Japão, EUA, Europa sob anéis HAARP

Parece que as previsões anteriores se estão a confirmar e certas áreas do Japão parecem estar a afundar-se, agora só resta esperar até ao final da semana santa para ver como esta situação se desenvolve e que presente pascal espera o Japão. Enquanto se espera, é altura para analisar os anéis HAARP detectados em mapas meteorológicos sobre os EUA e sobre a Europa e verificar o que se está a passar.

Europa:
Anéis HAARP foram detectados nos dia 15, 16 e 17 de Março sobre o Luxemburgo, Bélgica, sul da Alemanha e Holanda trazendo mau tempo e um pequeno terramoto em que o epicentro foi sensivelmente no centro do anel detectado.




EUA:
Diversos anéis HAARP foram detectados em mapas metereológicos sobre os EUA e na verdade estamos assistir a uma espécie de encontro mundial de tornados com 240 tornados em 3 dias. É certo que os EUA são atingidos por cerca de 1000 tornados por ano, mas 240 em 3 dias é novidade. Nas áreas onde foram detectados anéis HAARP, 24 horas depois, verificaram-se tornados.
É certo que não foram detectados 240 anéis HAARP nem precisariam ser, no entanto nos que foram detectados houve uma relação de 100% entre anel HAARP e tornado.

California:





Julgo que isto será só o inicio e iremos ver muitos mais tornados em território Americano. Se bem que muita gente irá morrer, certamente que estes tornado irão dispersar a radiação nuclear vinda do Japão. No entanto a maioria dela irá cair sobre o solo com as chuvas.

Outro facto interessante é a extensiva campanha nos EUA sobre terramotos, aparentemente para preparar as populações com base nos acontecimentos do Japão, mas precisamos ter em conta a fantástica capacidade do governo Americano adivinhar o futuro. Não podemos esquecer que no dia 10 de Setembro de 2001 a FEMA fez 3 previsões de futuro. A primeira previsão aconteceu no dia seguinte com o ataque às torres gémeas em Nova York. A segunda previsão aconteceu com o furação de New Orleans. A terceira previsão está por acontecer e consiste em terramotos na California que podem afectar as centrais nucleares de Diablo Canyon e San Onofre.

Que se lixe Nostradamus a FEMA a adivinhar o futuro bate-o aos pontos...

36 Comentários:

  Anónimo

terça-feira, abril 19, 2011 11:01:00 da manhã

"(...) no entanto nos [tornados com 'anéis'] que foram detectados houve uma relação de 100% entre anel HAARP e tornado."

Erro científico básico. Correlação não implica causalidade.

Um exemplo: O gato acorda sempre que o sol nasce. O nascimento do sol está correlacionado com o despertar do gato, mas o despertar do gato não é a causa pela qual o sol nasce, nem é necessário que o gato acorde aquela hora por causa do nascimento do sol, pode acordar todos os dias aquela hora por outro qualquer motivo.

A correlação é uma condição necessária para a causalidade, mas não é suficiente. É preciso algo mais forte que uma correlação para se afirmar que estamos perante uma relação causa-efeito.

  Anónimo

terça-feira, abril 19, 2011 2:18:00 da tarde

O que terá a Alemanha a dizer sobre o assunto? isto se tem algo a dizer de todo

  HP

terça-feira, abril 19, 2011 4:48:00 da tarde

Já à varias semanas que o site do haarp está em baixo. E, quando se busca no google, esse site deixou de aparecer (pelo menos até à 3º pagina).

  Streetwarrior

quarta-feira, abril 20, 2011 8:57:00 da manhã

Bruno, como desconfiava, este assunto só pode estar relacionado com o concurso publico que o Fema fez , como mencionei neste Post.

http://espirra-verdades.blogspot.com/2011/02/e-sempre-bom-saber.html

È como dizes, eses gajos são 1000x melhores que o Nostrodamus.

