Se eu mandasse nas palavras*


Se eu mandasse nas palavras o amor seria um sentimento sem palavra que o rotulasse.

Se eu mandasse nas palavras, não seria talvez. Talvez seria sim. Sim seria certamente, e a mulher ficaria mais fácil de entender.

Se eu mandasse nas palavras, cabrão seria palavrinha e amorzinho, palavrão.

Se eu mandasse nas palavras, fim não seria final mas sim um novo inicio.

Se eu mandasse nas palavras, rimar não faria sentido, sonhar não seria tempo perdido, partir não deixaria ninguém ferido, dor não seria algo sentido.

Se eu mandasse nas palavras, lágrimas seriam nostalgia e tristeza alergia.

Se eu mandasse nas palavras, todas as palavras seriam iguais, belas, puras, respeitadas. Diríamos merda com a leveza de um "olá porra, como está?"

Se eu mandasse nas palavras diria o que queria, escreveria o que sentia, e tentar seria utopia.
Ou não... Pois se eu mandasse nas palavras, certamente nada diria nem escreveria.

Se eu mandasse nas palavras, quereria libertá-las. Mas não mando.
Menos mal...


*Texto inspirado no tema "Se eu mandasse nas palavras" de Mariza.

26 Comentários:

  Rach

terça-feira, agosto 18, 2009 5:59:00 da tarde

aqui para nós, quando uma mulher diz talvez normalmente está a dizer que sim ;)

a minha parte favorita: "se eu mandasse nas palavras, cabrão seria palavrinha e amorzinho, palavrão"

um beijo*

  I.D.Pena

terça-feira, agosto 18, 2009 8:10:00 da tarde

hey mandamos nas palavras se mandarmos as palavras a alguém e forem sentidas não é ?
Acho que é para isso que servem não servem para nos servir e muito menos são nossas as palavras, muitas vezes se fala e se escreve do amor que é isto e mais aquilo , quando é uma estupidez descrever algo como o amor, pelo menos é essa é a minha corrente opinião.
Ainda assim gostei :). Porque deixaste-me a divagar nessas palavras usadas por ti. Isso nos dias de hoje é de valor , acho eu...

  JS

terça-feira, agosto 18, 2009 10:39:00 da tarde

Podes não mandar nas palavras, mas escreves bem como tudo!

Um abraço*

  Eu Mesma!

quarta-feira, agosto 19, 2009 12:45:00 da manhã

bem Bruno....
se entender os homens e complicado... entender as mulheres ainda mais...

uma dica...
um talvez nosso quase sempre significa ... não :)

  Bruno Fehr

quarta-feira, agosto 19, 2009 12:59:00 da manhã

Rach:

"aqui para nós, quando uma mulher diz talvez normalmente está a dizer que sim ;)"

Le o comentário da Eu Mesma, o quarto deste texto!

Mas sim, lembro nos tempos de primária de escrever aqueles recados: queres namorar comigo? Sim ou não? E elas adicionavam o "talvez", que na verdade era um sim, mas eu tinha de me esforçar mais :)

"a minha parte favorita: "se eu mandasse nas palavras, cabrão seria palavrinha e amorzinho, palavrão""

Tem a ver com o facto de eu não achar que as palavras que a sociedade considera palavrão o sejam, e que usamos palavrões assustadores como: "fofinho", "xuxu", etc.

Chamem-me cabrão, mas não me chamem "ursinho de pelúcia"

  Bruno Fehr

quarta-feira, agosto 19, 2009 12:59:00 da manhã

I.D.Pena:

"hey mandamos nas palavras se mandarmos as palavras a alguém e forem sentidas não é ?"

Esse é o problema, as palavras que descrevem sentimentos conseguem passar 1/10 da mensagem desejada. São sempre insuficientes.

  Bruno Fehr

quarta-feira, agosto 19, 2009 12:59:00 da manhã

JS:

Não tanto, mas no meio de tantas coisas parvas lá saem algumas menos parvas.

  Bruno Fehr

quarta-feira, agosto 19, 2009 1:00:00 da manhã

Eu Mesma!:

"uma dica...
um talvez nosso quase sempre significa ... não :)"

Ahahahahaha, é isto que adoro nas mulheres, é impossível compreender exactamente o que dizem. Le só o primeiro comentário deste texto :)

  Garrafa na Praia

quarta-feira, agosto 19, 2009 1:00:00 da manhã

Podes não mandar nas palavras, mas usa-las como poucos: sabes escrever, com forma e conteúdo. Sabes cativar pela escrita.

Adorei o teu post, parabéns.

  Eu Mesma!

quarta-feira, agosto 19, 2009 1:04:00 da manhã

Por acaso Bruno tens toda a razão mas...

eu cá sou honesta e verdadeira... e quando eu digo talvez a um homem... normalmente é nao... e será nao... apenas ainda nao está no momento de o dizer...

quando queremos sim... dizemos logo...
a nao ser aquelas meninas que gostam de se fazerem de dificeis... e fazem joguinhos...

eu cá como sou péssima com joguinhos.. o meu sim é sim.. o meu não é não... o meu talvez é... quase mais de 80% das vezes... NÃO!

:)

  Eu Mesma!

quarta-feira, agosto 19, 2009 1:05:00 da manhã

Mas concordo Bruno...
os homens entenderem as mulheres não é facil mas...

que tal comunicarem mais conosco???

:)

  Stiletto

quarta-feira, agosto 19, 2009 2:32:00 da manhã

Lindo!!! Mas olha que um olhar pode valer mais que 1000 palavras! Ele há olhares poderosos :-)

  Bruno Fehr

quarta-feira, agosto 19, 2009 1:46:00 da tarde

Garrafa na Praia:

Muito obrigado.

