Porco!


Finalmente vi o "Simpsons -The Movie", está giro. Gostei mais do "SouthPark - The Movie".
Ao ver o filme e a relação do Homer Simpson com o porco, lembrei-me do Baltazar.

O Baltazar, era o nome do meu porco de estimação. A minha avó comprou-o quando eu tinha 6 anos. Eu soltava-o e ele andava pela quinta a brincar com os cães, esperava-me ao portão quando eu vinha da escola. Era mais um, dos meus animais de estimação e o meu porco de guarda, pois fazia mais barulho que os cães quando via o carteiro.

O Baltazar cresceu, ficou gigante e eu já não o podia soltar. Sempre que chegava da escola ele fazia imenso barulho, até eu o ir visitar. Adorei aquele porco. Nunca tive fantasias sexuais com um porco como o Homer Simpson mas ele era meu amigo.

1,5 metros e 380Kg mais tarde, chego a casa depois da escola e vejo muita gente lá na quinta. Entro na adega e vejo o meu Baltazar pendurado num gancho e aberto de alto a baixo. Lembro-me de ter ficado petreficado, não conseguia chorar, não me conseguia mexer.

Tinham morto o meu amigo Baltazar.

Já me tinham dito que um dia, isso iria acontecer. Tudo bem, eu aceitava que a minha avó matasse coelhos, galinhas e perus. Esses animais não ficam tão ligados a nós. O Baltazar era diferente, era tão amigo e tão fiel como um cão e apesar de ser um porco, não fazia tanta porcaria como os cães.

Apartir do momento, que uma criança dá nome a um animal e brinca com ele, cria-se uma ligação de amizade. Na verdade tanto eu como o porco eramos crianças e crescemos juntos.
Nessa noite, por volta de 50 canibais da minha familia, reuniram-se para comer o meu Baltazar. Eu era o único a comer frango.

Disse ao meu pai para nunca me dar o Baltazar a comer, provavelmente comi-o mais tarde... Não sei. O que sei é que anos mais tarde, naquela altura em que a malta não comia carne de vaca por causa das vacas loucas. Em janteres de amigos em que pediamos bitoque, eu era o único a comer carne de vaca. Ainda hoje me custa comer carne de porco. Chamem-me louco, mas prefiro arriscar-me com as vacas loucas, do que a comer os meus amigos!

50 Comentários:

  PsYcHo_MiNd

quarta-feira, janeiro 23, 2008 2:03:00 da manhã

Senti alguma conotação sexual a dar para o lamechas neste post. E ao terminares que preferes não comer os teus amigos... Possivelmente estarão alguns a suspirar de alivio e outros a consolarem-se.
Continuas com a preferência pelas vacas loucas (loiras siliconadas) do costume! :)

  Crestfallen

quarta-feira, janeiro 23, 2008 2:47:00 da manhã

PsYcHo_MiNd:

"Senti alguma conotação sexual a dar para o lamechas neste post. E ao terminares que preferes não comer os teus amigos..."

Assumo todas as palavras, não como amigos as amigas algumas comi antes de o serem, outras durante, mas nunca matei nenhuma nem convidei a familia para ajudar a comê-las.

"Continuas com a preferência pelas vacas loucas (loiras siliconadas) do costume! :)"

Sendo a silicone opcional!

  Noivo

quarta-feira, janeiro 23, 2008 2:49:00 da manhã

e que eu saiba as vacas loucas nunca me fizeram mal tb:)

  Crestfallen

quarta-feira, janeiro 23, 2008 2:51:00 da manhã

Noivo:

Nem mal nem bem, por isso como-as!

  Ana

quarta-feira, janeiro 23, 2008 2:58:00 da manhã

Opa... eu não posso ler estes textos quando estou com a TPM... tadinho do Baltazar!
NÃO SE FAZ!!!

  Crestfallen

quarta-feira, janeiro 23, 2008 3:06:00 da manhã

Ana:

"Opa... eu não posso ler estes textos quando estou com a TPM..."

Bolas, olha só a conclusão a que eu cheguei por causa do tema do texto e do teu TPM:

TPM + preservativo + 500g Arroz = Morcela!

