BOPE


Fogueteiros (Brasil) ou Aviões (Portugal) : são crianças, que trabalham para os traficantes de droga, avisando-os da entrada da policia na favela.
Não são mais do que crianças, que se não acabam mortas pela policia, são interrogados por ela e se identificarem alguém, são mortos pelos traficantes assim que são soltos.

Este texto vem a propósito do filme Brasileiro, BOPE-Tropa de Elite.

De quem é a culpa de toda esta situação?
A policia culpa os traficantes, os traficantes culpam a policia. Pessoalmente acho que há um terceiro que é o maior culpado e finalmente vi a minha opinião espelhada num filme.

Será a culpa dos traficantes, que por vezes são arrastados para aquele trabalho, por viverem num mundo onde sonhar é perder tempo?
Será da policia que mata para não morrer, pois têm família, para a qual querem voltar todas as noites?

Não. A culpa é de todos os "inocentes", que acusam a policia de serem agressivos e os traficantes de serem criminosos. A culpa é da classe é média, dos estudantes, dos trabalhadores de todo o Brasileiro comum, que acha que fumar um charro, não é problema. É problema, sim!

A culpa é de quem fuma o seu charro inocente, pois esse charro foi comprado, foi pago e é esse dinheiro que financia os traficantes, dinheiro com o qual são compradas mais armas. Dinheiro que causa a morte de Policias, traficantes e crianças, apanhadas no fogo cruzado.

A culpa é do charro inocente que se fuma, numa festa com amigos longe da violência da favela.
Se esses privilegiados que se dão ao luxo de despender de dinheiro para um charro, tivessem consciência que cada vez que levam o charro à boca estão a matar uma criança, O Brasil à muito que tinha saído desta situação.

Os maiores criminosos, não são os traficantes, mas sim quem os financia e compra um simples charro, para passar um bom bocado com os amigos, quer queiram aceitar ou não, é financiar os traficantes, é estimular o negócio é contribuir para o aumento da criminalidade.
As drogas ditas leves (pois não há drogas mais leves que outras), ou são crime, ou não são crime. O que não aceito é a politica idiota em Portugal, de não ser crime consumir mas é ilegal vender ou cultivar.
Mas isto faz algum sentido? É como dizer que é ilegal matar, a não ser que não se seja apanhado.

Crime é crime. Despenalizar as drogas "leves", é contribuir para o aumento do financiamento dos criminosos, com esse dinheiro são adquiridos recursos, para mais e mais duras drogas entrarem em Portugal.

Não digo que o crime está em consumir. O crime está em consumir financiando o mundo do crime. Há que legalizar ou banir, nada de leis confusas com o objectivo de agradar a toda a gente.

46 Comentários:

  Afrodite

sexta-feira, dezembro 05, 2008 2:41:00 da tarde

Por mim despenalizem drogas e prostituição. O fruto proibido deixa de ser o mais apetecido e pode ser que os traficantes desapareçam. :) Ahhh e paguem a merda dos impostos todossssssss! E que a droga tenha uma taxa superior à do tabaquinho :)....tenho casos na familia de consumidores e sem medos digo...que se afoguem naquela merda...por mim caguei. Eu podia ter escolhido esse caminho, a minha vida também não tem sido um mar de rosas e não...segui o caminho da luta, do trabalho. Não sinto pena nenhuma de quem o faz só porque sim. Drogas leves, drogas pesadas...é tudo a mesma merda, não lhes apontam pistolinhas à cabeça para consumirem...fodem é a vida de quem os rodeia, roubam e mentem. Eu...ajudo quem quer ser ajudados, os restantes podem desviar-se e deixar quem luta por uma vida melhor, viver em paz! Não suporto a transferência de culpa que muitas pessoas teimam em fazer. Tu meu amigo sabes de algumas coisas que escrevo, sabes dos sms que recebo às tantas a dizer que se vai cortar toda e mais não sei quê. Por mim...e depois de ter tentado ajudar...agora que me liguem apenas para avisar o dia e hora do velório. Beber, consumir drogas é uma opção e como opção que é, vivam com elas, eu vivo com as minhas...segui o caminho mais dificil, o do trabalho e de lutar por tudo a pulso. Sei do que falo e embora possa parecer fria...é assim que lido com isto! Friamente e sem paciência para os "coitadinhos" da sociedade...coitadinhos uma merda, trabalhem, arranjem problemas que vão entender que nem tempo têm para outras coisas. Façam bem aos outros, ajudem quem realmente precisa e passa-lhes a tesão da bebida e droga!
Pois, é a minha opinião seca e crua.

