Dar sorrisos

A vida é cinzenta pois fazemos com que ela assim nos pareça. O facto de vermos a vida cinzenta é o que permite que sejamos pisados e controlados por loucos tirânicos que querem tudo, querem o mundo todo o dinheiro existente e ainda as nossas vidas. Se víssemos a vida como algo belo, seriamos felizes, se víssemos a vida com falei neste texto seriamos mais felizes, porque a felicidade não se encontra, não se conquista, todos nós somos felizes mas nem todos se permitem sê-lo. Se todos víssemos a vida com outras cores, seriamos felizes e livres, pois não é possível dominar, controlar, rebaixar, manipular quem é feliz.

Conhecem aquele dia mundial em que todos os anos imensas pessoas andam de metro sem calças? É em Dezembro e estamos muito perto da edição 2009. Esse grupo é conhecido por dar sorrisos em muitas mais ocasiões. Aqui ficam exemplos de como é fácil espalhar sorrisos e dar cor a um dia cinzento.

Como alegrar algo tão banalmente deprimente com ir às compras a um supermercado:



Reparem quando ele começa a cantar nos olhares das pessoas, pareciam dizer: "Ele é louco!", mas quem é louco afinal? Quem faz figura de parvo sendo feliz, ou quem é infeliz pois é socialmente correcto andarmos tristes?

Como alegrar os preciosos minutos que temos para almoçar antes de voltarmos às nossas gaiolas laborais:






Versões estão a aparecer por todo o mundo.

Em Liverpool na estação principal de comboios foi feito um anuncio da empresa Alemã T-Mobil. Esta acção teve fins comerciais mas valeu pelos sorrisos criados e por ter iniciado uma vaga mundial com escolas de musica a realizarem acções semelhantes:



O que um pequeno grupo de professores e uma imensidão de alunos fizeram na Bélgica,numa estação de comboios (uma busca por "train station musical" e verão esta acção por todo o mundo):



Porque a vida é bela e podemos todos sorrir e ser felizes se se permitirem ser.

18 Comentários:

  Mistral

sexta-feira, novembro 06, 2009 5:27:00 da manhã

Essa história dos sorrisos com hora marcada e aquela ideia de um dia para andar no metro sem calças são ideias completamente estapafúrdias.

Isso é que é andar com a carneirada. O ser humano deve rir quando lhe apetecer, faz parte da sua liberdade rir ou não rir, simular ou dissimular, conforme a necessidade, o conforto ou a vontade, essa é que é a verdadeira liberdade. Até mesmo a de andar sisudo se achar que isso é mais conveniente aos olhos dos outros. Embora essa seja uma falsa tristeza, potenciada apenas pela ideia de que o indivíduo será mais bem aceite se andar triste.

Não sei em que sociedade é que é socialmente correcto o pessoal andar triste. Não é na minha, certamente. Mas mesmo que fosse, se andamos tristes só porque é um estado socialmente correcto, então não estamos genuinamente tristes, tal como não ficaríamos genuinamente felizes se andássemos todos aos pulos ao mesmo tempo dentro do supermercado só porque alguém soprou num apito.

Agora, dias para andar no metro sem calças, ou gente a simular a alegria só porque há um grupo que diz que está na hora, não me convence. Bem sei que somos animais sociais, copiamos comportamentos e os grupos têm uma influência natural no indivíduo.

Rio-me destas ideias e deste post. Mas é porque quero. Amanhã se calhar apetece-me fazer cara séria e fingir que estou lixado da vida.

  Bruno Fehr

sexta-feira, novembro 06, 2009 6:03:00 da manhã

Mistral:

"Essa história dos sorrisos com hora marcada e aquela ideia de um dia para andar no metro sem calças são ideias completamente estapafúrdias."

Mas o sorriso não tem hora marcada pois não são as pessoas que fazem esta acção que vão sorrir. Quem faz estas coisas já sorri só por si e tem hora marcada para fazer terceiros sorrir, recebendo em troca unicamente a satisfação de ter criado um momento diferente.

As pessoas são apanhadas de surpresa, não marcaram um sorriso para as 11:15 da manha. Sorriem e agradecem esse sorriso, e quem faz isto sorri porque fez sorrir sem receber nada em troca, nem sequer ficar lá à espera de um obrigado e isto porque não foram obrigados.

"O ser humano deve rir quando lhe apetecer, faz parte da sua liberdade rir ou não rir, simular ou dissimular, conforme a necessidade, o conforto ou a vontade, essa é que é a verdadeira liberdade."

Mas onde está a liberdade quando toda a sociedade é construída em torno da infelicidade? Jornais repletos de mortes e crimes e nem uma boa noticia. Há boas noticias mas são propositadamente excluídas dos jornais, pois pessoas com medo e infelizes são mais receptivas a falsas soluções e noções de liberdade.

