O que dizem as bulas?

Após ter ouvido dizer que a Pandemirx era insegura para crianças e por isso a Suíça
ter proibido a utilização desta vacina a menores de 18 anos, pude finalmente confirmar lendo a informação na bula desta vacina, que diz:

"A segurança e eficácia da vacina H1N1 de 2009 não foi estabelecida em mulheres
grávidas e crianças de idade inferior a 18 anos."
"A vacina não é recomendada a crianças com menos de 6 meses."

Em todas as a faixas etárias inferiores a 18 anos, a posologia é precedida pela frase "se a vacinação for considerada necessária", uma frase de precaução por a vacina não ter sido testada e essa vacinação ser responsabilidade do médico.

Está escrito na bula! Qual é a confusão? Que idade tem um feto?

A CDC diz no seu website que:
"Mulheres grávidas e crianças devem ser vacinadas com uma vacina sem adjuvantes".

A CDC segue recomendações da OMS!

A confusão é simples: Os EUA e Canada possuem 4 vacinas sem adjuvantes. A Europa
possui uma vacina sem adjuvantes que é a Celvapan e não está a ser comercializada, mas está a ser disponibilizada quando dizem que não foi testada. Confusos?




Eu sei que ninguém gosta de ler as instruções dos produtos que compra, mas nem
sequer lê as bulas dos medicamentos? Ok, a desculpa usada é que mulheres grávidas perdem os filhos todos os dias e que não podemos ligar as mortes à vacina. Será? Será que não podemos ligar sabendo que a vacina não é segura e não o é segundo as palavras do laboratório que a criou?
Vamos continuar a tapar o sol com a peneira até quando? Até quando é que vamos
rotular como loucos quem tenta expor os casos? Será que agora é também loucura ler
as bulas? Temos de aceitar um medicamento com confiança cega nos médicos, quando
são os próprios médicos a dizer que em qualquer diagnóstico ou tratamento devemos
pedir uma segunda opinião? Se devemos pedir sempre uma segunda opinião é porque os médicos não são perfeitos e erram, como é que se pode esperar que eles não errem ao dizer que a vacina é segura para grávidas, quando a bula da vacina diz o contrário?

Parece que a solução seria usar a Celvapan visto que a Pandemirx não serve para
crianças e a CDC/OMS aconselham vacinas sem adjuvantes nas grávidas nos EUA portanto deverá ser mais segura. Vamos ler a bula da Celvapan:

"Não há actualmente experiências clínicas com Celvapan em adultos, idosos,
crianças ou adolescentes.
A decisão de usar Celvapan em cada grupo etário deve tomar em consideração a
extensão dos testes clínicos disponíveis com a versão da vacina contendo o
antigénio H5N1 e as características da actual pandemia de gripe"

Ou seja, não há teste nenhum em grupo etário nenhum e que pelos vistos nós é que temos de fazer de cientistas e tomar em consideração coisas sobre as quais não temos de ter entendimento pois não é o nosso trabalho. Por outras palavras, eles dizem: "Arrisquem, se correr mal este aviso será a nossa defesa"

Mas a bula diz algo que contradiz a CDC/OMS:

"Não há dados de posologia para crianças e adolescentes. No entanto se a vacinação for considerada necessária, a experiência com vacinas similares sugerem que a dose de adulto seja apropriada.
A dosagem a usar deverá ter em consideração a quantidade de informação sobre as características da actual pandemia de gripe.
Esta vacina não é recomendada a crianças com menos de 6 meses."

De acordo com coisas parecidas mas nada similares à pandemia H1N1 a dosagem de um adulto numa criança será, talvez, quem sabe apropriada, mas devem investigar primeiro que nós os cientistas não temos tempo para essas merdas. No entanto não recomendam a vacina a menores de 6 meses. Julgo que um feto poderá ser considerado como menor de 6 meses, logo a vacina sem adjuvantes não deverá ser dada às grávidas entrando em conflito directo com o que a CDC/OMS diz! Em que é que ficamos?

