Amar é Viver!


Amar é aprender. Amar é saber. Amar é querer. Amar é perder. Amar é viver. Amar é morrer. Amar é poder, mas sem ter poder sobre o que sentimos. Amar é um desvio do caminho por nós traçado. Caminho do qual nos afastamos por alguém, que poderá ou não, ser o que de mais importante temos.
Amar é arriscar, vencer ou perder. Amar é tudo podendo não ser nada.
Amar é verbo, seguido de qualquer verbo, ligado por o verbo ser.

Por fim desligado.
Ausente.
E, o meu dia fica diferente.

Mudo. Dedico-me. Entrego-me. Sou o mesmo, diferente. Um cordeirinho sentimental que pensa ser lobo, mas já não é. Perco-me. Procuro achar-me e acho, mas perdendo-a.
Não espero nada, querendo ter tudo. Quero tudo não fazendo nada.

Perdido em sonhos.
Ideias.
De te dar tudo aquilo que anseias.

Sem pensar no Eu. Amar é tudo isto, mas nem sempre amar é amor. Gostar é amar mas também não é amor. Amar é perder, ganhando. Perdemos porque deixamos de ser livres, para voluntariamente nos entregarmos a alguém, prescindindo da nossa liberdade. Perdemos porque tudo tem um fim. Mas, nem tudo na perda é mau, pois só na perda temos a prova real de que amámos de verdade.

O tempo passa?
Não.
Nós passamos por ele, por vezes em vão.

No fundo, ao atingir a única certeza que podemos ter, que é a morte. Poderemos olhar para trás e dizer, "sei o que é amar". Por isso Amar é perder mas onde se ganha muito. Aprende-se a amar melhor, aprende-se a sonhar.

Amar é sonhar e sonhar é o que dá sentido à vida.

Este texto assinala o capítulo XVII e final de Amar é Perder. A história terminou, o ponto final foi encontrado e colocado onde, pertence.

Por fim terminado.
Contente.
A partir de hoje, tudo será diferente.

66 Comentários:

  ONDINHAS

quinta-feira, outubro 30, 2008 11:29:00 da manhã

é bem verdade que a única certeza da vida é a morte.
porque o que hoje é amanhã já o não é...
e amar por vezes faz sofrer, talvez seja um sofrimento em vão...talvez não...

  ipsis verbis

quinta-feira, outubro 30, 2008 11:40:00 da manhã

Abraço.

  albana

quinta-feira, outubro 30, 2008 12:07:00 da tarde

ola
obrigado pela visita,

gostei do texto, amar é viver e não há tempo para morrer

bjinho

albana

  Vício

quinta-feira, outubro 30, 2008 12:09:00 da tarde

ou aprende-se a evitar...

  Afrodite

quinta-feira, outubro 30, 2008 1:01:00 da tarde

Que poético que o menino anda.

Ahhh e obrigado pelas cuecas, finalmente AHAHAHAHAHAHAH. ;)

Abreijos e vou agora ler o tal, o do fim, ou será o inicío? A ver vamos.

  vita

quinta-feira, outubro 30, 2008 1:03:00 da tarde

Não consigo comentar, este ou o outro, desculpa...

  Papinha

quinta-feira, outubro 30, 2008 1:14:00 da tarde

Amar...é isso tudo??
É e muito mais...

Beijinho
P@pinh@

  Afrodite

quinta-feira, outubro 30, 2008 1:17:00 da tarde

Amar é fodido...já dizia o outro! Amar sufoca, amar magoa, amar doi! Será que vale a pena amar? Sim, claro que sim, pelo menos sentimo-nos VIVOS, únicos, Aliens :).

Abreijinhos...de certa forma triste...aquele fim...

  Afrika

quinta-feira, outubro 30, 2008 1:23:00 da tarde

Vida!...

  paula barros

quinta-feira, outubro 30, 2008 1:58:00 da tarde

Ai, meu Deus, mais um para me fazer pensar. E sentir. rsrs

Oi, meu mais novo amigo. Porém o mais antigo - 103 anos.

