Desacordo ortográfico!


O acordo ortográfico que está previsto para 2011 (apesar que parece que o querem antecipar), é o maior erro que iremos cometer com a nossa língua. Numa altura que os países Europeus criam leis para protegerem as suas línguas da influência Inglesa, nós vamos fazer acordos com os Brasileiros e Africanos. Acordos que vão "uniformizar" a língua Portuguesa.

Para quê? Não fomos nós que nos afastámos deles, eles é que optaram uma falar um versão de Português diferente. Porque raio, temos nós de ceder na nossa riqueza vocabular e ortográfica? Por mais que um gajo ceda, vamos sempre ter de adaptar os livros em Português de Portugal para Português do Brasil, visto que o oposto não se verifica.

Em 2011. O cágado vai ficar finalmente cagado. O facto muda para fato.
Vai ser confuso quando lerem frases sem acentos, "Este cagado esta todo cagado" ou "O meu fato foi de fato caro". Bolas, um fato é um fato e um facto é um facto. Eu visto fatos e isso é um facto. Foda-se, são palavras diferentes e necessárias! Eu até gosto de répteis, mas daí a ir comprar um cagado...


No último acordo, o de 1990, estava eu em pleno ensino secundário. Uma professora actualizou-nos de todas as alterações, alterações das quais eu nunca mais ouvi falar. Terminei o secundário, entrei na faculdade de letras e nada mudou. O novo acordo era como se nunca tivesse existido. Os professores diziam que se pode escrever da maneira antiga e da nova.
Então porque raio fizemos o acordo?

Esse acordo ortográfico, aprovado em 1991, dizia: "Este acordo constitui um passo importante para a defesa da unidade essencial da língua Portuguesa e para o seu prestigio internacional".


Eu li bem? Prestigio internacional? Um Russo lá faz ideia das diferenças entre o Português de Portugal e o Português do Brasil? Portugal e Brasil até se entendem bem, mas agora Angola, Moçambique, Cabo Verde, São Tomé? 

As alterações incluíram o nosso alfabeto, onde as letras K, Y e W passaram a fazer parte do alfabeto. No entanto não as podemos usar, não podemos chamar a uma filha Kátia ou Erika, ou a um filho Walter. Estas letras servem para ler e escrever estrangeirismos que necessitem destas letras. Em contradição e tal como referi num texto anterior, sobre os nomes proibidos em Portugal, os nomes Yolanda e Kó-ló São aceites. Ora foda-se, se não podemos usar para que é que os putos as têm de aprender? Porque é que há excepção em Kó-Ló, que é um nome sem pés nem cabeça!

Só a parte referente aos acentos são 45 páginas (em 1991). Com este acordo as estações do ano, dias da semana, pontos cardeais, passam a ser escritos com letra minúscula. As línguas também. Ou seja, apesar de Itália, se escrever com letra grande, italiano passou a ser com letra pequena. Eu não me importo, mas aqui entra o nacionalismo, por isso apesar de escrever inglês, vou continuar a escrever Português, com letra grande. Estou-me a cagar para o acordo.

As palavras compostas passaram a ser uma só palavra, "contra-regra", "extra-escolar", "homo-sexual", "anti-semita", passaram a "contrarregra" (ganhando um r extra), "homossexual" (ganhando um s extra), "antisemita" (está no acordo com um s, por isso eu leio antizemita).
Esta parte do acordo também não me faz diferença. Concordo com descomplicar a nossa língua.

Mas, já me faz confusão o facto de "microondas" e "arquiinimigo" terem passado a escrever-se "micro-ondas" e "arqui-inimigo". Porra, quando parece que querem simplificar, acabam por complicar e confundir um gajo todo. Por que caralho acabam com as palavras compostas e inventam outras?

Actualmente e como preparação é aceite escrever-se, "fato/facto", "aspecto/aspeto", "génio/gênio", etc. Mas em 2011 lá vem o pior ataque que a nossa língua já recebeu.

Mas de maneira a não tornar este texto num testamento. Gostaria de agradecer a todos os escritores Portugueses, bloguers e professores bem como a todos aqueles que escrevem em Português, o facto de terem ignorado o que de mais ridículo foi acordado. Obrigado a quem continua a escrever; "acção", "didáctico", "direcção", "eléctrico", "óptimo", "actor" ainda bem, que passados 17 anos, ninguém mudou o que de mais ridículo foi acordado. É por isto que tenho esperança que o acordo de 2011 seja mais um que não irá sair do papel, pois é uma acção devastadora para a nossa literatura.

Parte de quem escreve, defender a nossa riqueza vocabular, os acordos "de lambidelas de cu" feitos pelos políticos, têm só por si tanto valor como as cotonetes que uso todas as manhãs!

Agora deixo-vos com uma frase que respeita o próximo acordo ortográfico:
"Eu vi um cagado de fato, mas de fato o fato estava mais cagado que o cagado de fato vestido"
Agora imaginem ler um livro de 300 páginas repletas de frases pós-acordo, depois de 2011...

104 Comentários:

  Zaka

sábado, janeiro 19, 2008 1:43:00 da manhã

Uma coisa eu estou farta de dizer... EU não vou aderir a essa merda de acordo... e penso sinceramente que só serei afectada SE um dia tiver um filho e ele estiver a as palavras já "acordadas" e eu tiver que me conter para não lhe ensinar as palavras "desacordadas" e assim entrar em choque com a professora e tal...

Mas de resto... acredito que vá ser tão útil como o outro! E andava eu no ensino preparatório quando tal pérola surgiu e até hoje nunca o tal me causou a mínima consequência da sua existência!

  Crestfallen

sábado, janeiro 19, 2008 1:48:00 da manhã

Zaka:

Eu sem dúvida que irei ensinar FACTOS aos meus filhos e não vou impor que usem FATO, se entrar em conflicto com as professoras, será uma guerra perdida para elas, pois terei com toda a certeza dezenas de livros a apoiar a minha versão!

  PsYcHo_MiNd

sábado, janeiro 19, 2008 2:53:00 da manhã

O acordo por certo que irá para a frente, mas de certeza que quase ninguém o irá 'usar'. As pessoas continuarão a escrever como até agora, as gerações futuras é que certamente já não o irão fazer, visto irem aprender esta nova forma nas escolas desde cedo. Terá que fazer parte da aprendizagem para que este acordo possa ter algum efeito.

  Crestfallen

sábado, janeiro 19, 2008 3:04:00 da manhã

PsYcHo_MiNd:

"Burro velho não tem ensino"

Eu licenciei-me pós acordo ortográfico de 1991 e se tivesse leccionado teria ignorado esse acordo. Os actuais professores leccionam num misto pré91 e pós91. O que quero dizer é que os actuais professores vão leccionar o actual Português e nem se vão actualizar quando sair o acordo (não ganham para isso), ou seja os novos licenciados também o vão ignorar.

Um acordo só resultaria se fosse imposto nas escolas, mas não o é... ainda bem!

  Vanadis

sábado, janeiro 19, 2008 4:12:00 da manhã

Estás-me a dar uma novidade. Eu nem sequer sabia que tinha havido um no nosso secundário... =DDDDD okay, sabia que isso existia, mas não dei por nada, continuei a escrever como aprendi na primária...e continuo. E boa, ñunca percebi porque raio o k, o y e o w entraram no alfabeto português, se nunca era usado (não podia!)...mas olha que eu tenho uma karina com k numa turma (e é portuguesa).
Ah é micro-ondas? Eu sempre escrevi microondas. E Arqui-inimigo (faz-me confusão dois i de seguida...). Mas ja não me faz dois o. MMM. Parece que assimilei esse acordo e nem dei conta.

"Obrigado a quem continua a escrever; "acção", "didáctico", "direcção", "eléctrico", "óptimo", "actor" - e digo mais: obrigado!

acção!
didáctico!
direcção!
reacção!
eléctrico!
óptimo!
actor!
facto!! facto!!! cágado!! cágado!!

Crest, é inédito, mas: estou totalmente contigo. Aqui não há que enganar.

Sei que já houve outros acordos na historia da nossa Lingua. Okay. Os ph passaram a f. Isso é simplificar, e é afastar do inglesismo, que tb utiliza o ph.

Agora, uniformizar?? a lingua?? portuguesa??? vão-se catar, eu não vou adoptar nada em 2011, vou continuar a dizer que o cágado está cagado!
Quer dizer, aqueles puxões de orelhas porque escrevia cagado em vez de cágado não serviram para nada?? ah, serviram sim: tenho trauma de tirar acentos onde eles fazem falta. Tenho trauma de globalizar o português.
Os brasileiros evoluiram num sentido. Os PALOPs, noutro. E nós, deixem-nos evoluir noutro e não da direcção que eles tomaram.
Não quero saber, vou continuar a escrever como aprendi, até que me provem que estou errada. Como tal ainda não aconteceu...