"A vacina é segura!", afirma o pediatra lá do bairro. É? E os testes clínicos onde estão? Será segura com base no relatório de segurança que irá sair em Dezembro de 2010? Ou será segura de acordo com as bulas que não dão garantias de segurança mas que contradizem a OMS através de CDC?
Qual é a confusão? Em caso de dúvida devemos ou não injectar algo no nosso corpo? Qual é a origem das certezas de segurança da vacina por parte dos médicos, quando a documentação dos criadores está repleta de dúvidas?

Como é que um irresponsável como o senhor Mário Cordeiro, Pediatra e professor de Saúde Pública, escreveu no Público: "A vacina da gripe A é uma vacina segura e eficaz. Repito: segura e eficaz". Não basta dizer uma tolice que ainda é tolo ao ponto de a repetir no mesmo parágrafo? O que é que este senhor sabe que a Baxter e GSK não sabem, mesmo sendo os criadores da vacina?
E que tal eu e pessoas como eu poderem descansar um pouco, sem levar com "mostra-me provas, mostra-me as fontes" e começarem a exigir a estes médicos provas e fontes, pois eu estou a usar a documentação que eles possuem nas suas secretárias. Não a leram? Eu li!

Não vamos criticar as farmacêuticas pois elas dizem que não fizeram os devidos testes e não recomendam as vacinas em certos escalões etários. Temos sim é de apertar com médicos irresponsáveis que falam como se soubessem mais do que os criadores das vacinas.
Se optarem pela vacina, exijam que o vosso médico assuma as certezas de segurança que vos dá, e assine um termo de responsabilidade. Se ele não assinar, acho que ficamos a saber a sua verdadeira opinião!


Nota: Aqui estão as informações saídas da Baxter, produtor da vacina Celvapan (Celvapan (Baxter) Summary of Product Characteristics), e aqui estão essas informações devidamente editadas e seleccionadas para conhecimento do consumidor (Celvapan (Baxter) patient information leaflet).
Aqui estão as infromações saídas da GSK, produtor da Pandemirx (Pandemrix (GSK) Summary of Product Characteristics), e aqui estão essas informações devidamente editadas e seleccionadas para conhecimento do consumidor (Pandemrix (GSK) patient information leaflet)



20 Comentários:

  Anónimo

sexta-feira, novembro 27, 2009 11:33:00 da manhã

Acerca do dito pediatra famoso pode ler a sua contribuição prestando serviço público com a sua opinião baseada… não sei no quê… enfim! :o(

Pode ler aqui, no seu blog e os 94 comentários - http://azulnuvem.blogspot.com/2009/11/vacina-anti-gripe.html

Sou uma mãe que DISCORDA com a vacina e que lamenta o facto de alguém decidir se vacina ou não o seu filho baseando-se na opinião de um médico, ainda que com algum mérito, mas que nunca se viu na vida!

Bom fim-de-semana.

Tété

  I.D.Pena

sexta-feira, novembro 27, 2009 12:12:00 da tarde

Nunca percebi pk as gravidas eram um grupo de risco, sinceramente não sei onde esta escrito que quando uma mulher está gravida fica mais propensa a gripes e a males menores.
E ontem ouvi na tv, sim porque agora interessa-me saber a merda que os media deitam cá para fora, que as mães com crianças pequenas também eram um grupo de risco, engraçado, mas quemé que não tá em risco ? Que conveniente, eu gostava era de saber quem eles consideram que não é um grupo de risco, para me rir, um bocado. Sério é um insulto à nossa própria inteligência, um atentado , todos aqueles joguinhos de palavras, e maneiras disfarçadas de agir, omitindo...
Grupos de risco são pessoas propensas a doenças. As grávidas não estão incluídas nesses grupo, gravidez não é doença, a não ser que seja uma gravidez de risco.

Se a CELVAPAN é segura, então há que exigir essa e só essa vacina.

Não estou a dizer que são todos uma cambada de filhas da puta, não! *toneladas de ironia*

O que estou a dizer é que todos os medicos que aparecem na tv a dizer que é normal fetos morrerem 24 a 48 depois da administração da vacina arriscam-se a ser considerados como carrascos charlatões , oportunistas, etc,

Já li e vi e ouvi vários medicos muito conhecidos a defender a vacinação com PANDEMRIX , cá em PORTUGAL, e é estranho pk depois atiram-nos com areia para os olhos, a dizer que é normal aquele timming.

