Ela


Sentia borboletas gigantes no estômago, que mais pareciam tubarões em fúria. Numa altura em que ando um pouco desiludo com as pessoas que me rodeiam e consequentemente comigo próprio, ela vinha aí. Uma cara de alguém que há 10 anos não via, por ser a cara de alguém que nunca mais irei ver.
Ela tinha aterrado em Berlim e eu esperava-a na minha cidade. Um desvio de 200Km, para me ver. Sentia que tanto eu como ela, não sabíamos bem se era o que queríamos.

O TGV chega, imensas pessoas enchem a plataforma, procuro uma cara esquecida, no meio da multidão, como nos últimos 10 anos tenho feito, sabendo ser em vão. Desta vez não era. Via-a ao longe no meio de centenas de pessoas, os nossos olhos tocaram-se. O meu coração que batia de uma forma descontrolada, parecia ter parado, tal como tudo à minha volta enquanto ela se aproximava.
Com 10 graus negativos sentia-me como numa sauna.

A três passos um do outro parámos, olhos nos olhos, sem palavras. Ao vê-la ao perto, ela parecia não ter mudado. A mesma cara, os mesmos olhos que agora pareciam mais doces. Um abraço apertado.

Peguei na mala dela e saímos dali sem palavras. A primeira palavra só saiu de mim, já perto do carro. Foi só preciso isso. Uma palavra. A partir daí foi fácil, parece que em duas horas colocámos 10 anos em dia e em 24h partilhámos uma vida, enterrámos fantasmas e ficámos, o que sempre fomos sem parecer, mas sabíamos ser. Amigos. O que nos une é forte demais. A amizade é indestrutível, inabalável.

Foi o encerrar não de um capítulo, mas de uma vida. A confirmação de que demorei, mas o que pensava estar já arrumado, estava-o realmente.
Ri como há muito não ria. Recordámos o passado, o nosso passado com todos os intervenientes incluindo a Erica e só rimos. Não houve 1 único segundo de tristeza porque a recordámos viva. Falámos sem medos, sem mágoa, sem dor. Por um dia voltámos a ter 20 anos e comportámo-nos como tal. Adorei.

Ela partiu no dia seguinte, mas a promessa de reencontro ficou clara, mesmo sem palavras.

Foi o primeiro dia em 2009, que estive realmente bem, voltei a ser eu e gostei. Percebi que sou quem sou, como sou e não o que pensam de mim. Senti-me e sinto-me rejuvenescido, pronto para todas as merdas que a vida tiver para me dar. As minhas muralhas foram erguidas novamente e estou pronto. Desilusões? Venham elas!
Sou o Bruno, já estive no inferno como hospede e voltei. Recebi a visita da Sra Dona Morte e disse-lhe, "volte mais tarde, não tenho tempo para si". Nada mais me fará voltar a perder-me nos labirintos escuros do meu passado.


kaikki on muuttunut, koska yksi päivä rakkaus

91 Comentários:

  Abobrinha

terça-feira, janeiro 06, 2009 10:00:00 da manhã

Bruno

Recordar alguém que partiu como viva. Essa sim é a melhor homenagem a ti e a ela! Sinto-me feliz por ti e pela irmã dela por serem capazes de seguir em frente de uma coisa tão devastadora. Aqueceste-me o coração (e olha que aqui também está frio).

Gostei também de saber que te estás a reencontrar contigo e que gostas de quem és. Não se pode pedir muito mais. É o verdadeiro dia quente de Verão no meio de um Inverno com temperaturas negativas.

Não faço ideia do que escreveste em finlandês, mas parece interessante. Isso ou o facto de falares finlandês. Ou ambos!

  Marta

terça-feira, janeiro 06, 2009 10:12:00 da manhã

:) Foi um prazer ler este post!


Feliz 2009!

  mamie2

terça-feira, janeiro 06, 2009 11:11:00 da manhã

Bahh! Ainda não me habituei a este Bruno Fehr! :P

Olha hoje sou eu que te dou os parabéns!

A vida às vezes traz-nos coisas boas, mas a maior parte do tempo prega-nos partidas. E nós temos de ser inteligentes o suficiente para vivermos com esse passado.

Já agora traduz lá aquela coisa lá do fim do post!:P

E Fehr tem algum significado ou é mesmo sobrenome?

  I.D.Pena

terça-feira, janeiro 06, 2009 11:30:00 da manhã

:) É bom quando esse click acontece, quando se pode dizer com toda a certeza que o que lá vai já foi.

;) Feliz por ti, se é que isso é possivel. Hehehe.

*

  Bruno Fehr

terça-feira, janeiro 06, 2009 1:12:00 da tarde

Abobrinha disse...

"Não faço ideia do que escreveste em finlandês, mas parece interessante. Isso ou o facto de falares finlandês. Ou ambos!"

É só uma língua que é acessível a quem a quer aprender, exige um pouco mais de estudo e tentativa/erro no que toca a falar, mas não é impossível, se 5 milhões de pessoas falam...

  Bruno Fehr

terça-feira, janeiro 06, 2009 1:12:00 da tarde

Marta disse...

Obrigado

  Bruno Fehr

terça-feira, janeiro 06, 2009 1:14:00 da tarde

mamie2 disse...

"Bahh! Ainda não me habituei a este Bruno Fehr! :P"

Sou o mesmo, simplesmente me libertei mais na escrita e de facto tenho andado com o sentido de humor adormecido, mas voltará.

