3 ou 4, tanto faz!


Este Sábado, vi parte de um espectáculo de fado.
O grupo de fado foi formado por 2 Luso descendentes, nascidos um em Hamburgo e o outro em Berlim. Na guitarra Portuguesa está um Austríaco que estudou música em Portugal. O grupo tem também um Alemão que toca violoncelo. Esta é a capa do CD.



Na foto que se segue, não dá para ler muito bem, mas eu digo o que está lá escrito:

Trio Fado:

Maria Carvalho - Voz,

António de Brito - Voz (apesar de não vir referênciado ele toca também viola)

Daniel Pircher - Guitarra Portuguesa.

Benjamin Walbrodt - Cello


Ora exactamente, acredito que já repararam no mesmo que eu. A minha primeira pergunta à gaja, foi:

- Porque raio, vocês se chamam Trio Fado se são 4?


A resposta dela foi:

- Quando o trio foi formado éramos só 3.

Duh, que merda de novidade. Eu não voltei a insistir na pergunta, pois percebi que ela não iria chegar lá. Vocês podem dizer, "Ah e tal, a miúda tem razão e o quarto membro entrou mais tarde". E então? O quarto membro faz parte do grupo nos crédito do primeiro CD. Se é o primeiro CD, é aquele que pretendem vender e pelo qual os 4 querem ficar conhecidos. Porque raio querem 4 ficar conhecidos como 3? Até ao momento de lançamento do CD, iam a tempo de mudar o nome da banda. Mas não.
Só me dá vontade de fazer um duo tipo o "Duo ele e ela", mas o meu vai-se chamar "eu, ela e a outra". Se um trio tem 4 pessoas um duo tem de ter 3, para estes lados!

O produtor do álbum foi um gajo com um nome tipicamente Português, um tal de Ahmed Chouraqui. Eu pergunto como é que este Muhamed das Arábias produz um álbum de fado? Que conhecimentos, tem este Sadam da nossa musica nacional?

Agora deixo-vos com uma das letras cantada/tocada por estas alminhas:

"Barco Negro

De manhã, que medo
Que me achasses feia!
Acordei tremendo
Deitada na areia...
Mas logo os teus olhos
Disseram que não:
E o sol penetrou no meu coração

Vi depois numa rocha uma cruz
E o teu barco negro
Dançava na luz...
Vi teu braço acenando
Entre velas já soltas...
Dizem as velhas da praia que não voltas.

São loucas! São loucas!"



À primeira vista, parece giro ao ler uma segunda vez, já me deu vontade de rir. Nem vou falar do mau uso das reticências nem dos dois pontos, nem sequer da falta de uma virgula que me parece essencial no penúltimo verso. O texto em si é que é... sei lá como dizer isto de uma forma simpática. É uma merda.
Analisando, "De manhã, que medo, Que me achasses feia!", tudo bem percebe-se, pois à noite, depois de umas bejecas, as gajas parecem-nos mais bonitas e pela manhã, um gajo acorda e ao olhar para ela, a primeira coisa que diz é "Foda-se!".
"Acordei tremendo, Deitada na areia...", ora isto explica a minha frase anterior, pois 90% das fodas na areia, são fruto do excesso de álcool. "Mas logo os teus olhos, Disseram que não: E o sol penetrou, no meu coração", uma rima simples mas gira. Agora passamos à frente para chegar à contradição.

"Vi teu braço acenando, Entre velas já soltas...", se ela viu o braço dele acenando e se estava olhar para o barco, parto do principio que ele estava no barco e ela como disse estava na areia. Este facto leva-me a perguntar como é que ela conseguiu ver-lhe nos olhos que ele não a achava feia.
Desculpem lá estas minhas merdas, mas eu detesto "poemas" tipo João Pedro Pais, usando palavras bonitas mas que, quando inseridas num contexto não fazem qualquer sentido.

"Dizem as velhas da praia que não voltas.", "São loucas! São loucas!", Uma coisa é certa, nem que te fodas toda e por mais pescadores que comas nas tuas férias em Portugal, nunca na puta da vida as palavras "voltas" e "loucas" rimam. Mesmo que tenhas escrito isto incialmente em Alemão, continua a ser uma rima de merda, "zurück" com "verrückt".

Enfim, continuo a preferir um outro poema:

"Loucas, loucas, loucas
Andam as galinhas
Para pôr o ovo
Lá no buraquinho
Raspam, raspam, raspam
p´ra alisar a terra
picam, picam picam
para fazer o ninho"

Isto sim é um poema viciante!

No entanto tenho de dizer algo de positivo, o livrinho do CD, tem as letras traduzidas para Alemão. A tradução é de uma qualidade impressionante, pois pouco ou nada tem a ver com o texto original. O que me leva a pensar que os textos foram originalmente, escritos em Alemão e deficientemente adaptados para Português. Eu disse que ia dizer algo de positivo... mas, parece que não!





85 Comentários:

  Flor

quarta-feira, novembro 21, 2007 11:40:00 da manhã

Loooooooooooooool

O que eu já me ri! Deliciosa análise.

