Um dia mais dia que hoje

Passeio pela cidade e vejo toda a gente a preparar-se para um dia, um dia que é mais dia do que todos os dias, um dia em tudo o que de especial acontece, acontece porque fazemos acontecer. Esse dia poderia ser hoje ou amanhã, mas não, tem de ser naquele dia em que todos dão o que não podem, gastam o que não têm, fingem o que não sentem, desejam o que foi previamente escrito em postais.


Tendo passado o primeiro advento, esta cidade e montras iluminam-se, as casas ganham vida com a ajuda de luzes psicadélicas, pois toda a gente prepara um dia em que vai sorrir porque acha que tem de sorrir.
Festejam nesse dia a família que deveria ser festejada todos os dias. Festejam o nascimento de alguém que nasceu há dois milénios não neste dia mas num outro qualquer.

O hoje não importa e o amanhã também não, mentalmente já toda a gente está nesse dia que ainda está para vir e os dias até lá são ignorados, são vistos como uma barreira a ultrapassar, pensando "hoje não, amanhã não mas dia 25 vou sorrir e ver sorrir". Sorrisos marcados numa agenda e em todas as agendas todos os anos. Nesse dia não sorrio e arrasto-me por ele desejando que termine rápido, pois é o dia em que me sinto triste por ver tanta gente feliz, por ser uma felicidade planeada só para um dia.


E passado esse dia lá nos arrastamos para outro em que se celebra... a passagem de um dia, de um simples dia em que nos dizem que muda o ano só porque o calendário que adoptámos assim o diz. Não sei se festejamos o ano que passou ou se celebramos o que está para vir. E se o ano que passou foi mau? E se o ano que vem será mau? O que estamos a celebrar? Um segundo, estamos a celebrar um único e simples segundo, não é um dia, não é um ano, década, século ou milénio, é um segundo onde contamos os últimos 10 para chegar àquele que parece ser o mais importante e onde explodimos numa injustificada felicidade não devidamente analisada.

Vamos dormir e acordamos e tudo está igual, é simplesmente um novo dia em tudo igual a ontem, excepto... o calendário.

9 Comentários:

  Jane Doe

quinta-feira, dezembro 24, 2009 12:07:00 da manhã

Tão verdade...

  Angel

quinta-feira, dezembro 24, 2009 12:32:00 da manhã

Ainda ontem estava a falar disso quando me pediam para escrever umas frases bonitas para alguém. Mas qual é a lógica de escrever uma coisa que não sinto só porque é Natal e é suposto estarmos todos de bem?

Outra data é de facto a da passagem de ano. Em que temos de fazer um esforço para estarmos aleges naquele segundo. Antes e depois podemos estar distraídos com o que quer que seja, mas naquele momento não.

Noto que estou a ficar sem paciência!!!!

  Ed ro7

quinta-feira, dezembro 24, 2009 1:43:00 da manhã

Estes dias são para mim os dias quem me mais me sinto cuspo desta sociedade. É uma época por excelência da hipocrisia, realiza-se um aglomerado números de jantares de solidariedade em que vão dar a mãozinha, desde a 'cagona' da tiazinha de cascais até à mais beata das freiras. Todo quer dar cara de perfeição nesta época, e tudo numa fracção de momentos falsos, não passam disso. ora, e no resto do ano? há um certo esquecimento.

Quanto à passagem do ano, acho imensa piada ás pessoa todas 'tintolas' a dizer que o próximo ano esperam que seja o melhor. e no fim de contas tudo é igual todos os anos, parecem que nunca estão satisfeitas ou o ano que vem é pior que o ano anterior. Mas quem vai entender isto?

Bem, o que digo a isto? fico é sem paciência para estas rotinas enraizadas na nossa cultura, são tradições... vivemos assim.

Bom, muito bom blog. Excelente, argumentação bem organizada e fundamentada, parabéns. já agora bom ano 2010 e bom natal.

  Tiago de la Rocha

quinta-feira, dezembro 24, 2009 5:10:00 da manhã

Apesar de não conseguir discordar, vejo o Natal de outra forma. Vejo como uma oportunidade para, isso mesmo, reunir a família por uma vez que seja e simplesmente partilhar e desfrutar da companhia de quem gostamos. Era bom que fosse Natal todos os dias ou mesmo uma vez por mês, mas a verdade é que não é e portanto há que aproveitar o que há. Além disso sente-se uma magia, uma paz no ar - que, lá está, devia sentir-se sempre ou o mais frequentemente possível - e só isso chega para me contagiar com o espírito natalício.

Já a passagem de ano não ligo muito ou quase nada.

Feliz Natal para ti, velho Scrooge. :)

  Guernica

quinta-feira, dezembro 24, 2009 5:52:00 da manhã

Concordo com o "Tiago de La Rocha". Apesar de ser mais um dia, para mim é um dia em que se junta a familia toda (o que quase nunca acontece durante o ano) e se festeja, não o nascimento do dito que nasceu à 2000 e tal anos, mas sim o simples facto de tarmos todos juntos. A data em si, é apenas um pretexto simbolico para nos juntarmos todos e enchermos a pança.

Relativamente à passagem de ano, não ligo muito, mas quando festejo gosto de festejar à grande. Ir pás ruas, festejar com amigos e desconhecidos. Não é todos os dias que se faz uma festa gigante no meio das ruas.

