O Português do Porto


Tenho um imenso respeito pelo Português falado no porto. Eles lá fazem justiça ao palavrão, usam-no como parte integrante do seu vocabulário sem o fazerem de uma forma vulgar. Quando o tripeiro diz "vai mas é apanhar no cu", não está a mandar a mandar ninguém ser sodomizado, mas sim a dizer "sai daqui" ou "vai dar uma volta os bilhar grande".


O palavrão só é ordinário de usado no seu sentido literal, ao ser usado em outro sentido é recuperado e revitalizado. Como exemplo faço minhas as palavras de Miguel Esteves Cardoso quando diz, "Dizer que a sanita está entupida de merda ou que tenho uma verruga na ponta do caralho é repugnante e inadmissível. No entanto dizer que um filme é uma merda ou que comprar uma casa em Massamá não lembra ao caralho não mete nojo a ninguém. Cada vez que o palavrão que usado fora do seu contexto e significado é como se fosse reabilitado".


No Porto em particular, isto é feito com uma leveza impressionante que gosto e respeito. Não há férias que vá para o norte do país, que não volte para o sul usando as palavras "caralho" como virgula e "foda-se" como ponto final.
Mais do que dar entoação o palavrão no Porto é um termo comparativo, é pontuação e é certificar-se que a mensagem não passa despercebida.


Frases como:
"meu grande filho-da-puta", "apanhou no cu e nem piou", "eu já fiz muito broche", "na cona da tua tia", têm significados distintos daquilo que parece à primeira vista. Dizer "meu grande filho-da-puta", para um alfacinha era motivo para andar à chapada, mas de facto isto é um termo carinhoso, que em nada está relacionado com a sua concepção ter sido originada numa fria troca de serviços sexuais.


"Apanhou no cu e nem piou", não significa que foi sodomizado, que é um homossexual, nem sequer se refere ao cu do individuo, mas sim que foi prejudicado e nada pode dizer.


"Eu já fiz cada broche", não quer dizer que ande para aí a chupar pissas, mas sim que passei por muito na minha vida, por muitas fases dificeis. Quando confrontados com um serviço indesejado ou um grande problema é aceitável dizer-se, "grande broche".





"Na cona da tua tia", em nada se refere à cona ou à tia. É como dizer, "não faço isso, nem que te cagues todo", e esta frase não pressupõe que a pessoa se cague, só para que o locutor faça o que lhe sugerido. Resumindo é o mesmo que dizer, "não faço", "não vou", etc


Quando um tripeiro diz "Ganda broche" está a dizer o mesmo que um Alentejano com "Carga de fezes" ou que um habitante da Estremadura com um "Já me foderam", o mesmo que um Algarvio quer dizer com "I don´t speak Portuguese" ou até o que um Habitante de Cascais e linha de Sintra com um "ó rica isto vai dar imenso trabalho".


Adaptado do jornal "Público", de 18 de Fevereiro de 2007
Diferenças de vocabulário entre Lisboa e Porto:


(L=Lisboa e P=Porto)


L: Não tenho certeza se vai ser possível!
P: Nem que te fodas!


L: A sério? É incrível! Diria mesmo impressionante!
P: Puta que pariu! Puta que pariu!


L: Claro que isso não me preocupa!
P: Caguei e andei!


L: Eu não estava envolvido nesse projecto!
P: Mas o que é que eu tenho a ver com essa merda?


L: Interessante!
P: Foda-se!


L: Será difícil concretizar a tarefa no tempo estipulado!
P: Não vai dar nem que me foda todo!


L: Precisamos melhorar a comunicação interna!
P: Não há nenhum corno que me responda?


L: Talvez eu possa trabalhar até mais tarde!
P: E no cu? Não queres levar no cu também?






L: Finalmente reconheceram a tua competência!
P: Foste ao cu a quem?


L: A gerência não ficou satisfeita com o resultado do trabalho!
P: Bando de filhos da puta!


L: Por favor, refaça o trabalho!
P: Enfia essa merda no cu!


L: Que pena. Teremos outra não conformidade!
P: Caralho! Vai sair cagada outra vez!


L: Vamos negociar o projecto com mais determinação!
P: Vou enfiar isto pela goela abaixo desses filhos da puta!


