Ambiente 2 - A farsa

A farsa nasceu das elites politicas. Ela serve para culpabilizar o cidadão comum de forma a que ele aceite responsabilidade e assim que o fizer aceitará ser castigado por isso, quer com impostos ou coimas. Essa culpa está a ser largamente aceite um pouco por todo o mundo, devido a uma excelente campanha de mentiras vindas de uma parte da comunidade cientifica, governos, grupos terroristas ambientalistas e de pessoas que acreditam em tudo o que ouvem e passam a palavra.
Para que a mentira ganhasse credibilidade foi criada um comissão de investigação chamada IPCC (Intergovernmental Panel on Climate Change), que não passa de uma comissão que trabalha para um grupo governamental e que tem como função provar que o aquecimento global existe e não o oposto.

A propósito, sabem qual é a especialidade profissional do homem que está à frente da IPCC? É engenheiro ferroviário! Caminhos de ferro e ambiente... não vejo a ligação, mas é este homem que quer dar credibilidade à farsa Intergovernamental do aquecimento global.


Governos, ambientalistas e Al Gore falam em 2.500 estudos científicos que provam que o aquecimento global é verdadeiro, no entanto ou são todos secretos ou é uma grande treta pois só são conhecidos 4 estudos da IPCC:

- Co2 forcing coeficient (1 estudo)
- Plank parameter (2 estudos)
- Feedback multiplier (1 estudo)

Nenhum deles estabelece uma ligação entre o homem e o pseudo-aquecimento global. Mas estes estudos estão correctos num ponto, pois provam que estamos no período mais quente dos últimos 1.000 anos. No entanto é essa a intenção provar o aquecimento global, pois se intenção fosse dizer a verdade, teriam recuado meia dúzia de anos mais e estaríamos na idade média com temperaturas superiores às actuais e não havia ainda industria. Se tivessem recuado até ao Império Romano cuja a industria principal era produzir vinho desde a Sicilia até à Escócia encontraríamos um período ainda mais quente.
Pode ser que os outros 2,496 estudos tenham dados mais lógicos... mas se tivessem, e visto que intenção é convencer o mundo, não teriam já sido publicados? Acho que os 2.500 trabalhos são como os 4.000 cientistas que Al Gore diz que suportam a sua teoria, cientistas com vergonha demais para darem a cara. Mas já que falamos de cientistas, que tal o grupo de 30.000 que querem um debate com Al Gore e que o ameaçam processar se ele recusar? Alguns já avançarama com processos tendo em conta que está a mentir ao mundo?



Al Gore recusa também um confronto contra este senhor e o vídeo que recomendo no final do texto é deste senhor. Al Gore é prémio Nobel por mentir e este senhor é prémio Nobel por dizer a verdade:


A IPCC que tem feito um trabalho medíocre a tentar justificar uma mentira, por vezes a boca foge-lhes para a verdade, tal como no meio de um dos trabalhos acima referidos disseram:


Terá sido esta a forma encontrada por aqueles cientistas, obrigados a provar que existe o que não existe, de nos tentar passar uma mensagem?

O que temos nós do outro lado? O que temos para combater os 2.500 estudos que afinal são 4? De acordo com Klaus-Martin Shulte em 2008 já tinham sido escritos 539 trabalhos que referiam as palavras "Global Climate Change" onde ZERO detectaram a catástrofe que a IPCC, Al Gore e lacaios querem fazer acreditar que existe.

A IPCC afirma que mais 58% dos cientistas apoiam a teoria do aquecimento global e 14% não possuem opinião definida. Isto parece fazer crer que os que são contra esta teoria são uma minoria, mas isto lembrou-me um comentário de um céptico num outro assunto que abordei quando colocou em causa a minha opinião por eu não ter um trabalho cientifico publicado e o alvo das minhas criticas o ter, por isso, visto que ter trabalhos publicados de certa forma ajuda a convencer os leigos, afirmo por A+B que a maioria dos cientistas publicados recusam a teoria do aquecimento global ser causado pelo ser humano.

Próximo texto: Ambiente 3 - Poluição ou natural?

Fontes .pdf

Vídeo recomendado

14 Comentários:

  Diogo

terça-feira, dezembro 08, 2009 12:42:00 da manhã

Julgo que devíamos formar grupos e entrar nas redacções das televisões exigindo saber o porquê de tanta mentira. E não sair de lá sem uma explicação convincente (a bem ou a mal).

O que as televisões estão a fazer é criminoso. Os cidadãos têm o direito de se defender, violentamente se necessário.

