Futebolês!


O Futebolês é sem dúvida uma língua nova que regrediu do Português, um pouco como o Português evoluiu do Latim, mas... Ao contrário. Já estamos tão habituados a estes atentados por parte de jornalistas, que assustadoramente já nem ligamos.
Pensem um pouco na gravidade da situação... Quem escreve bem, não edita. As desculpas são: "falta de espaço", "o livro não se enquadra na politica de edição das editoras". Na verdade o que ele querem dizer é: "Você não é ninguém, apesar do livro ser jeitoso, não estamos dispostos a arriscar e ter sucesso". Por outro lado, os jogadores de futebol andam a escrever livros, há que ter cuidado.

Os cometários que se seguem, são verdadeiros e tenho a certeza que muitas das pessoas que os proferiram, editariam um livro em qualquer editora Portuguesa:

"Chega agora a informação... O jogador que há pouco saiu lesionado, foi vítima de uma fractura craniana no joelho", esta é gira, a fractura deve ter sido na cabeça do joelho. Esta recorda-me de uma outra idêntica que li num jornal do norte do país, que dizia: "O cidadão Ucraniano, foi imediatamente levado para o hospital onde lhe for diagnosticada uma fractura ucraniana", é a isto que chamo nacionalismo, bolas se ele é Ucraniano que tenha fracturas ucranianas, nós teremos talvez fracturas Lusas. 



Ribeiro Cristóvão no final duma etapa da Volta a Portugal: "E para o vencedor há sempre a alegria de ter chegado em primeiro lugar", e que alegria…


Orlando Dias Agudo num jogo de Hóquei em Patins: "Victor Hugo acabou de cair sobre o relvado...", se o Victor Hugo estivesse no ringue de hóquei como seria de supor, isso não teria acontecido.




Rui Tovar após um golo: "Acabámos de assistir a um golo substantivo que não pode ser adjectivado", genial, agradeço a explicação gramatical. Pelo que entendo um golo poderá sempre ser adjectivado a não ser que seja substantivo.... OK...



O nosso querido Gabriel Alves, se não fosse ele a animar durante anos o futebol nacional, Portugal passaria os dias a ver maratonas.
"Vejam como Paulinho Santos não deixa Sá Pinto penetrar!", o Paulinho Santos sempre teve mau feitio, talvez ele queira ser fiel ao João Pinto.


"Eeee pá... Silvino... a levar a mão às bolas...", Silvino foi sem dúvida um excelente guarda-Redes, mas eu sou da opinião que o guarda-redes não só está autorizado a levar a mão á bola, como também pode coçar as sua bolas quando bem entender. O que não acho de bom tom é o comentador referir esse momento pessoal, publicamente. 


"O Benfica está em excelente forma, a jogar num 3x4x3x3", e mesmo a jogar com 13 jogadores, não foi campeão!


"... trabalhando muito bem debaixo das pernas do adversário", o erotismo do futebol não pára de me impressionar. E quer a FPF ver mais crianças nos estádios...


"Jardel.... um jogador com um tempo de salto de 70 centímetros...", tal como um jogo tem 90 centímetros fora os descontos de tempo.


"De facto foi golo, com a bola a bater A MAIS DE 2 METROS para lá da linha de golo", na verdade foi por pouco que não saiu do estádio.


"Existem muitos jogadores alemães a jogarem no campeonato germânico", será que ele sabia que o campeonato germânico é de facto alemão?


Ouve-se no estádio um cântico: "Ó Pinto da Costa, vai pró caralho", Gabriel Alves, no mesmo instante refere: "O publico entusiasmado... a apoiar as duas equipas...", isto sim é apoio.


"A selecção não jogou nem bem nem mal, antes pelo contrario...", que é como quem diz "A selecção não jogou nem mal, nem bem.


"George Hagi, estratega da equipa.... (pausa).... Raducioiu (lido assim mesmo) .......... (pausa) ..... Já perdeu tempo de remate. Golo.", se Hagi não tivesse perdido o tempo de remate, certamente poderia ter marcado 2 golos, num único remate.


"O Benfica está a jogar num futebol de passe curto...(pausa)... e passe longo, consoante as ocasiões...", sim, o Benfica estava a tentar ser inovador e variar um pouco os passes.


