O BPI

Sei bem que vou falar do Millenium BCP brevemente, acho o caso que vou referir bem mais grave.

Uma grande fatia das receitas de Portugal vem da diáspora. O dinheiro que os imigrantes mandam diariamente para Portugal é essencial para a economia nacional, no entanto as entidades privadas não querem saber disso.

Apesar de onde moro existir uma delegação do BPI, anda por aqui um representante que não trabalha nessa delegação. Este senhor possui uma interessante base de dados sobre os imigrantes, em particular das suas profissões e só anda a contactar certos imigrantes e não todos. Parece haver um interesse particular pelos chamados imigrantes de sucesso.

Apesar de eu estar fora da "rede" e completamente integrado na sociedade do país onde resido, através de uma recomendação de terceiros, este senhor chegou até mim. Apresentou-se como representante do BPI e recebeu logo um "fora" meu, pois estou satisfeito com o meu banco. No entanto ele insistiu e ofereceu-se para me apresentar uma proposta durante um jantar que seria pago pelo BPI.

Ao entregar-me o seu cartão, reparo em algo estranho, o logotipo do BPI não era laranja mas sim azul. O senhor sorriu e louvou a minha capacidade de reparar em detalhes (o chamado lambe-botas).
No fundo o BPI de logo azul é o departamento offshore do BPI, aquele que contorna a lei portuguesa e Europeia fazendo dinheiro desaparecer.
Basicamente a proposta deste senhor é que eu lhes confie o meu dinheiro, fazendo-o desaparecer do sistema, não tendo de pagar impostos nacionais e fazendo-o reaparecer num "offshore" mais exactamente em Singapura. Tudo isto em troca de uma comissão.

O processo é relativamente simples: O dinheiro entra numa conta anónima do BPI, a qual será da responsabilidade deste "gestor de conta", que por sua vez o faz desaparecer, transferindo-o para Macau depois de uma passagem pela Madeira. De Macau é enviado para Singapura, voltando eu a ter controlo sobre esse dinheiro.
De facto, o dinheiro que tenho no banco aqui, já pagou impostos e por isso nada tenho a ganhar com um offshore, este processo é recomendado para quem tem dinheiro "negro", dinheiro que se recebe sem que impostos tenham sido pagos e que por isso não podem aparecer de qualquer maneira em contas bancárias. 

No site do BPI não encontro nada sobre esse departamento de logotipo azul. Fui a um site onde podemos obter informação sobre bancos e suas actividades e fica claro que o BPI usa destas estratégias:


O dinheiro entra no BPI português:


E termina no BPI Philipino expandido para Singapura?:


É interessante saber que um dos maiores grupos financeiros português, está a prejudicar Portugal desviando fundos essenciais ao não agravamento da actual crise.
Claro que isto é uma critica a uma actividade corrupta, mas se o BPI o faz certamente que os outros grupos privados de Portugal o fazem, imitando a tendência corrupta da banca mundial.

Se eu ou vocês abrirem uma conta offshore ou onshore num paraíso fiscal, evitando pagar impostos estamos a violar a lei. Se um banco oficial o faz estão unicamente a contornar a lei. É como, quando alguém rouba uma carteira com 5 Euros, roubou e quem rouba um saco azul com 10 milhões de euros, desviou. A lei é justa para alguns. A lei é severa para alguns. A lei só se aplica a alguns...

16 Comentários:

  martadaniella e joão teixeira

segunda-feira, abril 18, 2011 2:44:00 da manhã

é só para avisar que não consigo aceder a um texto teu de titulo : "Mais um passo atrás para Portugal"

  Anónimo

segunda-feira, abril 18, 2011 12:18:00 da tarde

Na verdade o maior problema é a lei. Muitos destes esquemas são perfeitamente legais, pois podem ser usados de forma legítima. Não há nada de errado em transferir o meu dinheiro para Singapura (ou outro país qualquer).

O que é ilegal é não declarar estes rendimentos e não pagar impostos sobre eles, mas isso é responsabilidade do depositante e não do banco.

O banco limita-se a disponibilizar um serviço. É verdade que esse serviço facilita as infracções, mas não é, em si mesmo, ilegal.

É como culpabilizar os fabricantes de DVDs virgens pela pirataria de filmes. É verdade que esses DVDs (eu diria que a maioria) são usados para piratear filmes, mas o ilícito é cometido por quem os usa de forma ilegal, não por quem os fabrica.

  Lusitano

segunda-feira, abril 18, 2011 2:52:00 da tarde

http://realidadeoculta-novo.blogspot.com/2011/04/hackers-invadem-site-da-sic.html

  Bruno Fehr

segunda-feira, abril 18, 2011 6:05:00 da tarde

martadaniella e joão teixeira

"é só para avisar que não consigo aceder a um texto teu de titulo : "Mais um passo atrás para Portugal""

Vou ver o que se passa e depois respondo nestes comentários.

  Bruno Fehr

segunda-feira, abril 18, 2011 6:05:00 da tarde

Anónimo:

"Na verdade o maior problema é a lei. Muitos destes esquemas são perfeitamente legais, pois podem ser usados de forma legítima."

Perfeitamente legais não são, é um contorno à lei. Se fossem legais eram feitos às claras e não em reuniões durante jantares obscuros, onde o próprio banco incentiva ao não pagamento de impostos sobre esses rendimentos.