Abreijos e quanto às criancinhas dessa sociedade...nasceram na hora errada e no sitío errado...sinto pena delas...uma pena relativa ;)!

  Crest©

sexta-feira, dezembro 05, 2008 2:56:00 da tarde

Afrodite disse...

"Por mim despenalizem drogas e prostituição. O fruto proibido deixa de ser o mais apetecido e pode ser que os traficantes desapareçam."

Desaparecer nao desaparecem, mas pelo menos esse dinheiro entra na economia nacional.

"Não sinto pena nenhuma de quem o faz só porque sim. Drogas leves, drogas pesadas...é tudo a mesma merda, não lhes apontam pistolinhas à cabeça para consumirem...fodem é a vida de quem os rodeia, roubam e mentem."

Exacto. Trocam quem os ama, pela droga.

"Não suporto a transferência de culpa que muitas pessoas teimam em fazer. Tu meu amigo sabes de algumas coisas que escrevo, sabes dos sms que recebo às tantas a dizer que se vai cortar toda e mais não sei quê. Por mim...e depois de ter tentado ajudar...agora que me liguem apenas para avisar o dia e hora do velório."

A transferência de culpa é tipicamente estúpida, feita por pessoas sem classe.

"segui o caminho mais dificil, o do trabalho e de lutar por tudo a pulso. Sei do que falo e embora possa parecer fria...é assim que lido com isto! Friamente e sem paciência para os "coitadinhos" da sociedade...coitadinhos uma merda, trabalhem, arranjem problemas que vão entender que nem tempo têm para outras coisas."

Ora aí está, eu nem tempo para foder tenho, quanto mais apanhar a moca. ahahahahaha

  Ana

sexta-feira, dezembro 05, 2008 3:31:00 da tarde

"Crime é crime. Despenalizar as drogas "leves", é contribuir para o aumento do financiamento dos criminosos, com esse dinheiro são adquiridos recursos, para mais e mais duras drogas entrarem em Portugal."
A despenalizacao das drogas leves levaria pelo menos ao diferenciamento de mercado, e esta e a principal razao pela qual sou a favor da mesma!
Nao haveria aumento de finaciamento para o trafego, porque isso iria afectar os valores do mercado.
E desta forma, a culpa deixaria de ser de quem fuma o charro inocente!

  Crest©

sexta-feira, dezembro 05, 2008 3:40:00 da tarde

Ana disse...

"A despenalização das drogas leves levaria pelo menos ao diferenciamento de mercado, e esta e a principal razao pela qual sou a favor da mesma!"

Calma lá. Eu disse despenalização e não discriminalizacao.
Em Portugal as drogas leves são despenalizadas, ou seja, tu vais a um traficante e compras drogas se fores apanhada com droga para consumo pessoal, não és presa (penalizada), mas a droga continua a ser crime.
Eu sou contra esta despenalização, visto que as drogas continuam a ser vendidas por criminosos e o cidadão a financiar o crime, com um aval da lei Portuguesa.

O que tu defendes é a discriminalizacao, que consiste em essas drogas serem livremente vendidas e compradas.

Nao podemos confundir estes dois termos.

Discriminaliza é legalizar.
Despenalizar é apoiar a compra ilegal.

"Nao haveria aumento de finaciamento para o trafego, porque isso iria afectar os valores do mercado.
E desta forma, a culpa deixaria de ser de quem fuma o charro inocente!"

Se fosse legal, concordaria contigo, mas visto que a lei despenaliza o consumidor mas continua a ver as drogas como ilegais. Isso aumenta o consumo, pois o factor medo, desaparece!

Tu falas em legalizar que é um passo muito maior do que aquele que Portugal de, que foi despenalizar. Para mim, Portugal deu um daqueles passos para tirar areia para o olhos dos cidadãos!

  Ana

sexta-feira, dezembro 05, 2008 4:05:00 da tarde

Isto e o que da ler e responder a correr!!!
"Bad call" sorry!

