Perdoar a tiro!

Eu juro que tento perceber quem é religioso, já aqui referi que os vejo como pessoas que na incapacidade de acreditarem em si próprios, acreditam em algo maior que eles. Isto pode ser traduzido em fé. A fé é necessária ao ser humano, temos de ter fé em algo e é por isso que acho que os Ateus não batem bem da cabeça, pois não acreditam, e se não acreditam não têm fé. Ter fé é acreditar mas não necessariamente num Deus, podemos acreditar em nós próprios. Se eu tiver fé que consigo superar um obstáculo eu vou superar e não preciso de pedir a Deus, mas se não consigo acreditar em mim ou ter fé em mim, não está errado acreditar em Deus e ter fé nele, e essa fé irá permitir ultrapassar o mesmo obstáculo. O Ateu não acredita, não pode provar nada do que diz mas exige provas, no fundo está encalhado na sua arrogância da mesma forma que o religioso não pode provar nada do que diz mas exige provas, e no fundo está encalhado na sua ignorância. Eu jogo pelo seguro, sou agnóstico e limito-me a duvidar, pois verdade seja dita nem os religiosos conseguem provar que Deus existe, nem os Ateus que ele não existe. Enquanto eles andam à chapada numa luta que os impede de evoluir, um agnóstico irá duvidar de Deus e da Ciência procurando respostas, e por isso vai evoluindo.


Já aqui escrevi imensos textos de teor religioso que me valeram boas disussões e E-mails fanáticos.
Meus amigos católicos e religiosos fanáticos, se acham que eu estou errado e que vou arder no inferno... perdoem-me! Só isso. Perdoem-me. O perdão é a base das vossas crenças, o vosso Deus perdoa e pede para perdoarem, a vossa reza diz "Perdoai as nossas ofensas, assim como perdoamos a quem nos tem ofendido", não me provoquem, não me desejem mal, não me ameacem, perdoem-me. Sigam os vossos próprios mandamentos e deixem de ser retardados mentais. Sim, pois é assim que os religiosos fanáticos se comportam. Durante séculos mataram em nome de Deus. Bolas, um católico crente em Deus a matar a criação do seu criador? Haverá barbaridade maior que esta?
Se eu vos ofendo, perdoem-me. Custa perdoar? Então é porque vocês não são lá muito crentes nesse vosso Deus e deviam estar caladinhos!

Querem falar com Deus, joelham-se e olham para o céu, quando Deus está em todo o lado. Foi Jesus que disse que ele está "em todas as árvores, em todas as flores, levanta uma pedra e eu estarei lá, procura no teu coração e encontrar-me-ás". Por que raio olham para o céu? Por que raio unem as mãos? Por que raio se joelham? Por que raio não procuram onde ele disse para procurarem, ou seja dentro de vós. O que Jesus disse é que Deus é pessoal, está dentro de nós, é lá que achamos, SOMOS NÓS. Por tudo isto, até que veja um católico a comportar-se como tal, poupem-me os seremões.



Ah, e já agora queria esclarecer os católicos de uma coisa: Eu posso negar Deus, posso pecar, posso mentir, posso roubar, posso até matar e não serei castigado, pois na Bíblia diz que Deus disse: "Para conquistar o reino dos céus, só temos de nos arrepender". Por isso, uma pessoas que leve uma vida de maus caminhos tem mais probabilidades de ir para o céu do que um católico convicto, pois quem peca tem de que se arrepender e vai direitinho ao paraíso, um católico convicto acha que fez tudo bem e na hora do arrependimento não o faz... para onde vai ele?

Além disso e já aqui o disse: Que porra de lógica tem, um gajo que é mau como as cobras ser castigado no inferno onde quem manda é Lúcifer que também é mau como as cobras? Se fizer merda e for para o Inferno, lá ainda recebo uma medalha por serviços prestados. Quem é mau, só receberia castigo no céu a tocar harpa todo o dia e a fazer crochet toda a noite.

