Emigrantes de Hamburgo!



O emigrante rico tem um carro, topo de gama. O emigrante pobre também tem um carro, topo de gama. O emigrante rico tem uma grande casa, em Portugal. O emigrante pobre também tem uma grande casa, em Portugal. O emigrante pobre trabalha para o emigrante rico. O emigrante rico, trata o emigrante pobre como merda. Ambos são Portugueses, mas não parecem. O emigrante pobre, não é pobre. O emigrante rico, não é rico.

A característica que os distingue é que, o emigrante rico frequenta os restaurantes Portugueses e os encontros sociais, que não sejam de índole popular. O Português pobre como trabalha 14 horas por dia, não tem tempo para essas merdas, ficando-se pelos ranchos e sardinhadas nas colectividades ao fim-de-semana.


O emigrante rico é rico, porque o pobre é pobre. Comparativamente com a sociedade de Hamburgo ele é um pé rapado.


O que mais me irrita é ao conversar com estes senhores, que são todos "doutores", perceber que realmente se tratam de doutoramentos da quarta classe. Nem o Cônsul Geral de Hamburgo tem um doutoramento, ele tem unicamente uma licenciatura e é o ÚNICO que pede para não lhe chamarem doutor. Não vale a pena, pois dentro da elite emigrante Portuguesa toda a gente é doutor. Se alguém diz: "desculpe eu não sou doutor", a outra pessoa responde, "peço desculpa Sr. engenheiro".



Agora vamos analisar os negócios desta gente. Um vende saladas, tem um armazém de vegetais e vende saladas pré-feitas, outro é importador de vinho, outro tem meia dúzia de escravos, a trabalhar 7 dias por semana entre Portugal e Hamburgo para trazer os mais diversos produtos. A maioria, tem cafés, restaurantes e pastelarias. Seria de pensar que os representantes dos bancos Portugueses, seriam pessoas inteligentes, mas não são.



O Sr. Xavier que lava pratos no meu restaurante favorito, levanta-se às 04 da manhã e vai trabalhar para uma empresa de limpezas até às 09h, depois vai lavar pratos para um restaurante das 11h às 00h, dorme 4 horas.
Ao fim de semana trabalha 14h no restaurante. Tudo isto para pagar o casarão que comprou em Portugal, para a sua reforma, isto se chegar lá vivo, a dormir 4 horas por dia há mais de 17 anos.

O emigrante pobre vive com a família em "buracos" nos arredores de Hamburgo, vivem uma vida de privações para pagar os luxos que têm em Portugal e dos quais passam a vida inteira a gozar só ao fim-de-semana. Estes seres pegam-se a esse futuro longínquo como motivação para sofrer aqui. O único luxo que gozam aqui, é o obrigatório carro, que é na maioria das vezes maior que a casa, quer em tamanho, quer em mensalidade. São pobres mas também me irritam, pela vida que levam, pois assim a escolhem levar.


"O meu país é Portugal, a minha língua é Português", frase usada pelo Português que, ao fim de 20 anos na Alemanha fala Alemão como se tivesse chegado ontem. Os seus filhos normalmente com vergonha deste facto, compensam o defeito dos pais falado Alemão e renunciando ao Português, excepto para falar com os pais.

"O Português esquece-se", frase usada pelas pseudo-elites que ao fim de 10 anos na Alemanha, falando Português diariamente, dizem que se esqueceram. Estes são aqueles que não ensinam Português aos filhos.

É um orgulho disparatado de se ser Português, misturado com a vergonha de o ser. É bonito dizer-se que se tem orgulho no seu país e na sua língua. Então porque raio os filhos não falam Português? O Alemão é a minha sexta língua. Ora bem, se alguém deveria esquecer, seria eu, esquecer ou pelo menos misturar isto tudo e inventar uma linguagem nova. No entanto isso não acontece. Porquê? Porque eu não quero. No fundo é isso mesmo, é o facto de querer ou não se querer.