E sim, o "doidas, doidas, doidas andam as galinhas" é muito mais giro (costumo usar o "doidas" e não o "loucas") e, além disso, até dá para fazer uma analogia com as "outras" galinhas que por aí andam.

  Francis

quarta-feira, novembro 21, 2007 11:42:00 da manhã

curto a elite portuguesa...são os intlectuais da comunidade aí do burgo ? tinhas obrigação de ir ? e parecia fado ou não ? a letra é realmente fraca.

  Crestfallen

quarta-feira, novembro 21, 2007 11:46:00 da manhã

Flor:

Eu adoro a letra das galinhas :P

  Crestfallen

quarta-feira, novembro 21, 2007 11:47:00 da manhã

Francis:

Um dia irei escrever sobre esta pseudo elite de pés rapados!

Não tinha obrigação de ir, mas fui convidado na presença de uma rapariga Alemã que gostava de ouvir fado ao vivo.

De facto é fado, bem cantado e bem tocado, valha-nos isso!

  inês

quarta-feira, novembro 21, 2007 12:12:00 da tarde

agora percebo, com um social desses não podes ter tempo para muito!

valeu pela "guitarra portuguesa", e a mocinha cantava?

anda daí para uma noite de fados!!!

  Teté

quarta-feira, novembro 21, 2007 12:19:00 da tarde

Ca ganda faduncho!

Também prefiro galinhas doidas...

  deusaminervae

quarta-feira, novembro 21, 2007 12:48:00 da tarde

Mas cantam em Português ou em Alemão? :)

  Cristina

quarta-feira, novembro 21, 2007 12:53:00 da tarde

Olha... eu não quero parecer mau feitio, mas essa letra é igualzinha a um fado da Amália... Já muito velinho... até o nome é o mesmo...

  iFrancisca

quarta-feira, novembro 21, 2007 12:55:00 da tarde

A mim parece-me uma letra digna do Nelo Monteiro! Fico à espera da descrição da elite! Essas elites deixam-me sempre impressionada...

  Crestfallen

quarta-feira, novembro 21, 2007 1:10:00 da tarde

inês:

Bah isto não é social é tédio!

  Crestfallen

quarta-feira, novembro 21, 2007 1:10:00 da tarde

Teté:

Então doidas andam as galinhas e loucas as vacas?

  Crestfallen

quarta-feira, novembro 21, 2007 1:11:00 da tarde

deusaminervae:

Cantam em Português, Fado em Alemão devia ser um fartar de rir :P

  Crestfallen

quarta-feira, novembro 21, 2007 1:12:00 da tarde

Cristina:

Se for realmente da Amália então o problema é ainda maior, pois foi mesmo mal escrito em Português.

  Crestfallen

quarta-feira, novembro 21, 2007 1:12:00 da tarde

iFrancisca:

"Essas elites deixam-me sempre impressionada..."

Eu então fico de boca aberta...

  deusaminervae

quarta-feira, novembro 21, 2007 1:19:00 da tarde

"Cantam em Português, Fado em Alemão devia ser um fartar de rir :P"

Não tanto como essa letra! Pelo menos eu não perceberia... eheh :)

Até que deve ser engraçado fado em Alemão. Esse tinha de ouvir :)

  2 idiotas super hiper ri fixes

quarta-feira, novembro 21, 2007 1:22:00 da tarde

Não sei como resististe a não pedir autógrafo... eheheheh

Bjs
Borboleta Azul

  tavguinu

quarta-feira, novembro 21, 2007 1:49:00 da tarde

positivo parece-me a gaja ou nem por isso ? é como os versos?

  STRABUYA

quarta-feira, novembro 21, 2007 1:55:00 da tarde

Esta é daquelas vezes em que

  Crestfallen

quarta-feira, novembro 21, 2007 2:16:00 da tarde

deusaminervae:

Já ouvi um cantado em Inglês, foi giro mas gostaria de não repetir!

  Crestfallen

quarta-feira, novembro 21, 2007 2:16:00 da tarde

2 idiotas super hiper ri fixes:

Tenho um grande auto-controlo!

  Crestfallen

quarta-feira, novembro 21, 2007 2:18:00 da tarde

tavguinu:

É como os versos, tem uns olhos bonitos, tem a mania que é chique com uma maneira de falar à tia (ridiculo tendo em conta que nasceu aqui), tem as mamas maiores que a cabeça onde o seu 1,55m não ajuda nada!

Dentro de uns anos está marreca com o peso das bolhas!

  Crestfallen

quarta-feira, novembro 21, 2007 2:19:00 da tarde

STRABUYA:

"Esta é daquelas vezes em que"

Agora fiquei curioso... detesto que me deixem curioso!!!!

  turbolenta

quarta-feira, novembro 21, 2007 2:46:00 da tarde

- A coisa começa logo muito feia!
Mau presságio: o próprio nome do barco.
Logo havia de ser preto o desgraçado!

De manhã, que medo
Que me achasses feia!
Óbviamente!
Ao acordar- cheia de remelas e com os cabelos em pé, até as bonitas são feias!
- - - -
Acordei tremendo
Deitada na areia...

