Mais um, no passado!


Finalmente acabou a época festiva mais hipócrita dos nossos tempos.



É hipócrita, pois pessoas que se dizem "não religiosas", agnósticos, ateus, satânicos e o raio que os parta, todos festejam o Natal. O dia em que o "salvador" nasceu, o dia em renascerá!
O menino Jesus, que há 2008 anos que está na palhas ora deitado, ora estendido. O mesmo que "menino" que morreu aos 33 anos, já muito pouco menino. O mesmo que prometeu voltar, mas esqueceu-se... Eu esqueço-me de muita merda que digo, no espaço de dias, mas não me esqueço das coisas que prometo!


Além de toda a gente festejar o nascimento de um menino, já bem velhinho. Trocam presentes, contrariados. Dão presentes porque se sentem obrigados a dar. Presentes caros ou baratos aos quais quem recebe não dá nenhum valor e quem dá, chora o dinheiro gasto.


É uma época com significado histórico, mas vazia de sentimento.


Já alguma vez uma criança, pegou em algo que é vosso, embrulhou e vos deu? Este Natal recebi presentes ocos, dados pois é socialmente correcto dar. Recebi presentes caros, como se o preço deles fosse influenciar a maneira como vejo as outra pessoas.
Também sou culpado. Apesar de me manter firme no meu agnosticismo que me impede de festejar esta data, troco presentes, mais por influência social. Troco com pessoas amo e dou a quem vive o Natal como ele deve ser vivido, com crianças. Enviei presentes a crianças que nunca vi e talvez nunca veja, pois é esse o sentimento que quero retirar de toda esta hipocrisia, a satisfação de dar, porque quero dar, sem que quem recebe se sinta na obrigação de retribuir.
Recebi, o verdadeiro presente de Natal este ano. Uma criança de 5 anos, que me queira dar um presente, pegou no meu telemóvel da mesa, foi para o seu quarto, embrulhou-o e veio oferecer-me o embrulho. Claro que eu já sabia que era o meu telemóvel que estava lá, mas aquele gesto é o verdadeiro gesto de dar é o que me faz acreditar na frase, "o que conta é a intenção". Esta frase não se aplica a adultos, pois eles esperam sempre algo em troca. Esta criança, deu-me algo que era meu, ela própria fez o embrulho e colou um laço. Com um sorriso gigantesco veio até mim, com o presente. A intenção pura dela, é o verdadeiro presente.


É por causa das crianças que eu tolero o Natal e tolero o abuso dos adultos que tomaram o Natal como deles, roubando-lhe todo o significado!


Claro que eu não critico só os não religiosos, por festejarem o nascimento de Cristo. Eu critico tanto ou mais os religiosos. Um religioso que gasta fortunas a comprar merdas que não precisa. Gasta fortunas em comida para uma noite, que daria para alimentar um exército. Gasta fortunas, para ter decorações de Natal melhores que as dos vizinhos. Come, bebe e dorme. No Natal, um religioso comete a maioria dos sete pecados mortais. Ou seja, faz no Natal tudo o que irá de acordo com as suas crenças condenar a sua alma: Avareza, Soberba, Inveja, Gula, Preguiça, Luxúria, Ira.


"O Natal é quando um homem quiser". Acho que se assim fosse, seria um pesadelo viver. Acho que uma vez por ano, já são vezes demais, para fingirmos que somos quem não somos.


Agora o ano novo... Isso é outra estória. Aí eu festejo. Muita gente diz que festeja, dando as boas-vindas ao novo ano e que esse ano seja melhor. Outros despedem-se do ano que passou, desejando que o próximo seja no mínimo, tão bom. Eu não sei bem o que festejo, mas visto que é uma festa vazia de significado religioso, eu vou na onda...