E o mau tempo que se está a fazer sentir por PT, pode estar relacionado com isso.
No dia 18, em Lisboa, aconteceu uma coisa que eu nunca me lembro de ter acontecido...passou a noite inteira a Trovejar de uma forma constante e intensa e com muito pouco intervalo entre relâmpagos o que me deixou um pouco apreensivo, não por ter medo de trovões mas sim pela forma constante como eles se davam...fiquei mesmo WTF , isto não é muito normal...

  Anónimo

quarta-feira, abril 20, 2011 10:29:00 da manhã

"O gato acorda sempre que o sol nasce". O Sol nao nasce sempre a mesma hora...

  Osga

quinta-feira, abril 21, 2011 12:00:00 da manhã

Bruno,

está ai o 25 de Abril à porta pq não fazes uma serie sobre isso?!

- Spinola, Mario Soares Cunhal e sus amigos

- Razões para o 25 de abril ter acontecido

- maçonaria e o 25 de Abril

- livros recomendados

  Bruno Fehr

quinta-feira, abril 21, 2011 12:37:00 da manhã

Anónimo:

"Erro científico básico. Correlação não implica causalidade."

Erro cientifico? Também não a exclui!

"Um exemplo: O gato acorda sempre que o sol nasce. O nascimento do sol está correlacionado com o despertar do gato, mas o despertar do gato não é a causa pela qual o sol nasce"

Da mesma forma: A existência do HAARP não está relacionada com a existência de um furação, no entanto quando o sol ou HAARP nascem o gato ou furação acorda!

Se estamos numa de semântica, então é assim mesmo :)

"nem é necessário que o gato acorde aquela hora por causa do nascimento do sol, pode acordar todos os dias aquela hora por outro qualquer motivo."

Sendo um deles o sol...

  Bruno Fehr

quinta-feira, abril 21, 2011 12:37:00 da manhã

Anónimo:

"O que terá a Alemanha a dizer sobre o assunto? isto se tem algo a dizer de todo"

Tem a dizer que está com um tempo fantástico e que radiação no ar não irá cair sobre as principais cidades (e por principais entenda-se norte, pois por mais principais que sejam as cidades do sul, o sul é considerado província).

O tempo aqui, está como eu nunca vi nesta altura do ano.

  Bruno Fehr

quinta-feira, abril 21, 2011 12:37:00 da manhã

HP:

"Já à varias semanas que o site do haarp está em baixo. E, quando se busca no google, esse site deixou de aparecer (pelo menos até à 3º pagina)."

E irá continuar por tempo indeterminado, eles estão realmente inspirados.

  Bruno Fehr

quinta-feira, abril 21, 2011 12:38:00 da manhã

Streetwarrior:

"http://espirra-verdades.blogspot.com/2011/02/e-sempre-bom-saber.html

È como dizes, eses gajos são 1000x melhores que o Nostrodamus."

A FEMA é a pseudo-agência que não responde a governo nenhum, mas que faz tudo o que lhe mandam.

"E o mau tempo que se está a fazer sentir por PT, pode estar relacionado com isso."

Portugal não tem realeza Illuminati para proteger, a Bélgica, Holanda, Dinamarca e o berço dos Illuminati (Alemanha) são para proteger. Aqui o tempo está fantástico sem possibilidade de chuvas fazerem aquela radiação infiltrar-se nas águas e alimentos.

Mesmo tendo a elite como meus inimigos, viver bem pertinho deles dá segurança.

"passou a noite inteira a Trovejar de uma forma constante e intensa e com muito pouco intervalo entre relâmpagos o que me deixou um pouco apreensivo, não por ter medo de trovões mas sim pela forma constante como eles se davam...fiquei mesmo WTF , isto não é muito normal..."

Portugal está a jogar o jogo da elite, sinceramente para se proteger, no entanto temos de admitir que é um país insignificante no panorama da NOM.

  Bruno Fehr

quinta-feira, abril 21, 2011 12:38:00 da manhã

Anónimo disse...

"O gato acorda sempre que o sol nasce". O Sol nao nasce sempre a mesma hora..."

Correcto. O furação não existe só quando o HAARP é activado mas se o HAARP é activado na sua frequência, ele acorda sempre seja a que horas for.