Eu não trabalho em Hamburgo, eu trabalho e vivo em Hamburgo. Eu quero ir a um restaurante quando me apetece, sair à noite e ir ao cinema, teatro, jogar snooker, bowling. Quero ir almoçar fora e jantar fora. Não posso atravessar a estrada e ir surfar como fazia em Portugal, mas posso fazer snowboard. Eu aqui quero viver, não fazer figura para os outros verem, quero divertir-me da mesma maneira que fazia em Portugal. Sem pensar na minha reforma. Não penso em voltar para Portugal, quando for velhinho, não penso em aqui passar a minha velhice. Simplesmente não penso nisso.




Há excepções, na comunidade emigrante, mas são isso mesmo, excepções. Pessoas raras, que vivem o presente e não se conformam em sobreviver para ter uma vida só, perto do fim da vida!
Eu sei que sou emigrante. Eu sei que falar mal de emigrantes é falar mal de mim, estou a dar um tiro no próprio pé. Mas acham que isso me afecta? Nada, nem um pouquinho. Não pretendo ser Alemão, pretendo ser Português, mas ser quem eu sou e não ser a definição de Português que vejo à minha volta, pois essa de certa maneira envergonha-me!

70 Comentários:

  Flor

quinta-feira, novembro 22, 2007 2:55:00 da tarde

Então os portugueses vão para aí trabalhar noite e dia, sujeitam-se ao pior e aqui... não querem trabalhar? Maldita mentalidade!
E sobre a mentalidade poderia estar a discorrer horas...

  Chapas

quinta-feira, novembro 22, 2007 2:56:00 da tarde

Aqui não fazem certos trabalhos porque são desprestigiantes.....são para os emigrantes......foda-se!

  Crestfallen

quinta-feira, novembro 22, 2007 3:00:00 da tarde

Flor:

É isso mesmo, uma questão de imagem, pois tencionam voltar para Portugal e mostrar riqueza!

  Crestfallen

quinta-feira, novembro 22, 2007 3:02:00 da tarde

Chapas:

Ouço dizer que um Português não lava sanitas em Portugal mas já o faz em França.

Se eu fosse lavador de sanitas, acho que preferia receber 1,500 Euros em França do que 500 em Portugal.

O meu texto é mais dentro do comportamento social do emigrante e não pelos motivos que os levam a emigrar.

  Foi Bom

quinta-feira, novembro 22, 2007 3:15:00 da tarde

E porque é que não fazes surf?
What´s the problem?
Eu digo-te porque é que eu não faço...porque não sei...:D

  Crestfallen

quinta-feira, novembro 22, 2007 3:27:00 da tarde

Foi Bom:

Eu não disse que não faço. Não faço regularmente, pois aqui não tenho mar, sem mar não há ondas e sem ondas não há surf.

Com tempo ainda me desloco até ao mar um pouco mais o norte, mas a ondas do báltico não prestam e as do mar do norte são pequenas e com com cubos de gelo pelo meio!

  Foi Bom

quinta-feira, novembro 22, 2007 3:38:00 da tarde

"Desloco-me"...
Pareces uma daquelas aves raras que imigram sabe-se lá para onde...

  Foi Bom

quinta-feira, novembro 22, 2007 3:38:00 da tarde

Lol, eu queria escrever "migram" e não "imigram"...
Vá, dá lá o desconto e não batas muito...:P

  tavguinu

quinta-feira, novembro 22, 2007 3:49:00 da tarde

"Eu quero ir a um restaurante quando me apetece, sair à noite e ir ao cinema, teatro, jogar snooker, bowling. Quero ir almoçar fora e jantar fora."

e as gajas ? queres ver qu eviraste nasca !

PS - Por isso é que os meus amigos que estão emigrados, Londres, NYC, Mexico, nunca mais os vi, vivem lá como viviam cá, mas melhir ...lool

aproveitam a vida !

já tá bom para o snow?

  iFrancisca

quinta-feira, novembro 22, 2007 4:31:00 da tarde

Tuga que é tuga, é igual em todo o lado! Até dá vontade de chorar! Como tu são poucos! és um iluminado!

  o segredo da lua

quinta-feira, novembro 22, 2007 4:42:00 da tarde

Escreves-te bonito Crest, e agora nao estou a brincar.

  mamie2

quinta-feira, novembro 22, 2007 4:50:00 da tarde

Estás certo na tua análise, no entanto parece-me que existe uma nova classe de emigrantes, na sua maior parte licenciados, que partem por alguns anos como forma de enriquecimento do CV!

