Israel


Devido a uma questão pertinente colocada pela Van, no seu blogue em Fevereiro, resolvi recuperar e actualizar um texto escrito num antigo blogue que já encerrei.

Li, leio muito. Li a Bíblia, li Génesis, li o Velho e Novo Testamento, li também a Bíblia Satânica, o livro de São Cipriano. Li o Corão e o Torá. Li o diário de Anne Frank e li o Mine Kampf. Li o livro vermelho e o livro verde do comunismo. Li e irei ler sempre. Para concordar ou discordar temos de conhecer todos os pontos de vista.

Hoje em dia a Alemanha, ainda paga um tributo anual a Israel como indemnização de guerra. Mas isto cabe na cabeça de alguém? Trabalhadores que a única coisa que sabem da segunda guerra mundial é o que aprendem na escola e vêm na TV. Até os impostos que eu pago, vão para Israel! O que é que Israel faz? Compra armas, não pára de comprar armas. Um Palestiniano atira uma pedra a Israel e eles respondem bombardeando uma cidade. Puta que os pariu!

A Alemanha tem milhões de emigrantes Árabes. Aqui em Hamburgo há uma escola Judaica que é guardada não pela policia alemã, mas sim por tropas especiais Israelitas, com ordem para matar. Basta que tenhas um problema, ou tenhas de parar para atar um sapato e tens uma arma automática encostada à cabeça, sejas tu quem fores e recebes ordens de um estrangeiro, para seguires o teu caminho, numa via publica construída com dinheiro dos teus impostos. Não tem lógica. Eu aqui sou imigrante, mas se fosse em Portugal eu iria acampar para a porta daquela escola!

Um pequeno manual de leis Judaicas, considera violação um homem ter relações sexuais com uma Judia de 14 anos, mas só, se esse homem não for Judeu, sendo Judeu, passa a ser sexo e não violação. Se a vítima for uma criança árabe, o problema não se coloca.

Israel tem o maior exército do mundo. Pensavam que era a China? Não, não é. O exército activo Israelita é o maior do mundo. Israel é uma potência nuclear, sendo um país religiosamente fanático, tornando-o perigoso. É um país que só aposta em armamento, estando em estado de guerra permanente. Violando as suas fronteiras para ataques militares na Síria e Palestina.

Quem foi mais racista em relação aos Judeus? Hitler que os perseguiu ou os Aliados que os colocaram todos em barcos e os foram deixar ao médio oriente? Porque verdade seja dita. A segunda guerra mundial acabou e ninguém queria ficar com os Judeus. Largaram-nos no médio oriente, encheram-nos de dinheiro e desenrasquem-se.

Portugal, não tem grande comunidade Judaica, pois o Marques de Pombal, colocou-os em barcos e expulso-os do país. Existe um cemitério de Judeus Portugueses na Alemanha, cheios de Mustafas e Mahomés. Portugal tem sim, milhares de famílias de origem Judaica, que na maioria das vezes nem sabem que o são, mas, as suas origens são identificáveis pelo nome. Os Judeus que não fugiram mudaram o seu nome. Os nomes próprios de origem Árabe que eram comuns, desapareceram e os nomes de família foram mascarados. O Judeu é de aspecto igual a qualquer ocidental, só é identificável pelo nome de familia.
O vosso nome de família é o nome de uma árvore? Como Oliveira, Pereira, Pinheiro, etc, então a vossa família é de origem Judaica, mas foram salvos de caírem na hipocrisia Israelita ao ficar na Europa.

Não tenho nada contra os Judeus, mas não gosto de Israel. São eles próprios a dizer, que o fim do mundo terá o seu inicio com o povo Judeu. Acredito, que sim. Com armas nucleares e com o ódio pelos Árabes, que já os levaram a bombardear a Síria recentemente e estão em pulgas para bombardear o Irão. O que me irrita é o facto de eles serem também, o auto-intitulado "povo eleito", o povo que será salvo por Deus, durante o Apocalipse, pois são portadores da marca. Qual marca, caralho? Que eu saiba, foram o Judeus os causadores da crucificação de Cristo, foram os Judeus que chibaram Jesus aos Romanos! Quer dizer, são cúmplices na morte do salvador e acham-se o povo eleito? Só mesmo um país de idiotas fanáticos, para serem os melhores amigos de outros idiotas fanáticos como os Americanos!