  Bruno Fehr

quinta-feira, abril 21, 2011 12:38:00 da manhã

Osga:

"está ai o 25 de Abril à porta pq não fazes uma serie sobre isso?!

- Spinola, Mario Soares Cunhal e sus amigos

- Razões para o 25 de abril ter acontecido

- maçonaria e o 25 de Abril

- livros recomendados"

Gostaria de o fazer, em particular depois da polémica do meu inocente texto de há dois anos. No entanto este ano estou sem tempo em Abril para o fazer.

  skeptikos

quinta-feira, abril 21, 2011 6:43:00 da manhã

O site HAARP já está online.
Interessante a coincidência de no passado dia 13/4 «The Induction Magnetometer» screens serem apenas visiveis parcialmente [http://maestro.haarp.alaska.edu/cgi-bin/scmag/disp-scmag.cgi?date=20110413&Bx=on&By=on&Bz=on], enquanto no Japão se deu outro sismo de intensidade 6.1 [http://www.emsc-csem.org/Earthquake/index.php?view=10].

Também não está disponível data no I.M. a 12/4 e de novo outro sismo no Japão de 6.0.
Aliás, não existe data desde 6 a 12/4 e nesses dias houve sempre sismos nível 6.0, ou superior.

  skeptikos

quinta-feira, abril 21, 2011 6:58:00 da manhã

Mais actividade há 24 horas (dia 20/4) [http://maestro.haarp.alaska.edu/haarp/scmag/latest-24h.html] e outro sismo 5.8 no Japão [http://www.emsc-csem.org/Earthquake/earthquake.php?id=218692]... humm... coincidências?

  Anónimo

quinta-feira, abril 21, 2011 10:58:00 da manhã

"Se estamos numa de semântica, então é assim mesmo"

A questão não é semântica, é mesmo de matemática, que, segundo o que me dizem, é universal e intemporal.

  Anónimo

quinta-feira, abril 21, 2011 11:01:00 da manhã

" "O gato acorda sempre que o sol nasce". O Sol nao nasce sempre a mesma hora..."

Correcto. O furação não existe só quando o HAARP é activado mas se o HAARP é activado na sua frequência, ele acorda sempre seja a que horas for. "

Errado. Uma coisa não prova a outra. A correlação não implica causalidade. Qualquer livro de matemática (ou processamento de sinal) de nível universitário lhe prova isso.

A história do gato e do sol é apenas um exemplo, nada mais do que isso.

  Anónimo

quinta-feira, abril 21, 2011 11:19:00 da manhã

Um outro exemplo, talvez mais feliz, de como a correlação não implica causalidade:

No hemisfério norte existe uma maior prevalência de precipitação (chuva) quando a Terra está mais próxima do sol (durante os meses de inverno).

A quantidade de chuva no hemisfério norte está claramente correlacionada com a distância do planeta ao sol. Quando o planeta está mais distante (no verão) chove menos e com menos frequência, quando o planeta está mais próximo do sol (no inverno) chove mais e com mais frequência.

No entanto a prevalência da chuva (e demais fenómenos atmosféricos sazonais) estão relacionados não com a distância da Terra ao sol, mas sim com a inclinação do eixo de rotação da terra (no verão o pólo norte 'aponta' mais na direcção do sol, causando dias maiores, no inverno 'aponta' mais para fora do sistema solar, causando dias mais curtos).

Não é a distância ao sol que causa a prevalência de chuva no hemisfério norte, nem é a prevalência de chuva responsável pela distância da Terra ao sol.

Estes dois acontecimentos (distância da Terra ao sol e prevalência de chuva no hemisfério norte) estão correlacionados, mas não existe qualquer relação de causa-efeito entre eles.

E isto não é uma questão de semântica. É científica (de matemática em particular).

