Big Brother

"O importante não é ser verdade mas sim o que parece ser verdade".
Henry Kissinger (Prémio Nobel da paz e criminoso de guerra)

O Big Brother não é mais do que um observador, o Estado de cada país é esse observador e o responsável por manter as pessoas distraídas, ocupadas, calmas e ordeiras. Mas já repararam nas acções repressivas sobre a população? Esta é a atitude de um governo eleito por nós porque a dado momento acreditámos que era o mais certo. Uma atitude que nos coloca numa posição de súbditos de um governo quando na verdade o governo está lá para nos servir, no entanto não é isso que acontece.

O povo tem uma ideia de liberdade que na verdade é limitada por regras sociais e por leis mas mesmo assim vemos a nossa vida como livre, apesar de sabermos que não podemos dizer ou fazer tudo o que queremos.

Mas afinal quem manda? Somos nós ou o Estado. A resposta é evidente, nem um nem o outro manda. Nós somos o alvo, somos o motor da economia que gera o dinheiro para pagar a dívida que nos é imposta, pois mesmo que nunca peçam um crédito devem sempre dinheiro a alguém, nem que seja o dinheiro que o nosso estado pede a outro. Isto porque a total da dívida externa de um país é dividida por todos os habitantes desse país e paga através de impostos sobre o nosso trabalho e por isso sofremos de uma escravidão voluntária onde além de escravos temos de pagar pela nossa alimentação e casa.

"Ninguém está mais perdidamente escravizado do que aqueles que falsamente acreditam serem livres".
Johann Wolfgang von Goethe

É aqui que encontramos a resposta à questão. Quem controla o estado e o povo é quem controla o dinheiro. E quem são eles? Temos dois nomes Rockefeller e Rothschild, em que ambos dividem entre si todo o dinheiro em forma de divida que existe no mundo. A família Rothschild juntou nos últimos 300 anos 50% de todo o dinheiro mundial.
O primeiro controla todo o dinheiro Americano através da Reserva Federal, o segundo todo o dinheiro Europeu através do Crown e juntos sob o nome de World Bank controlam todo o dinheiro do mundo, sendo Rothschild o numero 1 dos Illuminati.


"Estamos na berma de uma transformação global. Tudo o que precisamos é da crise certa e as nações vão aceitar a nova ordem mundial".
David Rockefeller (2000)

"Eu não quero saber que marioneta colocam no trono de Inglaterra para governar o Império. O homem que controla o fornecimento de dinheiro Britânico controla todo o Império. E sou eu quem controla esse dinheiro".
Baron Nathan Mayer Rothschild

Com este tipo de textos não pretendo que a minha palavra passe como verdade absoluta, unicamente que desperte a curiosidade de saber os motivos do que se passa à nossa volta. Só quem quer perceber fará perguntas e só quem as fizer irá procurar respostas e ao procurar corre o risco de as encontrar e abrirá os olhos.

Uma voz pouco pode fazer mas um milhão de vozes podem mudar o mundo.

É preciso acordar, mas para isso temos de querer acordar e o primeiro passo é desligar a televisão que é maior fonte de desinformação, ou pelo menos duvidar do que é dito. Só que m está acordado não será surpreendido e terá a chance de dizer não!

"O RDIF é um chip que terá toda a informação de um civil, contas bancárias, documentos, dados médicos, registo criminal, habilitações literárias, árvore genealógica, tudo. Se essa pessoa contesta o poder central, simplesmente desligamos o chip"
David Rockefeller (2000)

42 Comentários:

  Catsone

sexta-feira, junho 12, 2009 1:41:00 da manhã

Essa última "quote" é surreal...

  Teté

sexta-feira, junho 12, 2009 4:06:00 da manhã

Mas alguém tem dúvidas que os governantes mundiais andam a "toque de caixa" do poder económico? Lambendo as botas aos seus detentores, se necessário for?

Ná, isso é ingenuidade demais... ;)

  Fada

sexta-feira, junho 12, 2009 4:17:00 da manhã

Huummm...

Não contesto o que dizes.
Questiono apenas:

"Fazer o quê?..."

Além de desligar a TV, procurar mais, não consumir flúor, recusar certas vacinas?...

Poderemos ser contra o chip? Poderemos ser contra o chip nas matrículas?

