Peste pneumónica nos EUA

A peste pneumónica já por si uma peste rara que apareceu na Ucrânia que é um país com historial com esta peste, pois apareceu em 1877 no mesmo local... acaba de aparecer nos EUA... Abracadabra... a peste viajou meio mundo passou por toda a Europa e aterrou nos EUA, ou então foi enviada por E-mail.

Os estados de Iowa e Florida estão sob quarentena, a quarentena não é geral, as pessoas suspeitas de estarem infectadas recebem uma ordem de quarentena tendo de se apresentar em instalações de detenção. O documento que ordena a quarentena é este.
Na Ucrânia chamam-lhe peste pneumónica e nos EUA chamam-lhe hemorrhagic pneumonia que pode ser causada pela mesma bactéria, sendo a mesma doença que também está ser ligada ao vírus H1N1. Se a bactéria for a MESMA da Ucrânia continua a não ser vírus!
O que é que a CDC vai fazer? Eles acabam de impor a quarentena compulsiva. Este acontecimento é inacreditável tendo em conta que já havia formulários de quarentena nestes estados desde Abril de 2009, ver aqui, aqui e aqui. Já tinham isto planeado. Anda muita gente a prever o futuro!

Nos centros de detenção haverá vacinação contra o vírus H1N1, essa vacinação será compulsiva e só assim se explica o plano divulgado pela CDC de vacinar 170 milhões de Americanos até ao final de Dezembro... pudera eles não podem escolher!
Porra! Eu sei que muita gente duvida do que digo, duvidam até da própria sombra, mas será que alguém no seu perfeito juízo acha isto normal? Uma bactéria viaja meio mundo e as pessoas são detidas não por causa dela mas sim por causa de um vírus?

Dados sobre esta peste, aqui.

Enquanto tudo isto acontece a Vicks recolhe um spray nasal que se descobriu conter uma bactéria... ora os sprays vicks são para as constipações e que porra de bactéria é que foi encontrada? Acho que seria interessante saber-se que bactéria foi! Ora, estes sprays foram recolhidos dos EUA, Alemanha e Reino Unido, nos EUA já há peste pneumónica, agora veremos o que acontece na Alemanha e Reino Unido! (ver adenda)

Só nas primeiras horas após a quarentena ter sido declarada foram anunciadas 21 mortes no estado de Iowa, a teórica causa? O suspeito do costume, H1N1! Os médicos contradizem resultados e especulam que o numero de mortes é maior.
Existem relatos não confirmados de aviões e chemtrails 5 dias antes ao aparecimento da bactéria, tal como tinha acontecido na Ucrânia. Se há ligação ou não, não sei mas são já dois casos de pulverização do ar e aparecimento da bactéria. 2 casos podem ser coincidência, mas se aparecer mais um, será padrão!

Adenda: A bactéria encontrada no spray nasal Vicks foi revelada como sendo a Burkholderia cepacia, que no meio de uma pandemia H1N1 e uma epidemia que se está a tornar pandemia de peste pneumónica passa a ser a terceira doença respiratória grave a aparecer nos últimos 8 meses. Esta bactéria também é transmissível de humano para humano e pode ser encontrada em doentes com fibrose quística ou em medicamentos contaminados.
A Burkholderia cepacia é um grupo de nove bactérias e é responsável pela deterioração dos pulmões e que pode evoluir para: síndrome de cepacia, que é fatal. A deterioração dos pulmões causa hemorragias.

A questão que coloco é: Após ligar duas noticias aparentemente não relacionadas, afinal o que é que temos nos EUA? H1N1? A peste pneumónica sendo chamada de peste hemorragica? Ou será que é a bactéria Burkholderia cepacia que causa deterioração pulmonar e consequente hemorragia? Se assim for é já a segunda bactéria a ser chamada de vírus e mais um insulto à inteligência humana!

21 Comentários:

  Kohinoor

quarta-feira, novembro 25, 2009 10:11:00 da manhã

Ao que tudo parece, a H1N1 esta a ser um belo bode espiatorio para coisas mais graves.

Neste artigo demonstra que a percentagem de H1n1 eh bastante inferior ao "estimado" e segundo o video, ja nem confirmam se a pessoa tem realmente o virus nem qual e o tipo. Conta logo como positivo.

http://articles.mercola.com/sites/articles/archive/2009/10/24/CBS-Reveals-that-Swine-Flu-Cases-Seriously-Overestimated.aspx

E obvio que assim vai afectar as estatisticas e constituir argumento para tomada de decisoes drasticas no pais.

