9/11 - WTC 7 (parte9)

Texto anterior: Parte 8

O WTC 7 foi o último edifício a ruir. Ruiu quase 7 horas depois dos ataques.

Silverstein afirmou numa entrevista que foi tomada a decisão de "pull the building" ou como ele disse "pull it", ora o termo "pull it" significa puxar (neste caso para baixo) e é um termo que define uma demolição e não um acto natural. Um acto natural seria "it fell down", "it collapsed", e nunca "pull it", pois puxar é sempre uma acção humana. As pessoas no ramo das demolições usam "pull it", como ordem de activar o detonador. Silvestein é um bilionário do ramo imobiliário e da construção, conhece bem o significado do termo.
O seu assessor de imprensa veio de seguida dizer que as palavras de Silverstein foram mal interpretadas, que quando ele falou em "pull", referia-se aos bombeiros, em tirá-los de lá. Ora bem, se assim fosse, ele como Inglês sabe bem o que é um pronome pessoal, se se referisse aos bombeiros teria dito "pull them", mas ele disse "it" e fica claro nas palavras dele, que não se está a referir a mais nada a não ser ao edifício. Ele decidiu demolir o edifício e isto prova que ele já estava armadilhado tal como todos os outros, pois em 6 horas não se prepara uma demolição destas.



Que o edifício foi demolido é um facto comprovado por dezenas de peritos, e este vídeo tem imensos dados sobre a demolição deste edifício. No final do vídeo, até um perito Turco que não sabia que era o WTC7, afirmou ser obviamente uma demolição controlada.

O WTC 7 era um edifício onde só estavam organizações governamentais, era onde estava guardados milhares de processos de corrupção empresarial, como os casos: Worldcom e Enron, que foi a maior burla na economia Americana em que a fraude deste último caso atingiu o valor de 70 biliões de dólares (50 mil milhões de Euros) a burla que foi a principal responsável pela actual crise mundial. Os casos foram encerrados nesse dia, pois todos os processos e provas foram destruídas na demolição.

O WTC 7 era o edifício com menos danos e o que estava mais longe das torres gémeas, os edifícios 3, 4, 5 e 6 que estavam muito mais perto, arderam durante muitas mais horas e que tinham elevados danos, não ruíram, mas o edifício 7 ruiu sem motivo porque pegou fogo "de destroços que voaram das torres gémeas" e 7h depois ruiu.
O Meridian ardeu durante 16 horas e não ruiu. Uma torre de 47 andares em Madrid ardeu durante 26 horas e não ruiu.
O FOGO NÃO DERRETE AÇO A MENOS DE 2700°F, e esta temperatura só se consegue num forno, onde a chama será praticamente branca. Este fogos em edifícios possuem no máximo chamas laranja, que significam uma média de 1300°F.

Dentro do edifício 7 estava Barry Jennings (funcionário do Estado) que ficou lá preso devido a uma explosão nos andares inferiores ANTES das torres caírem, e ficou preso dentro do edifício todo o dia. Lá dentro ele ouviu dezenas de explosões e viu pessoas mortas em diversos andares. Barry Jennings sobreviveu e tentou expor o que viu. Ele morreu de forma suspeita, assunto de que falei no texto "Os criminosos venceram".
Aqui está uma reportagem com uma entrevista de Barry Jennings:



Tal como o WTC1 e WTC2, o WTC7 caiu em queda livre, em menos de 5 segundos, o que prova não haver resistência dos andares inferiores e mais um edifício a desafiar a lei da gravidade, tornando o terceiro, dos únicos 3 edifícios em aço na história da humanidade a ruir por causa de um fogo.

Se isto foi também um acidente, então toda a ciência em particular a física, está errada? Será credível que a lei da gravidade tenha falhado? Será possível que a lei da queda dos corpos esteja errada? Não, isso não é credível tal como não é credível isto ter sido um acidente, tal como não é credível isto ter sido um ataque terrorista, tal como não é credível que o fogo tenha atingido mais de 2700°F para derreter o aço, tal como não é credível que se acredite na versão oficial.