Enfim, eu não gosto de Israel, por chorarem o seu sofrimento às mãos do regime Nazi, estando a fazer algo de muito idêntico. Dominar um povo pelo medo e matar indiscriminadamente. Os Nazis, fizeram-no por razões raciais. Os Israelitas fazem-no por razões religiosas. Nenhuma destas razões é razão, por isso coloco Nazis e Israelitas no mesmo saco. No sacos dos criminosos!

33 Comentários:

  Rita Carapau Sardinha Frita

terça-feira, dezembro 16, 2008 12:57:00 da manhã

E colocas muito bem, concordo contigo!

Beijinhos e boa semana.

Ah! E as melhoras!

  ipsis verbis

terça-feira, dezembro 16, 2008 1:02:00 da manhã

Não há pachorra para fanáticos!

  Abobrinha

terça-feira, dezembro 16, 2008 1:09:00 da manhã

Crest

Essa de serem responsáveis pela morte de Cristo não concordo inteiramente (acho que nem em parte). E não acham que ele seja o salvador (isso são os cristãos).

O que aconteceu na II Grande Guerra foi muito grave, mas de facto já pagaram gerações que cheguem. O que se passa é um perpetuar de ódios, o que dá sempre mau resultado. Infelizmente, entre Árabes e Judeus, dá-se o caso de estarem todos errados, o que é um mau princípio!

Conheci alemães com um sentimento de culpa permanente pelo Holocausto e a Guerra, o que é um disparate. Mesmo porque alguns eram da minha idade. Dito isto, não se pode esquecer. Mas não é o mesmo que ter que pagar por isso.

Há uns dias (não tenho como te mostrar a referência) li algo ainda pior: distúrbios anti-semitas em Israel... levados a cabo por... judeus! Judeus russos que foram para Israel à custa de leis de imigração que permitiam a quem tivesse ascendência judaica ser recebido no país. Mas aqueles russos não se adaptaram e voltaram-se para um escape fácil: o ódio. Um deles dizia que era tão odioso ser judeu que tencionava não ter filhos para acabar com a raça...

O ódio, pelos vistos, brota onde há condições para ele! É preciso é saber identificá-las. E nem sempre são os sítios mais óbvios!

  Crest©

terça-feira, dezembro 16, 2008 1:52:00 da manhã

Rita Carapau Sardinha Frita:

Obrigado

  Crest©

terça-feira, dezembro 16, 2008 1:52:00 da manhã

ipsis verbis:

Nao há pachorra mesmo.

  Crest©

terça-feira, dezembro 16, 2008 2:14:00 da manhã

Abobrinha disse...

"Essa de serem responsáveis pela morte de Cristo não concordo inteiramente (acho que nem em parte)."

Primeiro é óbvio que os Judeus sao responsáveis, visto que desde Judas a toda a populacao que assistiu ao castigo dos romanos a Deus eram Judeus. A história de Cristo passou-se no quintal deles.

O portador da lança do destino era um jovem Judeu, soldado no exército romano. (Cristo não morreu na cruz, recebeu uma morte caridosa que um soldado que lhe espetou a sua lança no coração. Hoje um objecto tão procurado como o santo graal).

"E não acham que ele seja o salvador (isso são os cristãos)."

E porque motivo não acham eles que Jesus era o salvador? Porque motivo não acreditam eles em Jesus? É simples, porque Jesus não cumpriu as profecias messiânicas, que segundo o Torá são:

a - Construirá o terceiro Templo Sagrado (Yechezkel 37:26-28)

b - Levará todos os judeus de volta à Terra de Israel (Yeshayáhu 43:5-6).

c - Introduzirá uma era de paz mundial, e terminará com o ódio, opressão, sofrimento e doenças. Como está escrito: "Nação não erguerá a espada contra nação, nem o homem aprenderá a guerra." (Yeshayáhu 2:4).

d - Divulgará o conhecimento universal sobre o D'us de Israel - unificando toda a raça humana como uma só. Como está escrito: "D'us reinará sobre todo o mundo - naquele dia, D'us será Um e seu nome será Um" (Zecharyá 14:9).


É por isto que os Judeus não acreditam nele, mas se não o tivessem traído (Judas era Judeu), se não tivesse apoiado o seu castigo, pois já naquela altura acharam um insulto alguém se intitular filho de Deus. Se tivessem permitido que Jesus tivesse vivido mais de 33 anos, quem sabe?

