O Portugalês!


Como já ouviram dizer, quando "se baixa o nível, sobe a audiência". Isto é uma facto que não pode ser negado.

Também num comentário foi referido como o meu blogue tem baixado de qualidade, no entanto isso não significa que tenha baixado de nível.

No início do blogue falava muito em "homem/mulher" mas tanto se fala de algo, que o assunto esgota e temos de achar novos temas. Muitos leitores dessa altura desapareceram, mas novos vieram aqui parar e sei, que por mais que mude de assunto, isso sempre acontecerá!

Ao baixar o nível, falando de "esporra" as audiências sobem assustadoramente, por isso e tal como no passado texto, vou subir o nível da conversa mesmo que as audiências baixem... quem sabe dentro de dias eu não falarei de sexo com anões?
...

O Português é uma língua complicada. Como nascemos no seu seio não damos por ela. Como estudamos Português, desculpamos a sua propositada dificuldade.


Temos um "s" que pode ser "s", como pode precisar da ajuda de outro "s", tornando-se "ss", bem como substituir um "z".

Temos um "c" que tem o mesmo som que o "q" e que por vezes, precisa de uma cedilha, tornando-se "ç".


No latim, a ortografia era fonética, as consoantes tinham um som, sempre o mesmo som, independentemente da vogal que se lhes segue."César" era em Latim "Caesar" e era pronunciado como "Kaisser". O "C" tinha sempre o som como em "Casa". O "S" tinha sempre o som como em "Sapo" e nunca o som com em "casa", o valor de "S" nunca era "Z". "Cicero" pronunciava-se "Kikero" e não "Sissero". O som "Z", não existia em Latim, mas por necessidade de ter esse som, o Latim adoptou do Grego o "Zeta", que se lia como "DZ", um pouco parecido com o "Z" em Alemão, que se lê "TZ".


O latim "roubou" muito ao Grego, pois precisavam de letras para conseguir escrever certos sons. O Grego era uma língua bem mais complexa e completa que o Latim. Outros exemplos de "roubos" do latim ao Grego, geraram o "CH", que ainda hoje é usado em Português e outras línguas como o Alemão, o "PH", usado até à pouco tempo mas largamente substituído pelo "F" em muitas línguas e, também o "TH", usado ainda hoje em diversas línguas como o Inglês.


O som do "CH", não era o "sch" como pronunciamos hoje, era sim o som "K" com um expiração do "H", que é a maneira correcta de o pronunciar.


Em Português o "H", não se lê. Se não se lê, porque raio o usamos? Acabem com o "H" no início das palavras ou comecem a ler essa letra. Agora obrigar a malta a escrever palavras começadas por "H", mas não ler o "H" é ridículo. É vaidade, só para dizer que temos uma língua complicada, mesmo que a complicação não tenha qualquer utilidade prática.


O "H", é lido em Inglês e em Alemão, pelo menos pelos nativos dessas línguas e por aqueles que sabem falar o Inglês correctamente, excluíndo aquela outra língua que é o Inglês de praia.

Como se lê o "H"? Expirando ar, o som do "H" é o som do ar a sair da nossa boca. Por exemplo:


O "Hello" em Inglês e o "Hallo" em Alemão, são pronunciados da mesma forma. Não é falar à maneira Portuguesa dizendo "ello" ou "allo". Mas sim, expirar ar pela boca, antes de pronunciar a primeira vogal. Isto dá um som se um sopro de ar antes da primeira letra. Isso é ler o "H". Era assim que se lia o "CH", o som "K" seguido dessa expiração de ar. O "PH" era ligeiramente diferente, pois o som do "P" era "F", mas o "H", lia-se da mesma forma. Por tanto, "Farmácia" que se escrevia antigamente "Pharmacia", em Latim pronunciava-se "P-harma-kia", lendo-se o "H" como expliquei. O "TH" seguia o mesmo principo, lia-se o "T" seguido do som "H". "Filosofia" em Latim, era pronunciado "P-hilosop-hia".


Para quem estuda e quer falar correctamente o Inglês ou o Alemão, acendam uma vela e coloque a boca ao nível da chama da vela. Agora pronunciem palavras começadas por "H", ao pronunciar o "H", a chama tem de mexer. Já passei muito tempo a falar com velas!


O "Y" também é um roubo do Latim ao Grego, pois a nenhuma outra vogal do Latim poderia ser retirado este som. O "Y" tem o som do "Ü" em Alemão. Para quem não sabe ler o "Ü" e de maneira a saberem qual o som original do "Y", digam a letra "i" continuamente enquanto lentamente fecham a boca, como se estivessem a dar um beijinho ou a chupar numa palhinha. É esse o som do "Ü" e do "Y" em Latim.


Porquê este texto? Sei lá... deu-me na telha!

73 Comentários:

  afectado

segunda-feira, janeiro 21, 2008 1:52:00 da manhã

Fala é de sexo pah!!!

Quanto ao post em si... matem-me mas eu prefiro falar inglês do que português. Acho uma língua muito melhor!

  PsYcHo_MiNd

segunda-feira, janeiro 21, 2008 1:59:00 da manhã

Já me metes-te foi estar para aqui a fazer umas expressões meio estranhas para tentar fazer tais pronuncias. O que gosto de ouvir o tuga a tentar ler palavras em uma qualquer língua estrangeira mas como se fosse 'português'. Parece que o tuguês é mesmo a nossa nova língua!

