Monalisa

O meu ano começou de uma forma normal até me ter trazido más noticias. A minha cadela mais velha, uma pastora Alemã chamada Monalisa, morreu.
Comprei-a em Julho de 1996 com 2 meses e desde então tornou-se parte de mim. Sempre feliz por me ver e desejosa de brincar, sempre serena a meu lado quando eu estava triste, sempre por perto a ganir quando eu estava doente, e  a uivar ao telefone quando eu estava longe. Ao contrário de família e amigos, a Monalisa viveu a meu lado os melhores e piores anos da minha vida até hoje, nunca me julgou, nunca me deixou só, e parecia perceber o que eu sentia pois comportava-se de uma forma similar, saltando e brincando excepto quando eu estava triste limitando-se a deitar-se perto de mim e ali ficava como uma amiga à espera de um desabafo, e se com ela falava ela observava-me atentamente como se realmente me estivesse a perceber.




Saí com o faço todos os dias com ela, comeu e adormeceu como num qualquer outro dia, mas não acordou no dia seguinte.
Perdi aquela que foi a minha melhor amiga nos últimos  quase 14 anos. Morreu, mas não me deixou o remorso que sinto do que fiz ao meu cão, Prince, pois não tive de a mandar matar.
Naquela noite como rara excepção, ambas as minhas cadelas foram autorizadas a dormir no chão do meu quarto, mas quando acordei só a mais nova lá estava, tendo a Monalisa ido falecer na sua própria cama.

Os nossos animais nunca nos deixam nunca nos falham, estão sempre lá quando precisamos deles, mas nós nem sempre retribuímos. Só deverá ter um animal quem o amar, mas hoje compreendo que quem ama demais os seus animais não deverá ter nenhum, pois somos obrigados a vê-los partir e sentir demais essa partida.

Mais do que ter de lidar com a minha dor, tenho de lidar com a dor da minha cadela mais nova, que uiva quase constantemente, um uivar que me trespassa de uma forma gelada. A Shiva não come excepto o que a obrigo a comer dando-lhe o comer à boca, não brinca, não quer sair de casa e raramente se levanta. Esta cadela como o membro mais novo de uma família agora destruída foi severamente disciplinada pelo Prince e pela Monalisa, com a partida do Prince quase desistiu de viver. A Shiva foi comprada numa atitude egoísta de ser companhia da Monalisa após o diagnóstico do estado do Prince e acabou por ser ela a sacrificada vendo partir ambos. Ao vê-la desta maneira, sinto que a minha companhia, para ela, não chega.

Os nosso animais nunca nos abandonam, fazem tudo o que podem e sabem por nós, mas nós nem sempre retribuímos da melhor forma.

video

15 Comentários:

  Anónimo

terça-feira, janeiro 05, 2010 12:15:00 da tarde

hot-wallpaper
kxib b ? ia 69

  Vani

terça-feira, janeiro 05, 2010 12:24:00 da tarde

Lamento, Bruno :((( sei muito bem como te sentes (e aqui há uma semana faleceu o canito de uma amiga minha, que era quase como se também fosse meu,pois vivemos todos juntos há uns tempos e afeiçoei-me)...

A shiva agora precisa muito de ti. É normal que esteja deprimida pela partida dos amigos, mas estás aí para ela e acredita que isso a vai ajudar.

E saberás sempre que a tua amiga teve uma boa vida a teu lado.

Sei que as palavras não consolam nem amainam a dor ou as saudades.

Lamento, a sério :(.

  Ana C. Nunes

terça-feira, janeiro 05, 2010 1:04:00 da tarde

Lamento muito, mas não te culpes pelo sofrimento da cadela mais nova. Pensa antes que ela teve a oportunidade de conhecer e viver com os teus outros dois cães maravilhosos. Afinal não é assim também com as pessoas? Mais vale termos algum tempo com pesssoas de quem gostamos, do que não as conhecermos de todos. Doí quando partem, mas recordar-nos-emos sempre deles, nos bons momentos.
Eu também sofri muito com a morte da minha cadela. Aliás, ainda sofro quando me lembro, mas ao mesmo tempo, sempre que me recordo dela, sou invadida pela felicidade, pois sei que lhe dei tudo o que podia e ela foi a minha melhor companheira enquanto viveu.
É a vida dos donos que amam os animais, mas eu não me arrependo nem por um só segundo de os ter. Tudo de bom que nos trazem, compensa em muito o sofrimento. Ao menos sabes que lhes deste uma vida boa e que os amavas como eles te amavam. Isso deve ser suficiente.

  ceptic

terça-feira, janeiro 05, 2010 1:19:00 da tarde

Tudo leva o seu tempo. vai demorar até se habituar a estar sozinha, que é algo que desconhece. Mas adapta-se, vai é precisar de mais atenção que o habitual.

Experimenta passeios mais longos ou talvez novos sítios. Novos cheiros devem conseguir despertar a atenção.

Mais não sei...

  lunatiK

terça-feira, janeiro 05, 2010 1:31:00 da tarde

Viva Bruno
lembro-me de quando tive de tomar a pior decisão da minha vida ao mandar abater a minha cadela, passei uns dias mesmo maus, senti mais do que com algumas pessoas.
Não sei de quem é a frase, mas alguém disse:
"Só quem alguma vez teve um cão sabe o que é amor verdadeiro". (Acho que é assim).
Um abraço e força

  Abobrinha

terça-feira, janeiro 05, 2010 3:21:00 da tarde

A tua cadela não "parecia" sentir o que estavas a sentir: ela sentia mesmo, sem aspas. Os cães são assim.