Eu não sou católico, sou agnóstico, por isso nem acredito nem deixo de acreditar, preciso de ver para crer. Mas os Judeus não negam Cristo por conveniência, mais nada. Quem é que aos 33 anos constrói um templo?

Se nem esse tal Deus todo poderoso consegue a paz mundial, como é que um filho humano iria conseguir?


"O que aconteceu na II Grande Guerra foi muito grave"

E na primeira? Os campos de concentração Turcos para aniquilar os Arménios? E o Marques de Pombal que mandou matar e expulsar do país todos os Judeus? E a escravatura? Porque é que a segunda guerra mundial foi mais grave? Porque os Americanos fizeram filmes, só por isso! E os filmes chocam! Se houvesse filmes das atrocidades Portuguesas em Africa, a segunda guerra mundial, seria uma brincadeira de criancas!

"Infelizmente, entre Árabes e Judeus, dá-se o caso de estarem todos errados, o que é um mau princípio!"

Todos e errados e todos certos. Aquela terra era partilhada por ambos, até ao nascimento de Cristo.


"Conheci alemães com um sentimento de culpa permanente pelo Holocausto e a Guerra, o que é um disparate."

Mas é inevitável, é isso que lhes ensinam na escola, que todos teem de mostrar vergonha, pela segunda guerra mundial.
Mas há orgulho escondido e fico feliz e ver estátua em honra dos soldados Alemães que morreram, Se fores a n sites sobre a segunda guerra mundial, vês quantos Americanos, Ingleses, Franceses, Russos e até Senegaleses morreram, bem como quantos Judeus e ciganos, mas raramente aparecem quantos Alemães morreram, quer sejam soldados, quer os civis.

Sabes que em Hamburgo não existem árvores anteriores à guerra? E que não existe um único edifício da altura, que não tenha sido reconstruido? O povo Alemão sofreu e não é nem foi responsável pela guerra, mas ainda hoje paga por isso.

"Há uns dias (não tenho como te mostrar a referência) li algo ainda pior: distúrbios anti-semitas em Israel... levados a cabo por... judeus! Judeus russos que foram para Israel à custa de leis de imigração que permitiam a quem tivesse ascendência judaica ser recebido no país. Mas aqueles russos não se adaptaram e voltaram-se para um escape fácil: o ódio. Um deles dizia que era tão odioso ser judeu que tencionava não ter filhos para acabar com a raça..."

Na verdade esse grupo de Russo Judeus, foi discutido aqui na Alemanha, pois eles pertenciam a um grupo Neo-Nazi. Eram russos da Alemanha de Leste antiga DDR.

  M.

terça-feira, dezembro 16, 2008 10:24:00 da manhã

Abobrinha,

"Essa de serem responsáveis pela morte de Cristo não concordo inteiramente (acho que nem em parte). E não acham que ele seja o salvador (isso são os cristãos)."

De facto, os Judeus da altura foram, efectivamente, responsáveis pela morte de Jesus, segundo a História. Pôncio Pilatos, Romano como todos sabem, não queria condenar Jesus à morte, em especial para não conceder essa vitória aos judeus.
No entanto, e dadas as pressões políticas na altura, acabou por deixar que os Sacerdotes judeus fizessem de sua justiça (Sinédrio, composto por anciãos do povo judeu).
Para que efectivassem a sentença de morte (dado que Jesus estava a colocar em causa do status quo desse mesmo Sinédrio) pagaram a Judas as famosas 30 moedas de prata, desde então símbolo da traição devido a este facto.
Judas trai Jesus, e o Sinédrio reune-se de madrugada para confirmar a sentença de morte por blasfémia (Marcos 15:1, Lucas 22:66-71).

Ou seja, não só foram responsáveis pela morte física, como a autoria moral da morte de Jesus é da responsabilidade dos Judeus.

  Crest©

terça-feira, dezembro 16, 2008 12:49:00 da tarde

M. disse...

"De facto, os Judeus da altura foram, efectivamente, responsáveis pela morte de Jesus, segundo a História. Pôncio Pilatos, Romano como todos sabem, não queria condenar Jesus à morte, em especial para não conceder essa vitória aos judeus."

Sim a famosa lavagem de mãos em sinal de desresponsabilização!

"No entanto, e dadas as pressões políticas na altura, acabou por deixar que os Sacerdotes judeus fizessem de sua justiça (Sinédrio, composto por anciãos do povo judeu)."