L: Desculpe, penso que não vai sair bem!
P: Eu sabia que ia dar merda!


L: Os índices de produtividade da empresa estão a apresentar uma queda significativa!
P: Agora, foda-se, tá tudo fodido!

73 Comentários:

  PsYcHo_MiNd

segunda-feira, outubro 22, 2007 5:58:00 da tarde

Acho que acaba por se generalizar mais, por que a maior parte das expressões e frases a que te referis-te, tambem se usam muito no Alentejo e eu próprio me farto de as usar e sempre com o mesmo significado que no Porto, embora algumas expressões façam parte do quotidiano Portuense e sejam ditas de outra forma, mas acabam por ter o mesmo significado.

  Crestfallen

segunda-feira, outubro 22, 2007 6:02:00 da tarde

PsYcHo_MiNd:

Claro que usam em todo o lado, mas em zona nenhuma do país eles são repetidos com tanta frequência.

Palavrões ouvem-se em todo o país, mas no Porto, acordas de manhã e resolves contar os palavrõs que ouves e à hora de almoço já perdeste a conta!

  trovador

segunda-feira, outubro 22, 2007 6:11:00 da tarde

Muito bom, muito bom, sim senhor.
Eu já conhecia, mas a parte introdutória (sem remeter a outros ambientes, eheh) está muito bem conseguida.
Se quiseres perder algum tempo:
http://aconversacomoroberto.blogspot.com/2007/07/ato-ts-mal_1302.html#links

  Teté

segunda-feira, outubro 22, 2007 6:13:00 da tarde

Ah, carago, quisso é que falar à Puorto!

Mas concordo que algumas destas falas já se generalizaram a grande parte do País. Alentejo, Lisboa, Algarve, whatever...

Umas vez atendi uma chamada telefónica em Caminha (estava numa casa particular), começa logo uma gaja: "Atão minha ganda filha da puta, nunca mais disseste nada?" E eu: Anh? Primeiro que a criatura percebesse que se tinha enganado no número ainda ouvi um rol de outros palavrões... E no fim estava eu mais encavacada que ela, que nem deu por nada, como se falar assim com pessoas desconhecidas fosse uma pequena trivialidade...

Enfim, não costumo usar, não critico quem usa, mas acho um péssimo hábito. Tinha um amigo que cada frase que dizia tinha no mínimo um palavrão. E depois a pessoa habituar-se a falar civilizadamente com desconhecidos, ou com pessoas por quem se deve ter algum respeito?

  Crestfallen

segunda-feira, outubro 22, 2007 6:22:00 da tarde

trovador:

Gracias.

  deusaminervae

segunda-feira, outubro 22, 2007 6:26:00 da tarde

Ahahahahahah o que eu ri:D

Mas em Lisboa tb se usa muitas expressões do Porto. Talvez não com o mesmo significado... Porque em Lisboa dizer uma frase completa de palavrões não é tão vulgar como no Porto.

Acho que já faz parte da cultura portuense serem assim tão abertos.

Eu uso muito o: "Caguei e andei" :)

  Crestfallen

segunda-feira, outubro 22, 2007 6:33:00 da tarde

deusaminervae:

Eu até uso o "caguei e andei" em Alemão, o que faz com que toda a gente fique muito séria a olhar para mim, devem ficar à espera de me ver an andar enquanto defeco!

  Maya Gaarder

segunda-feira, outubro 22, 2007 6:43:00 da tarde

Caro Crest, sendo uma gaija do norte, tenho a dizer que realmente o pessoal aqui de cima abusa das caralhadas:) Não creio que o palavrão seja exclusivo do Porto, mas estende-se a quase todas as cidades vizinhas...
Posso garantir que chamar vaca, porca ou puta do caralho a uma amiga é encarado na boa desde que dentro do contexto (depende das amigas claro, falo das minhas!)
Assim como dizer a um amigo seu cabrão do caralho nunca mais me ligaste, também não é ofensivo!
Utilizo muito o palavrão no dia a dia, verbalmente ou na forma escrita, não o encaro como ofensivo, é apenas uma forma de expressão. Claro que o mais importante é medir as distâncias e ter cuidado com as susceptibilidades, quer dizer, nunca poderia dizer ao meu chefe:
Não faço essa merda de relatorio nem que te fodas todo seu caralho!!
Poder até podia, pk ele não fala português, mas a ênfase do palavrão é universal :)

  Amsilva

segunda-feira, outubro 22, 2007 6:52:00 da tarde

eu como descendente directo do Porto, o meu pai era de lá, tenho certas tendencias para falar assim mesmo,procuro não abusar mesmo pela opiniao das pessoas...
mas que lá tudo é mais natural disso ninguem tenha duvidas...

biba o Puerto carago!!!!