Mas também há que ter em conta o caus que pode criar, é uma bomba para o publico saber que está a decorrer uma vacinação com uma vacina nada segura e pouco testada. Eu digo a todos para não se vacinar, mas tb acredito que há muita gente que sobreviverá à vacina. Sindromas como os que já referiste aparecem tardiamente, ainda é cedo para concluir.

Sobretudo nunca esquecer que a escolha de se ser vacinado ou não ainda é nossa. .. Por enquanto não temos leis marciais, nem quarentenas, nem nada.

  Jane Doe

sexta-feira, novembro 27, 2009 4:03:00 da tarde

I.D. Pena:

As grávidas são consideradas grupo de risco pela simples razão de que têm um feto a gerar-se, uma vida. Se ficam doentes toda a terapêutica administrada pode afectar o feto, que se encontra em desenvolvimento podendo gerar complicações graves, malformaçoes, etc.

Quanto a mães com filhos pequenos, talvez possa ser mais rebuscado, mas uma mãe, que cuida do seu filho recém nascido, e fica doente, pode transmitir à criança e aí se passa o mesmo com a terapêutica. Uma criança pequena, ou recém nascido não tem a capacidade que tem um adulto de metabolizar os fármacos que lhe tenham que ser administrados para tratar e curar a infecção.

Grupos de riscos são todos aqueles que estejam mais vulneráveis a contrair a doença, quer seja por complicações anteriores, defesas imunitárias reduzidas, ou estarem em constante contacto com pessoas com estas características. Daí o pessoal médico ser dos primeiros a ser vacinado.

:)

  I.D.Pena

sexta-feira, novembro 27, 2009 6:56:00 da tarde

onde disse:

as quemé que não tá em risco ?

queria dizer:

mas afinal de contas quem é que NÃO está em risco?
:/

  Bruno Fehr

sábado, novembro 28, 2009 1:38:00 da manhã

Anónimo:

"Acerca do dito pediatra famoso"

Muito obrigado, tive a oportunidade de ter um monólogo com esse senhor, pois as respostas dele não foram às minhas questões, mas sim devaneios infantis que me fazem colocar o diploma dele ao lado do do Sócrates. Não digo que seja mau médico, mas não me inspira confiança e filho meu não seria colocado nas mãos dele.

Questionei-o sobre o que estava escrito nas bulas (o tema deste texto) e dei-lhe o link das mesmas, 6 minutos depois e obviamente sem ter lido os documentos ele reponde dizendo "bulas há muitas", ou seja, um dito médico que nos diz que as bulas são secundárias, o importante é a opinião dele mesmo não tendo documentação que a suporte.

Obviamente irei dedicar algumas palavras a esse senhor no meu próximo texto, refutando os argumentos por ele usados.

"Sou uma mãe que DISCORDA com a vacina e que lamenta o facto de alguém decidir se vacina ou não o seu filho baseando-se na opinião de um médico, ainda que com algum mérito, mas que nunca se viu na vida!"

Não podemos esquecer a quantidade de médicos que partem em cruzeiros pelo mediterrâneo, viagens oferecidas por uma farmacêutica qualquer.
A culpa não é de todos, mas muitos preferem umas boas a férias no lugar de prestar um bom serviço.

  Bruno Fehr

sábado, novembro 28, 2009 1:38:00 da manhã

I.D.Pena:

"Nunca percebi pk as gravidas eram um grupo de risco, sinceramente não sei onde esta escrito que quando uma mulher está gravida fica mais propensa a gripes e a males menores."

Não fica, antes pelo contrário uma mulher reforça o seu instinto maternal que parece aumentar o seu sistema imunitário. Deve de haver mas não me lembro de alguma vez ter encontrado uma mulher grávida constipada, mas estarei mais atento.

Vacinar uma grávida é vacinar um bebé, neste caso com uma vacina não recomendada a menores de 6 meses. O pior é que antes de a criança ter um sistema imunitário constituído já está a levar com drogas que afectarão esse mesmo sistema.

"as mães com crianças pequenas também eram um grupo de risco"

São grupo de risco, só em Portugal, Reino Unido e EUA, mas ninguém as está a vacinar.