53 Comentários:

  Kenny

quarta-feira, julho 29, 2009 1:07:00 da manhã

Eu vou claramente para o Inferno, no céu não há sexo! :|

Portanto já estou a pensar em alugar um apartamento por lá. Para Lúcifer lá estar à tantos anos, é porque deve ser algo "bom". E aposto que lá há todos os canais de cabo! :)

Li algures que nesta evolução do ser humano precisamos de acreditar em algo superior a nós, de forma a aceitarmos melhor a nossa efemeridade. Pareceu-me estranho na altura, mas cada vez me faz mais sentido.

Cumprimentos!

  Kohinoor

quarta-feira, julho 29, 2009 2:26:00 da manhã

Ahahahhahaah

Genial!

  Fada

quarta-feira, julho 29, 2009 6:28:00 da manhã

Bruninho querido:

Estás PERDOADO! :D

Vai em Paz e que o Senhor* te acompanhe!


Beijitos

* ou a Deusa, ou os Deuses, ou os Anjos, ..., ou, quem sabe, gaijolas ruivas e boas! :p

PS - Já sabes que quando passo aqui a esta hora é pior do que quando me dão conversa durante o dia... Perdoa-me!!! ;)
PS2 - Mais logo tento que saia algum comentário mais útil/interessante ao texto (o qual vem de acordo a outros textos teus que já li, e que gosto). Vou tentar, mas não prometo, ok? Porque se falho a promessa, lá vou parar ao inferno... :D

  Who Am I

quarta-feira, julho 29, 2009 11:52:00 da manhã

ehehehe Já não me lembrava de rir contigo.

beijinho

  Mistal

quarta-feira, julho 29, 2009 11:53:00 da manhã

ehehhehe. Concordo em tudo.Eu fui educada catolica mas a realidade é que hoje em dia a minha "religião" não tem muito a ver com o que a igreja prega. ´Live and let live that's my thing. Alem de que acho que em parte das vezes o Inferno são os outros....

  gi

quarta-feira, julho 29, 2009 12:11:00 da tarde

"um católico convicto acha que fez tudo bem e na hora do arrependimento não o faz... para onde vai ele?"

esse é que vai para o inferno ahahahah!!

então não será verdadeiramente católico...

até o católico mais empenhado, mais fervoroso, mais "cumpridor" dos ensinamentos do Senhor :) cometerá alguns pecados (por pensamentos e palavras, actos e omissões...) e ser o for verdadeiramente reconhece-o e confessa-se e arrepende-se.

Isto é assunto que dá pano para mangas, daquela beeeeemmmm compridas! ehehehe mas já tinha saudades destes teus textos... beijocas

  Vani

quarta-feira, julho 29, 2009 12:13:00 da tarde

Feeeeehr Nossoooo, que estaaaais nos céeeeeeus.... é a conclusão que daqui tiro: para ti, tu és Deus. :D Para mim, eu sou Deus. Para ele, ele é Deus. Ou seja, viva nós, os Deuses! ahahahahah! era bom, era bom...que a magia existisse. Ou pelo menos os X-Men...
Mas, na verdade, não tenho Fé. Não acredito em nada, nem sequer na Ciência...já começa a irritar-me, este sentimento, mas a verdade é quenão consigo acreditar em nada. Euzinha incluida, claro.
Não estou a dizer que seja ateia, porque acho impossivel que neste universo fora não haja algo que seja superior.Ou que neste mundo não haja algo que nos escapa aos 5 sentidos imperfeitos e à imaginação, que por eles, ou pelo qi, está sempre limitada. Mas, no fundo, no fundo, eu preciso de provas. Sempre. Pra tudo.

Mas isso não me impede de ser uma fanática da série sobrenatural...ahahahah :D

È verdade, ò FADA!, confirmei!A RTP2 está a dar, nuns dias, 2 episódios seguidos da temporada 3 do sobrenatural e, noutros dias, a temporada 4. Acho que dá a temporada 4 às 5as, e é só um episódio.
E em setembro recomeça a medium no axn ihihiihihihh! :D

  The one you know

quarta-feira, julho 29, 2009 12:18:00 da tarde

Concordo com tudo menos com a parte em que afirmas que os ateus não acreditam em nada. Eles simplesmente não acreditam em Deus. o que não implica que não tenham valores mais terrenos e outras crenças tão ou mais válidas do que a fé em Deus. Pessoalmente tambem não sou tão radical. O agnosticismo é a resposta mais acertada pois é a única que não defende nem contesta algo que ainda não está provado.

abraço

  Fada

quarta-feira, julho 29, 2009 12:20:00 da tarde

Vani!!!!!!!