  Sammy

quinta-feira, dezembro 24, 2009 9:39:00 da manhã

Bom texto, que acho que plasma o que muitos pensamos, mas que não contrariamos porque nos deixamos arrastar e as coisas sempre continuam igual. Eu detesto estas datas, de muito tempo atras, mas tenho de admitir que são os unicos dias do ano em que posso ver a muita gente que esta longe, porque?? simple, toda (ou quase toda) a gente tem ferias e tem esses dias livres, o que é propicion para nos juntarmos todos os que estamos cada um em cada canto do mundo, já sejam familia ou amigos. Para mim é o unico sentido que tem estas datas, mais nada, não festejo nem celebro mais nada.

  HAZEL

quinta-feira, dezembro 24, 2009 12:17:00 da tarde

Costumo embarcar na fantasia, e festejar com muita alegria e entusiasmo, especialmente por causa do meu filho, para que tenha uma infância cheia de boas recordações.

Mas o segredo é que este ano a minha alegria será forçada.
Fá-lo-ei pelo meu filho, apenas por ele...

E, tal como tu, quero que o dia passe rápido. E de uma forma o mais indolor possível.

Olha, daqui a pouco passa lá por "casa", que vou oferecer um presente de Natal aos leitores (tenta fazer um ar surpreendido lol).

Abraço e obrigada por tudo.

  LauraBow

quinta-feira, dezembro 24, 2009 5:34:00 da tarde

eu ainda espero pelo dia em que finalmente vão revelar o verdadeiro significado do Natal e do Pai/Mãe Natal (povo índigena Saami e a nossa descendência genética desses nossos avós!) Estou farto de tanta hipocrisia e tanta falsidade! O espírito natalício que se sente é o mesmo que se sente em sítios como fátima ou santiago de compostela ou em sítios de templos sagrados! é a energia das pessoas que lá está concentrada em uníssono criando uma envolvência energética muito positiva, de amor cósmico, pois todos nós temos Deus dentro de nós! o Natal para mim, é mais uma prova e um verdadeiro exemplo de como o Mundo, ou a maneira como se vive neste mundo se poderia tornar todos os segundos, se quiséssemos! não há espírito natalício! não é o Natal que traz o espírito, é o espírito que traz o Natal! e o espírito está em cada um de nós! e não confundam Scrooge com Fehr, por favor, Scrooge para mim era mais um daqueles corporativistas ou bolsistas que passa o natal muito bem quentinho na sua lareira a ver as suas fábricas de brinquedos a trabalharem a um ritmo infernal para satisfazer a demência de todos aqueles que nesta altura em que escrevo este comment correm, pulam, saltam, enervam-se, calcam e matam-se para conseguir aquele brinquedo tão procurado e tão rapidamente esgotado! que belo exemplo de separação nesta altura! :) e quem vê com olhos de ver o que se passa nos shoppings apercebe-se perfeitamente dos clones do velho scrooge que por nós passam stressados, separados de todos, a pensar única e exclusivamente no seu próprio umbigo e no que desejam ansiosamente comprar! o velho scrooge é esse! o bruno fehr é mais o fantasma do passado e futuro que lhe aparece, está noutra dimensão mas interage com esta! :)

Feliz Natal e o resto que se foda! Fuck The System!

Que o Cristo(al) que existe em cada um de vós, emane Amor para Tudo e Todos agora e Para Sempre!
Amen! Namasté! Shanti!

  LauraBow

quinta-feira, dezembro 24, 2009 5:36:00 da tarde

eu ainda espero pelo dia em que finalmente vão revelar o verdadeiro significado do Natal e do Pai/Mãe Natal (povo índigena Saami e a nossa descendência genética desses nossos avós!) Estou farto de tanta hipocrisia e tanta falsidade! O espírito natalício que se sente é o mesmo que se sente em sítios como fátima ou santiago de compostela ou em sítios de templos sagrados! é a energia das pessoas que lá está concentrada em uníssono criando uma envolvência energética muito positiva, de amor cósmico, pois todos nós temos Deus dentro de nós! o Natal para mim, é mais uma prova e um verdadeiro exemplo de como o Mundo, ou a maneira como se vive neste mundo se poderia tornar todos os segundos, se quiséssemos! não há espírito natalício! não é o Natal que traz o espírito, é o espírito que traz o Natal! e o espírito está em cada um de nós! e não confundam Scrooge com Fehr, por favor, Scrooge para mim era mais um daqueles corporativistas ou bolsistas que passa o natal muito bem quentinho na sua lareira a ver as suas fábricas de brinquedos a trabalharem a um ritmo infernal para satisfazer a demência de todos aqueles que nesta altura em que escrevo este comment correm, pulam, saltam, enervam-se, calcam e matam-se para conseguir aquele brinquedo tão procurado e tão rapidamente esgotado! que belo exemplo de separação nesta altura! :) e quem vê com olhos de ver o que se passa nos shoppings apercebe-se perfeitamente dos clones do velho scrooge que por nós passam stressados, separados de todos, a pensar única e exclusivamente no seu próprio umbigo e no que desejam ansiosamente comprar! o velho scrooge é esse! o bruno fehr é mais o fantasma do passado e futuro que lhe aparece, está noutra dimensão mas interage com esta! :)

Feliz Natal e o resto que se foda! Fuck The System!

Que o Cristo(al) que existe em cada um de vós, emane Amor para Tudo e Todos agora e Para Sempre!
Amen! Namasté! Shanti!