"Grupos de risco são pessoas propensas a doenças."

Diabéticos, asmáticos, obesos e pessoas com problemas cardíacos são as únicas vitimas desta gripe, no entanto estão no final da final depois das grávidas e das crianças e dos idosos. Os idosos até compreendo.

"Se a CELVAPAN é segura, então há que exigir essa e só essa vacina."

A Celvapan foi criada do modo mais seguro, cultura de células, e não tem adjuvantes no entanto também admitem que não foi testada em ninguém.

"Já li e vi e ouvi vários medicos muito conhecidos a defender a vacinação com PANDEMRIX , cá em PORTUGAL, e é estranho pk depois atiram-nos com areia para os olhos, a dizer que é normal aquele timming."

Vai para um cruzeiro no próximo verão no mediterrâneo e poderás ver muitos deles lá. As farmacêuticas adoram oferecer viagens aos seus melhores vendedores. Se repararmos bem, muitos médicos trocam o seu diploma por um de relações públicas de farmacêuticas.

  Bruno Fehr

sábado, novembro 28, 2009 1:38:00 da manhã

Jane Doe:

"Se ficam doentes toda a terapêutica administrada pode afectar o feto, que se encontra em desenvolvimento podendo gerar complicações graves, malformaçoes, etc."

A vacina que não é recomendada pelos criadores a crianças com menos de 6 meses, ao ser administrada na mãe é indirectamente administrada numa criança com menos de 6 meses. Ou seja isto é o mesmo que prender alguém por um crime que pode vir a cometer.

  Jane Doe

sábado, novembro 28, 2009 1:46:00 da manhã

Bruno Fehr:

"Ou seja isto é o mesmo que prender alguém por um crime que pode vir a cometer."

Não entendi.

Eu estava a falar da definição de grupos de risco.

"Deve de haver mas não me lembro de alguma vez ter encontrado uma mulher grávida constipada, mas estarei mais atento."

É claro que as grávidas ficam constipadas e adoecem. Pode ser que o sistema imunitário fortaleça mas isso não as torna 100% imunes. Quer dizer... Se não nem havia problemas e polémicas no que respeita a medicação na gravidez. Para quê?

"Diabéticos, asmáticos, obesos e pessoas com problemas cardíacos são as únicas vitimas desta gripe,"

Não são as únicas vítimas da gripe, são, sim, os grupos com mais probabilidades de desenvolver complicações, ou de ter menos resposta imunológica natural. Tal como acontece com a gripe sazonal!

  Bruno Fehr

sábado, novembro 28, 2009 1:59:00 da manhã

Jane Doe:

"Não entendi."

Considerar as mulheres grávidas como grupos de risco e vaciná-las só porque podem ficar doentes, é o mesmo principio da lei Britânica de prisão preventiva com base no DNA, prender alguém antes de cometer um crime, só porque o pode cometer.
Estão a dar vacinas às grávidas porque elas podem ficar doentes e o tratamento afectar o bebé, mas não há tratamento para o H1N1, logo o problema não se coloca, visto que estamos a falar do H1N1 e sua vacina. O que está a acontecer é que estão sob um falso pretexto a vacina também os bebés nas suas barrigas, o que não é aconselhado pelos criadores das vacinas.

"É claro que as grávidas ficam constipadas e adoecem. Pode ser que o sistema imunitário fortaleça mas isso não as torna 100% imunes."

Claro que não, mas certamente não as torna mais vulneráveis.

"Não são as únicas vítimas da gripe, são, sim, os grupos com mais probabilidades de desenvolver complicações, ou de ter menos resposta imunológica natural."

Quando falo em vitimas não falo em contaminados, as vitimas são os mortos e até agora não há vitimas a registar em pessoas saudáveis.

  Jane Doe

sábado, novembro 28, 2009 2:13:00 da manhã

Bruno Fehr:

"(...)mas não há tratamento para o H1N1, logo o problema não se coloca, visto que estamos a falar do H1N1 e sua vacina."

Existe. Tamiflu e Relenza. Para tratamento contra o Vírus Influenza A.