"Já agora traduz lá aquela coisa lá do fim do post!:P"

É só um "espirro" em Finlandês :)

"E Fehr tem algum significado ou é mesmo sobrenome?"

É um sobrenome e tem significado :)

  Bruno Fehr

terça-feira, janeiro 06, 2009 1:15:00 da tarde

I.D.Pena disse...

":) É bom quando esse click acontece, quando se pode dizer com toda a certeza que o que lá vai já foi."

Sim, é :)

  ceptic

terça-feira, janeiro 06, 2009 1:23:00 da tarde

:)

"...voltei a ser eu..."

bem-vindo :)

  rosa

terça-feira, janeiro 06, 2009 1:37:00 da tarde

:)

  Minhoca

terça-feira, janeiro 06, 2009 1:52:00 da tarde

Foi sem duvida uma boa entrada no novo ano, espero que seja um ano excelente para ti, e para inicio já foi muito bom.

O Post esta lindo

Um bj

  Mónica

terça-feira, janeiro 06, 2009 2:13:00 da tarde

Olá Bruno,
Acabo de conhecer o teu blog e simplesmente adorei!

Identifico-me com o que escreves, não sei se é assim que pensas e sentes, mas gostei sim sr...

Vou ser uma presença constante por aqui ;)

Beijo,

  Pax

terça-feira, janeiro 06, 2009 4:02:00 da tarde

Eu detesto dizer isto mas adoro quando o sinto:

-Foi muito bom ter acertado nas minhas previsões!

:)

  Pax

terça-feira, janeiro 06, 2009 4:06:00 da tarde

Ah!

"porque um dia o amor tudo mudou"

É isso?

:)

  vita

terça-feira, janeiro 06, 2009 5:12:00 da tarde

Gostei de te ler, que bom.;)

  Jane Doe

terça-feira, janeiro 06, 2009 5:27:00 da tarde

...................................




Speachless


.................................

  Van

terça-feira, janeiro 06, 2009 8:11:00 da tarde

Bolas, até que enfim que se reencontraram. :) Fico contente, era este o happy end alternativo que procurei à medida que te fui lendo no outro canto. :) Ainda bem que se reconciliaram com o passado. Belo começo de 2009, sim senhora. :)

happy for you :)

  Calíope

terça-feira, janeiro 06, 2009 8:27:00 da tarde

meu querido....acho que acabas-te de matar saudades :)

ás vezes precisamos de um encontro com o passado para o futuro parecer um lugar mt mais bonito *

  Libelinha acrobática

terça-feira, janeiro 06, 2009 10:39:00 da tarde

:)

  lontra=)

terça-feira, janeiro 06, 2009 11:41:00 da tarde

=D fico muiiiito feliz por ti. Aposto que brilhavam juntos..e qualquer pessoa teria ficado radiante ao ver-vos (eu fiquei só de ler).

:D:D:D

hihihihihihi

tu mereces tudo o que desejas, luta por isso ;) e sê feliz.

  Cor do Sol

terça-feira, janeiro 06, 2009 11:48:00 da tarde

Fico contente por ti :)

Era necessária essa conversa, esse fechar de capitulo. Era notório.

Eu também ainda não em habituei a isto do Bruno apesar de saber à muito que esse e efectivamente o teu nome :P

  FATifer

terça-feira, janeiro 06, 2009 11:52:00 da tarde

… em instantes recordei todo um blog teu, uma parte de ti (ou uma vida, como dizes) que não me canso de te agradecer que tenhas partilhado connosco.

Bem-vindo de volta a ti e que 2009 continue conforme planeaste (sem que isso queira dizer que deixes de ter uma ou outra surpresa, das boas claro!).

Abraço,
FATifer

  Green Eyes

quarta-feira, janeiro 07, 2009 12:13:00 da manhã

Gostei do que li por ti e por mim.
Por ti pelo “renascer”, por mim pelo prazer de ler um óptimo texto (mais uma vez).
Mas gostei, sobretudo, do penúltimo parágrafo.
Bjs

  Eu mesma!

quarta-feira, janeiro 07, 2009 12:13:00 da manhã

Olá Bruno...
amei o teu post.... aqueceu mesmo o meu coração e fiquei feliz por ti... pelo o teu 2009 estar a iniciar da melhor forma....

o que disseste...
Amigos. O que nos une é forte demais. A amizade é indestrutível, inabalável.

Concordo totalmente... aliás... ainda esta semana falei exactamente isso do meu lado... Um dos meus quatro pilares aparece se quiseres e ... obrigado por partilhares esse momento teu conosco!

Jinhos

  **laura**

quarta-feira, janeiro 07, 2009 12:17:00 da manhã

Vim espreitar, depois de um comentário tão sábio lá no meu Outono.
Deparo-me com um texto tão forte, com tantas emoções e com tanta história, que sou incapaz de o comentar. Precisarei ler mais, ler melhor. O passado, os amigos, as perdas, os sonhos... às vezes cria-se uma teia que nos enclausura. Li uma vez que os verdadeiros amigos podem estar anos sem se verem, porém quando se re-encontrarem retomarão a conversa facilmente, como se não se vissem apenas há algumas horas. E são estas amizades que nos ajudam (porque nos compreendem) a perceber e desatar essas teias, integrando as nossas dores e dando-lhes sentido para que possamos avançar.