  Anónimo

quinta-feira, abril 21, 2011 3:12:00 da tarde

Estou seriamente a pensar em ir para a Holanda ou Alemanha. E ando constantemente a pensar se é uma utopia viver numa sociedade mais justa, sem uma elite a dominar pela corrupção, ou se são os illuminati que a corrompem desde sempre, com a forma de dar valor ao dinheiro, e como hipnotizam as pessoas pela televisão. Mas começo cada vez mais a achar que isto não poderia ser muito melhor, ao analisar outras antigas civilizações, não dominadas pelos illuminati. Cada vez mais penso que é intrínseco aos humanos, apenas alguns conseguem perceber que o mundo poderia ser um sitio muito melhor para viver, que são os que estão acordados...

  skeptikos

sábado, abril 23, 2011 5:42:00 da manhã

Caro Anónimo de Abril 21, 2011 11:19:00 AM: permita-me que rectifique alguma confusão na sua mensagem: i) o factor distância terra-sol nada tem a ver com o facto de chover mais ou menos em determinado hemisfério, pois para além da distribuição das chuvas no globo ser muito irregular, tanto em relação a locais como à época (estação do ano) em que elas ocorrem, são vários os factores climáticos, nomeadamente: latitude, altitude, temperatura, pressão atmosférica, relevo, correntes marítimas, massas de ar e vegetação (quanto maior densidade de vegetação maior humidade/+ vapor de água=mais chuva). A própria distribuição das terras e dos mares também modifica a divisão das chuvas, i.e. chove mais nas regiões do litoral do que no interior dos continentes que tende a ser mais frio, ou mais quente e seco.

ii) Quanto à distância da Terra em relação ao Sol, esta realmente varia enquanto ocorre o Movimento de Translação (a órbita da Terra é uma Elipse e não um círculo perfeito), mas essa variação de distância não é significativa para determinar a variação de temperatura no nosso planeta a ponto de provocar as estações do ano.

iii) O que mais contribui para esta variação é a inclinação do eixo de Rotação da Terra em relação a uma perpendicular ao plano da sua órbita (Elíptica), que é de 23 graus e 27 minutos. Logo, se fosse a distância e não a inclinação do eixo de Rotação que influenciassem as estações do ano no nosso planeta, teríamos de ter a mesma estação em ambos os hemisférios terrestres (norte e sul) ao mesmo tempo. O que não acontece.

Mais aqui: http://fisica.ufpr.br/grimm/aposmeteo/cap2/cap2-1.html

Mais, sobre reversão de polaridade da Terra: http://cienciaberta.com/?p=11

E/ou inversão da polaridade: http://eternosaprendizes.com/2009/02/03/2012-nao-havera-inversao-dos-polos-magneticos-da-terra/

Mais, sobre o aumento da actividade solar: http://movv.org/2008/01/07/o-sol-esta-a-entrar-num-novo-ciclo-de-11-anos-de-aumento-de-actividade/


Por último, Correlação (associação) não implica por si só/necessariamente Causalidade (relação de causa e efeito). Depende do que for a causalidade, ou seja, sempre que ocorre determinado fenómeno (causa) implica que ocorra também, necessariamente, outro fenómeno (efeito) e este não pode acontecer sem que o primeiro o “provoque”.... penso eu de que, confirme aqui: http://www.infopedia.pt/$relacao-causal

Boa Páscoa!

  skeptikos

sábado, abril 23, 2011 6:29:00 da manhã

Porque me esqueci de demonstrar a falácia neste raciocínio, aqui fica:

«A quantidade de chuva no hemisfério norte está claramente correlacionada(*) com a distância do planeta ao sol. Quando o planeta está mais distante (no verão) chove menos e com menos frequência(**), quando o planeta está mais próximo do sol (no inverno) chove mais e com mais frequência(***)»

(*) Falsa - não está claramente correlacionada; há outros factores decisivos.

(**) Falsa - a Terra (como um todo) está mais perto do Sol no inverno e mais longe dele no verão. Contudo, faltou a variante “Hemisfério Norte” e a variante “Inclinação” do eixo da terra. Ou seja, quando a Terra está mais próxima do sol, o hemisfério norte está inclinado para longe do sol, recebendo os raios solares inclinados, com significativa baixa de temperatura. Conclusão: É Inverno no Hemisfério Norte.

(***) Falsa - Faltou a variante “Hemisfério Norte” e a variante “Inclinação” do eixo da terra. Ou seja, quando a Terra está mais longe do sol, o hemisfério norte está inclinado para o sol, recebendo os raios solares mais directamente com acentuado aumento de temperatura. Conclusão: É Verão no H.N.