Vim para te dizer que concordo com o seu comentário sobre amor virtual, e acho que é por isso que amedronta.

Voltarei com calma. Um blog instigante e com certeza já me laçou.

bjs

  NIH SILVA

quinta-feira, outubro 30, 2008 2:29:00 da tarde

verdade, acho q o suicidio é maior covardia q existe

  Simplesmente *Ana*

quinta-feira, outubro 30, 2008 2:41:00 da tarde

E que bom que aconteceu o acidente pra você cair no meu cantinho não é mesmo ?!rsrss
Assim conheci o seu canto também...
Seje Bem Vindo ao meu Jardim!!!
E parabéns pelo blog muito legal!!!
e sobre a postagem...
Amar... amar...
Digo que amar... é para os fortes!
gostei muito daqui!

um abraço

e brilho das estrelas no coração!!!

  Abobrinha

quinta-feira, outubro 30, 2008 2:54:00 da tarde

Crest

Gostei muito. Ainda não li o teu outro blogue, mas hei-de me dedicar um dia destes com tempo.

Neste momento estou focada demais na parte da perda e da dor, mas não desisto...

  O_Silencio

quinta-feira, outubro 30, 2008 3:06:00 da tarde

Eis que encontrei algo que não esperava.

Obrigado pela partilha

Beijo meu

  Mello

quinta-feira, outubro 30, 2008 3:07:00 da tarde

Gostei do seu post. Se me pedissem para definir a palavra a amar, creio que não conseguia defini-la. Estou noutra onda, estou aprender a amar-me. Também necessito, cansei dos outros, das suas tolices e dos seus umbigos. Agora, sou mais eu! Pelo menos estou nesta nova via... mas sei que a vida é um ciclo vicioso e que esta minha nova teoria do Eu, qualquer dia, vai ser posta à prova. Que seja!

Beijinhos,

Graça Mello

  Naturezas

quinta-feira, outubro 30, 2008 3:14:00 da tarde

:) Acho que se o fim significar um inicio, só posso dizer: Bem vindo.

  Ana

quinta-feira, outubro 30, 2008 6:01:00 da tarde

Seguindo o comentario da naturezas, o final e sempre o inico de algo...como tal que venha ele!!!

  DeusaMinervae

quinta-feira, outubro 30, 2008 6:48:00 da tarde

Amar não é perder... Ela deixou o amor dela em ti e continua a amar-te...

  GUILHERME PIÃO

quinta-feira, outubro 30, 2008 7:46:00 da tarde

O que é amar ?
Amar é Amar...ora bolas...tão simples...
Abraços

  Fia

quinta-feira, outubro 30, 2008 7:53:00 da tarde

Crest,

Não me vou repetir. Eu disse-te que Ela te tinha ouvido, e ouvirte-à onde quer que esteja, ainda que não tenhas palavras ou as guardes dentro de ti, para ti. :)

:) Não vou comentar este aquele post publicamente. Um dia, se tiver coragem, forças, se entender que tenho esse direito, fá-lo-ei.

Mas posso tentar provar-te que os nossos sentimentos, quando verdadeiros, transpõe todas as barreiras. Expressa-los, é apenas uma forma de alivio, de deixar atrás um pouco do seu peso, mais momentâneo que real, um impulso para seguir em frente.

Dois relatos breves de duas situações porque passei. E agora já perceberás porque todas as minhas palavras são impressas com tantas certezas. Primeiro porque se tiver que acreditar em algo, acreditarei sempre em mim primeiro. Depois acredito nos outros.

Primeiro relato. Perdi alguém que me proporcionou parte da minha existência, perdi-O num acidente de viação. Um inqualificável, por uma irresponsabilidade, tirou a vida à Pessoa mais extraordinária que alguma vez poderei conhecer e mais falta me faz!