Evidentemente!
Então a burrinha não sabia que era o mínimo que lhe podia acontecer!...
E, se calhar nem viu que se deitou na areia molhada!
- - - - - - -

Mas logo os teus olhos
Disseram que não:

Decididamente….ele só podia estar com os copos!
Não viu nada!
- - - - - - -

E o sol penetrou no meu coração

E teria sido mesmo o sol que a penetrou?
Duvido!
Se calhar foi outra coisa!
- - - - - - - - -

Vi depois numa rocha uma cruz

Claro…praia perigosa!
Isso era uma homenagem a algum suicida…

- - - - - - -
E o teu barco negro
Dançava na luz...

Qual barco?
Qual luz?
- - - - - - - -

Vi teu braço acenando
Entre velas já soltas...

Claro!...
O homem foi esperto e depois de tudo…
Deu de froskes,…( antes que fosse tarde!)
- - - - - - -

Dizem as velhas da praia que não voltas.

Vá lá…
Teve muita sorte em não ser uma praia deserta
E, às vezes, “as velhas” sabem bem o que dizem…
- - - - - - - - - -

São loucas! São loucas!"
Quem?...As velhas…
Ou ela?

* * * * * * * * * * *

Pela capa vê-se logo que têm todos “pinta” de portugas!, principalmente o do lenço.
Mas acho que até está vestido adequadamente .
Tem todo o ar de “Pirata das Caraíbas”…de quem veio de barco!

A verdade é que o meu comentário é tão parvo e sem nexo como a “letra do fadito” e a capa do CD.


Mas........deixa que te diga:
És mesmo mau!
Malandro!
Isso não se faz à menina!

Que desplante não lhe pedir o autógrafo!

Lol lol lol

Faço ideia da cara dela!

  mamie2

quarta-feira, novembro 21, 2007 2:59:00 da tarde

LOL Crest!

Estás mesmo um emigrante! Até já vais aos eventos da sociedade Tuga aí radicada!

Daqui a nada andas com uma camisola do Cristiano Ronaldo!

Olha tenho uma amiga de infância que tb aí mora! Manda-lhe bjs da próxima que fores a um evento desses!LOL

  Allie

quarta-feira, novembro 21, 2007 3:33:00 da tarde

Bem, se fosses critico terias arrasado o trio! E que nome tão interessante. Trio Fado! Lindo. Not.

  Afrika

quarta-feira, novembro 21, 2007 4:30:00 da tarde

Pois sim! Quão bem te entendo...
Mas ja tem um cd... ah! pois e'... e nao tarda muito andam por ai com o "fado" de porta em porta. Ja tou com pena do nosso fado, tão mal tratado !

  o segredo da lua

quarta-feira, novembro 21, 2007 5:02:00 da tarde

Pobre do desgraçado que cai nas más linguas do Crest... implacavel...mordaz...satírico... e quase sempre com razao!

  Marta

quarta-feira, novembro 21, 2007 5:08:00 da tarde

Oh Crest este é um dos fados mais conhecidos da Amália!
Estou a ver que eles não percebem nada de fado, nem tu! :)))

  Nieh

quarta-feira, novembro 21, 2007 5:44:00 da tarde

Estou “aqui batida” quando falares da elite portuguesa. Quanto ao trio formado por quatro, mas queres algo mais original ? (not!)

  PsYcHo_MiNd

quarta-feira, novembro 21, 2007 6:12:00 da tarde

Acho que só já vais mesmos a estes eventos 'manhosos' para depois poderes vir para aqui dizer mal. Sabemos que tu até que tentas ser simpático, mas as pessoas também não ajudam e fazem coisas no mínimo estranhas como este grupo, depois não querem que fales mal.

  Foi Bom

quarta-feira, novembro 21, 2007 7:21:00 da tarde

Eu não estou inspirada, mas de facto esse fado é da Amália e a música é muito bonita....Estou a cantar, queres ouvir?

  ipsis verbis

quarta-feira, novembro 21, 2007 7:25:00 da tarde

Caca de capa. Caca de nome. Caca para os fadistas que se copiam uns aos outros... Esse fado foi cantado primeiro pela Amália e a letra, a fantástica letra, deve-se a David Mourão-Ferreira. Talvez agora não faça sentido. Na altura em que foi escrito (anos 50) retratava a ida dos pescadores para o alto mar. E o possível não retorno destes. E se isso não vem referido nos créditos do cd é mau porque quem não sabe, não percebe do que se trata e pensa que é criação do quarteto fantástico, perdão, Trio Fado...

  Borboleta Endiabrada

quarta-feira, novembro 21, 2007 8:02:00 da tarde

esse teu humor...sempre au point!!

beijinhos endiabrados


P.S. tu consegues-me sempre surpreender!!

  margarida

quarta-feira, novembro 21, 2007 8:11:00 da tarde

Olha, é que não é por nada mas essa letra n é do trio (que afinal são 4).. Já a Amália cantou essa canção, por isso aos anos que ela existe.

[E sim, também usei mal as reticências... é para dar significado!] :p

  Schlumpy

quarta-feira, novembro 21, 2007 9:25:00 da tarde

Isso é um pouco como Vila Nova de Milfontes...
Nem é vila
Nem é nova
Nem tem mil fontes

  Jumpseat

quarta-feira, novembro 21, 2007 11:37:00 da tarde

LOL!!!