Tenho de comprar uma bicicleta... :s

Beijitos

  Lady me

sexta-feira, junho 12, 2009 10:12:00 da manhã

Esse chip em mim é que não vai ser posto! Nem que tenha que ir viver pra montanha mais escondida do mundo (eu sei que agora nada é escondido neste mundo!).

Mas então os Illuminati sempre existem... Hum... Isto é muito assustador. Mas como agir??

Vamos lá batemos neles! Ou não :s

*

  Redrum

sexta-feira, junho 12, 2009 11:45:00 da manhã

Como tudo na vida há alternativas.
O sistema está a cair, não só a nível económico, como sociais como a nivel de recursos.
Aconselho a os documentários Zeitgeist e Zeitgeist Addendum em
www.zeitgeistmovie.com/ podem fazer o download gratuito.
Ou ver pelo google vídeos:
Zeitgeist-http://video.google.com/videoplay?docid=-1437724226641382024
Zeitgeist Addendum-http://video.google.com/videoplay?docid=-2996112039116116532
Podem tambem juntarem-se ao Zeitgeist moviment em www.thezeitgeistmovement.com que tenciona ser o maior movimento do mundo para mudar a sociedade.
O movimento é associado do projecto venus (explicado no filme).
Mais informações à cerca do projecto venus em www.thevenusproject.com.
Ainda podem procurar o documentário "Future by Design" para mais informações sobre o projecto venus e sobre o Jacque Fresco.
Desligar a televisão é importante mas não chega, apenas serve para nos manter com a mente fresca e não nos deixar corromper as ideias.
A verdadeira revolução começa com nós próprios temos de repensar o que realmente somos e no que a sociedade nos tornou.
Têm também no site do movimento um guia de activismo com coisas que podem fazer para deixar de apoiar o sistema.
Nós ainda nem sequer somos civilizados e está na altura de mudar.
Citando o Jiddu Krishnamurti:
"Não é sinal de saúde estar bem ajustado numa sociedade profundamente doente".

o Futuro começa agora.

Outro video interessante é http://www.storyofstuff.com/international/
Bruno Fehr deixo uma sugestão podes fazer uns post há cerca deste assunto visto ser um assunto que te interessa.

Keep Working

  André Miguel

sexta-feira, junho 12, 2009 12:44:00 da tarde

Andaste a ler o Clube Bilderberg de Astulin...

  Vani

sexta-feira, junho 12, 2009 12:52:00 da tarde

CHIP, o caralho!!! Desculpa a linguagem, mas a mim ninguém anilha, qto mais chipar. Se essa merda de chip andar em frente, há mais uma voz contra isso. E comigo, muitos gritarão, Não! Vai pra pqp e enfia o chip onde o sol não brilha!

Livre? Livre onde? desde quando é q tive liberdade para fazer o que queria, em vez do que me é imposto por esta sociedade?...e depois, o psiqui chama-lhe crise existencial de gente rica...é crise existencial, é...

  Jane Doe

sexta-feira, junho 12, 2009 1:37:00 da tarde

André Miguel, eu não li esse livro e ja sabia disso tudo! Bahh

Bolas, eu escrevi aqui um comentário poderoso, brilhante, e a net...

Porra, estou com vontade de... Censura É o que É!!!

Pah, não vou escrever agora tudo de novo... vou deixar passar o dia e depois logo vejo se comento ou nao...

Merda de net, merda de blogger!

Mas sim, Vani, Chip NÃO. Isso terá as suas consequências, e com o tempo quem não o aceita será completamente excluído da sociedade, mas eu estou disposta a correr esse risco. Até porque o chip pode esconder mais que apenas toda a informação pessoal.
Deixo a ponta solta.

Ah, Bruno, parabéns pelos teus textos, apesar de eu já saber disto tudo

:)

  André Miguel

sexta-feira, junho 12, 2009 4:20:00 da tarde

Jane,
Eu também já sabia, mas o Astulin diz umas coisas engraçadas.

  Jane Doe

sexta-feira, junho 12, 2009 5:10:00 da tarde

André,

Por acaso tenho o livro, desde ontem. E vou começar a ler. Mas engraçadas em que sentido?