:) Ainda tive tempo de me despedir Dele, num estado de coma profundo e irreversível. Sei que contrariamente ao que os médicos me disseram, sei que Ele me ouviu. Sei!... Porque há uns meses sofri um acidente de viação, muitíssimo grave!

Ainda encarcerada na amalgama de chapa em que se transformou o meu carro, ouvi a Sua voz ecoar-me nos ouvidos. As mesmas palavras que Lhe disse pouco antes de partir. Ninguém sabia o que tinhamos conversado nesse momento, era um segredo só nosso! :) Ouviu-me! :) Eu sei que me ouviu! Ninguém mais poderia estar ali a dizer aquelas palavras!
Aquando do acidente que sofri, quis Ele por à prova a minha convicção nessas palavras!

Pouco depois entrei em coma e não recordo mais nada. Não perguntei quanto tempo estive assim, não fiz contas ao tempo, apenas tenho uma noção de que não foi muito para mim, mas uma eternidade para os que me amam. A primeira imagem que tive ao acordar, foi a Sua nítida imagem, à minha cabeceira, sereno, de quase alívio, com uma expressão de orgulho e alegria por ter ter sobrevivido :) Senti a minha face quente e o meu cabelo mexer, como uma carícia. Abri e fechei os olhos, mas quando os abri de novo senti de novo a minha face gelada, e já não vi ninguém.

:) Quem nos ama nunca nos abandona, e aí tive a certeza que assim é! A magia desse sentimento, é que não conhece barreiras, é só NOSSO! :)

O segundo relato é muito parecido, mas com um desfecho diferente...

Um amigo meu sofreu um aneurisma cerebral de que resultou um coágulo. Esperando que o coágulo fosse reabsorvido, nesse impasse, que durou… uma eternidade, num coma profundo, em que a sua vida foi mais mecanizada que natural, eu fiz questão de transformar aqueles momentos, em dias e noites normais, que abstraísse que estava num espaço e em condições pouco normais...

O quarto frio e impessoal daquela clínica, foi-se parecendo a um espaço o mais parecido ao seu quarto de casa. Mais quente, mais humano.

Fiz questão de o manter a par de tudo. Levei os amigos, alguns quase os arrastei, pelo medo que sentiam de enfrentar o medo e a dúvida. Mas para mim só tinham que enfrentar um amigo deitado e abatido, entubado, um ser humano que precisava de nós, mais que em qualquer momento, em que Ele pudesse falar, mover-se e pedir ajuda.

Vi-mos filmes juntos, ouvímos música, cantámos, rimos mas nunca chorámos. O primeiro que soltasse uma lágrima, eu atiraria-o com toda a certeza pela janela abaixo, no mínimo!

A única diferença, era que quem comia as pipocas, cantava e dançava eramos nós. Discuti com ele e zanguei-me por ser um dorminhoco, um baldas, porque tinha que ser sempre eu quem ia às aulas da manhã, quem tinha que fotocopiar os cadernos, porque se tinha “esquecido” de me comprar os meus presentes de Aniversário e de Natal, e nunca aparecia nos meus jantares.

Contavamos-lhe as nossas paixões, as nossas discussões e arrelias, cheguei a programar férias a reservar passagens na certeza que ele viria conosco.

Os médicos tinham pena de mim. Agora tenho eu pena deles pela pouca fé, por acreditarem menos que eu, quando lidam com casos destes. Pode ser que seja uma defesa pessoal que usam para não se imutarem emocionalmente. Achavam que eu me estava a iludir, e por arrasto, a arrastar outros na minha loucura, que estava a alimentar um sofrimento, mas nenhum ousou proibir-me o que quer que fosse. Acho que todos conseguimos chegar a um acordo sem que fosse preciso dizer nada. Eu conhecia os limites, e eles respeitavam e confiavam na minha loucura

:) mas não… se Ele tivesse que partir, partiria sem despedidas, partiria serenamente e a rir da minha loucura, da minha teimosia, iria levar o coração, a alma, cheios de quase tudo o que o fazia verdadeiramente feliz. Com a certeza de que todos quantos ele ama, ficariam bem e estavam bem. :) apenas demorariam um pouco mais, antes de partir, mas iriam ter com ele depois.

