Tarja

Após a forma um tanto ou quanto dramática como a Finlandesa Tarja foi despedida da sua banda Nightwish, ela actua agora a solo e este tema fortíssimo parece-me ser exactamente sobre este seu novo rumo solitário na música.

Esta senhora anunciou à sua banda e ao público que iria deixar a banda e seguir a sua carreira a solo, mas que iria cumprir com as suas obrigações, terminar a tournée e terminar a gravação do último álbum. De uma forma vergonhosa após um concerto ao vivo, a banda publica no seu website oficial que Tarja estava despedida e que não precisava de terminar o álbum ou a tournée, tendo sido imediatamente substituída por uma mulher com uma voz inferior. Foi um pouco como aqueles namoros que acabam por telemóvel ou por E-mail, neste caso o mundo soube antes dela.

Após uma jogada machista destas, de despedir antes de serem deixados só se poderia esperar o que está a acontecer. A fama desta senhora cresce, ela enche pavilhões por todo o mundo e cada vez se ouve menos de Nightwish tendo o mais recente álbum da banda ficado aquém das expectativas.

Esta é na minha opinião uma das, senão a melhor voz feminina da actualidade. Esta voz acompanhou-me em momentos difíceis, acalmando-me e hoje é uma infinita fonte de inspiração que me ajuda a concentrar.

15 Comentários:

  ceptic

terça-feira, dezembro 29, 2009 2:46:00 da tarde

a saida da tarja dos nightwish, tb me fez perder o interesse na banda, não parece causar o mesmo impacto...

  Shadow One

terça-feira, dezembro 29, 2009 3:44:00 da tarde

Opiniões são o que são, cada um tem a sua.

Vi Nightwish com Tarja e saí após 20 minutos de actuação. A senhora é detentora de uma grande voz e tecnica, mas não tem postura para o Metal. Isso transparece para o publico e influencia negativamente toda a quimica da banda.

As vozes femeninas de Within Temptation, Epica, Lacuna Coil, Liv's Eyes... já estão mais intrusadas. O papel de "frontman", neste caso "frontwoman" de uma banda de Heavy Metal ultrapassa largamente as competencias vocais. Á que ter atitude. E isso a Tarja não tinha. Pelo menos nos Nightwish.

Nada chega á Angela Gossow dos Arch Enemy.

O método do "despedimento"? Lendas... para fazer correr tinta.

Uma banda é uma empresa, duvido seriamente que a decisão fosse exclusivamente da banda ou seus elementos. O patrão é que despede. E o patrão é a editora.

  Gravepisser

terça-feira, dezembro 29, 2009 5:05:00 da tarde

Vamos por partes:

- A saída dela dos Nightwish, segundo se disse na altura, teve mais a ver com a sua atitude de estrela, e com a intromissão do companheiro, do que propriamente com o machismo dos restantes membros da banda (que, a existir, duvido muito que fosse o suficiente para correrem com ela, pois era óbvio que não se prescinde de uma galinha dos ovos d'ouro pelo simples facto de as penas serem de uma cor que não gostamos, face a comparação);

- Era óbvio que, mal ela abandonasse a banda, eles jamais conseguiriam encontrar uma substituta à altura, pois como disseste e bem, a voz desta senhora, o seu carisma, a sua presença, dificilmente têm par nos dias que correm;

- Ironicamente, e na minha opinião, ambas as "instituições" como que "amaciaram" com a mudança: os Nightwish, por terem contratado uma voz pop-rock, e a própria Tarja, cujas letras (não sei se é ela que compõe, no entanto, não chega às solas do Tuomas) e a própria musicalidade soam muito mais brandas do que antigamente, ainda que não deixem de ter grande qualidade, obviamente.

Em suma, quem mais perdeu com tudo isto foram os próprios nightwish, e os fãs em geral. Dividiu-se uma grande banda em duas partes menos fortes, e o resultado final, quer ouçamos uma ou outra partes, fica sempre aquém daquilo que outrora foi uma das melhores bandas do planeta.

  Vani

terça-feira, dezembro 29, 2009 7:54:00 da tarde

Não conheço o caso nem a senhora :D

É aguda demais para mim :)

  Bruno Fehr

quarta-feira, dezembro 30, 2009 4:52:00 da manhã

ceptic:

A nova vocalista que já era colaboradora da banda tem uma voz totalmente diferente.

  Bruno Fehr

quarta-feira, dezembro 30, 2009 4:53:00 da manhã

Shadow One:

"Vi Nightwish com Tarja e saí após 20 minutos de actuação. A senhora é detentora de uma grande voz e tecnica, mas não tem postura para o Metal. Isso transparece para o publico e influencia negativamente toda a quimica da banda."

Pessoalmente não vou a um concerto ver postura. A Tarja tem a postura correcta pois a formação musical dela é clássica e não uma de andar aos pulos numa garagem.
Logicamente como cantora de opera, ela comporta-se como tal.

"As vozes femeninas de Within Temptation, Epica, Lacuna Coil, Liv's Eyes... já estão mais intrusadas. O papel de "frontman", neste caso "frontwoman" de uma banda de Heavy Metal ultrapassa largamente as competencias vocais. Á que ter atitude. E isso a Tarja não tinha."

