualquer semelhança com a realidade...
:-)

  AlfmaniaK

quinta-feira, agosto 13, 2009 4:09:00 da manhã

Bruno:

"na lua o solo é mais leve que a areia, é basicamente pó"

Esta conclusão deve-se à premissa que a Nasa mentiu sobre tudo, inclusive a matéria, ou porque tens dados factuais sobre a composição desse pó?

E já agora, se na lua não há vento (concordas?) como é que algo que empurra, simultaneamente atrai? Um bom exemplo disso é a foto da pata na missão Appolo 17, mas foste muito inteligente a comparar com os resultados das missões que testavam a "alunagem suave". (por outras palavras, que caíam no solo)

Blah... blah... blah... factos!!!?
E os teus factos? É que estas tuas "opiniões" estão tão difundidas na net e igualmente refutadas que é uma ofensa pedir explicações a leigos na matéria, como aqueles que expressam uma "opinião" contrária à tua!
Mas toma lá respostas http://www.braeunig.us/space/hoax.htm...

E uma vez que assumes que o homem foi de facto à lua, isto caminha sériamente para o motivo do porquê de se forjar a ida à lua, calculo que seja porque apostas na teoria de que encontraram lá alguma coisa... muuuuito secreta! Ora, por esta ordem de ideias, nao percebo porque é que haviam de apresentar fotos manipuladas do solo e os pés dos LEMs limpos, quando seria muito mais simples apresentar as fotos com os detalhes originais... a menos que a própria lua seja... ui! Onde isto vai parar...

Todavia, pergunta-se, porque raio é que as fotos das missões voyager são mais verdadeiras?

(agora confesso que é lamentável vir aqui responder, quando ainda temos a primeira questão pendente... as câmaras, estavam lá ou não? enfim.)

  Bruno Fehr

quinta-feira, agosto 13, 2009 7:04:00 da manhã

Inconstante:

De nada.

  Bruno Fehr

quinta-feira, agosto 13, 2009 7:04:00 da manhã

T:

"George Orwell e sua obra-prima "1984"..."

Tanto o livro como o filme estão excelentes e parecem-me muito mais que um filme. Acho que falar em 1984 foi simplesmente cedo demais.

Além de falar no Big Brother, algo que está a atingir esse nível em Inglaterra com a ideia de colocarem câmaras CCTV em casas privadas também, o filme está também carregado de simbologia illuminati.

"O livro não se resume a apenas criticar o stalinismo e o nazismo, mas toda a nivelação da sociedade, a redução do indivíduo em peça para servir ao estado ou ao mercado através do controle total, incluindo o pensamento e a redução do idioma."

O livro parece-me ser um aviso ou uma previsão.


para a população dos dois países.
Eles não eram amigos, eles sempre foram amigos!
No ano seguinte, rumo ao 'espaço vital alemão', os russos sempre foram os inimigos.
Sempre tinham sido.
Bastante actual se compararmos o apoio logístico e bélico dado a Saddam Hussein e Osama bin Laden para combater o comunismo. Agora, eles são os inimigos eternos.
(...) "

Qualquer semelhança com a realidade...
:-)

  Bruno Fehr

quinta-feira, agosto 13, 2009 7:04:00 da manhã

AlfmaniaK:

"Esta conclusão deve-se à premissa que a Nasa mentiu sobre tudo, inclusive a matéria, ou porque tens dados factuais sobre a composição desse pó?"

Sim, não sei se tens conhecimento mas para além da NASA existe a agência espacial Russa, Japonesa e a Europeia,só para referir 3 um pouco mais honestas.

"E já agora, se na lua não há vento (concordas?) como é que algo que empurra, simultaneamente atrai?"

Desculpa? Onde é que disse uma barbaridade dessas? O disse é que visto que há gravidade o que sobe tem de descer.

"Um bom exemplo disso é a foto da pata na missão Appolo 17, mas foste muito inteligente a comparar com os resultados das missões que testavam a "alunagem suave"."

Tretas, nem suave nem à bruta, não existe uma ÚNICA que tenha sujado as pás e NEM UMA criou uma cratera, podes ir ver a Apollo 11, 12, 14, 15, 16 e 17, não encontras uma. E as fotos que mostro são de duas missões e não de uma.