Opá, eu que eu já me ri!!!

Mas essa música é mesmo da Amália, e claro que eles a cantam, claro!! Qualquer pessoa que se queira fazer valer no Fado, vai sempre desenterrar a Amália, pá!

A letra tem qualquer coisa a ver com as mulheres da Nazaré, que dormiam na praia à espera dos maridos que iam para o mar, diz a minha avó. Ficavam sete dias, como as sete saias, esperando que eles voltassem, quando eram dados como desaparecidos.
Não sei se isto tem um rigor esclerosado como o cérebro da minha avó, ou se era mesmo assim e o autor lixou a mistica toda da coisa, com uma puta de letra destas! :D:D:D

Olha, toma lá a Amália! LLOOLL

http://www.youtube.com/watch?v=GdJYzzyO7nc&feature=related

  caditonuno

quinta-feira, novembro 22, 2007 12:44:00 da manhã

"Duh, que merda de novidade. Eu não voltei a insistir na pergunta, pois percebi que ela não iria chegar lá."

demais!!! deixa lá, é do frio ela ser assim. congela um pouco os neurónios.

  Gaja Boa 1

quinta-feira, novembro 22, 2007 2:14:00 da manhã

hahah Pronto!! Vou ter que comentar!!!

Já sabes que vou mandar bocas foleiras, portanto...

Quanto ao trio de 4 pessoas, cá pra mim, isto é para no futuro ficarem o austríaco, o alemão e o árabe!! E ficam os 3 como mentores do "famoso" grupo musical de fados portugueses!!! ahahahha

E depois pedem nacionalidade portuguesa, e pumba!!! E nós aqui acabamos por gramar com eles também!!!

Agora falando seriamente, o furo disto tudo é que os imigrantes portugueses que estão espalhados pelo mundo e por amor à pátria, consomem todo o tipo de música, boa ou nem por isso, desde que cantada em português!!!

Beijos lusitanos

  amigona avó e a neta princesa

quinta-feira, novembro 22, 2007 11:26:00 da manhã

Passei por aqui por acaso...encontrei este teu post e como já foi dito é uma poesia dum GRANDE poeta português! Era bom que não começasses a analisar as letras de muitos GRANDES poemas - podia dar isto! Se formos fazer o mesmo a canções dos "estranjas" - sejam quais forem acredita que o resultado é o mesmo!

O trio (4) que ouviste pode não ser grande coisa, a capa e o editor idem, mas o poema....

  Cristina

quinta-feira, novembro 22, 2007 12:08:00 da tarde

Crestfallen...

eu não disse que estava bem ou mal escrito (e até concordo contigo, a letra não faz lá muito sentido). Mas, se estivermos atentos às letras da grande maioria das canções, tambem não fazem lá muito sentido.

Bem... isto tudo para te dizer que, o objectivo do meu comentário anterior, era chamar a atenção para a origem da letra e não para o facto de estar ou não mal escrito.

Beijinhos (que eu sou uma beijoqueira)

  Crestfallen

quinta-feira, novembro 22, 2007 12:19:00 da tarde

Turbolenta:

"Pela capa vê-se logo que têm todos “pinta” de portugas!, principalmente o do lenço."

O do lenço só fala Português, acertaste no Austriaco!

Os Tugas são a gaja e o gajo que aparecem na capa, o Austriaco na contra capa e o Alemão nem aparece...

"Faço ideia da cara dela!"

Eu acho que tem cara de parva, mas isso sou eu, que sou um bocado esquisito!

  Crestfallen

quinta-feira, novembro 22, 2007 12:23:00 da tarde

mamie2:

Foi uma vez sem exemplo, devias ver a pilha de convites que tenho no escritório, principalmente para festas populares com broa, sardinhas e rifas... é o meu sonho, comprar rifas em Hamburgo para ganhar tal como em Portugal, Jarras e pratos!

"Daqui a nada andas com uma camisola do Cristiano Ronaldo!"

Posso vestir uma camisola de selecção nacional mas com duas condições, é dia de jogo e eu vou ao estádio e a camisola não tem nomes de deficientes!

"Olha tenho uma amiga de infância que tb aí mora! Manda-lhe bjs da próxima que fores a um evento desses!LOL"

Manda a morada que eu dou-lhe 2, beijinhos :P

  Crestfallen

quinta-feira, novembro 22, 2007 12:24:00 da tarde

Afrika:

Felizmente a o país é grande e as maires comunidades Tugas, encontram-se no sul da Alemanha, terei a distância necessária deles!

  Crestfallen

quinta-feira, novembro 22, 2007 12:25:00 da tarde

o segredo da lua:

Má lingua, eu? Já me disseram que não! Já me disseram que a sei usar muito bem!

  Crestfallen

quinta-feira, novembro 22, 2007 12:27:00 da tarde

Marta:

Eu também sempre achei que Amália não sabia escrever... Isto vem dar um pouco de crédito a estes seres!!

Eu sei tanto de fado como sei de bio-fisica!