"Um passe para uma zona de ninguém, onde realmente não estava ninguém!", incrível seria ver lá alguém visto que a zona era de ninguém.


"Giggs, um jogador que remata bem do meio-campo para a frente", ainda bem, precisamos de mais jogadores assim, pois evitamos os auto-golos.


José Eduardo: "O futebol tem uma intensidade plástica fora do vulgar", eu julgo que ainda hoje José Eduardo sonha com esta frase, enigmática.


João Pinto (FC Porto) referindo-se a Vítor Baía: "Ele é sem dúvida o melhor guarda redes do mundo, e talvez da Europa!", e quem sabe até o maior lá da rua.


João Pinto novamente: "prognósticos, só no final do jogo", eu também consigo adivinhar o resultado após o apito final.


"o meu coração só tem uma cor Azul e branco", é o FCP carago. Azul e branco que cor linda!


"estávamos na berma do precipício e demos um passo em frente". Esse era passo a evitar, rapaz!


Sócio do Felgueiras: "...éramos 8 pessoas, 2 casais portanto...", aaaahhh, dá que pensar o que esses casais fazem no quarto.

Isto é o desporto. O Português aceita-se que seja mau, pois não é tão grave como quando nos referimos a notícias mais sérias. Por outro lado os jornais desportivo são a única leitura da grande maioria dos Portugueses. Enquanto estes jornais me divertem, ajudam outros leitores a continuar a falar mal ou a falar ainda pior. O bom jornalista desportivo acaba sempre a trabalhar numa outra área (Jorge Gabriel), enquanto quem fica... é o que se vê!

48 Comentários:

  PsYcHo_MiNd

sexta-feira, outubro 19, 2007 4:05:00 da tarde

É preciso que o livro seja sobre uma qualquer atrocidade e principalmente se for com crianças ou qualquer tipo de esquemas com figuras publicas ( que acaba por voltar à parte das crianças por que a maior parte tem essa idade mental). Muitos dos jornalistas seguem a área desportiva mesmo pelo facto de serem maus escritores e para eles é 'um caminho mais fácil'
pois atingem um diferente sector em portugal e pensam que por isso
não precisam de escrever correctamente e que por vezes até acham que fica bonito.
Depois são as calinadas que se ouvem e leem,mas sem duvida que a mais inigmática delas todas é a do jogador João Pinto: "prognósticos, só no final do jogo".
Por isso é que não são os livros da autoria dos próprios mas sim de outros que por vezes se dizem jornalistas mas que afinal são bem mais fraquinhos.

  Maya Gaarder

sexta-feira, outubro 19, 2007 4:14:00 da tarde

Oh Crest!!! Fodassseee meu! Ta o pessoal todo do escritorio a pensar k eu enlouqueci!!Isto de ler os teus post no horario de trabalho tem que acabar!! NÃO consigo parar de rir. Vou la fora fumar um cigarrinho para acalmar...
BOA!!! O meu coração também so tem uma cor!!Rosa bébé e cinza LOL

  NiNa

sexta-feira, outubro 19, 2007 4:38:00 da tarde

lol é sempre bom recordar estas pérolas :P a verdade é que por vezes até os perdoo, sobretudo se forem comentadores em directo lol
Mas mais anedota que ouvir certos comentadores é ver certos jogadores...enfim... só penso uma coisa: se ganhasse o que eles ganham até eu sabia jogar futebol! :P
bom fds **

  tavguinu

sexta-feira, outubro 19, 2007 4:52:00 da tarde

Só faltou mesmo :

"A técnica da força contra a força da técnica" by Gabriel Alves, esse grande senhor do "comentadorismo" desportivo !

  Tony Soprano

sexta-feira, outubro 19, 2007 6:11:00 da tarde

E aí está o jogador a dizer que sim à bola...

Raios partam estes animais...

Realmente, tens razão que os jornais estão cheios de erros e isso é sem dúvida uma péssima influência para as massas que leêm esses jornais... Sim porque livros está quieto (e contra mim falo)...

  su

sexta-feira, outubro 19, 2007 6:26:00 da tarde

Já me parti a rir, não sei é como explicar a minha filha de 5 anos onde está a piada...

O nome é "uma longa queda". Tenho que ver isso. Brigada!

