A vergonha Eurovisão 2011

Como referi neste texto sobre os vários milhões de Euros investidos na cantora alemã que venceu o último festival da canção, a manipulação do vencedor continua na Alemanha. Como seria de esperar a vencedora do ano passado foi a escolhida para representar a Alemanha e defender o seu título. Algo inédito aconteceu este ano... ao passo que cada concorrente, concorreu com uma música, esta rapariga foi autorizada a concorrer com 10 músicas e obviamente venceu novamente.



Se analisarmos a actual tendência deste festival, ele está a apostar no que realmente vende, deixando de ser um festival série B no mundo da música, semelhante ao festival de Cannes no cinema. Vejamos: 

Em 2006 venceu a Finlândia com o tema "Hard Rock Halellujah" de Lordi. Um tema em Inglês que poderá ter provocado diversos enfartes nos velhotes menos habituados ao metal. Sem dúvida que era o melhor tema do concurso e um dos melhores temas de sempre. Esta vitória surpreendeu-me pois raramente ganha o melhor neste festival e esta vitória mostrou que este concurso gerido por múmias estava a prestar atenção ao que realmente vende.



Em 2007 venceu a Sérvia com o tema "Molitva" em que ao minuto 01:04 ela parece cantar "comigo puta...". Foi um regresso às origens, onde apesar da excelente voz o tema não venderia fora da Sérvia.
Em 2008 venceu a Rússia com o tema "Believe", uma balada em Inglês 100% comercial, seguindo a mudança de rumo iniciada em 2006.
Em 2009, venceu a Noruega com a canção "Farytale", que é uma música pop em Inglês que poderia ter sido cantada por um qualquer gay tipo Ricky Martin, se não fosse a óbvia influencia Celta do tema, influencia essa muito usada pelas bandas nórdicas com boa aceitação mundialmente.
Em 2010 foi a vez da irritante música "Satelite" da representante alemã, com uma letra de merda cantado numa frustrada tentativa de sotaque britânico, e que se tornou numa espécie de hino na Alemanha. Mais uma vez salientou a tendência do festival Eurovisão de se aproximar do que realmente se vende. No caso de "Satelite" é uma música que pode, foi e é passada em clubs nocturnos por ser dentro da actual vaga pop.

E o que faz Portugal? Portugal em vez de evoluir retrocedeu até aos tristes anos 70, escolhendo um palhaço (digo palhaço com todo o respeito pela profissão e porque é o que o Jel faz e sempre fez), com uma música de intervenção ao estilo de Zeca Afonso. 
Recuso-me a acreditar que é o povo que escolhe o vencedor. As chamadas telefónicas para votar, servem unicamente para cobrir as despesas do espectáculo. São exactamente como aquelas chamadas que fazemos para doar dinheiro que desaparece e não vai para a causa anunciada.


 Vamos ter um grupo de palhaços, usando o estereotipo de português atrasado que vive ainda em Abril de 1974, onde a economia nacional ainda é peixe, pão e vinho. Acho incrível que quando escrevi um texto sobre o 25 de Abril referindo-me a essa revolução como "A revolução inacabada" (termo não criado por mim, mas sim por intervenientes dessa revolução) e nesse texto ter adicionado uma letra humorística a ser cantada ao som de "Grândola Vila Morena", gerei uma onda de protestos na blogosfera devido à minha falta de sensibilidade em brincar com o tema. No entanto estes palhaços vão representar Portugal numa paródia ao 25 de Abril. Esta não é uma música de intervenção, é uma paródia.

Será que todos os portugueses adoraram o tema e por azar nenhum deles estava presente naquela noite? É de estranhar que uma vitória tão clara não tivesse apoio do público presente que protestou e abandonou o recinto.

Na actual situação económica e politica actual de um país em negação da falência em que vive, nada melhor, politicamente, do que mandar uns gajos à Europa a cantar merdas sem sentido como "Luta é alegria", passando a mensagem que mesmo sem dinheiro estamos super contentes e se protestamos é por divertimento pois na verdade gostamos de uma boa enrabadela politico-económica desde que não nos falte o pão e vinho.

Este tema, a representar o meu país, envergonha-me como português. Não consigo, nem quero acreditar que os portugueses votaram nesta merda e se votaram, só posso dizer que tenho imensa pena da vossa falta de visão, falta de cultura, falta de gosto e falta de inteligência e que devem sair dessa mediocridade intelectual que é a responsável pela actual situação do país.
Aos que se sentirem ofendidos por estas minhas palavras, cliquem na cruz vermelha no canto superior direito e vão dormir que o vosso mal é sono!