E estava eu aqui tão sossegadinha a esperar por mais logo para vir comentar de novo!!!!

Mas olha... Quanto aos X-Men, eu quero ser a Storm, sim? :D

Obrigada pelo esclarecimento do Sobrenatural...eheheh :D

Eu também acredito numa entidade superior E no nosso Deus interior.

Somos todos "Luz". :)

Beijitos

  Paula

quarta-feira, julho 29, 2009 12:50:00 da tarde

:)
também eu acredito numa entidade superior, sem uma religião propriamente dita. mas também acredito em mim!
a fé é uma coisa extraordinária, consegue mover montanhas. e não interessa no que se acredita, desde que seja em algo que nos faça ter força para continuar.

  Vani

quarta-feira, julho 29, 2009 12:59:00 da tarde

Oh, Fada, só o poder de controlar as tempestades??? Eu cá quero ser a FENIX! Sou uma alambazona! Quero logo tudo ahahahah. ;)

  Fada

quarta-feira, julho 29, 2009 1:09:00 da tarde

Vani, se algum dia me visses furiosa (e espero que nunca mais ninguém me veja assim, é algo que já não acontece há muito tempo - Reiki advantage ;) ), acredita, sou pior que a pior das tempestades!!!

Mas também me dava jeito controlar o clima para outras coisas... :D

Além disso, não te esqueças que sou uma fada, tenho outros poderes... :D

Beijitos :)

  Vani

quarta-feira, julho 29, 2009 3:17:00 da tarde

Fada, LOOOOOOOL! Pois, o meu lado furioso é assim ao estilo da fenix zangada ahahahaah! :D Mas eu cá quero ser x-men, fada não :), a minha faceta dirigida para o fantástico-fantasia foi tão alimentada à base da Marion Zimmer Bradley que acabei a deitar fantasia pelos olhos :D

  paula

quarta-feira, julho 29, 2009 4:10:00 da tarde

Que engraçado que este texto tenha surgido agora, pois ultimamente ando angustiada com estas questões de fé, religião, mas principalmente, na "vida" depois da morte. A morte tem me angustiado muito desde que a minha filha nasceu (já explico).
Sempre tive fé numa entidade superior, um Deus, ou então simplesmente nós, as nossas almas, qualquer coisa…mas o nada assusta-me imenso. Não quero acreditar que não haja nada depois de morrermos. Repito “não quero”. Quero lá saber se não há Deus, o que eu quero é uma continuação, noutra forma, quero lá saber…
A pouco tempo conheci uma senhora mais ou menos da minha idade (23, perdão 32 anos) e a filha mais ou menos da idade da minha, que após um longo ano de batalha contra uma leucemia acabou por falecer. Ela não era crente, nem sequer tinha uma religião, mas quando a filha morre, ela passa a acreditar que sente a presença da filha. Ela é uma pessoa com os pés bem assentes no chão, com alguma cultura geral, no entanto ela muda de opinião sobre as suas crenças e é nisso que acho que falas no texto, ela dúvida agora, se porém não haverá mais qualquer coisa. Não vou agora debater que o facto de ela ter perdido a filha a enfraquece, que ela deve sentir a necessidade de acreditar, pois eu compreendo-a perfeitamente. Eu quero acreditar que sim, que realmente há mais qualquer coisa, não sei o quê, também não quero provas, só quero acreditar e se estiver errada, quando morrer dou conta, ou não…Pensar que se a minha filha morresse e depois nada. Nem a alma dela ficaria perto de mim? Só lembranças? Ou se eu morrer, ela vai ficar sem mim, nunca mais nos vamos ver? Nunca mais a vou proteger? Fico na dúvida…
PS: adoro vir aqui ler os teus textos, mesmo se por vezes saio daqui meia paranóica, a ver se a PIDE não voltou para ver o que estou a tramar.

  kinesthesia

quarta-feira, julho 29, 2009 7:30:00 da tarde

Bruno, prova me lá que monstros de 7 cabeças cobertos às pintinhas cor de rosa não existem..