Acordou. Acordou e durante dias não reconhecia ninguém, nenhum lugar, nenhum objecto, mas recordava episódios isolados. Eu entro no quarto disparada ao saber a notícia, com cara de poucos amigos. Entre uma das minhas tempestades, sem mais, solto um sonoro e ríspido “toca a levantar que estamos atrasados para aula, para a semana temos frequência! Nem penses que te passo o teste!!!”. Meio tonto, muito enfraquecido, olhou para mim como quem diz “Cala-te, refilona! Que se passou? Ajuda-me mas é a levantar!”, mas com um sorriso de quem me agradecia com todas as forças por estar ali, de quem se sentia seguro, no seu porto de abrigo. :)

Algum tempo mais tarde, os médicos pediram-lhe que fosse escrevendo tudo o que recordava do tempo em que esteve em coma. Descreveu pequenos gestos, algumas sensações, luzes, sons, palavras soltas. Olhava-me fixamente, mais que aos próprios Pais.

:) Fui-lhe contando tudo o que acontecera, e à medida que ia contando, ele muitas vezes interrompia-me, e terminava os meus relatos. Apontava pormenores e perguntava se eram verdadeiros, se não os tinha sonhado. Quero acreditar que durante esse tempo a sua alma foi-se alimentando pouco a pouco, de nós, da nossa força, e não esmoreceu. Quero acreditar que foi a sua alma que manteve o seu corpo vivo e com forças para acordar, para continuar.

Quero acreditar que foi a promessa que fiz a um Ele que me deu parte da minha vida, que me manteve agarrada à vida que me deu. Mas nem todos temos a mesma força, força física e psíquica.

As nossas fraquezas não fazem de nós piores. Fazem-nos mais frágeis, só isso.

Que o corpo ceda, parta, a alma não necessariamente cede, não nos deixa…

:) e é isso que faz de nós melhores, o que somos, o que guardamos e temos cá dentro! :)

Não algo material, um pedaço de carne e ossos, algo que pode ser destruído ou danificado, que se desgasta, que tem prazo de validade. Os sentimentos não :)

  Miss

quinta-feira, outubro 30, 2008 8:51:00 da tarde

fogo Crest....neste momento, para mim, este texto caiu-me "na boca do estomago".

e o outro blog está..5* =)

beijinhu

  Sol

quinta-feira, outubro 30, 2008 10:58:00 da tarde

Ó páhzinho, sempre gostei do k escreeves. Este texto ta lindo, por iso vou continuar a cuscar,


jokinhas.

  Anónimo

quinta-feira, outubro 30, 2008 11:59:00 da tarde

Eu estive em coma induzido derivado a acidente e depois de ter acordado, desejei morrer por toda a minha vida ter desabado, perdi namorado, o filho de que estava grávida, emprego, aqueles que se diziam amigos, tudo! Daria de bom grado a minha vida para que outros que morreram e eram desejados pudessem viver e ser felizes.

  provocação

sexta-feira, outubro 31, 2008 12:18:00 da manhã

A maior dádiva do amor é por vezes ser tão enorme e imenso que nem a morte o leva. Acredito nisso por achar que a dôr que existe, quando se perde alguém, ser a maior filha de putice que só pode ser relegada para o lugar de perdedora quando nos rimos e pensamos, mas eu amava tanto e estava tão correcto que no meu peito a dôr não pode ser maior que o amor. Não pode. Não pode!