  Filipa

terça-feira, dezembro 08, 2009 2:32:00 da manhã

Isto choca-me, e somente o facto de me chocar é ainda mais chocante pois se me choca era porque tinha uma verdade pré-definida na cabeça. Quantas vezes não somos todos manipulados pelos media? Somos marionetas autênticas. É impressionante a nossa revolta, o nosso agradecimento enquanto estamos a ser manipulados e pensamos que agimos com irreverência. maravilhoso.

  Anónimo

terça-feira, dezembro 08, 2009 3:53:00 da manhã

Gostaria de tirar uma duvida em relaçao aos documentos que são usados para provar coisas.
Penso que para saber a verdade não é preciso andar atrás de documentos e gastar energias preocupado com quem não quer ver ou pensar. Para mim o que conta são os factos reais, aqueles que eu sinto directamente na minha vida, estes afectam a minha vida directamente sem apresentar documentos nem justificações. são estes factos que têm mais relevância. Tantos documentos e testemunhos que foram apresentados a favor da verdade e mesmo assim não aclararam as ideias dos não pensantes. Isto parece-me que os documentos servem de esconderijo para quem não quer pensar ou ver a realidade das suas proprias vidas. "Mais cego que aquele que não vê é aquele que não quer ver." E quem não quer ver mete os documentos à frente dos olhos para não ver mais nada e assim fortalece a sua falsa segurança. Admito que a maior parte das pessoas prefere morrer sem saber porquê.
A guerra de documentos é só uma questão que tenho tentado reflectir porque tem representado um grande entrave para a evolução da espécie humana que, na minha opinião, deve ser feita com base na consciencia colectiva e no que sentimos.
Sem querer desvalorizar os trabalhos documentados, porque estes são muito úteis na transmissão do conhecimento, fica a questão: Estarão estes a servir camuflagem para quem não pensar?

  I.D.Pena

terça-feira, dezembro 08, 2009 1:50:00 da tarde

Acho uma parvoice tao grande, para nao dizer perda de tempo dar importancia a estes debates climaticos especialmente quando a democracia apenas existe no papel na maior parte dos paises reunidos.

Ainda para mais quando sao suportadas por teorias de cientistas fanaticos para nao dizer loucos.

Mas quem pode pode, é como a campanha genial de marqueting do Obama o gajo k nao é preto nem branco. Somos nós os culpados pela merda que fabricaram. É ilógico.

É também razão para muita guerra, por causa da nova destribuição de recursos.Um absurdo ao qual o fim é no minimo caótico e triste de tao pouca revelancia que tem, enfim tribos e milhares de povos já se extinguiram , à conta disto e o desrespeito pela espécie humana infelizmente prevalece e continua...

  ovigia

terça-feira, dezembro 08, 2009 2:22:00 da tarde

boas a todos,

concordo com o Diogo, sem dúvida que nos deveriamos juntar e ir protestar junto das diversas tv's, rádios e jornais de maior audiência deste país.

é vergonhoso especialmente no caso dos meios de comunicação detidos pelo Estado português e que todos nós PAGAMOS, assistir a tanta propaganda mentirosa junta.
Como alguém num blog já frisou, estes media são as prostitutas do regime.

O mais interessante é que o ex-Presidente dos EUA, Dwight D. Eisenhower, no seu famosos discurso de 1960 para além de ter avisado os seus concidadãos para os perigos do Complexo Militar Industrial, também chamou à atenção para o perigo da união entre pseudo-cientistas e pseudo-ciencia controlada e patrocinada pelo Estado.

"The prospect of domination of the nation's scholars by Federal employment, project allocations, and the power of money is ever present and is gravely to be regarded. ... we must ... be alert to the ... danger that public policy could itself become the captive of a scientific technological elite"
http://www.americanthinker.com/2009/12/the_scientific_technological_e.html

cumps,

rjnunes

  Bruno Fehr

terça-feira, dezembro 08, 2009 3:21:00 da tarde

Diogo:

"Julgo que devíamos formar grupos e entrar nas redacções das televisões exigindo saber o porquê de tanta mentira. E não sair de lá sem uma explicação convincente (a bem ou a mal)."

A questão é que ao fazer isso, esse grupo não teria o apoio popular, pois invadir uma estação de TV só se for para exigir a reposição de um telenovela cancelada.

"Os cidadãos têm o direito de se defender, violentamente se necessário."

Segundo a constituição podem defender-se violentamente se não for possível obter protecção das psuedo-autoridades, mas estamos numa altura conturbada em que a nossa constituição é só um papel e a que tem valor é constituição europeia que não nos dá esse direito.

  Bruno Fehr

terça-feira, dezembro 08, 2009 3:21:00 da tarde

Filipa:

"Isto choca-me, e somente o facto de me chocar é ainda mais chocante pois se me choca era porque tinha uma verdade pré-definida na cabeça."

