Temos de nadar

Ouvi a hoje a história de um músico que durante a gravação do seu novo álbum, foi diagnosticado com leucemia. Após internamento e cirurgia tendo a sua irmã como dadora ele recuperou. O vídeo que apresento é da música que ele escreveu enquanto estava na sua luta pela vida. Apesar de eu nunca ter padecido desta doença, ela faz parte da minha vida e vi nesta letra uma excelente mensagem que de certa forma se aplica não só a quem padece dela mas também a quem fica como um mero espectador assistindo à partida de pessoas amadas e tendo de aprender a lidar com um mundo totalmente novo de sentimentos:



Swim, de Jack's Manequin (tradução parcial)

"Tens de nadar, nadar pela tua vida, nadar pela música que te salva quando não tens a certeza se vais sobreviver. Tens de nadar e nadar quando dói. Todo o mundo está a ver e não chegaste até aqui para caíres da Terra. As correntes vão puxar-te para longe do teu amor. Mantém a cabeça erguida. Encontrei uma onda gigante que começa a derrubar a alvorada. Memórias como balas disparadas contra mim de uma arma perfurando a armadura. Nado por melhores dias apesar da ausência de sol, sufocado em água salgada não irei desistir, nado.
Tens de nadar por noites sem fim. Nadar pelas vossas famílias, amantes, irmãs, irmãos e amigos. Tens de nadar por guerras sem causa, por políticos perdidos que não vêem a ganancia como falha. Tens de nadar no escuro. Não há vergonha em flutuar, sentir a maré mudar e esperar por uma faísca. Tens de nadar não te deixes afundar, procura o horizonte e prometo-te que não será tão longe quanto pensas. As correntes afastam-nos do nosso amor."

Se mesmo com toda esta luta, quem nada acaba por ceder à força das correntes e parte para sempre dos nossos olhos, não podemos nunca deixar que parta das nossas memórias e por mais que pareça que o mundo acabou, por maior que seja a vontade de nos deixarmos submergir por não termos forças nem vontade para lutarmos contra as ondas e as correntes, temos de nadar e continuar sempre a nadar em nome da memória de quem tanto nadou por nós, só para que ao abrir os olhos nos visse  e soubesse que estamos ali no mesmo mar revolto a nadar a seu lado contra os mesmo elementos. Temos de nadar.

6 Comentários:

  LauraBow

segunda-feira, dezembro 21, 2009 4:41:00 da manhã

RIP Denis...
Obrigada pela tua dedicação, coragem, determinação, compaixão e o infindável poder de intenção que aplicaste nos teus pensamentos, palavras e acções!

  Gatapininha

segunda-feira, dezembro 21, 2009 7:10:00 da tarde

Só mesmo a familia é que nos faz nadar, se bem que por vezes não é bem nadar, mas sim o nadar um mero estrebuchar até à exaustão.
Mas gostei muito da mensagem, é bom ter esperança.

  Luis

segunda-feira, dezembro 21, 2009 9:50:00 da tarde

É um bela mensagem que se pode aplicar a tudo na vida, até no suicídio pois para por fim à nossa dor, causamos dor naqueles que nos amam.

  Susy

segunda-feira, dezembro 21, 2009 9:51:00 da tarde

É verdade, nadar/lutar SEMPRE!

  ThuSpin

terça-feira, dezembro 22, 2009 2:01:00 da manhã

Este comentário foi removido pelo autor.
  Teté

quarta-feira, dezembro 23, 2009 2:05:00 da manhã

É verdade, todos temos de nadar. Por uma razão ou outra... ;)