  Teté

sexta-feira, outubro 19, 2007 6:30:00 da tarde

Pois é, isto cá na terrinha para se editar um livro é necessário ser conhecido, jogador de futebol, treinador, apresentador de televisão, actriz/actor ou parente de um deles e em alguns casos ex-amásia...

Quanto aos que escrevem (ou pelo menos que assim julgam), se são ilustres desconhecidos não têm sorte nenhuma: "a maior parte dos originais enviados para as editoras pura e simplesmente não é lida" afirma Mega Ferreira.

Quanto a essas habituais calinadas do futebolês, olha, já me basta ouvi-las na TV, para quê ainda comprar jornais desportivos? Para aprender a escrevê-las também? Mas algumas são sobejamente conhecidas de todos, ficaram para a história... da asneirada!

  Francis

sexta-feira, outubro 19, 2007 6:31:00 da tarde

o jardel tambem tem outra boa...

"essa bola aí eu não chegava nem que tivesse dois pulmões"

o pessoal da bola é giro.

  ipsis verbis

sexta-feira, outubro 19, 2007 6:36:00 da tarde

Ahahahahaha...
Não resisti a ir ver mais futeboladas na gramática. Aqui ficam algumas:

Jornalista - Eusébio, qual o seu marisco preferido?
Eusébio - Tremoços!!!
______

Gabriel Alvesdurante um jogo do Sporting:
"Juskowiak a vantagem de ter duas pernas!"
______

Francisco Figueiredo
"...Eh! Amaral...a vantagem de ter um olho para cada lado!..."
______

João Pinto depois de ter marcado um golo num remate de primeira. Entrevistado no fim do jogo, teve a seguinte afirmação:
"Não foi nada de especial, chutei com o pé que estava mais à mão!"

Ahahahahhaha

E se o futebolistas fossem todos como o Carlinhos Paixão ?

  Crestfallen

sexta-feira, outubro 19, 2007 6:59:00 da tarde

PsYcHo_MiNd:

Isso é verdade, a maioria das auto-biogarfia que para aí andam, são biografias mas não auto!

  Crestfallen

sexta-feira, outubro 19, 2007 6:59:00 da tarde

Maya Gaarder:

Trabalho é trabalho, cognac é cognac!

  Crestfallen

sexta-feira, outubro 19, 2007 7:02:00 da tarde

NiNa:

Mesmo com o dinheiro que eles ganham, não os invejo. Perder os melhores anos da minha vida, passados em festas. Não viver os tempos de Universitário. Não saber a sensação de queimar o grelo, viver uma latada e queimar as fitas. Ir dormir ao nascer do sol e sair de casa depois de jantar...

Podem ganhar muito dinheiro, mas começam a viver depois dos 35 anos!

  Crestfallen

sexta-feira, outubro 19, 2007 7:03:00 da tarde

tavguinu:

Pois, essa também faz parte dos livros :)

  Crestfallen

sexta-feira, outubro 19, 2007 7:05:00 da tarde

Tony Soprano:

Os livros é o local mais seguro para esconder dinheiro. A minha avó, que tem hoje 93 anos, esconde dinheiro à vista de todos, dentro de livros. A casa dela foi assaltada várias vezes e nos livros ninguém toca.

E gostaria de salientar que ela tem imensas primeiras edições com bastante valor...

  Crestfallen

sexta-feira, outubro 19, 2007 7:06:00 da tarde

su:

"uma longa queda"

É raro a tradução dos titulos ser tão literal, mas é de facto o um bom livro tal como todos os desse autor.

  Crestfallen

sexta-feira, outubro 19, 2007 7:08:00 da tarde

Teté:

"a maior parte dos originais enviados para as editoras pura e simplesmente não é lida"

Regra geral acabam por ser lidos, pode é demorar até dois anos. O grande problema é a imensa quantidade de poesia. Qualquer pessoa que escreve uma rimas, envia manuscritos.

  Crestfallen

sexta-feira, outubro 19, 2007 7:09:00 da tarde

Francis:

Pois do Jardel, só gostei quando a ex pousou para a Maxmen, isso sim foi bonito :)

  Crestfallen

sexta-feira, outubro 19, 2007 7:12:00 da tarde

ipsis verbis:

Essa do Eusébio até tem certa lógica, pois na terra dele o Camarão é dado a acompanhar cerveja e o tremoço paga-se :)

O Carlinhos Paixão é sem dúvida algo de especial :P

  Vanadis

sexta-feira, outubro 19, 2007 7:43:00 da tarde

Yeah, já conhecia as pérolas e já levei traulitada do chefe por me estar para aqui a rir...