62 Comentários:

  Pax

quarta-feira, dezembro 26, 2007 7:19:00 da tarde

Uma criança de 6 anos disse-me que tinha pedido ao pai natal duas coisas...uma pista de automoveis e um telecomandado...eu perguntei "-Então e papinha para os meninos que tem fome, não se pede?". Ele olhou-me com uns olhos tristes de quem foi apanhado em falta e justificou: "-Isso não vinha no catalogo...".
Pois é, nos catalogos das lojas de brinquedos não vem o que mais importa, cabe-nos a nós fazer alguma diferença.
Bom ano.

  Foi Bom

quarta-feira, dezembro 26, 2007 8:25:00 da tarde

Despeço-me constantemente do meu sobrinho da mesma forma: "vou ter muitas saudades tuas!"
- "Mas desta vez não vais ter, tia"
- "Ai não? Então porquê?"
- "E o postal de Natal que desenhei para ti a dizer Feliz Natal?"

O postal, e os beijos de amor que recebo deles são sempre a melhor prenda do mundo!

Pronto, ok, a encomenda vinda directamente da alemanha ainda não chegou, mas essa parte vai dar um post...:P

  Zaka

quarta-feira, dezembro 26, 2007 8:48:00 da tarde

Como não tenho crianças ao meu redor, vivo o natal como uma imposição social que a mim me dá jeito por causa do feriado!
Não costumo trocar prendas com o gajo nesta data e apenas compro prendas para os meus pais (principalmente porque ele faz anos a 24!) e para as velhas: a avó e a sogra!
E foi para ela que este ano fizémos natal!
Para mim... foi mais um dia em que apenas diferiu tê-las as duas a jantar cá em casa!

O Ano Novo vai ser uma festarola cá em casa! :P

Beijocas

  PsYcHo_MiNd

quarta-feira, dezembro 26, 2007 9:26:00 da tarde

Mas muitas pessoas ainda que ateus ou lá o que se queiram chamar, festejam o Natal por simples acto social. Faz parte da tradição familiar, eu próprio sou assim, não ligo ao dia como sendo o 'Natal', mas como parte da minha família comemoro-o estando na presença deles.

  AlfmaniaK

quarta-feira, dezembro 26, 2007 9:45:00 da tarde

Eu não celebro o nascimento do menino "esquecido", e tão pouco sou religioso. Mas celebro o Natal.
E celebro porque a Coca-cola inventou um gajo gordo todo fixe cuja influência permitiu que eu recebesse prendas melhores de ano para ano (viva o capitalismo)... quanto ao menino(?) esse que fique deitado nas palhas. Quando quiser aparecer, será bem vindo. Até lhe pago um copo e ofereço um bacalhau!

Boas festas e bom ano!

  Kátia

quarta-feira, dezembro 26, 2007 10:38:00 da tarde

Enfim algo que concordo totalmente com você!!!! Finalmente!!!!
:))))

  Cold_cold_Bitch

quarta-feira, dezembro 26, 2007 11:08:00 da tarde

Oh Crest, explica-me só porque é que quando carrego nos teus comments me aparece primeiro uma página do ebay... Isto só acontece comigo? (não estou a brincar).

p.s._ a iguana agradece a pensão de alimentos paga pontualmente, hehehe

  Ana

quinta-feira, dezembro 27, 2007 12:07:00 da manhã

Os doces são a unica coisa que valem a pena nesta altura!

Eu ganhei um desenho feito pelo filho de uma amiga minha com 2 anos. Mandei emoldurar e tudo. Ficou um belo picasso ;)

  miss bradshaw

quinta-feira, dezembro 27, 2007 12:17:00 da manhã

sao as prendas deles ,as caras deles e as reacçoes deles que me fazem atuarr aqueles somiticos todos na noite de natal!

dao prendas por dar e porque teem dinheiro,so isso.

o meu sobrinho recebeu tanta porcaria que ja nem para as coisas olhava....bonito!

enfim,apesar de tudo é um previlegio olhara para a cara dele estupidamente feliz por receber um homem aranha =)

  afectado

quinta-feira, dezembro 27, 2007 12:33:00 da manhã

Sem dúvida que o sorriso genuíno de uma criança nesta altura, vale pelo Natal todo.