  Vanadis

quarta-feira, janeiro 23, 2008 3:11:00 da manhã

Oh porra, coitado do bicho... =( já parece a teia de carlota (na qual me fartei de chorar, claro) =(

Isso foi indecente...nem imagino o que terás sentido, uma criança, a ver um dos melhores amigos ali estendido :S (quer dizer, imagino, mais ou menos...tb já encontrei uma cadela minha pendurada pela corrente - estava a tentar fugir e saltou o muro assim...ficou pendurada e pronto, o resto imaginas...e fui eu que a descobri...comecei a gritar e só parei qd o meu pai chegou a casa)

Tb me fizeram uma parecida: arranjaram um faisão. Ora, eu brincava com o bicho, pq sou maluca por pássaros. E o bicho ali ficava, a ouvir-me, pacientemente. Até que um dia o transformaram em arroz. Que eu recusei comer, logico (e é como tu, eventualmente comi sem saber...).

Mas se fosse um cenário como o teu, acho que iam ver o que era um demónio personificado... :-p

  Crestfallen

quarta-feira, janeiro 23, 2008 3:35:00 da manhã

Vanadis:

"Isso foi indecente...nem imagino o que terás sentido, uma criança, a ver um dos melhores amigos ali estendido :S"

Fiquei como que bloqueado, agora quando o "Já disse" meu cão e amigo do Baltazar morreu, chorei 2 dias non stop! Foram-me logo comprar uma cadela a quem chamei "Sei lá". Demorei uns dias a aceitar a bicha, mas sei lá... gosto de bichos!

  Erotic Spirit

quarta-feira, janeiro 23, 2008 3:39:00 da manhã

Ahhh such a sad story! Think I'll feel guilty next time I think of ordering febras

:)

  Crestfallen

quarta-feira, janeiro 23, 2008 3:46:00 da manhã

Erotic Spirit:

"Ahhh such a sad story! Think I'll feel guilty next time I think of ordering febras"

There a few girls, i consider a good febra :)

  Vanadis

quarta-feira, janeiro 23, 2008 5:39:00 da manhã

Pois, eu na altura tinha dois cães, essa burra que se enforcou (fiquei danada com a bicha...) e o filhote dela, o Rambo. Agarrei-me ao cão até ao resto da vida dele, que foi até aos 14 anos (para mistura de pastor alemão com serra estrela, nada mal). Tb adoro bichos, ;-). Desde que não sejam tarantulas...

  sopro do coração

quarta-feira, janeiro 23, 2008 10:09:00 da manhã

Mesma história, diferentes animais... uma galinha e uma codorniz.

Já passaram quase 30 anos e ainda não como nem galinhas, nem codornizes.

  Chapas

quarta-feira, janeiro 23, 2008 10:26:00 da manhã

Não comes os amigos......e as amigas?

  ipsis verbis

quarta-feira, janeiro 23, 2008 10:45:00 da manhã

Tadinho de ti. Também eu tive um coelho de estimação em casa. Era o Bambi que comi num dia ao almoço. Comi porque só o soube depois...

  Allie

quarta-feira, janeiro 23, 2008 11:29:00 da manhã

2 coisas que acabo de descobrir:

1º Foste criança como todos nós.

2º Tens coração!

  Marta

quarta-feira, janeiro 23, 2008 12:20:00 da tarde

Espero que entretanto não te ofereçam uma vaca senão estás feito!

  Zaka

quarta-feira, janeiro 23, 2008 1:20:00 da tarde

Fod'se compreendo-te perfeitamente!
Eu nunca tive um porco amigo! Até porque sempre cresci em cidade e a primeira vez que tive um porco assim ao pé foi numa matança em Aveiras de Cima!
Ora bem... naquela altura acharam que os putos deviam ficar bem na fila da frente, para não perderem pitada da carnificina!
Sei que os gritos do animal, a faca espetada e o sangue a sair, foram remédio santo para deixar de comer carne de porco!
Eles ofereceram montes de carne ao meu pai, que andou a comê-la sózinho, pois eu, a minha mãe e a minha irmã, recusámo-nos a tocar naquilo!
Montes de anos depois, continuo a praticamente não comer carne nenhuma! Excepção para o frango que lá vou comendo de vez em quando!