  Vanadis

segunda-feira, janeiro 21, 2008 2:51:00 da manhã

LLLOOOL, eu tb me puz para aqui a expirar ar enqto dizia hello e hallo, lololol, ;-).

Eu sei porque escreveste este poste: veio no seguimento do anterior (desacordo ortografico), onde, nos comentários, falaste do PH (já tinha escrito pH que na minha lingua de cientês é mesmo o pêagá, ou operador p sobre a concentração hidrogeniónica de uma solução aquosa - só p ver se ainda te lembras LOOL).

  Crestfallen

segunda-feira, janeiro 21, 2008 3:12:00 da manhã

afectado:

"Fala é de sexo pah!!!"

Quem muito fala pouco acerta. Lá voltarei :P

"Quanto ao post em si... matem-me mas eu prefiro falar inglês do que português. Acho uma língua muito melhor!"

Eu diria diferente, mais fácil aparentemente, mas se fores ler James Joyce, vês um Inglês no seu expoente máximo e a maioria dos estrangeiros e mesmo muitos Ingleses não percebem o que o homem escrevia :P

  Crestfallen

segunda-feira, janeiro 21, 2008 3:13:00 da manhã

PsYcHo_MiNd:

"O que gosto de ouvir o tuga a tentar ler palavras em uma qualquer língua estrangeira mas como se fosse 'português'. Parece que o tuguês é mesmo a nossa nova língua!"

Eu ouço um Português a falar Inglês ou Alemão e indentifico-o logo :P

  Crestfallen

segunda-feira, janeiro 21, 2008 3:16:00 da manhã

Vanadis:

"LLLOOOL, eu tb me puz para aqui a expirar ar enqto dizia hello e hallo, lololol, ;-)."

Acho que ele se refere a tentar pronunciar o "ü", isso sim fazemos figuras de parvo... eu lembro-me quando tentava prnunciar palavras com essas letras :P

"ou operador p sobre a concentração hidrogeniónica de uma solução aquosa - só p ver se ainda te lembras LOOL)."

Sempre achei a Química a minha salvadora, era graças a ela que eu tinha positiva a Fisico-Quimica. Num trimestre de Química salvava as péssimas notas de Física. Por isso quando chegou altura de optar por uma, agarrei-me à Quimica com todo o carinho :P

  Vanadis

segunda-feira, janeiro 21, 2008 4:20:00 da manhã

LOOL, pois, tb prefiro quimica a fisica, mil vezes, mas por acaso safa-me melhor a fisica, que era só aplicar formulas...depois foi-se o feeling e de repente já não sabia fisica nenhuma....só qd é preciso, e agora chamamos-lhe biofisica ou quimica fisica.

  Crestfallen

segunda-feira, janeiro 21, 2008 4:37:00 da manhã

Vanadis:

"e agora chamamos-lhe biofisica ou quimica fisica."

Ainda bem que sou dos tempos antigos, pois Quimica-Fisica pressupõe dar Quimica e depois Fisica e lá se iam as minhas notas :). Sempre gostei de Quimica a subir a minha média :P, pois felizmente os professores têm memória curta e esqueciam o desastre dos meus testes de fisica :)

  Allie

segunda-feira, janeiro 21, 2008 10:58:00 da manhã

Fixe para ti!

  ines

segunda-feira, janeiro 21, 2008 11:36:00 da manhã

A inspiração "geral" a nivel de blogs, ainda anda por 2007, será?

**:)))

  martagarcia

segunda-feira, janeiro 21, 2008 11:56:00 da manhã

O português não é pragmático nem gosta de economizar. Muito menos na língua.

Tenho de concordar com a questão do "h", chamado mudo. Deveria de facto desaparecer da escrita, não o dizemos. Não precisamos dele.

Contudo, em relação ao "s", ao "c" e ao "z". Estes podem assumir, foneticamente muitos sons. Devo chamar à atenção para vários factores que levam a que isto aconteça, por exemplo as pronúncias regionais, as combinações fonéticas das palavras (os sons que os precedem e os que os antecedem), a rapidez do discurso, entre outros (e não estou a desculpar o facto do português ser complicado).

Devemos valorizar a riqueza semântica do português assim como a sua abrangência fonética. Ainda assim, devemos questionar se há ou não alterações que a nossa língua deve sofrer.

Em relação ao que dizes do alemão e do inglês em termos fonéticos o inglês também nos atraiçoa (a titulo de exemplo, "i" com valor de "ai", "a" que se lê "ei"). Já no alemão escreve-se o que se lê, mesmo nas palavras gigantescas que tem.

BTW: Podes continuar com estes temas. (Vamos deixar o sexo para as questões práticas e menos para as teóricas!)

  Mamie2

segunda-feira, janeiro 21, 2008 11:59:00 da manhã

Mas estás preocupado com as audiências?

Afinal qual é o objectivo do teu blog?