Basta ver o CO2 com um gás criado naturalmente, como poderia o aumento de CO2 aumentar a temperatura quando sempre se passou o oposto, o aumento da temperatura aumentou a concentração de CO2?

Existe um troca de valores propositada e não podemos esquecer que quando houve a explosão de vida na Terra, as concentrações de CO2 eram muito superiores bem como as temperaturas.

"É impressionante a nossa revolta, o nosso agradecimento enquanto estamos a ser manipulados e pensamos que agimos com irreverência. maravilhoso."

Acreditamos que estamos a fazer algo porque queremos, quando somos ao longo de anos programados para isso. Hitler disse que se uma mentira for gritada bem alto que soará a verdade. Mas se uma mentira for repetida durante muito tempo, para a maioria passa a ser verdade pois nunca ouviram o contrário.

  Bruno Fehr

terça-feira, dezembro 08, 2009 3:23:00 da tarde

Anónimo:

"Gostaria de tirar uma duvida em relaçao aos documentos que são usados para provar coisas."

Não há documentos prova. Eu uso de informação e não provas, visto que os textos são meramente informativos.

"Penso que para saber a verdade não é preciso andar atrás de documentos e gastar energias preocupado com quem não quer ver ou pensar."

Não entendo o que quer dizer. Buscar informação é estudar e quem estuda deve partilhar, ao partilhar existe troca de informação e se quem não quer pensar, ler e passar a pensar será menos uma pessoa a prejudicar-me, pois quem foi para as ruas protestar foi prejudicar toda a humanidade.

"Para mim o que conta são os factos reais, aqueles que eu sinto directamente na minha vida, estes afectam a minha vida directamente sem apresentar documentos nem justificações. são estes factos que têm mais relevância."

Os factos que afectam a nossa vida directamente, são aqueles que nos são impostos, ou os que deixamos que nos afectem, e tendo em conta a origem da maior parte da informação popular, são factos viciados, manipulados.

"Tantos documentos e testemunhos que foram apresentados a favor da verdade e mesmo assim não aclararam as ideias dos não pensantes."

Se um mudar de opinião, basta.

"E quem não quer ver mete os documentos à frente dos olhos para não ver mais nada e assim fortalece a sua falsa segurança."

Se quem não quer ver pegar em documentos sobre o assunto, é prova de que está interessado em saber mais, no final é algo de pessoal querer ver ou não. Pois quem não quer realmente ver, não busca informação.

"A guerra de documentos é só uma questão que tenho tentado reflectir porque tem representado um grande entrave para a evolução da espécie humana que, na minha opinião, deve ser feita com base na consciencia colectiva e no que sentimos."

Como poderá a consciência colectiva mudar sem conhecimento? Já sabemos o que aconteceu com humanidade quando a consciência colectiva era baseada em fé e no conforto sentido em acreditar num Deus vingativo. Sem conhecimento não há evolução.

"Sem querer desvalorizar os trabalhos documentados, porque estes são muito úteis na transmissão do conhecimento, fica a questão: Estarão estes a servir camuflagem para quem não pensar?"

Não acredito que estudos sejam camuflagem para quem não quer pensar, pois quem não quer não lhes toca.
Ninguém que não concorde com os meus textos irá ver algum desses documentos apesar de estarem lá documentos que suportam ambos os lados deste conflito de ideias.

Os documentos vídeo no texto servem para poupar palavras, os links no texto servem para expandir uma ideia e as fontes é a origem do texto, pois logicamente que as conclusões cientificas não são minhas e é preciso apresentar as fontes.

  Bruno Fehr

terça-feira, dezembro 08, 2009 3:23:00 da tarde

I.D.Pena:

"Acho uma parvoice tao grande, para nao dizer perda de tempo dar importancia a estes debates climaticos"

Temos de dar importância pois é algo que se ignorarmos a mentira teremos milhões a protestar contra toda a humanidade.

A estupidez e/ou ignorância é como que um escudo protector e no meio de toda a merda actual, as pessoas souberem que o planeta não está a morrer, isso poderá criar uma falha nesse escudo que deixará outras informações entrarem.

É sempre quando descobrimos que nos mentiram, que queremos saber mais.

  Bruno Fehr

terça-feira, dezembro 08, 2009 3:23:00 da tarde

ovigia:

"concordo com o Diogo, sem dúvida que nos deveriamos juntar e ir protestar junto das diversas tv's, rádios e jornais de maior audiência deste país."

Bastaria ter a mesma afluência dos protestos ambientais, o problema é juntar esse numero de pessoas.