  Kohinoor

quarta-feira, novembro 25, 2009 10:12:00 da manhã

Oops:
O video que me refiro e' o 2o deste link!

http://articles.mercola.com/sites/articles/archive/2009/11/24/Superstar-CBS-Reporter-Blows-the-Lid-Off-the-Swine-Flu-Media-Hype-and-Hysteria-.aspx

  Vani

quarta-feira, novembro 25, 2009 12:00:00 da tarde

Com relacionado pode querer-se dizer que a infecção por H1N1 abre portas à actuação de bactérias.

Ps - estou à tua espera na discussão ahahaha.

  Vani

quarta-feira, novembro 25, 2009 12:49:00 da tarde

Pelo que é dito, a segunda bactéria que referes pode ser encontrada em outros medicamentos contaminados. Pode tratar-se de um problema de controlo de fabrico.
Quanto à "viagem" da Yersinia pestis, basta que uma pessoa da ucrânia tenha emigrado para os EUA... aliás, na Ucrânia existem ainda doenças como a tuberculose, para além da peste, que estão a ser veiculadas pelo resto da Europa e, pelos vistos, pelo mundo com os movimentos migratórios. Hoje em dia é muito fácil transmitir um agente patogénico de um lado do mundo para o outro: basta seguir o percurso do H1N1, por exemplo, que em pouco tempo apanhou o mundo inteiro.

  I.D.Pena

quarta-feira, novembro 25, 2009 1:28:00 da tarde

Aii tantas más noticias. Cada vez mais receio os medicamentos.

Mas isto não é de agora, evito , e não só por estas coisas, alguns efeitos secundários simplesmente não compensam.
Ainda bem que existem outras alternativas (por enquanto).

Concordo o virus fabricado h1n1 é um excelente bode expiatório serve para impor a lei marcial, que depois acaba por ser semelhante ao que os nazis fizeram aos judeus, mas o proposito e sempre o mesmo.

Não acho nada normal , para mim trata-se de terrorismo biológico mascarado com pandemias de gripe e contra o povo.
Existe tantos interesses envolvidos que dificilmente se achará outro bode expiatório como este. Parece que querem mesmo ser descredebilizados por quem não é estupido.

Ah e eu não duvido de ti, por varias vezes já tive que te dar razão, não gosto disso não tou acostumada , hehe.

:)

  ovigia

quarta-feira, novembro 25, 2009 2:25:00 da tarde

boas,

isto está mesmo a ser tudo preparado ao milimetro.

já agora, lembrei-me de outra situação interessante e que sem dúvida irá contribuir para as detenções em massa, tal como já serviu durante a WWII para deter cidadãos dos EUA de ascendencia japonesa.
Em 2010 irá ter lugar um novo Censos, o qual está a pedir todas e mais algumas informações, incluindo o facto das pessoas que irão recolher essa info irão estar a usar GPS. Quem fizer o tratamento desses dados irá saber exactamente onde cada americano se encontra.
Uma das vozes que se levantou contra tudo isto foi a congressista Michele Bachmann, que já afirmou que "I know for my family the only question we will be answering is how many people are in our home, we won't be answering any information beyond that, because the Constitution doesn't require any information beyond that."[49]. Article 1, Section 2 of the Constitution states, "The actual Enumeration shall be made within three Years after the first Meeting of the Congress of the United States, and within every subsequent Term of ten Years, in such Manner as they shall by Law direct."
http://en.wikipedia.org/wiki/Michele_Bachmann#2010_Census

E claro para já temos ainda a H.R. 5122 (2006) - http://en.wikipedia.org/wiki/H.R._5122_(2006) bem como a Civilian Inmate Labor Program - http://en.wikipedia.org/wiki/Civilian_Inmate_Labor_Program

cumps,
rjnunes

P.S. já experimentaste as extensões de que te falei Bruno?