"(por outras palavras, que caíam no solo)"

Poupa-me com esta, nenhuma LEM poderia cair 3 metros em queda livre, isso não faz qualquer sentido e serve só para justificar a ausência de cratera.

"E os teus factos? É que estas tuas "opiniões" estão tão difundidas na net e igualmente refutadas que é uma ofensa pedir explicações a leigos na matéria, como aqueles que expressam uma "opinião" contrária à tua!"

Mas a tua opinião pouco importa, tal como a minha não importa, NÃO HÁ uma única refutação que possa desculpar a ausência de cratera e de pó nas pás. A NASA fala agora em redução de 4.500 para 1.500 Kg de potencia de motor durante a aterrarem... o problema é que 1.500 kg fazem buracos no cimento.

"Mas toma lá respostas http://www.braeunig.us/space/hoax.htm..."

Obrigado pelo comic relief que encontrei nessa página, em:
http://www.braeunig.us/space/
No teu link não encontrei nada.

"E uma vez que assumes que o homem foi de facto à lua"

Não em 1969.

"isto caminha sériamente para o motivo do porquê de se forjar a ida à lua, calculo que seja porque apostas na teoria de que encontraram lá alguma coisa... muuuuito secreta!"

Não disse nada disso e nada do que se encontrasse lá é ou poderia ser secreto.

"Ora, por esta ordem de ideias, nao percebo porque é que haviam de apresentar fotos manipuladas do solo e os pés dos LEMs limpos"

As fotos dos pés dos LEM não estão manipuladas, só o fundo negro é manipulação de cor. As fotos simplesmente foram tiradas em terra, não tinha lógica nenhuma manipular o pó.

"Todavia, pergunta-se, porque raio é que as fotos das missões voyager são mais verdadeiras?"

Pois existia a tecnologia.

"(agora confesso que é lamentável vir aqui responder, quando ainda temos a primeira questão pendente... as câmaras, estavam lá ou não? enfim.)"

Estavam na MESA e a MESA não estava exposta, teria de ser retirada e NÃO, a amara que filmou a descida não foi a da MESA pois as fotos são obviamente diferentes quer em lente, quer em luminosidade e não me venhas agora dizer que eles trocavam de lentes...

  ★ Aralis ★

quinta-feira, agosto 13, 2009 5:06:00 da tarde

Posso só dizer :S ?

Não fazia ideia, admito que ultimamente tb não sou das pessoas mais informadas, mas de qualquer forma... shame on me.
Obrigada pela divulgação, dá que pensar, e de alguma forma também motivar para não sermos tão moscas mortas em relação ao nosso futuro!

jokas

  Bruno Fehr

sexta-feira, agosto 14, 2009 1:05:00 da manhã

★ Aralis ★:

Esta série não tem qualquer utilidade, primeiro porque é um tema extremamente debatido, depois porque não é actual. Mas foi postado a pedido de leitores.

No entanto serve de exemplo de que as mentiras das quais somos vitimas não são recentes.

  AlfmaniaK

sexta-feira, agosto 14, 2009 11:46:00 da manhã

Eu escrevi:
"Todavia, pergunta-se, porque raio é que as fotos das missões voyager são mais verdadeiras?"

E foi respondido:
"Pois existia a tecnologia."

Desculpando-me pelo lapso, o que perguntava era sobre as fotos das missões surveyor. Ora porque serão estas mais verdadeiras que as da missão Apollo e porque é que os conspiradores optaram por apresentar fotos de detalhe tiradas em estúdio, se podiam apresentar fotos reais tiradas na lua?

  Bruno Fehr

sexta-feira, agosto 14, 2009 1:27:00 da tarde

AlfmaniaK:

"Desculpando-me pelo lapso, o que perguntava era sobre as fotos das missões surveyor. Ora porque serão estas mais verdadeiras que as da missão Apollo"

Quando te respondi "Porque existia tecnologia" e se leste realmente a série, terias percebido o que quero dizer. Os Americanos possuíam e durante anos testaram a tecnologia para as missões Surveyor mas não a tecnologia para colocar um homem na lua, a missão Apollo 11 está repleta de erros que foram ligeiramente corrigidos nas missões seguintes onde poderás ver entre outras coisas, o desligar do motor ANTES do contacto com o solo.