"O mais interessante é que o ex-Presidente dos EUA, Dwight D. Eisenhower, no seu famosos discurso de 1960 para além de ter avisado os seus concidadãos para os perigos do Complexo Militar Industrial, também chamou à atenção para o perigo da união entre pseudo-cientistas e pseudo-ciencia controlada e patrocinada pelo Estado."

Kennedy avisou sobre as sociedades secretas e a censura, tendo pedido à imprensa para informar a população dos feitos e erros do estado. Um dos melhores discursos que já ouvi, mas amplamente ignorado e mal entendido.

  Itzatez

terça-feira, dezembro 08, 2009 11:26:00 da tarde

O problema do Lord Monckton é que para ele todo o mal do aquecimento global advém da extrema esquerda, principalmente após o fim da ex-união soviética,e da pseudo-esquerda moderada do Obama...


O que faz com que ele ignore completamente o famoso paradigma esquerda/direita... Para estes gajos que estão por trás disto, não existe esquerda ou direita... Existe poder, controlo e dinheiro... Esse paradigma só é mais uma ferramenta de controlo para nos manter na linha, aliado ao aquecimento global, terrorismo, media, etc...


Mas seja como for, todas as vozes que possam ter algum peso são bem vindas e ele é extremamente convincente.

  Bruno Fehr

quarta-feira, dezembro 09, 2009 1:42:00 da manhã

Itzatez:

"O problema do Lord Monckton é que para ele todo o mal do aquecimento global advém da extrema esquerda, principalmente após o fim da ex-união soviética,e da pseudo-esquerda moderada do Obama..."

Essa observação deve ao facto de a Greenpeace ter sido tomada por um grupo politico de esquerda e desde esse dia, além de o seu fundador ter saído, passaram a receber dinheiros da fundação Rockefeller.

"O que faz com que ele ignore completamente o famoso paradigma esquerda/direita... Para estes gajos que estão por trás disto, não existe esquerda ou direita..."

Correcto, mas é certo que os movimentos ambientalistas radicais são apoiados pela esquerda. Os Verde Eufémia estavam ligados à GAIA, a GAIA tem o apoio do BE e a Europol rotulou tanto os Verde Eufémia como a GAIA como movimentos terroristas moderados. Algo que pode ser confirmado em documentos Europol.

"Mas seja como for, todas as vozes que possam ter algum peso são bem vindas e ele é extremamente convincente."

Os argumentos dele são inquestionáveis, o processo dele contra Al Gore foi vencido o próprio Juiz ordenou que uma circular fosse enviada para todas as escolas do Reino Unido de modo aos professores corrigirem os dados falsos do filme de Al Gore que foi introduzido no programa escolar Britânico. Al Gore recusa-se discutir com este senhor que também tem um prémio Nobel ganho de uma forma honesta e não dado como o de Al Gore. Outra coisa que dá razão a este senhor é o recente caso ClimateGate onde a mentira foi exposta e já pedem para Al Gore devolver o seu prémio Nobel.

  Itzatez

quarta-feira, dezembro 09, 2009 2:41:00 da manhã

Sim, mas repara que apesar de ele dizer em vários vídeos, que a verdade é independente do que nós acreditamos, dá a entender que para ele só existem os culpados à esquerda... Quando ambos os lados se aproveitam e criam o mito do aquecimento global pelo homem.

Seja como for, não estou a defender a "esquerda", apenas critico o facto de dar a ideia de que para ele se não fosse a esquerda provavelmente não teríamos este "problema" do aquecimento global causado pelo homem. Quando ambos os lados tem os mesmo objectivos, ambos os lados ganham com esta guerra ao co2, ambos os lados trabalham para perpetuar a mentira.


São tão culpados os de direita como os de esquerda, porque lá em cima no topo, não existe direita nem esquerda.

  Bruno Fehr

quarta-feira, dezembro 09, 2009 5:44:00 da manhã

Itzatez:

"dá a entender que para ele só existem os culpados à esquerda..."

Ele culpa a esquerda, esse é o seu lado politico, não podemos esquecer que ele foi politico e assessor de Margaret Tatcher, mas duvido que se refira a uma culpa exclusiva da esquerda. No entanto é mais fácil quando falamos de esquerda e direita, pois toda a gente acredita que são opostos políticos. Por outro lado ele está a jogar com as crenças Americanas que sempre foram anti-comunismo, socialismo e tudo quando for esquerda.

Esquerda e direita é irrelevante, tal como considero irrelevante as crenças pessoais deste orador. Pessoalmente retiro a politica e religião e só ligo à mensagem.

Mas sim, poderá gerar confusão para quem sabe que a politica é uma ilusão.