Nem pensar. Se quisesse falar brasileiro tinha ido pó brasil.

  Afrika

sábado, janeiro 19, 2008 4:13:00 da manhã

Ai Crest, va la que no meio das tuas impetuosidades la vais fazendo-me rir!
Pois, eu assim como tu e como 95% da população não estou de acordo com o novo acordo. mas vou usar uma frase feita de alguém que deves conhecer
"Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades". Toda língua que esta viva tem que evoluir. Ja sei que tas pra ai a pensar que descomplicar e não complicar e' evolução, pois sim mas a tecnologia e' complicada mesmo que tenha descomplicado a nossa vida!

  Vanadis

sábado, janeiro 19, 2008 4:14:00 da manhã

A seguir vai ser o quê? ión? protón? eletrón?...

  Vanadis

sábado, janeiro 19, 2008 4:20:00 da manhã

No meio de uma discussão sobre isto, o ácódó ótógáfico (;-p), disseram-me: sabes o que se chama uma lingua que não evolui? Uma lingua morta. Eu respondi: não, uma lingua morta é uma que não é mais usada. Género, esperanto. Tipo, aramaico.

"Toda língua que esta viva tem que evoluir." - disse a Afrika. É verdade. Mas a nossa tem evoluido. Todos os dias se encontram novas palavras e novos significados. Evoluir é uma coisa, evoluir para ficar igual a outro é...sei lá...ser maria vai com todas?? E porque é que temos de ser nós, que criámos a Lingua Portuguesa, a adaptar-nos ao brasileiro, que nasceu de nós? Isso é evoluir? Não acho. Acho que é involuir. Evoluir seria ficar diferente, melhor. Não é isso que vai acontecer. Como é que vamos distinguir um facto de um fato? Um cágado de um cagado?
E eles são compõe e descompõe palavras sem nexo nenhum por detrás da composição (ou descomposição)...
Mudam-se os tempos e as vontades de quem?...houve referendo sequer?

  ceptic

sábado, janeiro 19, 2008 4:24:00 da manhã

hum.... prevejo trabalhos de pesquisa em versão "brazuca" a.K.a copiados, nos quais se os profs. nao conseguirem provar que foram copiados terão de ser aceites?????

até o word vai ficar baralhado...

  Maria Manuela (M&M)

sábado, janeiro 19, 2008 4:32:00 da manhã

Oh pááááá

essa malta do arcordo que vá levar na peida.... Fodasse, eu que até era uma gaja que primava pela escrita à conta de tanto ditado que as putas das freiras me obrigavam a fazer, mais o facto de ter que escrever 50 vezes cada palavra mal ecrita, qualquer dia pareço uma anormal que nem escrever na sua língua sabe...

Querem lá ver esta merda... Ainda por cima acho o português adoptado pelo Brasil um verdadeiro atrofio...

Eu vou continuar a escrever baptismo, facto, etc... as freiras ensinaram assim e é assim que fica.
Puta que os pariu.

Fodasse, todos os dias a merda da lei é aterada, só o Código Penal já tive que comprar 3 em 6 meses, e vêm agora com mais esta...
Ai o caralhinho que já estou mesmo a destinar com esta merda...

  Maria Manuela (M&M)

sábado, janeiro 19, 2008 4:36:00 da manhã

Oh pááááá

essa malta do acordo que vá levar na peida.... Fodasse, eu que até era uma gaja que primava pela escrita à conta de tanto ditado que as putas das freiras me obrigavam a fazer, mais o facto de ter que escrever 50 vezes cada palavra mal ecrita, qualquer dia pareço uma anormal que nem escrever na sua língua sabe...

Querem lá ver esta merda... Ainda por cima acho o português adoptado pelo Brasil um verdadeiro atrofio...

Eu vou continuar a escrever baptismo, facto, etc... as freiras ensinaram assim e é assim que fica.
Puta que os pariu.

Fodasse, todos os dias a merda da lei é aterada, só o Código Penal já tive que comprar 3 em 6 meses, e vêm agora com mais esta...
Ai o caralhinho que já estou mesmo a desatinar com esta merda...

  Vanadis

sábado, janeiro 19, 2008 5:06:00 da manhã

Ah, crest, tenho andado para te passar um link para um (mais um LOOOL) blog onde acho que ias estar que nem peixe dentro de água: http://faxavor.blogspot.com/ (de nome, ó faxavor é uma imperial e um pires de tremoços). Gosto do humor do Nelson (o gaijo que lá posta) e do que escreve. Até uso o blogue dele para me manter actualizada no panorama das noticias diárias, LOOOL. ;-)

  Teté

sábado, janeiro 19, 2008 11:58:00 da manhã

Bom, no geral concordo contigo: não temos nada que "uniformizar" a nossa língua com brasileiros ou africanos. Nem eles com a nossa, diga-se de passagem...

O acordo de 1990 é aquele que devia ter entrado agora em vigor (em Janeiro de 2008, 18 anos depois, SE tivesse sido ratificado). Ao que tudo indica, tal não aconteceu...

De qualquer forma (dei-me ao trabalho de ler o acordo), muitas das normas de escrita que lá estão já são utilizadas normalmente. Ou seja desumano, comboio, facilmente, micro-ondas, cão de guarda, fim de semana, malcriado, passarinho, tabuazita, sozinho, somente, etc. E essas suponho que acabam por prevalecer, porque é a tal evolução da língua que não está morta...

Facto, cágado, enjôo, actriz, baptismo, peremptório, sumptuoso, sector, concepção, corrupto, auto-estrada, mini-saia, anti-aéreo, entre tantas outras, queiram ou não mudar as grafias (nalgumas sim, noutras permitem duas formas), suponho que não irão ter muito sucesso. Quer fizer, exceptuando aqueles que escrevem muitíssimo mal (que infelizmente são muitos...), mas para esses tanto faz e o acordo não está escrito a pensar neles...

De qualquer das formas, mais vale escrever "antiquado", do que escrever à modernaço e cheio de erros.

A língua está viva e evolui, não é é por decreto, nem por uniformizações forçadas!

Cumprimentos (à distância!) à Ana Júlia... =) e BOM fds para ti!

  sextrip

sábado, janeiro 19, 2008 12:18:00 da tarde

caso queiras incluir isto aqui:

http://www.petitiononline.com/naoacord/petition.html

a petição foi iniciativa de uma professora de português mas teve de ser entregue até 26 de Dezembro do ano passado... julgo que com um pouco mais das 2500 assinaturas exigidas.

contudo (e eu não sabia disso) ela optou por manter a petição aberta por esperar que a possa tornar a enviar e as pessoas têm continuado a aderir... pelo que, já vai em mais de 9000 assinaturas.

aviso contudo e desde já que:
tratando-se de uma petição que, a avançar pela 2ª vez, será um documento... exige a colocação do nº de B.I., o qual será comprovado posteriormente.

º

o "português do brasil" é um português mal criado, mal falado e mal escrito !
recuso usá-lo em definitivo !

  Sexy hot

sábado, janeiro 19, 2008 12:27:00 da tarde

Para ser sincera eu nem quero acreditar que isso vai mesmo para a frente! Odeio esse acordo. Se algum dia vir um livro com cagados e vez de cágados e fato em vez de facto prefiro ficar com os que tenho, ao mesmo tenho a certeza que com os antigos não tenho de ler 1500 vezes uma frase para entender o que realmente ela significa.

  sextrip

sábado, janeiro 19, 2008 12:47:00 da tarde

--> Vanadis

tens razão... uma língua viva é uma que seja utilizada, mas... também é aquela que se enriquece com novos termos (sejam eles inventados, francesismos, anglicismos, etc).

porém... uma coisa é escrevermos "blogue", pois um BLOG é algo novo, recente, que carece de um termo adequado em português... outra é assumirmos um qualquer "esporte" que foi uma palavra mal criada a partir do SPORT e para a qual temos o "desporto".
é apenas um exemplo...

este (pseudo)acordo de merda - do qual desconheço em absoluto os interesses por detrás - é do mais imbecil de que já ouvi falar !

só falta virmos a escrever "nãum", querem lá ver ?!?

  Pax

sábado, janeiro 19, 2008 1:18:00 da tarde

E sabes quem decide esses "acordos"?