  Vani

sexta-feira, junho 12, 2009 7:10:00 da tarde

JANE, costuma-me acontecer isso, escrever comentários e depois ir tudo pá pqp por um erro da net ou do blogger. Agora faço copy, se o comentário é extenso ahahahah. ;-)

Ora, excluída da sociedade já eu estou ahahahahah, mas chamam-lhe distúrbio de personalidade ihihihihih! :D portando, do mal, o menor! :D queres ser livre? diz não ao chip!
E depois ainda querem q se acredite q há abduções por Ets...pois, pois...

  Jane Doe

sexta-feira, junho 12, 2009 7:41:00 da tarde

Vani:

Eu também faço copy paste sempre, mas vai-se lá saber porquê, desta vez eu não fiz... Am I being controled? (ou controlled? Raios parta!)

É que o comentário estava uma obra prima da minha inteligência inigualável (cof cof cof)

Não Vani, não estás excluída da sociedade. Eu quando falo em exclusão falo em exclusão TOTAL. Tu tens acesso aos vários organismos que te permitem ser pessoa na nossa sociedade. Sem o Chip, mais tarde ou mais cedo (não digo que seja logo de golpe) vais ficar sem acesso à saúde, às contas bancárias, etc etc and so on, porque toda a gente vai querer o chip (Acho que já toda a gente quer o novo cartão do cidadão aí em PT, eu também já quis, mas depois pensei duas vezes e deixei-me ficar quietinha) e tudo, mas tudo vai funcionar à volta disso. Entendes o que quero dizer?

Para além de outras coisas que já ouvi falar mas isso... deixo espaço para já:)

Abduções por ET´s? Não percebi...

  Petra Pink

sexta-feira, junho 12, 2009 7:51:00 da tarde

Anda tudo virado ao contrário!

  André Miguel

sábado, junho 13, 2009 12:05:00 da manhã

Jane,
São engraçadas na medida em que são surreais e não sabes se serão verdade. Eu gostei do livro, mas há partes em que o autor conta experiências próprias que mais parecem tiradas de um filme de espionagem! Custa acreditar que hajam mesmo pessoas com tais intenções...

  Jane Doe

sábado, junho 13, 2009 12:37:00 da manhã

André,

Pois custa... Custa mesmo. Eu estou agora a ver o Zeitgeist Addedum, e... pah falam aqui de coisas que eu nem tinha ideia que podiam acontecer.

Quanto ao livro, vou ler, mas vou investigar na medida do possivel à medida que leio.

Sabes que às vezes os filmes retratam mais a realidade que pensamos. Por isso... Não sei não...

  Fada

sábado, junho 13, 2009 1:37:00 da manhã

Vani:

Se o ET for engraçado e porreirinho... Please, take meeeeee!!! :D

Jane Doe e André Miguel: Esse mesmíssimo livro veio-me parar às mãos recentemente... Há 2 dias, mesmo. Assim que puder, já o leio.

Uma das questões sobre o CC prende-se com o tempo que se tem para assinar. Se não conseguirem assinar no tempo previsto, a pessoa fica com um belo "não sabe assinar" e a impressão digial. Mesmo que saiba ler, mesmo que saiba escrever devagarinho, perde uma série de direitos, não pode abrir mais contas sem outra pessoa como responsável, por ex. Começa a deixar de existir.

Eu não quero o CC. E como só preciso de mudar de BI em 2013, entretanto o mundo modificou-se em 2012, para melhor, espero eu, e evitarei isso! :P

Beijitos

  mike shinoda

sábado, junho 13, 2009 3:13:00 da tarde

boa tarde caro bruno,

Gostaria de o contactar por e-mail, tem algum endereço público que me possa indicar?

cumprimentos
luis fernandes

  Vani

sábado, junho 13, 2009 8:29:00 da tarde

JANE, a cena dos abduzidos por ets: volta e meia são todos chipados, certo? E a culpa é do ET... :D Ok, percebo o que queres dizer, mas continuo a dizer que já me excluo em certa parte ahahaha e sou excluída por outra parte... ;-) Mas, sim, tenho acesso ao que referes.
Cartão de Cidadão?Pois, qd renovar o BI não terei outro remédio. Ao menos não vou andar com a carteira cheia...ah ah (riso seco...)...quanto ao chip, quando tal acontecer, acredito que não serei a única a rebelar-se e a dizer não. Nem na matrícula do carro, quanto mais no cachaço...