Basicamente a morte de Jesus, foi para prevenir que ele cumprisse as profecias, o quem vem mesmo a calhar, pois se a profecia tivesse sido cumprida, Israel não existia como é hoje.
Ou seja, não tinha havido a segunda guerra mundial e em vez de serem os Aliados a criarem o estado de Israel teria sido Jesus a guia-los lá, MAS, por não haver guerras, eles não poderiam ter feito a famosa guerra dos 6 dias contra todos os seus vizinhos árabes de maneira a expandir o território e fazer colonatos.

Eles gostam daquela merda, de combater a "espada de Alá" com armas "automáticas de Deus".

  ONDINHAS

terça-feira, dezembro 16, 2008 12:55:00 da tarde

é sempre bom ler os teus textos! desconhecia esse "pagamento" da alemanha a israel...

  Crest©

terça-feira, dezembro 16, 2008 1:03:00 da tarde

ONDINHAS disse...

"é sempre bom ler os teus textos! desconhecia esse "pagamento" da alemanha a israel..."

Pagamos também um alto imposto mensal directamente retirado dos nossos ordenados para o desenvolvimento da Alemanha de Leste. Um imposto pesado que já deveria ter terminado em 2002, mas que enche os cofres do estado.

Os trabalhadores da Alemanha Ocidental, não deveriam ser penalizados desta maneira. A Alemanha de leste, está menos evoluída, mas já tem liberdade e emprego, não é numa década que vão recuperar 40 anos de atraso. Até porque o atraso não é só económico é também intelectual.

Se alguém deve algo aos Alemães de Leste é a Rússia, responsável pelo seu subdesenvolvimento e pelas actuais mentalidades reprimidas e revoltadas.

As pessoas por vezes quando por brincadeira chamam Nazi a uma Alemao, nao fazem ideia de que ainda hoje ele paga uma alta factura.

Por exemplo, eu como solteiro, quanto mais ganho, mais desconto. Eu para receber o mesmo dinheiro que um homem casado tenho de ter um ordenado 20% superior.
É que ao ser solteiro desconto 51% do meu ordenado em impostos + o tributo à Alemanha de leste... é triste.
Imagina veres um recibo de ordenado com 4.000 Euros, dos quais um casado recebe 3.000 e tu tens menos de 2.000!

  DeusaMinervae

terça-feira, dezembro 16, 2008 1:31:00 da tarde

Não tenho tido tempo nem para me coçar e por isso não sabia que estavas doentito... Espero que recuperes logo logo.
Beijinho :)

  poeta_poente

terça-feira, dezembro 16, 2008 5:19:00 da tarde

Neste tema concordamos a 100%. Nunca gostei e acho que nunca gostarei de Israel e dos judeus de uma forma geral.
Ao longo da história os judeus sempre foram odiados principalmente pela sua actividade de agiotas, aproveitando-se das debilidades económicas das populações para lhes extorquírem juros elevadíssimos e assim enriquecerem.

Quanto à ocupação dos montes Golan, nem vale a pena falar disso, pois toda a situação da Palestina é de uma injustiça tremenda, perante a qual as Nações Unidas fecham os olhos. Isto tudo porquê? Porque nesta sociedade ocidental capitalista em que vivemos, quem governa realmente são os interesses económicos, cujos estão nas mãos de quem? Dos judeus, principalmente americanos, que lucraram e muito com a II Guerra Mundial.

  Teté

terça-feira, dezembro 16, 2008 8:39:00 da tarde

Ah, o misterioso texto sobre Israel... :)))

Mas não podia estar mais de acordo contigo: uns fanáticos racistas, outros fanáticos religiosos, todos no mesmo saco dos criminosos!

Quanto aos apelidos também sabia dessa, esqueceste-te de acrescentar um dos mais comuns: a ilustre casta dos Silvas!

Beijocas e continuação das melhoras!

  Crest©

quarta-feira, dezembro 17, 2008 12:22:00 da manhã

DeusaMinervae disse...

"Não tenho tido tempo nem para me coçar e por isso não sabia que estavas doentito... Espero que recuperes logo logo."

Estou já a 90% :)

  Crest©

quarta-feira, dezembro 17, 2008 12:25:00 da manhã

poeta_poente disse...

"Ao longo da história os judeus sempre foram odiados principalmente pela sua actividade de agiotas, aproveitando-se das debilidades económicas das populações para lhes extorquírem juros elevadíssimos e assim enriquecerem."

Ainda hoje, mas já nao se chamam agiotas mas lobistas, a nova "arte" dos lobys.