Desejo-te um Excelente Ano 2009 :D

**

  Skynet

quarta-feira, janeiro 07, 2009 12:25:00 da manhã

Ano novo, vida nova, saúde nova e nome novo. Não tens mais nada novo? ;)

Abraço

  Feitiozinho

quarta-feira, janeiro 07, 2009 12:27:00 da manhã

sabes, acho que não há nada melhor do que encerrar um capitulo do passado com um sorriso na cara:) Sabe tão bem reencontrar alguém e fazer de conta que o tempo parou e que perdemos menos 3, 4 ou 10 anos e simplesmente fazer uma viagem no tempo juntos!

Já alguém dizia que recordar é viver, e se for feito com alguém de quem gostamos melhor ainda:D

  pepita chocolate

quarta-feira, janeiro 07, 2009 12:36:00 da manhã

Obrigada pelas tuas palavras no meu caninho.
Volta mais vezes. Eu cá voltarei.

  Salto-Alto

quarta-feira, janeiro 07, 2009 12:38:00 da manhã

Que história gira... É bom reencontrarmos alguém que nos diz tanto e que nos faz conhecermo-nos melhor a nós próprios!
Gostei imenso do texto!

Beijocas!

  Saskia

quarta-feira, janeiro 07, 2009 12:39:00 da manhã

Gosto de acreditar que uma amizade é uma amizade, apesar de tudo.

Não deixes passar mais dez anos, é muito tempo na vida de uma pessoa :)


Beijinho*

  Lize

quarta-feira, janeiro 07, 2009 12:57:00 da manhã

Esclarecer o passado e encará-lo com alegria é muito provavelmente das melhores sensações que se pode ter :)


Beijocas ao teu novo "eu" :)

  Bruno Fehr

quarta-feira, janeiro 07, 2009 1:18:00 da manhã

ceptic:

Obrigado.

  Bruno Fehr

quarta-feira, janeiro 07, 2009 1:18:00 da manhã

rosa:

;)

  Bruno Fehr

quarta-feira, janeiro 07, 2009 1:20:00 da manhã

Minhoca disse...

"Foi sem duvida uma boa entrada no novo ano, espero que seja um ano excelente para ti, e para inicio já foi muito bom."

A entrada em si, nao foi das melhores, mas este dia foi muito bom.

Será um ano positivo, mas como todos, perdemos de um lado e ganhamos de outro.

  Bruno Fehr

quarta-feira, janeiro 07, 2009 1:21:00 da manhã

Mónica:

Muito obrigado pelas tuas palavras e és bem vinda :)

  Bruno Fehr

quarta-feira, janeiro 07, 2009 1:23:00 da manhã

Pax disse...

"Foi muito bom ter acertado nas minhas previsões!"

:)

"porque um dia o amor tudo mudou

É isso?"

kaikki on muuttunut, koska yksi päivä rakkaus, nao significa isso, mas acertaste em algumas palavras. yksi é de facto um, päivä é de facto dia, rakkaus não é amor mas sim uma derivação...

  Bruno Fehr

quarta-feira, janeiro 07, 2009 1:25:00 da manhã

vita:

Gostei de o escrever :)

  Bruno Fehr

quarta-feira, janeiro 07, 2009 1:26:00 da manhã

Jane Doe disse...

"Speachless"

In Seatle? Ah era Sleepless...

  Bruno Fehr

quarta-feira, janeiro 07, 2009 1:27:00 da manhã

Van disse...

"Bolas, até que enfim que se reencontraram. :) Fico contente, era este o happy end alternativo que procurei à medida que te fui lendo no outro canto. :) Ainda bem que se reconciliaram com o passado. Belo começo de 2009, sim senhora. :)"

Um final alternativo, para um inicio de ano alternativo, visto que até nem começou bem :S

  Bruno Fehr

quarta-feira, janeiro 07, 2009 1:28:00 da manhã

Calíope disse...

"meu querido....acho que acabas-te de matar saudades :)"

Só é pena que nao as tenha sentido, mas de facto que esta visita foi muito positiva.

  LaveyGirl

quarta-feira, janeiro 07, 2009 1:28:00 da manhã

Bem...
Para quem afirma ser desprovido de sentimentos de qualquer espécie, frio (em Munique estão -2C, ai não sei), que ameaça processar toda a gente por tudo e por nada, que regas os anónimos (alias há uma opção no bloguer que impede comentários de anónimos, se não a accionas é porque gostas de os ter por cá) com detergente e os pões a arder (gostava de ver detergente a arder, a serio que gostava), que não das mais que 1 oportunidade a ninguém. Nunca falhaste e desejaste ser perdoado? Nunca lamentaste nada e esperaste que a outra pessoas se desse ao trabalho de compreender o motivo que te levou a errar? Nem sempre se erra por crer, os erros são fruto de más decisões, de escolhas mal direccionadas, de actos impulsivos, mas que na altura fazem total e absoluto sentido! E que te desiludes com facilidade, que afirmas não ligar a embalagens, mas depois criticas a roupa e o aspecto das pessoas…
(Atenção isto dizes tu...)

E agora sais-te com um post destes =S

Das duas uma, ou és hipócrita, ou o teu novo alter-ego finalmente vai mostrar a parte humana “adormecida” em ti, que tanto te esforças por esconder…

Falo em alter-ego porque heterónimo não encaixa bem aqui, o heterónimo tem uma história, um nascimento, uma vida preenchida com feitos inigualáveis e uma morte.

Logo não considerei o Crest um heterónimo, logo quando falaste que ele morreu só me veio á cabeça que a auto ilusão é contraproducente…

Espero que não acordes um dia e que ele volte.