  AP

sexta-feira, outubro 31, 2008 8:20:00 da manhã

Soberbo. Fui ler e fiquei sem palavras.
Pior que amar e perder é nunca ter amado.
Abraço!

  sexy hot

sexta-feira, outubro 31, 2008 10:42:00 da manhã

Ao menos... as recordações ficam...

Beijinhos

  Ácido Cloridrix HCL

sexta-feira, outubro 31, 2008 10:45:00 da manhã

Amar Assim Perdidamente,,, uauuuu!!! HCL

  Crest©

sexta-feira, outubro 31, 2008 11:27:00 da manhã

ONDINHAS disse...

"e amar por vezes faz sofrer, talvez seja um sofrimento em vão...talvez não..."

É um sentimento vão, mas não em vão.

  Crest©

sexta-feira, outubro 31, 2008 11:28:00 da manhã

ipsis verbis disse...

Gracias

  Crest©

sexta-feira, outubro 31, 2008 11:28:00 da manhã

albana disse...

"gostei do texto, amar é viver e não há tempo para morrer"

Amar é viver, tudo o resto não se pode escolher.

  Crest©

sexta-feira, outubro 31, 2008 11:29:00 da manhã

Vício disse...

"ou aprende-se a evitar..."

Evitar é fugir, mas também é solução!

  Crest©

sexta-feira, outubro 31, 2008 11:31:00 da manhã

Afrodite disse...

"Que poético que o menino anda."

Nao ando, só nao o demonstro regularmente.

"Ahhh e obrigado pelas cuecas, finalmente AHAHAHAHAHAHAH. ;)"

Queres que as envie por DHL?

  Crest©

sexta-feira, outubro 31, 2008 11:32:00 da manhã

vita disse...

"Não consigo comentar, este ou o outro, desculpa..."

Nao precisas de o fazer.

  Crest©

sexta-feira, outubro 31, 2008 11:33:00 da manhã

Papinha disse...

"Amar...é isso tudo??
É e muito mais..."

Por isso escrevi que é um verbo seguido de outro verbos com o ver ser entre eles.

  Crest©

sexta-feira, outubro 31, 2008 11:34:00 da manhã

Afrodite disse...

"Amar é fodido...já dizia o outro! Amar sufoca, amar magoa, amar doi! Será que vale a pena amar? Sim, claro que sim, pelo menos sentimo-nos VIVOS, únicos, Aliens :)."

Sim, vale sempre a pena.

  Crest©

sexta-feira, outubro 31, 2008 11:34:00 da manhã

Afrika disse...

"Vida!..."

Sim.

  Crest©

sexta-feira, outubro 31, 2008 11:35:00 da manhã

paula barros disse...

"Ai, meu Deus, mais um para me fazer pensar. E sentir. rsrs
Voltarei com calma. Um blog instigante e com certeza já me laçou."

Bem vinda.

  Crest©

sexta-feira, outubro 31, 2008 11:36:00 da manhã

NIH SILVA disse...

"verdade, acho q o suicidio é maior covardia q existe"

De facto é, mas nao deixa de ser uma escolha.

  Crest©

sexta-feira, outubro 31, 2008 11:37:00 da manhã

Simplesmente *Ana* disse...

"em Vindo ao meu Jardim!!!
E parabéns pelo blog muito legal!!!"

Obrigado

  Crest©

sexta-feira, outubro 31, 2008 11:38:00 da manhã

Abobrinha disse...

"Neste momento estou focada demais na parte da perda e da dor, mas não desisto..."

Nem tens de o fazer. Tudo se supera. Tudo.

  Crest©

sexta-feira, outubro 31, 2008 11:39:00 da manhã

O_Silencio disse...

"Eis que encontrei algo que não esperava."

A sério?

  Crest©

sexta-feira, outubro 31, 2008 11:40:00 da manhã

Mello disse...

"Gostei do seu post. Se me pedissem para definir a palavra a amar, creio que não conseguia defini-la. Estou noutra onda, estou aprender a amar-me."