  Vani

quarta-feira, novembro 25, 2009 3:52:00 da tarde

Outra coisa, :), a peste é endémica também nos EUA, até agora tem estado confinada a zonas montanhosas. Haver notícia de casos desses não é de admirar. Tal como na ucrânia. :)

  lunatiK

quarta-feira, novembro 25, 2009 3:59:00 da tarde

Viva
é engraçado como conseguem dar a volta á situação e distorcer as coisas de modo a tentar espetar a agulha no pessoal todo. Querem-nos vacinar á força e usam todos os meios para o conseguir, tenho pena das pessoas, o que podem fazer? Fugir?
Se o fizerem nos Estados Unidos por certo alastrará á Europa toda.
Cumps.

  L.

quarta-feira, novembro 25, 2009 6:39:00 da tarde

Vani, nessa tua teoria de migração só vejo um problema. A menos que essa pessoa infectada tenha ido para os EUA a voar numa vassoura, não estou a ver como é que poderia não ter contaminado outras pessoas de nacionalidades diferentes. Por isso, continuo a achar muito estranho que uma bactéria tenha ido fazer turismo directamente para os EUA.

(mas isto sou eu, que sou meia parva e que admito desconhecer quase por completo toda as questões referentes a agentes patogénicos.)

  Bruno Fehr

quinta-feira, novembro 26, 2009 12:15:00 da manhã

Kohinoor:

"Neste artigo demonstra que a percentagem de H1n1 eh bastante inferior ao "estimado" e segundo o video, ja nem confirmam se a pessoa tem realmente o virus nem qual e o tipo."

É verdade, em breve um espirro é diagnóstico

  Bruno Fehr

quinta-feira, novembro 26, 2009 12:15:00 da manhã

I.D.Pena:

"Aii tantas más noticias. Cada vez mais receio os medicamentos."

Não há que recear todos, há medicamentos de eficácia comprovada, mas estes novos parecem ser testados depois de estarem à venda...

"Concordo o virus fabricado h1n1 é um excelente bode expiatório"

Tendo em conta que acabo de achar a patente da criação em laboratório do H1N1. Fica para o próximo texto.

  Bruno Fehr

quinta-feira, novembro 26, 2009 12:15:00 da manhã

ovigia:

"Em 2010 irá ter lugar um novo Censos, o qual está a pedir todas e mais algumas informações, incluindo o facto das pessoas que irão recolher essa info irão estar a usar GPS. Quem fizer o tratamento desses dados irá saber exactamente onde cada americano se encontra."

Já existem em certos estados etiquetas coloridas divididas em 3 cores, que um chefe de policia expôs como sendo o nível de "ameaça" dessa família. É um dos avisos dos "Oath Keepers".

"P.S. já experimentaste as extensões de que te falei Bruno?"

Ainda não, mas irei testá-las.

  Bruno Fehr

quinta-feira, novembro 26, 2009 12:16:00 da manhã

Vani:

"Com relacionado pode querer-se dizer que a infecção por H1N1 abre portas à actuação de bactérias."

Da mesma forma que a vacina H1N1 o pode fazer.

"Pelo que é dito, a segunda bactéria que referes pode ser encontrada em outros medicamentos contaminados. Pode tratar-se de um problema de controlo de fabrico."

Não deixa de ser mais um doença respiratória a somar-se às actuais duas.

"Quanto à "viagem" da Yersinia pestis, basta que uma pessoa da ucrânia tenha emigrado para os EUA..."

É possível mas pouco provável. O primeiro caso apareceu na Ucrânia no dia 1 de Novembro e no mesmo dia foi declarado o estado de emergência, escolas, negócios foram todos fechados, o aeroporto e comboios locais deixaram de funcionar. Mesmo que alguém contaminado tivesse saído de avião do país, daquela cidade não há voos intercontinentais. Mesmo que assim tivesse sido um voo intercontinental leva mais de 100 pessoas e por coincidência moravam todas na mesma aldeola em Iowa? Além disso de Iowa à Florida vai um esticão.
Se tivesse sido um emigrante, todo o voo ou pelo menos toda a classe "turística" teria sido contaminada, esta bactéria não brinca em serviço. Ao aterrarem nos EUA haviam centenas de contaminados e não 21.

"basta seguir o percurso do H1N1, por exemplo, que em pouco tempo apanhou o mundo inteiro."

O H1N1 é uma combinação de uma gripe asiática, com uma gripe espanhola com quase 100 anos adicionada a uma doença de porcos no México. A combinação natural destes 3 elementos é tão provável como a patente de criação deste mesmo vírus ter sido coincidência.