By the way - gostei da aula! :P

  Foi Bom

segunda-feira, janeiro 21, 2008 12:14:00 da tarde

Mas tu achas mesmo que alguem leu este post do principio ao fim?????????????? E o que e' que entendes de anoes para ires falar neles? :P

  Physalia physalis

segunda-feira, janeiro 21, 2008 12:28:00 da tarde

Pronto. Já vou comentar de novo! Estragas-me os planos de não comentar blogs que leio. FDX NÃO ACABEM COM O "H"!!!! Depois como raio é que vão dizer o meu nome????? Caneco, 'tás com ideias um tanto ou quanto estranhas. E aos que estão de acordo com a morte à oitava letra do alfabeto: depois como é vão dizer "olha"???? Passa a ser "ola"?...digamos que fica esquisito não?? Bah, o teu problema volta ao mesmo: o português é uma grande língua! ;) a propósito, ando com teorias em que o português é a língua mais básica que existe, ou seja é quase a descendência directa das línguas mais antigas (como o latim ou o grego), senão vejamos: somos os únicos que conseguimos falar o resto das línguas sem pronúncia (sem contar com os labregos que existem por aí que não conseguem falar sem pronúncia, como por exemplo o caríssimo "Soquetes".........mas esse não conta...nem licenciado é...ahahahah...ups...). Que achas?

  Pax

segunda-feira, janeiro 21, 2008 12:43:00 da tarde

Não achas que apesar de, aparentemente, não se pronunciar o "H", ele faz falta?
Por exemplo: se escrevermos «oje», vai ser mais «óje» que «ôje» e «omen» vai precisar de acento no "o" para ser lido de igual modo.
Apesar de o "H" ser "mudo", não é "surdo-mudo" e pode modificar (nuns casos mais visivelmente que noutros) a acentuação da letra que o segue.
Se retirar "agás" e, por tal, ter de acrescentar "acentos", for considerado "simplificar", aceito; não será por aí que perderemos a nossa "identidade linguística"... mas não vejo grande vantagem, portanto, voto NÂO.

Voto SIM para que, ocasionalmente, te dê uma "telha" destas!
:)

  Sónia Miranda

segunda-feira, janeiro 21, 2008 1:11:00 da tarde

Dá-lhe pá chapa, Crest (como se diz na minha terra).. às tantas já me tinha perdido... Qd me encontrar novamente comento o post como deve ser...

  martagarcia

segunda-feira, janeiro 21, 2008 1:29:00 da tarde

Physalia Physalis:

O "h" em olha não é mudo, é graças à sua combinação com o "l" que temos som "lh". Tirar daí o "h" é acabar com o som, tal como seria com o "ch" e com o "nh". Eu referia-me ao "h" no início das palavras, tal como o Crestfallen.

Também devo discordar quando dizes que o português é uma língua básica e, por isso, "somos os únicos que conseguimos falar o resto das línguas sem pronúncia". Nós conseguimos fazê-lo precisamente por não ser uma língua básica, uma vez que é uma das línguas foneticamente mais abrangente. Temos mais sons do que o espanhol, do que o inglês ou mesmo o francês. Daí a facilidade.

Quanto à descendência mais directa do latim, apesar de parecer verdade, não é bem assim. Muito do que permanece do latim na nossa língua não chegou por via escrita (por esta via, de um modo intensivo, aconteceu muito mais tarde, pela altura no renascimento), mas sim oral. Já vinha com alterações, vinha falado por militares não muito instruidos e por vezes nem sequer eram romanos. Por este motivo temos palavras como adro e átrio, cuja origem é a mesma: atriu, e nem sempre são sinónimos. Ou olho e óculo, que originam de oculu (que significava olho).


Pax:

A questão que abordas em relação ao hoje, parece-me estar relacionada mais com sotaque do que outra coisa. Não vejo qual a diferença em termos de som ter ou não ter o "h".
Acredito mesmo que isso ia depender do sotaque. Uma das palavras com que posso exemplificar o que tu dizes é com a palavra dona. Eu digo: "dôna Ana" mas tenho colegas minhotos que dizem "dóna Ana".

Crestfallen:

perdoa-me estar a responder às tuas visitas. ;)

  Anónimo

segunda-feira, janeiro 21, 2008 1:31:00 da tarde

Sabes o que me irrita solenemente com este pretenso acordo? É que estão a tratar a língua portuguesa como se estivessem a fazer um estufado de língua de vaca com ervilhas!
Ignoram-se as mais elementares regras da língua portuguesa e vamos em conversas de facilitismo que em nada nos dignificam!
Carla

  Crestfallen

segunda-feira, janeiro 21, 2008 2:06:00 da tarde

Allie:

LOL.

  Crestfallen

segunda-feira, janeiro 21, 2008 2:07:00 da tarde

ines:

"A inspiração "geral" a nivel de blogs, ainda anda por 2007, será?"

Por acaso no texto anterior era sobre 2011 e este vem na sequência desse!

  Erotic Spirit

segunda-feira, janeiro 21, 2008 2:11:00 da tarde

Hello!
lol... interesting theme, and something I like to stay away from. My portuguese has known better days... my vocabulary has become very limited.
My daughter is fascinated by the language and we have put her in Portuguese classes recently and she did have the same question... why an H if it is not sounded? In the US the Hs are sounded and are a headache to learn for novices to the language. To this day I have issues the word Three eh eh it always comes out tree and on bad... very bad days beach and bitch ...eh eh believe me a confusion that has lead to very hilarious conversation.

:)

  Crestfallen

segunda-feira, janeiro 21, 2008 2:14:00 da tarde

martagarcia:

"Contudo, em relação ao "s", ao "c" e ao "z". Estes podem assumir, foneticamente muitos sons. Devo chamar à atenção para vários factores que levam a que isto aconteça, por exemplo as pronúncias regionais"

Na verdade isso não justifica a complicação. Acredito que quando meio mundo falava Latim, havia imensos sotaques regionais e no entanto a língua era una!