E o Jardel: nem que eu tivesse dois pulmões, eu alcançaria aquela bola!

E não é só o futebolês. O jornalistolês também nos granjeia montanhas de abdominais. Senão, é lembrar (mais palavra menos palavra):

"Uma vasta área de pinhal a arder. Em principio, trata-se de um incendio!"

"Acidente faz x mortos. As vítimas não comentam."

E... pô não me lembro de mais...

Enfim, então parece que já temos o futebolês, o Jornalistês, o Bushês e o Chinglês. Que mais virá aí?

Lembrei-me de uma cena, li-te algures fã do Daily Show. =) Gooood Boy! ;-p

  Vanadis

sexta-feira, outubro 19, 2007 7:44:00 da tarde

Ps1 - e eu a achar que falava muito... ;-p

  ipsis verbis

sexta-feira, outubro 19, 2007 7:49:00 da tarde

crestfallen:
Chamar marisco a um tremoço não tem lógica nenhuma. :D
A não ser que seja o Super-Tremoço a voar ao longe:
- O que é aquilo?
- É um avião?
- É uma lula?
- É uma lagosta?

Agora se dissesse iguaria de raro requinte, aí seria outra coisa. Com lógica.

  Crestfallen

sexta-feira, outubro 19, 2007 8:03:00 da tarde

Vanadis:

The Daily Show é o meu noticiário favorito. Aqui ouço falar do Bush sem mudar de canal :)

  Crestfallen

sexta-feira, outubro 19, 2007 8:04:00 da tarde

ipsis verbis:

E o Eusébio sabe lá da existência da palavra Iguaria? Marisco para ele é tudo aquilo que é caro!

Tal como no Brasil tudo o que é barato é ao preço da banana, bem onde moro a banana é bem cara!

  Vanadis

sexta-feira, outubro 19, 2007 8:07:00 da tarde

Subscrevo, subscrevo. Jon Stewart e Conan O'Brien: os meus "cómicos" preferidos.

  sextrip

sexta-feira, outubro 19, 2007 8:39:00 da tarde

aqui há dias no restaurante ouvi uma "boca" engraçada, vinda de uma rapariga de outra mesa.

"- o Ronaldo escreveu uma autobiografia ?!? deve ser um livrinho muito fininho..."

não sei se dei muita "cana"... mas que a cerveja me saiu pelo nariz, saiu !

  Teté

sexta-feira, outubro 19, 2007 8:41:00 da tarde

Xi, Crest já me deste um trabalhão. Então a propósito da frase do Mega Ferreira, fui à procura do post onde tinha escrito sobre isso e... não cheguei a postar!

Como falei do assunto com uma amiga minha, olha deixei passar...

Segue brevemente para post.

Nice weekend!

  PsYcHo_MiNd

sexta-feira, outubro 19, 2007 8:47:00 da tarde

Mais uma forma de se ganhar dinheiro à pala de alguem famoso e de este ganhar um pouco mais de protagonismo vendendo a imagem.
E o Bush é que é sempre o 'cómico' de serviço.

  Amsilva

sábado, outubro 20, 2007 1:11:00 da manhã

tem piada como se pode ver erros aos montes tanto nos jornais como nas tvs
será apenas falha dos jornalistas? ou dos editores?
pessoalmente gosto tanto das gafes nas gravações como as mesmas em directo, embora que as segunda têm mais emoção, principalmente quando corre algo raro, tipo aquele jornalista da SIC em ligação directa com uma noticia que não deveria ter mesmo interesse nenhum, até uma pomba lhe cagou em cima, será que a pomba estava ao telemovel a dizer á mãe: Oh mãe liga a TV na sic, está em directo e eu estou na imagem...

  Schlumpy

sábado, outubro 20, 2007 8:16:00 da manhã

E o "Oceano a despejar" ??

"Os jogadores dispõem-se no relvado formando uma figura geométrica. O futebol é uma arte plástica" (Gabriel Alves)

Bom, a mim parece-me que aquilo a que chamas futebolês pode ser comparado ao crioulo, porque no fundo é uma mistura do português com uma outra língua que aos comuns mortais é alheia.