Já em relação ao Hemisfério Sul, bate certo, porque o tempo frio vem em Julho e a estação quente em Dezembro, i.e. a Terra (como um todo) está mais próxima do Sol no início de Dezembro (147.097.000 km) e em Julho está mais afastada do Sol (152.099.000 km), mas não nos podemos esquecer que além da variante “distância terra-sol” temos de considerar a variante “Inclinação do Eixo da Terra” e por último qual o “Hemisfério” (Norte/Sul).

  Anónimo

domingo, abril 24, 2011 10:18:00 da tarde

Excelso skepticos,

Obrigado pela sua resposta. Segue uma refutação:

«A quantidade de chuva no hemisfério norte está claramente correlacionada(*) com a distância do planeta ao sol. Quando o planeta está mais distante (no verão) chove menos e com menos frequência(**), quando o planeta está mais próximo do sol (no inverno) chove mais e com mais frequência(***)»

(*) Falsa - não está claramente correlacionada; há outros factores decisivos.

Está enganado, a correlação existe. A não ser que esteja a dizer que não chove com mais frequência no Inverno que no Verão. Quando um acontecimento acontece o outro também acontece. Quando a Terra está mais próximo do sol (no inverno), chove com mais frequência. Isto é um exemplo perfeito de uma correlação. Lembre-se que a existência de correlação não implica que um seja a causa do outro, apenas que têm tendência a aparecer em simultâneo. É precisamente isso que quero ilustrar.

Caso não saiba muito bem o que é uma correlação aqui fica a explicação da wikipedia (é um pouco formal e pode assustar quem não está habituado a esta matemática, mas o essencial está no parágrafo introdutório):
http://pt.wikipedia.org/wiki/Correla%C3%A7%C3%A3o

(**) Falsa - a Terra (como um todo) está mais perto do Sol no inverno e mais longe dele no verão. Contudo, faltou a variante “Hemisfério Norte” e a variante “Inclinação” do eixo da terra.

Mais uma vez está enganado. Os eventos que estou a comparar é a distância da Terra ao sol e a frequência das chuvas. Não estou a comparar a inclinação da Terra. O objectivo é mesmo esse, dar um exemplo de dois acontecimentos correlacionados, mas que não têm uma relação causal.

(***) Falsa - Faltou a variante “Hemisfério Norte” e a variante “Inclinação” do eixo da terra. Ou seja, quando a Terra está mais longe do sol, o hemisfério norte está inclinado para o sol, recebendo os raios solares mais directamente com acentuado aumento de temperatura. Conclusão: É Verão no H.N.

Esta não tem qualquer relação com o que foi exposto. Não estou a dizer que não tem razão, apenas que não tem relevância para ilustrar uma correlação que não tem relação de causalidade.

  Bruno Fehr

segunda-feira, abril 25, 2011 10:40:00 da tarde

skeptikos:

"O site HAARP já está online."

eu reparei que está on mas devidamente censurado. Não dá para encontrar nada do que se procura.

  Bruno Fehr

segunda-feira, abril 25, 2011 10:41:00 da tarde

Anónimo:

"A questão não é semântica, é mesmo de matemática"

A questão se é matemática, então 100% é 100%. Onde há HAARP há catástrofes.

  Bruno Fehr

segunda-feira, abril 25, 2011 10:41:00 da tarde

Anónimo:

"Uma coisa não prova a outra. A correlação não implica causalidade. Qualquer livro de matemática (ou processamento de sinal) de nível universitário lhe prova isso."

Mas qual é a dificuldade em perceber que sempre que há anéis HAARP, há acontecimentos "naturais"?

O que é que interessa a sua divagação sobre a correlação não implicar casualidade quando estamos a falar estatísticamente de 100%?

"A história do gato e do sol é apenas um exemplo, nada mais do que isso."

Devidamente desconstruído por mim, por ser ilógico para sustentar o que diz.