Portugal é a ovelha negra deste festival, nunca ganhou e já nos habituou a terminar com 1 ou zero pontos. Este ano serão zero pontos, nem se Portugal pudesse votar em Portugal, este tema iria ter um único ponto. Merda é merda e o país e seu povo mereciam mais e melhor nesta fase difícil.
Faz exactamente 20 anos que não vejo um festival da canção. O último que vi na totalidade foi o de 1991 em que Portugal ficou em oitavo lugar, tendo estado em terceiro até aos últimos votos, com aquele que foi de longe o melhor tema que representou Portugal, com a melhor voz e foi o melhor tema daquela edição. Nessa edição percebi a politização do festival e a sua relação directa com o que se passa politicamente na Europa e neste momento é necessário masturbar a Alemanha que é a economia que está a sustentar uma Europa falida e sem rumo.

27 Comentários:

  Anónimo

quarta-feira, março 09, 2011 3:02:00 da manhã

Acho que interpretaste mal o sentido de humor do jel e dos homens da luta, mas concordo contigo no facto de não serem indicados para nos representar num festival como esse, que se fosse uma coisa bem feita podia ser util para muitos artistas...

  Bruno Fehr

quarta-feira, março 09, 2011 3:07:00 da manhã

Anónimo:

"Acho que interpretaste mal o sentido de humor do jel e dos homens da luta"

Há muito que acompanho o trabalho do Jel e compreendo o seu sentido de humor. Não consigo é perceber o humor quando se candidata a levar esse humor para fora de Portugal onde de certeza que ninguém o irá entender. Além disso, ele será eliminado à partida assim que usar a palavra "Camarada".

O humor dele é português e para Portugal. Ao ser o escolhido para representar o país, acho que existe humor negro escondido nas sombras.

  Cruxe

quarta-feira, março 09, 2011 9:47:00 da manhã

Portugal não tem, nunca teve e não teria qualquer hipótese com qualquer outro candidato. Se é para perder, perdemos com estilo :)

Agora a sério, como disseste e bem as votações do eurofestival são demasiado politizadas, logo não interessa se é a melhor música ou a maior m****. Se for para ganhar, ganhamos na mesma.

O que aconteceu foi que os portugueses fizeram uma espécie de voto em branco / nulo ao festival. Se temos que participar naquela palhaçada, então enviamos uns palhaços.

  Bruno Fehr

quarta-feira, março 09, 2011 4:38:00 da tarde

Cruxe:

Perder é sempre perder e há o perder com o orgulho de tentar (Euro2000 em futebol) e há o perder vergonhoso sem tentar (Mundial2002 futebol).

"Agora a sério, como disseste e bem as votações do eurofestival são demasiado politizadas, logo não interessa se é a melhor música ou a maior m****. Se for para ganhar, ganhamos na mesma."

Se fosse de interesse politico para a Europa que Portugal ganhasse, não acredito que lhe dessem a vitória ao ver meia dúzia de gajos mascarados de revolucionários de esquerda ainda presos nos anos 70. Já se deu a vitória politica a quem não a merece, como se deu à Alemanha em 2010. No entanto a merda de música Alemã tem muito investimento e trabalho no seu percurso até à final.
Sem referir o facto de que vão entrar na Alemanha com uma bandeira que é uma piada à do partido comunista...

"O que aconteceu foi que os portugueses fizeram uma espécie de voto em branco / nulo ao festival. Se temos que participar naquela palhaçada, então enviamos uns palhaços."

Percebo o que queres dizer, e poderia ter piada se não se tratasse de representar Portugal no estrangeiro. Teria piada se fosse algum interno dentro do nosso país.

Isto é mais do que um voto em branco ou nulo. O que os portugueses fizeram foi votar em qualquer um só porque sim. Tal como votam em todas as eleições mesmo não gostando de nenhum candidato.
O 25 de Abril de 1974 meteu na cabeça de muita gente que votar é um dever conquistado. Quando na verdade é um direito, tal como é um direito não votar quando as opções não interessam e desta forma quebrar o sistema.