A exploração do povo Alemão no pós primeira guerra mundial, motivou o ódio pelos Judeus não segunda guerra, isso é explicado ao detalhe por Hitler no seu livro "Mein Kampf".

  Crest©

quarta-feira, dezembro 17, 2008 12:27:00 da manhã

Teté disse...

"Quanto aos apelidos também sabia dessa, esqueceste-te de acrescentar um dos mais comuns: a ilustre casta dos Silvas!"

Deixei imensos de fora :)

  LaveyGirl

quarta-feira, dezembro 17, 2008 1:06:00 da tarde

Também não se pode esperar muito de um povo que obriga as mulheres a prostituírem-se…
Os homens pouco ou nada trabalham, levam o dia nos cafés a fumar (drogas) e a beber mistelas de origem duvidosa, visto o álcool ser proibido. Logo alguém tem de suportar as despesas la em casa, mas como as mulheres estão proibidas de terem empregos ditos “normais” recorrem à prostituição, por ordem dos maridos, para sustentarem numa primeira instância os filhos e por ultimo os calões que nada fazem.

  Gatapininha

quarta-feira, dezembro 17, 2008 2:44:00 da tarde

Aconselho também a leitura do livro de Mormom lol

Boa recuperação :)

  Crest©

quarta-feira, dezembro 17, 2008 11:33:00 da tarde

LaveyGirl disse...

"Os homens pouco ou nada trabalham, levam o dia nos cafés a fumar (drogas) e a beber mistelas de origem duvidosa, visto o álcool ser proibido. Logo alguém tem de suportar as despesas la em casa, mas como as mulheres estão proibidas de terem empregos ditos “normais” recorrem à prostituição, por ordem dos maridos, para sustentarem numa primeira instância os filhos e por ultimo os calões que nada fazem."

A realidade Israelita é coisa que desconheço. Fui uma vez de férias para o médio oriente, mas entre Israel, Libano, Arábia Saudita e Bahrain, acabei no Bahrain com um pequeno incursão na Arábia Saudita, visto que é só atravessar um ponte e recuamos um milénio em mentalidade...

  Crest©

quarta-feira, dezembro 17, 2008 11:34:00 da tarde

Gatapininha disse...

"Aconselho também a leitura do livro de Mormom lol"

Esqueci-me desse, tenho um exemplar, autografado por um Hélder Mormon Americano, cambada de chulos. Eles sao bastante activos no Cacém!

  LaveyGirl

sexta-feira, dezembro 19, 2008 1:08:00 da manhã

Este comentário foi removido pelo autor.
  Van

sexta-feira, dezembro 19, 2008 7:35:00 da tarde

Eu tenho origem judaica. :) E orgulho-me dessa origem, porque é a minha origem, e porque foram os judeus portugueses que impulsionaram e financiaram os descobrimentos portugueses...acredito que são um povo muito unido, com bastante potencial de organização e capaz de trazer prosperidade onde quer que vão. Mas, também acredito que, por essas mesmas razões, são perigosos.

Foram os judeus que entregaram Cristo porque ele se insurgiu contra as práticas religiosas da época. Poncio Pilatos fez apenas aquilo que esses gajos queriam, numa tentativa de não provocar celeuma na provincia que governava. Os judeus não veneram cristo nem o reconhecem como messias, isso são os cristãos.

  Van

sexta-feira, dezembro 19, 2008 7:48:00 da tarde

#Se houvesse filmes das atrocidades Portuguesas em Africa, a segunda guerra mundial, seria uma brincadeira de criancas#

E não só em áfrica. A maioria dos portugueses foi um sacana sanguinário. A única coisa de que não me orgulho nos descobrimentos (não vou dizer que não me orgulham de modo nenhum porque seria mentir; foi uma época em que fomos algo mais - o que não significa que não abomine muito do que essa época representou) é precisamente essa: foram sanguinários e mataram, violaram, roubaram e estropiaram tudo o que lhes apareceu à frente. Isto porque a maioria dos soldados não passava de idiotas analfabetos, psicopatas e criminosos.

Todos certos e todos errados, verdade. Aquela terra é fonte de conflito desde antes do nascimento de cristo!!!! Desde que existem árabes e judeus que se anda à porrada por aquele pedaço de terra!!! Religião??? O Tanas!!! Porrada dessas vejo eu todos os dias no meu quintal, com os meus cães a marcarem território e a se atacarem cada vez que um entra no territorio do outro. É essa a verdadeira questão: território. Domínio. Poder. Instinto.