Este é o meu vídeo favorito, pois PROVA SEM MARGEM PARA DÚVIDAS que a conspiração é maior do que qualquer pessoa poderá imaginar. A BBC com a pressa de serem os primeiros a dar a noticia, foram para o ar dizer que o WTC7 ruiu, 23 minutos antes dele ruir, e pior ainda, o WTC7 está exactamente atrás da repórter.



Honestamente toda esta história mete-me nojo, e por isso me irrita que as pessoas adormecidas pela desinformação, acreditem na versão governamental. É triste ver tanta ovelha que não quer saber e tanto carneirinho que faz tudo o que lhes dizem sem se revoltarem. Se esta jornalista fosse minha mãe, esposa, irmã, namorada, amiga, conhecida, vizinha ou se me cruzasse com ela na rua, com toda a certeza iria cuspir-lhe na cara.


Próximo texto: Parte 10 que falará dos famosos 19 "terroristas", dia 14-07-2009. Série termina no texto 11 com os argumentos finais tal como qualquer estudo ou investigação deverá terminar.
Referências

21 Comentários:

  Fada

segunda-feira, julho 13, 2009 1:05:00 da manhã

Nice post!

Mas ainda não vi os vídeos, que hoje... não há condições, até as fadas precisam de descanso!!! :)

Vejo-os amanhã.

Beijitos

  AlfmaniaK

segunda-feira, julho 13, 2009 2:08:00 da manhã

Bom... longe de mim querer questionar o autor e a "sua pesquisa" (vá lá, o debate e os seus argumentos são sempre úteis e a credibilidade dos argumentos são importantes), mas onde é que posso verificar que "pull it" é um termo de demolição? É que já vi vários programas no espectacular Discovery Chanel e nunca ouvi alguém dizer "Pull it" em demolições, excepto como no caso do edifício 6, que é de facto "pulled down" com cabos (o que não acontece com o WTC7)...
Tenho outras perguntas, mas não vou decompor o texto, é mesmo só isto: onde verificar que o termo "pull it" é usado nas demolições - sem que seja num exemplo do "diz que disse", claro!

  Bruno Fehr

segunda-feira, julho 13, 2009 3:37:00 da manhã

Fada:

OK!

  Bruno Fehr

segunda-feira, julho 13, 2009 3:37:00 da manhã

AlfmaniaK:

"mas onde é que posso verificar que "pull it" é um termo de demolição?"

Sem procurar, podias ter visto o vídeo com a entrevista de Silvestein, o primeiro vídeo deste texto. Ou então uma busca cuidada no Goolge, e quando digo cuidada refiro-me a buscas lógicas usando o Google como deve ser usado e não limitando-se a escrever lá a palavra e esperar resultados concretos.

Por exemplo neste site, resolveram telefonar para a CDI "Controled Demolition Inc." e perguntar o que significa "Pull it":

http://killtown.blogspot.com/2006/06/cdi-pull-it-means-pull-it-down_30.html

Um de 850.000 resultados sem ligacao ao 11 de Setembro e com o termo logo no primeiro parágrafo:

http://dinesite.com/info/review-read/post-39614/??&t=0

Exemplos de resultados Google com referencias a empresas de demolição:

site:controlled-demolition.com pull

site:implosionworld.com pull

Se os termos "pull" ou "pull it" ainda não forem suficientes em documentação de empresas de demolição, podemos procurar o termo EXCLUINDO referencias a Silverstein e ao 11 de Setembro, usamos a seguinte busca Google:

demolition building pull -Silverstein -pull-it -911 -9/11 -"september 11" -derby -WTC


Podemos até, para aqueles que como úlitmo argumento dizem que "pull it foi um termo adoptado depois dos ataques, aqui ficam diversos sites anteriores a 11 de Setembro de 2001:

1996:
http://199.175.219.1/ctyclerk/cclerk/960116/a5.htm

1998:
http://www.ghanaweb.com/GhanaHomePage/NewsArchive/artikel.php?ID=4018

Referente a 1860-1881:
http://www.kancoll.org/books/cutler/nemaha/nemaha-co-p4.html

Há mais páginas:

http://www.apotropaios.co.uk/dorset_survey.htm

http://www.sacred-texts.com/atl/ataw/ataw306.htm

http://www.zjc.org.il/showpage.php?pageid=261

Para que não seja necessário leres todos os textos, pois eles falam de outros assunto, busca neles a palavra "pull" e verás o contexto em que é usada... sempre para se referirem a demolições.

"Tenho outras perguntas, mas não vou decompor o texto"

Fazer perguntas é justo e não é decompor o texto. Decompor com argumentos eu aceito, o que não aceito são alegações infundadas que tens feito em certos comentários, ligando toda a informação que desconheces à minha imaginação.

"sem que seja num exemplo do "diz que disse", claro!"

Lá está, o comentário estava a ir tão bem. Aqui não há "diz que disse", fazes a pergunta e recebes a resposta, se esses sites são "diz que disse", então deves limitar-te a ver TV, pois lá devem ser só factos.
Acho que andas todo trocado, pois acreditas nas versões "diz que disse" da TV e dúvidas de factos "in your face", só porque ninguém "diz que disse".

  Silvia F.

segunda-feira, julho 13, 2009 5:01:00 da manhã

Tens feito um trabalho de pesquisa louvável mas estares a tentar acordar as pessoas para esta triste realidade é nadar um pouco contra a maré. Acreditas no Pai Natal, é? :)
Basta ver pela quantidade de comentários, o pessoal nem quer saber. Fala antes no último par de cuecas que compraste, sucesso garantido.

Neste assunto concordo contigo porque também pesquisei, analisei, tirei as minhas próprias conclusões. Confesso que nem precisei de muito bastou ver vídeos detalhados da tragédia para perceber que se tratou de uma grande fantochada.
Lembro-me ter visto o filme o "voo 93" e passar 1h30 (duração do filme) a bocejar. Completamente idiota! Que tédio!

Contudo, entendo aqueles que preferem não acreditar porque de facto é mau, mau demais. Vem deitar abaixo toda aquela ideia que os americanos é que são os bons da fita.
Aliás se formos ao detalhe de pesquisar os EUA desde que entraram na cena internacional na 2ª guerra mundial em livros isentos (quase todos os livros de história são pró-estados unidos tendenciosos) veremos que afinal as histórias não eram bem as que nos impingiram.

Barry Jennings, mais uma testemunha que morreu de forma desconhecida? Ora, ora.
http://www.youtube.com/watch?v=Rb8wKnqDwmo&feature=related

Este último fez melhor, suicidou-se com carta (idiota) de despedida incluido. Quantos (muitos) mais terão "falecido"?
Isto é realmente dramático.

  Silvia F.

segunda-feira, julho 13, 2009 5:01:00 da manhã

Este comentário foi removido pelo autor.
  Bruno Fehr

segunda-feira, julho 13, 2009 5:34:00 da manhã

Silvia F.:

A tentativa não é de acordar mas sim de levantar questões. Acordar é um acto voluntário e pessoal, só as pessoas se podem acordar a elas próprias.

Se as pessoas perceberem que basta abrir um livro de história para lerem algumas das maiores mentiras e realidades ficcionadas, pode ser que passem a questionar e buscar respostas fora da TV.

A própria história Americana é mentira. George Washington não foi o primeiro Presidente Americano, foi sim o primeiro Free Mason. Os EUA perderam a guerra contra Inglaterra e por isso durante anos de "independência" pagaram tributo de guerra.
Além de um documento escrito, os EUA nunca proclamaram a independência e mesmo essa declaração escrita "declaração da independência" é anulada pela constituição que tinha até há uns anos, umas emendas do Rei Inglês, pelas quais ele atribuía aos EUA autonomia.
A guerra Norte e Sul, Coreia, Vietname, Cuba, Nicarágua, Panamá, Pearl Harbour, a corrida ao espaço, etc, etc, etc, mentiras, mentiras, mentiras.