  Bruno Fehr

segunda-feira, abril 25, 2011 10:41:00 da tarde

Anónimo:

"A quantidade de chuva no hemisfério norte está claramente correlacionada com a distância do planeta ao sol. Quando o planeta está mais distante (no verão) chove menos e com menos frequência, quando o planeta está mais próximo do sol (no inverno) chove mais e com mais frequência."

Então vamos a isto: A quantidade de acontecimentos catastróficos quando anéis HAARP são detectados é de 100% sem que isso signifique não existam catástrofes noutros pontos do planeta. No entanto quando é detectado HAAP não há mais acontecimentos mais frequentes, há sempre acontecimentos.

"Não é a distância ao sol que causa a prevalência de chuva no hemisfério norte, nem é a prevalência de chuva responsável pela distância da Terra ao sol."

Não é o HAARP que causa todas as catástrofes ditas "naturais nem são a catástrofes naturais que criaram o HAARP.

Os seus exemplos são ilógicos ou simplesmente confirmam o que já sabemos...

"E isto não é uma questão de semântica. É científica (de matemática em particular)."

É semântica, você dá exemplos escritos para justificar uma opinião e esses exemplos inserem-se no que eu disse. Ou seja, o que usa para sustentar o que diz, acaba por sustentar o que digo, pois é uma questão de semântica.

Quanto à sua interpretação matemática, ela não faz sentido.
A correlação não implica casualidade mas eu estou a falar de percentagens e portanto estatística onde 100% é 100%.

É claro que só porque cheira mal não significa que alguém se tenha "soltado", no entanto se alguém se soltou, encontrou-se a origem do mau cheiro. Da mesma forma: É claro que não há terramotos ou furacões só quando há actividade HAARP, mas quando há essa actividade há sempre esses acontecimentos.

Não estamos a falar de reciprocidade, estamos a falar de causa/efeito ou o efeito pode ser independente da causa mas a causa, causa sempre esse efeito!

  Bruno Fehr

segunda-feira, abril 25, 2011 10:41:00 da tarde

Anónimo:

"E ando constantemente a pensar se é uma utopia viver numa sociedade mais justa, sem uma elite a dominar pela corrupção"

Não é utopia! Só seria utopia se pensássemos que seria eterno. Se esta elite for derrubada irá levar muitos séculos até outra se tentar impor. O futuro pelo qual devemos lutar são esses séculos de intervalo.

  Bruno Fehr

segunda-feira, abril 25, 2011 10:42:00 da tarde

skeptikos:

"Depende do que for a causalidade, ou seja, sempre que ocorre determinado fenómeno (causa) implica que ocorra também, necessariamente, outro fenómeno (efeito)..."

Correcto.

  Bruno Fehr

segunda-feira, abril 25, 2011 10:42:00 da tarde

Anónimo:

"Quando um acontecimento acontece o outro também acontece."

E desta forma justifica o que tem estado a tentar refutar.
A base desta discussão é esta mesma, quando há anéis HAARP há sempre estes acontecimento rotulados de naturais e sim, é uma correlação.

"Lembre-se que a existência de correlação não implica que um seja a causa do outro, apenas que têm tendência a aparecer em simultâneo."

Desculpe, mas ao serem detectados 23 anéis HAARP e ao surgirem em 24 horas furacões em todos esses locais estamos na presença de uma causa-efeito, ainda mais quando não houve um único furação numa zona sem anéis. Mas, sim, bastaria 1 ter existido até agora para que a percentagem de casualidade baixasse. No entanto permanece a 100% o que não deixa margem de manobra para distanciar a correlação da casualidade.

Mas como é óbvio, pode continuar a tentar com tem feito até agora.

  Anónimo

terça-feira, abril 26, 2011 12:12:00 da manhã

" "A questão não é semântica, é mesmo de matemática"

A questão se é matemática, então 100% é 100%. Onde há HAARP há catástrofes."

A matemática não é necessariamente determinística. Existem ramos da matemática dedicados ao estudo de processos aleatórios (nomeadamente a estatística e a probabilística).

O que esses ramos da matemática nos dizem é que a correlação não implica causalidade.