Algum "cagado" com ideias de "cagado" ou de jericó, o que dá no mesmo.
Pela (i)lógica, a cidade deve perder o acento também.
Assim 'êssis mininu pódji êscrêvê' como (não) sabem e sempre justificarem com o "novo acordo"...
Acredita que vai dar muito jeito a muito boa gente!
Actualmente, em certos cargos, mostrar inteligência (ainda que apenas pretensa e minúscula), é, cada vez mais, uma raridade!

Quem tem ORGULHO por escrever EM PORTUGUÊS, nunca irá aderir a essas "cagadas de fato", ('fato' mesmo, que eles até andam bem vestidinhos).

Quando se quer 'nivelar' algo, é inteligente faze-lo 'para cima', ou estarei errada?

Os brasileiros já achavam que nos tinham ensinado a tomar banho... agora vão passar a dizer que também nos ensinaram a escrever!
Ninguêm méréci, né?!?!?!?!

"Agora imaginem ler um livro de 300 páginas repletas de frases pós-acordo (...)"

Já existem!
Fizeste-me perceber uma coisa muito importante:
O motivo do 'Nóbéu' do Saramago...o 'man' é um visionário!
:)

  someone_else

sábado, janeiro 19, 2008 1:36:00 da tarde

também serei das pessoas que não irão aderir tão cedo (nem facilmente) a este acordo. não concordo com o que nele será acordado e é pura estupidez fazerem-no.
mas pelo que li algures, palavras como "facto" irão premanecer com o /c/, pois este é lido, mas por exemplo, em "acção" já não é lido e aí sim é retirado, passando a ser "ação".
quantos aos acentos...puffff. no comments... nem vale a pena dizer algo sobre isso!!

beijos

  Foi Bom

sábado, janeiro 19, 2008 1:55:00 da tarde

Esta coisa (qual acordo, qual que) nao vai correr nada bem...No entanto, essa de tirar os "acentos" as palavras ate me vai beneficiar, ja que o teclado do meu pc continua marado...:D

  Schlumpy

sábado, janeiro 19, 2008 1:59:00 da tarde

O que mais me arrelia é que o acordo só funciona num sentido. Ou seja, em Portugal alteramos a escrita e no Brasil continua na mesma.
Olha lá se os nossos vizinhos castelhanos fazem lá algum acordo com a américa do sul ou mesmo com as regiões autónomas...

  FATifer

sábado, janeiro 19, 2008 2:16:00 da tarde

Qualquer Português, digno de o ser, concordará com o que o diz nosso anfitrião.

Na minha opinião quem faz a uniformidade da língua Portuguesa somos nós Portugueses, que conseguimos perceber todos os que a falam (até os madeirenses e os açorianos! :) ). Cada um dos povos que fala a nossa língua faz dela uma utilização que é condicionada por múltiplos factores (que não vale a pena escalpelizar aqui). Eu não compreendo como se pode falar em “língua morta” só porque não fazemos como os brasileiros que pegam num qualquer termo em inglês, por exemplo, e escrevem “à portuguesa” e pronto, faz parte do brasileiro. Leva-me a questionar quem necessita dessa uniformização?
Isto tudo faz-me lembrar um episódio com o nosso Nobel (ou Nóbel como ele diz) Saramago: no Brasil um jornalista pediu-lhe para repetir uma resposta porque não havia entendido ao seu sotaque ao que ele respondeu: “perdão, a língua é minha, o sotaque é seu!”.
Não me interpretem mal, não acho que seja uma questão de propriedade da língua mas, como já disse, como somos nós que temos a capacidade (e fazemos o esforço) de perceber todas as outras versões, temos autoridade moral para nos acharmos guardiães desta língua.

Cada um fará o que entender, eu estou do lado dos que continuarão a escrever o que e como aprenderam!

FATifer

  Teté

sábado, janeiro 19, 2008 2:38:00 da tarde

Pax: quem assinou o acordo de 1990, que era então secretário de estado da Cultura, foi o Pedro Santana Lopes...

Depois esse acordo voltou a ser discutido e reatado em 1998 e agora no final de 2007 era para ser ratificado, pelos estados signatários, mas parece que só Cabo Verde é que o ratificou.

Como não foi ratificado, não entrou em vigor no início de 2008! E com tanta "celeridade", a probabilidade é nunca chegar a ver a luz do dia... ;)

  Afrika

sábado, janeiro 19, 2008 2:48:00 da tarde

Se me desculpas respondo a Vanadis,
O povo Português e' muito caricato. Toda gente adora a democracia, toda gente quer dar a sua opinião e parecer... mas isto so quando as decisões já foram tomadas e sabes porque? por que o povo Português e' muito comodista, em tempos de referendo vão pra praia...e'-lhes dada a oportunidade de exercer o seu direito e tão-se nas tintas... se se estivesse a espera que o povo decidisse, estaríamos ainda ao lado do velho do Restelo a augurar o futuro.
Mais uma vez caricato, como faremos pra distinguir certas palavras? Meus caros, tanta barafunda, tanta revolta por algo que ainda não aconteceu! Nao nos afoguemos num copo d'agua...como já disse não estou de acordo que o Português de Portugal seja assimilado pelo Português do Brasil, não faz sentido nenhum tal convénio, esperarei sim pelo futuro ate la "Don't worry be happy!"

  Pax

sábado, janeiro 19, 2008 3:52:00 da tarde

Teté:
"com tanta "celeridade", a probabilidade é nunca chegar a ver a luz do dia"

É, afinal, a nossa sorte!
Já vários tiveram essa "cagada" entre mãos..., mas como os "cagados" são lentos...
lá se vai conseguindo adiar e ir escrevendo EM PORTUGUÊS de Portugal.

  SílviA

sábado, janeiro 19, 2008 5:04:00 da tarde

Eu recuso-me a aderir a esse atentado...eu vou continuar a escrever da maneira que aprendi e apesar de não ensinar as minhas crianças a ler e a escrever propriamente a nossa sala está cheia de material escrito e esse material vai ser sempre escrito no português de Portugal :)

Bj

  Skynet

sábado, janeiro 19, 2008 6:30:00 da tarde

Eu vi essa notícia no telejornal e até pensei que fosse mais uma das idiotices da TVI.

Esse acordo é completamente estúpido! Agora é preciso fazer acordos para mudar a maneira como escrevemos! Isto deve ter sido feito por alguém que não tem mais nada que fazer, e tem de mostrar trabalho feito para justificar o seu salário.

Em vez de estarem com estas merdas, era muito mais fácil chamar português ao que nós falamos cá, brasileiro ao que falam no Brasil, e sei lá mais o quê aquele pseudo-português que falam em África. Sempre era menos confusão.

A linguagem e a escrita evoluiem por si só, não é necessário que venham agora fazer acordos. Repara por exemplo na controversa escrita SMS. Embora tenha de confessar que muitas vezes ainda fica à rasca para perceber o que vem lá escrito lol

  Femme Fatale

sábado, janeiro 19, 2008 8:08:00 da tarde

Depois não querem que se diga que a lingua portuguesa é traiçoeira...!

  gota de água

sábado, janeiro 19, 2008 8:28:00 da tarde

Não me apetece nada começar a escrever essas novas "alterações". Vai ser muito giro quendo estiver na faculdade em 2011 e for obrigada a escrever assim. As trapalhadas que irá ocorrer. Passamos a por cágados e factos, tudo misturado numa confusão total. Eu estou de acordo que essas alterações não acorram desta forma!

  Vanadis

sábado, janeiro 19, 2008 9:15:00 da tarde

Afrika, o crest não se incomoda nada quando respondemos uns aos outros (e se for umas às outras, então...!).
De qq maneira, é só pa dizer que, concordo ctgo.

  Kátia

sábado, janeiro 19, 2008 9:27:00 da tarde

Eu estou passada com essas mudanças!Nem sabe o quanto!
Concordo com você!
Agora numa coincidência postei a minha tartaruga(ou será "cágado) no meu blog...lol
Beijo e bom final de semana!
:)
P.S:Eu acho que os portugueses devem continuar escrevendo como sempre o fizeram e NÓS "brazucas"(Grrrrr) da mesma forma.Assim não fica ninguém "baralhado".
:/

  Helluah

sábado, janeiro 19, 2008 10:10:00 da tarde

Eu nao vou nem permitir que os meus filhos aprendam portugues segundo esse novo acordo.. JAME!!