Eu fartava-me de rir quando chamavam ao Primeiro-Ministro Inglês, o "Poodle" de George Bush... Esta gente nao percebeu que o único que saía a ganhar era o Inglês! O George Bush era o PitBull que fazia merda ao serviço dos Ingleses.

"Barry Jennings, mais uma testemunha que morreu de forma desconhecida? Ora, ora.
http://www.youtube.com/watch?v=Rb8wKnqDwmo&feature=related"

É giro como a carta foi escrita... "I killed", "I wanted", ou seja, ou ele escreveu esta carta depois de morto, ou alguém o fez por ele.
Mas há mais, há dezenas de casos, desde pessoas que morreram sendo "assaltadas", a um estrangulamento durante uma mostra de slides. Um que dizem que se suicidou com um tiro na boca, mas não há sangue na arma, não há impressões digitais e a carta de suicídio foi escrita por um canhoto, quando a vitima era destra. 8 acidentes de viação e aviação (o avião que embateu na casa em Chicago, matou uma viúva do 11 de Setembro que liderava o maior movimento de verdade). A forma favorita de silenciar parece ser o cancro. 6 pessoas que processaram o governo, faleceram de formas raras de cancro que mata rapidamente.

Quanto aos comentários, eu sei que baixaram e não é por isso que vou falar de cona, cu e mamas, ou chorar como um cachorrinho abandonado escrevendo poesia de ir ao cu, de forma a recuperar comentários :)

  Fada

segunda-feira, julho 13, 2009 9:27:00 da manhã

Bruno, disseste:
"Quanto aos comentários, eu sei que baixaram e não é por isso que vou falar de cona, cu e mamas, ou chorar como um cachorrinho abandonado escrevendo poesia de ir ao cu, de forma a recuperar comentários :) "

AHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

Mas era giro, quando estiveres inspirado, podes sempre tentar esse tipo de poesia! :D
;)

Bom dia! :)

Beijitos

(Gosto tanto de me rir pela manhã, fico logo a "ganhar o dia"! :D )

  Jane Doe

segunda-feira, julho 13, 2009 11:56:00 da manhã

A primeira coisa que me ocorre fazer ao ver o segundo vídeo é RIR!

Parece daquelas gafes que se dá no jornalismo, do género, "Ups estás a dizer que ele morreu e ele está atrás de ti!" Só que ninguém a alerta para isso. Ela vai e continua a dizer ah e tal collapsed e a torre lá atrás. É uma anedota, claro que sim!

Em relação à afirmação do Silverstein, ora nem é só o facto de ele ter usado o termo pull it, em vez do termo pull them. Pelo que tu escreves, ele diz que foi tomada a decisão de "pull the building". Ele diz: "Eles não estavam seguros de poder conter o fogo(...) então tomaram essa decisão, de "pull it", e vimos o edificio colapsar."

Como dizes, não será em horas que se prepara um edifício para demolição controlada, mesmo que de emergência. Numa demolição normal pode levar semanas ou meses, dependendo do edifício. Como é que, então, num dia se toma a decisão de demolir um edifício, porque não se consegue controlar o fogo, e o mesmo é demolido?! IMPOSSÍVEL. Simplesmente. E como é que se toma a decisão de demolir um edifício, em cima do joelho ainda antes de se ter a certeza que ele ardeu todinho e que está em perigo ruir? Por muito de emergência que seja nunca conseguiria levar horas! Pronto, mas isto não acrescenta nada de novo ao que dizes, vá...