  Crestfallen

quinta-feira, dezembro 27, 2007 1:34:00 da manhã

Pax:

"cabe-nos a nós fazer alguma diferença."

É isso tudo. O problema não está naquilo que a criança pede para ela, pois é normal elas serem egocentristas, desde que creasçam para serem um pouco mais humanos. Apreciar o muito que têm ou char o pouco que têm, como muito, pois há que não tenha nada!

Bom ano.

  Crestfallen

quinta-feira, dezembro 27, 2007 1:36:00 da manhã

Foi Bom:

Esses são os melhores presentes, algo feito por eles, com amor e trabalhados para alguém em especial. Isso é o que o Natal deveria ser.


"ainda não chegou, mas essa parte vai dar um post...:P"

São os correios Alentejanos...

  Crestfallen

quinta-feira, dezembro 27, 2007 1:37:00 da manhã

Zaka:

"O Ano Novo vai ser uma festarola cá em casa!"

Aí é aí? Então e a morada?

  Crestfallen

quinta-feira, dezembro 27, 2007 1:38:00 da manhã

PsYcHo_MiNd:


"comemoro-o estando na presença deles."

É como eu, vou na onda :)

  Crestfallen

quinta-feira, dezembro 27, 2007 1:41:00 da manhã

AlfmaniaK:

Não acho que um velho com criancinhas ao colo, seja um gajo fixe.

No entanto é impossível viver um Natal sem religião. Quantos não católicos não têm um presépio, ou anjinhos enforcados nos ramos da árvore de natal, ou a estrela no topo da árvore, ou pelo menos que dê por si a traulitar uma musica de Natal religiosa?

"Quando quiser aparecer, será bem vindo. Até lhe pago um copo e ofereço um bacalhau!"

Eu acho que deve ser ele a pagar, pois a malta está farta de estar à espera dele!


Bom ano!

  Crestfallen

quinta-feira, dezembro 27, 2007 1:41:00 da manhã

Kátia:

Não podemos discordar sempre!

  Crestfallen

quinta-feira, dezembro 27, 2007 1:42:00 da manhã

Cold_cold_Bitch:

O meu sitemeter, resolveu colocar um popup, já apresentei queixa e espero ver o problema resolvido em breve.

  Crestfallen

quinta-feira, dezembro 27, 2007 1:43:00 da manhã

Ana:

Eu não curto doces :)

"Mandei emoldurar e tudo. Ficou um belo picasso"

Quem sabe se um dia não valerá milhões? ;)

  Crestfallen

quinta-feira, dezembro 27, 2007 1:44:00 da manhã

miss bradshaw:

"dao prendas por dar e porque teem dinheiro,so isso."

Muitas vezes nem é isso. O que ajuda são os Visas e Mastercards a pagar em suaves prestações com juros loucos!

  Crestfallen

quinta-feira, dezembro 27, 2007 1:45:00 da manhã

afectado:

Aí sim, até parece que justifica toda esta loucura.

  Popper

quinta-feira, dezembro 27, 2007 10:26:00 da manhã

Apesar de tudo, haja Natal. Abraço.

  sextrip

quinta-feira, dezembro 27, 2007 10:47:00 da manhã

seremos então todos uns hipócritas nesta altura e okay... posso viver com isso.
diria que o natal continua a ter, numa ponta, o seu cariz religioso (mais para norte do país) e na outra ponta o extremo consumismo (que, afinal, é outra idolatria).
entre as duas pontas tens imensos conceitos de "natal", mais ou menos variáveis...
para mim, continua a ser um pretexto para estar com família, que mais habitualmente não vejo... seja pela minha indisponibilidade, seja pela deles, seja lá pelo que for.
também essas "reuniões" são susceptíveis de crítica, eu sei... mas fico-me contente de, pelo menos, os poder encontrar nesta altura.
se nem isto tivesse... ficava bem mais infeliz !
(lamento... sou apenas humano)

espero que o teu natal tenha sido bom.
o meu foi !...
abraços

  sextrip

quinta-feira, dezembro 27, 2007 10:58:00 da manhã

ahhh porra, as prendas (esquecia-me)...