Afinal a europa e até os EUA estão cada vez mais perto! E programas como o Erasmus também fomentam estas trocas.

E esses fazem a mesma vida que por cá se faz! (ou melhor)

Se voltam ou não, isso já são outros tantos!

  Francis

quinta-feira, novembro 22, 2007 5:09:00 da tarde

O emigrante portugues fecha-se sobre ele e os valores que transporta há data em que saiu de Portugal, não evolui, não se mistura, vive para brilhar em Agosto na terra Natal. É triste mas é verdade.

  htsousa

quinta-feira, novembro 22, 2007 5:25:00 da tarde

Mas não sentes mudanças nos novos emigrantes. Não nos antigos e nos filhos, mas na nova geração de emigrantes?

  Chapas

quinta-feira, novembro 22, 2007 5:44:00 da tarde

Sim eu percebi, mas toda essa maneira de ser tem não só a ver com a formação, como com a cultura enraizada....

  Noivo

quinta-feira, novembro 22, 2007 5:52:00 da tarde

infelizmente mts emigrantes vivem da ostentação de bem materiais quando vêm a portugal, mts deles só para mostrar que estão muito bem e sabe lã deus....

  Vanadis

quinta-feira, novembro 22, 2007 6:08:00 da tarde

Bem, eu sou portuguesa, muitas vezes gostava de não ser portuguesa. Mas como não quero, nem posso, ser emigrante... lá terei de ser portuguesa... ;-p
Se gosto do meu país? Mmm, digamos que gosto do que tenho aqui. Para isso não é preciso gostar do País. Mas que prefiro estar aqui do que estar na faixa de gaza, por ex, prefiro!! :-D
O máximo que emigrei foi até Espanha. E só por duas semanas, LOLOL! Nem eu os percebia, nem eles a mim, mas arranjámos forma de nos entendermos! Nem que tivesse de se falar uma mistura de portunhol, brasileinhol, inglenhol e linguagestualnhol, LOLOL! Só faltou tentar o esperanto, mesmo. Mas como em ciência, ATPase é ATPase (se bem que eles dizem ATPasa!), vanádio é vanádio (se bem que eles dizem iubanádio, LOLOL)...tá-se bem. Ajuda ir com uma orientadora-tradutora-amiga, claro...LOLOL!

Mas pronto, é como dizes. Se me oferecerem 2000 euros pra lavar sanitas, io vou!!! Para já, entretenho-me a lavar mentes...LOL!

Acho que tens a mentalidade da geração rasca/enrascada (hoje temos todos 30!): o presente primeiro, o futuro logo se vê. Também vivo e penso assim. Mês a mês, dia a dia.
Não me preocupo muito com dinheiro, mas tb sou honesta, nunca precisei...tenho consciencia das facilidades que sempre tive, graças aos meus pais afocinharem desde os 20 anos...
Sei o valor do dinheiro. Mas tb sei o valor da vida: só temos esta. Temos de a viver.

  PsYcHo_MiNd

quinta-feira, novembro 22, 2007 6:23:00 da tarde

Todos vão lá para fora para ganhar mais dinheiro, mas todos passam por privações e esses tem casas e carros de merda lá, tem um carrão na garagem todo o ano para para quando vierem para Portugal para as suas vivendas palacianas ficar a condizer bem, mas lá andam a pé ou num chasso qualquer. Enquanto que outros vivem bem por que não se importam de gastar para estarem e se sentirem bem, como tu não estão preocupados em vir gastar o dinheiro para portugal na velhice, por que depois de velho e reformado vai-se gastar o dinheiro no quê!

