O melhor pai do mundo

Neste blogue só falo de filmes por dois motivos, ou quando são extremamente bons ou quando são uma merda.
Este é do grupo dos bons. A história for escrita por Bobcat Goldthwait que também realizou o filme. Apesar dos filmes deste ex-actor terem histórias extremamente boas, nunca é levado a sério pela industria cinematográfica. No entanto para este filme, ele conseguiu a colaboração do seu amigo Robin Williams, que é sem dúvida um dos melhores actores de todos os tempos.

Quem é Bobcat Goldthwait? Certamente o conhecem como comediante de stand up ou dos filmes Academia de policia em que ela era um punk que se tornou policia:



O filme de que falo chama-se World's Greatest Dad (O melhor pai do mundo - 2009). Este não será um filme que encontrem nas maiores salas de cinema, mas só por ter Robin Williams chegará a todos os países.

O filme aborda emoções e hipocrisia e em como estes dois termos estão interligados. É um filme que revela grandes verdades através de uma mentira. Um filme que mostra em como algo de errado pode trazer mais valias para terceiros e que serão ignoradas  quando se descobre que a base é uma mentira.
Fala de amor paternal e de amor em geral. No fundo disse tudo, sem dizer nada pois é um filme que merece ser visto e não descrito.
Descreve também como um escritor com talento não consegue reconhecimento mas com uma pequena mudança de perspectiva ele passa a ser um escritor de destaque, voltando ao anonimato com a mesma facilidade.

Este filme mostra o quanto somos hipócritas mesmo sentindo verdadeiramente sentimentos que nunca tivemos... parece contradição? Vejam o filme.

7 Comentários:

  Jane Doe

segunda-feira, dezembro 28, 2009 12:41:00 da manhã

Quando vi a capa do filme num site (não li nada) pensei: Mais um de comédia. Mas ao ver o Robin Williams pensei duas vezes. Está portanto na lista.

:)

Depois de o ver entenderei do que estás a falar.

  Teté

segunda-feira, dezembro 28, 2009 1:14:00 da manhã

Isto na escrita, como noutras profissões de maior visibilidade perante o público, passar de bestial a besta (ou vice-versa) é um ápice. Que se pode fazer?!

Gracias pela dica!

  caditonuno

segunda-feira, dezembro 28, 2009 12:32:00 da tarde

por acaso ontem vi a reportagem deste filme e fiquei curioso, mas nao sei ainda se o vou ver.

  José

segunda-feira, dezembro 28, 2009 8:57:00 da tarde

HEYYY o ZED :) Que saudades! Ainda hoje o pessoal me pede para imitá-lo! e lá estou eu aos gritos e expressões que me fazem partir a rir comigo próprio! demais! um dos meus actores favoritos de sempre! especialmente aquela parte em que ele entra nos super mercados e começa a comer as alfaces e a fruta toda à dentada! ó pá, demais!

  Jane Doe

terça-feira, dezembro 29, 2009 12:19:00 da manhã

Depois de ter visto, aconselho vivamente a que seja visto.

  Vani

terça-feira, dezembro 29, 2009 7:55:00 da tarde

ehehehehehe, bem que estava a reconhecer a foto!!! :D :D adorava essa personagem!!!! essa e o que fazia sons marados e mundanos com a boca ahahahaha.

  Anónimo

sexta-feira, janeiro 08, 2010 12:26:00 da tarde

O filme é intrigamente inteligente e claro, sem hipocresia e farsas, mostra o real sem medo, é de uma simplisidade e calma surpreendente. Amei e pensei, um filme que nos faz pensar e tem uma trilha sonora maravilhosa, finalisando com Under pression. Assistam é muito bom.