  Van

sexta-feira, dezembro 05, 2008 4:14:00 da tarde

Drogados uma vez, drogados para sempre. Alcoolicos uma vez, alcoolicos para sempre. Sabes, desisti. Só posso ficar a assistir. Enfim.

É essa a questão: leis confusas que não levam a lado nenhum.

Culpo quem consome tal como culpo quem trafica. Se não houvessem uns, não existiriam outros.

  Ana

sexta-feira, dezembro 05, 2008 4:23:00 da tarde

Segunda tentativa:
Para mim a salientar e realmente o teu ultimo paragrafo:
"Crime é crime. Despenalizar as drogas "leves", é contribuir para o aumento do financiamento dos criminosos, com esse dinheiro são adquiridos recursos, para mais e mais duras drogas entrarem em Portugal."
Assim, tal como me respondeste sou a favor da descriminilizacao das drogas leves e realmente a lei existente em Portugal apenas serve para enfeitar!
Mas gostava de salientar de acordo com os comentarios que ja li, que para mim a toxicodependencia, tal como o alcoolismo sao doencas.

  ceptic

sexta-feira, dezembro 05, 2008 5:27:00 da tarde

apoio a legalização de drogas leves, em termos financeiros, era mais um que entrava para o estado, ja que este tem despesas com apoio a desintoxicaçao, financeiramente talvez desse para equilibrar...

Mas nao acho que iria originar grandes mudanças a nivel social ...

fumar uma ganza ou tomar um calmante e quase igual, so que uma da mais trabalho pk se tem de enrolar... :P e agora ha a moda de depressoes clinicas, anda quase tudo medicado/mocado :D

mais valia abater traficantes tanto de drogas como de pessoas (:D mas isto ja seria sadismo a mais )

bom fds

  poeta_poente

sexta-feira, dezembro 05, 2008 5:36:00 da tarde

Um tema delicado. Mas tou de acordo contigo e com a Afro. Para mim só é drogado quem não tem força de vontade nem amor próprio. Eu nunca precisei de nenhuma substância para nada. Nem para abstrair nem para me divertir, nem nada.

Mas há uma questão pertinente, os medicamentos! São também uma droga. Só que aceite e tolerada pela sociedade.
Não seremos uma sociedade demasiado dependente de drogas? Sejam elas ilegais ou legais?

  Van

sexta-feira, dezembro 05, 2008 6:11:00 da tarde

Não é Afro, Poeta!!! é AfroDITE! :-p ah pois, comigo já não concordas, pois pois pois... :-p :D

  Van

sexta-feira, dezembro 05, 2008 6:12:00 da tarde

Ah, eu não dispenso o meu benuronzinho diário!! Mas não mato e roubo para o ter...

  Maria Manuela

sexta-feira, dezembro 05, 2008 7:18:00 da tarde

Pois mas o legislador neste país é um bela m****. O melhor código que temos continua a ser o cívil que data de 66. O de processo penal então é uma anedota !!!

  poeta_poente

sexta-feira, dezembro 05, 2008 7:31:00 da tarde

Van, tu e eu concordamos num determinado tipo, right?

  Van

sexta-feira, dezembro 05, 2008 8:43:00 da tarde

Poeta, define tipo.

  Lize

sexta-feira, dezembro 05, 2008 10:50:00 da tarde

Pois, eu também concordo contigo, essas leis não lembram a ninguém. Ou se legaliza, ou não se legaliza. Aqui em Massachusetts, no dia em que se votou para o Obama/McCain, também se votou para mais uma data de coisas, entre elas a legalização da marijuana. Foi legalizada mas parece-me que também há ainda uma certa confusão em certos pontos dessa legalização, principalmente o facto de se poder ter até... um grama, acho eu, de droga no bolso, mas não se pode beber álcool até aos 21 anos. Outro aspecto que também causa alguma confusão são as penas dadas a alguém apanhado a consumir e a conduzir de seguida. O que acho muito bem, mas como quase todas as leis em quase todo o lado, as coisas demoram até fazerem efeito e ficarem tudo preto no branco.
O que mais pena me mete, são mesmo essas crianças que nunca pediram para serem metidas no meio disso... Mas há aquelas que nascem no meio de favelas, há as que nascem no meio de África e morrem à fome, há as que nascem num país desenvolvido e com boa vida e há aquelas que desde o berço já sabem que se não fizerem nada da vida podem sempre ficar à mesma com a empresa milionária do papá... É das tais coisas...