A liberdade está em me juntar com amigos e ir para o meio da rua dançar com se ninguém estivesse a ver se isto me alegra e obviamente isto alegra estes dançarinos. A liberdade está em quem observa rir ou não rir.

A liberdade é rir porque sim, é até rir com hora marcada. Se marcares uma gargalhada só porque sim todos os dias às 3 da tarde, isso é liberdade. Se esperar-mos sorrir só pelo acaso... nos dias que correm, estamos tramados.

"Não sei em que sociedade é que é socialmente correcto o pessoal andar triste. Não é na minha, certamente."

Vives na mesma que eu, ligas a TV, abres um jornal e aí sim vês tristeza e falsa alegria, alegria por ter ganho uma torradeira quando queria um carro, alegria porque na TV temos de sorrir mesmo sem vontade. Sociedade é séria, sisuda e triste e essa sociedade é a minha e a tua.

"tal como não ficaríamos genuinamente felizes se andássemos todos aos pulos ao mesmo tempo dentro do supermercado só porque alguém soprou num apito."

Se um apito é soprado num supermercado e todos resolverem gritar, cantar, pular é porque lhes apetece e isso é óptimo.

"Agora, dias para andar no metro sem calças, ou gente a simular a alegria só porque há um grupo que diz que está na hora"

Eu olho para o vídeo e não vejo ninguém a simular alegria, vejo gente a rir porque quer e vejo gente não rir porque não quer. No entanto sérias estavam todas as pessoas e se uma em 1000 presentes sorrirem com vontade, então, valeu a pena, pois quem faz isto fá-lo para partilhar momentos de alegria a alegria de fazerem o que gostam e fazendo-o fazem sorrir pessoas que vão a caminho de trabalhos que não gostam.,

"Rio-me destas ideias e deste post. Mas é porque quero. Amanhã se calhar apetece-me fazer cara séria e fingir que estou lixado da vida."

És livre de ser feliz e és livre de ser infeliz, ou fingir.
Mas quem encontra a forma de ser feliz contra todas as tendências com ou sem hora marcada para dar uma gargalhada, é sem dúvida alguma alguém que vive e não se limita a sobreviver.

  pepita chocolate

sexta-feira, novembro 06, 2009 9:40:00 da manhã

:)))))))))))))))))

Fico-me apenas por um sorriso. Já que não há nada melhor que sorrisos e gargalhadas. Mas há por aí muita gente que não me deixa sorrir.

  lunatiK

sexta-feira, novembro 06, 2009 11:11:00 da manhã

Um sorriso é contagiante, eu pelo menos não consigo ficar indiferente a um sorriso, respondo sempre, com outro sorriso.
No fundo é tão fácil sermos felizes, basta esquecermos o mundo conzento em que vivemos e partilhar momentos com os outros.
Cumps.

  Vani

sexta-feira, novembro 06, 2009 11:27:00 da manhã

Confesse que estou assim meio num limbo em que não encontro razões para sorrir ao me deparar com certas coisas. Mas depois, penso, "bolas,estás infeliz só porque aquele boss tem a mania que é um lord? manda-o pastar!" Ps - é que mandei mesmo ahahahahah!
ou, "bolas, estás infeliz porque a tese dá demasiado trabalho?" e em seguida, bem, ao menos podes permitir-te a fazer uma (se bem que do stress ninguem se livra :S). Ou, bolas que estas gajas são sabichonas e stressadas! e depois, bem, ao menos podes trabalhar com pessoas mais cabedal e mostrar a ti própria que ainda há gente com um palmo de testa, para além do cabedal...
Ou seja, para todo o sentimento negativo, haverá um lado positivo. O problema é encontrá-lo.

Mas esta história dos sorrisos fez-me lembrar um episódio no Verão. Estava num concerto e a passar-me completamente com bebados, ganzados, cotoveladas, empurrões (bem, eu detesto sitios a abarrotar de gente...) e devia estar com o ar de má a toda a prova...é que, um rapaz que estava à minha frente, todo deliciado com o concerto e a cagar-se para os empurrões, olhou para o meu ar de poucos amigos e disse-me, por gestos, como se fosse um mimo, "Um sorriso!" LOL, e acabei mesmo por sorrir :D. Pensei, um estranho que não me conhece de lado nenhum, tentou animar-me...isso dá-nos alguma esperança. E o concerto foi um pouco melhor (claro que uns quantos levaram umas cotoveladas e berros, mas sempre com um sorriso ahahahah).

  Vani

sexta-feira, novembro 06, 2009 11:27:00 da manhã

Errata - Confesso* (começa bem, começa)

  HAZEL

sexta-feira, novembro 06, 2009 11:54:00 da manhã

Vá-se lá entender uma coisa destas; estes filmes (que vi todos!) foram concebidos para nos fazer sorrir. E eu sorri. Mas também chorei. Isto quer dizer que estou a perder o hábito de sorrir só por sorrir, e quando sorrio assim fico muito emocionada. Parece que pulei um muro muito alto.

