Japão 11.03.11 - Ontem, hoje e amanhã (Parte 5)

Acabei o último texto dizendo que a central nuclear de Fukushima iria ser desactivada a 26 de Março de 2011, no entanto existem noticias de que ela tinha recebido uma licença de mais 10 anos. Apesar de não ter visto essa informação quando iniciei a pesquisa, isso não invalida que essa licença tenha sido realmente passada. Mesmo trabalhando por mais 10 anos a central teria de ser desactivada pois era já uma relíquia. Para a empresa que a explora, esta catástrofe foi uma bênção que resultou não só, em guardarem as centenas de milhões dólares que iriam gastar durante mais de uma década a desactivar a central, visto que um reactor não tem um botão off que é só desligar e desmontar, bem como ainda vão receber uma choruda indemnização das seguradoras.  Isto faz-me lembrar o World Trade Center onde teriam de gastar centenas de milhões de dólares a limpar a estrutura interna ou teriam de desmontar as torres andar por andar. Não só o 11 de Setembro poupou incontáveis milhões ao Estado de Nova York como rendeu ao arrendatário das torres, duas vezes o valor do seguro que tinha sobre elas. Duas vezes pois dois aviões eram dois ataques e portanto duas indemnizações, de acordo com o seguro contra terrorismo que tinha feito 3 meses antes.

É difícil acreditar que se mate em nome do lucro? Então porque é que não é difícil acreditar em guerras? A função de uma guerra é permitir que a economia seja mantida através de continua construção de armas que para ser mantida, essas armas precisam ser usadas. Um míssil lançado é um novo míssil que vai ser construido e um país destruído é uma oportunidade de ouro para o vencedor e bancos mundiais reconstruirem um país. Reconstruir um país depois de uma guerra não é uma despesa, é tudo lucro. Dá lucro destruir e dá lucro reconstruir.
Mas numa guerra, vidas são perdidas, e se bem que poucos são os que ligam aos civis mortos é sempre má publicidade quando morre um soldado do nosso país. Mortes civis em catástrofes "naturais", é lucro e livre de má publicidade.

O que é interessante é que até ao dia do terramoto o Japão estava mais uma vez numa posição de poder, praticamente isentos de divida externa e mantendo uma grande reserva de dólares que lhes dá poder sobre a economia dos EUA. E por isso voltavam a irritar os EUA e seus fantoches: OMS, NATO, FMI.

2005
Médicos japoneses estabeleceram uma ligação directa entre o Tamiflu e o suicídio de dois jovens bem como de 64 casos problemáticos, afectando a imagem da industria farmacêutica que apresentava o Tamiflu como medicamento eficaz.

2007
Após mortes de diversas crianças depois tomarem Tamiflu, o Japão voltou a colocar em causa a segurança do medicamento, que era um dos mais vendidos do mundo entre as estranhas fases dos vírus H5N1 (gripe das aves que afinal não matava humanos) e H1N1 (gripe suína que afinal era uma pandemia imaginária). Um dia depois deste segundo ataque ao Tamiflu, o medicamento foi proibido de ser administrado a crianças e jovens no Japão.

2009
Durante a fantochada do vírus H1N1, cuja propaganda Americana para venda de vacinas foi liderada pela OMS, o Japão decidiu não tornar a vacinação obrigatória depois de terem morrido 21 pessoas após serem vacinadas. Declararam ainda que as vacinas não eram seguras para grávidas e crianças e decidiu não as administrar. Anteriormente tinham recusado as vacinas Baxter (empresa que tinha recebido imunidade criminal do governo dos EUA), tendo adquirido vacinas da GSK e Novartis.

2010
O Japão recusa-se a prolongar o Tratado de Kyoto. Os EUA nunca o tinham assinado mas era conveniente para os seus interesses que os outros países industrializados estivessem sob essas limitações.


2011
No dia 07/03/2011 o Japão faz mais um ataque às empresas criadoras de vacinas, pedindo aos médicos para pararem de administrar algumas delas após a morte de crianças.