Por outras palavras, mesmo que a HAARP esteja presente em 100% das catástrofes naturais, isso não significa que a HAARP as esteja a causar. É como dizer que como todos os acidentes de viação acontecem no planeta Terra, o planeta é o responsável pelos acidentes de viação.

  Anónimo

terça-feira, abril 26, 2011 12:38:00 da manhã

"É semântica, você dá exemplos escritos para justificar uma opinião e esses exemplos inserem-se no que eu disse. Ou seja, o que usa para sustentar o que diz, acaba por sustentar o que digo, pois é uma questão de semântica."

Quem recorre a deturpações semânticas para refutar os meus argumentos é o bruno e não eu. Eu apenas apresentei dois exemplos de como dois acontecimentos correlacionados não são a causa um do outro. São exemplos do mundo real (o das chuvas e da distância da Terra ao Sol).


"Quanto à sua interpretação matemática, ela não faz sentido.
A correlação não implica casualidade mas eu estou a falar de percentagens e portanto estatística onde 100% é 100%."

O conhecimento de matemática do Bruno é claramente deficitário, se nem consegue reconhecer que a correlação é um conceito que vem da estatística.


"Desculpe, mas ao serem detectados 23 anéis HAARP e ao surgirem em 24 horas furacões em todos esses locais estamos na presença de uma causa-efeito, ainda mais quando não houve um único furação numa zona sem anéis. Mas, sim, bastaria 1 ter existido até agora para que a percentagem de casualidade baixasse. No entanto permanece a 100% o que não deixa margem de manobra para distanciar a correlação da casualidade."

Mais uma vez correlação não implica causalidade. Mesmo que a correlação seja de 100%. Precisa de provas mais fortes para mostrar que está perante uma relação causa-efeito.

Mais um exemplo: 100% das pessoas que morrem, estavam vivas antes de falecer. Existe uma forte correlação entre estes dois eventos. No entanto é estúpido afirmarmos que as pessoas morreram porque estavam vivas. Estar vivo não é a causa da morte, embora seja uma condição necessária para que isso aconteça.

Já lhe dei diversos exemplos mundanos, que tentei que estivessem ao alcance da maioria das pessoas, de correlações que não têm qualquer relação causal. Não sei que mais lhe possa fazer. Fora isto só recomendar-lhe que leia algum livro de matemática ou de processamento de sinal (também cobrem este assunto) e que veja a prova matemática de como uma correlação não é necessariamente causal. Mas se realmente não quer aprender nada e persistir no erro, não lhe vai servir de nada...

  Bruno Fehr

terça-feira, abril 26, 2011 1:20:00 da manhã

Anónimo:

"O que esses ramos da matemática nos dizem é que a correlação não implica causalidade."

Nem a exclui.

"É como dizer que como todos os acidentes de viação acontecem no planeta Terra, o planeta é o responsável pelos acidentes de viação."

Desculpe mas não é. Isso seria dizer que todas as catástrofes acontecem no planeta e portanto o planeta é responsável. Não é isso que digo.
Mas se quer uma analogia baseada nessa sua frase: "todos os acidentes de viação acontecem com pessoas, as pessoas são responsáveis pelos acidentes de viação".

  Bruno Fehr

terça-feira, abril 26, 2011 1:36:00 da manhã

Anónimo:

"Quem recorre a deturpações semânticas para refutar os meus argumentos é o bruno e não eu."

Meu caro, eu estou a usar semântica tal como você, para lhe mostrar o que usa para justificar o que diz, pode justificar muitos outros pontos de vista.

Eu estou a falar em particularidades como: HAARP e Catástrofes, você está a usar generalidades como o planeta. Ora, logicamente que não pode esperar que uma generalidade justifique uma visão contrária à minha sobre uma particularidade e por isso há uma imensa margem de manobra para a semântica.

"O conhecimento de matemática do Bruno é claramente deficitário, se nem consegue reconhecer que a correlação é um conceito que vem da estatística."

Logicamente que o caminho a tomar quando faltam argumentos é tentar insinuar a falta de conhecimentos da outra pessoa. No entanto a insinuação não implica factualidade (deja vú).