  Crestfallen

segunda-feira, outubro 22, 2007 6:54:00 da tarde

Maya Gaarder:

É verdade, já aqui no escritório quando me passo da cabeça saem-me uns comentários em Português. Por aqui já todas sabem dizer "fode-te", pois eu já o disse uma vez ou outra a toda a gente com quem trabalho.

Não sabem o que quer dizer, mas dizem que soa a palavrão... é isso mesmo, é de pronunciar a palavra com sentimento :)

  Crestfallen

segunda-feira, outubro 22, 2007 6:55:00 da tarde

Amsilva:

Então já reparaste que por mais que te controles quando está fora do Porto, ao visitar o Porto saem-te uma carrada de palavrões.

É como que dizer todos os palavrões não ditos enquanto estivemos fora!

  PsYcHo_MiNd

segunda-feira, outubro 22, 2007 6:58:00 da tarde

Mas se for dentro de um determinado grupo de amigos o pessoal ofende-se a torto e a direito, chegasse a sudomizar mães, tias e quem mais vier, mas fora desses grupos não acontece tirando no norte do país, em que de facto há esse modo de falar entre pessoas que não sejam tão próximas.

  Crestfallen

segunda-feira, outubro 22, 2007 7:22:00 da tarde

PsYcHo_MiNd:

é verdade, eu acabadinho de chegar do festival de Vilar de Mouros e de ter confraternizado com o pessoal do norte, chego à minha cidade e um gajo vem-me foder a cabeça, eu ainda influênciado pelo norte disse, "mas este filho da puta deu-lhe para me foder a cabeça". O gajo estece 3 semanas sem me dirigir a palavra, depois infelizmente voltou a falar comigo.

Eu vejo Filho-da-puta como algo pessoal e que o diz não está a pensar na mãe do outro. De facto até acho que é suspeito wuem se ofende com isto, demonstra uma falta de confiança no passado da sua progenitora. Eu sei que é a minha mãe e que ela não é nem foi prostituta, porque raio me tenho de ofender?

  o segredo da lua

segunda-feira, outubro 22, 2007 8:04:00 da tarde

Brilhante!!
Como gaja do Puerto que sou tenho de bater palmas a este post e esperar que sirva pra calar muitas vozes de muita gente que acha que somos uma cambada de mal criados incultos!!

  Borboleta Endiabrada

segunda-feira, outubro 22, 2007 8:18:00 da tarde

Adoro a maneira de falar dos portuenses, a minha terra é assim... sao sinceros, carago!!lol


Beijinhos endiabrados

  Teté

segunda-feira, outubro 22, 2007 8:21:00 da tarde

Não entendi muito bem a tua resposta...

  Foi Bom

segunda-feira, outubro 22, 2007 8:42:00 da tarde

Passei a manhã quase toda ao telefone com o norte, ainda tenho o zumbido do sotaque no ouvido esquerdo...:D

  Ana

segunda-feira, outubro 22, 2007 8:47:00 da tarde

Até me comovi!! lol

Isto porque ao ler o que escreveste ia.me lembrando de um amigo meu do Porto que é exactamente como tu descreveste, não diz uma unica frase que não contenha um palavrão... e é que nem é por mal, aquilo já sai de uma forma automática! E depois o sotaque e o gesticular... é uma comédia!