Honestamente considero que fizeste um grande esforço emocional, para alcançares a paz cerebral que tanto ansiavas em relação e este assunto.

"A vida já é curta, mas nós tornamo-la ainda mais curta, desperdiçando tempo "
Autor: Hugo , Victor

Por isso agora anda para frente que atrás vem gente!!

:)

  Bruno Fehr

quarta-feira, janeiro 07, 2009 1:28:00 da manhã

Libelinha acrobática:

;)

  Bruno Fehr

quarta-feira, janeiro 07, 2009 1:29:00 da manhã

lontra=) disse...

"Aposto que brilhavam juntos..e qualquer pessoa teria ficado radiante ao ver-vos (eu fiquei só de ler)."

Uma coisa é certa, nao passámos despercebidos em local nenhum :D

  Bruno Fehr

quarta-feira, janeiro 07, 2009 1:30:00 da manhã

Cor do Sol disse...

"Era necessária essa conversa, esse fechar de capitulo. Era notório."

Era sim, compreendo isso agora :)

"Eu também ainda não em habituei a isto do Bruno apesar de saber à muito que esse e efectivamente o teu nome :P"

Sinto-me muito mais EU e mais confortável para publicar muito do que guardo para mim.

  Ana GG

quarta-feira, janeiro 07, 2009 1:31:00 da manhã

Bem vindo ao mundo das emoções...boas!

:)

Bonito texto

  Bruno Fehr

quarta-feira, janeiro 07, 2009 1:32:00 da manhã

FATifer disse...

"Bem-vindo de volta a ti e que 2009 continue conforme planeaste (sem que isso queira dizer que deixes de ter uma ou outra surpresa, das boas claro!)."

As surpresas boas e principalmente as más, sao e serao uma constante, só tenho de fazer o que faço, aceitar e seguir o meu caminho.
Eu nao voltei a ser quem era, só voltei por um dia. Acho que aceitei foi quem sou hoje, ou seja, o resultado de uma vida.

  Bruno Fehr

quarta-feira, janeiro 07, 2009 1:38:00 da manhã

Green Eyes disse...

"Mas gostei, sobretudo, do penúltimo parágrafo."

Sim, também acho.

  Bruno Fehr

quarta-feira, janeiro 07, 2009 1:40:00 da manhã

Eu mesma! disse...

"Amigos. O que nos une é forte demais. A amizade é indestrutível, inabalável."

Mas estes são a excepção e não a regra.

  Bruno Fehr

quarta-feira, janeiro 07, 2009 1:42:00 da manhã

**laura** disse...

"Li uma vez que os verdadeiros amigos podem estar anos sem se verem, porém quando se re-encontrarem retomarão a conversa facilmente, como se não se vissem apenas há algumas horas."

Isso eu posso confirmar. Eu estou na Alemanha os meus melhores amigos estão na Suíça, Londres e Portugal. Cada encontro após anos é como se fosse desde ontem :)

  Bruno Fehr

quarta-feira, janeiro 07, 2009 1:44:00 da manhã

Skynet disse...

"Ano novo, vida nova, saúde nova e nome novo. Não tens mais nada novo? ;)"

Tenho um Portátil novo e um telemóvel novo, mas a vida ainda é a velha e não quero uma nova.

  Bruno Fehr

quarta-feira, janeiro 07, 2009 1:45:00 da manhã

Feitiozinho disse...

"sabes, acho que não há nada melhor do que encerrar um capitulo do passado com um sorriso na cara:) Sabe tão bem reencontrar alguém e fazer de conta que o tempo parou e que perdemos menos 3, 4 ou 10 anos e simplesmente fazer uma viagem no tempo juntos!"

É verdade, para mim, isto é um sentimento novo :)

  Bruno Fehr

quarta-feira, janeiro 07, 2009 1:46:00 da manhã

pepita chocolate disse...

Agradeço as tuas palavras.

  Bruno Fehr

quarta-feira, janeiro 07, 2009 1:46:00 da manhã

Salto-Alto disse...

"É bom reencontrarmos alguém que nos diz tanto e que nos faz conhecermo-nos melhor a nós próprios!"

É mesmo muito bom.

  Bruno Fehr

quarta-feira, janeiro 07, 2009 1:47:00 da manhã

Saskia disse...

"Gosto de acreditar que uma amizade é uma amizade, apesar de tudo."

É e será sempre, nesse campo sempre tive pouquissimos mas excelentes e para toda a vida.

  Bruno Fehr

quarta-feira, janeiro 07, 2009 1:48:00 da manhã

Lize:

Realmente é uma sensação óptima.

  Bruno Fehr

quarta-feira, janeiro 07, 2009 2:03:00 da manhã

LaveyGirl disse...

"Para quem afirma ser desprovido de sentimentos de qualquer espécie"

Eu disse isso? Nao me parece que o tenha alguma vez dito.

"que ameaça processar toda a gente por tudo e por nada"

Nunca o fiz, não sei onde leste isso!

"que regas os anónimos"

Metáfora a anónimos, quem me acompanha há mais tempo, percebe cada palavra desse texto.

"(alias há uma opção no bloguer que impede comentários de anónimos, se não a accionas é porque gostas de os ter por cá)"

Tenho EXCELENTES comentadores anónimos, assim de repente lembro-me da Fia e da Sao, duas pessoas que aprendo sempre com os seus comentários.
Bloquear comentários anónimos por causa de idiotas, seria impedir excelentes pessoas de me comentar.