  Skynet

quinta-feira, novembro 22, 2007 7:10:00 da tarde

Eu acho muita graça é aqueles que no Verão vem passar férias com um "bruta" Mercedes ou BMW e depois lá fora vivem num buraco e usam um carro a cair aos bocados. É a mania das grandezas e da imagem. Não é necessário ser rico, apenas é necessário que as pessoas acreditem que eles são ricos lol

  Allie

quinta-feira, novembro 22, 2007 7:23:00 da tarde

Já no Verão se falou nisso em vários blogs. Aquela vontade de vir para aqui mostrar o bem que vivem. O que mais irrita é que falem em francês, por exemplo, com outros portugueses emigrantes, à nossa frente.

  ipsis verbis

quinta-feira, novembro 22, 2007 7:58:00 da tarde

(colocaste duas fotos iguais)

  Amsilva

quinta-feira, novembro 22, 2007 9:16:00 da tarde

é pena, é triste mas é verdade, grande parte dos tugas emigrados ao fim de poucos meses já não sabem falar portugues, no primeiro ano que regressam de ferias a Portugal têm imensas dificuldades em pedir seja o que for porque não "sabem" como se diz, principalmente os francius: oh mama, como se diz em portugues?
é pah, diz lá em francês!!
ehh, agora tambem não me lembro!!
traducão "não me lembro"= "não sei"

o pior mesmo do filme, é que são os proprios pais que nao incentivam a falar o portugues, mais tarde lamentam esse facto, e isto que só têm que falar os dois idiomas!
Eu então como leigo que sou na materia de idiomas e apenas falo e escrevo 3 idiomas alem do portugues teria todo e qualquer direito em esquecer o portugues???
Afinal, Portugal é o país onde menos tempo estou...
sou emigrante, sou portugues, e este é o meu idioma, com orgulho mas sem bandeira!!

  STRABUYA

sexta-feira, novembro 23, 2007 11:10:00 da manhã

... Nao posso...nao posso com o típico Tuga prepotente emigrante que nao tem onde cair morto! E ha tantos tantos espalhados pelo mundo fora!
O triste é que 'cá fora' a imagem que fica dos Portugueses é essa mesma, perdoem-me a espressao mas ainda nos identificam como uns pobres 'saloios'...


Concordo com a mamie2 a 'nova emigraçao' já é bem diferente e penso que a grande maioria já elige a saída do país como forma de enriquecimento tanto profissional como pessoal.
A nível monetário,ganha-se mas tb se gasta grande parte mas nao é gastar por gastar, chama-se APROVEITAR A VIDA
viajar aprender conhecer ouvir ver visitar comer ler dançar etc...isso é Riqueza!
Agora o emigrante estar a poupar para comprar a bela 'bibenda' de férias em Portugal e passar fome por isso, é imbecilidade!
E esquecer a Lingua materna...meus amigos isso entao já é burrice! :/


inté

  Tony Soprano

sexta-feira, novembro 23, 2007 11:14:00 da manhã

Como te deves ter apercebido tb sou emigra... mas o meu caso é um pouco diferente, pois onde estou sou mesmo o único tuga...

Mas compreendo o que dizes, desde puto que aturo cenas dessas, pois tenho mta familia emigra...

Estamos fora mas somos TUGUESES!!!

Só é pena que logo na geração seguinte (1ª ninhada de cachopos) já ninguém tem o mínimo interesse em voltar ou sequer conhecer Portugal...

Eu cá digo se o país não é assim tão bom, a culpa é de todos nós...

  Dr.Phil

sexta-feira, novembro 23, 2007 11:50:00 da manhã

Life is what you make it!

  2 idiotas super hiper ri fixes

sexta-feira, novembro 23, 2007 12:04:00 da tarde

Este post é interessante, principalmente para mim que lido com emigrantes e imigrantes todos os dias úteis do mês. A realidade é exactamente essa que descreves, matam-se a trabalhar uma vida toda para voltarem a Portugal e terem uma casa bonita para viver, só que quando chega a altura de aproveitar a casa, já estão doentes e não gozam muita coisa.
Aqui eles são cidadãos nacionais e não querem limpar retretes, mas na Alemanha, ou na Rússia ou na China, são imigrantes e são esses imigrantes que vão fazer os trabalhos que ninguém quer fazer. Acontece o mesmo aqui, quem vem de fora apanha a merda toda.
Ésta é uma visão generalizada, porque existem aqueles como tu, que sabem muito bem aproveitar a vida, agora, o presente, e amanhã logo se vê.