  *Joana*

sábado, janeiro 19, 2008 11:33:00 da tarde

"Eu sem dúvida que irei ensinar FACTOS aos meus filhos e não vou impor que usem FATO, se entrar em conflicto com as professoras, será uma guerra perdida para elas, pois terei com toda a certeza dezenas de livros a apoiar a minha versão!"

Quer dizer que queres ter filhos? E nessa altura vais assentar?lol

Concordo com tudo o que disseste, isto do novo acordo é tudo uma grande cagada...E tal como disseste, é a Língua Portuguesa, para que é que temos de escrever uma mistura de brazuca e crioulo se são eles que escrevem mal?

  Mulheka

domingo, janeiro 20, 2008 2:13:00 da manhã

Absolutamente ridiculo! Eu vou continuar com o MEU Portugês!!!

  Amsilva

domingo, janeiro 20, 2008 2:16:00 da manhã

sinceramente, não havia necessidade
afinal até o parvalhão do corrector ortográfico do pc já andava com certas manias avançadas pró tempo dele!!
então andei eu anos inteiros a marrar com os livros de português, a aprender o que podia, a passar por "burro" quando errava e agora depois destes anos todos vêm uns gajos e dizem que tudo o que aprendi está errado????
isso faz-me lembrar as aulas de filosofia em que tinha que aprender algo que sabia de antemão que estava errado, então segundo esse tal acordo, eu que agora escrevo relativamente correcto, concluo que; daqui a um par de anos irão ler e condenar-me pelos erros!!!
pois que assim seja, de todas as formas não sei escrever de outra forma e não penso voltar á escola!!

Quanto ao nome ko-lo, vindo dos sul de Marrocos até poderia ser Kó-kó, o efeito ia ser o mesmo, nomes raros é com eles!!!!

penso que o acordo só serve mesmo para justificar o trabalho inútil de uns quantos inúteis, que não tinham mais nada que fazer!!!

  ZumZumMataMoscas

domingo, janeiro 20, 2008 12:56:00 da tarde

Eu até era capaz de uniformizar com uma brasileira, agora com um brasileiro nunca!!!

Assim, concluo que durante os próximo anos continuarei a escrever como sempre escrevi, à portuguesa ou à mão!


http://zumzummatamoscas.blogspot.com/

  Cold_cold_Bitch

domingo, janeiro 20, 2008 9:00:00 da tarde

Pá, porreiro, pá! (lá estou eu a citar o sr. que não é engenheiro again...).

p.s._ há alguma coisa no acordo em relação ao "pá"?

  Crestfallen

segunda-feira, janeiro 21, 2008 12:43:00 da manhã

Vanadis:

"Ah é micro-ondas? Eu sempre escrevi microondas. E Arqui-inimigo (faz-me confusão dois i de seguida...). Mas ja não me faz dois o. MMM. Parece que assimilei esse acordo e nem dei conta."

Lol isso é discriminação tua em relação aos ii´s

"Crest, é inédito, mas: estou totalmente contigo. Aqui não há que enganar."

Se não estivesses, haveria grandes probabilidades de estares errada :P

"Sei que já houve outros acordos na historia da nossa Lingua. Okay. Os ph passaram a f."

Acordo ortográfico de 1911 que incluiu só o Brasil pois tudo o resto eram ainda colónias!

"Isso é simplificar, e é afastar do inglesismo, que tb utiliza o ph."

Nada disso, não tem a ver com o Inglês mas sim com as origens da língua Portuguesa no Latim e Grego. PH, CH, etc, foram "roubados" pelo Latim ao Grego e trazidos para o Português.

  Crestfallen

segunda-feira, janeiro 21, 2008 12:47:00 da manhã

Afrika:

"Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades". Toda língua que esta viva tem que evoluir."

Concordo mas evolução só o é se for natural, ao ser imposta não se pode chamar evolução. Se queres um exemplo de evolução da língua Portuguesa aqui vai:

quase - é uma evolução de "quasi"
conduz - na verdade é "conduze"
traz - na verdade é "traze"
diz - na verdade é "dize"

O correcto seria dizer "conduze que eu estou com os copos". Isto foi uma evolução natural e nada imposto pelo estado, que nem falar sabe!

  Crestfallen

segunda-feira, janeiro 21, 2008 12:59:00 da manhã

Vanadis:

"A seguir vai ser o quê? ión? protón? eletrón?..."

E porque nón? LOL!!!

"sabes o que se chama uma lingua que não evolui? Uma lingua morta."

Quem disse isso não sabe o que diz. O que mantém uma língua viva não é o facto de ela evoluir mas sim a cultura que a sustenta! As línguas que desaparecem e desaparecem 600 por ano, são línguas sem cultura que a sustente.
O Grego e o Latim sobreviveram devido a tudo quanto foi escrito nessas línguas.

O que havia escrito em Aramaico que tenha sobrevivido além de uns textos religiosos? Não há interesse em manter uma língua viva, quando nada se pode aprender dela.

"Toda língua que esta viva tem que evoluir." - disse a Afrika. É verdade."

Não é verdade. Toda a língua da qual podemos retirar conhecimentos, está viva. O facto do Grego ser chamada de uma língua morta, deve-se ao facto de tudo ter sido já traduzido. Mas será o Grego e o Latim, línguas mortas? Claro que não, estão vivas e estarão por muitos mais anos. Quem estuda letras, estuda Latim. O Latim e o Grego são opções de terceira língua no ensino secundário.

Uma língua não tem de evoluir para sobreviver, tem de ter obras escritas nessas línguas Obras que tenham tido impacto internacional, eu poderia dizer "Os Lusíadas", mas vou mais longe ainda e digo "Apocalipsis Nova" escrito por um Português cujo livro foi proibido pela Igreja e o autor caçado!

"Mudam-se os tempos e as vontades de quem?...houve referendo sequer?"

Vontades politicas, vontades de gajos que compram diplomas!

  Crestfallen

segunda-feira, janeiro 21, 2008 1:00:00 da manhã

ceptic:

"se os profs. nao conseguirem provar que foram copiados terão de ser aceites?"

Sem prova de cópia, têm de ser aceites que qualquer maneira.

  Crestfallen

segunda-feira, janeiro 21, 2008 1:02:00 da manhã

Maria Manuela (M&M):

"Fodasse, todos os dias a merda da lei é aterada, só o Código Penal já tive que comprar 3 em 6 meses, e vêm agora com mais esta...
Ai o caralhinho que já estou mesmo a destinar com esta merda..."

Código Penal, Código da estrada e gramáticas... é muito dinheiro a entrar nos cofres do estado :)

  Crestfallen

segunda-feira, janeiro 21, 2008 1:05:00 da manhã

Teté:

No entanto as gramáticas encontram-se actualizadas! Portanto afectou a nossa língua.

  Crestfallen

segunda-feira, janeiro 21, 2008 1:11:00 da manhã

Afrika:

"mas isto so quando as decisões já foram tomadas e sabes porque? por que o povo Português e' muito comodista, em tempos de referendo vão pra praia...e'-lhes dada a oportunidade de exercer o seu direito e tão-se nas tintas... se se estivesse a espera que o povo decidisse, estaríamos ainda ao lado do velho do Restelo a augurar o futuro."

Não poderia discordar mais! É verdade que somos comodistas e se estamos de férias não queremos vir do sul de Itália à nossa cidade para votar. O Estado sabe disso, por isso é que aprova leis sensíveis durante os meses de férias. O ultima grande mudança aos contractos de trabalho, foi aprovada no verão, uma aprovação entalada entre o Euro 2004 e o mês santo dos Tugas (Agosto). Ora ninguém faz greves durante o Euro e muito menos no mês de Agosto.

O estado Português gosta é de abusar do Tuga e o Tuga há muito que perdeu os tomates e deixou de fazer barulho, quando o tentam foder.

"Mais uma vez caricato, como faremos pra distinguir certas palavras? Meus caros, tanta barafunda, tanta revolta por algo que ainda não aconteceu!"

A nossa identidade é a nossa língua. Não é o nosso BI nem um pedaço de terra, que nos distingue é sim a nossa língua. O simples facto de tal acordo ter sido ponderado, aconteça ou não, já é, só por si uma ofença à nossa identidade!

  Crestfallen

segunda-feira, janeiro 21, 2008 1:14:00 da manhã

Pax:

"mas como os "cagados" são lentos..."

No entanto, assim que entra no papel, novas gramáticas saem. Mesmo que os PALOPs e Brasil não assinem, a mudança É EFECTIVA em Portugal. Basta irem a uma gramática pré-1990 e uma pós-1991, elas foram actualizadas, mesmo sem o acordo incluir todos os países de expressão Portuguesa.