"com detergente e os pões a arder"

Mais uma vez, uma metáfora a uma pessoa em particular.

"que não das mais que 1 oportunidade a ninguém."

Mais uma vez, nunca disse isso. Andas a ler outro blog.

"Nunca falhaste e desejaste ser perdoado? Nunca lamentaste nada e esperaste que a outra pessoas se desse ao trabalho de compreender o motivo que te levou a errar?"

Já falhei e já assumi os meus erros.

"E que te desiludes com facilidade"

Eu nao me desiludo com facilidade, iludo-me com facilidade e as pessoas desiludem-se.

"que afirmas não ligar a embalagens, mas depois criticas a roupa e o aspecto das pessoas…"

Nao ligo a embalagens, é verdade, mas isso não quer dizer que não critique o mau vestir de um amigo, ou que não lhe diga que cheira a chulé de cueca. Que não mencione que o que poderá fazer para se sentir melhor consigo mesmo/a.
Eu não ligo às embalagens, mas isso não quer dizer que não tenha opinião sobre elas.

"(Atenção isto dizes tu...)"

Nao, isso dizes tu, nada do que dizes aqui faz sentido, tendo em conta os meus textos. Só faz sentido tendo em conta quem tu realmente és.

E agora sais-te com um post destes =S

"Das duas uma, ou és hipócrita, ou o teu novo alter-ego finalmente vai mostrar a parte humana “adormecida” em ti, que tanto te esforças por esconder…"

Já leste algum texto meu? Nao me parece, falas em falta de sentimentos frieza quando nao sabes quem eu sou ou o que escrevo.

Se me queres tentar analisar, lê primeiro o que escrevi. Se não lês, deves ter consciência de que não me conheces.

"Falo em alter-ego porque heterónimo não encaixa bem aqui, o heterónimo tem uma história, um nascimento, uma vida preenchida com feitos inigualáveis e uma morte."

Um heterónimo é a palavra correcta e terá a sua morte quando a altura chegar.

"Logo não considerei o Crest um heterónimo"

O Crest era um nick, agora tenho um heterónimo. Nao andas mesmo a ler o que escrevo, mas mesmo assim falas disso.

Gostaria que soubesses que a LaveyGirl surgiu que eu sei que é um alter-ego da desaparecida chii, daí um comentário deste teor.

  Bruno Fehr

quarta-feira, janeiro 07, 2009 2:05:00 da manhã

Ana GG disse...

"Bonito texto"

Obrigado.

  Mimi La Rose

quarta-feira, janeiro 07, 2009 2:24:00 da manhã

Gostei deste post...

Homens sentimentais mexem comigo..

No Way...

  sexy hot

quarta-feira, janeiro 07, 2009 2:38:00 da manhã

Borboletas no estômago... afinal não fui a única a senti-las esta semana :)
Não sei, mas este post tem qualquer menino Bruno (de repente foi estranho chamar-te pelo teu próprio nome...) enfim...
Recordar pessoas é bom, é óptimo e se te fez sentir assim então ainda melhor :)

Beijinho

  sexy hot

quarta-feira, janeiro 07, 2009 2:39:00 da manhã

Ah esqueci-me de dizer uma coisa... essa tua nova imagem de perfil é fantástica, tal como todas as outras que estão na barrinha*.*

  I.D.Pena

quarta-feira, janeiro 07, 2009 9:51:00 da manhã

Não queria meter-me na conversa mas não consigo evitar, tenho pena.

Bruno Fehr disse ...

" Tenho EXCELENTES comentadores anónimos, assim de repente lembro-me da Fia e da Sao, duas pessoas que aprendo sempre com os seus comentários.
Bloquear comentários anónimos por causa de idiotas, seria impedir excelentes pessoas de me comentar."

Subscrevo, sempre que essas duas comentadoras comentam, aprendo imenso. Lá por haver anónimos cobardes com vergonha na cara não quer dizer que não haja também anónimos que só querem partilhar os seus conhecimentos sem se mostrar.

Com tudo podemos aprender, até com alguns anónimos bestas aprendo, tento controlar a minha vontade de humilhar , não gosto de o fazer mas às vezes apetece mesmo.

Hehehe, desculpem a intromissão, mas acho que um comentário da fia vale "na buinha" por 100 comentários de fritos ou frustrados.
:)

  Eu mesma!

quarta-feira, janeiro 07, 2009 9:59:00 da manhã

Bruno
no meu caso.... as minhas amizades são inabaláveis.... são a regra mesmo não a excepção mas... para mim quem eu considero amigo tem que ser uma amizade incondicional senão passam a ser apenas conhecidos...

  AP

quarta-feira, janeiro 07, 2009 10:01:00 da manhã

Li, gostei e fico feliz por ti.

Desculpa o atraso, mas Feliz 2009!

  Ondinhas

quarta-feira, janeiro 07, 2009 10:08:00 da manhã

aproveita a vida ao maximo!
gostei! que 2009 e os restantes te sorriam!

  Fia

quarta-feira, janeiro 07, 2009 11:04:00 da manhã

"Tenho EXCELENTES comentadores anónimos, assim de repente lembro-me da Fia e da Sao, duas pessoas que aprendo sempre com os seus comentários."

Não gosto particularmente que me elogiem em público, mas registo o elogio.