  2 idiotas super hiper ri fixes

sexta-feira, novembro 23, 2007 12:12:00 da tarde

Este post é interessante, principalmente para mim que lido com emigrantes e imigrantes todos os dias úteis do mês. A realidade é exactamente essa que descreves, matam-se a trabalhar uma vida toda para voltarem a Portugal e terem uma casa bonita para viver, só que quando chega a altura de aproveitar a casa, já estão doentes e não gozam muita coisa.
Aqui eles são cidadãos nacionais e não querem limpar retretes, mas na Alemanha, ou na Rússia ou na China, são imigrantes e são esses imigrantes que vão fazer os trabalhos que ninguém quer fazer. Acontece o mesmo aqui, quem vem de fora apanha a merda toda.
Esta é uma visão generalizada, porque existem aqueles como tu, que sabem muito bem aproveitar a vida, agora, o presente, e amanhã logo se vê. Continua assim!

Bjs
Borboleta Azul

  Maya Gaarder

sexta-feira, novembro 23, 2007 1:41:00 da tarde

Ja emigrante no Canada. Pais bom para viver e trabalhar.. mas na verdade vivi la exactamente como vivo aki, jantaradas, saidas à noite e borgas!
Voltei tesa como fui! Rejeito totalmente essa mentalidade do sacrificar agora para gozar quando for velhinha, quem garante que chego la?? O meu lema é viver o agora, o ja! Como acredito que seja o lema da nossa geração, talvez porque fomos testemunhas dos sacrificios dos pais para comprar a casita e o carrinho...
Não é para mim, quero viver com conforto como qalquer um mas projectar a longo prazo... não...
Reforma, quando e se chegar la penso nisso :)

  miss bradshaw

sexta-feira, novembro 23, 2007 2:20:00 da tarde

pois a velha historia do imigrante....tenho tios em frança que ainda teem a pronuncia vincada de braga e falam frances pouco melhor que eu (eu nao falo puto de frances)
as filhas deles falam um frances perfeito mas veem ca e so sabem dizer bom dia!

em frança sao a maria e tone....cá tem um vivendao e um carrao!
basicamente o que tu dissest! vao la pa fora fazer de capaxo de mais algum emigrante e ca cagam nogas de 50€!

é estupido,simplesmente estupido!
tenciono um dia sair daki,ate pk para a profissao que quero,aqui vou arrumar carros! e possivelmente pensarei como tu,nao sei se vou kerer voltar...depende de tudo!

beijinhu a ana julia! (acertei nao foi)

  miss bradshaw

sexta-feira, novembro 23, 2007 2:20:00 da tarde

pois a velha historia do imigrante....tenho tios em frança que ainda teem a pronuncia vincada de braga e falam frances pouco melhor que eu (eu nao falo puto de frances)
as filhas deles falam um frances perfeito mas veem ca e so sabem dizer bom dia!

em frança sao a maria e tone....cá tem um vivendao e um carrao!
basicamente o que tu dissest! vao la pa fora fazer de capaxo de mais algum emigrante e ca cagam nogas de 50€!

é estupido,simplesmente estupido!
tenciono um dia sair daki,ate pk para a profissao que quero,aqui vou arrumar carros! e possivelmente pensarei como tu,nao sei se vou kerer voltar...depende de tudo!

beijinhu a ana julia! (acertei nao foi)

  Francis

sexta-feira, novembro 23, 2007 6:48:00 da tarde

Tu não me digas que estás outra vez na barra do tribunal pá ?

Ou foste ao red-district e perdeste-te ?

  Foi Bom

sexta-feira, novembro 23, 2007 10:39:00 da tarde

Ah ah ah, Crest, o que eu aprendi hoje...Como se diz maquina de cafe em alemao, ein ein????

  mjf

sexta-feira, novembro 23, 2007 11:05:00 da tarde

Olá!
Hoje a imigração está mudar o padrão tradicional que mencionaste.
Há uma geração mais jovem e culturalmente evoluida e que pouco tem a ver com imagem antiga dos imigrantes portugueses...conheço alguns que se divertem e vivem a vida, com deve ser vivida.
Beijos
Bom fim de semana