é curioso que certas pessoas achem que eu "já tenho tudo" ou... que têm de gastar uma pequena fortuna para me oferecerem algo de que goste.
as prendas que recebi vão de um marcador para livros (feito por mãos pequenas mas hábeis) a um mp4 estrapafúrdio, cheio de funções mirabolantes da Sony (que, como dizes, deve ter custado uma pipa de massa para impressionar).
(o último, dava-to mas... já tens um Aipode, não precisas...)
na verdade... não ligo a éme-pês tenham lá o número que tiverem e este, mais dia, menos dia, vai para um dos putos...
já o marcador de livros... faz os teus se quiseres, lol lol...

mesmo junto de uma família, há pessoas com diferentes noções de importância para as "intenções" e algumas resultam realmente... estranhas, por exemplo.

  Marta

quinta-feira, dezembro 27, 2007 11:11:00 da manhã

Eu adoro o Natal!
Porque para mim o Natal é uma festa lá em casa!
Optamos em familia pelo sistema amigo oculto! Estipulámos o valor de 50 euros e tiramos à sorte a quem vamos oferecer a prenda! Só oferecemos a uma unica pessoa que não sabe quem lhe vai oferecer!
Então dedicamo-nos a tentar comprar dentro desse valor algo que a pessoa realmente goste!
Conclusão, crianças à parte, recebemos todos o mesmo valor de presentes e gastamos só esse mesmo valor!
Na hora de oferecer, a prenda vai acompanhada com um postal com dicas para a pessoa adivinhar quem é o amigo oculto!
O resto da noite passamos a cantar!

  Vício

quinta-feira, dezembro 27, 2007 12:24:00 da tarde

eu gostava que o governo fosse como essa criança!
que me desse o que é meu!

mas é apenas um sonho...

  Aline Cedrac

quinta-feira, dezembro 27, 2007 12:25:00 da tarde

Desculpa lá pá, mas este texto tá fabuloso Crest!*.*Tão cru,tão frio,tão realista! Tão...arrepiante!

Pá,Ano Novo aqui também vai ser em grande!

Beijo pickleano!:D

  Teté

quinta-feira, dezembro 27, 2007 12:28:00 da tarde

Com um natal passado com a família dos 8 aos 88, acaba por ser uma reunião agradável e divertida. É aproveitar, sem lá essas parvoíces de presentes para fazer vistão...

Vá, mas estou contigo, que votos de Boas Festas já enjoam. Ainda por cima , quando se sabe que é só para a "praxe".

Hoje, por exemplo, eu e a minha mãe apanhámos um táxi, com um taxista ao volante completamente alucinado, a acelerar e a chatear outros condutores, gritava palavrões pela janela e no fim desejou-nos "Bom Ano"... Tinha sido melhor não ter conhecido esta ave, não tão rara como possa parecer!

  Francis

quinta-feira, dezembro 27, 2007 12:59:00 da tarde

já deixei de fazer estas considerções há muito tempo, é o que é e não há nada a fazer, tambem não sou fã, mas é assim, o jantar com a familia, o almoço com a outra familia, e siga para bingo.
pró ano há mais.

  mourinha

quinta-feira, dezembro 27, 2007 12:59:00 da tarde

ora e bom tar em familia e isso e o que importa o resto cada um da a suz importancia. eu gosto e de tar com os meus, presentes nao se trocam aqui em minha casa. boas entradas cuidado com a bebida mas sempre a abrir

  Crestfallen

quinta-feira, dezembro 27, 2007 1:41:00 da tarde

Popper:

"Apesar de tudo, haja Natal."