Lá porque não podes provar que existe, quer dizer que necessariamente tem de ser possível provar que não existe?

De que forma é deus uma hipotese mais coerente que o monstro acima descrito?

o Ônus da prova está do lado em quem afirma que existe.

  Fada

quarta-feira, julho 29, 2009 7:58:00 da tarde

Vani: Se enjoaste Marion ZB, então suponho que não leste Juliet Marillier...

Adooooro Marion ZM, tenho de pedir ao Bruno para ver se consegue arranjar as obras dela de FC.

Acho engraçado o teu fascínio pelo fantástico e pelo obscuro, quando me parece que mais do que não acreditares, há um "não querer acreditar"... ;)


Paula:
Sei que o teu comentário é para o Bruno, mas se achares que tem interesse, vê o meu blog Underwaterworld Days (desculpa a autopublicidade, Bruno, sabes que não é por mal). Não pretendendo ser esclarecedor, tem algumas experiências semelhantes às da tua conhecida.


Beijitos a ambas

  Bruno Fehr

quarta-feira, julho 29, 2009 10:27:00 da tarde

Kenny:

"E aposto que lá há todos os canais de cabo! :)"

Sim, os canais estão descodificados é televisão interactiva, podes escolher o que queres ver bem como gravar todos os teus programas favoritos :)

  Bruno Fehr

quarta-feira, julho 29, 2009 10:27:00 da tarde

Kohinoor:

Não diria tanto, mas tinha de resumir pois estava com pressa :)

  Bruno Fehr

quarta-feira, julho 29, 2009 10:28:00 da tarde

Fada:

Ora assim é que é uma católica a sério que perdoa :)

  Bruno Fehr

quarta-feira, julho 29, 2009 10:28:00 da tarde

Who Am I:

Sim, tenho estado um pouco off pois a situação mundial actual não tem nada para rir, e por estar a avançar com uma série de acções legais, o humor não está ao melhor nível.

  Bruno Fehr

quarta-feira, julho 29, 2009 10:28:00 da tarde

Mistal:

Viver é fácil, o complicado é saber viver e as pessoas perdem tempo com coisas insignificantes.

  Bruno Fehr

quarta-feira, julho 29, 2009 10:28:00 da tarde

gi:

"até o católico mais empenhado, mais fervoroso, mais "cumpridor" dos ensinamentos do Senhor :) cometerá alguns pecados"

Qualquer católico, todos os católicos cometeram uma pelo menos uma vez na vida TODOS os 7 pecados mortais, pois é impossível estar vivo e conseguir evitar.

  Bruno Fehr

quarta-feira, julho 29, 2009 10:28:00 da tarde

Vani:

"Feeeeehr Nossoooo, que estaaaais nos céeeeeeus...."

No céu não, estou cá na terra. A lema da minha igreja será "Não precisas de uma igreja para me amar, podes mamar aqui", poderá ser desgastante ao fim de uns tempos, mas divertido nos primeiros dias.
Spread the love.

  Bruno Fehr

quarta-feira, julho 29, 2009 10:29:00 da tarde

The one you know:

"Concordo com tudo menos com a parte em que afirmas que os ateus não acreditam em nada."

O lema Ateu é "Eu não acredito", eu não o inventei, é uma frase radical, mas construída e demonstradora de ignorância pois é um não acreditar total. Outro facto é dos movimentos Ateus Anti-Gnósticos, ou seja a guerra deles contra a Igreja, torna-os tão mesquinhos quanto ela.

Eu sou agnóstico e como tal recebo mais ataques de Ateus do que da Igreja.

  Bruno Fehr

quarta-feira, julho 29, 2009 10:29:00 da tarde

Fada:

Eu não sou luz, sou UV.

  Bruno Fehr

quarta-feira, julho 29, 2009 10:29:00 da tarde

Paula:

"também eu acredito numa entidade superior, sem uma religião propriamente dita. mas também acredito em mim!"

A entidade superior és tu, a tua inteligência, a tua vontade, a tua forca. A entidade superior é aquilo que não conseguimos controlar e o que nos faz humanos: As emoções.