Já agora, Bruno: vale a pena ter filhos?... :S começo a achar que não...

  Jane Doe

sábado, junho 13, 2009 10:34:00 da tarde

Vani:

Ora ai está uma boa pergunta: Se valerá a pena ter filhos. Sei que não é para mim, mas vou meter o nariz, claro está! Ou não me chamasse eu Jane Maria!

Ontem estive a conversar com o meu irmão, sobre isto e sobre o Zeitgeist Addedum. Ele tem dois filhos. Eu disse que me negaria a usar o chip. Que me negaria com todas as implicações que isso pudesse ter, e que terá. Ele respondeu que só existem duas hipóteses: Aceitar o que está a acontecer ou não. Ele vai aceitar. Ele tem dois filhos, ele não se pode dar ao luxo de se excluir da sociedade e privar os filhos dos serviços básicos. Mesmo que esteja contra, mesmo que não concorde ele vai tomar as decisões pensando apenas neles. Eu fiquei a pensar. E a tua pergunta continua a fazer-me pensar. Não ter filhos é dizer que não se tem esperança no futuro. Tê-los pode ter que significar ir com a grande massa atrás. Ou não. Acho que será uma resposta que só tu poderás dar a ti mesma, mas sempre tendo presente o verdadeiro mundo que lhes vais dar, a tua capacidade de os preparar realmente para esse mundo, e a forma como as tuas escolhas vão afectar a tua posição, e consequentemente a deles, nesse mesmo mundo. Ter filhos, para além de uma alegria é e sempre foi uma grande responsabilidade. Que deve ser aceite com consciência. Então é isso que devemos fazer. Pensar no que queremos, e reflectir no que nos aguarda, e sabermos se teremos as condições para criar seres humanos fortes, dignos, e capazes de pensar por eles mesmo, SEMPRE!

Pronto, Vani, desculpa lá a intromissão:P

  Jane Doe

sábado, junho 13, 2009 10:39:00 da tarde

Fada, o meu também só acaba em 2013!

Até lá estamos safas! Eheheheheheh

  Fada

domingo, junho 14, 2009 12:07:00 da manhã

Jane, no meu caso foi mais uma das vantagens do divórcio... O ter de alterar os documentos... lol

Vani: Até eu já me questionei sobre isso dos filhos. Mas vale sim, porque podemos educá-los e criá-los na mesma. (Se não impuserem a teoria das crianças serem criadas pelo estado.)
Seja como for, acredito que, se estamos a ser "acordados" para esta situação, é porque pode ser evitável. Talvez não a curto prazo, talvez ainda venhamos a sofrer, mas eu acredito ser possível. Se não, limitávamos a deixar-nos adormecer suavemente sob efeitos de flúor, TVs e fast food.

Só o facto de questionarmos, de investigarmos, já é bom. Também me questiono: "fazer o quê?". Já me assustei com isto.

Hoje estou noutra onda, e já não tenho medo. Tenho teimosia. E vontade de mudar algumas coisas.

Eles não conseguirão impor a tal ordem se nós batermos o pé. Se nos mexermos. Se deixarmos de ser "indiferentes" ao que se passa a nossa volta.

Comecemos devagarinho, com o mundo que nos rodeia. Depois, estendemo-nos. :)

Quanto às opções de chipar os miudos... Acredito que quem for contra, em primeira instância, sofrerá raptos dos filhos. E nós podemos assumir consequências sobre nós, mas... Será mais difícil negar algo quando a segurança dos "nossos" estiver em causa.

Mas há-de haver uma solução. Nem todos dormem, nem mesmo todos nas forças da lei estão cegos.

Beijitos às duas e ao dono da sala ;)

  Jane Doe

domingo, junho 14, 2009 12:25:00 da manhã

Fada:

Eu não sei até que ponto possa ser evitada, pelo menos por nós, pelo menos na nossa geração. Há muita gente a ser acordada, há muita gente a investigar tudo isto e há muita gente a alertar, tanto que até se dizem belos disparates. Esse é um dos problemas. Há tanta informação que se não temos cuidado somos desinformados. A maioria das pessoas ainda se deixa adormecer ao som da televisão, e ao sabor da pasta de dentes. Uns porque optam por isso, outros porque já estão tão matrixizados que não há volta a dar.