  Bruno Fehr

quinta-feira, novembro 26, 2009 12:16:00 da manhã

lunatiK:

"Querem-nos vacinar á força e usam todos os meios para o conseguir, tenho pena das pessoas, o que podem fazer? Fugir?"

De uma forma ordeira, não consentir. Não é preciso mais do que não consentir e se virmos alguém a dizer nao na cara das autoridades devemos dar a mão a essa pessoa. É o não consentimento que retira o poder à autoridade que o tem por consentimento.

  Bruno Fehr

quinta-feira, novembro 26, 2009 12:16:00 da manhã

L.:

"continuo a achar muito estranho que uma bactéria tenha ido fazer turismo directamente para os EUA."

É de facto estranho. Eu esperava vê-la na Polónia, Áustria ou qualquer país vizinho... agora do outro lado do mundo?

  Bruno Fehr

quinta-feira, novembro 26, 2009 12:19:00 da manhã

Vani:

"Outra coisa, :), a peste é endémica também nos EUA, até agora tem estado confinada a zonas montanhosas. Haver notícia de casos desses não é de admirar. Tal como na ucrânia. :)"

Iowa é montanhoso com um clima frio, Florida é planície com um clima mais tropical. Por isso é de admirar. É que a bactéria existe na Ucrânia desde os tempos de Ghegis Khan, e no Iowa é desde esta semana!

  I.D.Pena

quinta-feira, novembro 26, 2009 12:47:00 da manhã

"há medicamentos de eficácia comprovada, mas estes novos parecem ser testados depois de estarem à venda..."

Tornando qualquer consumidor numa cobaia. Isto não me parece um reflexo da crise . Parece-me mais uma manobra de guerra. Ou então é preciso despachar lotes de vacinas, negócios. Não sei. Seja como for a OMS arrisca-se a perder a confiança dos doentes e daqueles profissionais que se importam com os seus doentes.

  Vani

quinta-feira, novembro 26, 2009 2:19:00 da manhã

Como é que sabes que só existe desde esta semana, se há médicos que afirmam que a peste pneumónica é endémica nos EUA, precisamente em zonas montanhosas? Ora, precisamente: Iowa é uma zona montanhosa. E não me vais dizer que não é fácil um norte-americano contaminar outro...
E, sim, é muito possível que a bactéria tenha ido a voar numa "vassora" chamada ucraniano contaminado a emigrar para os EUA.
Concordo que há aqui muita coisa estranha e muitas perguntas sem resposta, que fazem a maioria estar com reservas (tanto que os médicos não se comprometem com a vacina anti-gripá e dizem que apenas seguem as directivas da oms, isto, os que estão do lado da vacina...). Até não me é nada dificil pensar numa manipulação por parte das grandes farmaceuticas. Nem a parte de controlo populacional me espantaria.
Mas quanto a este assunto, não vejo mais nada. A peste pneumónica já existia e sempre existiu, apesar de até agora ter estado confinada a certas zonas. Poderá o H1N1 abrir portas a uma infecção pela yersinia? Claro. Poderá faze-lo devido à vacina? Não sei, não tenho dados que me permitiam concluir isso. Poderão já ter existido casos deste que o histerismo dos media não contemplou antes? poderia.

  Vani

quinta-feira, novembro 26, 2009 2:21:00 da manhã

"O primeiro caso apareceu na Ucrânia no dia 1 de Novembro" O primeiro caso noticiado. Mais uma vez, a peste pneumónica sempre existiu na Ucrânia. Tal como a tuberculose, que está sendo veiculada para cá...

  Vani

quinta-feira, novembro 26, 2009 2:25:00 da manhã

Tu tens as tuas fontes, eu tenho as minhas ahahah. Sei, inclusive de uma hipotética fotocópia onde estariam directivas ou ordens para que às elites seja administrada a vacina sem esqualeno. Eu cá nunca vi fotocópia nenhuma. Mas é o que anda a circular algures por aqui. Mas eu cá não sei de nada.

  Vani

quinta-feira, novembro 26, 2009 2:31:00 da manhã

A discussão é à medida da pequena dimensão do blogue né. E não se tratava propriamente do que a senhora dizia, mas de discutir o que é dito e porque é dito. E de todos os lados há chuva de argumentos. Mas a verdade é que a salgalhada é tão grande que não há maneira de saber o que é um facto e o que é uma fonte fidedigna.