A natureza do edifício (ser governamental, e deter documentação de processos de corrupção empresarial) é mais que justificante para que isto tenha acontecido. Mesmo que não se queira acreditar eu acho que começa a ser impossível. Quer dizer... as "gafes" são cometidas por eles! Quer seja pelo Bush, quer seja pelo Silverstein, quer seja pelo Obama, ou pela jornalista, eles deixam sempre rastos do que são as verdadeiras intenções dos seus actos, mas que são abafadas, e as pessoas acabam por não ligar porque, ah, ele enganou-se. Não, não enganou.

Fugiu-lhe a boca para a verdade.

  sexy hot

segunda-feira, julho 13, 2009 4:29:00 da tarde

Falaste de uma coisa que me lembro ter ouvido para aí uma ou duas vezes no telejornal, porque vai-se lá saber porquê nunca mais falaram sobre isso que foi exactamente a parte em que dizes que o edifico já se encontrava armadilhado...

Lá nos EUA morre muito boa gente em causas desconhecidas... Sabe-se lá porquê...

  Kohinoor

segunda-feira, julho 13, 2009 5:13:00 da tarde

Foudasse! Esses gajos fizeram um belo trabalho para encobrir o golpe. Ainda bem que errar é humano e consegue-se topar falhas na história.
Muitas pessoas perderam a vida com isso, com a queda dos edifícios, mas também com as consequências nomeadamente a "guerra ao terrorismo".
É uma tragédia e todos deveriam pelo menos saber a verdade. Mandar esses gajos para a cadeia e mudar o sistema já é uma coisa que não depende só de uma pessoa.

  Bruno Fehr

segunda-feira, julho 13, 2009 9:03:00 da tarde

Fada:

"Mas era giro, quando estiveres inspirado, podes sempre tentar esse tipo de poesia! :D"

Já tentei, já tentei, comigo não resulta pois dá-me vontade de cortar os pulsos :)

  Bruno Fehr

segunda-feira, julho 13, 2009 9:03:00 da tarde

Jane Doe:

"A primeira coisa que me ocorre fazer ao ver o segundo vídeo é RIR!"

Terceiro :)

"Só que ninguém a alerta para isso. Ela vai e continua a dizer ah e tal collapsed e a torre lá atrás. É uma anedota, claro que sim!"

Se reparares o jornalista começa a relatar a noticia e quando diz que o edifício ruiu diz "devido à estrutura enfraquecida", mas diz isto num tom de quem não está convencido. Na verdade eles estão a fazer o que os mandaram fazer, mas não era para o fazerem naquele momento, tanto que a conversa estava a esticar-se e tiveram de cortar a ligação, ou a malta iria ver o edifício a cair em directo. Depois eles eram considerados os Nostradamus nas era moderna.

Ela como correspondente da BBC em Nova Iorque sabe muito bem de que edifício estava a falar e apesar de o tapar parcialmente com a cabeça, quando se vira mostra-o. Pode ser parva OU poderia saber exactamente o que estava a fazer, talvez a enviar uma mensagem aos telespectadores.

"Como dizes, não será em horas que se prepara um edifício para demolição controlada, mesmo que de emergência."

Imagina a situação. O Silverstein diz que decidiram demolir pois os bombeiros não conseguiam controlar o fogo, mas depois entrava uma equipe para armadilhar o prédio em chamas? Dinamite, C4 no meio das chamas? Ahahahahaah

  Bruno Fehr

segunda-feira, julho 13, 2009 9:03:00 da tarde

sexy hot:

"a parte em que dizes que o edifico já se encontrava armadilhado..."

Tinha de estar, pois equipa nenhuma iria aplicar explosivos com o edifico a arder. Os explosivos são para serem mantidos em locais frescos e não são para ser manuseados em edificios a arder.

  Bruno Fehr

segunda-feira, julho 13, 2009 9:03:00 da tarde

Kohinoor:

"Foudasse! Esses gajos fizeram um belo trabalho para encobrir o golpe."

O bom trabalho que estão a fazer é continuar a negar tudo, dar dinheiro a quem é subornável, prender ou matar quem não é. 1% da população protesta mas nunca em país nenhum alguma coisa mudou sem haver pelo menos 5%.