Beijocas

  Ana

sábado, dezembro 06, 2008 7:25:00 da tarde

Precisamente!

Eu já vi o filme vezes sem conta e existe uma parte em que o Capitão Nascimento diz isso a um dos alunos que compram droga: "Foi você, seu playboyzinho, que matou ele, porque é voce que financia essa merda!"

  Skynet

sábado, dezembro 06, 2008 7:40:00 da tarde

Os de extrema direita diriam para os matarem a todos, os de extrema esquerda que eles são uns coitadinhos e não têm culpa de nada. Como de costume a resposta está algures no meio. Se não fosse o tráfico de droga eram cromos de futebol, eu acho que esse fenómeno é mais complexo do que isso, envolve todo um ciclo viciosos de problemas. Mas uma coisa é certa, a culpa é mesmo de todos nós...

  Van

sábado, dezembro 06, 2008 10:24:00 da tarde

Oh pah, eu cá não contribuo nem contribuí para o negócio. Pela parte que me toca, não tenho nada a ver com isso. E mai nada!! :D

  Carolina

sábado, dezembro 06, 2008 10:56:00 da tarde

Olá. É a primeira vez que estou a visitar este teu blog e fiquei surpreendida. Abordas temas muito bons e, melhor que isso, com um bom poder de argumentação.

Os olhos da sociedade ainda estão tapados para temas como este. Teimam em apontar o dedo para os ditos "criminosos", esquecendo-se que têm outros quatro dedos voltados para eles. Julgam-se inocentes quando muitos deles são os que sustentam este "mercado" que cada vez cresce mais. As vítimas, realmente inocentes, que ficam envolvidas neste "mercado do crime" , as crianças... As pessoas apenas lamentam o que lhes acontece, mas não agem para evitar que isto aconteça. Não digo acabar com isto porque é um objectivo muito difícil de se concretizar mas, salvar uma criança é sempre salvar uma vida inocente, que teve "má sorte" de ter caído num mundo de terror.

E claro, as leis portuguesas que são feitas só com meias palavras, permitindo que cada um interprete da forma que lhe dá mais jeito, também ajuda à "festa".

Bjs, e parabéns pela qualidade do teu blog

  Teté

domingo, dezembro 07, 2008 7:43:00 da manhã

Não vi o filme, mas concordo que a culpa não é só de traficantes (nem de polícias), mas também da sociedade hipócrita que consome todo o tipo de drogas e de governantes alienígenas.

Como refere a Afrodite, despenalizem drogas e prostituição. Existem, não há como tapar o sol com a peneira! Se as prostitutas e os traficantes não tivessem clientes, o negócio desaparecia. Não é o caso, há que encarar com frontalidade.

Tem sentido porem os fumadores de tabaco na rua a fumar ao relento, enquanto congeminam salas de chuto para os viciados em droga (ilegal)? Tem sentido fornecerem seringas aos presos na cadeia, sabendo-se que lá é proibido o consumo de qualquer droga?

Despenalizem, legalizem, que os cofres do Estado agradecem, com as novas receitas (impostos) desses comércios. Na certeza que os actos criminosos praticados por indivíduos afectados pelo consumo serão punidos por lei, como os de todos os outros.

Felizmente, não conheço ninguém assim muito próximo que tenha caído nessas malhas. Mas não vale a pena "cantar de galo", que nunca se sabe o que o futuro nos reserva, por mais que tentemos educar os jovens longe desses vícios nefastos...

Bom Domingo para ti!

  Lilith

domingo, dezembro 07, 2008 11:52:00 da tarde

Eles que são drogados que se entendam LOL! Desde que não me queiram impingir merdas para consumir, estou-me a borrifar!

Dentadinhas natalicias para ti

  Tagaxinho

segunda-feira, dezembro 08, 2008 3:31:00 da tarde

O ideal seria despenalizar e o Estado vender baratinho... Morriam uns milhares de repente e talvez os que ficassem por cá vissem que se calhar o melhor é nao abusar...
Digo eu...

  Crest©

terça-feira, dezembro 09, 2008 1:12:00 da tarde

Ana disse...

"Isto e o que da ler e responder a correr!!!
"Bad call" sorry!"

:)

  Crest©

terça-feira, dezembro 09, 2008 1:14:00 da tarde

Van disse...