Fizeste bem em comprar uma cadelinha nova... e agora tens que lhe arranjar outra companhia, porque ela estava habituada, para ela sentir menos um bocadinho. E tu também.

Esta é a parte que eu não gosto em ter animais de estimação. Mas lá está: o que conta são os momentos em que pudemos contar com eles.

Tens perfil para ter animais de estimação (infelizmente, incluindo a parte de gostar demais deles), por isso faz o "favor" de arranjar outro e de o tratar como tens o hábito de tratar: bem. Porque eles merecem e tu também.

  HAZEL

terça-feira, janeiro 05, 2010 8:05:00 da tarde

Lamento muito...

  HAZEL

terça-feira, janeiro 05, 2010 8:05:00 da tarde

Este comentário foi removido pelo autor.
  LauraBow

terça-feira, janeiro 05, 2010 9:39:00 da tarde

é tão estranho Prince e Monalisa terem partido com a mesma doença, leucemia, cancro no sangue. Eu não sei se sabem, mas, não querendo ofender susceptibilidades de ninguém nem afirmar nada, mas neste momento e segundos vários estudos e análises e após vários casos e diagnósticos e investigações, sabe-se que algumas vacinações atrofiam o sistema imunitário, ou seja, os nossos glóbulos brancos, a sua natural actuação no sangue, nas células, eu já tive a estudar sobre um estudo que explica que a leucemia acontece quando o nosso exército branco, isto é, os glóbulos brancos, começam a ser produzidos pelo sistema imunológico de uma forma anormal, mais do que o esperado, o que provoca um atrofio na programação dos glóbulos brancos, eles já não sabem o que atacar e como fazê-lo, acabando por se virar uns contra os outros, as tais células cancerígenas que tanto conhecemos. a questão aqui é saber como esses glóbulos brancos, os leucócitos se atrofiam, quais as causas, e não me venham com tretas de que as coisas não são assim tão simples de explicar e que tudo em medicina é complexo!!! treta!!! alguma coisa provoca o mau funcionamento do sistema imunitário/imunológico do nosso organismo e neste caso nos animais! a medicina veterinária está também toda minada!!! já muitos sabem disso! mas é engraçado que poucos falam nisso. vou criar um artigo na nossa rede social gripeh1n1.ning.com especialmente dedicada a isso. pois acho que os animais sofrem também coisas horríveis que nos passam ao lado porque colocamos sempre o homem em primeiro lugar e depois a natureza!

espero que não fiques triste com a partida de prince e monalisa, pois tudo acontece com um Bom propósito mesmo que o mal sinta que vence, é uma ilusão porque no fim de contas, o mal e o bem são um só!!! e como aqui alguém já disse não existe karma mas sim kaos! o karma existe sim mas pode ser alterado!

bjs,
laura



p.s. como o Mel disse no artigo do Prince, volto a dizê-lo aqui:
Anónimo: vai-te foder!!!!!!!!!!!

  Parisiense

terça-feira, janeiro 05, 2010 10:14:00 da tarde

Uma perda é sempre dificil, quando gostamos ou amamos.

Lamento a tua perda e sei o que sentes pois eu também já perdi um cãozito e agora tenho uma Cookie ( cadelita) que é a minha sombra.

Gostei do que li neste cantinho e se permitires voltarei.

Beijokita

  Fada

terça-feira, janeiro 05, 2010 11:02:00 da tarde

:(

Beijinho para ti e festinha à Shiva.

  Mel

terça-feira, janeiro 05, 2010 11:43:00 da tarde

"She´ll go where we all go. How can that be bad?"

  mãe pimpolha

quarta-feira, janeiro 06, 2010 5:29:00 da tarde

Lamento muito, Bruno. Sei bem o que isso custa, este ano que passou perdi dois amigos e doeu muito.
Beijocas

  Teté

quarta-feira, janeiro 06, 2010 9:18:00 da tarde

É sempre um enorme desgosto quando vemos os nosso bichanos partir...

Mas, pronto, agora terás de ter paciência com a Shiva, que a depressão tem cura! ;)

  Evil Twin

quinta-feira, janeiro 07, 2010 8:44:00 da tarde

é duro perder alguém, mesmo que esse alguém não seja inteiramente humano. E digo inteiramente porque acredito que havia muito de humano no olhar dos cães que ja tive. Como tu também abati um cão, estava a sofrer, tinha um cancro renal, tentei de tudo, obriguei-o a passar pela tortura da quimioterapia e mesmo assim no final tive que tomar a mais dificil das decisões. Ja passaram dez anos, não voltei a ter outro cão, até agora. Adoptei uma cadela que é a coisa mais desvairada que eu ja vi, mas que me cativou completamente. Tinha medo de ter outro cão, de me voltar a apegar daquela forma, por isso o evitei. Espero que esta viva bons e longos anos, mas estou consicente de que se calhar também a vou ver partir, enfim é inevitavel. Não concordo que é preciso um novo amor para esquecer outro ou para amenizar a dor da perda. So o tempo faz amenizar a dor. E esquecer, quem pode esquecer aquilo que amou?
Bem, so resta dizer Godspeed Monalisa :)