"Em relação ao que dizes do alemão e do inglês em termos fonéticos o inglês também nos atraiçoa (a titulo de exemplo, "i" com valor de "ai", "a" que se lê "ei"). Já no alemão escreve-se o que se lê, mesmo nas palavras gigantescas que tem."

Mas quando dizes o abc em Inglês dizes mesmo "ei, bi, ci, di, i, ef, gi, aitch, ai". No entanto em Português dizes "á, bê, cê", quando o "c" pode ter o valor de "q". O Alemão não assim tão claro, por exemplo a letra "e" seguida da "u" lê-se "oi", onde "Euro" diz-se "Oirro" e "neu" lê-se "Noi".

  Crestfallen

segunda-feira, janeiro 21, 2008 2:14:00 da tarde

Mamie2:

"Mas estás preocupado com as audiências?"

Tal como referi no texto, se estivesse preocupado, teria escrito sobre sexo!

  Crestfallen

segunda-feira, janeiro 21, 2008 2:15:00 da tarde

Foi Bom:

"Mas tu achas mesmo que alguem leu este post do principio ao fim??????????????"

Tenho a certeza que sim!

"E o que e' que entendes de anoes para ires falar neles? :P"

É preciso entender?

  Crestfallen

segunda-feira, janeiro 21, 2008 2:24:00 da tarde

Physalia physalis:

"FDX NÃO ACABEM COM O "H"!!!! Depois como raio é que vão dizer o meu nome?"

Não me ocorre de momento 1 único nome que necessite do "H", se este se encontrar no inicio do nome.

Eu não falo em abolir a letra, falo em retirá-la de onde ela não é precisa.

"depois como é vão dizer "olha"???? Passa a ser "ola"?"

O mesmo foi claro nesse campo, eliminar o "h", onde ele não é lido, na verdade em "LH, CH e TH" ele é necessário, pois o "H" define um som novo e lógicamente que aqui ele é necessário.

"a propósito, ando com teorias em que o português é a língua mais básica que existe, ou seja é quase a descendência directa das línguas mais antigas (como o latim ou o grego), senão vejamos: somos os únicos que conseguimos falar o resto das línguas sem pronúncia"

Na verdade é o oposto. O que facilita um Português de aprender línguas é a sua riqueza vocabular que lhe permite aprender os sons de uma outra língua. Na verdade a maioria dos Portugueses têm um sotaque característico ao falar uma língua estrangeira, mas é um sotaque. Ao passo que os Espanhóis e Franceses falam línguas estrangeira sem respeito à fonética da língua.

Quanto á descedência directa do Latim, isso é um pressuposto errado. O Latim era uma língua fácil e o Italiano bem como o Espanhol e o Romeno, são as 3 línguas que descendem directamente e que são Latim "simplificado".

Na verdade o Português e o Francês são as duas línguas que mais se distânciaram do Latim. O Francês por influências Saxónicas e Gálicas e o Português que optou por derivar do Latim indo buscar toda a sua complicação e regras ao Grego.

  Crestfallen

segunda-feira, janeiro 21, 2008 2:33:00 da tarde

Pax:

"Por exemplo: se escrevermos «oje», vai ser mais «óje» que «ôje»"

Não acho. Por exemplo a palavra "ontem" não tem "h" nem acento e o som do "o" é igual ao som do "o" em "hoje".

"«omen» vai precisar de acento no "o" para ser lido de igual modo."

A palavra "omen" é usada em diversas línguas e só leva "h" em Português. Lá porque o nosso abc é estupido ao ponto de dizer que o "o" se lê "ó" na verdade ele também se lê sem acentuação "o" ou mesmo como "u". Se colocar-mos acento ficaria "ó men, que cena" e na verdade é mais o som "ömen".

"Se retirar "agás" e, por tal, ter de acrescentar "acentos""

A retirada de um "h" não implica colocar acento! Lá por muita gente dizer "Ótel, Óspital" isto é uma pronuncia incorrecta. Há quem diga "órácio", na verdade o som do "o" depois do "h", está mais perto do "ô" do que do "ó".

A acentuação da letre que precede o "h" é um vicio de linguagem e não é a pronuncia correcta. "Hoje" nunca ficaria "óje" , pois não se dá qualquer acentuação ao "o".

  Crestfallen

segunda-feira, janeiro 21, 2008 2:34:00 da tarde

Sónia Miranda:

"Qd me encontrar novamente comento o post como deve ser..."

Se eu te vir, aviso-te!

  Ana Reis

segunda-feira, janeiro 21, 2008 2:37:00 da tarde

Bom dia!!!
Que rica aula de linguística,sim sr!!!E também deu para viajar no tempo até aos anfiteatros a abarrotar de gente nas aulas de latim da faculdade...:)
Chamem-me nostálgica,saudosista ou avessa ás mudanças:eu cá não gosto nada de simplificações e alterações na nossa lingua!!!
Gosto que o português seja uma lingua complicada,acessível apenas a alguns,aqueles que verdadeiramente querem aprende-la!(portugueses incluidos:)).
As inúmeras combinações de letras,sons e significados que a nossa lingua tem são fabulosas!A lingua portuguesa é muito traiçoeira...e depois?Para quê mudar isso???
Gosto dos jogos de palavras,das inúmeras conjugações verbais,os "h" desnecessários ,enfim,gosto da nossa lingua!!!
Abreviações nas sms,apontamentos,msn,aceito e recomendo!!!
Mas alterar a forma correcta de escrever Português,não obrigada!!!