Não sou anónima, no sentido em que me escondo atrás das minhas palavras. Pelo contrário. Não me escondo de nada, quem me conhece sabe que mais que me esconder, gosto de as desafiar. Colocar as ideias, as emoções, traduzir tudo isso nas palavras certas, ou pelo menos traduzir isso de forma a que quem as lê me entenda, é aí que reside o seu maior mistério. E isso que desafia a minha escrita.

Em breve, estas vão ganhar outra forma, mas o projecto, já que 2009 será para mim um ano de mudanças, entre muitos outros, tem-me tomado tempo e dedicação. E daí que não tenha sido uma comentadora assídua, mas uma assídua leitora. Além do mais, não é minha intenção ensinar nada a ninguém, quem quiser que aprenda, como eu faço com aqueles que foram passando pela minha vida. Quando não tenho uma opinião bem definida, prefiro amadurece-la e só depois a expressar. Daí que comente menos do que tenha escrito ultimamente.

Justificações aparte, e remetendo-me a este post em concreto. E aqui sim, mais uma vez, falo por mim, da forma como lido com a situação se é que pode servir algo a alguém.

Tenho a maioria das pessoas que me são particularmente queridas, espalhados literalmente por todos os continentes e algumas nem sei onde estão. Digo-te o mesmo que lhes digo a eles: distâncias são linguagem de máquinas. Eu não meço a distância entre mim e alguém em kms, milhas... Basta-me menos de um segundo para os recordar e nos sentirmos próximos. A presença física é apenas um dos bons laços que nos unem. Além disso as distâncias são relativas. Duas pessoas podem estar igualmente distantes por 16h de viajem de carro, 3000kms, 3h de avião, segundos por uma ligação telefónica, um e-mail... Mais que a distância em si, é o que liga duas pessoas, o que determina a distância entre elas.

Saudades? Por relativizar as distâncias, não as sinto. Noto sim a ausência, quando fisicamente não estão perto de mim. Depois há um lado emocional, não racional, que em alguns momentos me ultrapassa, e me faz sentir a sua falta ou vontade ( que ainda não consegui definir, talvez uma falta com desejo e vontade ) de pequenos grandes detalhes como os beijinhos na testa, dos abraços, das mãos dadas ( conheço todos aqueles que amo pelas mãos :P mas isso já é um pormenor ), das noites de risos e cócegas, até dos silêncios quando juntos, o facto de sentir a sua respiração, daqueles que me são particularmente queridos, só porque sei que estão lá e isso inexplicavelmente me faz bem, sem me ser vital. Mas ainda assim faz-me muito bem… Saudades não sinto, porque com algumas excepções ( mas como já referi num outro comentário, quero acreditar que também assim seja ), que é uma questão de tempo até ter, OS ter, ter aquilo que me fez “falta”. Aprendi a ser paciente e a respeitar as minhas distâncias e as dos outros. Há espaços, que têm que existir necessariamente entre as pessoas para que se desenvolvam, e há que saber respeitá-los, os nossos e os dos outros.

  Em Bicos de Pés

quarta-feira, janeiro 07, 2009 11:30:00 da manhã

Então, feliz futuro. :)

  Nanny

quarta-feira, janeiro 07, 2009 5:57:00 da tarde

Eu gostava de ler o teu texto, mas isto deve ser daqueles blogs que só se vê bem em Firefox... pois!

Então o que li melhor foi mesmo:
"Se és um anónimo que aqui vem aqui "mandar postas de pescada", vai mamar na teta da vaca, que eu estou-me a cagar para o que tens a dizer. Queres comentar assina. Queres vir marrar comigo, tens de ser seriamente sodomizado por um Moçambicano antes de te permitir essa honra."

LOOOOOOOL

Adorei!!!!

Beijocas e um Óptimo 2009

  Jane Doe

quarta-feira, janeiro 07, 2009 6:39:00 da tarde

!"#$%%&%/(%#!"!"=)(/&%=?=)(/&%$#"!"#$%&#$"$%&=)(/&%$#speechless!#$%&/(/$%&/()=?)(#$"#"!#$%&/()=?/&%!"#%$!"#&/=(?)??#|!"#$%&/(/&$#$%&/()=(/&%$#"!#$%&/#"#$%&»?=)&$#%&/()=?=()/$#"!$%$#"$%&/()=&/%%$#"$%&/Speachless!!!!!!!!!!!!!


Ouviste?!!!!!!

Não?!...


Raios!

  São

quinta-feira, janeiro 08, 2009 12:12:00 da manhã

“ e ficamos o que sempre fomos sem parecer mas sabíamos ser. Amigos. O que nos une é forte de mais. A amizade é indestrutível inabalável.”

A propósito de Amizade acabei de ler um livro que se chama “As velas ardem até ao fim” de um escritor Húngaro – Sándor Marai é uma reflexão sobre a Amizade em forma de romance.

Ele diz: “O amigo não espera recompensa pelos seus sentimentos. Não quer contrapartidas, não considera a pessoa que escolheu para seu amigo como uma criatura irreal, conhece os seus defeitos e assim o aceita com todas as suas consequências. Quanto vale aquela amizade, em que só amamos o outro pela sua virtude, fidelidade e perseverança? Quanto vale qualquer afecto que espera recompensa?”