  Skynet

segunda-feira, outubro 22, 2007 9:32:00 da tarde

Em Vila Real nos jovens já não se nota muito isso dos palavrões, mais os mais velhos é outra história. Tenho uma velha vizinha, que nunca vi nada assim, ela diz palavrões que eu nem sabia existir lol É fantástica.

  blackstar

segunda-feira, outubro 22, 2007 10:07:00 da tarde

No segundo exemplo, convém dizer que o segundo PQP é dito de forma mais lenta que o primeiro: algo como "puta que pariu... pu-ta que pa-riu!" que por vezes alterna com o puta ca pariu!

  inês

segunda-feira, outubro 22, 2007 10:26:00 da tarde

ahahahaha...
se é para te dar esta inspiração que venha outra no próxima sexta! mas no porto não são palavrões, carago...os morcons falam mesmo assim!

**:))))

  Vício

segunda-feira, outubro 22, 2007 10:50:00 da tarde

na minha zona costuma-se usar a expressão és um granda cabrão para definir um gajo cheio de manhas e esperteza e aconselho-te a não dizer isso a um gajo do norte!

  Foi Bom

segunda-feira, outubro 22, 2007 11:01:00 da tarde

Eu, na minha modéstia opinião, acho que devias de escrever um post em relação à forma como o teu nick é pronunciado em português...
Sim, porque todos te "chamam" crest, e não crestfallen...
Crest, em português (pelo menos eu digo assim...:P) pronuncia-se "CRESCE-TE"
E esta ein?

  Francisca Correia

terça-feira, outubro 23, 2007 1:51:00 da manhã

Brilhante! Posso postá-lo no meu blog? Como moradora da cidade sinto-me orgulhosa com a analise! Parabéns!

  Jumpseat

terça-feira, outubro 23, 2007 1:55:00 da manhã

Adorei o texto!!! :) Está muito divertido!!

Eu do Porto lembro-me de sempre q a minha prima não comia, o meu tio elevar a voz e lhe berrar - "Paula Filipa, tu põe-te fina! Dou-te uma q te fodo!" e ainda criança, nunca coloquei a hipótese de aquilo ter algo a ver com sexo! :)

Por outro lado, do Porto, as melhores para mim são o "volta para donde vieste - para a cona da tua mãe!"

E a da estrelinha!!!
Opá!!!
Ouvir alguém dizer no meio do trânsito - "a estrelinha que te guie!!" é hilariante!! Principalmente sabendo que o dito completo é:
"A estrelinha que te guie e o caralhinho que te foda!!" Onde se pode sempre acrescentar - Ó granda filho dá puta!!!

Porto Rules!!! :)

  Shadows in Love

terça-feira, outubro 23, 2007 2:42:00 da manhã

Podes crer este pessoal do norte tem virgulas e pontos fnais diferentes de todo o Portugal... eu sei que quendo vivia em Lisboa não dizia os ditos palavrões... o certo é que agora que vivo cá... elas flueem saiem sem se dar por elas... e tal como dizias não é palavram é cultura popular e quem nas gostar que vá pa puta que os pariu trinta vezes...e mai nadaaa...dassssss

  Anónimo

terça-feira, outubro 23, 2007 2:43:00 da manhã

Ontem também nos mandaste levar no cu e nós não levamos a mal! lololol

  Anaïs

terça-feira, outubro 23, 2007 3:40:00 da manhã

LINDO!
LOLLL


Confesso que adoro a maneira como o pessoal do norte fala. O sotaque, os palavrões, tudo!

Faz parte da nossa cultura!

O teu blog tornou-se já uma passagem obrigatoria :)

beijos

  Schlumpy

terça-feira, outubro 23, 2007 9:38:00 da manhã

Foda-se!!!

Ou como diriam em Lisboa: Interessante!!!

Eu sou de uma aldeola no Minho junto à fronteira com Espanha. Lá as asneiras podiam (e podem) ser ditas quer em português quer em galego, o que torna a coisa ainda mais variada...

Mas eu gosto da utilização que as gentes do norte dão a estes vocábulos, acabando por minimizar o seu significado e impacto

  2 idiotas super hiper ri fixes

terça-feira, outubro 23, 2007 11:40:00 da manhã

Foda-se! Que foda de post!!! LoL

Borboleta Azul

  Francis

terça-feira, outubro 23, 2007 12:33:00 da tarde

fuodasse, eu rio-me muito qunado vou ao porto e ouço os gajos a falar.

aguardo pela parte alentejana.