Não posso concordar, eu não quero saber se ela anda aos saltos, quando ouço um CD não a vejo. Para mim só 3 coisas importam: Qualidade musical, lírica e voz, tudo o resto é teatro.
Gosto de Within Temptation e Lacuna Coil mas não me importo se elas ficam bem ou não em palco.

"O método do "despedimento"? Lendas... para fazer correr tinta."

Discordo, houve um período de tempo entre o post no website que ainda está lá e as primeiras declarações dela.

"Uma banda é uma empresa, duvido seriamente que a decisão fosse exclusivamente da banda ou seus elementos. O patrão é que despede. E o patrão é a editora."

Isso só acontece em bandas construídas por uma editora, como Spice Girls e afins. Uma banda é sempre dos seus fundadores, coisa que a Tarja não era, normalmente dão parte igual a novos membros que sejam criadores de musica ou letra.

Metallica despediram Dave, não foi a editora.
Guns N' Roses despediram Steven, não foi a editora. O caso dos Metallica é explicativo de como a banda funciona, todos possuem partes iguais e votam e assim podem decidir tudo.
Quando os Metallica ficaram sem Jason contrataram um novo baixista a quem deram parte igual e a sua editora só interfere em caso de empate de votos.

  Bruno Fehr

quarta-feira, dezembro 30, 2009 4:53:00 da manhã

Gravepisser:

"- A saída dela dos Nightwish, segundo se disse na altura, teve mais a ver com a sua atitude de estrela, e com a intromissão do companheiro, do que propriamente com o machismo dos restantes membros da banda"

Se o teu pai ou mãe interferir na tua relação amorosa, isso não é motivo para acabarem o namoro contigo por sms. O despedimento deveria ter sido cara-a-cara e ambas as partes admitiram que isso não aconteceu.

"(que, a existir, duvido muito que fosse o suficiente para correrem com ela, pois era óbvio que não se prescinde de uma galinha dos ovos d'ouro pelo simples facto de as penas serem de uma cor que não gostamos, face a comparação)"

Ao despedir não prescindiram pois sabiam que ela iria sair. É o mesmo que sabermos que a nossa namorada vai acabar o namoro e antes que ela o possa fazer, acabamos nós.

"(não sei se é ela que compõe, no entanto, não chega às solas do Tuomas)"

Aqui concordo, ele é um excelente letrista e é ainda melhor quando compõe em Finlandês, as versões inglesas não fazem justiça.

  Bruno Fehr

quarta-feira, dezembro 30, 2009 4:53:00 da manhã

Vani:

"É aguda demais para mim :)"

Não és a primeira a dizer isso, a voz dela é de musica clássica, chamam-lhe a rainha do soprano mas ela não é soprano, se fosse a voz não te soaria assim. Ela é Mezzo o que soa a agudo demais para quem tem problemas auditivos.

  ceptic

quarta-feira, dezembro 30, 2009 2:31:00 da tarde

Blogger Bruno Fehr disse...
". Ela é Mezzo o que soa a agudo demais para quem tem problemas auditivos."

aqui nao concordo, eu tenho problemas de audição, e a vocalista que realmente me faz confusão ouvir, e que não consigo, é a vocalista do within temptation, aquela voz estridente dá cabo de mim, o que é pena porque gosto da parte instrumental..

  Bruno Fehr

quarta-feira, dezembro 30, 2009 2:40:00 da tarde

ceptic:

Refiro-me a problemas auditivos de só ouvir certas frequências e não de ouvir mal. Falo de problemas auditivos mais acentuados.

Digo isto pois uma grande amiga minha que recorre à leitura de lábios, consegue ouvir muita música, mas as vozes Mezzo fazem-lhe confusão.

  I.D.Pena

quarta-feira, dezembro 30, 2009 2:42:00 da tarde

Sobre os Nightwish prefiro 1milhao de vezes mais a voz da Tarja porque resulta muito melhor.

Quanto a telenovelas de bandas, perco logo o interesse quando ah versoes contraditorias sobre os mesmos assuntos.

E depois a verdade é que a nova vocalista tem outro registo, por mais que a editora queira vender tem que se render à capacidade vocal que a Tarja efectivamente tem.

Fora isso, fica os trabalhos completos, que ainda hoje arrepiam e inspiram.

( Tenho lido sempre todos os posts , não tenho tido é a necessidade de comentar . )
:)

  Gatapininha

quarta-feira, dezembro 30, 2009 7:25:00 da tarde

Como aqui já afirmaram, eu acho que todos ficaram a perder, os fãs, a Tarja e os Nigthwish.

Bom ano!

  LauraBow

quarta-feira, dezembro 30, 2009 10:42:00 da tarde

a única música que conhecia dos nightwish era a música "The Riddler" e que me faz sempre sentir saudades de um ser muito especial que nunca mais apareceu na minha vida, abandonou-me a mim e a outras pessoas e agora quando mais precisamos dela, ela faz questão em manter-se em completo desaparecimento e silêncio! :( ela chamava-se mesmo "The Riddler" :( e essa letra diz tanto dela!

  Mafal∂a

quinta-feira, dezembro 31, 2009 12:28:00 da manhã

gosto..!

  Nikita

quinta-feira, dezembro 31, 2009 5:28:00 da tarde

Bruno,

passei para te desejar um bom ano novo, e deixar-te um beijinho.
Apesar de não ser comentadora assídua, continuo a seguir-te ;)


Beijos