  Crestfallen

quinta-feira, novembro 22, 2007 12:28:00 da tarde

Nieh:

Mais original seria um grupo de quatro, chamado "trio fado" e ser um grupo de rancho!

  Crestfallen

quinta-feira, novembro 22, 2007 12:29:00 da tarde

PsYcHo_MiNd:

É, deve ser falta de inspiração que me leva a castigar-me neste eventos, só para ter o que escrever!

  Crestfallen

quinta-feira, novembro 22, 2007 12:29:00 da tarde

Foi Bom:

"Estou a cantar, queres ouvir?"

Achas que deva?

  Crestfallen

quinta-feira, novembro 22, 2007 12:33:00 da tarde

ipsis verbis:

É uma questão de direitos de autor, visto que é uma música dos anos 50, os direitos de autor cairam em dominio publico, os créditos não têm de ser obrigatóriamente dados. A Mariza bem como muitos outros dão os créditos. Mas este triste trio, não espera ser conhecido em Portugal e duvido que os Tugas que os vão ver, percebam alguma coisa de fado!

"David Mourão-Ferreira"

Então, isso explica muita coisa!!!

  Crestfallen

quinta-feira, novembro 22, 2007 12:34:00 da tarde

Borboleta Endiabrada:

Eu? Essa é nova, dizem que sou previsivel! Para surpreender tenho de falar bem de algo!

  Crestfallen

quinta-feira, novembro 22, 2007 12:35:00 da tarde

margarida:

Só me sinto melhor, por saber que foi o David Mourão Ferreira que não sabia usar a pontuação!

  mamie2

quinta-feira, novembro 22, 2007 12:36:00 da tarde

Com a fama que te precede, penso que o marido dela não me ía perdoar!

Deixa... eu ligo-lhe!:P

P.S. O meu filho tem duas camisolas do Cristiano e até já foi vê-lo ao vivo! - não chames essas coisas ao puto!LOL

  Crestfallen

quinta-feira, novembro 22, 2007 12:36:00 da tarde

Schlumpy:

"Isso é um pouco como Vila Nova de Milfontes...
Nem é vila
Nem é nova
Nem tem mil fontes"

Isso é publicidade enganosa, para turismo!

  Crestfallen

quinta-feira, novembro 22, 2007 12:39:00 da tarde

Jumpseat:

Essa das mulheres da Nazaré e das sete saias sempre me fodeu a cabeça. Em Portugal moro a 15 Km da Nazaré, namorei 4 anos com uma Nazarena e nunca vi uma velha com 7 saias!

Isso de ficar 7 dias com sete saias, deve ser para tirar uma saia por dia, para ao sétimo estar pronta para o marido!

  Crestfallen

quinta-feira, novembro 22, 2007 12:40:00 da tarde

caditonuno:

Nem me fales no frio, já tive de comprar uma capuz para o meu Jr.!

  Crestfallen

quinta-feira, novembro 22, 2007 12:41:00 da tarde

Gaja Boa 1:

Ora isso é que era um trio como deve de ser!

É verdade que estes seres compram tudo. Eu CD´s à venda de pessoas que nunca ouvi falar na vida e acho que vocês também não!

  Crestfallen

quinta-feira, novembro 22, 2007 12:50:00 da tarde

amigona avó e a neta princesa:

Sem querer ferir susceptibilidades, ninguém é grande em coisa alguma só por o ser. Um grande poeta para o ser teria de escrever sempre grandes poemas. Um grande escritor teria de escrever sempre grandes livros. No entanto têm dias.

O Fernando Pessoa é considerando um grande poeta, no entanto escreveu muito lixo, não deixa de ser um excelente poeta e o meu favorito. Mas, o David Mourão Ferreira não está ao mesmo nível, aceito que tenha escrito coisas bonitas, mas muitos escritores escrevem coisas bonitas sem sentido. Eu valorizo quem escreve algo de belo com sentido ou vários sentidos. Assim de repente Camões é O grande poeta, todos os outros se encontram um nível abaixo!

"Era bom que não começasses a analisar as letras de muitos GRANDES poemas - podia dar isto!"

Já o fiz e tenciono voltar a fazer. De certa maneira para tirar a etiqueta de "grande", quando é mais um no meio de muitos.

"Se formos fazer o mesmo a canções dos "estranjas" - sejam quais forem acredita que o resultado é o mesmo!"

Como disse já o fiz. Pode ver um texto que escrevi sobre o James Blunt e irei escrever mais.

Eu não estou a criticar o David Mourão Ferreira, critico-o a ele e a qualquer outro que escreva coisas com rimas forças, com a claro intuito de escrever algo de belo!

Nada do que eu disse, está incorrecto. Se as palavras não rimam quando deviam rimar, sou eu que estou a errar, foi o escritor que não teve para perder tempo a encontrar um sinónimo?

  Crestfallen

quinta-feira, novembro 22, 2007 12:51:00 da tarde

Cristina:

"Mas, se estivermos atentos às letras da grande maioria das canções, tambem não fazem lá muito sentido."