Eu respondo tendo em conta que leram, tento não me repetir.

"e porque é que os conspiradores optaram por apresentar fotos de detalhe tiradas em estúdio, se podiam apresentar fotos reais tiradas na lua?"

Bem... esta pergunta é mesmo difícil de responder... mas tu leste alguma coisa do que escrevi?

Como é que esperas que eu use fotos reais da lua, se o LEM não está lá? Como é que numa foto real eu mostro o pé do LEM limpo? Como é que numa foto real onde não há astronautas eu posso mostrar um astronauta?
Olha que esta pergunta é engraçada...

Além disso acho que fui claro nos meus texto quando afirmei que TODAS, e todas é SEM EXCEPÇÃO, as fotos da lua, seja de missões tripuladas ou não, todas elas ao serem testadas (no fundo preto), todas foram cortadas e possuem a parte editada com preto 0-0-1 em vez do 0-0-0 das partes não editada. As missões surveyor possuem também fotos com detalhes na lua tapados por algo que parece ser tão primitivo como o programa paint.

  AlfmaniaK

sexta-feira, agosto 14, 2009 5:51:00 da tarde

Bruno:
"Como é que esperas que eu use fotos reais da lua, se o LEM não está lá? Como é que numa foto real eu mostro o pé do LEM limpo?"

Pois, tens razão... a minha pergunta foi pouco clara. Mas eu esclareço: Os conspiradores são aqueles que forjaram tudo... julgo que tu assumes o papel de conspiracionista e não de conspirador. Logo não és tu quem tinha que apresentar fotos de coisa alguma.
Portanto a pergunta é: porque é que os fulanos da Nasa não apresentaram fotos de detalhes reais (ie: fotografadas na lua), no lugar das fotos de detalhes tiradas em estúdio?

Caso seja verdade que o pó lunar salte de forma invertida para cima das pás do LEM, e não conseguissem reproduzir isso em estúdio ou mesmo para não correr riscos idiotas de serem desmascarados, recorrer a fotos, de facto, reais seria o mais simples.
No entanto parece que não o fizeram! Não percebo o porquê!

  Vani

sexta-feira, agosto 14, 2009 9:44:00 da tarde

E como é que sabemos que todos estes videos são fiáveis, que todos esses documentos são verdadeiros e há a quem interesse que se pense que o homem americano não pôs os pés na lua?...e se "a mentira" for ao contrário?
Aliás, como acreditar em seja o que for que é dito?...
Dizes que há documentos oficiais e tal. Que podem ser forjados. Dizes porque os viste ou porque alguém disse que alguém disse que os viu?
Tão fácil é fingir uma ida à lua quanto é descobrir falhas nas filmagens. Se eu e tu, nem ninguém, não estivemos na Lua com eles (se é que foram), como afirmar que aquele é ou não o solo Lunar?...só lá estando. E nenhum de nós, aqui, esteve. Por isso, não passa tudo de conjecturas. Conjecturas com sentido, se as provas forem verdadeiras e válidas. Mas como saber se o são?...

  Vani

sexta-feira, agosto 14, 2009 9:46:00 da tarde

Além de que, Stanley Kubrick era um génio. Não é suposto que as suas filmagens não tivessem erros detectáveis? São assim tão estúpidos? Ou acharam que o mundo é que iria ser assim tão estúpido?...

  Bruno Fehr

sábado, agosto 15, 2009 1:04:00 da manhã

AlfmaniaK:

"Portanto a pergunta é: porque é que os fulanos da Nasa não apresentaram fotos de detalhes reais (ie: fotografadas na lua), no lugar das fotos de detalhes tiradas em estúdio?"

Eu não disse isso, existem fotos da lua que podem ser analisadas, 95% das fotos no site da NASA são reais, excepto aquelas onde se pode ver o LEM. O que disse é que todas elas foram editadas. Por exemplo as da lua possuem variacoes de tons e a edicao foi feita de duas formas:

1- O espaço ora escurecido ora cortado e substituído por um fundo negro, onde a variação é de 0-0-0 a 0-0-1, sendo o primeiro valor o negro original.