Deveria haver, pois o que temos só se chama Natal, já não o é!

  Crestfallen

quinta-feira, dezembro 27, 2007 1:43:00 da tarde

sextrip:

"seja pela minha indisponibilidade, seja pela deles, seja lá pelo que for."

Muitas vezes o Natal é um imposição para juntar a familia, que se evita todo o ano!

  Crestfallen

quinta-feira, dezembro 27, 2007 1:45:00 da tarde

sextrip:

"(o último, dava-to mas... já tens um Aipode, não precisas...)"

Mas eu não tenho um AiPóde, sou anti-AiPóde, o que recebi foi o iPhone, que dos dois é o menos mau.

"já o marcador de livros... faz os teus se quiseres, lol lol..."

Os meus são feitos nas máquinas automáticas do metro... uso o bilhetes como marcadores :)

  Crestfallen

quinta-feira, dezembro 27, 2007 1:48:00 da tarde

Marta:

"Estipulámos o valor de 50 euros e tiramos à sorte a quem vamos oferecer a prenda! Só oferecemos a uma unica pessoa que não sabe quem lhe vai oferecer!"

Ora aí está uma ideia gira. No entanto e apesar de ser mais económica, continua a ser baseada em valores financeiros.


"O resto da noite passamos a cantar!"

Pois... dá graças por eu não ser da tua familia. LOL

  Crestfallen

quinta-feira, dezembro 27, 2007 1:48:00 da tarde

Vício :

Mas o governo é uma criança, egoncentrista e mimada que não gosta de ninguém e só pede!

  Crestfallen

quinta-feira, dezembro 27, 2007 1:49:00 da tarde

Aline Cedrac:

Estás desculpada :=)

  Crestfallen

quinta-feira, dezembro 27, 2007 1:50:00 da tarde

Teté:

Desejar algo de bom a outras pessoas é como que uma imposição social, não é sentido.

Sentido seria, desejar um bom ano a um estranho na rua, só porque me apeteceu!

  Crestfallen

quinta-feira, dezembro 27, 2007 1:53:00 da tarde

Francis:

É mas não tem de ser. Desde os 16 anos que me recuso a reunir-me com a familia que se evita durante todo o ano! Não quero passar uma noite com pessoas que só vejo em eventos sociais, como Natal, casamentos e funerais.

Eu acabei com essa tradição de juntar a familia, na minha familia e só me reuno com as pessoas que me rodeiam e de quem realmente gosto.

As coisas podem mudar, se as mudarmos.

  Crestfallen

quinta-feira, dezembro 27, 2007 1:54:00 da tarde

mourinha:

"cuidado com a bebida mas sempre a abrir"

A bebida não faz mal a ninguém (enquanto estiver na garrafa)

  sextrip

quinta-feira, dezembro 27, 2007 2:07:00 da tarde

« Muitas vezes o Natal é um imposição para juntar a familia, que se evita todo o ano! »

verdade !... conheço muito caso assim.
pela minha parte... um dia que isso aconteça para além de determinada percentagem (que deve rondar os 10, 15%, lol) desisto !
por enquanto, dado que a família se encontra disseminada pelo país quase todo e alguns até pelo estrangeiro... a coisa é relativamente aceitável e compreensível.

mas sei, de famílias que vivendo (todos) por Lisboa e arredores, só se encontram mesmo no Natal e pouco mais (ou mesmo, nada mais).

  Aline Cedrac

quinta-feira, dezembro 27, 2007 4:03:00 da tarde

Crest, és capaz de me explicar o porquê de eu tar mesminha a adivinhar que ias dizer isso?! :D

Beijo!