Eu digo:
Amigo é essa pessoa
Com quem podes contar
Sempre que precisares
Não te abandona nunca
Apesar dos erros que cometas
Que te aceita como és
Alguém que ouve pacientemente
Os teus problemas
Que te compreende
E se preocupa contigo
Tenta ajudar-te
Diz-te o que os outros não dizem
Com ele partilhas tristezas e alegrias
E só sabes como é importante
O dia em que não está

“As minhas muralhas foram erguidas novamente e estou pronto. Desilusões venham elas.”
Se as muralhas estão erguidas, ninguém entra, nem as desilusões, nem tão pouco ilusões, mas restam as que ficaram dentro, não há nada pior que desiludirem-nos,a não ser quando nós sentimos que desiludimos alguém.

“Voltei a ser eu e gostei percebi que sou quem sou, como sou e não o que pensam de mim”
Isso é o mais importante, gostarmos de nós, aceitar-nos como somos, pois convivemos com os outros, mas é connosco que temos que viver diariamente.

  Teté

quinta-feira, janeiro 08, 2009 1:25:00 da manhã

Há medos e receios que temos de ultrapassar, para nos conhecermos melhor a nós mesmos! O passado existiu, não há que varrê-lo para debaixo do tapete!

Mas mais importante é o presente e saber lidar com esses momentos do passado (bons e maus), de modo a que ele não nos assombrar o dia a dia...

Que bom teres reencontrado essa velha amiga! e teres ficado feliz de revê-la! :)

  Bruno Fehr

sábado, janeiro 10, 2009 2:18:00 da manhã

Mimi La Rose disse...

"Homens sentimentais mexem comigo..

No Way..."

Nao deixes. O homem sente por vezes quando parece sentir sempre, é fingimento.

  Bruno Fehr

sábado, janeiro 10, 2009 2:26:00 da manhã

sexy hot disse...

"Não sei, mas este post tem qualquer menino Bruno"

Sim, tem muito de menino :)

"Ah esqueci-me de dizer uma coisa... essa tua nova imagem de perfil é fantástica, tal como todas as outras que estão na barrinha*.*"

Os créditos vão para a I.D.Pena que os desenhou.

  Bruno Fehr

sábado, janeiro 10, 2009 2:31:00 da manhã

I.D.Pena disse...

"Lá por haver anónimos cobardes com vergonha na cara não quer dizer que não haja também anónimos que só querem partilhar os seus conhecimentos sem se mostrar."

Exactamente.

"Com tudo podemos aprender, até com alguns anónimos bestas aprendo, tento controlar a minha vontade de humilhar , não gosto de o fazer mas às vezes apetece mesmo."

Sim, eu aprendo novas formas de reposta a insulto tentando nao baixar o nivel, por vezes nao é fácil :)

  Bruno Fehr

sábado, janeiro 10, 2009 2:33:00 da manhã

Eu mesma! disse...

"para mim quem eu considero amigo tem que ser uma amizade incondicional senão passam a ser apenas conhecidos..."

Exactamente, eu divido em 3 grupos conhecidos que são pessoas com que falo esporadicamente. Colegas que são colegas de trabalho ou estão no meu grupo de amigos sem o serem e o amigos, os raros, os que me fazem tolerar muitos colegas :)

  Bruno Fehr

sábado, janeiro 10, 2009 2:34:00 da manhã

AP disse...

Obrigado.

  Bruno Fehr

sábado, janeiro 10, 2009 2:35:00 da manhã

Ondinhas disse...

Obrigado.

  Bruno Fehr

sábado, janeiro 10, 2009 2:49:00 da manhã

Fia disse...

"Não gosto particularmente que me elogiem em público, mas registo o elogio."

Nao foi elegante da minha parte e assumo isso.

"Não sou anónima, no sentido em que me escondo atrás das minhas palavras. Pelo contrário."

Sim, a definição de anónimos são todos aqueles que comentam como anónimo ou com um nome a preto. Na verdade, mesmo quem tem conta bloguer sem blogue é anónimo, mesmo com blogue também é anónimo, mas é isso que muitos querem esconder. Querem privar quem atacam de lhes responder no seu próprio blogue.

"Em breve, estas vão ganhar outra forma, mas o projecto, já que 2009 será para mim um ano de mudanças, entre muitos outros, tem-me tomado tempo e dedicação. E daí que não tenha sido uma comentadora assídua, mas uma assídua leitora."

De para reparar com com tao rápido comentário.

"Digo-te o mesmo que lhes digo a eles: distâncias são linguagem de máquinas. Eu não meço a distância entre mim e alguém em kms, milhas... Basta-me menos de um segundo para os recordar e nos sentirmos próximos. A presença física é apenas um dos bons laços que nos unem."

A distancia é relativa, pois há pessoas bem mais distantes que vivem sob o mesmo tecto.

  Bruno Fehr

sábado, janeiro 10, 2009 2:53:00 da manhã

Em Bicos de Pés disse...

Obrigado.

  Bruno Fehr

sábado, janeiro 10, 2009 2:55:00 da manhã

Nanny disse...

"Eu gostava de ler o teu texto, mas isto deve ser daqueles blogs que só se vê bem em Firefox... pois!"

O IE está cheio de bugs propositados... quando comentas, podes abrir o texto na caixa de comentário e ler na totalidade.

"LOOOOOOOL

Adorei!!!!"

Se soubesse quantos eu já aturei...

  Bruno Fehr

sábado, janeiro 10, 2009 2:55:00 da manhã

Jane Doe disse...

"!"#$%%&%/(%#!"!"=)(/&%=?=)(/&%$#"!"#$%&#$"$%&=)(/&%$#speechless!#$%&/(/$%&/()=?)(#$"#"!#$%&/()=?/&%!"#%$!"#&/=(?)??#|!"#$%&/(/&$#$%&/()=(/&%$#"!#$%&/#"#$%&»?=)&$#%&/()=?=()/$#"!$%$#"$%&/()=&/%%$#"$%&/Speachless!!!!!!!!!!!!!"