  blackstar

sexta-feira, novembro 23, 2007 11:19:00 da tarde

Ora aqui está um tema interessante!
Há cerca de um mês, pensei escrever algo parecido, mas temi ser mal entendida! Vejamos, eu nunca emigrei, mas tenho na família quem o tenha feito e, quem ainda o faça! A minha madrinha, há cerca de 6/7 anos emigrou para a Inglaterra e eu considero-a uma emigrante. Porque teve a estranha sorte de ter um patrão que queria aprender português, nunca precisou de saber inglês, tem o mesmo trabalho que tinha aqui: faz limpezas! Tem, parcialmente, a mentalidade de emigrante: por um lado queixa-se que o dinheiro é pouco, por outro ostenta aquilo que enquanto cá viveu não podia ostentar! Até aqui tudo normal... A minha prima foi para lá quando terminou os estudos: dominava perfeitamente o inglês e, por isso, conseguiu logo um bom emprego. Começou por trabalhar numa loja e neste momento está numa espécie de call center! Casou há três anos e quando comemora aniversário de casamento viaja até um país diferente. Quando vem a Portugal, e se precisa de viajar de manhã cedo, fica no hotel do aeroporto, porque não vive perto! Desde o início de 2007 já esteve em Portugal 5 vezes... Vive bem e por isso sinto dificuldade em considerá-la a típica emigrante... Ou seja, eu que tanto critico ideia pré-concebidas, também as tenho! :S

  luafeiticeira

sábado, novembro 24, 2007 2:35:00 da manhã

Fizeste uma óptima descrição dos emigrantes. Agora há que reflectir não no que leva os portugueses a emigrar porque isso é óbvio, mas quem emigra. É lógico que te referes a pessoas ignorantes que ambicionam simplesmente mostrar luxo no seu país, até porque não sabem como é viver com qualidade de vida, mas pobres e ignorantes em Portugal e nem todos emigram. Não vou aqui dizer o que penso sobre isso, só abro a questão por causa dos nossos imigrantes, pois normalmente os portugueses não percebem que recebemos muita gente que foge de "guerras", não propriamnete gente que quer ganhar dinheiro para construir um chalé na Guiné.
jocas

  Crestfallen

sábado, novembro 24, 2007 10:49:00 da manhã

Foi Bom:

"Desloco-me", como queres que diga?

Há aves raras que migram e outras que emigram, estás certa!

  Crestfallen

sábado, novembro 24, 2007 10:49:00 da manhã

Foi Bom:

"Desloco-me", como queres que diga?

Há aves raras que migram e outras que emigram, estás certa!

  Crestfallen

sábado, novembro 24, 2007 10:52:00 da manhã

tavguinu:

Acho que as gajas é algo que não depende de onde se está, são sempre uma necessidade, prioridade.

"aproveitam a vida !"

Exacto, por viver a vida, muitos tugas ficam chocados pelo facto de eu ir a Portugal raramente e quando vou, não fico mais de uma semana!

"já tá bom para o snow?"

Por enquanto, só nas pistas artificiais, aí está bom todo o ano. A primeira neve é mole demais!

  Crestfallen

sábado, novembro 24, 2007 10:53:00 da manhã

iFrancisca:

Nunca seria capaz de viver uma vida a pensar no futuro. Amanhã posso morrer atropelado por um elefante. Tudo é possível!

  Crestfallen

sábado, novembro 24, 2007 10:54:00 da manhã

o segredo da lua:

AHHHHH, mas antes estavas!!!

  Crestfallen

sábado, novembro 24, 2007 10:56:00 da manhã

mamie2:

Eu fiz Erasmos e quem o faz e melhora o seu curriculum, só volta a Portugal se a experiência correu mal. Inglaterra, França, Alemanha. Suiça, etc, imensos países onde Portugal não está incluido, dão valor ao CV, em Portugal um CV rico, significa para muitos patrões, "Excesso de qualificações".

  Crestfallen

sábado, novembro 24, 2007 10:57:00 da manhã

Francis:

Mas é mesmo isso, só ouço falar dos 8,000 euros que gastaram no mês de Agosto em Portugal. Dinheiro que juntaram nos outros 11 meses!

  Crestfallen

sábado, novembro 24, 2007 11:00:00 da manhã

htsousa:

Esta ultima geração de emigrantes, vem com uma outra mentalidade. O problema é que se estraga ao ser influênciada pela comunidade Portuguesa. Por motivos de "segurança" (à falta de melhor palavra), optam por alugar casas em bairros Portugueses e isso complica a sua integração. Passam a vida com Portugueses a falar Português. Tudo isto para poupar 100 ou 200 euros de renda!