"Drogados uma vez, drogados para sempre. Alcoolicos uma vez, alcoolicos para sempre."

Nao concordo!


"Culpo quem consome tal como culpo quem trafica. Se não houvessem uns, não existiriam outros."

A oferta depende da procura. O oferta morre se nao houver procura. A culpa é da procura.

  Crest©

terça-feira, dezembro 09, 2008 1:18:00 da tarde

Ana disse...

"Assim, tal como me respondeste sou a favor da descriminilizacao das drogas leves e realmente a lei existente em Portugal apenas serve para enfeitar!"

A questão é que droga é droga não há leves nem pesadas.
Como vamos diferenciar leves de pesadas?

1- A fumadas? É que o crack é fumado e causa a morte.

2- As que não causam dependência física? A cocaína não causa dependência física.

3- Será o Haxixe leve, bem como a Marijuana? Então e o pólen e a bolota?

Nao há drogas leves, há sim drogas.

"Mas gostava de salientar de acordo com os comentarios que ja li, que para mim a toxicodependencia, tal como o alcoolismo sao doencas."

Doenças auto-infligidas. O só por sim, na minha opinião não merecem o uso dos meus impostos para tratamento.

  Crest©

terça-feira, dezembro 09, 2008 1:28:00 da tarde

ceptic disse...

"apoio a legalização de drogas leves"

Nao há drogas leves, pois não existe um definição legal de drogas leves. Nao se pode legalizar algo que não existe. Primeiro tem de ser criada uma lei que separe as drogas por "pesos", pois se leves são fumadas, o crack passa a ser legar. Se leves são as que não causam dependência física, a cocaína passa a ser legal.

"fumar uma ganza ou tomar um calmante e quase igual, so que uma da mais trabalho pk se tem de enrolar..."

Quase, se esquecermos que um é legal e o outro não.

  Crest©

terça-feira, dezembro 09, 2008 1:29:00 da tarde

poeta_poente disse...

"Mas há uma questão pertinente, os medicamentos! São também uma droga. Só que aceite e tolerada pela sociedade."

Por serem legais.

"Não seremos uma sociedade demasiado dependente de drogas? Sejam elas ilegais ou legais?"

Sim somos, mas para sermos uma sociedade organizada, temos de respeitar a lei.

  Crest©

terça-feira, dezembro 09, 2008 1:35:00 da tarde

Van disse...

"Poeta, define tipo."

Ahahahaha, não sei porque, mas achei piada a este comentário, por ser uma questão muito importante :)

  Crest©

terça-feira, dezembro 09, 2008 1:38:00 da tarde

Lize disse...

"Foi legalizada mas parece-me que também há ainda uma certa confusão em certos pontos dessa legalização, principalmente o facto de se poder ter até... um grama, acho eu, de droga no bolso, mas não se pode beber álcool até aos 21 anos."

Sim, mas aí falou-se numa droga Marijuana, em Portugal fala-se de drogas leves, um grupo de drogas que não se sabe quais são e que não estão catalogadas em qualquer documento legal.
1 grama é um grama, seja de marijuana ou heroína, uma nao é mais leve que a outra :P

Quanto à lei dos 21 anos para beber, acho-a exagerada, pois podem fumar, conduzir e até comprar armas, antes dos 21.

  Crest©

terça-feira, dezembro 09, 2008 1:40:00 da tarde

Ana disse...

"uma parte em que o Capitão Nascimento diz isso a um dos alunos que compram droga: "Foi você, seu playboyzinho, que matou ele, porque é voce que financia essa merda!""

E é a verdade!

  Crest©

terça-feira, dezembro 09, 2008 1:41:00 da tarde

Skynet disse...

"Os de extrema direita diriam para os matarem a todos, os de extrema esquerda que eles são uns coitadinhos e não têm culpa de nada. Como de costume a resposta está algures no meio. Se não fosse o tráfico de droga eram cromos de futebol, eu acho que esse fenómeno é mais complexo do que isso, envolve todo um ciclo viciosos de problemas. Mas uma coisa é certa, a culpa é mesmo de todos nós..."

Mas até percebermos de quem tem culpa, nao iremos encontrar solucoes.

  Crest©

terça-feira, dezembro 09, 2008 1:42:00 da tarde

Van disse...