"O que está a acontecer é que estão sob um falso pretexto a vacina também os bebés nas suas barrigas, o que não é aconselhado pelos criadores das vacinas."

O pretexto não é falso se considerarmos que uma mãe ficando infectada com o vírus, e tendo de se submeter ao tratamento isso significa um risco acrescido para o feto, já que não existem dados concretos sobre os efeitos do fármaco em questão. (Existem sim dados de monitorização pós comercialização, de que será seguro. Pessoalmente não sei se quereria arriscar.) A grande questão, é com tantos pareceres desfavoráveis no que respeita à vacinação a mulheres grávidas, que ainda assim esta esteja a ser aplicada. Simplesmente NÃO devia.

"Claro que não, mas certamente não as torna mais vulneráveis. "

Mas torna o feto vulnerável ao tratamento.

  Bruno Fehr

sábado, novembro 28, 2009 2:32:00 da manhã

Jane Doe:

Fantástico a minha resposta apareceu ANTES do teu comentário, isto sim é rapidez, ahahahaha.

"Existe. Tamiflu e Relenza. Para tratamento contra o Vírus Influenza A."

Isso é e sempre foi mito, o Tamiflu e Relenza não previnem, não curam não fazem nada contra o vírus H1N1, foi um excelente negócio já exposto um pouco por todo o mundo e mesmo a comunidade cientifica está maioritariamente de acordo.
O Japão até proibiu a seu consumo a menores e agora investigam o perigo que estes medicamentos estão a causar num ressurgimento do H5N1, pois a urina de quem toma estes medicamentos está a contaminar as águas e apesar de não fazer mal aos humanos poderá fazer com que as aves criem resistência ao fosfato de oseltamivir.

"O pretexto não é falso se considerarmos que uma mãe ficando infectada com o vírus, e tendo de se submeter ao tratamento isso significa um risco acrescido para o feto"

Estão a vacinar porque "pode" ficar doente com uma vacina que "pode" matar o feto porque não é aconselhada a menores de 6 meses. Qual é a dúvida? Usar um medicamento não recomendado para o feto só porque a mãe pode ficar doente?

Então e o risco para todas as mães e pais se não se querem vacinar ao terem os seus filhos vacinados para poderem ir à escola? Ele constipa-se, espirra para cima dos pais e os pais não vacinados levam com o H1N1, este é um cenário provável. O grande numero de vacinados arriscam os efeitos secundários na vacinação, mas ao não acontecer nada colocam em risco todos os não vacinados.

Os grupos de risco, são os alvos mais fáceis, primeiro grávidas, crianças e velhos, depois destes estarem vacinados o grupo de risco serão as mães e pais com filhos vacinados, mais tarde o grupo de risco serão todos o que estão em contacto com vacinados e por fim até o ermita que nunca sai de casa será um grupo de risco.

Todos sabemos que todos somos um grupo de risco, quer para apanhar H1N1, quer para sermos atropelados, só precisamos de esperar que nos coloquem o rótulo. Dividir para conquistar, é mais fácil convencer as pessoas dividindo-as em grupos mesmo que não tenha lógica nenhuma.

"(Existem sim dados de monitorização pós comercialização, de que será seguro. Pessoalmente não sei se quereria arriscar.)"

E mesmo esses dados só serão oficializados dentro de pouco mais de 12 meses, altura em que a maior parte dos países conta em ter 70% das suas populações vacinadas. Além disso saem ainda depois da vacinação 2010 ter começado, sim pois estas duas doses não são únicas ou eternas, as cartas de vacinação que vi Americanas contemplam duas doses 2009 e duas doses 2010.

"A grande questão, é com tantos pareceres desfavoráveis no que respeita à vacinação a mulheres grávidas, que ainda assim esta esteja a ser aplicada. Simplesmente NÃO devia."

Os pareceres desfavoráveis são dos malucos das conspirações, mesmo que sejam cientistas ou médicos. O povinho acredita!

"Mas torna o feto vulnerável ao tratamento."

O feto é pode ser vulnerável à vacina (de acordo com os criadores da mesma), por isso mais vale esperar para ver se a mulher fica doente antes de pensar nos problemas que o tratamento pode causar à criança.