  Allie

sábado, outubro 20, 2007 9:11:00 da manhã

Fantástico! as usual...

  Crestfallen

sábado, outubro 20, 2007 12:46:00 da tarde

sextrip:

O comentário está excelente. Se esperasse mais 10 anos ainda enchia uma 200 páginas, só co estórias de prostitutas!

  Crestfallen

sábado, outubro 20, 2007 1:37:00 da tarde

Vanadis:

Pessoalmente, só gosto dele no Daily Show, os filmes que vi dele são fraquinhos.

  Crestfallen

sábado, outubro 20, 2007 1:38:00 da tarde

Teté:

Bom fds para ti também.

  Crestfallen

sábado, outubro 20, 2007 1:39:00 da tarde

PsYcHo_MiNd:

O Bush quer marcar a história Americana, quer ser lembrado para sempre... e será!!

  Crestfallen

sábado, outubro 20, 2007 1:41:00 da tarde

Amsilva:

A falha, na minha opinião é dos jornalistas, que estudaram para o ser e não sabem Português. Claro que os editores têm culpa e não fazerem o seu trabalho e lerem o que o sjornalistas escrevem antes de publicarem... se lêem... então é ainda mais grave.

  Crestfallen

sábado, outubro 20, 2007 1:44:00 da tarde

Schlumpy:

Lembro-me dessa sobre o Oceano, por ouvir o meu pai falar disso! Só me lembro do Oceano graças às coleccções de cromos, onde me lembro do Oceano como central do Sporting.

  Crestfallen

sábado, outubro 20, 2007 1:44:00 da tarde

Allie:

No entanto não tem nada de original :(

  Mulheka

sábado, outubro 20, 2007 2:24:00 da tarde

Já tinha lido algumas destas pérolas... uma verdadeira lição de português ahha.
Há com cada um...

  Crestfallen

sábado, outubro 20, 2007 5:59:00 da tarde

Mulheka:

... que até parecem 2!

  Foi Bom

sábado, outubro 20, 2007 6:59:00 da tarde

Este comentário foi removido pelo autor.
  Foi Bom

sábado, outubro 20, 2007 7:00:00 da tarde

Lol, esquece, algo se passou, post errado...mas não volto a repetir tudo!

  Crestfallen

sábado, outubro 20, 2007 7:03:00 da tarde

Foi Bom:

Eu li, comentário correcto no post errado ;)

  Foi Bom

sábado, outubro 20, 2007 7:06:00 da tarde

Épa, fui passando, fui passando e fui passando, já que os teus posts são um bocadinho para o grande, e pensei que tinha chegado à parte dos comentários correctos...mas leste e ficou registado, isso é que interessa!

  miss bradshaw

domingo, outubro 21, 2007 3:55:00 da tarde

perolas meu amigo...perolas =)

os jogadores da bola desistem da escola para serem super hiper mega ri bons no campo! começo a achar que quem trabalha nesse meio lhes começa a seguir as pegadas.....***

  Crestfallen

domingo, outubro 21, 2007 4:51:00 da tarde

Foi Bom:

"são um bocadinho para o grande"

Gostei da palavra "bocadinho".

  Crestfallen

domingo, outubro 21, 2007 4:53:00 da tarde

miss bradshaw:

Tenho laços de sangue com um desse seres. O meu irmão, pertence ao grupo de mentecaptos jogadores da bola. Ele nem sabe o que é um mentecapto, para ele deve ser um tipo de marisco.

  Skynet

domingo, outubro 21, 2007 6:20:00 da tarde

Ao ouvir as declarações de alguns comentadores de futebol várias vezes, chego à conclusão de que embora eles falem durante 10 minutos e utilizem de facto palavras, no final eles acabam por não dizer nada. Isso mesmo, 10 minutos a falar, sem dizer nada lol. Já os poucos que ainda dizem alguma coisa, acaba por lhes sair estas pérolas que meteste no post

  Crestfallen

segunda-feira, outubro 22, 2007 4:22:00 da tarde

Skynet:

Os comentadores são um pouco como politicos, após eles acabarem de falar, chegamos à conclusão que não disseram nada!