  Van

sexta-feira, dezembro 19, 2008 7:56:00 da tarde

Onde está esse tal meu texto? :D não o encontro, pah.

Como gosto de ver todos os pontos de vista de uma situação, e apesar de concordar contigo, não podemos deixar de lado o facto de que o povo judeu foi um povo muito perseguido, sim. Sofreram, sim. Foram expulsos de todo o lado, sim. Será que por uns serem uns sacanas, porque há sacanas em todos os povos, os outros têm de pagar? Lá vamos nós com o paga o justo pelo pecador? Foi preciso mandar crianças para as camaras de gás por causa desses mesmos sacanas?
Também não podemos negar que são poderosos. E o poder inspira medo. E o medo leva a atacar.

Sou solidária com o povo palestiniano, sou. Mas também também acho que o povo israelita tem o direito a defender-se. Olha, sabes, se quiserem bombardear o Irão, por mim, estão à vontade :-p. Abomino o Irão ainda mais que Israel. :-p Não nos esqueçamos quem também controla o petróleo e, portanto a economia mundial...e quem apedreja até à morte a mulher que foi violada pelo tio (exemplo ficticio,mas infelizmente real). Não nos esqueçamos que é um dos paises mais retrógrados do mundo, onde a escravatura e o sofrimento são uma realidade. Se desaparecessem do mapa, pah, não me incomodava nadica, era um favor que me faziam :-p.

  Crest©

sábado, dezembro 20, 2008 1:07:00 da manhã

Van disse...

"Eu tenho origem judaica."

Também és forreta?

"acredito que são um povo muito unido, com bastante potencial de organização e capaz de trazer prosperidade onde quer que vão. Mas, também acredito que, por essas mesmas razões, são perigosos."

São capazes de melhorar a economia, mas a sua e da sua comunidade. O facto do Judeus na Europa terem sido objectores de consciência, não iam para o exercito e no final da primeira guerra mundial, eles controlavam a economia Alemã, enquanto os não Judeus passavam fome, isso criou o ódio na segunda guerra mundial.

Em Portugal foi igual, eles ao não terem de servir o pais, dedicavam-se ao negócio e o seu poder crescia, o Marques de Pombal considerou que não eram nacionalistas, tendo-os expulso do país.

"Foram os judeus que entregaram Cristo porque ele se insurgiu contra as práticas religiosas da época."

Jesus nunca se insurgiu contra Deus que era seu pai, o Deus que os Judeus respeitam. Jesus era sim uma ameaça à crença Judaica e um alvo a abater.

"Os judeus não veneram cristo nem o reconhecem como messias, isso são os cristãos."

Exacto, foi mais fácil matá-lo do que esperar que ele cumprisse a profecia, pois se a profecia messiana fosse cumprida, eles teriam de aceitar Cristo.

"A única coisa de que não me orgulho nos descobrimentos"

Nao me orgulha nada nos descobrimentos, pois foi o que fez de nós o povo inerte que somos. Vivemos à sobra das riquezas vindas de fora e nunca aprendemos a criar riqueza, 500 anos depois ainda não aprendemos.

"Onde está esse tal meu texto? :D não o encontro, pah."

Algures no teu blog, tu é que devias saber...

"não podemos deixar de lado o facto de que o povo judeu foi um povo muito perseguido, sim. Sofreram, sim. Foram expulsos de todo o lado"

E os Árabes? E os Ciganos? E os negros? Os Judeus não são especiais, não foram os únicos a sofrer, mas acham-se especiais e nós fazemos com que eles se sintam especiais.

"Foi preciso mandar crianças para as camaras de gás por causa desses mesmos sacanas?"

Estamos a falar de um povo que prefere deixar morrer um filho, do vê-lo a levar sangue.
Nos EUA foi preciso o Governador autorizar uma transfusão de sangue para salvar a vida de um puto que a mãe preferia ver morto. A criança ao ser salva foi renegada pelos pais, família e comunidade Judaica, porque já não era puro... ora Hitler tinha ideias muito parecidas à dos Judeus... até porque ele tinha sangue Alemão e Judeu.

"Olha, sabes, se quiserem bombardear o Irão, por mim, estão à vontade :-p."

Se Israel bombardear o Irão, temos a terceira guerra mundial e a destruição de Israel a nao ser que os EUA entrem na guerra e aí, teremos o conflito mais sangrento de sempre, pois há milhões de árabes em todo o mundo, que serão forcados a defender a sua religião, cultura e direito à vida.