  André

quarta-feira, março 09, 2011 5:35:00 da tarde

Os Homens da Luta optaram pelo lema, 'A luta é alegria', o que me permite supor que para eles essa foi a melhor opção. Enquanto lema absurdo, e por isso, quiçá, cómico, eu até o compreendo, mas a presumível piada é morta (em directo e sem bolinha!) quando o mesmo lema é seriamente dito e repetido (levado a sério, entenda-se) por Nuno Duarte (Jel, sem bigode) nos telejornais da SIC Notícias e SIC, durante entrevistas conduzidas por Mário Crespo e Bento Rodrigues, respectivamente – a piada morreu e o lema ficou sem pernas para andar; ou, melhor descrevendo, quebraram-se as próteses.


‘É mostrar que a luta pode ser alegre e que a alegria é revolucionária. É mostrar que eles podem subir as taxas de juro e cortar nos orçamentos e dar puxões de orelhas e fazer com que paguemos mais impostos, mas não tiram ao povo a alegria. Essa é a mensagem que vamos lá levar. ‘ – Jel/ Nuno Duarte (não sei bem qual) in ionline.pt sobre os objectivos dos Homens da Luta

E eu pergunto, como em África?

http://www.ionline.pt/mobile/108853-jel-acho-que-e-muito-simbolico-sermos-nos-ir--alemanha-nesta-altura-do-campeonato

Sim, muito simbólico...

  André

quarta-feira, março 09, 2011 5:44:00 da tarde

Para quem leva completamente a sério o discurso dos Homens da Luta ou do Jel ou do Nuno Duarte, sugiro que vejam e ouçam esta entrevista; desde os 44 segundos ao primeiro minuto.

http://www.youtube.com/watch?v=3EeXuy6dtDA

  Mãe

quarta-feira, março 09, 2011 9:10:00 da tarde

Oh pra mim a conseguir comentar. Obrigada Bruno.
Olha que em relação a isto já não digo nada, achas que ficamos pelos zero pontos? Não sei, acho que o mundo está perdido e ainda nos vamos surpreender.
Beijocas

  Bruno Fehr

quarta-feira, março 09, 2011 11:18:00 da tarde

André:

"Enquanto lema absurdo, e por isso, quiçá, cómico, eu até o compreendo, mas a presumível piada é morta (em directo e sem bolinha!)"

O lema é absurdo, sem dúvida, pois não é piada visto que ele o defende mesmo fora da personagem "Jel". Não vejo alegria nos protestos na Palestina, Irão, Tunísia, Líbia, Egipto, Grécia, Tibete, Sudão, e um pouco por todo o mundo.

Para mim o Jel é só mais um proxy, está a ser pago para fazer o que faz há mais de 5 anos. Estão a tornar um idiota num símbolo revolucionário para que se possa ridicularizar a revolução. Para que quem de facto poderia fazer a diferença numa revolução, tenha vergonha de se juntar a tal personagem. Além disso mostrar à Europa que em Portugal, por mais difícil que esteja a vida, o tuga está feliz, luta pouco mas sempre com alegria.

  Bruno Fehr

quarta-feira, março 09, 2011 11:18:00 da tarde

André disse...

"Para quem leva completamente a sério o discurso dos Homens da Luta ou do Jel ou do Nuno Duarte, sugiro que vejam e ouçam esta entrevista; desde os 44 segundos ao primeiro minuto.
http://www.youtube.com/watch?v=3EeXuy6dtDA"

Sem dúvida que esse é o momento chave da entrevista, a defesa da actual podridão democrática e o apelo ao voto para perpetuar essa podridão. Os políticos sabem que a crescente abstenção irá em breve ruir o actual processo democrático e os partidos políticos terão graves problemas em impor o actual sistema, impedindo a verdadeira democracia por representação popular.

  Bruno Fehr

quarta-feira, março 09, 2011 11:18:00 da tarde

Mãe:

"Olha que em relação a isto já não digo nada, achas que ficamos pelos zero pontos? Não sei, acho que o mundo está perdido e ainda nos vamos surpreender."

Não consigo ver ninguém a dar pontos a estereótipos ainda por cima usando palavras como "camaradas" e uma bandeira do PCP adulterada. Grave será, se receberem votos e mais grave ainda se vencessem, pois seria prova cabal de que o festival é certamente politico, com a intenção de ridicularizar os ideais de mudança de sistema financeiro e politico.

  Mel

quinta-feira, março 10, 2011 1:55:00 da manhã

Acho que estás enganado, a melhor pontuação foi com a Lúcia Moniz em 1996, mas não me apetece ir confirmar!