  Ana Reis

quarta-feira, janeiro 23, 2008 1:20:00 da tarde

Spider pig
Spider pig
My pig is a spider pig!!!!:)
Gostei muito do filme,principalmente a história do porco!Tal como tu Crest,nutro uma gigante simpatia por porquinhos!!!
-São lindos:cor de rosa,muito lisinhos,com aquele focinhito sempre molhado e achatado como quem diz "dá cá uma bejufa,dá!"
-São muito inteligentes,tal como um cão brincam,aprendem truques e jogos,torman-se em fieis companheiros!!!E se bem educados não são nada porcanheiros!
-Apesar de domesticado,o porco é um animal que nunca perde o seu instinto selvagem,e basta uma semana para o porco adquirir os hábitos dos seus amigos mais selvagens,mesmo que sempre tenha sido um porco doméstico!
Eu acho os porcos irresistiveis,quem é que pode ficar indiferente a estes animais depois de ver o "Babe"???Quem???
Quanto á matança do porco deve ser das tradições mais bárbaras que ainda existem no nosso país,a par das touradas de morte.
É bárbaro,doentio,sádico,contra todos os direitos dos animais e impensável que aconteça em pleno século XXI.
Em relação a comer carne de porco,eu como.Só não como leitão,acho uma imagem macabra um porquinho lindo com uma maça enfiada na boca e todo esturricado.Não consigo.E também não como coelho,pato,cabrito nem nenhum outro animal que apeteça pegar no colo e trazer para casa para dar mimos...Lamecheira de merda?Sim,eu sei que sou,não consigo evitar...
E pelos vistos não sou a única...:)
Beijos e Keijos

  Afrika

quarta-feira, janeiro 23, 2008 1:43:00 da tarde

Pois eu assim como tu nunca comeria os meus amigos ;)
Tambem nunca comeria carne de cao ou gato! So se nao soubesse e se descrobrisse acho que ficaria tao mal disposta que nunca acabaria por deitar tudo pra fora... mania que nos temos de nos apegar as coisas (animais) de domesticar tudo!
Beijo

  Anita

quarta-feira, janeiro 23, 2008 2:24:00 da tarde

A minha avó também tinha porcos, teve um que fugiu e tanto que ela andou a correr atrás dele(o gajo era rapido e esquivo!!)que quando parou, o porco morreu..de ataque cardiaco!!tb era pequenita, e ouvia o porco a guinchar, a guinchar...era engraçado ver a minha avó a correr atrás dele..pior foi mm vê-lo a morrer..também nunca mais esqueci...

  Moyle

quarta-feira, janeiro 23, 2008 2:32:00 da tarde

A culpa não é tua, de facto. Uma das primeiras coisas a ensinar a crianças que crescem em ambiente rural (como o Moyle, aliás) é que nunca, mas nunca mesmo e circunstância alguma, devemos travar amizade e afeiçoarmo-nos a um saco de bifanas.

  Crestfallen

quarta-feira, janeiro 23, 2008 2:51:00 da tarde

Vanadis:

"Desde que não sejam tarantulas..."

Eu coloco as tarântulas na categoria das bichas :)

  Crestfallen

quarta-feira, janeiro 23, 2008 2:52:00 da tarde

sopro do coração:

"Já passaram quase 30 anos e ainda não como nem galinhas, nem codornizes."

Também não como codernizes, até porque nunca percebi porque as comem, não tendo nada para comer.

  Crestfallen

quarta-feira, janeiro 23, 2008 2:52:00 da tarde

Chapas:

"Não comes os amigos......e as amigas?"

Nem uns nem outros, isso só arranja confusão e fritura!

  Crestfallen

quarta-feira, janeiro 23, 2008 2:53:00 da tarde

ipsis verbis:

"Tadinho de ti. Também eu tive um coelho de estimação em casa. Era o Bambi que comi num dia ao almoço. Comi porque só o soube depois..."

Acho que isso é terrível de se fazer...

  Crestfallen

quarta-feira, janeiro 23, 2008 2:54:00 da tarde

Allie:

"1º Foste criança como todos nós.

2º Tens coração!"

E não é que tens razão? Até já me sinto mais normal :)

  Crestfallen

quarta-feira, janeiro 23, 2008 2:56:00 da tarde

Marta:

"Espero que entretanto não te ofereçam uma vaca senão estás feito!"

Tive uma chamada Margarida, pois quando nasci a minha mãe não tinha leite para mim e eu recusava o leite em pó. Como ainda não havia as opções de farmácia que há hoje. A minha avó comprou a Margarida! Mas nunca a comemos!