Mesmo que este acordo não seja aceite por todos os países se um assinar, (Cabo Verde assina de certeza), o acordo afecta ambos os países.

  Crestfallen

segunda-feira, janeiro 21, 2008 1:15:00 da manhã

SílviA:

"Eu recuso-me a aderir a esse atentado..."

E se toda a gente pensar assim, é a única maneira de manter o que está certo!

  Crestfallen

segunda-feira, janeiro 21, 2008 1:17:00 da manhã

Skynet:

"Isto deve ter sido feito por alguém que não tem mais nada que fazer, e tem de mostrar trabalho feito para justificar o seu salário."

Existe um gabinete de estudo da nossa língua, não faço ideia do que fazem para justificar os seus ordenados, mas acho que estes acordos são para mostrar trabalho!

  Crestfallen

segunda-feira, janeiro 21, 2008 1:18:00 da manhã

Femme Fatale:

"Depois não querem que se diga que a lingua portuguesa é traiçoeira...!"

Eu falo 6 línguas e todas elas são traiçoeiras e passíveis de fazer jogos de palavras. Mas o que estão a fazer é ridicularizar!

  Crestfallen

segunda-feira, janeiro 21, 2008 1:20:00 da manhã

gota de água:

"Eu estou de acordo que essas alterações não acorram desta forma!"

Duvido que irás sentir aleterações, pois os teu professores quando estiveres na faculdade, são da minha geração e aprenderam o mesmo Português que eu!

  Crestfallen

segunda-feira, janeiro 21, 2008 1:21:00 da manhã

Vanadis:

"Afrika, o crest não se incomoda nada quando respondemos uns aos outros"

Só fico fodido com os comentários, "Fantástico!!! visita-me em http://puta-que-pariu.blogspot.com"

  Crestfallen

segunda-feira, janeiro 21, 2008 1:24:00 da manhã

Kátia:

"Agora numa coincidência postei a minha tartaruga(ou será "cágado) no meu blog...lol"

Ora aqui está uma representante Brasileira e ainda bem que também estás contra o acordo e, acho bem que o povo Brasileiro esteja, pois também irá afectar em muito o vosso Português.

"P.S:Eu acho que os portugueses devem continuar escrevendo como sempre o fizeram e NÓS "brazucas"(Grrrrr) da mesma forma."

Os meus amigos Brasileiros chamam-me "Portuga" por isso sinto-me no direito de lhes chamar "Brazuka"!

  Crestfallen

segunda-feira, janeiro 21, 2008 1:26:00 da manhã

Helluah:

"Eu nao vou nem permitir que os meus filhos aprendam portugues segundo esse novo acordo.. JAME!!"

Mau!!! Filhos? Para quando é isso? Ainda não recebi a intimação para gerar pequenos génios literário-matemáticos!

  Crestfallen

segunda-feira, janeiro 21, 2008 1:28:00 da manhã

*Joana*:

"Quer dizer que queres ter filhos? E nessa altura vais assentar?lol"

Nunca coloquei filhos de parte, simplesmente coloco esposas de parte. Tenciono ter filhos um dia, muito provávelmente adoptivos.

  Crestfallen

segunda-feira, janeiro 21, 2008 1:28:00 da manhã

Mulheka:

"Absolutamente ridiculo! Eu vou continuar com o MEU Portugês!!!"

NOSSO!!

  Crestfallen

segunda-feira, janeiro 21, 2008 1:31:00 da manhã

Amsilva:

"afinal até o parvalhão do corrector ortográfico do pc já andava com certas manias avançadas pró tempo dele!!"

É verdade, os correctores ortográficos passam muito tempo nas praias de Copa Cabana :)

  Crestfallen

segunda-feira, janeiro 21, 2008 1:31:00 da manhã

ZumZumMataMoscas:

"Eu até era capaz de uniformizar com uma brasileira, agora com um brasileiro nunca!!!"

A uniformização até é de qualidade, regra geral :)

  Crestfallen

segunda-feira, janeiro 21, 2008 1:32:00 da manhã

Cold_cold_Bitch:

"p.s._ há alguma coisa no acordo em relação ao "pá"?"

O "pá" não será alterado ou os politicos perdem a sua riqueza vocabular!

  Crestfallen

segunda-feira, janeiro 21, 2008 2:37:00 da manhã

Parece que saltei uns comentários... as respostas seguem em breve :)

  Crestfallen

segunda-feira, janeiro 21, 2008 2:41:00 da manhã

sextrip:

"o "português do brasil" é um português mal criado, mal falado e mal escrito !"


É a língua deles, por isso se chama "Português do Brasil" e não "Português".

Não acho que seja mal falado, pois segue regras gramaticas da sua gramática. Tal como não digo que o Inglês dos EUA é mal falado, quando poderia dizê-lo e sustentar as minhas afirmações. As diferenças servem para impôr a nossa individualidade e tal como o Brasil é um país independente, tem o direito à sua língua, que um dia se chamará "Brasileiro".

  Crestfallen

segunda-feira, janeiro 21, 2008 2:42:00 da manhã

Sexy hot:

Tudo depende de cada um de nós!

  Vanadis

segunda-feira, janeiro 21, 2008 2:42:00 da manhã

Okay, aquilo que tu chamas a retirar conhecimentos da lingua, era o que eu estava a chamar de evolução da lingua. Se está viva, não está estagnada, pois aquilo que estagna morre. Se não está estagnada, está em evolução. Portanto, se está viva, está em evolução. Propriedade associativa da matemática. :-p

Logicamente que não está morta.

Nem estão o grego e o latim. Mas o grego e o latim já nâo evoluem. Não sõa linguas mortas, contudo, porque continuam a ser utilizadas, embora já não estejam em evolução. E para que isto não contradiga a cena da propriedade associativa com que me saí antes, então, só podem estar, sei lá, empalhadas?... :-p

O portugues continua a evoluir, já que todos os dias acrescentamos novos significados a novas palavras.

  Crestfallen

segunda-feira, janeiro 21, 2008 2:48:00 da manhã

sextrip:

Como disse à Vanadis, essa definição de língua viva não é correcta.

"uma coisa é escrevermos "blogue", pois um BLOG é algo novo, recente, que carece de um termo adequado em português... outra é assumirmos um qualquer "esporte" que foi uma palavra mal criada a partir do SPORT e para a qual temos o "desporto"."

Temos de ter em conta que o Brasil sempre teve grande influência Americana, pois a potência mais próxima eram os EUA. Eram ao Americanos que publicavam livros, vendiam séries de TV e filmes. Portugal só se preocupou em publicar livros, séries e filmes no Brasil muito recentemente.

Hoje em dia o povo Brasileiro precisa de legendas para entender Português.

Nós sempre nos estivemos a cagar para impôr a nossa língua e o Brasil foi deixado sozinho com noções básicas da língua, eles tinham de fazer algo e o que fizeram foi criar a sua própria língua.

Eu apoio que a língua falada no Brasil seja denominada "Brasileiro", pois é diferente e é única!

O passo correcto, seria separar as línguas e não tentat uniformizá-las. Tivemos mais de 500 anos para o fazer e só nos lembrámos disso, nos útimos 18 anos?

  Crestfallen

segunda-feira, janeiro 21, 2008 2:53:00 da manhã

Pax:

"Quem tem ORGULHO por escrever EM PORTUGUÊS, nunca irá aderir a essas "cagadas de fato", ('fato' mesmo, que eles até andam bem vestidinhos)."

E não são fatos de 50€, isso é um facto!

"Os brasileiros já achavam que nos tinham ensinado a tomar banho..."

E eu a pensar que eles nos tinham ensinado a comer picanha, fazer caipirinhas e sex on the beach (o sex não a bebida), pois de facto foi tudo o que fiz nas minhas útimas férias lá!

"Fizeste-me perceber uma coisa muito importante:
O motivo do 'Nóbéu' do Saramago...o 'man' é um visionário!
:)"

Irrita-me quando defendem a genialidade do Saramago. O Saramago veio de familias pobres, não tinha estudos e leu o seu primeiro livro aos 19 anos. Ele até tem boa cabeça, mas não sabe Português! Eu chamo-lhe "literatura naive" mas com um intenção elitista!

  Crestfallen

segunda-feira, janeiro 21, 2008 2:59:00 da manhã

someone_else:

"mas pelo que li algures, palavras como "facto" irão premanecer com o /c/, pois este é lido, mas por exemplo, em "acção" já não é lido e aí sim é retirado, passando a ser "ação"."

