Triste dia

Que dia tão solitário mas é meu, mas um dia que passo a recordar um passado feliz. Um dia solitário que faço sempre questão de passar sozinho sem nunca me sentir só. Um dia que após todo o ano e todos os anos a tentar esquecer, lembro-me sempre... de não (a) esquecer. Um dia triste em que celebro não a tristeza do dia em si, mas a felicidade deste dia no passado.

And if you go
I wanna go with you
And if you die
I wanna die with you
Take your hand and walk away
--Daron

Querer partir por ver partir. Querer morrer por ver morrer mas em contradição estar feliz por ficar, viver mais um dia e esperar. Um dia triste para celebrar.

Ich werde in die Tannen gehen
Dahin wo ich sie zuletzt gesehen
Doch der Abend wirft ein Tuch aufs Land
Und auf die Wege hinterm Waldesrand
Und der Wald er steht so schwarz und leer
Und die Vögel singen nicht mehr
--Lindemann

Querer ir além do horizonte por um caminho de árvores mortas por onde pássaros negros voam sem cantar. O atravessar de todo um mundo negro que é meu e só meu, um caminho que não faz nem nunca fez parte do teu mundo, mas que eu tenho de percorrer para ser merecedor de por um segundo ser digno de te ver.

Kerran vain haaveeni nähdä sain
En pienuutta alla tähtien tuntenut
Kerran sain kehtooni kalterit
Vankina sieltä kirjettä kirjoitan
--Tuomas

Este dia é especial pois é o primeiro dia em que escrevo sobre o dia, e não sobre o que ele representa. O primeiro dia de todos os dias em que as palavras não possuem um destinatário só um objectivo. O primeiro dia após ter libertado, libertando-me, não convencido se no último dia igual a este coloquei o ponto final no parágrafo certo, pois tinha tanto para dizer mas estou sem palavras para o fazer.

8 Comentários:

  Jane Doe

quarta-feira, dezembro 02, 2009 1:03:00 da manhã

:)

  Vani

quarta-feira, dezembro 02, 2009 2:53:00 da manhã

As palavras estão aí, no teu coração.

  Mário

quarta-feira, dezembro 02, 2009 11:02:00 da manhã

Que o dia passe, então, depressa, e o melhor possível.

  lunatiK

quarta-feira, dezembro 02, 2009 1:20:00 da tarde

Força...

  Maya

quarta-feira, dezembro 02, 2009 2:01:00 da tarde

Acho que não deves continuar a martirizar-te. É isso que estás a fazer. Quanto mais verbalizas e escreves sofre o sofrimento, mais ele demora a ir-se embora. Porque está sempre a ser lembrado.

Não, não estou a ser superficial ou a fazer pouco caso do teu sofrimento. Nunca faria isso. Estou a dizer-te apenas o que acho. É para isso que te publicas, certo?

P.S.: vim aqui ao teu blogue especialmente hoje para ver a tua reacção ao Van Rompuy. Mas julgo que já disseste tudo ou quase tudo num post de há algumas semanas.

  L.

quarta-feira, dezembro 02, 2009 2:30:00 da tarde

:)*

  LBJ

quarta-feira, dezembro 02, 2009 5:22:00 da tarde

Um Abraço sem mais palavras...

  Vani

quarta-feira, dezembro 02, 2009 9:49:00 da tarde

Olha, há desafio para quem o quiser apanhar. :D