  Cold_cold_Bitch

terça-feira, outubro 23, 2007 1:29:00 da tarde

L: quem não gostar deste post, que passe à frente
P: Podes mete-lo no cu!

:)

  NiNa

terça-feira, outubro 23, 2007 1:31:00 da tarde

LOl
O mais giro é que os meus avós eram portistas de gema (da zona ribeirinha) e a minha mãe qdo lá ia andava smp a repreendê-los porque "n podia falar assim à frente da criança"...a verdade é que vinha smp com vocabulário novo :D E q saudades...
bjinhs

  Marta

terça-feira, outubro 23, 2007 2:31:00 da tarde

Ontem também nos mandaste levar no cu e nós não levamos a mal! lololol

P.S - Não sei porque é que ontem apareceu anónimo o meu comentario!

  Joana

terça-feira, outubro 23, 2007 2:37:00 da tarde

Eu já me fui habituando, o meu namorado é do norte, e volta não volta também sai umas coisas engraçadas, as vezes não sei se hei-de rir ou ficar zangada!

  Noivo

terça-feira, outubro 23, 2007 2:58:00 da tarde

este tem a ver comigo! nascido e criado no porto! Realmente utilizo bastante os"palavrões" e tal como dizes o sentido não é de escárnio ou insulto. É até carinhoso. pode não ser fácil de entender para quem não está nesta realidade mas é um facto!

  Helluah

terça-feira, outubro 23, 2007 4:10:00 da tarde

nem imaginas o que me fartei de rir. tenho imensos amigos do porto, e uma vez, uma grande amiga veio passar um fim de semana comigo cá a lx e fomos a uma disco. era uma festa especial e o porteiro pediu-nos 30€,a gaja, com sotaque do poerto vira-se e diz: "30euros? mas chupas?"
lool.. tive q a tirar dali o mais rápido possivel até porque ela já estava a dizer" Abocanha-mas!"
lool

  Anónimo

terça-feira, outubro 23, 2007 5:10:00 da tarde

Bou comentar aqui pela primeira vez, cum cuarálho!
É berdade, no Norte faláumos mesmo assinhe à buoca cheia... As caralhadas só ajudam a descontrair... e digam lá se não somos todos uns "curtidos"!:)
E temos o grande vício de cagar para tudo... Uns amigos meus de Lisboa vieram aqui ao Porto e perguntaram uma direcção a um velhote, que os informou: "Bocês seguem por esta abenida, encontram uma rotunda. Cagam na rotunda e seguem sempre, que vão lá ter... Escusado será dizer que eles pensaram que o homem era doido... Cagar numa rotunda?

Carla

  Crestfallen

terça-feira, outubro 23, 2007 5:16:00 da tarde

o segredo da lua:

Quem fala mal, precisa é, de dizer umas caralhadas e seguir em frente :)

  Crestfallen

terça-feira, outubro 23, 2007 5:17:00 da tarde

Borboleta Endiabrada:

Isso é verdade, são sinceros e prestáveis. Em Lisboa se precisas de direcções tratam-te como se tivesses a peste negra. No Porto as pessoas já desviaram do seu caminho para me levar ao local!

  Crestfallen

terça-feira, outubro 23, 2007 5:19:00 da tarde

Teté:

Não entendeste tu nem eu. Pois a minha resposta era o teu comentário. Nan sê o que se passou!

  Crestfallen

terça-feira, outubro 23, 2007 5:20:00 da tarde

Foi Bom:

Ehehe

  Crestfallen

terça-feira, outubro 23, 2007 5:22:00 da tarde

Ana:

O que gostava mesmo era de ver um Alentejano irritado e um tripeiro irritado!

As pessoas quando se irritam ficam com os sotaques mais acentuádos :P

  Crestfallen

terça-feira, outubro 23, 2007 5:23:00 da tarde

Skynet:

"Tenho uma velha vizinha, que nunca vi nada assim, ela diz palavrões que eu nem sabia existir."

Olha começa um dicionário do palavrão, essas coisas vendem muito bem :)

  Crestfallen

terça-feira, outubro 23, 2007 5:25:00 da tarde

blackstar:

É verdade sim senhora, o "Puta que pariu" é por vezes dito separando as sílabas para mostrar ainda mais surpresa!