  Skynet

quinta-feira, dezembro 27, 2007 4:31:00 da tarde

Eu não sou religioso, mas o Natal tem um significado especial na mesma, não porque um filho da mãe nasceu há 2007 anos e veio foder ainda mais o mundo, mas porque é um dia em que posso estar com a minha família, é um dia de relativa paz ainda que esta seja fruto de pura hipocrisia, e é um dia onde podemos esquecer as merdas todas que nos afligem o resto do ano.

Só é pena que na realidade, o Natal não possa ser sempre quando o homem quiser, tal como diz o ditado.

  Francis

quinta-feira, dezembro 27, 2007 5:20:00 da tarde

eu reuno-me com quem me dou, os outros nem no Natal...a hipocrisia tem limites, estamos de acordo.

  iFrancisca

quinta-feira, dezembro 27, 2007 6:11:00 da tarde

"O Natal é todos os dias" é uma das minhas frases pesadelo!
Beijocas

  Physalia physalis

quinta-feira, dezembro 27, 2007 11:12:00 da tarde

Antes de mais: Boas Festas!
Só agora é que vi este post e há uma coisa que é importante dizer: o Natal é pagão! Nunca foi e nunca será algo cristão/católico ou o raio que o parta! Como na altura em que inventaram a religião celebrava-se o solstício de Inverno a 25 de Dezembro, os ditos padres da altura decidiram passar o nascimento de Jesus para esse dia quando na realidade não se sabe quando foi (mas pensa-se que foi algures em Março, mas como nunca li o fabuloso romance que é a Bíblia não o posso afirmar com certeza)!
Portanto hipócritas até são os religiosos, principalmente o Papa que sabe dessa estória que reza na história e no fim vem com palavras bonitas para uma varanda todo coberto em ouro!
No Natal comemoro a reunião familiar, mas principalmente comemoro mesmo é as prendas e São Nicolau que se dedicou a ajudar pessoas pobres deitando moedas de ouro pela chaminé (sim o Pai Natal existe!), porque ajudar o próximo e comemorar o amor faço o resto do ano...agora prendas...só mesmo no Natal!...e aniversários...é pouco...muito pouco...ahahahah! Boas entradas!!!

  Vanadis

quinta-feira, dezembro 27, 2007 11:42:00 da tarde

Pois...é isso mesmo...o Natal é para as crianças. E como na famelga sempre houve crianças, sempre haverá natal e aquela risota toda qd elas rasgam o papel. Se bem que algumas rasguem tanto papel que acabem por não dar valor ao que têm...

Na minha famelga, o Natal é isso mesmo, famelga toda junta em comezaina, bebezaina e a contar histórias (a vitima deste ano fui eu, e fiquei a saber que aos dois anos me ia jogando de uma varanda, aos tres preguei uma bebedeira á minha irmã de 3 meses e aos cinco tentei fugir de casa...). Prendas, são aquelas em que se aproveita para oferecer o que realmente faz falta, como um lavatório novo na casa de banho, inexplicadamente (cof cof) esburacado. E depois, há as percipécias, como mousse de manga pelo casaco novo abaixo e uma dentadura de avo rachada ao meio...por acaso, este ano foi o melhor. =)

  Crestfallen

sexta-feira, dezembro 28, 2007 1:15:00 da tarde

sextrip:

O Natal é para nos rodearmos das pessoas amadas, que não são necessáriamente a familia.

  Crestfallen

sexta-feira, dezembro 28, 2007 1:16:00 da tarde

Aline Cedrac:

Não consigo, mas se adivinhares os numeros do Euro Milhões, dá-me 10% :)

  Crestfallen

sexta-feira, dezembro 28, 2007 1:17:00 da tarde

Skynet:

Mas pode ser? Nada impede um gajo de convidar a familia para jantar, no dia 25 de Fevereiro!

  Crestfallen

sexta-feira, dezembro 28, 2007 1:18:00 da tarde

Francis:

É assim que deve ser!

  Crestfallen

sexta-feira, dezembro 28, 2007 1:19:00 da tarde

iFrancisca:

"O Natal é todos os dias" é uma das minhas frases pesadelo!"