  Jane Doe

segunda-feira, julho 13, 2009 9:16:00 da tarde

Bruno Fehr:

Isso, o terceiro.

Teríamos fogo de artificio com... Hmm... direito a uns pedaços de...

Arrrhhhhgggg

  AlfmaniaK

terça-feira, julho 14, 2009 12:45:00 da manhã

Este comentário foi removido pelo autor.
  AlfmaniaK

terça-feira, julho 14, 2009 12:45:00 da manhã

Grato pelos links e pela técnica de pesquisa, sem dúvida muito útil, porém quando pergunto por documentação (vídeo, texto ou outro) que sustente a ideia que o termo "pull it" é um termo utilizado em demolições, é óbvio que estou à espera de algo mais concreto, como um técnico credenciado ou experiente a anunciar: "pull it" e a dar-se uma explosão (não um puxão) para demolir uma estrutura. De certa forma até estou convencido que é possível existir algum exemplo disso, não porque faz parte do discurso técnico, mas porque é a forma de expressão em inglês para algo que vai abaixo: "pull it down", "pull down" ou "pulled down". Aliás, os links que dás, esses exemplificam essa ideia muito bem.
Seja como for, continuo a não encontrar nada que sustente a ideia que "pull it" seja jargão, calão ou termo técnico de demolições. Pelo menos não é comparável a um termo como "lift off", ou como "Mayday", cujo contexto de utilização certo, não deixa margem para dúvidas do que significa... já "pull it"... enfim.
Se quisermos considerar o contexto que aqui se discute, bom temos bombeiros no terreno, e "pull it" tanto pode ser utilizado com "pull it down" como com "pull it out"... e, curiosamente, a ideia que "pull it" pode ser utilizado em operações de combate a incêndio como jargão técnico é, no meu parecer, melhor sustentada...
Em todo o caso, aqui ficam dois links onde se discute a aplicação do termo:

Is the term "Pull" used in demolition? em Demolitionforum;

Term "Pull it" em Firefighters Forum.

Adiante. Sobre a prova irrefutável da BBC, realmente a repórter não esteve bem - e custa-me a acreditar - que comunicassem o colapso desconhecendo que o edifício está em pé - a qualidade BBC fica muito áquem - mas uma coisa não invalida a outra, e fica a dúvida com este comunicado e este também. Quem diz a verdade(?)... a BBC não pode ser, faz parte da conspiração... pois claro! Paciência!
Um aparte: no dia em que o Michael Jakson morreu, estava a acompanhar a CNN e seguia as notícias online de vários jornais. Ora a vinte minutos (+/-) da confirmação de morte, o MJ era dado como morto na maioria das edições online...
Vamos conspirar sobre isto, ou vamos considerar a hipótese que nas notícias em directo, a conclusão precipitada de certos factos, acabam por ser anunciados antes do tempo?

  Bruno Fehr

terça-feira, julho 14, 2009 9:24:00 da manhã

Jane Doe:

"Teríamos fogo de artificio com... Hmm... direito a uns pedaços de..."

Não teríamos pois empresa nenhuma se atrevia a fazer tal operação.

  Bruno Fehr

terça-feira, julho 14, 2009 9:28:00 da manhã

AlfmaniaK:

"é óbvio que estou à espera de algo mais concreto, como um técnico credenciado ou experiente a anunciar: "pull it" e a dar-se uma explosão"

Estás a gozar? Dei-te dois resultados de buscas com textos de EMPRESAS de demolição a usar o termo e tu queres vídeo? A sério que não sei até que ponto estás a brincar ou não.
Como argumento contrário, dás-me foums? Dois forums onde desde padeiros a engenheiros qualquer pessoa pode opinar?

Ok, vamos lá analisar de acordo com os forums que me deste. "Pull it" pode ser um termo usado por bombeiros, e leste o que significa "pull it" para o bombeiros? Significa abrir buracos em paredes.
Ora acreditas que os bombeiros partem paredes usando este termo. Os policias usam em detenções "Book him" que não significa "livro ele" mas sim "prende-o" e não irás ouvir esse termo da boca de um policia.