Um dia depois da noticia acima referida, no dia 08/03/2011 o Japão lança uma bomba política:



Governador de Tóquio apresentou publicamente a sua opinião de que o Japão precisa desenvolver armamento nuclear. Apesar de o Japão só ter sido atacado nuclearmente pelos EUA, este governador só referiu a necessidade dessas armas para se defenderem da China, Coreia do Norte e Rússia, mas obviamente se incluí qualquer inimigo.

Mesmo não tendo em mente os casos anteriores, quando li a noticia do dia 08 e me lembrei da do dia 7 eu não pensei na reacção chinesa ou russa, pensei sim: "Os Americanos vão adorar estas noticias", e esperei as reacções políticas. O que me surpreendeu foi... o silencio. Por incrível que pareça não houve nenhuma reacção a destacar do país a quem menos interessa um Japão com armamento nuclear (EUA). A posição anti-nuclear para fins militares tem sido desde o final da segunda guerra mundial uma imposição Americana colocada na boca dos líderes maçónicos do Japão.

Com a capacidade económica, tecnológica e militar que o Japão possui, se eles construissem armamento nuclear iriam anular as capacidades dos seus vizinhos Americanos, Chineses e Norte Coreanos e Russos. Em vez de ser eu a dizer isso, irei recorrer a uma citação que a imprensa internacional parece referir em uníssono:



No dia 11 assim que surgiram as noticias do terramoto, inicialmente através do meu telemóvel, tentei aceder ao site HAARP, para ver os valores energéticos emanados pelas centrais HAARP no Alaska e vi algo que nunca tinha visto, o site estava em baixo e manteve-se em baixo durante todo o dia 11 e parte do dia 12.

Já num dos textos de uma série que escrevi, intitulada Veritas eu tinha falado por alto no HAARP (neste texto). Voltei a falar do HAARP, neste texto, em resposta e esclarecimento de um agente desinformador anónimo deste blogue. Falei mais uma vez no HAARP, neste texto, expondo que a União Europeia vê o HAARP como um arma e confirma a suas capacidades que muita gente diz terem sido inventadas em blogues como este.

O Japão com este ataque sofreu um recuo de algumas décadas nas suas aspirações a armamento nuclear pois terão ainda mais oposição do próprio povo japonês. Sem referir que com os níveis de radioactividade as suas exportações irão baixar drasticamente o que os tornará nas próximas décadas totalmente dependentes dos EUA e Europa, se é que alguma vez poderão recuperar os sectores da sua economia que irão perder para grupos Americanos em troca de ajuda.

É claro que podem perguntar: "Se é tão fácil anular as aspirações nucleares do Japão e fazer com que eles baixem a cabeça em submissão, porque motivo isso não foi feito com a China?".

A resposta será dada na parte 6 desta série...


Próximo texto: 11.03.11 - Ontem, hoje e amanhã (Parte 6)

12 Comentários:

  Anónimo

quinta-feira, abril 07, 2011 2:40:00 da tarde

Primeiro porque a china é a fábrica do mundo, depois porque é o estado modelo para a Nações Unidas sendo a que têm mais prémios internacionais. Sabes, os psicopatas como George soros adoram a china onde a obediência à autoridade é total e nada se questiona. Por último em 1925 criou-se o Instituto de relações do pacifico que divide a área em 12 regiões, mais conhecido como "the pacific Rim", existe para formar a União Asiática da qual a china será líder.

  Anónimo

quinta-feira, abril 07, 2011 4:26:00 da tarde

Duh, japanoses e chineses é tudo a mesma coisa, tudo olhos em bico

  João P.

quinta-feira, abril 07, 2011 6:26:00 da tarde

Novo terramoto no Japão e o site do HAARP está down novamente por aqui...
Coincidência?