  Crestfallen

terça-feira, outubro 23, 2007 5:26:00 da tarde

inês:

Isto não pode ser todos os fins-de-semana. Para não me lembrar de metade da noite, masi vale ficar em casa :)

  Crestfallen

terça-feira, outubro 23, 2007 5:27:00 da tarde

Vício:

Na minha zona, dizer "cabrão", tem dois significados, um gajo com sorte ou filho da puta, o que vai dar ao mesmo, porque é dito por um gajo sem sorte!

  Crestfallen

terça-feira, outubro 23, 2007 5:30:00 da tarde

Foi Bom:

O meu nick como é em Inglês deve ser pronunciado na sua forma original. Crest. Se o queres "aPortuguesar", fica Créste!

"CRESCE-TE", aqui colocaste um "c" a mais só para pegar comigo. Mas já te disse que contigo, fico neutro!

  Crestfallen

terça-feira, outubro 23, 2007 5:31:00 da tarde

Francisca Correia:

Com certeza.

  Crestfallen

terça-feira, outubro 23, 2007 5:34:00 da tarde

Jumpseat:

"tu põe-te fina!", sempre gostei deste termo.

"volta para donde vieste - para a cona da tua mãe!", mais do que uma provocação é a constatação de um facto. O regresso às origens.

"A estrelinha que te guie e o caralhinho que te foda!!", esta não conhecia, está genial. É uma mistura da simpatia do nortenho com o seu mau feitio :)

  Crestfallen

terça-feira, outubro 23, 2007 5:36:00 da tarde

Shadows in Love:

Eu só precisava de passar uma tarde no Porto para ficar 3 dias a debafar todos os "puta que pariu" que acumulava durante o ano!

Ir ao Porto é como fazer um tratamente anti-stress!

  Crestfallen

terça-feira, outubro 23, 2007 5:37:00 da tarde

Anónimo:

O que eu ri com este comentário.

Posse ter mandado toda a gente levar no cu, mas pelo que parece, só eu é que gostei, pois ninguém bateu o meu recorde.

  Crestfallen

terça-feira, outubro 23, 2007 5:38:00 da tarde

Anaïs:

No entanto quando ele se passam da cabeça, assusta-me um bocado, pois tenho dificuldade em acompanhar :)

  Crestfallen

terça-feira, outubro 23, 2007 5:39:00 da tarde

Schlumpy:

Concordo. O que me faz pensar como é que eles se ofendem realmente? Tem de haver uma maneira de um tripeiro ofender outro!

  Crestfallen

terça-feira, outubro 23, 2007 5:40:00 da tarde

2 idiotas super hiper ri:

O posto de hoje vai para ti e para a Abelhina :)

  Crestfallen

terça-feira, outubro 23, 2007 5:41:00 da tarde

Francis:

Vem aqui muita malta do norte, alguns dos Açores, mas o Aletejano vai ser sem dúvida o texto mais dificil.

  Crestfallen

terça-feira, outubro 23, 2007 5:42:00 da tarde

Cold_cold_Bitch:

Bem traduzido!

  Crestfallen

terça-feira, outubro 23, 2007 5:43:00 da tarde

NiNa:

Ahaha, e a tua mãe não percebeu que não valia a pena? Que os palavrões escorregam?

  Crestfallen

terça-feira, outubro 23, 2007 5:43:00 da tarde

Marta:

Foi bem observado, mas já te respondi um pouco mais acima!

  Crestfallen

terça-feira, outubro 23, 2007 5:44:00 da tarde

Joana:

Acho que depende das coisas :)

  Crestfallen

terça-feira, outubro 23, 2007 5:46:00 da tarde

Noivo:

Nos meus tempos de faculdade fazia muitos intercâmbios de fins-de-semana, alcoolico-estudantis. No inicio eu nem sabia o que responder, não tinha a certeza se me estavam a ser amigáveis ou não.

  Crestfallen

terça-feira, outubro 23, 2007 5:47:00 da tarde

Helluah:

"30euros? mas chupas?"
Abocanha-mas!"

Lol, isto vindo de uma gaja para um macaco porteiro, deve ter sido hilariante!