"Abomino o Irão ainda mais que Israel. :-p Não nos esqueçamos quem também controla o petróleo e, portanto a economia mundial...e quem apedreja até à morte a mulher que foi violada pelo tio (exemplo ficticio,mas infelizmente real)."

Nao fazem nada que os Judeus não façam. Apedrejam e prostituem mulheres.

"Não nos esqueçamos que é um dos paises mais retrógrados do mundo, onde a escravatura e o sofrimento são uma realidade."

E o país mais embargado e isolado do mundo, se não fosse a China e a Rússia, a ajudar o Irão, já teria começado uma guerra no médio oriente. O Irão passa fome e quem passa fome,luta. A Alemanha em crise, viu-se obrigada a expandir-se através da guerra, pois a guerra estimula a economia.

"Se desaparecessem do mapa, pah, não me incomodava nadica, era um favor que me faziam :-p."

Esse é o tipo de pensamento radical que o Irão tem sobre Israel.

  Van

sábado, dezembro 20, 2008 3:54:00 da tarde

Ok, eu reformulo: jesus insurgiu-se contra os sacerdotes da época,que enchiam o bandulho à custa do mexilhão. Sim, era uma ameaça à instituição religiosa da judeia de então.
Pode ser que se esquivassem às obrigações num país, mas o poder económico que detêm acaba por se estender a outros lados. De onde vinha, por ex, o dinheirinho que financiou os descobrimentos?...
Nã sou forreta, sou poupada :-p. E sou árvore looool e tenho primos da "raça". Como religião, não me diz absolutamente nada, contudo (nem essa nem as outras, nem mesmo a própria ciência me consegue convencer looool).

Na verdade, quando eu digo "Irão", refiro-me aos seus governantes e/ou aos governos sombra que estão por trás. Não há tanta discriminação sobre a mulher em Israel quando comparado com o Irão...
Sim, eu sei que é radical dizer isso. Eu sei que um bombardeamento sobre o Irão iria levar à terceira guerra mundial. Mas, numa guerra há apenas dois lados...por isso, pergunto...se tivesses de escolher entre um mundo iraniano (nota que não digo àrabe!) e um mundo israelita (nota que não digo judeu!), qual escolherias?...

  Van

sábado, dezembro 20, 2008 3:54:00 da tarde

Enfiei para ali uns parentesis sem saber muito bem porque...

  Van

sábado, dezembro 20, 2008 3:57:00 da tarde

"Sim, eu sei que é radical dizer isso."

- uiii, nova moda, estou a comentar-me a mim mesma! :D não deixei claro d que é que estava a falar. Referia-me a apagamentos do mapa. :S

Ah, quando falo em abominar o Irão, é o País em que se tornou. Um país de fanatismo religioso. Não os muçulmanos, nem o Islamismo.

  Crest©

segunda-feira, dezembro 22, 2008 11:56:00 da manhã

Van disse...

"Ok, eu reformulo: jesus insurgiu-se contra os sacerdotes da época,que enchiam o bandulho à custa do mexilhão. Sim, era uma ameaça à instituição religiosa da judeia de então."

Claro que sim e foi morto por estar certo, foi morto antes que se tivesse a oportunidade de provar que era o salvador.

Nao podemos esquecer que hoje, ele seria também morto, pois iria insurgir-se contra o vaticano.

O apóstolo Pedro disse que seguiu as palavras de Jesus "aqui construirei o meu templo", mas na verdade ele tornou-se o primeiro Papa, o Rei do mundo e nao foi um tempo, foi um império. No velho testamente Jesus nao disse isso. Disse sim, que ele está em todo o lado, "levantas uma pedra e eu estarei lá".
Ou seja que para falar como ele "rezando ou nao", se pode fazer em qualquer lado e nao num templo.

"Na verdade, quando eu digo "Irão", refiro-me aos seus governantes e/ou aos governos sombra que estão por trás."

Mas o Irão é uma nação que existe há mais tempo do que a Europa livre, foi em tempos o berço do conhecimento e um exemplo de civilização em contraste com os primitivos europeus.

Nós somos os principais culpados do isolamento deles e do atraso cultural. A culpa é das nossas imposições religiosas as ridículas cruzadas.

"Não há tanta discriminação sobre a mulher em Israel quando comparado com o Irão..."