O facto de nos questionarmos e investigarmos é um começo, mas por si só não chega. Porque precisamos estar preparados, para fazer frente, mesmo quando ninguém esteja conosco. Vai ser muito, mas mesmo muito dificil fazer frente ao chip. Porque por muito que digamos agora, ah e tal eu não quero, quando sofrermos na pele o preço da exclusão total (que como já disse acredito que demore anos a acontecer) vamos duvidar. Mas vamos duvidar mesmo se valerá a pena dizer que não queremos fazer parte.

Eles vão conseguir impor a NWO Fada pela simples razão de que por muitos que sejamos não somos a ínfima parte necessária para nos fazer ouvir, e porque eles têm o poder de fazer calar quem queiram. Basta pensar nas coisas que já aconteceram, em nome do papão do século, basta pensar no que aconteceu a quem se quis impor contra o sistema.

Comecemos com o mundo que nos rodeia? Sim, eu sempre achei que as minhas acções à minha volta seriam o principio da mudança que quis ver no mundo, mas a verdade é que o mundo continua muito diferente do que eu gostaria. Precisamos de ter consciência de que temos de tomar uma posição. Não sermos mornos. Talvez fosse isto a que se referia a biblia quando numa passagem qualquer em S. João, acho, novo testamento, Jesus dizia que "ou quentes ou frios, os mornos serão cuspidos".

Por isso temos de pensar, e temos de perceber que as nossas decisões nos irão afectar, afectar quem quer que tenhamos a cargo, e que firmeza de ideais, de convicções é o caminho a tomar. Quaisquer que sejam.

Acho que é por aqui Fada.

  Bruno Fehr

domingo, junho 14, 2009 11:58:00 da tarde

Catsone:

"Essa última "quote" é surreal..."

Este senhor defende este sistema de controlo, bem como defende a eugenia continuada, falando numa nova ordem mundial com 300 milhões de seres humanos.

  Bruno Fehr

domingo, junho 14, 2009 11:58:00 da tarde

Teté:

Isso já se sabe, mas temos de saber o que esse poder oculto quer.

  Bruno Fehr

domingo, junho 14, 2009 11:59:00 da tarde

Fada:

"Além de desligar a TV, procurar mais, não consumir flúor, recusar certas vacinas?...

Abrir os olhos, estar atento, só assim poderemos dizer não, a muitas coisas que nos vão prejudicar.

"Poderemos ser contra o chip? Poderemos ser contra o chip nas matrículas?"

Em Portugal quase nada vai a referendo e quando vai e o resultado não é o desejado fazem um novo referendo. O aborto é exemplo disso, foi feito um onde ganhou o não e por isso fizeram um segundo.

  Bruno Fehr

domingo, junho 14, 2009 11:59:00 da tarde

Lady me:

"Esse chip em mim é que não vai ser posto! Nem que tenha que ir viver pra montanha mais escondida do mundo (eu sei que agora nada é escondido neste mundo!)."

O chip que está a ser desenvolvido pela Verichip, será apresentado ao mundo como tendo só vantagem e nunca referido que as pessoas ao colocar o mesmo abdicam de todos os direitos e não podem nunca retirá-lo. Se o fizerem, deixam de existir e deixam de poder viver em sociedade.

  Bruno Fehr

domingo, junho 14, 2009 11:59:00 da tarde

Redrum:

"O sistema está a cair, não só a nível económico, como sociais como a nivel de recursos."

O sistema não está a cair, está a ser criada a crise certa para impor um sistema novo. Os recursos não estão a diminuir, nem existe sobre-população é tudo publicidade enganosa.

"Aconselho a os documentários Zeitgeist e Zeitgeist Addendum em
www.zeitgeistmovie.com/ podem fazer o download gratuito."

Já os vi e falei deles aqui, eles dizem muitas verdades mas dizem muitas mentiras. Toda a primeira parte (religiosa) está repleta de mentiras, a segunda e terceira parte são reais.


"Podem tambem juntarem-se ao Zeitgeist moviment em www.thezeitgeistmovement.com que tenciona ser o maior movimento do mundo para mudar a sociedade."

