Portugal cor-de-rosa


Este texto foi inspirado num texto escrito pela Babe Certificada.

Aviso desde já que é um texto longo e sem humor misturado, por isso se querem rir, este não é o post que procuram.

É claro que fora de Portugal também caem pontes, também há acidentes nas estradas, há cheias, há fogos, há pobreza, há crime, há gente corrupta. Ela tem razão.



É certo que em França quase o Len Pen chegou ao poder, mas sinceramente não vejo o aspecto negativo. Sim, ele é de extrema direita e então? França, Inglaterra e a Alemanha, são os motores da Europa, 3 países invadidos por emigrantes vindos de África e médio oriente. Nesta situação é normal que a extrema direita ganhe simpatia popular. Os ordenados baixam, devido a haver tanta gente a trabalhar por meia duzia de tostões.

Seremos assim tão diferentes? Então, quando o Paulo Portas disse publicamente que o PP fecharia as fronteiras caso fossem eleitos. Foi ou não a melhor votação que PP teve nos últimos anos? O PP é sem dúvida o partido mais à direita que temos, com muitos ideais de extrema direita.




Portugal não é melhor nem pior. Mas porra, temos de admitir que temos os políticos, mais idiotas e mais corruptos do mundo. É ladrões, é pedófilos e mentirosos. Eu compro um jornal Português e só vejo merda na politica Portuguesa. Ideias de merda, leis de merda.

Por exemplo. Eu saí de Portugal com o IVA a 16%, voltei a Portugal com o IVA a 19%, volto nem 3 meses depois para encontrar o IVA a 21%. 21%? É caso para dizer FODA-SE, então mesmo aqui ao lado os "nuestros ermanos" só pagam 16%? Contratos de trabalho que nunca passam a efectivos. Professores com 30 anos de carreira a contracto. E está-se bem? Sistema de segurança social com médicos que sabem um pouco de tudo, mas não sabem muito de nada. Se preciso de um dentista, pago. Se preciso de uma operação, ou pago ou morro na lista de espera.


Tenho um amigo em Portugal, que está desde os 6 anos numa lista de espera para ser operado a um ouvido. É surdo do lado esquerdo e uma simples operação poderá devolver-lhe a audição. O engraçado é que ele tem hoje 26, por isso à 20 anos que espera a sua vez. Não quer esperar? Então paga 3.500 Euros. Foda-se, eu não pago um cu por nada. Mesmo que precise de óculos, um pace-maker ou um fígado novo, simplesmente não pago nada. É a vantagem da privatização da segurança social. A concorrência é tanta, que acho que um dia nos vão pagar para ir ao médico.

Reformas calculadas fazendo médias de todos os ordenados, em que não tomam em consideração o aumento do custo de vida e a inflação?



Não gozem com a minha cara. Eu orgulho-me em ser Português mas envergonho-me dos nosso políticos que são a nossa imagem internacional. Eu não admito que falem mal de Portugal se esse alguém não é Português. Mas não me fodam, por ser Português e amar o meu país é que falo mal dele e de toda a merda que se passa. Chega! A malta tem de acordar e dizer FODA-SE! Chega de nos distrairem do que é importante com Euro, Expo, TGV e merdas do género.



Os emigrantes, 90% são merda! Há que dizer a verdade! Eu sou emigrante e não quero ter nada a ver com eles. Se algum emigrante se ofender com o que eu estou a dizer, bem pode ir para o caralho, pois eu estimo bem que ele se foda. A verdade é esta:

90% dos emigrantes, estão noutros países a fazer trabalhos de merda, que nunca fariam em Portugal. O carro lindo que eles levam para Portugal é só carro de férias. Aqui está todo o ano fechado na garagem pois não há dinheiro para o alimentar. Para terem uma ideia eu pago 950 Euros por ano, só para o carro poder circular mais 1,600 anuais de seguro. Todos os carros têm de ter 2 conjuntos de pneus para inverno e verão, a inspecção, são mais 150 Euros e ainda precisa de diesel, gasolina e revisões.



Há 3 tipos de emigrantes.

Tipo 1 – A família que tem trabalhos de merda e vai para Portugal mostrar o carro que está parado todo o ano numa garagem. De maneira a pagar o crédito desse carro e a pagar a vivenda que têm em Portugal, moram numa cave. Famílias de 3 e 4 pessoas em T1 e T2. Foda-se, eu pago mais de aluguer da minha garagem que famílias de emigrantes pelos buracos onde moram. A vida deles é trabalho casa, casa trabalho. O lema é poupar, poupar, nem que se tenha de passar fome, mas têm de mandar dinheiro para Portugal. Um dia velhos e rançosos, com a coluna toda fodida, reforma-se e gastam todo esse dinheiro em tratamentos médicos.



Tipo 2 – O Português típico. Tem um trabalho bom e poderia viver bem. Mas como só gosta do que se vê, o dinheiro não chega para tudo. Este emigrante identifica-se por morar num quarto rançoso num bairro de Turcos, mas tem um carro de 60.000 Euros e roupas só de marca. Tudo o que se vê é importante. O que não se vê, como o frigorífico e o interior da casa, não importa, pois estão ambos vazios. Mas desde que tenha dinheiro para diesel e roupa, é feliz.