Alguns são salvos, apartir do momento que se envolvem sentimentalmente com Alemães.

  Crestfallen

sábado, novembro 24, 2007 11:01:00 da manhã

Chapas:

É esse o principal problema dos Portugueses, todos ele acham que são árvores e não se conseguem libertar das suas raízes. Eu não tenho raízes!

  Crestfallen

sábado, novembro 24, 2007 11:02:00 da manhã

Noivo:

Na verdade ele estão mal porque querem, pois se não vivessem a pensar na ostentação de agosto, viveriam uma vida muito melhor!

  Crestfallen

sábado, novembro 24, 2007 11:05:00 da manhã

Vanadis:

Eu sou Português e sempre seria. Adoro Portugal. Mas, já desde os meus tempos de estudante que digo, "Portugal é um país lindo se visitar", pois viver é fodido e caro!

  Crestfallen

sábado, novembro 24, 2007 11:08:00 da manhã

PsYcHo_MiNd:

Por exemplo, o meu irmão em Portugal queria um carro, mas uma carro dificil de arranjar em PT. Comprei a um emigrante esse mesmo carro. O carro estava novo, tinha 6 anos e 25.000 Km, esse carro só circulava entre Alemanha e Portugal no mês de agosto... isto quando iam a Portugal.

"por que depois de velho e reformado vai-se gastar o dinheiro no quê!"

Os Tugas têm sempre na cabeça a responsabilidade de juntar dinheiro sem motivo, depois quem fica todo contente são os filhos, que herdam tudo!

  Crestfallen

sábado, novembro 24, 2007 11:11:00 da manhã

Skynet:

A maioria tem carros topo de gama, porque na verdade eu compro aqui um Porsche 20,000 mais barato. Todos os carros são baratos. Muitos emigrantes registam o carro para ir a Portugal e quando voltam, cancelam o registo e fecham o carro na garagem. Pois aqui não temos o IA quando compramos o carro, mas temos um imposto anual, como que o Imposto de circulação mas bem mais alto!

  Crestfallen

sábado, novembro 24, 2007 11:12:00 da manhã

Allie:

Os Franceses exageram, mas aqui também há muitos com a mania que falam Alemão bem e colocam palavras em Português lá pelo meio. O meu cérebro faz TILT, eu digo, "ou falas Português ou Alemão, agora se misturas as duas, nem te respondo".

  Crestfallen

sábado, novembro 24, 2007 11:13:00 da manhã

ipsis verbis:

Bem observado!

  Crestfallen

sábado, novembro 24, 2007 11:16:00 da manhã

Amsilva:

"sou emigrante, sou portugues, e este é o meu idioma, com orgulho mas sem bandeira!!"

Aqui outra coisa que me faz rir, é que a bandeira nacional é usada como cortinado. Qualquer casa tuga tem como cortinado numa janela a bandeira nacional. Felizmente não são só os Tugas, os Brazukas fazem o mesmo.... deve ser defeito da Lusofonia!

  Crestfallen

sábado, novembro 24, 2007 11:18:00 da manhã

STRABUYA:

Neste caso sou o oposto, já pensei imensas vezes em vender o meu t3 em Portugal, só porque não faz sentido ter uma casa sem ser usada, mas já a tinha antes de vir.

  Crestfallen

sábado, novembro 24, 2007 11:20:00 da manhã

Tony Soprano:

Sem dúvida que a culpa é nossa!

  Crestfallen

sábado, novembro 24, 2007 11:20:00 da manhã

Dr.Phil:

Life is what you take out of it!

  Crestfallen

sábado, novembro 24, 2007 11:22:00 da manhã

2 idiotas super hiper ri fixes:

Para mim, se que quizesse viver a vida a contar trocos, tinha ficado em Portugal, pois aí ainda há o subsídio de férias e de natal para podermos ir passear em Agosto.