  Bruno Fehr

quarta-feira, julho 29, 2009 10:29:00 da tarde

paula:

Será que é mesmo importante acreditar numa vida depois da morte? Quando alguém morre fica sempre em nós, não connosco mas em nós. Toda a influencia dessa pessoa na nossa vida, todo o sentimento nutrido por ela não parte, não desvanece, ano após ano, após ano está lá. No fundo é esse sentimento que dói mas que nos conforta.

Recuso-me a acreditar que quem morre vai "viver" para outro mundo. Quem morre, perde a vida física e viverá para sempre nos nossos corações e são os sentimentos e memórias que nos fazem sentir que a pessoa está a nosso lado.

Uma pessoa só morre realmente, se a esquecermos.

  Bruno Fehr

quarta-feira, julho 29, 2009 10:30:00 da tarde

kinesthesia:

"Bruno, prova me lá que monstros de 7 cabeças cobertos às pintinhas cor de rosa não existem..
Lá porque não podes provar que existe, quer dizer que necessariamente tem de ser possível provar que não existe?"

Por que motivo haveria eu de sequer tentar provar que existem monstros de 7 cabeças às pintinhas cor-de-rosa? Eu neste texto não digo que Deus existe, nem digo que ele não existe. Digo que os católicos estão errados ao afirmar a sua existência factual, como os Ateus estão errados ao afirmar a sua inexistência factual.

"De que forma é deus uma hipotese mais coerente que o monstro acima descrito?"

Eu disse que era?
O seu comentário não faz muito sentido tendo em conta o que escrevi, e demonstra uma leitura desatenta ou na diagonal.

O que digo resumidamente é que sair de casa e ir a uma igreja para falar com Deus, faz tanto sentido como fazer o pino para ler Pessoa.

  Bruno Fehr

quarta-feira, julho 29, 2009 10:30:00 da tarde

Fada:

"(desculpa a autopublicidade, Bruno, sabes que não é por mal)"

Não tem problema eu mando-te a conta.

  Fada

quarta-feira, julho 29, 2009 10:40:00 da tarde

Bruno:

Estás com um Humooooor!!!
FIXE!!!

Like to see you back. ;)

Beijitos

  Sylvia FX

quinta-feira, julho 30, 2009 3:14:00 da manhã

Eu sou católica não praticante (quero eu dizer com isso que não frequento a missa). Confesso que por vezes a minha fé tem sofrido altos e baixos por vários factores, um dos quais que me chocou bastante é a opulência do Vaticano... que incongruência tão grande!

  Vani

quinta-feira, julho 30, 2009 12:29:00 da tarde

LOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOL, essas respostas, bruno. Desculpa, mas eu cá não mamo fora de casa, tenho as minhas regras e lealdades. :p

FADA, não, é ao contrário: eu gostava de acreditar. :) Mas não consigo. Penso muito bem e acabo por chegar à conclusão que não acredito mesmo e que tenho uma visão maisoumenos como a do Bruno. E, acredita, gostava de acreditar. Gostava mesmo.
Adoro a FC da MZB!!!! Não, não li a juliet pq, como disse, fiquei a deitar fantasia pelos olhos :D e comecei a achar tudo muito parecido. O que não quer dizer que, de vez em qd, não descubra um ou outro livro mais original! :) Não é preciso serem só fadas, ogres, feiticeiras, elfos e outros seres mágicos. Um conselho: não leias Os Ossos do Arco-Íris...é um nojo. :D
ah, sabes que a MZM tem uma versão FC/fantasia da Flauta Mágica do Mozart?? é espectacular. ;-)

  Fada

quinta-feira, julho 30, 2009 12:38:00 da tarde

Vani:

Não, não sabia...
Qual é esse?...

Tenho quase a colecção completa de MZB, na parte da fantasia. Adorei "As mulheres da casa do Tigre" e o "Presságio de Fogo".