Nao há? Há pois, sao países gémeos no que toca à discriminação sexual. Uma mulher em Israel pode ser agredida por um homem, sem que isso seja um crime. A mulher em Israel é um objecto sexual, nada mais.

"Mas, numa guerra há apenas dois lados...por isso, pergunto...se tivesses de escolher entre um mundo iraniano (nota que não digo àrabe!) e um mundo israelita (nota que não digo judeu!), qual escolherias?..."

Nao há diferenças a registar, dois mundos radicais à espera de evoluírem.
O problema aqui é que o mundo iria dividir-se entre católico e não católico. O Irão receberia o apoio de países árabes e até da Rússia e China, vs o louco mundo católico.

Se tal escolha surgisse, nao valeria a pena escolher, pois iriamos voltar à idade da pedra.


Quanto a fanatismos, a maioria de Africa e América quer seja do sul ou do norte, está cheia de fanáticos católicos que andam sempre com Jesus na boca e fazer tudo por ele.

  Van

segunda-feira, dezembro 22, 2008 2:05:00 da tarde

Sim, Jesus foi muito inconveniente para uns mas muito conveniente para outros... quase que apostava que era só um homem com um pouco de bom senso que foi transformado em messias por um punhado de sedentos de liberdade...

Já leste "Jesus na fogueira"? entre muita ficção e alguma fantasia, levanta questões interessantes.

Quanto ao resto, todos somos produto de anos e anos de evolução social, cultural, tecnológica, biológica...eu analiso e reajo aos dias de hoje. É verdade q é preciso compreender o que está por trás de determinados comportamentos, mas isso não os desculpa. O que está feito, está feito, não se pode mudar o passado. Mas pode-se mudar o presente e o futuro.

Em Israel as mulheres não andam de burka...não nego que não haja discriminação, mas não há tanta como no Irão.

Quanto a "escolher lados", tenho a mesma opinião que tu. Mas infelizmente vamos acabar por ser obrigados a escolher um deles...

  Crest©

segunda-feira, dezembro 22, 2008 2:45:00 da tarde

Van disse...

"quase que apostava que era só um homem com um pouco de bom senso que foi transformado em messias por um punhado de sedentos de liberdade..."

Bom senso ele tinha, mas devido à sua mae ser louca e lhe ter dito que ele era filho de Deus e nao de sexo ocasional com o padeiro, ele era de bom senso mas arrogante. Era o salvador, lavavam-lhe os pés, etc, etc, etc


"Já leste "Jesus na fogueira"? entre muita ficção e alguma fantasia, levanta questões interessantes."

Nao li, mas deitava para lá um litro de diesel, ahahahahaha

"O que está feito, está feito, não se pode mudar o passado. Mas pode-se mudar o presente e o futuro."

Sim, nao repetir os crimes, mas também nao repetir as mentiras sobre esses crimes.

"Em Israel as mulheres não andam de burka..."

Mas andam de lenço.

"não nego que não haja discriminação, mas não há tanta como no Irão."

No que toca à liberdade das mulheres, aos direitos, sao muito, mas muito parecidos. Só muda a roupa.

"Quanto a "escolher lados", tenho a mesma opinião que tu. Mas infelizmente vamos acabar por ser obrigados a escolher um deles..."

Escolherei sempre o lado do atacado, do que luta por defender o seu direito à existência, seja com mais ou menos liberdades, mas sempre os que defendem as suas terras e as suas casas. Nao acredito que irao ataque o ocidente ou Israel, mas estou certo que vao tentar invadir o Irao e impor o modelo ocidental que falhará, invariavelmente.

  Van

segunda-feira, dezembro 22, 2008 8:56:00 da tarde

Numa guerra, todos os que não estão nas cadeiras do poder estarão a defender a sua vida e as suas casas. O mexilhão é que se lixa sempre mediante o desejo de território e poder de um punhado de camelos (peço desculpa aos camelos, não é minha pretensão ofender).

Não me admira, este este desejo de território. Como eu já disse, os meus cães fazem o mesmo no quintal. O homem só será verdadeiramente sapiens quando se libertar dos instintos animais.

  Crest©

segunda-feira, dezembro 22, 2008 9:15:00 da tarde

Van disse...

"Numa guerra, todos os que não estão nas cadeiras do poder estarão a defender a sua vida e as suas casas."

Nao esses estao só a tentar aumentar as fortunas pessoais, tal como Bush multiplicou já a empresa petrolífera da familia 10 vezes.