A minha frase pesadelo é: "25 de Abril SEMPRE". Por outro lado eu nunca mais faria anos :)

  Crestfallen

sexta-feira, dezembro 28, 2007 1:21:00 da tarde

Physalia physalis:

"o Natal é pagão! Nunca foi e nunca será algo cristão/católico ou o raio que o parta!"

De acordo. Nesta altura muitas religiões celebram a luz. Mas na verdade a Igreja tem agora o monopólio do Natal e ninguém se parece importar com isso.

  Crestfallen

sexta-feira, dezembro 28, 2007 1:23:00 da tarde

Vanadis:

"aos dois anos me ia jogando de uma varanda, aos tres preguei uma bebedeira á minha irmã de 3 meses e aos cinco tentei fugir de casa...)."

Bem e diz o meu pai que eu era terrível...

  Eu

sexta-feira, dezembro 28, 2007 1:54:00 da tarde

É preciso ter férias. A cena de trocar prendas é uma festa gira, é uma oportunidade de ter entre nós membros da familia que normalmente não se podem reunir.

Para alguns será festejada de forma hipócrita, para outros não. Quem não quiser não festeja, ninguém é obrigado a nada nem visto de lado

  mourinha

sexta-feira, dezembro 28, 2007 3:15:00 da tarde

mas pode estragar na garrafa
certo
e melhor beber com moderaçao ou nao ja depende eheh

  camas e algemas

sexta-feira, dezembro 28, 2007 11:15:00 da tarde

Crest:

Não me digas que és fascista? loooool
Beijocas

  Crestfallen

sábado, dezembro 29, 2007 9:04:00 da manhã

Eu:

No entanto existem obrigações morais...

  Crestfallen

sábado, dezembro 29, 2007 9:05:00 da manhã

mourinha:

Beber com moderação é beber só o liquido!

  Crestfallen

sábado, dezembro 29, 2007 9:08:00 da manhã

camas e algemas:

"Não me digas que és fascista?"

Porque ééééé que dizes isso?
Só porque tenho a cabeça rapada, botas de biqueira de aço, um casaco de aviador, uma t-shirt a dizer "Salazar Super Star", uma suástica tatuada na testa, 4 Chineses e 5 Negros como escravos e 3 Judeus como saco de boxe e dou pontapés nos pobrezinhos sempre que os vejo... isso faz de mim fascista?

  Vanadis

domingo, dezembro 30, 2007 6:16:00 da tarde

LOOOOOL, crest, nem fazes ideia...eu já jurei que não haveria de ter uma filha como eu!!! ;-D

O Natal é religioso?? olha naum sabia... ;-p... só me lembro do puxão de orelhas qd perguntei a uma profe católica porque é que se falava em menino jasus se o menino já não era menino há muito tempo e se, ainda por cima, já tava morto...

  Crestfallen

segunda-feira, dezembro 31, 2007 12:08:00 da manhã

Vanadis:

"O Natal é religioso??"

Presépio... a estrela no topo da arvore... os anjinhos enforcados na árvore... os presentes em que os putos já não aceitam Mirra como o menino Jesus aceitou... a missa do galo... as familias em que o Pai Natal não existe e quem sá presente é o menino Jesus... as músicas de natal, como:

"sinos de belém, alegria irmão e a paz também"

"noite feliz, noite de amor, etc, ect, estou com calor!"

  Vanadis

quarta-feira, janeiro 02, 2008 12:28:00 da manhã

Eh páh...acho que me faltou uma grande parte da infancia...LOOOOL! Lá em casa éramos pagãos...tirando as minhas avós (uma é catequista a outra acredita piamente que jesus nasceu do barro...).

  Crestfallen

quarta-feira, janeiro 02, 2008 9:17:00 da manhã

Vanadis:

Jesus nasceu do barro? Eu pensava que tinha sido Adão e Eva! Acho que a tua avó está a criar uma seita!