Há de tudo, mas quando encontro uma escrevo sobre ela. Este é já o terceiro ou quarto texto com criticas a letras.

  sextrip

quinta-feira, novembro 22, 2007 2:17:00 da tarde

lol lol lol lol
a princípio de ler pensei cá para comigo "o gajo tá mesmo neura !!!", mas depois que li tudo... fiquei neura também e achei o meu pensamento estúpido.
(é a condição humana, enfim...)

º
as elites... são coisas necessárias, bonitas e feias ao mesmo tempo, raramente "visíveis".

as "elites"... enfim, são algo efémeras e fúteis na maioria dos casos.

º
realmente... que "raio" de letra !
lol

  Anónimo

quinta-feira, novembro 22, 2007 2:18:00 da tarde

Já agora... o poema chama-se "Barco Negro" e foi escrito por David Mourão Ferreira (conhecem!?) além de cantado por Amália Rodrigues e Mariza

  Crestfallen

quinta-feira, novembro 22, 2007 2:43:00 da tarde

sextrip:

A neura estava presente!

  Crestfallen

quinta-feira, novembro 22, 2007 2:46:00 da tarde

Anónimo:

"Já agora... o poema chama-se "Barco Negro" e foi escrito por David Mourão Ferreira (conhecem!?)"

Já tinha chegado a essa conclusão, visto que é o titulo do poema!

É do David Mourão Ferreira, e então? Só por ser dele tem de ser bom? Olhe que pelos visto não é!

Não me venham para aqui os anónimos com merdas, de que se algo foi escrito a A, B, ou C é bom, devido ao facto de quem o escreveu.

Eu estou-me a cagar para quem escrever. Se escreve merdas que eu não gosto eu falo disso. Posso?

Feliz Natal!

  sextrip

quinta-feira, novembro 22, 2007 3:13:00 da tarde

agora fiquei completamente de rastos...

eh pá... mas como é possível que eu nunca tenha lido um livro do DMF ?!?
é que, nem um paragrafozinho !!!
foda-se pá... como foi possível ter deixado isto chegar a este descalabro, porra ?!?...
... (...)...
(até tenho um nó no estômago...)

vou já em peregrinação à FNAC mais próxima a ver se ainda encontro as "obras completas" que não aguento este remorso galopante...

  Ana

quinta-feira, novembro 22, 2007 3:17:00 da tarde

http://www.youtube.com/watch?v=Fa8lykTsy0c

Já virou grito de guerra!
=D

  Crestfallen

quinta-feira, novembro 22, 2007 3:23:00 da tarde

sextrip:

Eu também me sinto um criminoso, mas não tão criminosos como muitos dos poemas escritos por esse senhor!

  Crestfallen

quinta-feira, novembro 22, 2007 3:24:00 da tarde

Ana:

Ahahaah, agora que é publico, vou mudar para:

Eu tenho uma vaca leiteira
Não é uma vaca qualquer
Dá-me leite e manteiguinha
Mas que vaca tão fofinha
dalin dalão...

  indomável

quinta-feira, novembro 22, 2007 4:43:00 da tarde

Ó crista baixa (o nick tem alguma coisa a ver com a tua adoração pelas galinhas?),
De facto, muitos dos fados cantados pela amália não tinham poemas por aí além. O Mourão-Ferreira, como qualquer outro poeta e escritor, rir-se-á daqueles que lêem e analisam os seus poemas e os seus livros, porque quando se escreve não se está cá a pensar no que os outros pensarão disso. Muitas vezes escreve-se porque sim, grandes merdas, tretas da pior espécie, só porque o nosso caixote de reciclagem cerebral assim o pede...
Agora que já desabafei passo a explicar o que me traz aqui para comentar.
Quando uma voz como a da amália se faz ouvir, não importa muito o que cantam, porque nem sequer escutamos a letra, apenas a melodia e a voz interessam.
Esse poema, triste que é, embora não possa ser analisado assim à letra, porque é claro que dá a merda que deu, só ganha vida quando cantado pelas vozes quentes e fortes de uma Amália e mesmo, vá lá, a da Mariza.
É claro que depois tens toda uma gama de outras vozes que mais valia que estivessem caladas porque parecem canas rachadas a sacudir ao vento, que tentam "imitar" o que não é imitável.
É o problema que tens nos dias de hoje, toda a gente imita toda a gente, fazendo-se passar pelo autor... e depois vês no que dá.

  Vanadis

quinta-feira, novembro 22, 2007 5:54:00 da tarde

Outra vez essa porcaria das galinhas????????????????? Isso já não me sai da cabeça, páh!!!!!!! E dizes que o "meu" video é que é irritante???

Também já fui a uma jantarada dessas com uma banda. Aliás, ainda ontem jantei com a vocalista e o guitarrista, heheheh! Não deves conhecer...é mais uma daquelas bandas com talento, mas que no meio dos gostos musicais tuguesas se vai perdendo. Dwelling? Editora Equilibrium Musics? ;-)

Loucas, loucas, loucas andam as galinhas...na sei porque, mas qd li isso no fado do trio-que-afinal-é-quarteto, tive a leve sensação que irias postar outras vez as galinhas a meter na sei o que no buraquinho...

  Vanadis

quinta-feira, novembro 22, 2007 5:55:00 da tarde

CRistina, POIS!!!! Bem me parecia que estava a reconhecer aquilo de algum lado, páh!!!

