Sa(n)grado


Por um colorido caminho distorcido por uma visão monocromática, deslizo.
Subo e caio em momentos de melancolia e histeria no meio de uma insustentável alegria.

Mas quem és tu para condenar o meu caminho?
Quem és tu que na solidão me dizes estar sozinho?
Quem és tu que da tua prisão voluntária me tentas definir liberdade?
O que sentes é raiva do teu caminho e escolhas, e atacas-me por sentires saudade.

Saudade da vida que tiveste pressa em deixar, submetendo-te à protecção do que acreditavas ser um objectivo humano. Esse objectivo é hoje a tua prisão. A sagrada união que se tornou numa divina desilusão.

A amargura que te consome por dentro, te envelhece por fora, não por seres infeliz mas sim por te teres obrigado a ser, enganada pelos contos de fadas "e foram felizes para sempre", sempre? Todos sabemos que nada é eterno e se o fosse seria um inferno.

O que é que se ganha em criticar um sorriso, só porque alguém morreu do outro lado do mundo?
O que é que se ganha em defender a nossa tristeza atacando alguém que sorri, como se isso fosse um insulto àquilo que sentimos?

Todos acreditamos que somos especiais e únicos. Todos gostamos de dizer que somos diferentes dos restantes. No entanto quando aparece alguém realmente diferente essa pessoa é rotulada de anormal. Mas desde quando ser anormal é incorrecto? Não é isso que todos nós alegamos em defesa da nossa individualidade? Todos querem ser diferentes mas ninguém quer ser anormal? Será que tendo 300 soldadinhos de chumbo iguais pintados de cor diferente os torna únicos?

Sou único no meio de iguais que lutam pelas suas diferenças. E sim, sou anormal pois é o termo correcto para salientar as diferenças e não há nada de pejorativo na palavra.

Por um monocromático caminho distorcido por uma visão em tons de cinza, deslizo.
Subo e caio em momentos de melancolia e histeria no meio de uma insustentável alergia à letargia.

4 Comentários:

  fantomette

terça-feira, janeiro 12, 2010 2:47:00 da manhã

wow, brutal! ela que venha do outro lado do mundo com o vestido de noiva vestido e que te bata á porta e te diga: Eu Amo-te e é contigo que quero estar o resto da minha Vida. Perdoa-me!!!

Claro, se tu não fores comprometido ou nada de mais sério, então, porque não? Se fores, então olha, a vida é feita de oportunidades e ela perdeu Uma!!! É a Vida!!!

  fantomette

terça-feira, janeiro 12, 2010 2:54:00 da manhã

ahahahahaahah, espera lá, só agora é que reparei! olha lá, ou tens cá uma imaginação mesmo criativa ou essa foto faz-me mesmo lembrar uma noiva atrás, já velhota a casar-se!!! e triste, consegue ser mais triste(apesar de branca) do que o rapaz à frente, cabisbaixo e de preto! que grande foto essa que usaste para este texto!

5 ******


fantástico!!!

  Susy

terça-feira, janeiro 12, 2010 2:42:00 da tarde

Espero que esse teu caminho monocromático, te faça parar numa encruzilhada de luz e cor, onde a melancolia se transforme numa histeria saudável de intensa alegria sustentável!!!

Beijinho!

  Anónimo

terça-feira, janeiro 12, 2010 10:55:00 da tarde

off topic

a saga continua, apesar de já não fazer mais posts sobre gripe A

http://saude.sapo.pt/artigos/noticias_actualidade/ver.html?id=1040419


APCV