  Crestfallen

quarta-feira, janeiro 23, 2008 2:57:00 da tarde

Zaka:

"Sei que os gritos do animal, a faca espetada e o sangue a sair, foram remédio santo para deixar de comer carne de porco!"

Parte do meu trauma, foi já ter visto diversas matanças e saber o quanto fazem o bicho sofrer.

  Crestfallen

quarta-feira, janeiro 23, 2008 3:01:00 da tarde

Ana Reis:

"-São lindos:cor de rosa,muito lisinhos,com aquele focinhito sempre molhado e achatado como quem diz "dá cá uma bejufa,dá!"
-São muito inteligentes,tal como um cão brincam,aprendem truques e jogos,torman-se em fieis companheiros!!!E se bem educados não são nada porcanheiros!"

Os porcos são tudo excepto porcos, gostam de fuçar na lama e só vivem em locais porcos, porque os donos não os limpam.

"Em relação a comer carne de porco,eu como.Só não como leitão,acho uma imagem macabra um porquinho lindo com uma maça enfiada na boca e todo esturricado."

Principalmente os mais caros, que são porcos mortos ao fim de duas semanas.

  Crestfallen

quarta-feira, janeiro 23, 2008 3:02:00 da tarde

Afrika:

"mania que nos temos de nos apegar as coisas (animais) de domesticar tudo!"

Eu nem os tento domesticar, mas depois de lhes dar nome, são meus :)

  Crestfallen

quarta-feira, janeiro 23, 2008 3:03:00 da tarde

Anita´:

"que quando parou, o porco morreu..de ataque cardiaco!"

Pudera, tinha gente atrás dele e não sabia porquê!

  Crestfallen

quarta-feira, janeiro 23, 2008 3:04:00 da tarde

Moyle:

"mas nunca mesmo e circunstância alguma, devemos travar amizade e afeiçoarmo-nos a um saco de bifanas."

Eu nem sabia que as bifanas vinham do porco. Eu era como as louras, para mim as salsichas vinham da Nobre e os enchidos apareciam milagrosamente no fumeiro da minha avó!

  SílviA

quarta-feira, janeiro 23, 2008 3:08:00 da tarde

Oh pah...eu também já vivi um drama parecido, mas não cheguei a come-lo...comeram-no. Tinha um pombo correio de estimaçao que eu e o meu pai criamos desde muito muito pequeno, tinha caido de um ninho num parque... ora andava sempre atrás de mim, desfendia-me dos meus primos, um verdadeiro amigo. Um vizinho lembrou-se e apanhou-o, matou-o e comeu-o e ainda teve a lata de o dizer ao meu pai... levou tanta porradinha. Bem Feito!!!

é uma crueldade fazerem esse tipo de coisas às crianças e aos animais...

  Teté

quarta-feira, janeiro 23, 2008 3:39:00 da tarde

Gostei da tua história! Quer dizer, ninguém gosta que aconteça uma coisa dessas com ela própria não é?

Uma das minhas avós também engordava um porco todos os anos, mas era para depois o vender. E como nós só a víamos uma vez por ano, nas férias, mal víamos o porco e nem sequer nos apercebíamos que ele estava a fazer o seu percurso para o matadouro...

Fica bem!

  i just can´t get enough

quarta-feira, janeiro 23, 2008 7:10:00 da tarde

Fizeste-me lembrar-me de um coelho que tinha quando era pequenina, um dia quando cheguei a casa depois da escola, fui ter com o meu amiguinho, e para surpresa minha ele já não estava lá, tinham-no morto e cozinhado, que nojo!!!Chorei tanto nesse dia, que até hoje não consigo comer coelho. Canibais!!!
Beijinho

  Gaja Boa 2

quarta-feira, janeiro 23, 2008 11:38:00 da tarde

Essa merda conteceu-me com um coelho e ainda hoje não como carne de coelho!!!