E com esta mania de não conseguir tar calada, lá me enfiei outra vez no raio de um 69...começo a ficar enjoada...

  Skynet

quinta-feira, novembro 22, 2007 7:19:00 da tarde

Para a próxima pede ao trio, ou duo, ou... sei lá o quê, para cantar esse das galinhas :)

  luafeiticeira

sábado, novembro 24, 2007 2:42:00 da manhã

Não deves ter percebido bem, aposto em que entre uma estrofe e a outra há música que significa que ele deram uma queca entre o acordar, o sol a entrar no coração, qual sol qual quê e partida de barco.
jocas

  Crestfallen

sábado, novembro 24, 2007 10:39:00 da manhã

indomável:


"O Mourão-Ferreira, como qualquer outro poeta e escritor, rir-se-á daqueles que lêem e analisam os seus poemas e os seus livros"

Eu sei disso. Ele diverte-se com os meus comentários e eu com o que ele escreveu. É bom para ambos!

"Muitas vezes escreve-se porque sim, grandes merdas, tretas da pior espécie, só porque o nosso caixote de reciclagem cerebral assim o pede..."

Se eu fosse a publicar tudo aquilo que escrevo...

"não importa muito o que cantam, porque nem sequer escutamos a letra, apenas a melodia e a voz interessam."

Sou um crítico natural, a melhor voz do mundo, na melhor música do mundo, se a letra não faz justiça, eu ponho de parte!


"fazendo-se passar pelo autor... e depois vês no que dá."

No que toca a este poema, visto que já caiu no domínio público, já não é do David Mourão Ferreira mas sim do mundo. Dar crédito seria de bom tom, mas de facto, não é obrigatório.

  Crestfallen

sábado, novembro 24, 2007 10:44:00 da manhã

Vanadis:

Mas o teu video tem uma musica irritante a das galinhas é viciante... é diferente!

"Dwelling? Editora Equilibrium Musics?"

Nunca ouvi falar, mas nada me surpreende, eu venho de um distrito onde nos anos 90, 8 em cada 10 tinha uma banda e os que tiveram sucesso foram os piores que eu já ouvi, "Silence 4", "Excesso". E ouvi 99% do que havia na altura, pois além de uma banda tinha uma empresa de promoção de espetáculos!

Agora que a Ana me mostrou um video de uma equipa de Rugby a cantar isso, vou dar mais atenção à musica da vaca leiteira!

  Crestfallen

sábado, novembro 24, 2007 10:45:00 da manhã

Vanadis:

Sabes... quem gosta volta sempre!

  Crestfallen

sábado, novembro 24, 2007 10:47:00 da manhã

Skynet:

Em Fevereiro, a Mariza vem a Hamburgo, como será fácil arranjar um backstage pass, vou pegar na dica da Indomável e pedir à Mariza para fazer um fado com essa letra. Com grandes vozes, qualquer poema soa bem... vamos ver :/

  Crestfallen

sábado, novembro 24, 2007 10:48:00 da manhã

luafeiticeira:

Pois... o resto da estória deve ser contada pelo trrrlim tim tim da guitarra Portuguesa!

  Ana Reis

sábado, novembro 24, 2007 12:58:00 da tarde

Oi Crest!!!
Sou uma tua curiosa leitora que adora a maneira inteligente e desprendida com que escreves.és culto,sincero,inteligente,com um grande sentido de humor...Uma mistura bombástica...Gosto de ler o que escreves!!!
Mas dizeres que esta letra foi escrita por este trio é que não!!!
Este é um fado amaliano,já muito antigo!!!E há que entender a época em que foi escrito,época em que muitas vidas se perdiam no mar e em que muitas mulheres viviam de coração nas mãos,com medo de perder os seus amores(e o seu sustento...)
Por acaso gosto particularmente deste fado por ser um fado canção...Mas ninguém o canta tão bem como Amália!!!
Bem ,apesar deste deslise...continuo tua fã!:)
Continua a escrever e a proporcionar-me agradáveis momentos,sim?
Beijos e Queijos

  Vanadis

sábado, novembro 24, 2007 11:46:00 da tarde

Esses meus amigos apareceram bem depois desses Excesso e CIA. E não têm absolutamente nada a ver. São mais assim pó madredeus. É aquilo que se chama música neo-clássica, com um toque de fado, celta, medieval... eu gosto.

  Crestfallen

domingo, novembro 25, 2007 10:44:00 da tarde

Ana Reis:

"Mas dizeres que esta letra foi escrita por este trio é que não!!!"

Eu já fui informado que é um poema do David Mourão Ferreira, tem a su lógica, pois só mesmo ele para escrever esta coisa.

Mas, eu não iria corrigir o texto, pois isso seria cobarde e hipócrita na minha opinião. Além disso ao corrigir o texto iria fazer com que o texto fosse um pouco mais elogioso a este trieto, ou quartrio...

"Este é um fado amaliano,já muito antigo!!!E há que entender a época em que foi escrito,época em que muitas vidas se perdiam no mar e em que muitas mulheres viviam de coração nas mãos,com medo de perder os seus amores(e o seu sustento...)"