  Jane Doe

sábado, novembro 28, 2009 2:40:00 da manhã

Bruno Fehr:

Não foi rapidez, o blogger é que retrocedeu no tempo. Já não me bastava o msn agora também estes...

"Isso é e sempre foi mito, o Tamiflu e Relenza não previnem, não curam não fazem nada contra o vírus H1N1, foi um excelente negócio já exposto um pouco por todo o mundo e mesmo a comunidade cientifica está maioritariamente de acordo.
O Japão até proibiu a seu consumo a menores e agora investigam o perigo que estes medicamentos estão a causar num ressurgimento do H5N1, pois a urina de quem toma estes medicamentos está a contaminar as águas e apesar de não fazer mal aos humanos poderá fazer com que as aves criem resistência ao fosfato de oseltamivir."

Ok! Se tu o dizes... Eu limitei-me a ler a bula, para confirmar o que sabia sobre o assunto, mas não me debrucei demasiadamente sobre a questão. O que lá está é que neutraliza um grupo qualquer do vírus, e pronto. Lá se estão a mentir isso já não faço a mais pálida ideia. Sei, sim, que cada vez que se fala em gripe, o Tamiflu desaparece como caramelos.

"Os pareceres desfavoráveis são dos malucos das conspirações, mesmo que sejam cientistas ou médicos. O povinho acredita!"

Ahahah! Claro! Desses e do folheto informativo. Neste ponto estamos de acordo. Somos nós que somos maluquinhos. Claro!


"O feto é pode ser vulnerável à vacina (de acordo com os criadores da mesma), por isso mais vale esperar para ver se a mulher fica doente antes de pensar nos problemas que o tratamento pode causar à criança."

Também o é ao tratamento. Porque se falas na ineficácia do Tamiflu, vai ver então os efeitos secundários, vai... E sim, à vacina. Pensando na Pandemrix com o seu belo esqualeno... Isso para o processo de desenvolvimento do sistema nervoso e neurológico do feto deve ser uma maravilha. Eu nem quero pensar.

P.S.:Sim, sim, eu não percebo um cu disto e não sei do que estou a falar. Só para o caso de virem por aí dizer que estou a dizer burrices.

  Teté

sábado, novembro 28, 2009 10:41:00 da manhã

Bruno, aquela Teté lá de cima não sou eu, embora também ninguém da minha família vá ser vacinado "contra" a gripá.

Toda esta história cheira a esturro, que vacinas obrigatórias há muitas, mas devidamente testadas, não assim de "pé para a mão", com uma gripe que causa menos mortes que a sazonal...

Bom fim-de-semana para ti!

  mãe pimpolha

sábado, novembro 28, 2009 5:01:00 da tarde

Ui, cuidado, não se pode falar mal deste sr. pediatra. É Deus no céu e ele na terra. LOL
Como já disse aqui em casa não houve vacina para ninguém, para o piolho só se aparecer um dia destes a que não tem o adjuvante.
Beijocas

  Bruno Fehr

domingo, novembro 29, 2009 2:10:00 da manhã

Jane Doe:

"O que lá está é que neutraliza um grupo qualquer do vírus"

Também é apresentado como algo a tomar quando aparecem os sintomas e o pânico fez com que as pessoas tomassem como prevenção.

"Também o é ao tratamento. Porque se falas na ineficácia do Tamiflu, vai ver então os efeitos secundários, vai..."

Essa é a questão, usar algo com efeitos secundários perigosos para combater algo tão banal como uma gripe. Até a nossa ministra da saúde que continua a apelar à vacinação rotulou o vírus H1N1 como benigno.

  Bruno Fehr

domingo, novembro 29, 2009 2:10:00 da manhã

Teté:

"Bruno, aquela Teté lá de cima não sou eu, embora também ninguém da minha família vá ser vacinado "contra" a gripá."

Parti desse principio pois usas sempre a tua conta para comentar.

!não assim de "pé para a mão", com uma gripe que causa menos mortes que a sazonal..."

Podes por menos nisso, é uma relação de 1 morte por H1N1 contra no mínimo 1.000 de gripe sazonal, no entanto o monstro assassino continua a ser o H1N1.