O termo "pull down a building" nasceu ainda no tempo em que os edificios eram desmontados andar a andar com mão de obra e gruas.

"Seja como for, continuo a não encontrar nada que sustente a ideia que "pull it" seja jargão, calão ou termo técnico de demolições."

Qual é a diferença entre ser jargão ou termo técnico de demolições, seja o que for é usado em demolições e bombeiros e significa derrubar algo, para uns um edifico, para outros uma parede, mas sempre derrubar.

"Se quisermos considerar o contexto que aqui se discute, bom temos bombeiros no terreno, e "pull it" tanto pode ser utilizado com "pull it down" como com "pull it out"..."

O que significa "pull it out", qual é o "it" que poderia ser retirado do edifício? "It" é um pronome pessoal, o terceiro do singular e NUNCA se refere a pessoas.

"e, curiosamente, a ideia que "pull it" pode ser utilizado em operações de combate a incêndio como jargão técnico é, no meu parecer, melhor sustentada..."

Melhor sustentada? Significa partir, abrir um buraco numa parede, DEMOLIR uma parede.

Nao sei qual é o nível do teu Ingles, mas Silverstein disse:
"I remember getting a call from the fire department commander, telling me they were not sure they would be able to contain the fire. I said you know, we such terrible loss of life, maybe the smartest thing IS TO PULL IT and they made that decision TO PULL AND THEN WE WATCHED THE BUILDING COLLAPSE."

Isto é um único raciocínio, decidiram "pull it" e depois vimos o colapso do edifício. Nada de bombeiros, pessoas, mobília, documentos, ou gatinhos (que poderia se "it"), o contexto é só um, o WTC7.

(continua)

  Bruno Fehr

terça-feira, julho 14, 2009 9:33:00 da manhã

"Um aparte: no dia em que o Michael Jakson morreu, estava a acompanhar a CNN e seguia as notícias online de vários jornais. Ora a vinte minutos (+/-) da confirmação de morte, o MJ era dado como morto na maioria das edições online..."

Quem é que te disse que ele foi dado como morto antes de estar morto? Até porque os bombeiro encontraram-no em casa, em paragem cardíaca e não o conseguiram reanimar, isto significa que tecnicamente ele estava morto no chão de casa, por isso todas as noticias incluindo a da TMZ saíram DEPOIS da morte dele.
A TMZ é um agências de rumores do show business e dá bom dinheiro por noticias que se confirmem reais.
Há sempre discrepância temporal entre a morte o ser dado como morto, mas o testemunhos do bombeiros neste caso é esclarecedor.

Se a TMZ anuncia dezenas se sites seguem-na.

"Vamos conspirar sobre isto, ou vamos considerar a hipótese que nas notícias em directo, a conclusão precipitada de certos factos, acabam por ser anunciados antes do tempo?"

Estás a comparar a discrepância entre a noticia e o anuncio de morte com uma noticia da queda de um edifício com ele em pé em directo na imagem? Isso seria uma comparação viável se tivessem a dar a noticia e o Michael Jackson estivesse tipo emplastro atrás do repórter.

Agora é a tua vez de me dares factos. Como é que podes dizer que a noticia saiu antes de ele ter morrido? Quanto sei a noticia saiu antes de anunciarem a sua morte, o que não significa que ele estivesse vivo.

Pelo que vejo, tu desconfias de dados factuais quer jornalísticos, quer técnicos, quer investigativos, mas acreditas piamente numa agência de rumores como a TMZ, ou em fóruns públicos onde qualquer Zé ninguém opina.

Se tudo o que digo pode ser colocado em causa, apresenta-me um único argumento irrefutável de ataque terrorista. Uma gravação vídeo, sei lá, pode ser do Bin Laden a dizer "Fui eu". Acho que também posso pedir evidencias daquilo em que acreditas.