Vai lá tu conformar, xuxu!

  Bruno Fehr

quinta-feira, março 10, 2011 4:56:00 da manhã

Mel:

"Acho que estás enganado, a melhor pontuação foi com a Lúcia Moniz em 1996, mas não me apetece ir confirmar!"

Estás correcta, a Lúcia ficou em 6° a Dulce em 8°. O que a representação da Dulce teve de melhor em todas as participações portuguesas é que esteve em terceiro lugar quase até ao final.

"Vai lá tu conformar, xuxu!"

Ó doçura (o Mel, não tu!), estás correcta :)

  mãe pimpolha

quinta-feira, março 10, 2011 7:26:00 da tarde

Mãe, agora perdi o resto do nome? Eu era a mãe pimpolha.
Então, pronto,já sabes quem sou à mesma.

  I.D.Pena

quinta-feira, março 10, 2011 9:14:00 da tarde

O Jel está a aproveitar as luzes da ribalta, cá para mim estava a chatear muito e a fazer barulho a mais e enxotaram-no e deram-lhe um "treat"
... sinceramente fiquei surpreendida por este salto para a eurovisão, não que a musica de intervenção não seja musica mas aquilo não pode ser considerado produto para o festival da eurovisão , o titulo da musica é um nonsense, já não sei se querem fazer sentido ou se querem-se estatelar ao comprido e estragar o que resta da imagem que têm.
Espero que esteja errada mas fiquei com a sensação que esta jogada em especifico serviu para nos descredibilizar ainda mais internacionalmente. Porque quem quer que veja aquilo pela primeira vez vai pensar que não jogamos com o baralho todo e isso não tá nada longe da verdade lol.

  Anónimo

sexta-feira, março 11, 2011 4:51:00 da manhã

Poderia ter sido uma opção tomada porque qualquer um dos escandinávos, com o seu próprio fóclore.

O festival tem uma péssima reputação em países desenvolvidos, e o subir de politização aquando da entrada dos restantes países de leste provocou (e continua a provocar uma onda de grande protesto). A diferença entre estes países e Portugal, é que na escandinávia este festival vende muito bem internamente (o concurso nacional, entenda-se) ... pelo que o que a europa chega a ver, é o final do espectáculo, pois esse acontece verdadeiramente entre portas.

É impossível ter entendido a mensagem da canção portuguesa - o raciocínio não estaria tão turvado.

Acredite, que com muitos anos de experiencia pela europa do norte e escandinávia, esta música será mais apreciada do que todas as nossas anteriores. Por cá, muitos recomendam perfume forte para fazer passar o cheiro ... mas eles preferem um bom banho, com sabão barato - o efeito do primeiro não impressiona ninguém, muito menos por lá :)

Cumprimentos.

  Anónimo

sexta-feira, março 11, 2011 5:55:00 da tarde

Estás a querer dizer então que a Alemanha é para ti a próxima vencedora?

  Crustáceo

sábado, março 12, 2011 6:29:00 da tarde

Claramente para o lulz. O que eles querem é publicidade. Tu criticas, mas falas neles, é isso que eles querem. Mal ou bem. Até por que a pior das críticas é a melhor das publicidades.

  Bruno Fehr

sábado, março 12, 2011 11:56:00 da tarde

mãe pimpolha:

"Mãe, agora perdi o resto do nome? Eu era a mãe pimpolha.
Então, pronto,já sabes quem sou à mesma."

Eu já sabia quem eras, mãe só há uma!

  Bruno Fehr

sábado, março 12, 2011 11:56:00 da tarde

I.D.Pena:

"... sinceramente fiquei surpreendida por este salto para a eurovisão, não que a musica de intervenção não seja musica mas aquilo não pode ser considerado produto para o festival da eurovisão , o titulo da musica é um nonsense, já não sei se querem fazer sentido ou se querem-se estatelar ao comprido e estragar o que resta da imagem que têm."

Não acho que o Jel esteja a chatear muita gente, ele está a fazer o trabalho dele e foi recompensado por isso. Ele até pode acreditar no que diz mas não o faz por acreditar, faz porque lhe pagam.

Ele fala muito, fala por vezes bem em mau português mas descai-se, pois na entrevista de um link a este comentário, defende a democracia portuguesa, que é algo que não existe.