Quanto às leituras de outros mundos, amei Tolkien quando o li há 20 anos (xiiiii... 20...), muito antes de ser moda. Estou muito à frente, eu! lol

E agora espero que o Senhor Supremo deste blogue e daquela igreja (com lema manhoso) não seguida por mim, publique mais uns continhos dos dele, que adorei o outro... :)

Beijitos

  Vani

quinta-feira, julho 30, 2009 2:52:00 da tarde

Fada,

O presságio de Fogo é o meu preferido de sempre :D e costumava ler as Brumas de Avalon ao som do Conquest of Paradise e do Voices do Vangelis :D.
O livro chama-se Filha da Noite. :D
Também comecei a ler a série Darkover, mas como não sabia qual era a ordem dos livros, e não os encontrava, desisti e não passei do primeiro. Mas o meu livro de FC preferido, dela, é As Cores do Espaço. Fenomenal. :)

Quanto ao Tolkien, na verdade só o conheci quando se começou a falar no Senhor dos Anéis. Comecei a ler, mas...confesso que não gostei, achei a escrita muito pesadona e chatarrona...e,além disso,já estava na fase em que a fantasia tinha de ser mesmo diferente e de elfos e dwarfs já eu estava cheia. Se a isto somarmos que o meu jove é jogador de Dungeons e Dragons e teve uma fase em que só falava disso...arrrrghtttt!! :D fiquei com criaturas mágicas pelos cabelos! :D

  Fada

quinta-feira, julho 30, 2009 3:17:00 da tarde

Vani, não conheço esse, não. Creio nem nunca o ter visto à venda.

De FC nunca li nada dela... :(

Quanto a Tolkien, pois, depois de levares com tantas criaturas, compreendo que já não fizesse o teu género... lol

Também gosto muito de Joanne Harris, já leste o "Danças e Contradanças"?

E bem... Devíamos estar com esta conversa de livros nos posts de E-books... :D

Quanto a histórias... Já viste o filme "A verdadeira história do Capuchinho Vermelho"? Achei-o imperdível!!! :D

Bruninho querido, emailo-te estes pedidos todos ou basta esta conversa? :D

Beijitos :)

  Vani

quinta-feira, julho 30, 2009 4:20:00 da tarde

Fada, LOOOOOOOOOOOOOOOOOL!

A FC da marion já esteve mais acessível em portugal...acontece que o jóve tinha vários desses, dela, foi aí que os apanhei.

Já li Joanne Harris, sim. O meu preferido é o Chocolate...vi o filme, li o livro, e a andei chocolatra durante meses :DDDD. Esse das danças ainda não li, porque, lá está, desatei a ler Joanne Harris de enfiada e fartei-me... :D eu sou por fases, em tudo :D.

Ainda não vi esse filme, mas quero vê-lo assim que ficar mais liberta :D. O tempo livre agora só me dá pra namorar, tratar da casa e ver o sobrenatural (fora os blogues ahahahah).

Pois, Bruno, realmente deviamos estar com esta conversa nos e-books.
Mas, a verdade, é que eu não gosto muito de e-books...gosto do papel :). E não o impresso por mim. :D

  Vani

quinta-feira, julho 30, 2009 4:21:00 da tarde

Ah, Fada, a Marion tentou fugir à Fantasia e FC com o livro Salto MOrtal. É espectacular. Mas os fãs passaram-se...e lá voltou ela ao normal. Fiquei triste qd soube que tinha falecido. :(

  Fada

quinta-feira, julho 30, 2009 4:34:00 da tarde

Vani, o "Danças e Contradanças" são pequenos contos, surpreendentes!!! Atreve-te, vale a pena! :)

Também fiquei triste quando soube que MZB tinha morrido, eu que não me deixo afectar muito por mortes "públicas", pensei: Bolas, não há direito!!! :(

Ainda não li o Salto Mortal. Também precisei de sair um pouco daquele mundo. :)
Mas não está fora da lista! :)

Só que agora a leitura é mais... Mestrado's books... :s

kiss kiss

  Vani

quinta-feira, julho 30, 2009 4:40:00 da tarde

Fada, mesmo com o mestrado e com o que tenho de ir lendo e escrevendo, o resto não fica de fora, nem que leia uma frase por noite :D Agora estou a ler um espectacular: "contra a felicidade, em defesa da melancolia" ahahahha, tem uma perspectiva interessante e dá um ganda porradão no "sonho americano". :D Mas, ainda não terminei, que a uma frase por noite a coisa demora... :D beijoca!