beijos traumatizados

  Safira

quinta-feira, janeiro 24, 2008 2:27:00 da manhã

Eu tive um patinho chamado Félix... Durante um mês inteirinho andei com ele ao colo, punha.o a chapinhar na banheira ou num alguidar. Como na altura ainda era uma pessoa feliz e vivia num país civilizado (França, na boa fé, deixei o Félix na capoeira de um irmão do meu tio. No verão seguinte (eu vivi em França, só vinha cá no Verão) fui ver o Félix à capoeira. Desconfiei, pelas risadinhas contidas dos 'crescidos', que o pato que estava lá na capoeira e que nao ligava nenhuma aos meus pungentes apelos 'Félix, félix, anda cá, olha sou eu, voltei' não era o meu Félix, e, do alto dos meus oito ou nove anos, achei que me estavam a mentir e que o meu Félix tinha obviamente ido para a panela.Também nunca apreciei carne de pato. Simples sugestão? I think not!
E podia continuar com as histórias macabras do meu tio, que era talhante, e dos matadouros e do cordeirinho que me pediram para segurar enquanto afiavam a faca, mas se calhar fico já por aqui.
:(

  Vício

quinta-feira, janeiro 24, 2008 4:29:00 da tarde

e foi nesse dia que entraste na adega que, pela primeira vez, viste a beleza interior do Baltazar!

e uma amigas... comes?

  Innocent dreams

quinta-feira, janeiro 24, 2008 10:11:00 da tarde

eu nem sei que dizer :|

  Castronauta

sexta-feira, janeiro 25, 2008 12:28:00 da manhã

Uma vez deixei uma familia inteira de hamsters morrer de insolação. Ninguém os comeu, mas senti uma culpa enorme.

Quanto ao porco, o erro foi terem-lhe dado um nome....

  Lésbico

sexta-feira, janeiro 25, 2008 1:02:00 da manhã

Acho que nunca conheci o Baltazar, mas será por isso que tiveste aqueles dois patos, chamados "Pato com arroz" e "Pato com laranja"?

  Crestfallen

terça-feira, janeiro 29, 2008 11:57:00 da manhã

SílviA:

"Tinha um pombo correio de estimaçao que eu e o meu pai criamos desde muito muito pequeno, tinha caido de um ninho num parque... ora andava sempre atrás de mim, desfendia-me dos meus primos, um verdadeiro amigo. Um vizinho lembrou-se e apanhou-o, matou-o e comeu-o e ainda teve a lata de o dizer ao meu pai..."

Eu não sei porque motivo comem pombos... é que essa ave não sabe a nada!

  Crestfallen

terça-feira, janeiro 29, 2008 11:58:00 da manhã

Teté:

"mal víamos o porco e nem sequer nos apercebíamos que ele estava a fazer o seu percurso para o matadouro..."

Pois, mas o meu era mais porco de guarda que viveu muito tempo com os cães e via-o todos os dias.

  Crestfallen

terça-feira, janeiro 29, 2008 11:59:00 da manhã

i just can´t get enough:

"Chorei tanto nesse dia, que até hoje não consigo comer coelho. Canibais!!!"

Eu até como porco, mas lembro-me sempre do Baltazar...

  Crestfallen

terça-feira, janeiro 29, 2008 12:00:00 da tarde

Gaja Boa 2:

Aos coelhos não ficava tão agarrado, mas quando nasciam, raptava-os todos e levava-os para casa...

  Crestfallen

terça-feira, janeiro 29, 2008 12:02:00 da tarde

Safira:

"Eu tive um patinho chamado Félix... Durante um mês inteirinho andei com ele ao colo, punha.o a chapinhar na banheira ou num alguidar."

Eu tive dois, que até iam à praia comigo :)

  Crestfallen

terça-feira, janeiro 29, 2008 12:03:00 da tarde

Vício:

A primeira vez que entrei na adega, foi para beber vinho aos 3 anos... pensei que era igual à groselha que me davam com gasosa... afinal não era!

  Crestfallen

terça-feira, janeiro 29, 2008 12:04:00 da tarde

Innocent dreams:

Hoje até compreendo que o animal cumpriu a sua função, a crueldade está em deixar uma criança adoptar esses animais.

  Crestfallen

terça-feira, janeiro 29, 2008 12:05:00 da tarde

Castronauta:

"Quanto ao porco, o erro foi terem-lhe dado um nome..."

As crianças dão nome a tudo o que mexe.

  Crestfallen

terça-feira, janeiro 29, 2008 12:06:00 da tarde

Lésbico:

"será por isso que tiveste aqueles dois patos, chamados "Pato com arroz" e "Pato com laranja"?"

Esse morreram naturalmente, O pato com laranja morreu de velho e o pato com arroz entrou em depressão e morreu dias depois.