Acredito que sim, mas recuso-me a aceitar que estando ele no barco a acenar, ela lhe tivesse visto nos olhos que ele não a achava feia.

"apesar deste deslise...continuo tua fã!:)"

Lol, fã? Quanto os deslise... É uma prova da minha humanidade, tenho defeitos e cometo erros.

Peço desculpa à Amália mas não ao David Mourão Ferreira!

  Crestfallen

domingo, novembro 25, 2007 10:45:00 da tarde

Vanadis:

"É aquilo que se chama música neo-clássica, com um toque de fado, celta, medieval"

Bolas, que caldeirada!

  Vanadis

segunda-feira, novembro 26, 2007 3:57:00 da tarde

Uma caldeirada muito fixe. Procura na net. ;-)

  Vanadis

segunda-feira, novembro 26, 2007 7:57:00 da tarde

Vê: http://grafonolandia.blogspot.com/2007/06/dwelling-ao-vivo.html

:-)

  Crestfallen

terça-feira, novembro 27, 2007 1:06:00 da tarde

Vanadis:

Gostei do que ouvi, so têm um problema, são Portugueses em Portugal, o som deles seria muito mais bem aceite na Alemanha, Finlandia onde poderiam atingir maior projecção.

Dou como exemplo, os Moonspell, ignorados em Portugal, assinaram por uma editora independente Francesa, em pouco tempo conquistaram a Alemanha. Hoje vivem na Finlandia e trabalham com os produtores dos Nightwish. Portugal hoje dá-lhes algum valor, mas só porque eles venceram internacionalmente.

Gostei do som deles, achei o album barato e vou mandar vir um... no website dizem "portes grátis", não distinguem nacional de internacional... estou para ver!

  Catarina

domingo, junho 07, 2009 5:02:00 da tarde

Olá crest !!

Para começar, quero deixar esclarecido que leio os teus posts há algum tempo e gosto bastante ... Nunca comentei porque não calhou ! Tudo isto para deixar claro que este comentário não é uma tentativa de te insultar, porque na verdade respeito as tuas opiniões.



Sei que este texto já tem alguns anos, mas só agora é que tive oportunidade de ler, e queria só alertar-te para uns pormenores.

Esta letra que ali puseste é um original da Amália Rodrigues, chamado Barco Negro.

A letra pode parecer um pouco patética mas tem de ser bem intrepretada:


De manhã, que medo, que me achasses feia
Acordei, tremendo, deitada n'areia (1)
Mas logo os teus olhos disseram que não,
E o sol penetrou no meu coração.

Vi depois, numa rocha, uma cruz, (2)
E o teu barco negro dançava na luz (3)
Vi teu braço acenando, entre as velas já soltas (4)
Dizem as velhas da praia, que não voltas.

São loucas!

Eu sei, meu amor,
Que nem chegaste a partir,
Pois tudo, em meu redor,
Me diz qu'estás sempre comigo. (5) (8)

No vento que lança areia nos vidros;
Na água que canta, no fogo mortiço;
No calor do leito, nos bancos vazios; (6)
Dentro do meu peito, estás sempre comigo. (7)

1-ela era uma das muitas namoradas cujos namorados partiam para as descobertas. Pela letra, a sensação que fica é que ela foi para a praia novamente, dias depois da partida.

2-A cruz na rocha é o padrao dos descobrimentos (cravavam uma coluna de pedra com uma cruz esculpida) : eles conseguiram descobrir novas terras.

3-A cor do barco: barco negro, como um caixão: dançar na luz, quer dizer que deus os levou: morte novamente

4-O braço a acenar é o namorado a despedir-se. As velas JÁ soltas, quer dizer que já não ha hipoteses, o barco esta de velas soltas para a luz.

5-Ela o sente em todo o redor dela, portanto uma paixão enorme. Contudo, repara: nunca o sente FISICAMENTE

6-Os versos nao parecem fazer sentido: ela enlouqueceu de saudade. E ela aqui lança uma pista obvia: os bancos VAZIOS

7-Neste verso, ela apercebe-se. Este verso é ela a despedir-se dele, e a dizer que nunca se esquecerá.repara, quando elarepete este verso. Repara a maneira como ela repete esta linha.

8-Aqui, é a despedida final, e a quadra toma outra figura.

Desculpa o "testamento", mas fiquei mesmo revoltada !

Continuação de bom fim-de-semana !

  Bruno Fehr

domingo, junho 07, 2009 10:57:00 da tarde

Catarina disse...

"Esta letra que ali puseste é um original da Amália Rodrigues, chamado Barco Negro."

Sim, disseram-me isso assim que fiz o post :)

"Desculpa o "testamento", mas fiquei mesmo revoltada !"

Não tens de ficar revoltada, pois o texto não é um insulto à Amália. Não podemos levar tão a sério as brincadeiras que faço com certas letras. Já houve quem ficasse super ofendida por eu ter cometido o crime de adulterar um letra, no entanto a lei só vê como crime a adulteração do hino, com tudo o resto podemos brincar.

Além disso, este texto foi na minha fase "Crestfallen", em que tudo servia para brincar.