  Crestfallen

terça-feira, outubro 23, 2007 5:49:00 da tarde

Anónimo (Carla):

"Bocês seguem por esta abenida, encontram uma rotunda. Cagam na rotunda e seguem sempre, que vão lá ter..."

Ahahah, o que é certo é que no Porto dão-nos indicações, em Lisboa podes morrer no passeio que está-se tudo a cagar!

  miss bradshaw

quarta-feira, outubro 24, 2007 3:47:00 da tarde

LOOOOOL

ahah lindo! e é mesmo verdade quando é impossivel vir do norte sem uma vocabulário mais "rico".
a parte chata....quando tamos numa conversa animada com a nosa mae e soltamos uma "caralhada" daquelas que ate da tosse a senhora! sim porque asneiras toda a gente diz...mas a mae é sagrada =)

  Crestfallen

quarta-feira, outubro 24, 2007 6:44:00 da tarde

miss bradshaw:

Principalmente quando sai um "ó mãe, puta que pariu", aí dá um pouco mais do que tosse na mulher!

  miss bradshaw

quarta-feira, outubro 24, 2007 7:44:00 da tarde

aí é quando eu levo uma sapatada LOL

  Crestfallen

quinta-feira, outubro 25, 2007 11:59:00 da manhã

miss bradshaw:

Sapatada? LOL!

  Anónimo

quinta-feira, julho 12, 2012 7:42:00 da tarde

Os insultos são com as mesmas palavras... tudo depende da nossa entoação. Gestos e face é onde se devem concentrar para perceber se é insulto ou nao! Somos muito expressivos xD

  Anónimo

sábado, outubro 20, 2012 10:31:00 da manhã

O que ofende um tripeiro no palavrão é o ritmo, a forma de a palavra ser dita, e não a palavra em si . :)
Nós sabemos quando o palavrão é dito com maldade !
Temos um ritmo do caralho . hehehe

Parabens pelo post, estiveste quase lá .

  Jose Sanches

quinta-feira, outubro 17, 2013 2:25:00 da tarde

Eu tenho uma modificacao a fazer... na segunda frase comparativa entre o porto e lisboa....

"Puta que pariu home.... puta que pariuuuu"

Assim fica no ponto!

  Jose Sanches

quinta-feira, outubro 17, 2013 2:30:00 da tarde

Perdoem-me a intromissao.... mas eu pretendia só sugerir uma modificacao na segunda frase.... Seria mais ou menos assim: "Puta que pariu home.... que cena do caralho!"

Assim está mais de acordo com aquilo que falamos no porto!

Abracos

  margape

sexta-feira, outubro 18, 2013 5:28:00 da manhã

ESTÁS MUITO ECLÉTICO !!!

  Anónimo

terça-feira, outubro 22, 2013 2:10:00 da manhã

..e acho que quando é para insultar a sério, os palavrões são menos criativos pq é tudo mais a sério e dá pra ver na cara da pessoa se tá fodido ou nao. por ex. "MAS EU TOU A FALAR CONTIIIIIIIGO?! Atão bai-te foder! sai daqui, vai pró caralho!" é uma situação real de stress, mas se for uma cena meio mais ou menos/normal dia-a-dia é mais do género: "oh meu cabrão da piça! tu és burro ou comes merda?". pode parecer pesado na mesma, ou até mais, mas eu e outras pessoas que conheço tendem a ser mais criativas no vocabulário normal (sendo o vocabulário normal também um bocado difícil de definir pq nós tamos smp com os nervinhos à flor da pele pq nao os sabemos meter no cu).
E tendo sido educada num ambiente familiar onde não há estas merdas, foi-me difícil introduzir esta linguagem, mas a verdade é que eu como nervosinha da piça que sou, é-me difícil expressar sem estas coisas; ambiente profissional por exemplo, tenho que pensar antes de falar e msm assim, no final da frase sinto que não fiz justiça à coisa, preciso smp duns caralhos pra cima e foda-ses pra baixo..salvo seja.
Imagino a infelicidade das pessoas que não podem falar assim com os amigos, etc. A sério, experimentem, fica-se mais leve.
não há um dia que não chegue a casa e cumprimente a minha irmã com um "atão baca?"