  Bruno Fehr

sábado, março 12, 2011 11:56:00 da tarde

Anónimo:

"Poderia ter sido uma opção tomada porque qualquer um dos escandinávos, com o seu próprio fóclore."

Os Escandinavos participam com temas com influencia do seu folclore mas não com folclore.

Tenho sérias dúvidas que com a quantidade actual de guerras e revoluções, alguém vá achar piada à "luta é alegria".

  Bruno Fehr

sábado, março 12, 2011 11:56:00 da tarde

Anónimo:

"Estás a querer dizer então que a Alemanha é para ti a próxima vencedora?"

Julgo que nunca nenhum país ganhou duas vezes seguidas, mas o investimento Alemão dá a entender isso. No ano passado ganharam escrevendo 300 músicas e gastando 15 milhões de Euros com a sua representante, este ano o investimento nela duplicou.

Mesmo que não ganhe, o vencedor terá uma luta de pontos "aparentemente" renhida com a Alemanha.

  Bruno Fehr

sábado, março 12, 2011 11:56:00 da tarde

Crustáceo:

"Tu criticas, mas falas neles, é isso que eles querem. Mal ou bem. Até por que a pior das críticas é a melhor das publicidades."

Eu sei bem disso, mas dificilmente uma critica minha lhes dará um cêntimo que seja.

  Anónimo

sexta-feira, maio 06, 2011 1:11:00 da manhã

Podemos apostar que este ano portugal vai ter a melhor pontuação de sempre ? tens uma opinião de merda deves ser alguém na vida que nunca consegui ser aquilo que queria

  Bruno Fehr

sexta-feira, maio 06, 2011 1:18:00 da manhã

Anónimo:

"Podemos apostar que este ano portugal vai ter a melhor pontuação de sempre ?"

Fica apostado. Tu dizes a melhor pontuação de sempre e eu digo que se receber 5 pontos é muito e mesmo esses serão de caridade devido à pobreza musical se equivalente à económica e à de bom gosto em mandar merda, representar o país.

"tens uma opinião de merda deves ser alguém na vida que nunca consegui ser aquilo que queria"

Se a aposta de cima tiver como base a esta sua opinião, é melhor retirar-se da aposta :)
Quando era pequeno, queria ser bombeiro, nunca o consegui ser nem sequer tentei. Hoje contento-me em ser eu e que é, ser exactamente aquilo que quero :)

  Não Te Interessa

terça-feira, maio 10, 2011 11:43:00 da tarde

ESPANHA, ITÁLIA, FRANÇA, ALEMANHA e REINO UNIDO são os cinco (e únicos) países que ficam logo apurados para a final da eurovisão, e porquê? porque são os 5 países que mais contribuem (PAGAM MAIS!) à união europeia de rádiofusão, que é quem paga o arraial/festival!! PAGAM, LOGO PASSAM PARA FINAL!! há muita coisa ERRADA na EUROPA, e não me venham falar de meia dúzia de bandas que ganharam ou não este concurso que à muito não bate certo!

  Anónimo

domingo, maio 15, 2011 12:10:00 da manhã

Portugal mais uma vez assumiu o seu papel de país desorientado e perplexo.
Como o português não tem coragem de assumir radicalmente a falência e corrupção do país, acredita que uma manifestação inócua e sem valor musical vai sensibilizar os demais países concorrentes da Eurovisão,que assim compreenderiam o humor e sarcasmo.
-Qual o objectivo? Despertar pena?
Há muito que o discurso de "coitadinho da europa" não engana ninguèm.
E que diremos de expor toda a falta de orgulho e dignidade, toda a pobreza intelectual e mediocridade que grassa no país, através de uma música sem melodia, interpretada por pessoas sem vocação musical, que só diz respeito á problemática interna da Nação?
Muito bem , bem haja a todos, nada fazemos, não assumimos o fracasso de nossa pseudo-revolução, não assumimos que fomos enganados e roubados estes anos todos, e vamos através de um programa qualquer chorar lá fora e expor nossa miséria....
Em troca da fama, os Homens da Luta não hesitaram em rebaixar mais ainda Portugal, e os portugueses que duramente exercem sua profissão em outros países, por necessidade e não por opção.
Salazar era isto, era aquilo, mas nunca envergonhou Portugal...
E esta??

  Anónimo

quarta-feira, maio 25, 2011 1:06:00 da tarde

Eu Tenho Vergonha.