  Crestfallen

sábado, novembro 24, 2007 11:25:00 da manhã

Maya Gaarder:

O único pensamento de reforma que tenho, foi causado pela suposta falência da segurança social em Portugal, que me fez abrir uma poupança reforma. Aqui está projectada uma uniformização de reformas, independentemente daquilo que ganhas ou descontas a reforma será igual para todos, o que me levou a abrir outra poupança, desta vez num banco Alemão!

  Crestfallen

sábado, novembro 24, 2007 11:25:00 da manhã

Francis:

Têm sido uns dias dificeis, mas por bons motivos :P

  Crestfallen

sábado, novembro 24, 2007 11:27:00 da manhã

Foi Bom:

Kaffeemaachine!

  Crestfallen

sábado, novembro 24, 2007 11:28:00 da manhã

mjf:

Eu também conheço, infelizmente é um em cem!

  Crestfallen

sábado, novembro 24, 2007 11:31:00 da manhã

blackstar:

Quando estava em Inglaterra, ia a Portugal práticamente todos os fins-de-semana, pois há empresas low cost a fazer voos por 50€, considerando que um fim-de-semana de noitadas em Londres ficava por umas 100 Libras (150€), ficava barato vir a Portugal.

  Crestfallen

sábado, novembro 24, 2007 11:34:00 da manhã

luafeiticeira:

Isso é verdade, mesmo assim... Na Alemanha a segunda maior comunidade depois da Turca é a o Iraniana e em terceiro a Afegã. Mesmo a fugir a guerras e repressão, eles buscam uma melhor vida, por isso Portugal não está na lista de países prioritários!

  Foi Bom

sábado, novembro 24, 2007 1:09:00 da tarde

"Kaffeemaachine!"? Entao nao era qualquer coisa do genero de "konnamachine"? Va la, nao me estragues o momento...:(

  Vanadis

sábado, novembro 24, 2007 5:44:00 da tarde

Bandeira como cortinados?????????? LOLOLOLOLOL!!!

é como dizes, portugal é lindo de visitar...

mas há quem não tenha outra hipotese, paciencia...

e eu tb não estou assim tão mal pra me queixar muito. :-D

  Crestfallen

domingo, novembro 25, 2007 10:49:00 da tarde

Foi Bom:

"konnamachine"? LOL, o que é isso?
Se existisse uma konnamaschine as gajas (não) estavam fodidas.

Konna é uma palavra Filandesa, que é Kunna em Suéco, ou a moeda Croata, lá as merdas não custam "os olhos da cara" mas sim a "Kunas de bolso".

  Crestfallen

domingo, novembro 25, 2007 10:50:00 da tarde

Vanadis:

Yep, a malta tem bandeiras de Portugal nas janelas, uma merda tipo Euro 2004 mas a tapar o sol!

  Foi Bom

domingo, novembro 25, 2007 11:20:00 da tarde

Tas-me a desiludir...foi o Herman que falou nisso...

  Crestfallen

segunda-feira, novembro 26, 2007 12:17:00 da manhã

Foi Bom:

O Herman estudou no colégio Alemão e tem um excelente Alemão, mas é um bocado Kona :)

Quando o Cavaco era Primeiro Ministro também diziam que Cavaco Silva em Japonês era "Irókumatta".

Por Konna em Alemão só achei isto:

http://www.sekt-oder-selters.pytalhost.de/konna/

Um texto de um senhor que inicia o seu a texto, dizendo: "Olá, Olá, eu sou o Konna e muitos de vós me conhecem bem do meu (link)". Este foi o único Konna que encontrei!

Uma Konnamaschine teria de fazer konnas e konna, não é uma palavra com significado em Alemão...

  Lésbico

segunda-feira, novembro 26, 2007 7:08:00 da tarde

Bem os deste lado, já tu conheces mas são muito parecidos. A tentativa de falar Inglês com sotaque Britânico gerando algo que soa ridiculo!

  Crestfallen

segunda-feira, novembro 26, 2007 7:12:00 da tarde

São muito parecidos. Quer seja Hamburgo, Londres, Paris ou Zimbabué o Tuga é sempre a mesma coisa!

  SílviA

quinta-feira, novembro 29, 2007 3:44:00 da tarde

Gostei do teu post...diz tudo!!

VIVER, essa é a palavra de ordem.