Isso é uma definição? :D

  Bruno Fehr

sábado, janeiro 10, 2009 2:59:00 da manhã

São disse...

"Ele diz: “O amigo não espera recompensa pelos seus sentimentos. Não quer contrapartidas, não considera a pessoa que escolheu para seu amigo como uma criatura irreal, conhece os seus defeitos e assim o aceita com todas as suas consequências. Quanto vale aquela amizade, em que só amamos o outro pela sua virtude, fidelidade e perseverança? Quanto vale qualquer afecto que espera recompensa?”"

Concordo, isso não tem perco.

" Eu digo:
Amigo é essa pessoa
Com quem podes contar
Sempre que precisares
Não te abandona nunca
Apesar dos erros que cometas
Que te aceita como és
Alguém que ouve pacientemente
Os teus problemas
Que te compreende
E se preocupa contigo
Tenta ajudar-te
Diz-te o que os outros não dizem
Com ele partilhas tristezas e alegrias
E só sabes como é importante
O dia em que não está"

Concordo também. Mas eu digo que mesmo assim, entre dois amigos um é sempre mais amigo que o outro.

"Se as muralhas estão erguidas, ninguém entra, nem as desilusões, nem tão pouco ilusões, mas restam as que ficaram dentro, não há nada pior que desiludirem-nos,a não ser quando nós sentimos que desiludimos alguém."

Nao, as muralhas são em torno de mim, as ilusões nascem cá dentro.

  Bruno Fehr

sábado, janeiro 10, 2009 3:00:00 da manhã

Teté disse...

"Que bom teres reencontrado essa velha amiga! e teres ficado feliz de revê-la"

Foi um processo lento e que demorou, mas se o tivesse apressado teria certamente errado.

  Jane Doe

sábado, janeiro 10, 2009 5:36:00 da tarde

É...

A definição da minha burrice...

Para confiar mais no ingles dos outros que no meu!

Pronto eu explico...

Eu escrevi speechless. Mas, claro como o meu ingles e uma boa merda e tal, deixa-me la confirmar ali com o vizinho do lado, que até sabe. A resposta? Speachless.

Pronto, está traduzido.

Raios ninguém me entende pah!

  Bruno Fehr

domingo, janeiro 11, 2009 12:58:00 da manhã

Jane Doe disse...

"A definição da minha burrice...

Para confiar mais no ingles dos outros que no meu!

Pronto eu explico...

Eu escrevi speechless. Mas, claro como o meu ingles e uma boa merda e tal, deixa-me la confirmar ali com o vizinho do lado, que até sabe. A resposta? Speachless."


Pois então diz ao teu vizinho do lado, para ir para a escola, pois Speechless está de facto correcto! Speech é discurso enquanto speach é pêssego com um s antes :S

  moi chéri

domingo, janeiro 11, 2009 4:23:00 da manhã

o reencontro cmo amigos (mesmo amigos) do passado também me faz lembrar quem eu sou. é engraçado. descobri isso o verão passado com um reencontro. é mesmo muito bom. não sabia que acontecia.

  São

segunda-feira, janeiro 12, 2009 2:12:00 da manhã

“entre dois amigos um é sempre mais amigo que o outro”
Concordo, também entre amantes um ama mais que o outro.


“Não, as muralhas são em torno de mim, as ilusões nascem cá dentro”

Estás certo, de facto as ilusões nascem dentro de nós, somos nós que as criamos, mas algumas só nascem porque deixamos que transponham as nossas muralhas.

  Bruno Fehr

segunda-feira, janeiro 12, 2009 3:12:00 da manhã

moi chéri disse...

"o reencontro cmo amigos (mesmo amigos) do passado também me faz lembrar quem eu sou. é engraçado. descobri isso o verão passado com um reencontro. é mesmo muito bom. não sabia que acontecia."

É verdade, é óptimo!

  Bruno Fehr

segunda-feira, janeiro 12, 2009 3:15:00 da manhã

Anónimo São disse...

"Concordo, também entre amantes um ama mais que o outro."

Também é verdade.


"Estás certo, de facto as ilusões nascem dentro de nós, somos nós que as criamos, mas algumas só nascem porque deixamos que transponham as nossas muralhas."

Posso criar ilusões devido algo que está do lado de fora das muralhas, visto que os sentimentos passam. Quer deixe entrar esse algo ou não a desilusão pode acontecer, mas dói sempre muito mais consoante a proximidade, por isso gosto da cautela. O seguro morreu de velho.

  Pandora

quinta-feira, janeiro 15, 2009 10:00:00 da tarde

Brilhante...

  Bruno Fehr

domingo, janeiro 18, 2009 3:57:00 da manhã

Pandora disse...

Obrigado.

  Clara

quarta-feira, setembro 02, 2009 5:36:00 da tarde

A vida repete-se com cada um de nós. Aconteceu-me a mesma coisa há pouquíssimo tempo... e no entanto, como eu gostaria que estivesse a acontecer agora também, com outra situação. Foi bom ler o que escreveste, mas também angustiante. Ainda não me habituei a deixar de fazer parte da vida de quem amei, como uma roupa que se joga para o lado, velha e antiga. Ainda não me habituei à efemeridade dos sentimentos, do é hoje, mas amanhã não...