As diferenças entre as gripes são tão difíceis de diagnosticar que acredito que muitas mortes por uma gripe sazonal estejam a ser atribuídas ao H1N1. Até porque os dados sobre a gripe sazonal nem sequer estão a ser devidamente revelados.

  Bruno Fehr

domingo, novembro 29, 2009 2:10:00 da manhã

mãe pimpolha:

"Ui, cuidado, não se pode falar mal deste sr. pediatra. É Deus no céu e ele na terra. LOL"

É interessante a tua escolha de palavras, pois estou neste momento a escrever sobre esse senhor e rotulei-o como um Messias, pois não tem dados documentais para sustentar o que diz e quer que as pessoas acreditem nele... isto lembra-me a fé. Ele quer que tenham fé nele!

  mãe pimpolha

domingo, novembro 29, 2009 10:00:00 da tarde

Eu já li a vossa troca de palavras, a mim ele não me convenceu. A pediatra do meu Eduardo disse que era obrigada a aconselhar a vacina, mas que no fundo não se justificava.
Eu disse-lhe logo que não a ia dar, mesmo agora que sou colocada constantemente a trabalhar na gripolândia.
Dei-lhe as minhas razões e ela concordou comigo e disse para estar apenas atenta a sinais de complicações, que podem ocorrer em qualquer gripe, ou até uma constipação.
Resta acrescentar que adorei o post acima, se eu o pusesse no meu blog, era logo fulminada. LOL
Beijocas

  Bruno Fehr

domingo, novembro 29, 2009 10:19:00 da tarde

mãe pimpolha:

"Eu já li a vossa troca de palavras, a mim ele não me convenceu."

Nem convenceu ninguém que saiba ler, evitou todas as questões e manteve-se no seu discurso num tom infantil. Um pediatra infantil não seria com toda a certeza pediatra do meu filho!

Essa troca de palavras será o tema do texto de amanha, pois não sou do tipo de o humilhar no seu próprio blogue, mas com toda a certeza irei comentar neste meu espaço.

A gripe H1N1 é uma gripe que poderá matar quem já tem algumas doenças, que é saudável irá sofrer como se sofre numa gripe normal, mas com um pouco mais de febre e um pouco mais de dores.
Tal como aconteceu no Minho, aqui também fecharam um escola mas em vez de 23 contaminados, eram mais de 230. Já passaram 3 semanas todos estão recuperados ninguém morreu.
Mesmo aqui ao lado o governo francês alertou que os contaminados com o vírus passaram de 700.000 para mais de 2 milhões e 700.000 mas o numero de mortes continua o mesmo, 48.

"Resta acrescentar que adorei o post acima, se eu o pusesse no meu blog, era logo fulminada. LOL"

Os eternos cépticos, gosto muito deles em principal os que negam logo tudo sem apresentar um único documento e muitas vezes sem lerem os documentos que apresento. A maioria das pessoas cria a sua opinião não baseada em informação mas sim na opinião de terceiros. É o que acontece num rebanho, as ovelhas sem opinião seguem-se umas às outras e sua direcção é controlada pelo pastor com ajuda do cão, que são uma espécie de governo e autoridade.

No fundo somos um rebanho a caminho da tosquia e quem não vai são ovelhas negras que "precisam" de ser punidas.

  Anónimo

quinta-feira, fevereiro 04, 2010 2:34:00 da manhã

China and Russia put the blame on some screwed up experiments of US for the earthquake that happened in Haiti.
Chinese and Russian Military scientists, these reports say, are concurring with Canadian researcher, and former Asia-Pacific Bureau Chief of Forbes Magazine, Benjamin Fulford, who in a very disturbing video released from his Japanese offices to the American public, details how the United States attacked China by the firing of a 90 Million Volt Shockwave from the Americans High Frequency Active Auroral Research Program (HAARP) facilities in Alaska
If we can recollect a previous news when US blamed Russia for the earthquake in Georgio. What do you guys think? Is it really possible to create an earthquake by humans?
I came across this [url=http://universalages.com/hot-news/what-happened-in-haiti-is-it-related-to-haarp/]article about Haiti Earthquake[/url] in some blog it seems very interesting, but conspiracy theories have always been there.