  Fada

quinta-feira, julho 30, 2009 4:45:00 da tarde

Vani, isso não consigo, por isso recuso-me a pegar em livros enquanto não tiver tempo para os ler em uma ou duas vezes... :s

Dependendo do cansaço, posso demorar entre 2 a 4 horas para um livro de 400 páginas... Mas como ando cansada, estarei mais perto das 4h, e agora não dá... :s

Tenho alguns para ler, a partir de Novembro... :D

Beijitos :)

  Anónimo

sexta-feira, julho 31, 2009 12:48:00 da manhã

"Por que motivo haveria eu de sequer tentar provar que existem monstros de 7 cabeças às pintinhas cor-de-rosa? Eu neste texto não digo que Deus existe, nem digo que ele não existe. Digo que os católicos estão errados ao afirmar a sua existência factual, como os Ateus estão errados ao afirmar a sua inexistência factual.

"De que forma é deus uma hipotese mais coerente que o monstro acima descrito?"

Eu disse que era?"

Hey Bruno

Eu também não disse que disseste que era. Fiz foi a pergunta.

De facto não dizes que existe nem que não existe. Mas estas errado quando dizes que os ateus estão errados ao afirmar a inexistencia factual. Estão tão errados, quanto estão se afirmarem a inexistencia factual do tal monstro de 7.

Eu já percebi que gostas de ler, e provavel mente já leste o god delusion do Dawkins. Se não aconselho.

ps; eu não sou ateu, nem religioso. Nem agnostico.

Kinesthesia

  Bruno Fehr

sexta-feira, julho 31, 2009 1:08:00 da manhã

Fada:

Tem dias.

  Bruno Fehr

sexta-feira, julho 31, 2009 1:08:00 da manhã

Sylvia FX:

Pior é o facto de que se Jesus disse que Deus pode ser adorado em todo o lado não precisando de um tempo, após a sua morte a primeira coisa que um dos apóstolos fez foi ir para Roma e tornar-se Papa, o Rei dos Reis.

  Bruno Fehr

sexta-feira, julho 31, 2009 1:09:00 da manhã

Vani:

E acho muito bem, mas também não irei criar um templo só para que não se mame na rua.

  Bruno Fehr

sexta-feira, julho 31, 2009 1:09:00 da manhã

Fada:

"E agora espero que o Senhor Supremo deste blogue e daquela igreja (com lema manhoso) não seguida por mim, publique mais uns continhos dos dele, que adorei o outro... :)"

Qual deles?

"Bruninho querido, emailo-te estes pedidos todos ou basta esta conversa? :D"

A conversa não basta pois tenho memória de peixe de aquário. Se bem que não tenha tido tempo para responder a mails nos últimos dias, eu leio-os.

  Bruno Fehr

sexta-feira, julho 31, 2009 1:09:00 da manhã

Vani:

"Pois, Bruno, realmente deviamos estar com esta conversa nos e-books."

Eu sou cuidadoso demais para interromper uma grafonola :)

"Mas, a verdade, é que eu não gosto muito de e-books...gosto do papel :). E não o impresso por mim. :D"

É diferente?

  Bruno Fehr

sexta-feira, julho 31, 2009 1:09:00 da manhã

Kinesthesia:

"Mas estas errado quando dizes que os ateus estão errados ao afirmar a inexistencia factual. Estão tão errados, quanto estão se afirmarem a inexistencia factual do tal monstro de 7."

Com a diferença que quem nega um monstro de 7 cabeças não faz apelos ao activismo em negacao, nem tenta recrutar soldados para esse activismo. Os Ateus e basta leres e ouvires as palestras de Dawkins para encontrares raiva, apelo ao activismo militante e ofensas injustificadas aos Agnósticos por não ser juntarem a eles.
Sim a Igreja é perigosa e tenta impor ideias, mas os Ateus comportam-se como testemunhas de Jeová não há quem os cale.

Os Ateus são radicais e qualquer radical é perigoso, mas sei que a maioria dos Ateus só o afirmam ser, quando na verdade eles são agnósticos. Um Ateu não activista não é Ateu por mais que pense que é.

"Eu já percebi que gostas de ler, e provavel mente já leste o god delusion do Dawkins. Se não aconselho."