Beijos e Keijos!!(gosto do queijo com k,e depois?Há quem goste dele com marmelada...:) )

  Crestfallen

segunda-feira, janeiro 21, 2008 2:39:00 da tarde

martagarcia:

"uma vez que é uma das línguas foneticamente mais abrangente."

Concordo.

"A questão que abordas em relação ao hoje, parece-me estar relacionada mais com sotaque do que outra coisa. Não vejo qual a diferença em termos de som ter ou não ter o "h"."

Regionalismo ou vicio de linguagem. Por exemplo noto em Lisboa vicios de linguagem, má pronuncia de palavras e não é necessáriamente um regionalismo.

"Acredito mesmo que isso ia depender do sotaque. Uma das palavras com que posso exemplificar o que tu dizes é com a palavra dona. Eu digo: "dôna Ana" mas tenho colegas minhotos que dizem "dóna Ana"."

Exactamente tal como eu digo "amanhã" e se escreve "amanhã" e no Alentejo se pronuncia "amanhen" no entanto escrevem da mesma forma que eu.


"perdoa-me estar a responder às tuas visitas. ;)"

O texto é para ser discutido, com quem o quer discutir.

  Crestfallen

segunda-feira, janeiro 21, 2008 2:41:00 da tarde

Anónimo (Carla):

"Ignoram-se as mais elementares regras da língua portuguesa e vamos em conversas de facilitismo que em nada nos dignificam!"

A ausência do "h" onde ele não é lido, seria uma evolução lógica, pois na verdade as palavras têm "h" sem motivo em particular.

  Crestfallen

segunda-feira, janeiro 21, 2008 2:45:00 da tarde

Erotic Spirit:

"To this day I have issues the word Three eh eh it always comes out tree and on bad... very bad days beach and bitch ...eh eh believe me a confusion that has lead to very hilarious conversation."

The sound "TH" is problem for many Portuguese, i find it funny when some Portuguese with this problem tries to say "mouth" and it comes out "mouse".

In beach and bitch the problem is bigger since people don´t know that the "i" is said fast and the "ea" is longer. Another problem is that sometimes Americans in moovies say "Beatch" (mainly black people) when they mean "bitch".

  Ana Reis

segunda-feira, janeiro 21, 2008 2:49:00 da tarde

Oube lá ,ó Crest,num tou a perceber carago!!!A falar de bícios de linguagem e o cara***,tu que já ercrebeste postes a falar da bonita diferença de linguajar dos portugas bens agora falar em bícios???
Cada terra cum seu uso,cada roca cum seu fuso carago!!!!:)
Aixo muito benhe que se cuntinue a escreber cumo debe ser e náõ como se fala carago!!!Senáõ dá uma cunfusão do carago!!!
Aixo que debemos escreber todos iguale e faláre cumu falámus,meu.
Assim é que é benhe!!!:)

  Crestfallen

segunda-feira, janeiro 21, 2008 2:49:00 da tarde

Ana Reis:

"Gosto que o português seja uma lingua complicada,acessível apenas a alguns,aqueles que verdadeiramente querem aprende-la!"

No entanto é largamente falada. Aqui na Alemanha, fazer comentários em Português não é seguro, pois imensos Alemães sabem falar e percebem Português, a maioria aprendeu em casa, com livros bem como nas sua férias em PT. Falar Português é mais fácil do que aquilo que os Portugueses pensam. Mas na verdade eles têm imensos problemas de pronuncia, mas lá que falam, falam!

"Abreviações nas sms,apontamentos,msn,aceito e recomendo!!!"

Excepto a mania irritante de colocar "X" em tudo quanto é palavra, parece que o Português de sms foi inventado em Viseu!


"gosto do queijo com k,e depois?Há quem goste dele com marmelada...:)"

Eu gosto com vinho do porto velho!

  Crestfallen

segunda-feira, janeiro 21, 2008 2:53:00 da tarde

Ana Reis:

"tu que já ercrebeste postes a falar da bonita diferença de linguajar dos portugas bens agora falar em bícios???"

Atenção que os regionalismos não são vicios de línguagem. Um sotaque é um sotaque, aceito-os e gosto deles, mas um vicio de línguagem é um erro, é uma má pronuncia de uma palavra que passa de geração em geração e nada tem a ver com o sotaque.

Não existe um sotaque em que se use a palavra "Guverno", isto é um vicio de línguagem e um erro. O "o" tem um som mais perto do "u" do que do "ó" mas não se pronuncia tão acentuadadente como o "u".

  Ana Reis

segunda-feira, janeiro 21, 2008 2:57:00 da tarde

Eu sei carago,taba na brica cuntigo!
Se há coisa que eu gosto é de te oubir falare!!!:)

  Ana Reis

segunda-feira, janeiro 21, 2008 2:58:00 da tarde

*na brinca,fáxabore de desculpar,sinhe?:)

  Crestfallen

segunda-feira, janeiro 21, 2008 3:21:00 da tarde

Ana Reis.

"Se há coisa que eu gosto é de te oubir falare!!!:)"

Tu ouves-me? Isso é que são poderes :)

  SílviA

segunda-feira, janeiro 21, 2008 3:31:00 da tarde

Eu li do principio ao fim e gostei...de rever algumas coisas... Ai a fonetica, deu-me bem cabo da cabeça. Também só aprendi e percebi o que era o português quando estudei latim a sério.