2- Detalhes no solo formam escurecidos.

A minha próxima série sobre a lua será dentro dessa área, pegar em fotos originais, ampliar sem perda de qualidade com um programa de fotografia especial para esse efeito, clarear a foto para revelar os detalhes escondidos e substituir o escurecimento falso, devolvendo a cor original, ou pelo menos perto do original. São essas as fotos que estou a recuperar de um velho PC que faleceu, só para evitar ter de fazer tudo novamente.

"Caso seja verdade que o pó lunar salte de forma invertida para cima das pás do LEM, e não conseguissem reproduzir isso em estúdio ou mesmo para não correr riscos idiotas de serem desmascarados, recorrer a fotos, de facto, reais seria o mais simples."

Tens razão e isso é possível de se fazer, mas as fotos que usei dos pés do LEM não são fotos na NASA, são imagens estáticas retiradas dos vídeos públicos da missões Apollo.

  Bruno Fehr

sábado, agosto 15, 2009 1:05:00 da manhã

Vani:

"E como é que sabemos que todos estes videos são fiáveis, que todos esses documentos são verdadeiros e há a quem interesse que se pense que o homem americano não pôs os pés na lua?"

Bem os vídeos das missões Apollo são disponibilizados pela NASA, quer no seu site oficial e até num canal de Youtube de um funcionário da NASA que só se dedica a discutir vídeos de quem contesta a ida à lua. É nos vídeos da NASA e nos desse senhor que pegamos.

"...e se "a mentira" for ao contrário?"

Mas a mentira é ao contrário também. A NASA mente e os que contestam a NASA mentem também. A NASA foi à lua, isso é verdade por isso quem diz que não foi, mente. Mas a NASA mentiu em quase tudo o que mostrou ao público.

"Aliás, como acreditar em seja o que for que é dito?..."

Ninguém tem de acreditar, só ver os dois lado das questão e perguntar-se a si mesmo se é possível as imagens serem verdadeiras, o que não é. E se é possível depois de tanto tempo a NASA não ter ido à Lua, o que não é.

"Dizes que há documentos oficiais e tal. Que podem ser forjados."

Sim, documentos oficiais podem ser forjados, mas por que motivo a CIA iria forjar documentos que os expõem? A questão é que dependendo do nível de segredo os documentos deixam de ser secretos em 30 a 40 anos e escapam algumas pérolas que não foram destruídas.

"Dizes porque os viste ou porque alguém disse que alguém disse que os viu?"

Toda a documentação fotográfica suspeita está nas minhas mãos, algumas das fotos até nem no site da NASA se encontram, no entanto não é possível dizer que são falsas, possuem o código numérico e pode-se confirmar com a ordem de fotos no site da NASA. Todas as fotos naquele site estão publicadas de forma sequencial e se as copiares todas e vires os códigos, reparas que faltam algumas.

As de Marte por exemplo, assim que a sonda enviou fotos para Terra elas foram parar ao site da NASA, e entre aquelas que geraram polémica já 4 desapareceram.

"Se eu e tu, nem ninguém, não estivemos na Lua com eles (se é que foram), como afirmar que aquele é ou não o solo Lunar?"

A afirmação de aquele não ser o solo lunar é baseado no facto de o LEM ter sido lá colocado por uma grua, ele está limpo o motor do LEM está apontado para o solo e teria de levantar pó que iria sujar as pás do módulo.

"Por isso, não passa tudo de conjecturas. Conjecturas com sentido, se as provas forem verdadeiras e válidas. Mas como saber se o são?..."

Se existem dados concretos do aspecto da lua em missões Russas, Americanas, Europeias, Indianas e Japonesas bem como foto do Hubble... é fácil. Eu por exemplo uso o satélite Google para ver Marte, é um serviço pago mas óptimo para confirmar certas fotos suspeitas que vejo.

  Bruno Fehr

sábado, agosto 15, 2009 1:05:00 da manhã

Vani:

"Além de que, Stanley Kubrick era um génio. Não é suposto que as suas filmagens não tivessem erros detectáveis?"

Ninguém é perfeito e de acordo com os dados eles tiveram 3 dias a gravar, o 2001 Odisseia no Espaço foi gravado em 4 anos.