Esse é o primeiro passo, para amar realmente terceiros.

  Crest©

sexta-feira, outubro 31, 2008 11:40:00 da manhã

Naturezas disse...

":) Acho que se o fim significar um inicio, só posso dizer: Bem vindo."

De facto significa, mesmo.

  Crest©

sexta-feira, outubro 31, 2008 11:41:00 da manhã

Ana disse...

"Seguindo o comentario da naturezas, o final e sempre o inico de algo...como tal que venha ele!!!"

Chegará a seu tempo :)

  Crest©

sexta-feira, outubro 31, 2008 11:42:00 da manhã

DeusaMinervae disse...

"Amar não é perder... Ela deixou o amor dela em ti e continua a amar-te..."

Na verdade o texto nao é sobre ela, o texto é sobre a que foi e a que poderá ser. É sobre elas!

  Crest©

sexta-feira, outubro 31, 2008 11:43:00 da manhã

GUILHERME PIÃO disse...

"O que é amar ?
Amar é Amar...ora bolas...tão simples..."

Sem tentarmos perceber o que é realmente, nunca saberemos agir, nem distinguir amor de gostar.

  Crest©

sexta-feira, outubro 31, 2008 11:55:00 da manhã

Fia disse...

"Um dia, se tiver coragem, forças, se entender que tenho esse direito, fá-lo-ei."

Estás à vontade, por vezes ouvir opinioes neutras, ajuda a perceber o que escrevemos.


"Primeiro porque se tiver que acreditar em algo, acreditarei sempre em mim primeiro. Depois acredito nos outros."

E é assim que deve ser.

"Sei que contrariamente ao que os médicos me disseram, sei que Ele me ouviu. Sei!"

Os médicos contradizem-se nesse campo. Pois por um lado dizem que a pessoa em coma, nao ouve e nao sente, por outro lado acham que falar com eles, ler para eles e tocar musica para eles, os ajuda.


"Algum tempo mais tarde, os médicos pediram-lhe que fosse escrevendo tudo o que recordava do tempo em que esteve em coma. Descreveu pequenos gestos, algumas sensações, luzes, sons, palavras soltas. Olhava-me fixamente, mais que aos próprios Pais."

Duas histórias muito interessantes.

Eu, depois de ter tido um acidente desportivo em Espanha, entrei em coma. Ao sair dele dias depois, lembrava-me de partes de um livro que nunca li, mas que estava lá, no meu quarto de hospital.


"Não algo material, um pedaço de carne e ossos, algo que pode ser destruído ou danificado, que se desgasta, que tem prazo de validade. Os sentimentos não :)"

Nao é, de facto nao é, pois esse pedaco de carne sabemos onde está, para onde vai e o que lhe acontece. Mas o objecto do nosso amor, esse desaparece sem deixar rasto. Pode estar presente em nós, mas é a falta de uma manifestacao que nao deixe duvidas, que nos faz muita falta.

  Crest©

sexta-feira, outubro 31, 2008 11:56:00 da manhã

Miss disse...

"fogo Crest....neste momento, para mim, este texto caiu-me "na boca do estomago"."

Ahahaha, obrigado.

  Crest©

sexta-feira, outubro 31, 2008 11:56:00 da manhã

Sol disse...

"Ó páhzinho, sempre gostei do k escreeves. Este texto ta lindo, por iso vou continuar a cuscar,"

Ehehe, obrigado.

  Crest©

sexta-feira, outubro 31, 2008 11:59:00 da manhã

Anónimo disse...

"Eu estive em coma induzido derivado a acidente e depois de ter acordado, desejei morrer por toda a minha vida ter desabado, perdi namorado, o filho de que estava grávida, emprego, aqueles que se diziam amigos, tudo! Daria de bom grado a minha vida para que outros que morreram e eram desejados pudessem viver e ser felizes."