Alemão, de todas as que estudei é a que tenho mais dificuldades, apesar de ter declinaçõs como o Latim. Mas adoro a lingua falada.

Bem, eu se não fosse Educadora estava agora no desemprego com uma licenciatura em linguas.lol.

  Crestfallen

segunda-feira, janeiro 21, 2008 3:44:00 da tarde

SílviA:

"Alemão, de todas as que estudei é a que tenho mais dificuldades, apesar de ter declinaçõs como o Latim. Mas adoro a lingua falada."

É uma língua complicada, mas muitos dos próprios Alemães não sabem declinar :P

"Bem, eu se não fosse Educadora estava agora no desemprego com uma licenciatura em linguas.lol."

Esse é o principal problema de quem se licencia em letras, mesmo que siga a vertente de tradução.

  Physalia physalis

segunda-feira, janeiro 21, 2008 3:53:00 da tarde

Ui fiquei esclarecidíssima! O interessante é que eu não me encaixo na maioria dos Portugueses...agora fiquei chateada. Consigo perfeitamente falar inglês, espanhol, francês e já me ensinaram palavras alemãs e holandesas e não tinha sotaque...sou uma parva. Mas já agora acrescento que sem o H o meu nome não era a mesma coisa. Mas sem falar em nomes...como é que ia ser com o verbo Haver? Deixa-me cá ver: "Á muitos anos atrás aviam barcos à vela agora á a motor também"...bem que frase mais estúpida (não estou inspirada). Bom no entanto gostei de saber esse pormenor da língua portuguesa! Merci ;)

  Crestfallen

segunda-feira, janeiro 21, 2008 4:00:00 da tarde

Physalia physalis:

"como é que ia ser com o verbo Haver? Deixa-me cá ver: "Á muitos anos atrás aviam barcos à vela agora á a motor também"..."


Ora aqui está um tema que é bastante discutido pelos "puristas".

Quando nos referimos a tempo, usa-se o verbo "haver" mas em muitos casos esse uso não tem lógica. Aqui dou 2 exemplos:

"Há dias em que mais vale não sair de casa"
"Há dias saí de casa e estava a chover"

Na primeira frase eu quero dizer que "EXISTEM dias". Ora se existem dias, deve-se usar o verbo "haver" que no presente do indicativo é "há".

Na segunda frase eu quero dizer que NO PASSADO eu saí de casa. Ora se falo no passado não tem lógica eu usar o verbo "haver" no presente do indicativo.

Por isso alguns puristas dizem que se deveria escrever "À dias saí de casa". No entanto a gramática Portuguesa não prevê qualquer distinção.

  Crestfallen

segunda-feira, janeiro 21, 2008 4:07:00 da tarde

Como nota adicional escrevi sobre o verbo "Haver" no seguinte texto:

http://so-me-apetece-cobrir.blogspot.com/2007/09/haver.html

Este texto é um opinião pessoal e não uma proposta de alteração seja do que for!

  Marta

segunda-feira, janeiro 21, 2008 4:11:00 da tarde

Para mim estás no teu melhor quando nos contas os filmes que viste durante o fim de semana, com o homem areia e as ovelhas assassinas e mais não si o quê!

:)

  Crestfallen

segunda-feira, janeiro 21, 2008 4:14:00 da tarde

Marta:

Os filmes andam tão maus, que não tenho visto nada de novo :P

  Vanadis

segunda-feira, janeiro 21, 2008 4:47:00 da tarde

não. Hs ficam. Porque eu digo. E mainada. :-p

  Anónimo

segunda-feira, janeiro 21, 2008 5:22:00 da tarde

Com o "h" mudi até posso concordar, embora não me consiga imaginar a escrever umido, oje, ora (já agora qual delas?). Só para escrever estas palavras tive que estar a olhar para ver se faziam sentido... assim a escrita deixa de ser instintiva. Mas o meu comentário se calhar aplicava-se mais ao teu post anterior.
carla

  tavguinu

segunda-feira, janeiro 21, 2008 5:57:00 da tarde

bastante interessante sim senhor, não é que ligue muito a isto da língua tirando uns linguados, uma língua de vaca e uns chochos, mas gostei :-) Parabéns !

  Ana

segunda-feira, janeiro 21, 2008 7:35:00 da tarde

Boa aulinha, sim senhor!

Esse teste da vela também serve para, quem canta, saber quando desafina. Se a chama tremer, a voz está desafinada.

  Zaka

segunda-feira, janeiro 21, 2008 11:49:00 da tarde

Fod'se... haja pachôrra!
Mas tu tás feito um verdadeiro senhor professor da língua! :D

  Crestfallen

terça-feira, janeiro 22, 2008 12:33:00 da manhã

Vanadis:

"não. Hs ficam. Porque eu digo. E mainada. :-p"

Mas tu já mandas? Aqui o tirano sou eu!!!

  Crestfallen

terça-feira, janeiro 22, 2008 12:35:00 da manhã

Anónimo (Carla):

"Com o "h" mudi até posso concordar, embora não me consiga imaginar a escrever umido, oje, ora (já agora qual delas?)."

Húmido não fica mais seco por perder o "h", no entanto hora matem o "h" pois é o que distingue "ora" de "hora".