"Oh pah, eu cá não contribuo nem contribuí para o negócio. Pela parte que me toca, não tenho nada a ver com isso. E mai nada!! :D"

Há inocentes apanhados no meio. Neste caso estás nesse grupo.

  Crest©

terça-feira, dezembro 09, 2008 1:44:00 da tarde

Carolina disse...

"Olá. É a primeira vez que estou a visitar este teu blog e fiquei surpreendida. Abordas temas muito bons e, melhor que isso, com um bom poder de argumentação."

Obrigado.

"Teimam em apontar o dedo para os ditos "criminosos", esquecendo-se que têm outros quatro dedos voltados para eles."

Normalmente ao apontar um dedo, só ficamos com 3 virados para nós, o polegar aponta sempre para outro lado :) mas isto sou eu, que gosto de contestar ditados populares :)

"E claro, as leis portuguesas que são feitas só com meias palavras, permitindo que cada um interprete da forma que lhe dá mais jeito, também ajuda à "festa"."

A lei Portuguesa é uma festa :)

  Crest©

terça-feira, dezembro 09, 2008 1:48:00 da tarde

Teté disse...

"Como refere a Afrodite, despenalizem drogas e prostituição. Existem, não há como tapar o sol com a peneira! Se as prostitutas e os traficantes não tivessem clientes, o negócio desaparecia. Não é o caso, há que encarar com frontalidade."

Concordo. Além de trazerem duas industrias geradoras de impostos e criar segurança e direitos ao cliente.

"Tem sentido porem os fumadores de tabaco na rua a fumar ao relento, enquanto congeminam salas de chuto para os viciados em droga (ilegal)? Tem sentido fornecerem seringas aos presos na cadeia, sabendo-se que lá é proibido o consumo de qualquer droga?"

Sim e se tu precisares de uma seringa por motivos de saude, tens de a comprar.

  Crest©

terça-feira, dezembro 09, 2008 1:49:00 da tarde

Lilith disse...

"Eles que são drogados que se entendam LOL! Desde que não me queiram impingir merdas para consumir, estou-me a borrifar!"

Tu e o Lu, já consomem enxofre... mas esse é legal!

  Crest©

terça-feira, dezembro 09, 2008 1:50:00 da tarde

Tagaxinho disse...

"O ideal seria despenalizar e o Estado vender baratinho... Morriam uns milhares de repente e talvez os que ficassem por cá vissem que se calhar o melhor é nao abusar...
Digo eu..."

Legalizar e vender caro para manter longe de jovens estudantes, criar uma idade minima de consumo nunca inferior aos 18 anos.

  A Grafonola

quarta-feira, dezembro 10, 2008 2:13:00 da manhã

Oh pah, eu não sou inocente. Não espalhes isso por aí, faxavor, que passei metade da vida a tentar contrariar essa ideia...

"Bem, bem, não és a santinha que eu pensava que eras"
"Pressuposto teu, nunca disse que era."

Há handicaps que imediatamente nos metem um rótulo, pah...

  A Grafonola

quarta-feira, dezembro 10, 2008 2:20:00 da manhã

Na verdade, sempre fui muito protegida disso. Para além de saber dizer não, e precisamente por ter o tal rótulo, sempre me vi protegida mesmo pelos que consumiam. Já estive em grupos de consumidores entusiastas de cannabis e nunca me tentaram influenciar. Fui apenas uma vez arrastada pela minha própria curiosidade e ingenuidade, e após saciada, e sem perceber o que é que levar com um martelo na cabeça tinha de engraçado (fogo, a sério, parecia que me tinha caído algo em cima)...e pra fazer asneiras e dizer asneiras e rir que nem perdida, não preciso disso...inocente? Não, sabia muito bem o que estava a fazer, simplesmente não sou pessoa de vicios e sei qual é o meu limite. Se o passo, é porque o quis passar, conscientemente.
Também já vi planos cancelados por minha causa: quando se soube que iria haver droga da pesada na passagem de ano combinada, e por não me quererem expor ao meio, alteraram os planos. Portanto, sempre fui muito protegida por todos, de modo que nunca seria inocente.

  Crest©

quarta-feira, dezembro 10, 2008 6:26:00 da manhã

A Grafonola disse...

"Há handicaps que imediatamente nos metem um rótulo, pah..."