Caraças!
Ainda bem que fizeste este post.
Que grande "wake up call".
Tenho que sorrir mais, e até sou capaz de dar uns passinhos de dança quando for ao Toys 'r us comprar os presentes de Natal!
eheheheh

Viva a espontaneidade...!
Um dia feliz, Bruno!

  Marisa

sexta-feira, novembro 06, 2009 12:21:00 da tarde

No último vídeo fui consultar as minhas notas para confirmar se não estaria em TPM. Sim, porque comecei a sorrir e acabei com um nó na garganta e quase a chorar! Tanta emoção :) Afinal não é TPM, é "Brunite".

Obrigada.

p.s.- se não te importares, na segunda-feira (dia complicado da semana, logo seguido pela 3.ª, 4.ª, 5.ª e 6.ª), vou postar um destes vídeos com um link para o teu post. Porque disseste tudo. E fizeste-nos sorrir. Obrigada.

  I.D.Pena

sexta-feira, novembro 06, 2009 12:31:00 da tarde

Desde a adolescência quando disse adeus à infancia que reparei que me tornava mais sensivel à tristeza, menos impermeavel, porque é assim uma criança não precisa de muito para ser feliz, basta ser amada, depois tudo se complica inclusive nós complicamos e os outros complicam por nós tb, ainda hoje não me considero adulta, porque para mim um adulto é alguém que se recusa a ser criança. E é impossivel eu brincar como meu filho ou outra criança qualquer se não agir de forma acriançada também.
Já conhecia esse tipo de iniciativas , e de facto é tão bom quando se é surpreendido por algo positivo, é certo nem todos se deixam contagiar e tb nem todos gostam de surpresas.

Esta sociedade está feita para nos tornar autómatos sem opinião, consumidores escravos das modas.

Mas a vida é bem mais que isso.
Com tanta distração, com tanta desinformação, com tanto entretenimento bacoco que passa nas nosssas televisões, existe um sem numero de opções que ficaram para trás.
Para além do mais a tecnologia deveria servir sempre e sempre para nos facilitar a vida, mas não. (Por exemplo a televisão poderia servir em exclusivo para ensinar.)

Eu nunca vou entender porque razão o poder corrompe tanto uma mente, apenas não dou valor ao controle dos outros e por isso a mim não me faz sentido algum quando alguém se satisfaz por ser um carniceiro. :S

Enfim, belas sugestões que aqui deixas, sorrir e rir é de facto um bom remédio. Eu adoro fazer rir.
:)

  AndersonFM

sexta-feira, novembro 06, 2009 3:44:00 da tarde

A música, música verdadeira, é tão bela, e tudo isto prova-o. Prova também que a música une as pessoas, mesmo que seja por um tempo limitado (mas também quase tudo na vida é assim) e que quebra correntes do sistema.
E a missão continua.

  johnny

sexta-feira, novembro 06, 2009 7:45:00 da tarde

Espectacular. A mim estes vídeos fizeram-me sorrir. Gostei bastante.

  Sammy

sábado, novembro 07, 2009 12:03:00 da tarde

" Chora e chorarás sozinho, sorri e o Mundo sorrirá contigo"
;)

  Mulheka

domingo, novembro 08, 2009 10:12:00 da manhã

Eu sorri ao ver estes vídeos porque quis, ninguém obrigou.
A música, é de facto, uma coisa fantástica.

No entanto, não concordo com a última frase do post. A vida nem sempre é bela e não somos felizes só pelo facto de querermos ser. Existem muitos factores para além nós para que isso possa acontecer.

  Mulheka

domingo, novembro 08, 2009 11:03:00 da tarde

ah btw, free hugs também é uma óptima iniciativa. há videos mt bons :)

  VCosta

segunda-feira, novembro 09, 2009 4:22:00 da tarde

Fantástico...

  Stiletto

terça-feira, novembro 10, 2009 2:47:00 da manhã

muito bom! Cá em Portugal fez-se algo semelhante, no CC Vasco da Gama, para o lançamento de uma marca de detergentes (Surf). Está no Utube, se quiseres ver.
Muito bom! Eu sorri várias vezes :-)

  Inconstante

terça-feira, novembro 10, 2009 12:29:00 da tarde

um profundo agradecimento pelos minutos que estive com cara de parva a sorrir para o ecrã...estou mesmo a precisar.

beijo

  Catherine

domingo, janeiro 31, 2010 9:29:00 da tarde

;) foi óptimo ter perdido os últimos minutos a ver estes vídeos, óptimos !

Catherine