Isto é um perigo. O Zeitgeist fez este comentário por forma de se identificar e aproximar de outros grupos que andam a expor os Illuminati e a nova ordem mundial, com os TEO, NNWO, e ELH.
Quem se inscreve no movimento fornece dados pessoais e não se sabe quem fica com esses dados.

"O movimento é associado do projecto venus (explicado no filme).
Mais informações à cerca do projecto venus em www.thevenusproject.com."

O Venus Project é liderado por um "ex" membro da Maçonaria, Jacque Fresco. Suspeito que o Venus Project nao é mais do que um plano B de nova ordem mundial, pois essa sociedade utópica terá de ser liderada, apesar de eles dizerem que não. Sem líderes os humanos não fazem nada.

Vejam os vídeos, informem-se mas NUNCA forneçam dados pessoais para juntarem a grupos contra as elites, alguns desses grupos são financiados por elites.

Basta ver os sites do Zeitgeist para perceber que dispõem de muito dinheiro, ao ponto de terem o site traduzido em todas as línguas do mundo e de responderem a questões nessas mesmas línguas. Além disso os milhões de downloads dos vídeos, custam milhares de dólares por mês aos donos do site.

O Movimento Zeitgeist é um movimento perigoso.

"Desligar a televisão é importante mas não chega"

Claro que não chega, mas é o primeiro passo para interromper o processo de hipnotismo consumista e desinformação.

  Bruno Fehr

domingo, junho 14, 2009 11:59:00 da tarde

André Miguel:

"Andaste a ler o Clube Bilderberg de Astulin..."

Ainda não o li mas tenho-o em lista de espera, quero saber que desinformação lá vem.

  Bruno Fehr

segunda-feira, junho 15, 2009 12:00:00 da manhã

Vani:

"CHIP, o caralho!!! Desculpa a linguagem, mas a mim ninguém anilha, qto mais chipar."

A anilha já existe. O novo cartão do cidadão tem um chip, tal como o novo passaporte. É obrigatório andar com o BI, logo, já estás chipada.

  Bruno Fehr

segunda-feira, junho 15, 2009 12:00:00 da manhã

Jane Doe:

"Bolas, eu escrevi aqui um comentário poderoso, brilhante, e a net..."

Copy/Paste :)

  Bruno Fehr

segunda-feira, junho 15, 2009 12:00:00 da manhã

Petra Pink:

"Anda tudo virado ao contrário!"

E é só o principio.

  Bruno Fehr

segunda-feira, junho 15, 2009 12:00:00 da manhã

André Miguel:

"São engraçadas na medida em que são surreais e não sabes se serão verdade."

Irei abordar esse assunto.

  Bruno Fehr

segunda-feira, junho 15, 2009 12:00:00 da manhã

Jane Doe:

"Eu estou agora a ver o Zeitgeist Addedum, e... pah falam aqui de coisas que eu nem tinha ideia que podiam acontecer."

O Addendum é real, só o outro anterior tem muita fantasia.

  Bruno Fehr

segunda-feira, junho 15, 2009 12:00:00 da manhã

Fada:

"Se não conseguirem assinar no tempo previsto, a pessoa fica com um belo "não sabe assinar" e a impressão digial. Mesmo que saiba ler, mesmo que saiba escrever devagarinho, perde uma série de direitos, não pode abrir mais contas sem outra pessoa como responsável, por ex. Começa a deixar de existir."

Esse tipo de cartões está a surgir por toda a Europa, mas para variar Portugal esteve na vanguarda do fascismo.

  Bruno Fehr

segunda-feira, junho 15, 2009 12:00:00 da manhã

mike shinoda:

"Gostaria de o contactar por e-mail, tem algum endereço público que me possa indicar?"

O contacto está no meu perfil:
fehrbruno@googlemail.com

  Bruno Fehr

segunda-feira, junho 15, 2009 12:01:00 da manhã

Vani:

"Já agora, Bruno: vale a pena ter filhos?... :S começo a achar que não..."

Isso é uma escolha pessoal, eu não os trarei ao mundo, pelo menos com os tempos actuais e as previsões futuras.

  Bruno Fehr

segunda-feira, junho 15, 2009 12:01:00 da manhã

Jane Doe:

"Ele respondeu que só existem duas hipóteses: Aceitar o que está a acontecer ou não. Ele vai aceitar. Ele tem dois filhos, ele não se pode dar ao luxo de se excluir da sociedade e privar os filhos dos serviços básicos."