Eu só meto rótulos de niveis de fritura, estás no fula (nao é mau, dá mais sabor às batatas), mas o valor máximo é o 3 ás girasol :) ahahahahah


"Para além de saber dizer não"

Nunca precisei dizer nao. Simplesmente nunca me foram oferecidas.

"Fui apenas uma vez arrastada pela minha própria curiosidade e ingenuidade, e após saciada, e sem perceber o que é que levar com um martelo na cabeça tinha de engraçado (fogo, a sério, parecia que me tinha caído algo em cima)...e pra fazer asneiras e dizer asneiras e rir que nem perdida, não preciso disso...inocente?"

Ahahahahahah


"Não, sabia muito bem o que estava a fazer"

Sabias como todos sabem.

  Ana C. Nunes

sexta-feira, dezembro 19, 2008 12:50:00 da manhã

Na minha (mera) opinião, deviam ser penalizados também os que consomem. As drogas não trazem qualquer benefício à sociedade e o facto de as pessoas se sentirem impunes ao consumirem, só piora a situação.

  Crest©

segunda-feira, dezembro 22, 2008 1:55:00 da tarde

Ana C. Nunes disse...

"Na minha (mera) opinião, deviam ser penalizados também os que consomem. As drogas não trazem qualquer benefício à sociedade e o facto de as pessoas se sentirem impunes ao consumirem, só piora a situação."

Concordo.

  Lino

sábado, julho 04, 2009 1:53:00 da tarde

Ora viva, é a primeira vez que estou a comentar e desde já digo que estou a gostar realmente do teu blogue.
Quanto ao WTC no próprio dia eu disse após as imagens na tv que aquilo tinha sido implodido e nao devido aos aviões.
Quanto aqui aos charros, era penalizar e criminalizar a todos!!!
Não suporto drogadinhos nem muito menos aqueles menininhos que nem sabem bater uma punheta em condiçoes mas enrolam um charro com mestria.
Eu sobrevivi a minha adolescencia sem drogas mas nao sem punheta.
Esses meninos se ficassem um dia dentro cada vez que fossem apanhados e os papas obrigados a pagar uma coima pesada acredito que mts iam deixar. Aos traficantes era mete-los dentro com penas pesadas ou entao "queima-los todos". Tenho dito!!!

  André

quarta-feira, setembro 08, 2010 6:04:00 da tarde

Eu não pretendo mesmo ofender ninguém, mas ilegalizar o consumo e/ou o cultivo, por exemplo, da Cannabis é totalmente absurdo. 'Ilegal': OK - mas porquê? Porque dá moca, porque é para outras drogas uma porta, porque queima neurónios, porque causa cancro, porque... sei lá, incentiva ao vandalismo, à violência(?!)... Colocar uma planta à margem da lei é dizer que a natureza é fora da lei. E dizer que a natureza é fora da lei é o mesmo que afirmar que o Homem é uma espécie de Deus (tem sido essa a postura, porém o resultado não é lá muito famoso).
O problema não é a planta, mas sim a educação que dão às pessoas ou, quando esta é inexistente, os preconceitos que lhes enfiam na cabeça.

Então e se as laranjas dessem moca? Ninguém poderia comer laranjas ou plantar uma laranjeira no quintal, pois...
Ter um Estado-papá a dizer o que posso ou não fazer com a minha mente e com o meu corpo, não obrigado.

As drogas sempre existiram e em todas as épocas auxiliaram esta cambada de macacos de pêlo curto - nós -, a ver as coisas mediante outras perspectivas. Porque não começar a colocar de parte as coisinhas que Fernando Pessoa se entreteve a escrever?...

É pena falar-se tão pouco do álcool em comparação com outras drogas - sim, o álcool é uma droga; a estória "álcool e drogas" é mais uma anedota (seca).
As famosas Queimas Das Fitas... Sabe-se muito bem que o que para ali se queima não são fitas.

Normalmente, as coisas não costumam ser em áreas só de preto ou só de branco. Também existem uns cinzentos. Mas é que nesta situação é mesmo assim: preto/branco. Deveria ser legal, porque, NATURALMENTE, o é. É por isso que cresce por todo o planeta. Não é, por exemplo, como o Ecstasy; criado em laboratório. Como Ecstasy existem muitas outras desenvolvidas em laboratório.