  Bruno Fehr

sexta-feira, abril 08, 2011 2:23:00 da manhã

Anónimo:

"Primeiro porque a china é a fábrica do mundo, depois porque é o estado modelo para a Nações Unidas sendo a que têm mais prémios internacionais."

O jogo militar entre a China e os EUA foi decisivo para manter os EUA bem amiguinhos da China, bem como o facto da China ser o maior credor deles.

  Bruno Fehr

sexta-feira, abril 08, 2011 2:24:00 da manhã

Anónimo:

"Duh, japanoses e chineses é tudo a mesma coisa, tudo olhos em bico"

Eles distinguem-se bem quer culturalmente, quer na rua. Eles são tão parecidos como um negro é parecido com um branco, tudo olhos redondos.

  Bruno Fehr

sexta-feira, abril 08, 2011 2:24:00 da manhã

João P.:

"Novo terramoto no Japão e o site do HAARP está down novamente por aqui...
Coincidência?"

Assim que recebi o teu comentário via mail no telemóvel, tentei aceder ao site e não consegui. Tenho tentado de hora a hora e até agora 02:23 o site ainda está em baixo.

Há coincidências fantásticas...

  Anónimo

sexta-feira, abril 08, 2011 3:00:00 da manhã

nao foi so na china k houve terramoto! tambem no mexico meia hora depois! parece-me muuuuuuuuuito estranho haver 2 terramotos grandes assim com tao pouco tempo de distancia! e sei k o japão e o mexico nao estao os dois proximos! mas não deixa de ser estranho!porque raio o mexico?

A china e japão sao muito diferentes! alias, as quezilias entre esses dois paises ja vem de há muitos seculos! eles tem a mania de se copiar um poucoxinho um ao outro! gente abespinhada! lol os chineses tem os olhos em bico e os japoneses olhos redondos! ha kem diga k akilo k as mulheres orientais tem no meio das pernas é atravessado! e nao tou a falar dos joelhos! hehehehehehe

  skeptikos

sexta-feira, abril 08, 2011 3:55:00 da manhã

Concordo plenamente.

Quanto à China versus USA, há, a meu ver, 3 razões principais:

1ª) A China possui os Estados Unidos economicamente, sendo o banco central chinês o maior detentor da dívida americana (aproxi. 1 trilião de USD).

2ª) A China é também rica em população e mão-de-obra barata, energia fóssil, recursos minerais (RARE EARTH p/alta tecnologia http://pubs.usgs.gov/fs/2002/fs087-02/), alimentos, ouro, moeda e activos financeiros, capacidade industrial, investigação e desenvolvimento.


«(...)(3) Availability of Chinese REE to U.S. markets depends on continued stability in China’s internal politics and economy, and its relations to other countries.»
http://pubs.usgs.gov/fs/2002/fs087-02/

Mais aqui: http://blogs.canoe.ca/parker/general/rare-earths-china%C2%B4s-not-so-secret-secret-weapon/

3ª) A economia Alemã volta-se para leste, ao lado da Rússia e da China.


Quando se registou o terramoto+tsunami de 11 de Março, no Japão, pensei na possibilidade HAARP e de a China ou a própria América serem também vítimas de eventuais réplicas. Pelos vistos, uns dias antes a China registou um sismo, creio, na escala 6. Hoje parece que houve outro no Japão sem grandes consequências.
Será que não vão acontecer mais réplicas?

  Bruno Fehr

sexta-feira, abril 08, 2011 5:19:00 da manhã

Anónimo:

"porque raio o mexico?"

Não me debrucei sobre esse caso por falta de tempo. No entanto existe interesse em unir México, EUA e Canadá numa espécie de União Norte Americana. Será que o México está disposto a ser a mão de obra barata dos outros dois?

"os chineses tem os olhos em bico e os japoneses olhos redondos!"

E os chineses são todos amarelos, os japoneses homens são castanhos e as mulheres branquinhas.