"Mais uma vez correlação não implica causalidade. Mesmo que a correlação seja de 100%. Precisa de provas mais fortes para mostrar que está perante uma relação causa-efeito."

Mas isto é um tribunal? Estou a processar alguém?
Diga-me lá como é que se é processado, sob provas ou suspeitas? Obviamente sob suspeitas, as provas são apresentadas e aparecem durante o processo.

Eu não estou aqui para provar, estou aqui a mostrar casos suspeitos. As provas irão aparecer eventualmente consoante o numero de pessoas alertadas e interessadas.

"100% das pessoas que morrem, estavam vivas antes de falecer. Existe uma forte correlação entre estes dois eventos. No entanto é estúpido afirmarmos que as pessoas morreram porque estavam vivas."

Isso pressupõe um processo natural de morte, mas se 100% das pessoas vivas morrem depois de uma martelada na cabeça, temos essa martelada como causa provável e digo isto segundo o que você diz: correlação não implica casualidade, mas certamente não a exclui.

No entanto podemos dizer que 100% das pessoas morreram após uma martelada, ou será isso casualidade? Certamente não, é unicamente uma afirmação lógica sustentada pelos factos colocados no momento à disposição e independentemente do que se poderá apurar mais tarde após a autópsia.

Num choque frontal com 4 vitimas, diz-se que 4 pessoas morreram após um choque frontal num acidente de viação. E se uma delas morreu de enfarte antes do embate? Será relevante para a casualidade da primeira afirmação?

"Mas se realmente não quer aprender nada e persistir no erro, não lhe vai servir de nada..."

Mas não há erro, pois não intenção de provar matematicamente qualquer tipo de acontecimento. Nem vejo qualquer lógica em fazer-se tal coisa.

  Anónimo

terça-feira, abril 26, 2011 12:38:00 da tarde

É impossível dizer-lhe o quer que seja. Fala-se em alhos, o Bruno responde com bugalhos, enfim, nada a fazer. Quem se recusa a aprender, a querer ver um pouco mais além, faz destas coisas.

E eu nem estou a argumentar que a HAARP é ou não culpada do que quer que seja. Estou apenas a constatar um facto científico que já foi provado de inúmeras formas e é irrefutável. Se acha que o consegue refutar, sugiro que publique o seu trabalho numa revista científica. Tal descoberta vale no mínimo um prémio Nobel. (Além de alterar toda a nossa tecnologia de comunicações ou de controlo de sistemas electromecânicos por exemplo).

  Mar

terça-feira, abril 26, 2011 1:15:00 da tarde

"houve uma relação de 100% entre anel HAARP e tornado."
"então 100% é 100%. Onde há HAARP há catástrofes."

Usando o argumentário do Bruno, posso defender com o mesmo vigor que os anéis HAARP são provocados pela ocorrência de fenómenos naturais e não o oposto. E como se determina se uma é causa de outra, ou se é a outra que é a causa da primeira? É tão plausível defender a teoria de que são as catástrofes que antecipam a formação dos anéis, como a de que são os anéis que provocam catástrofes.

Mas admiro e curvo-me misericordiosamente perante as tentativas do Bruno para tentar justificar aquilo que à luz da ciência é injustificável. A não ser que vislumbres aqui uma circunstância divina, e aí respeitarei a crença, embora discordando dela em absoluto.

  lunatiK

sexta-feira, abril 29, 2011 10:29:00 da tarde

Viva Bruno
bem, sem saber muito do assunto, hoje caiu uma carga de granizo em Lisboa que é obra...
Cumps.

  Anónimo

quinta-feira, maio 19, 2011 12:42:00 da manhã

Viva Bruno,
Os seus textos despertaram-me a curiosidade em relação a este assunto, mas uma situação de me deixou sem resposta quando comentei o HAARP com um amigo, que passo a expor:
Se os EUA podem controlar o tempo através do HAARP e tendo eu já visto que este sistema pode servir de defesa contra o mau tempo, como já se colocou essa possibilidade pós Katrina, porque "eles" não o usam para os defender das actuais tempestades que estão activas como nunca no seu próprio País?