Tipo 3 – Raríssimos. Se encontrar algum, passará a ser meu amigo. Pessoalmente ainda só encontrei um. Este é o imigrante que se está a cagar. Quer viver como vive em Portugal, em vez de ter um Mercedes CLK 320, tem um Audi A4, mas mora numa boa casa, numa boa zona da cidade, não tem o frigorífico vazio. Sai ao fim-de-semana e fode dinheiro sem pensar em mandar
dinheiro para aquela continha na CGD em Portugal.




Eu estou-me a cagar.



Caros amigos, eu vivo na terceira cidade mais cara da Europa. Agora expliquem-me, como é que pago menos de: IVA, Internet, Telefone, comida, telemóvel, electrodomésticos, livros, CD´s, carros, motas, mobília, bebidas, etc. Como? O que é mais caro aqui é habitação, táxis, gás, água e as borgas.

Eu adoro Portugal, tenho casa em Portugal (não, não a estou a pagar, está paga, é minha), mas agora compreendo o que significa quando dizem „Portugal é um país barato de se visitar mas caro de morar“. Eu vou a Portugal e deixo dinheiro em bares e restaurantes como se não fosse nada comigo. Porquê? Porque é barato. Mas se resolver comer em minha casa indo às compras fico parvo com o que pago na caixa do Pingo Doce.




Portugal é bonito, tem sol, tem praia. Eu tenho -19 graus e neve no inverno. Mas vou a Portugal, vejo os meus colegas mais pobres, cada vez com mais dificuldades… a casa, o carro, os filhos… as contas, os mepregos, a reforma incerta...

Portugal só pode melhorar quando o Português abrir os olhos. Quando o Português deixar de desculpar os seus defeitos dizendo „lá fora é a mesma merda“ , não é. Os aspectos negativos a nível económico e social existem em Portugal e em todos os países. E os positivos? Portugal não tem um aspecto positivo que outro país não tenha.

Só quando os Portugueses, perceberem e admitirem que as coisas estão mal e estão a ficar pior. Só aí poderá melhorar.

Não me venham com o Euro, com a Expo e essas merdas onde Portugal enterrou milhões sem recuperar metade nas receitas. Sim foi lindo, eu estive no Euro em 2004 e sei que o governo pagou 25% das obras dos estádios. Imaginem esse dinheiro na segurança social. Já haveria reformas para quem tem hoje 30 anos. Imaginem esse dinheiro para combater a inflação, o IVA poderia ter parado nos 19%. Eu estive aqui no mundial, houve obras também, é lógico mas o estado não fez estádios aos clubes. Em 2008 estarei na Suíça e Áustria, acham que esses governos vão dar dezenas de milhões aos Sportings e Benficas locais? Não!



Portugal é um paraíso, infelizmente para quem vem de fora. O Português tem de começar a olhar para o que está mal à sua volta e falar disso.

Bem, existe uma coisa boa. O nosso ensino superior pode estar mal organizado, mas as licenciaturas Portuguesas são muito respeitadas lá fora. Pelo menos isso.






4 Comentários:

  Skynet

sexta-feira, agosto 03, 2007 6:34:00 da tarde

O tipo 1 de emigrante é mesmo o mais comum, enquanto que o tipo 2, nem sequer é preciso sair de Portugal para o ver, há muitos que não são emigrantes e têm uma vida idêntica.

O nosso governo está a fazer o mesmo que o EUA, está a privatizar tudo e depois não tem dinheiro para nada ( os EUA podem até ser uma "superpotência", mas não teve sequer dinheiro para pagar os estragos do furacão Katrina), não há dinheiro para a educação, saúde, para os polícias, para nada!

Para nada, salvo seja, o TGV pelos vistos é muito mais importante que um hospital ou que a investigação científica de que o nosso governo gosta tanto de falar mas depois não mexe uma pata.

Bem para concluir vou te dizer o mesmo que disse à Babe Certificada, todos os países têm vantagens e desvantagens, mas não se pode ficar de braços cruzados a ver telenovelas e deixar que as coisas se resolvam sozinhas como o clássico portuga faz. Pelo menos em França ainda queimam autocarros lol

  Crestfallen

sexta-feira, agosto 03, 2007 7:00:00 da tarde

skynet:

"Pelo menos em França ainda queimam autocarros"

Esta tua frase disse tudo. É verdade que o Português que se passava da cabeça (25 de abril, revolução do vidreiro), já não existe. Mandam-nos apertar o cinto, e aperta, aperta até que rebenta. Ao rebentar as calças caem e o governo vai-nos ao cu!

Estou na Alemanha, à 10 anos quem para aqui vinha, ganhava 2.500 euros nas obras. O país entrou em crise e desceram os ordenados. Até à 5 anos, o Alemão andava teso. Hoje é o pais com a economia mais forte da europa. Não existe ordenado minimo mas quem ganha menos de 500 euros, não paga qualquer tipo de impostos, logo o dinheiro chega.

Ainda à dias, o estado de hamburgo queria aumentar a taxa de circulação automóvel e 300 mill pessoas manifestaram-se. Não houve qualquer aumento.

Os Portugueses estão se a deixar ir na onda... o problema e que esta onda está a tornar-se um tsunami!

  rosa

segunda-feira, outubro 08, 2007 11:56:00 da tarde

Eu estou cansada desta país, dos pés à cabeça!

  Crestfallen

terça-feira, outubro 09, 2007 12:56:00 da tarde

rosa:

Revolta-me nada mudar.