  Crestfallen

terça-feira, janeiro 22, 2008 12:36:00 da manhã

tavguinu:

"tirando uns linguados, uma língua de vaca e uns chochos, mas gostei :-)"

Língua de vaca... depende da vaca!

  Crestfallen

terça-feira, janeiro 22, 2008 12:37:00 da manhã

Ana:

"Esse teste da vela também serve para, quem canta, saber quando desafina. Se a chama tremer, a voz está desafinada."

Eu quando começo a cantar apagam-se todas a velas da casa, as velas dos vizinhos e até as luzes se apagam... é bom sinal?

  Crestfallen

terça-feira, janeiro 22, 2008 12:38:00 da manhã

Zaka:

"Fod'se... haja pachôrra!
Mas tu tás feito um verdadeiro senhor professor da língua! :D"

Já me disseram que sou bom de língua!

  Ana

terça-feira, janeiro 22, 2008 12:55:00 da manhã

LOL

Pois, não é bom sinal não... mas também tens assim tanto fôlego, homem?

  ZumZumMataMoscas

terça-feira, janeiro 22, 2008 1:20:00 da manhã

Eu sou contra todas estas alterações ao português.

Sou contra esta normalização, não porque defenda a pureza do português ou recuse as evoluções propostas pelos restantes paises, com o Brasil à cabeça. Não, nada disso. Caguei nessa merda toda e as minhas causas não são tão altruístas.

Sou contra o acordo por preguiça. Pura e simples preguiça, mais nada.

À minha idade, já não me apetece alterar os meus habitos (com h repararam!?) de escrita e aprender novas regras.
Se, após tantos anos, eu nunca consegui aprender um português que me orgulhasse, então imaginem que agora vêm estes apanhados da carola e querem "retocar" as regras ortográficas.
Nem pensar, já estou muito velho para voltar a aprender a escrever o meu idioma nativo.

Atrevia-me a aprender outro idioma por curiosidade natural (Sueco, Alemão, Mandarim), mas não volto a aprender o que já sei.

E digo mais, ABAICHO O ACORDO ORTOGRAPHICO.

http://zumzummatamoscas.blogspot.com/

  Vanadis

terça-feira, janeiro 22, 2008 1:25:00 da manhã

Pois, mas a morena frita sou eu e toda a gente neste blog sabe que as morenas fritas é que mandam. E mai nada!

;-)

  Crestfallen

terça-feira, janeiro 22, 2008 1:33:00 da manhã

Ana:

"Pois, não é bom sinal não..."

Bem me parecia... e eu que pensava que tinha uma bela voz. Agora sei o motivo pelo qual o vizinhos gritam e batem na parede quando canto no choveiro!

  Crestfallen

terça-feira, janeiro 22, 2008 1:37:00 da manhã

ZumZumMataMoscas:

"então imaginem que agora vêm estes apanhados da carola e querem "retocar" as regras ortográficas."

Não é retocar é passar para o papel a evolução já tomada pela língua. Foram precisas décadas para que as Gramáticas tivessem a palavra Portugal em vez de Portvgal. O mesmo se passa com inúmeras outras, hoje em dia. O Português que falamos não respeita a gramática, portanto e visto que os Portugueses não a querem respeitar, a solução é actualizar as gramáticas ao Português corrente.

Se não os podes vencer, junta-te a eles!

  Crestfallen

terça-feira, janeiro 22, 2008 1:38:00 da manhã

Vanadis:

"Pois, mas a morena frita sou eu e toda a gente neste blog sabe que as morenas fritas é que mandam. E mai nada!"

Quem disse essa barbaridade, a autoridade é de facto morena, mas é gajo, frito ou não. Eu!!

MAINADA :)

  Vanadis

terça-feira, janeiro 22, 2008 2:11:00 da manhã

Toda a gente sabe que por trás de um grande homem tá sempre uma grande mulher. :-p portanto, ipso facto: mainada!

  Crestfallen

terça-feira, janeiro 22, 2008 4:03:00 da manhã

Vanadis:

"Toda a gente sabe que por trás de um grande homem tá sempre uma grande mulher."

Olha que há muito homem com um grande homem por trás... isso acho que é moda!

  martagarcia

terça-feira, janeiro 22, 2008 5:40:00 da tarde

Crestfallen:

""Acredito mesmo que isso ia depender do sotaque. Uma das palavras com que posso exemplificar o que tu dizes é com a palavra dona. Eu digo: "dôna Ana" mas tenho colegas minhotos que dizem "dóna Ana"."

Exactamente tal como eu digo "amanhã" e se escreve "amanhã" e no Alentejo se pronuncia "amanhen" no entanto escrevem da mesma forma que eu."

Quando eu disse aquilo, não queria dizer que a palavra deveria ser acentuada dependendo dos sotaques. Queria dizer que o facto de algumas pessoas lerem/dizerem de certa forma não justifica a utilização de uma acentuação.

  martagarcia

terça-feira, janeiro 22, 2008 7:26:00 da tarde

"Olha que há muito homem com um grande homem por trás... isso acho que é moda!"

Moda nada! É fashion! ;)

  Crestfallen

quarta-feira, janeiro 23, 2008 12:12:00 da manhã

martagarcia:

"Moda nada! É fashion! ;)"

Fashion para mim, só a fashion tv quando estou com os copos e aborrecido!