  Bruno Fehr

quarta-feira, agosto 19, 2009 1:46:00 da tarde

Eu Mesma!:

"eu cá sou honesta e verdadeira... e quando eu digo talvez a um homem... normalmente é nao... e será nao... apenas ainda nao está no momento de o dizer..."

Hmmm, e porque não és verdadeira e dizes logo? Se é não, nunca digo talvez, só o digo se estou em dúvida.

"que tal comunicarem mais conosco???"

Eu tento, é por isso que faço perguntas :)

  Bruno Fehr

quarta-feira, agosto 19, 2009 1:46:00 da tarde

Stiletto:

"Lindo!!! Mas olha que um olhar pode valer mais que 1000 palavras! Ele há olhares poderosos :-)"

Há olhares poderosos que valem por 1.000 palavras, o problema é que podem não ser a mesma 1000 para ele e para ela :) No meio de 400.000 palavras em Portuguesa existe um grande espaço para mal entendidos :)

  Eu Mesma!

quarta-feira, agosto 19, 2009 2:10:00 da tarde

Sabes porque é que por vezes eu não digo logo...?

É que muitas vezes ainda tenho algumas duvidas... mas efectivamente quando eu tenho duvdias acabo por dizer não uns dias depois...

acho que é automático... o não dizer logo não....

Ainda bem que tu fazes perguntas.... eu cá prefiro homens que façam perguntas aqueles que não emitem sons :)

  Bruno Fehr

quarta-feira, agosto 19, 2009 2:25:00 da tarde

Eu Mesma!:

"É que muitas vezes ainda tenho algumas duvidas... mas efectivamente quando eu tenho duvdias acabo por dizer não uns dias depois..."

Pronto, então isso significa que ao ouvir um talvez há sempre a esperança de um sim. É que era chato haver duas palavras a significar não para nós :(

"Ainda bem que tu fazes perguntas.... eu cá prefiro homens que façam perguntas aqueles que não emitem sons :)"

Pois... já me disseram isso, é que não emito sons em todas as ocasiões :)

  Eu Mesma!

quarta-feira, agosto 19, 2009 2:27:00 da tarde

lol :)

a esperança é a ultima a morrer Bruno mas... de facto... acho que os homens têm mesmo duas palavras com o mesmo significado :)

  Fada

quinta-feira, agosto 20, 2009 12:43:00 da manhã

Gosto do que fazes com as palavras mesmo sem amndar nelas...
Gosto que as libertes de ti e as partilhes connosco.

Obrigada...

Beijinho

  São

sexta-feira, agosto 21, 2009 2:50:00 da manhã

As palavras têm o significado que lhe quisermos dar, na sua essência são todas iguais, o seu significado muda quando nos são dirigidas, e depende da nossa interpretação, porque quando as lemos num qualquer livro, todas são iguais, belas, puras e respeitadas.
Por mais que rotulem o amor não há palavras para o definir, e sonhar nunca é tempo perdido, enquanto se sonha e se feliz, e enquanto se é feliz, esse tempo não se pode considerar perdido.
Excelente texto.

  Bruno Fehr

sexta-feira, agosto 21, 2009 3:18:00 da manhã

Eu Mesma!:

a esperança é a ultima a morrer Bruno mas... de facto... acho que os homens têm mesmo duas palavras com o mesmo significado :)"

Eu não... não aceito talvez como resposta, para mim em caso de dúvida aceito o talvez como não e sigo o meu caminho, mas isso irrita muita mulheres e acabam por vir ter comigo.

  Bruno Fehr

sexta-feira, agosto 21, 2009 3:18:00 da manhã

Fada:

Obrigado :)

  Bruno Fehr

sexta-feira, agosto 21, 2009 3:19:00 da manhã

São:

"Por mais que rotulem o amor não há palavras para o definir, e sonhar nunca é tempo perdido, enquanto se sonha e se feliz, e enquanto se é feliz, esse tempo não se pode considerar perdido."

Sim deveria ser assim, mas por vezes independentemente do ensinamentos retirados de uma certo acontecimento, sentimos que perdemos tempo nele, mesmo não sendo bem assim.

  Vani

terça-feira, agosto 25, 2009 8:24:00 da tarde

A tristeza seria alergia?...a quê? :D

  Vani

terça-feira, agosto 25, 2009 8:29:00 da tarde

Tens de ler "A ordem alfabética" :) foi do que me lembrei, quando vi que querias mandar nas palavras. Mas assusta-me que a tristeza seja uma alergia?!... :D (e, vai daí, se eu mandasse nas palavras... :D).

Se eu mandasse nas palavras, ninguém se atreveria a chamar-me ferrero rocher...

  Bruno Fehr

segunda-feira, agosto 31, 2009 5:44:00 da tarde

Vani:

"A tristeza seria alergia?...a quê? :D"

A nada, eu não escrevi A tristeza, escrevi tristeza e falo de palavras e não de sentimentos.

"Mas assusta-me que a tristeza seja uma alergia?!... :D (e, vai daí, se eu mandasse nas palavras... :D)."

Se a tristeza for alegria e nada for tristeza, ela desapareceria.

"Se eu mandasse nas palavras, ninguém se atreveria a chamar-me ferrero rocher..."

Hmmm, acho isso uma ofensa, tendo em conta que para mim é de um bom rabo que saem os Ferro's. De um belo rabo só podem sair bombons :)