  Bruno Fehr

segunda-feira, setembro 27, 2010 5:30:00 da manhã

Lino:

"Não suporto drogadinhos nem muito menos aqueles menininhos que nem sabem bater uma punheta em condiçoes mas enrolam um charro com mestria."

Ahahahah, isso é verdade, alguns já são mestres a enrolar e ainda se mijam todos quando tentam bater uma.

  Bruno Fehr

segunda-feira, setembro 27, 2010 5:59:00 da manhã

André:

"'Ilegal': OK - mas porquê? Porque dá moca"

Matar é ilegal porque? Será que não tens o direito de te defender com uso de força mortal contra alguém que te pode matar? O teu raciocínio poderá ser adaptado a tudo quanto é ilegal de forma a a fazer a ilegalidade parecer absurda e no entanto não é.

"Colocar uma planta à margem da lei é dizer que a natureza é fora da lei."

Só porque existe na natureza significa que a tens de ingerir? A planta não é fora lei pois tem diversas aplicações, no entanto apanhar moca com ela não é legal.

Existem sapos com secreções psicoactivas e no entanto recuso-me a acreditar que existem para serem lambidos. Da mesma forma que a existência da planta não se resume a secar para fumar.

"E dizer que a natureza é fora da lei é o mesmo que afirmar que o Homem é uma espécie de Deus."

Errado. A natureza não é fora da lei, mas sim o Homem acha-se uma espécie de Deus ao querer criar aplicações para tudo o que é natural. Viu uma erva e pensou: "vou fumar isto pois dá moca".

Como todos nós sabemos quem está com uma grande moca é um elemento essencial na sociedade e se todos estivéssemos com a moca talvez no ano 3055 inventássemos a roda assim que conseguíssemos parar de rir ao descobrir o fogo no ano de 1952.

"Então e se as laranjas dessem moca? Ninguém poderia comer laranjas ou plantar uma laranjeira no quintal, pois..."

E se os macacos voassem choveria mais merda que a dos pombos.

"Ter um Estado-papá a dizer o que posso ou não fazer com a minha mente e com o meu corpo, não obrigado."

Um Estado-papá não seria necessário se o povo-bebé não fosse irresponsável.

"As drogas sempre existiram e em todas as épocas auxiliaram esta cambada de macacos de pêlo curto - nós -, a ver as coisas mediante outras perspectivas."

As drogas deram-nos coisas boas, é verdade, basta apreciar algumas obras de arte e muita da música existente mas não mais do que isso. Não foi certamente por causa da moca que resolvemos andar direitos, pois com a moca ninguém anda direito e por vezes até regressão a um estado primitivo que intelectualmente quer de postura.

Sabes o que realmente nos ajudou a evoluir? Estudar, aprender o que há para aprender, investigar, tudo coisas onde a moca só atrasa o processo.

  Bruno Fehr

segunda-feira, setembro 27, 2010 6:00:00 da manhã

(continuação)

"É pena falar-se tão pouco do álcool em comparação com outras drogas - sim, o álcool é uma droga"

Sim é um droga. Mas não percebo... se achas que a natureza não deve ser ilegalizada e pareces ser pró-legalização das drogas, porque motivo pegas no álcool como exemplo? Será que uma planta tem mais direito a ser legal do que um fruto? O álcool deveria ser ilegal tal como o tabaco. Eu posso dizer isso, tu não podes! A não ser que sejas pró-legalização do que se fuma mas contra-legalização do que se bebe, o que seria ridículo.

"As famosas Queimas Das Fitas... Sabe-se muito bem que o que para ali se queima não são fitas."

Eu queimei fitas, deveria ter queimado alguma coisa mais? Ou estarás a querer dizer que a queima das fitas é uma fachada para longas orgias de drogas? Se assim é, ou eu estou desactualizado ou estive na queima errada...

"Deveria ser legal, porque, NATURALMENTE, o é."

Então vamos legalizar a Cocaína porque vem de uma planta, a Heroína que vem de outra planta. Vamos legalizar tudo pois tudo é natural pois existe na Natureza. Vamos fazer bombas nucleares sem limitações pois o átomo é natural. Produtos químicos são uma combinação de produtos naturais e portanto o ecstasy é tão natural como a sua sede.

Vamos legalizar o homicídio pois os impulsos humanos são naturais.

O argumento da natureza para sustentar a legalização de algo é um argumento natural mas isso não faz dele certo.