"ha kem diga k akilo k as mulheres orientais tem no meio das pernas é atravessado! e nao tou a falar dos joelhos! hehehehehehe"

Atravessado não é, mas possuem uma ligação directa entre vagina e cordas vocais, pois fazem mais barulho que uma sirene de bombeiros ao mínimo toque!

  Bruno Fehr

sexta-feira, abril 08, 2011 5:27:00 da manhã

skeptikos:

"1ª) A China possui os Estados Unidos economicamente, sendo o banco central chinês o maior detentor da dívida americana (aproxi. 1 trilião de USD)."

E em crescimento constante devido a juros e aos empréstimos anuais de que os EUA necessitam por não produzirem nada actualmente.

"2ª) A China é também rica em população e mão-de-obra barata, energia fóssil, recursos minerais (RARE EARTH p/alta tecnologia http://pubs.usgs.gov/fs/2002/fs087-02/), alimentos, ouro, moeda e activos financeiros, capacidade industrial, investigação e desenvolvimento."

É uma vantagem chinesa de facto. Até quando adquirem empresas ou fazem obras fora da China, levam essa mão de obra barata com eles, evitando a mão d'obra local.


"(3) Availability of Chinese REE to U.S. markets depends on continued stability in China’s internal politics and economy, and its relations to other countries.»
http://pubs.usgs.gov/fs/2002/fs087-02/"

Essa estabilidade também está directamente relacionada com a capacidade da China de gastar os dólares que vai recebendo dos EUA, pois sabe que ficar com eles é arriscado.


"3ª) A economia Alemã volta-se para leste, ao lado da Rússia e da China."

E por isso está em acelerado crescimento económico em ano de falências Europeias. E também: A Alemanha por causa do ataque à Líbia, suspendeu todas as acções militares NATO, recolhendo toda a sua frota naval em exercícios. Poderam também retirar as tropas do médio oriente.


"e de a China ou a própria América serem também vítimas de eventuais réplicas. Pelos vistos, uns dias antes a China registou um sismo, creio, na escala 6. Hoje parece que houve outro no Japão sem grandes consequências."

O caso das réplicas é esperado, estranho é não as haver, como aconteceu no Irão. Ainda não sei a escala do terramoto de hoje, sei que passou da escala de 7 e sei que o site HAARP esteve e está ainda em baixo.

"Será que não vão acontecer mais réplicas?"

Só quando o site HAARP voltar poderei teorizar se foi uma réplica ou um aviso à teimosia Japonesa de quererem manter e reconstruir o seu programa nuclear.

  skeptikos

sexta-feira, abril 08, 2011 7:18:00 da manhã

Sem dúvida, uma guerra cambial é o que estamos a presenciar.
Mas não só, creio que para além do combate dos USA à energia barata (nuclear) há outra frente - os recurso naturais, sobretudo hídricos e as terras férteis.
A prova está no algodão do Egipto e na água da Líbia, para além do "ouro negro". Outra manobra dos USA é actual sedução ao Brasil.
No meio, ficamos nós à espera que o canal do suez eventualmente seja fechado o que de certa forma causaria algum embaraço à China e ao mesmo tempo colocaria os nossos portos no auge. Talvez seja esta a justificação para a tríade de macau estar tão "agarrada ao poder" por cá...?

  Bruno Fehr

sexta-feira, abril 08, 2011 7:29:00 da manhã

skeptikos:

"os recurso naturais, sobretudo hídricos e as terras férteis."

Julgo que as terras é um problema contornável, mas os recursos hídricos são sem dúvida um objectivo. Existe o desejo de controlar a água, até já existem projectos-lei que expropriam os teus direitos sobre água que passa no teu terreno.

"Talvez seja esta a justificação para a tríade de macau estar tão "agarrada ao poder" por cá...?"

Sim, no entanto eu olho para as condicoes do porto de Lisboa e comparo com outros portos Europeus (nem menciono o de Hamburgo) e penso, "quem quereria para aqui?". Tem tudo para ser dos melhores da Europa excepto as condições.