Esse é o pensamento escravizador com que os governos contam. Eles sabem que os pais não se irão opor à nova ordem mundial para bem dos filhos. A minha questão é:

Será que eu prefiro criar o meu filho fora da sociedade tendo de viver da terra e tendo como cultura só o que eu lhe ensino, ou submeto-me a um governo tirânico só para que o meu filho possa ser educado para ser escravo e servir essa elite?

Logicamente prefiro morrer a lutar, do que escravizar um filho meu. Nós devemos lutar por nós e pelos que amamos, aceitar o que nos é imposto para bem dos filhos é um acto cruel contra eles, não é amor, é cobardia.

  Bruno Fehr

segunda-feira, junho 15, 2009 12:01:00 da manhã

Fada:

"Mas vale sim, porque podemos educá-los e criá-los na mesma. (Se não impuserem a teoria das crianças serem criadas pelo estado.)"

Mas elas já o são com imposições sociais de consumismo e de educação para obter emprego, onde sem ela a nossa função é servir os outros.

"Eles não conseguirão impor a tal ordem se nós batermos o pé. Se nos mexermos. Se deixarmos de ser "indiferentes" ao que se passa a nossa volta."

Lutar de forma ordeira, dizendo não, esse não irá obrigar o estado a usar da autoridade, e que é essa autoridade? Policias e militares. E quem são eles? Pessoas como eu e tu, que não irão defender governos que ataquem o povo durante muito tempo, pois sabem que fazem um juramento para defender a nação e não os governos. O povo é a nação.

O nosso não servirá para tornar a transição lenta e conflituosa, dando tempo aos militares de acordarem e basta um graduado acordar.

  Bruno Fehr

segunda-feira, junho 15, 2009 12:01:00 da manhã

Jane Doe:

"A maioria das pessoas ainda se deixa adormecer ao som da televisão, e ao sabor da pasta de dentes. Uns porque optam por isso, outros porque já estão tão matrixizados que não há volta a dar."

Dás uma vista de olhos pelos blogues e vês já alguns escravos sem salvação, que cultivam o moto "trabalha, compra, recicla". Hoje em dia trabalhar serve para consumir e consumir serve para não reparar, até porque para o ano aparece um design novo e se tens o velho sentes-te mal.

  Jane Doe

segunda-feira, junho 15, 2009 12:06:00 da manhã

"O Addendum é real, só o outro anterior tem muita fantasia."

Pah, mas quando chega à parte do projecto Venus... Deu-me vontade de fugir. É demasiado utópico, e agora ao ler as tuas respostas aos comentários confirmei as minhas suspeitas, mais que não seja, com as tuas. Plano B.

  Jane Doe

segunda-feira, junho 15, 2009 12:11:00 da manhã

Bruno Fehr:

"Logicamente prefiro morrer a lutar, do que escravizar um filho meu. Nós devemos lutar por nós e pelos que amamos, aceitar o que nos é imposto para bem dos filhos é um acto cruel contra eles, não é amor, é cobardia."

Eu, quando o meu irmão disse isso, eu pensei exactamente isto. E fiquei com vontade de lhe dizer que não, que isso não seria o melhor para os seus filhos, e meus sobrinhos, mas sabia que não valeria a pena. A única coisa que me resta é lutar, firmemente para que os meus sobrinhos, ou os filhos deles possam viver, de facto, num mundo melhor.

  Bruno Fehr

quarta-feira, junho 17, 2009 12:27:00 da manhã

Jane Doe:

"Pah, mas quando chega à parte do projecto Venus... Deu-me vontade de fugir. É demasiado utópico, e agora ao ler as tuas respostas aos comentários confirmei as minhas suspeitas, mais que não seja, com as tuas. Plano B."

Eles referem que é uma sociedade sem dinheiro nem governo, mas inicialmente referiam que haveria pessoas as distribuir os recursos de forma igual por todos. Essa ideia causou desagrado, pois as pessoas não são honestas e são incapazes de dividir o que quer que seja de forma igual. Agora dizem que poderá ser um computador a fazer essa divisão, no entanto eu acho que enquanto houver pessoas há corrupção e esse computador tem de ser programado por um humano, esse humano terá o poder total sobre os recursos.