Por vezes e eu não sou excepção, achamos que somos únicos e especiais por passámos por o maior sofrimento possível. Mas, aparece sempre alguém que passou por tanto ou mais do que eu. Neste caso, tu.

Obrigado pela partilha e coragem.

  Crest©

sexta-feira, outubro 31, 2008 12:02:00 da tarde

provocação disse...

"quando nos rimos e pensamos, mas eu amava tanto e estava tão correcto que no meu peito a dôr não pode ser maior que o amor. Não pode. Não pode!"

Muito obrigado por esta frase, de facto nunca tinha visto desta forma. Nunca tinha comparado a dor ao amor. E sim, tens toda a razao.

Obrigado

  Crest©

sexta-feira, outubro 31, 2008 12:02:00 da tarde

AP disse...

"Pior que amar e perder é nunca ter amado."

Isso é mesmo verdade.

  Crest©

sexta-feira, outubro 31, 2008 12:03:00 da tarde

sexy hot disse...

Elas ficam e ainda bem que assim é.

  Crest©

sexta-feira, outubro 31, 2008 12:04:00 da tarde

Ácido Cloridrix HCL disse...

"Amar Assim Perdidamente,,,"

É bom, mas é sempre pouco tempo.

  Mamie2

sexta-feira, outubro 31, 2008 12:50:00 da tarde

Sim Crest Amar é viver! É ter alegrias mas é também sofrer e crescer!

Mais vale amar e viver do que viver uma vida vazia. Vale a pena arriscar.

Beijinho

  Pax

sexta-feira, outubro 31, 2008 4:24:00 da tarde

Amar é ganhar.
É ganhar uma nova vida em cada uma das novas batidas do coração.

:)

  Teté

sexta-feira, outubro 31, 2008 5:32:00 da tarde

Bom, gostei deste post assim a dar para o poético, mas ainda não li o "Amar é Viver", e como são XVII capítulos vou deixar para depois, que estou de saída.

Mas senão hoje, este fim de semana (que se afigura calminho) leio certamente.

Bom fim de semana! :)

  DeusaMinervae

sexta-feira, outubro 31, 2008 6:08:00 da tarde

já agora... "Cuecas" giras ;)

  Naturezas

sexta-feira, outubro 31, 2008 10:46:00 da tarde

Mais um seguidor ou seguidora, fico contente por isso... MesMo :)

  Uma Ilha

sábado, novembro 01, 2008 1:02:00 da tarde

Adorei seus post, e tem razão há cada maluca por aí.Obrigada por sua visita.Uma ilha

  Crest©

terça-feira, novembro 04, 2008 9:42:00 da manhã

Mamie2 disse...

"Mais vale amar e viver do que viver uma vida vazia. Vale a pena arriscar."

Claro que sim :)

  Crest©

terça-feira, novembro 04, 2008 9:43:00 da manhã

Pax disse...

"Amar é ganhar.
É ganhar uma nova vida em cada uma das novas batidas do coração."

Nao diria ganhar,mas viver.

  Crest©

terça-feira, novembro 04, 2008 9:45:00 da manhã

Teté disse...

"Mas senão hoje, este fim de semana (que se afigura calminho) leio certamente."

Dá-lhe, em breve será encerrado.

  Crest©

terça-feira, novembro 04, 2008 9:45:00 da manhã

DeusaMinervae disse...

"já agora... "Cuecas" giras ;)"

Obrigado.

  Crest©

terça-feira, novembro 04, 2008 9:46:00 da manhã

Naturezas disse...

"Mais um seguidor ou seguidora, fico contente por isso... MesMo :)"

Ehehehe

  Crest©

terça-feira, novembro 04, 2008 9:46:00 da manhã

Uma Ilha disse...

"Adorei seus post, e tem razão há cada maluca por aí.Obrigada por sua visita.Uma ilha"

Obrigado pela visita :P