"Não há nada de errado em transferir o meu dinheiro para Singapura (ou outro país qualquer)."

Desde que sejam valores declarados e para isso não preciso do BPI a fazer essas transações às escondidas.

"O que é ilegal é não declarar estes rendimentos e não pagar impostos sobre eles, mas isso é responsabilidade do depositante e não do banco."

Errado! Este serviço disponibilizado pelo BPI torna o banco o depositante. Eu não deposito dinheiro nenhum, confio o dinheiro a um representante do BPI que o depositará sabe-se lá em que conta e o banco faz o resto.
Se é um "gestor de conta" a depositar, o crime é cometido pelo banco.

"É como culpabilizar os fabricantes de DVDs virgens pela pirataria de filmes. É verdade que esses DVDs (eu diria que a maioria) são usados para piratear filmes, mas o ilícito é cometido por quem os usa de forma ilegal, não por quem os fabrica."

O que não se aplica a este caso, pois o BPI leva o dinheiro de minha casa até Singapura sem eu nunca ver o interior de um banco. Logo, quem disponibiliza o serviço é que comete a infração. A mim, no máximo, o Estado retiraria uma % de impostos depois de eu justificar a origem do dinheiro. O banco teria mais justificações a dar, em particular no país onde estou.

  Bruno Fehr

segunda-feira, abril 18, 2011 6:05:00 da tarde

Lusitano:

"http://realidadeoculta-novo.blogspot.com/2011/04/hackers-invadem-site-da-sic.html"

Isso é óbvio. O FMI faz quase sempre isso, limita a quantidade de dinheiro que se pode levantar e pode até congelar as contas. Já aconteceu no Brasil.

  Bruno Fehr

segunda-feira, abril 18, 2011 6:09:00 da tarde

martadaniella e joão teixeira:

Tens razão, a página está inacessível no Internet Explorer, o que não é de estranhar pois várias deste blogue estão inacessíveis nesse navegador.

Para evitar esse tipo de problemas, recomendo que usem o Mozzila FireFox, é o melhor navegador e o único totalmente livre.

  martadaniella e joão teixeira

segunda-feira, abril 18, 2011 11:52:00 da tarde

É o que eu utilizo ( Mozzila FireFox ) e não consegui aceder através daqueles links que tu tens no fim do post. Só consegui aceder ao texto através do search em cima, já agora bom post.

  ze

segunda-feira, abril 18, 2011 11:54:00 da tarde

Ola bruno,

Não estando exactamente a falar deste assunto que bancos em Portugal achas que vão cair 1º ?

  Bruno Fehr

terça-feira, abril 19, 2011 12:20:00 da manhã

martadaniella e joão teixeira:

"É o que eu utilizo ( Mozzila FireFox ) e não consegui aceder através daqueles links que tu tens no fim do post."

Pode ser problema do script desses links. Vou testar.

  Bruno Fehr

terça-feira, abril 19, 2011 12:20:00 da manhã

ze:

"Não estando exactamente a falar deste assunto que bancos em Portugal achas que vão cair 1º ?"

Portugal pediu ajuda e portanto com a ajuda do FMI apesar de irmos ser "depenados" pelo FMI os bancos não vão falir. O FMI recupera economias à custa da população mas protegem sempre os grupos financeiros.

O que podem temer é:

1- Congelamento do subsidio de Natal.

2- Congelamento do subsidio de férias.

3- Congelamento de aumentos em 2012.

4- Congelamento de poupanças bancárias.

Agora os bancos, se não faliram até agora não irão falir com o FMI em Portugal, antes pelo contrário, vão ser engordados.

  skeptikos

terça-feira, abril 19, 2011 9:07:00 da manhã

Eu diria que tudo não passa de autênticos «golpes de estado financeiro» da “plutonomia” vigente - a economia caracterizada por uma muito alta concentração da riqueza - (da banca e demais corporações) que atingiu os EUA e se alastrou até à quase totalidade dos países não anglo-saxónicos no mundo, com a bênção dos políticos e demais palhaços vendidos.

  Anónimo

domingo, abril 24, 2011 9:10:00 da tarde

bruno fher, eu sei que nao tem nada a ver o assunto que vou dizer mas quero que vc de uma olhada!
YU GI OH.....
piramidi, o olho de horus! bruxaria!
de uma olhada por favor, e se vc quiser postar um estudo sobre esse desenho satanico (acredito que vai)ficarei grato!
obrigado
xD

  Bruno Fehr

segunda-feira, abril 25, 2011 10:43:00 da tarde

Anónimo:

"YU GI OH.....
piramidi, o olho de horus! bruxaria!"

Conheço o jogo mas são vários milhares de cartas.
Em breve irei falar de um jogo desses.

  Bruno Fehr

segunda-feira, abril 25, 2011 11:26:00 da tarde

Distraído:

Você comentou noutro texto uma questão sobre este texto e por isso pode encontrar a resposta nos comentários deste texto: http://so-me-apetece-cobrir.blogspot.com/2011/03/japao-110311-ontem-hoje-e-amanha-parte_30.html

  Anónimo

terça-feira, agosto 14, 2012 11:45:00 da tarde

só para informar que o simbolo azul é do private do banco de investimento do bpi onde est~ao grande pare dos melhores clientes...