Aqui está um exemplo (incomplecto) da proposta:

•• As paroxítonas terminadas em “o” duplo, por exemplo, não terão mais acento circunflexo. Ao invés de “abençôo”, “enjôo” ou “vôo”, os brasileiro terão que escrever “abençoo”, “enjoo” e “voo”.
•• Também não se usará mais o acento circunflexo nas terceiras pessoas do plural do presente do indicativo ou do subjuntivo dos verbos “crer”, “dar”, “ler”, “ver” e seus decorrentes, ficando correta a grafia “creem”, “deem”, “leem” e “veem”.
•• O trema desaparece completamente. Estará correto escrever “linguiça”, “sequência”, “frequência” e “quinquênio” ao invés de lingüiça, seqüência, freqüência e qüinqüênio.
•• Alfabeto deixa de ter 23 letras para ter 26, com a incorporação de “k”, “w” e “y”.
•• O acento deixará de ser usado para diferenciar “pára” (verbo) de “para” (preposição).
•• Haverá eliminação do acento agudo nos ditongos abertos “ei” e “oi” de palavras paroxítonas, como “assembléia”, “idéia”, “heróica” e “jibóia”.
•• Em Portugal, desaparecem da língua escrita o “c” e o “p” nas palavras onde ele não é pronunciado, como em “acção”, “acto”, “adopção” e “baptismo”.

Refere-se a todos o "c" e "p".

Na verdade quer se note ou não, quer articula bem as palavras pronuncia "ato" e "acto" de maneira diferente, mesmo que ligeiramente.

  Crestfallen

segunda-feira, janeiro 21, 2008 3:00:00 da manhã

Foi Bom:

"No entanto, essa de tirar os "acentos" as palavras ate me vai beneficiar, ja que o teclado do meu pc continua marado...:D"

Existe uma diskete para configurar essa coisa... mas claro, por ti até aceito que se altera a nossa língua!

  Crestfallen

segunda-feira, janeiro 21, 2008 3:03:00 da manhã

Schlumpy:

"O que mais me arrelia é que o acordo só funciona num sentido. Ou seja, em Portugal alteramos a escrita e no Brasil continua na mesma."

Não é verdade, o Brasil cede na eliminação do trema, que nós eliminámos em 1911. Cedem também nos acentos circunflexos e agudos, usados sem necessidade como por exemplo: "gênio" e "idéia".

  Crestfallen

segunda-feira, janeiro 21, 2008 3:06:00 da manhã

FATifer:

“perdão, a língua é minha, o sotaque é seu!”.

Está correcto dizer isto até ao dia em que se deixe de pensar em uniformização e se passe a pensar em separação. O Brasil deve criar o Brasileiro e acabar com esta palhaçada!

  Crestfallen

segunda-feira, janeiro 21, 2008 3:09:00 da manhã

Vanadis:

2Portanto, se está viva, está em evolução. Propriedade associativa da matemática. :-p"

Concordo, só discordo da definição aqui dada por 3 ou 4 pessoas de "língua morta".

"Nem estão o grego e o latim. Mas o grego e o latim já nâo evoluem. Não sõa linguas mortas, contudo,"

Ora, isso dá razão à Lili caneças, "estar vivo é diferente de estar morto".

  Vanadis

segunda-feira, janeiro 21, 2008 4:28:00 da manhã

Mas olha lá se ela não tem razão: estar vivo é mesmo diferente de estar morto... :-p

  Vanadis

segunda-feira, janeiro 21, 2008 4:31:00 da manhã

e agora, só mesmo pra fazer o comment 69, que já não fazia um há uns tempos... :-p

o grego e o latim não são linguas mortas pq ainda são faladas, mas não evoluem.

Contudo, na definição básica e biológica do que é vida, aquilo que não evolui não é vivo.

Uma coisa que não está viva, não tem necessariamente de estar morta...o grego e o latim não vivem, mas não estão mortos: sobrevivem, portanto. ;-)

O bom da lingua portuguesa é este: podermos fazer o que quisermos com as palavras e podermos dar as voltas que entendermos com elas...

E, páh, nunca mais voltes a falar na lili caneças num commente dirigido a mim,páh, ainda vão pensar que sou socialite (se me pagassem como a ela...mmmm).

  Crestfallen

segunda-feira, janeiro 21, 2008 4:42:00 da manhã

Vanadis:

"Mas olha lá se ela não tem razão: estar vivo é mesmo diferente de estar morto... :-p"

No entanto é um desperdício de latim dizer tal coisa!!

"e agora, só mesmo pra fazer o comment 69, que já não fazia um há uns tempos... :-p"

Ia mesmo para dizer isso!!!

"Contudo, na definição básica e biológica do que é vida, aquilo que não evolui não é vivo."

Bem existe um estudo Alemão que refere que o ser humano na sua grande maioria deixou de evoluir, estando únicamente uma elite em evolução, no entanto o Sócrates está aparentemente vivo...


"o grego e o latim não vivem, mas não estão mortos: sobrevivem, portanto. ;-)"

Pronto, respondeste à questão anterior :)

"páh, ainda vão pensar que sou socialite (se me pagassem como a ela...mmmm)."

Eu pensava que eras, acho os espirros durante uma prova oral, uma coisa muito VIP :)

  martagarcia

segunda-feira, janeiro 21, 2008 12:39:00 da tarde

Já ando à uns tempos para escrever sobre isto mas... como tenho tido uma certa preguiça de reler o acordo, ainda não o fiz.

Não me vou alongar. Com toda a certeza, não concordo com algumas das alterações que são propostas. Acho que a língua escrita deve reflectir a oralidade. Afinal de contas, a evolução de uma língua é marcada pela forma como falamos, mais do que pela forma como escrevemos. Caso contrário, nunca o latim teria evoluido, derivado e feito nascer outras tantas línguas. Se há sons que não dizemos, não faz sentido estarem representados na escrita. E, apesar de ser um pouco tradicionalista, pensem quantos de vós, dizem o "c" e o "p" em determinadas palavras? (não refiram os chavões, o português é mais do que isso)

Se calhar por estar na primária em 91, não notei e nem me lembro de algumas coisas mas... escrevia-se Português em vez de português? Ou Inglês em vez de inglês? Não me lembro de ter aprendido a fazê-lo com maiúsculas.

A língua portuguesa, seja em Portugal, no Brasil ou noutro qualquer dos países, é sempre a mesma. Infelizmente, os portugueses nunca souberam defender a sua língua. Tem muito mais amor ao Português os brasileiros do que nós! Eles criaram há vários anos políticas de protecção da língua, enviam docentes e formadores de português para todo o lado e preocupam-se com a sua difusão. O português, tanto tempo esteve nas colónias, preocupado em esmifrar os pobres coitados que lá estão e em tê-los como criados e burros de carga, que nunca se deu ao trabalho de lhes ensinar mais do que precisavam para obedecer. É natural, que tenham sofrido misturas com os crioulos, com outras línguas e, portanto, tenha derivado num português diferente.

Não me parece bem incluirmos letras ao nosso alfabeto, não precisamos delas. Abro excepções aos nomes porque estes são o reflexo da nossa identidade cultural. Se eu tivesse nascido em África e tivesse um nome tribal, não ia gostar de o alterar.

É claro que não me agrada ouvir Antônio em vez de António, ou como referes, o gênio em vez de génio. Nestes casos, devemos manter a nossa identidade. Apesar de ser do registo oral, deve permanecer e ser encarado como sotaque. Nunca ser adoptado de uma forma geral na escrita.

O acordo, se ratificado e utilizado, é uma valente chapada para nós porque não valorizámos um dos patrimónios que mais valor tem: a LÍNGUA!

Não sejamos demagogos e aceitemos a evolução. Se evoluiu neste sentido, é resultado de séculos de estupidez dos portugueses.

  martagarcia

segunda-feira, janeiro 21, 2008 12:39:00 da tarde

e já me alonguei!

Desculpem!

  martagarcia

segunda-feira, janeiro 21, 2008 12:51:00 da tarde

É verdade, Crestfallen: não se escrever "contractos" mas sim "contratos".

Contracto, vem do verbo contrair e é a propriedade de algo que está contraído. Que sofreu uma contracção.

Já contrato, é, pelo direito, o acordo feito entre duas partes. Um pacto.

Apesar de contrato ser considerado o acto de contrair um acordo, como substantivo, é esta a forma correcta.

  Crestfallen

segunda-feira, janeiro 21, 2008 3:06:00 da tarde

martagarcia:

"E, apesar de ser um pouco tradicionalista, pensem quantos de vós, dizem o "c" e o "p" em determinadas palavras?"