  Ana

quarta-feira, janeiro 23, 2008 12:14:00 da manhã

Quanto ao sopro da chama da vela... Os meus professores de alemão dizem-me para usar a técnica da folha de papel (depois de soprar, ela tem de curvar). Mas que é difícil para um português pronunciar uma letra que sempre foi "muda" para ele, é! Sendo o português a minha Língua Mãe, é facílimo para mim pronunciar quase todos os sons da Língua Alemã. Do grupo da minha aula, ninguém me bate: sejam Polacos, Indonésios, espanhóis, russos, chineses... Mas o H... E os meus professores já sabem! Mas eu esforço-me, e realmente após alguns treinos, lá sai! Foram 6 meses de aprendizagem de uma língua da qual nada sabia. E aprender Línguas não é mesmo comigo (dêem-me números, p.f.!). Estou também a viver em Hamburgo, e descubri este blog quando fiz uma pesquisa sobre "Portugueses em Hamburgo". :D Gostei da descrição do "Emigra Pobre " e do "Emigra Rico"... (e não é que encaixaste bem a "coisa"?). Desde o dia em que aqui cheguei, a Hamburgo, tenho tentado encontrar respostas para alguns insucessos e frustrações que fazem com que Portugal continue, em geral, na cauda da Europa. Após algumas idas ao Consulado Português, encontrei algumas... :D Alguém tem ideias?

  martagarcia

quarta-feira, janeiro 23, 2008 1:00:00 da manhã

Crestfallen:

"Fashion para mim, só a fashion tv quando estou com os copos e aborrecido!"

Com os copos e aborrecido? Se te aborreces com os copos algo está mal. Ou estás a ir aos sitios errados ou bebeste demais... eheh.

Olha que... a fashion tv às vezes tem umas coisas interessantes. Principalmente na lingerie.

  Crestfallen

quarta-feira, janeiro 23, 2008 1:23:00 da manhã

Ana:

"Quanto ao sopro da chama da vela... Os meus professores de alemão dizem-me para usar a técnica da folha de papel"

É uma opção, eu é que gosto de velas e tenho sempre várias acesas em casa, assim posso falar com elas :)

"pronunciar quase todos os sons da Língua Alemã."

Quase, pois o "ü", "ö" é lixado e também há diversos sons e só uma maneira de escrever. Por exemplo: "Welche Sprache sprichst du?". O "ch" de "welche" é muito dificil de pronunciar correctamente e tem um som diferente do "ch" de "Sprache" e de "sprichst". Para "welche" a língua é colocada numa posição que não existe em Português.

"Do grupo da minha aula, ninguém me bate: sejam Polacos, Indonésios, espanhóis, russos, chineses..."

A concorrência também é do pior para aprender Alemão :)

"Estou também a viver em Hamburgo, e descubri este blog quando fiz uma pesquisa sobre "Portugueses em Hamburgo". :D Gostei da descrição do "Emigra Pobre " e do "Emigra Rico"... (e não é que encaixaste bem a "coisa"?)"

LOL, eu já conheço bem as peças, conheço os ricos e vejo os pobres por aí, pois a vida deles é casa-trabalho trabalho-casa, poupar, poupar, poupar para deixar herança aos filhos!

"Após algumas idas ao Consulado Português, encontrei algumas... :D Alguém tem ideias?"

Ao Consulado? LOOOOOLLL um dos locais onde se fala pior Português. De facto há lá uma senhora de quem sou muito amigo, que fala correctamente, de resto são campónios que dizem "pindurar", "mintira" e merdas do género!

  Crestfallen

quarta-feira, janeiro 23, 2008 1:25:00 da manhã

martagarcia:

Por vezes em casa, espremo umas laranjas, depois de ter o sumo sento-me a ler um livro. Mas o sumo de laranja até "grita" por um pouco de vodka e quanto pior o livro mais vodka coloco na esperança de melhorar a qualidade da literatura... quando dou por ela desisto do livro e fico a ver fashion tv!

  martagarcia

quarta-feira, janeiro 23, 2008 1:27:00 da manhã

Crestfallen:

Não faças com laranja.. experimenta limão. Isso é um bocado deprimente!

  Crestfallen

quarta-feira, janeiro 23, 2008 1:29:00 da manhã

martagarcia:

"Não faças com laranja.. experimenta limão. Isso é um bocado deprimente!"

Um bom livro deve ser acompanhado de uma boa bebida, juntar 2 prazeres em 1. Tal como um bom vinho deve ser acompanhado por um bom queijo. Deprimente é querer ler e só ter merda para ler!

  Vanadis

quarta-feira, janeiro 23, 2008 5:56:00 da manhã

LOOOL, pois eu qd tou aborrecida...aborreço-me...geralmente dou na cabeça do gajo por não estar aqui para me desaborrecer :-p

Aqui em casa é vodka russa com suma de aceroula. E depois uma ganda roncaria à noite...

Fashion tv, só se for por causa da musica e para chamar trinca espinhas anorécticas às manequins...

  Crestfallen

quarta-feira, janeiro 23, 2008 2:40:00 da tarde

Vanadis:

"Aqui em casa é vodka russa"

Nem a Vodka já é Russa :)
A vodka Russa Moskovskaia é feita na Lithaunia bem como muitas outras. As vodkas Polacas são de qualidade superior neste momento.

"Fashion tv, só se for por causa da musica e para chamar trinca espinhas anorécticas às manequins..."

Os tempos estão a mudar e já se vê cada vez mais CARRRRNE!