Ahahahahaha, sem ofensa, mas tem piada porque já fiz um texto sobre esse livro neste blogue. Li-o em esforço assim que terminei mandei-o para a reciclagem, foi o causador de ter perdido o respeito que tinha por Dawkins, até te deixo o link:
http://so-me-apetece-cobrir.blogspot.com/2009/01/lancei-um-livro.html

Recomendo vivamente as palestras de Dawkins no website cientifico TED. Ele tem razão no que diz mas perde-a toda em ataques sem sentido aos Agnósticos por nao concordarem com ele e ao apelo à militância que me faz lembrar um espécie de exercito para uma cruzada contra a igreja e de certa forma cometem os mesmo erros do grupo que atacam.

  Fada

sexta-feira, julho 31, 2009 1:15:00 da manhã

Bruno, disseste:
"Qual deles?"

Eu gosto dos teus contos em geral, mas o "Freedom", dos "contos de Taenaris"......... Amei! :)

E QUERO MAIS!!!!!!!!!!! :D

Logo te emailo uma listinha de pedidos... :)

Beijitos, e espero que o bom humor se mantenha mais uns dias... "tipo", "sei lá", até ao fim d ano, pelo menos!!! :D

  Vani

sexta-feira, julho 31, 2009 2:21:00 da tarde

É diferente, sim. Se eu comprar o livro, quem o escreveu, ou os filhos dessa pessoa, lucram com isso, já que afinal escrevem tb como modo de vida. Se eu imprimir, estou a matar árvores à mesma e o autor/familia do autor não almoça...

Fada, ena, lês rápido!

  Fada

sexta-feira, julho 31, 2009 2:50:00 da tarde

Vani, concordo contigo, e um livro "a sério" dá um feeling diferente dumas quaisquer folhas impressas...

É como comer a mesma "composição nutritiva" numa comida com bom ou com mau aspecto... O conteúdo nutricional pode ser o mesmo, mas a sensação é diferente... :)

E sim, leio rápido, desde que não esteja cansada... Porque se estiver concentrada, nem sequer dou conta que há gente por perto, muito menos a falarem comigo, como já aconteceu muitas vezes... Mergulho no "filme" que surge aos meus olhos. :)

E, novidade em primeira mão, o meu orientador da tese quer 2 (DOIS!!!) artigos feitos me breve... Xiiii...Agora vou mesmo morrer pró mundo! :s

Beijitos

  Vani

domingo, agosto 02, 2009 2:35:00 da tarde

O meu orientador tb queria um artigo, mas depois achou q era melhor eu despachar a tese primeiro :D. Eh pah, escrevendo os artigos já estás a adiantar a tese!! ;-)

  Bruno Fehr

segunda-feira, agosto 03, 2009 3:05:00 da tarde

Fada:

"o "Freedom", dos "contos de Taenaris"......... Amei!"

:S A minha imaginação para esse projecto parou, escrever ficção cientifica sem imitar ninguém pressupõe muito mais do que inventar raças ou linguagem, temos de inventar tecnologia que tenha lógica de acordo com os conhecimentos científicos e físicos dos dias de hoje e isso cansa-me imenso.

  Bruno Fehr

segunda-feira, agosto 03, 2009 3:05:00 da tarde

Vani:

"É diferente, sim. Se eu comprar o livro, quem o escreveu, ou os filhos dessa pessoa, lucram com isso, já que afinal escrevem tb como modo de vida."

Ou isso ou estás a ser enganada por um livro escrito em cima do joelho para fazer uns trocos até ao retorno da imaginação do autor. Ou então compras um livro de autor que já morreu que foi achado no sótão pelos filhos e que possivelmente nem é desse autor, ou no caso de Tolkien obras que ele pediu para que nunca fossem publicadas.

O uso dos E-books pode legalmente ser colocado sob o acto de uso justo de direitos de autor, pois todos temos a direito a ver se vale a pena comprar.

"Se eu imprimir, estou a matar árvores à mesma e o autor/familia do autor não almoça..."

Tendo em conta muito do lixo que publicam, pode não merecer almoçar à tua custa. Quem lê algo que gosta num Ebook, vai comprar o livro. Quem compra um livro de merda, por melhor que seja o próximo livro do autor, nunca mais comprará nada dele.