O "c" e o "p" têm razão de existir, se as pessoas repararem bem as palavras com estas letras são pronunciadas de forma ligeiramente diferente.

"Se calhar por estar na primária em 91, não notei e nem me lembro de algumas coisas mas... escrevia-se Português em vez de português?"

Antes do acordo de 90/91, escrevia-se Português e Portugal, o que passou a ser português e Portugal. Tal como os pontos cardeais, dias da semana, meses, etc perderam a letra maiúscula.

"Infelizmente, os portugueses nunca souberam defender a sua língua."

Tivemos mais de 500 anos para o fazer, mas só nos estamos a preocupar agora, porque é tarde demais.

"Tem muito mais amor ao Português os brasileiros do que nós! Eles criaram há vários anos políticas de protecção da língua"

Não chamo a isso amor, mas sim necessidade. O Brasil foi até recentemente um país em que a maioria da população não tinha acesso à escola. A falta de conhecimentos da sua língua tornam-na sugeita a influências externas. Exemplo disso são os as incriveis adaptações de nomes ingleses para Português. Nome que ouviam na TV e escrivam como soava.

Eu tenho uma amiga que se chama "Suellen" e não "Sue Helen".

"Não me parece bem incluirmos letras ao nosso alfabeto, não precisamos delas. Abro excepções aos nomes porque estes são o reflexo da nossa identidade cultural. Se eu tivesse nascido em África e tivesse um nome tribal, não ia gostar de o alterar."

As letras "k, y, w" entraram para efeitos de pronuncia de nomes estrangeiros, mas já que as aprendemos, porque não permitirem o seu uso? Com a UE sendo um projecto de uma futura federação, Portugal terá de passar a aceitar nomes como Kátia sem impôr que seja Cátia.

  Vanadis

segunda-feira, janeiro 21, 2008 4:49:00 da tarde

Na percebi: espirros durante uma prova oral são muito vip?...

  someone_else

segunda-feira, janeiro 21, 2008 8:12:00 da tarde

«•• Em Portugal, desaparecem da língua escrita o “c” e o “p” nas palavras onde ele não é pronunciado, como em “acção”, “acto”, “adopção” e “baptismo”.

Refere-se a todos o "c" e "p".»

há aqui uma certa contradição, não? se é abolido somente nas palavras onde não se lêem, então não são todos os "c" e "p".

apesar de haver uma ligeira diferença na pronunciação destas palavras, como tu dizes, não me parece que seja suficientemente audível e perceptível para se manter na escrita...infelizmente, porque acho que as raízes latinas deveriam manter-se, afinal de contas, foi a origem da nossa língua, para quê mudar?!

  Moyle

segunda-feira, janeiro 21, 2008 8:21:00 da tarde

o primeiro passo foi com o referendo. quando ganhou o sim, ficaram escancaradas as portas para o Aborto Ortográfico ir em frente...

  Gaja Boa 2

segunda-feira, janeiro 21, 2008 11:20:00 da tarde

Olha esses acordos passam-me ao lado. Eu ignorei o outro e pretendo ignorar tambem este!!!!

Beijos cagados

  Crestfallen

terça-feira, janeiro 22, 2008 12:25:00 da manhã

Vanadis:

Os VIPs também fazem coisas estranhas...

  Crestfallen

terça-feira, janeiro 22, 2008 12:31:00 da manhã

someone_else:

"há aqui uma certa contradição, não? se é abolido somente nas palavras onde não se lêem, então não são todos os "c" e "p"."

Não percebi!
É claro que eles não se referem a abolir as duas letras, sómente quando antecedem outra consoante e não são lidas.

"apesar de haver uma ligeira diferença na pronunciação destas palavras, como tu dizes, não me parece que seja suficientemente audível e perceptível para se manter na escrita..."

Mas se não o fizermos torna-se confuso em diversas palavras com "ato e acto", "fato e facto", "pato e pacto"

Já viste o que é escrever que "que de fato comprei um fato para ir a um jantar assinar um pato onde o jantar em si, era pato!"

  Crestfallen

terça-feira, janeiro 22, 2008 12:32:00 da manhã

Moyle:

"o primeiro passo foi com o referendo. quando ganhou o sim, ficaram escancaradas as portas para o Aborto Ortográfico ir em frente..."

Nunca houve um referendo para aprovar qualquer dos acordos ortográficos. Nem em 1911, nem em 1945, nem em 1990 e muito menos agora.

  Crestfallen

terça-feira, janeiro 22, 2008 12:33:00 da manhã

Gaja Boa 2:

Mainada!

  Vanadis

terça-feira, janeiro 22, 2008 1:29:00 da manhã

Mas eu não. Eu não estou no clube das coisas estranhas, garanto-te. Quem espirra é o pepino!!! :-p

  someone_else

terça-feira, janeiro 22, 2008 10:28:00 da manhã

«Não percebi!
É claro que eles não se referem a abolir as duas letras, somente quando antecedem outra consoante e não são lidas.»

de facto, não percebeste.

em "ato" e "acto" há claramente uma diferença na pronunciação, assim como em "fato" e "facto" e "pato" e "pacto", ou seja, estas palavras manter-se-ão iguais...

«Em Portugal desaparecem da escrita o "c" e o "p" mudos usados em palavras como "acção", "afectivo", "adopção" e "baptismo". »

repara que tu não dizes aCção, nem baPtismo, ou dizes? nestes casos são mudos, por isso irão ser retirados.

por isso, "de fato comprei um fato para ir a um jantar assinar um pato onde o jantar em si, era pato!" não irá acontecer, porque o "c" e o "p" de "facto" e "pacto" manter-se-ão, precisamente para evitar a ambiguidade.

  Crestfallen

terça-feira, janeiro 22, 2008 2:53:00 da tarde

Vanadis:

"Mas eu não. Eu não estou no clube das coisas estranhas, garanto-te. Quem espirra é o pepino!!! :-p"

O pepino nunca espirra, cospe, se esse espirra é porque está doente!

  Crestfallen

terça-feira, janeiro 22, 2008 2:59:00 da tarde

someone_else:

Eu quando chegar a casa irei, passar os olhos pelo documento do acordo, de maneira a não errar. Pois eu tenho a certeza que "facto" é uma das palavras a perder "c". Mas prefiro verificar no documento antes de voltar a falar disso!

Mas uma coisa posso dizer, é fonéticamente incorrecto as pessoas dizerem "aCto" tão errado como dizerem "baPtista", isto são vicios de línguagem desnecessários para a compreenção oral!

  martagarcia

terça-feira, janeiro 22, 2008 5:51:00 da tarde

Crestfallen:

"O "c" e o "p" têm razão de existir, se as pessoas repararem bem as palavras com estas letras são pronunciadas de forma ligeiramente diferente."

Posso até dar o braço a torcer, mesmo assim, acho que no momento em que mais de metade da população deixa de "ouvir/pronunciar" determinado som numa palavra esse som não é representativo. Não precisa de estar lá graficamente, pois foneticamente já não está.

"Não chamo a isso amor, mas sim necessidade. O Brasil foi até recentemente um país em que a maioria da população não tinha acesso à escola. A falta de conhecimentos da sua língua tornam-na sugeita a influências externas. Exemplo disso são os as incriveis adaptações de nomes ingleses para Português. Nome que ouviam na TV e escrivam como soava."

Sim, é verdade que foi uma necessidade. Mas eles criaram já há uns anos politicas que pretendem prevenir a entrada de estrangeirismos, nomeadamente do inglês. Passaram a fazer adaptações/traduções de modo a que o português prevaleça.
As politicas que tem são a nível internacional, uma vez que Portugal, quando pedido pelas antigas colónias ou países europeus não disponibilizou pessoas para irem ensinar português, os brasileiros fazem-no.
Eles estão a ensinar português em Timor, em Angola... Nós, não quisemos mais uma vez aproveitar a hipótese.

Há um ano atrás estive na Rússia e achava estranho eles estarem a aprender português. Quando lhes perguntei, na minha ignorância, porquê o português, um país tão pequeno, obtive a resposta mais óbvia: Por causa do Brasil.

  martagarcia

terça-feira, janeiro 22, 2008 5:57:00 da tarde

Crestfallen:

"Com a UE sendo um projecto de uma futura federação, Portugal terá de passar a aceitar nomes como Kátia sem impôr que seja Cátia."

No caso dos nomes, aceito na totalidade. Isso não cria a necessidade de passarmos a ter essas letras no alfabeto.

Projecto de uma futura federação? Acreditas mesmo nisso? Estou certa que hei-de estar cá para ver a queda/fracasso desse projecto. Nunca havemos de ser uma espécie de Estados Unidos da Europa... há demasiados interesses de determinados países.

Para além disso, federação não significa generalização. Encaro a Espanha como exemplo disso... vai acabar por se desintegrar...

  someone_else

terça-feira, janeiro 22, 2008 6:36:00 da tarde

lol

eu não tenho o acordo, o que sei sobre ele são coisas que vou vendo aqui na internet, por isso não tenho a certeza de nada, mas de acordo com as regras que já li, "facto" permaneceria igual. mas já agora vai lá ver ao acordo e ficamos a ter a certeza. :)

  martagarcia

terça-feira, janeiro 22, 2008 7:24:00 da tarde

someone_else:

"por isso, "de fato comprei um fato para ir a um jantar assinar um pato onde o jantar em si, era pato!" não irá acontecer, porque o "c" e o "p" de "facto" e "pacto" manter-se-ão, precisamente para evitar a ambiguidade."

ahahah. É verdade, é para evitar a ambiguidade mas, sabes que os brasileiros escrevem facto sem o "c"? Tal como acto?

  someone_else

terça-feira, janeiro 22, 2008 11:57:00 da tarde

martagarcia:

sei e o que é que isso tem a ver? estamos a discutir as alterações no português de Portugal e não do Brasil.

  Crestfallen

quarta-feira, janeiro 23, 2008 12:07:00 da manhã

martagarcia:

"Não precisa de estar lá graficamente, pois foneticamente já não está."

Mas fonéticamente entende-se logo o que a pessoa quer dizer, enquanto na escrita já não é tão claro.

"Quando lhes perguntei, na minha ignorância, porquê o português, um país tão pequeno, obtive a resposta mais óbvia: Por causa do Brasil."

O mesmo se passa na Alemanha, as escolas de línguas têm aulas de Português e de Brasileiro, as de Brasileiro têm 10 vezes mais alunos, apesar de ser a mesma língua.

O que é giro é que assisti a uma aula e os professores nem falar sabem!

"Isso não cria a necessidade de passarmos a ter essas letras no alfabeto."

Têm de estar para se saber como as ler!
Kiwi, Kispo, Toys ´r us. As pessoas precisam de saber como estas letras se lêem. Quantas pessoas em Portugal não chamam ao Kiwi "Kiui". O "w" chama-se "duplo w", portanto diga-se "Kivi". Sem aprender estas letras, as pessoas não as sabem ler.

"Projecto de uma futura federação? Acreditas mesmo nisso?"

Basta que França caia na realidade e diga sim à constituição Europeia. É para isso que serve a constituição. Já temos mandatos de captura Europeus, fronteiras abertas, livre circulação de pessoas e bens, moeda única, Exército europeu. Após haver uma constituição 70% do caminho está percorrido. Os próximos passos são a estabilização dos impostos por excesso e o governo central, que já tem as suas estruturas em Bruxelas.

Que a UE será uma federação é mais do que uma certeza. Uma federação com 27 regiões autónomas.

"Nunca havemos de ser uma espécie de Estados Unidos da Europa..."

Não digo Estados Unidos da Europa, digo um federação como a Alemanha e Espanha, países compostos por pequenos países autónomos. A Alemanha não é um país são muitos. Só a cidade de Hamburgo é um estado independente, livremente associado à Alemanha, tal como Saxen, Niedersaxen, Bavaria, Bayern, etc.

"Para além disso, federação não significa generalização. Encaro a Espanha como exemplo disso... vai acabar por se desintegrar..."

A própria UE está a inviabilizar isso. A possível independência da Madeira, acenta no sonho de a tornar um paraíso fiscal, o problema é que se isso acontecer, será sancionada e isolada por toda a união Europeia, caindo na miséria.

Por isso existem as pressões que temos para acabar com os paraísos fiscais, onde Portugal (Madeira), Espanha (Andorra), Inglaterra (Ilha de Mann e Gibraltar), França (Mónaco), Malta, estão sobre forte pressão política.

  martagarcia

quarta-feira, janeiro 23, 2008 12:08:00 da manhã

someone_else:

"sei e o que é que isso tem a ver? estamos a discutir as alterações no português de Portugal e não do Brasil."

Estava a deixar aquilo a titulo de curiosidade. Até porque não falaste em alterações mas no que fica/deve ficar igual por uma questão de evitar ambiguidades.

Não tencionava tomar ninguém por ignorante nem ferir susceptibilidades.

Ah, e tanto quanto sei o acordo ortográfico é referente ao Português, há alterações de um lado e de outro. Portanto, estamos a falar de alterações da Língua Portuguesa.

  Crestfallen

quarta-feira, janeiro 23, 2008 12:09:00 da manhã

someone_else:

Tal como te disse, fui confirmar. Na proposta de acordo as palavras:

"Acto" e "facto", estão incluídas na lista para perder o "c", a única que não encontro referência é a palavra "pacto".

  Crestfallen

quarta-feira, janeiro 23, 2008 12:10:00 da manhã

martagarcia:

Facto e acto são mesmo palavras a perder o "c", só tenho dúvidas em "pacto", pois não é feita qualquer referência, mas o acordo fala em todas e isso já abrangente.

  martagarcia

quarta-feira, janeiro 23, 2008 12:17:00 da manhã

Crestfallen:

Não tinha noção de que a Alemanha tinha um funcionamento tão semelhante à Espanha.

"A possível independência da Madeira, acenta no sonho de a tornar um paraíso fiscal, o problema é que se isso acontecer, será sancionada e isolada por toda a união Europeia, caindo na miséria."

A Madeira jamais será independente... Mas se isso acontecesse seria uma forma dos madeirenses finalmente perceberem que continuarem a achar que o Alberto João Jardim é que lhes deu e dá tudo é completamente errada. (Não vou continuar com este assunto, acho que deveria ficar para um post teu ou meu. Este é um assunto sensível por causa das minhas costelas madeirenses.)

  Crestfallen

quarta-feira, janeiro 23, 2008 1:27:00 da manhã

martagarcia:

"Não tinha noção de que a Alemanha tinha um funcionamento tão semelhante à Espanha."

Espanha tem regiões e regiões autónomas. A Alemanha tem estados autónomos.

  vanadis

quarta-feira, janeiro 23, 2008 3:14:00 da manhã

Ok, pronto, cospe... ;-p dá umas cuspidelazitas no durante. E, já agora, não é anis. Bem me parecia que me estava a equivocar. É almiscar!!

  Crestfallen

quarta-feira, janeiro 23, 2008 3:32:00 da manhã

vanadis:

"É almiscar!!"

Não conheço nem quero conhecer :P

  someone_else

quarta-feira, janeiro 23, 2008 1:54:00 da tarde

crestfallen:

podes-me enviar o acordo para swiss_swatch@sapo.pt, se não for pedir muito?

já agora, obrigada pelo esclarecimento e, de facto, é estúpido o "c" desaparecer nessas palavras...mas pronto, não me vou alongar mais sobre isto. lol

agradecia se me pudesses enviar o acordo.

beijo

  Moyle

quarta-feira, janeiro 23, 2008 2:35:00 da tarde

Exactamente. O referendo foi ao aborto. Mas não é um aborto ortográfico que querem fazer aprovar?

  Crestfallen

quarta-feira, janeiro 23, 2008 2:37:00 da tarde

someone_else:

Enviarei.

  Crestfallen

quarta-feira, janeiro 23, 2008 2:37:00 da tarde

Moyle:

"Exactamente. O referendo foi ao aborto. Mas não é um aborto ortográfico que querem fazer aprovar?"

LOOOL

  Dark Wonka

quinta-feira, setembro 03, 2009 2:38:00 da tarde

Vamos ver, escravizaram os índios africanos e brasileiros, descaracterizaram completamente a cultura brasileira, levaram boa parte de nosso ouro (o Brasileiro, que foi conseguido usando trabalho escravo) para a Europa e ainda por cima cobraram uma fortuna com juros abusivos para nos tornarem “livres” (na real só pioro a situação do Brasil já que nos deixou nas mãos de militares, que mais tarde voltaram ao poder graças as “velhas tradições”, onde o líder geralmente é militar)

Já tava na hora de vocês se fuderem.

Agora falando sério.

Uma merda total, envergonho-me de ter votado no Lula.
Quando finalmente tava começando a aprender (sou matemático, não lingüista), vem o presidente e assina aquela merda de acordo.