O amigo Sócrates, parte 4

Como forma de adenda ao texto anterior gostaria de partilhar biografia relativa à vergonhosa participação do Sr.Sócrates na palestra da Columbia University, onde começou logo mal, dizendo que: "lhe pediram para falar Bad English", ou como ele pronuncia "Bad Inglish", dando a ideia que se não lhe pedissem para ele falar mal, ele falaria bem e com um aprimorado sotaque Posh.
Aqui está a biografia:





Salientei a referencia a um tal de MBA dado pelo ISCTE/IUL (o tal Lisbon University Institute). Mas segundo vos disse, Sócrates afirmava em 2005 ter tirado um Mestrado nesta universidade, tendo em conta que em Portugal não estabelecem as devidas diferenças entre MBA e Mestrado, fica a questão no ar: "Afinal o que é que o Sócrates tirou?". No ISCTE o que temos não é propriamente um MBA mas sim EMBA e se o tirou teria sido especificamente no INDEG (apesar de ser do mesmo grupo, qualquer aluno chama a sua universidade pelo nome). Se foi no ISCTE o que ele tirou não foi MBA nem EMBA mas sim um Mestrado ou Mestrado Executivo que são cursos diurnos leccionados (de acordo com o site ISCTE) em.... suspense... Inglês!! Aiiii, como eu gostava de ler a sua tese :)

Se o facto de ser em Inglês não fosse suficientemente grave, são cursos diurnos e Sócrates quer que o mundo acredite que ele é um génio que conseguiu tirar o Mestrado em 2005? Conseguiu tirar um Mestrado durante a campanha eleitoral, eleições e primeiros meses de novo governo e ainda teve tempo de fazer a tese? Tudo isto sem ir às aulas pois andava pelo país a dar bonés , bandeiras e beijinhos às peixeiras? Isto é digno de um génio, mas se é génio... Como se justifica o Inglês dele?


E por falar em génio, vamos ver umas fotos das obras geniais deste Senhor:

Nada a salientar, um simples projecto de ampliação de uma casa e uma firma pré-fabricada.

No primeiro caso vemos instalações de uma empresa, no segundo caso uma obra de ampliação. O que posso salientar é que no segundo caso a ampliação foi de mais 1 piso e varanda no centro histórico da Guarda... um feito que não é para qualquer um, conseguir fazer obras que desfiguram a fachada num centro histórico.


Uma ampliação para 3 pisos que estava a ser construída ilegalmente e que a 20 de Setembro de 1983 a Câmara Municipal mandou demolir, mas no dia 10 do mês seguinte já com Sócrates à frente do projecto e com os seus contactos políticos foi legalizada e aqui está a obra de arte. Nem tudo o que se destaca é arte... por vezes a arte pode ser merda (em caso de dúvida cliquem no link para ver arte literalmente de merda).


Uma casa de um emigrante em que o projecto original foi do pai de José Sócrates. Esta obra sofreu diversas alterações ilegais que o proprietário tentou legalizar em 1985 mas viu o seu pedido deferido ao que se seguiu uma ordem de demolição. Nesta altura o Super-Sócrates entrou para salvar o dia conseguiu legalizar a obra sob o argumento "o dono é emigrante em tem urgência em sair do país". Mais um caso de simpatia politica do PS. Cometer uma ilegalidade e safar-se com este argumento é como alguém ser apanhado depois de fugir à policia e o advogado argumentar que o réu como emigrante tinha urgência em sair do país.



Esta casa é um caso! Um caso de "eu preciso de qualquer coisa no meu CV", o projecto desta casa foi feito e assinado por um outro técnico e posteriormente assumido por José Sócrates.



Uma ilegalidade que não se compreende como pode ter sido legalizada a não ser que à frente do projecto estivesse o Super-Sócrates que conseguiria legalizar um arranha-céus no centro de Conimbriga.
O que vemos é uma casa construída em cima de um curral de vacas sem drenagem de esgotos, algo que não é autorizado desde o inicio do século XX. Esta obra tinha uma outra ilegalidade, ou seja, janelas para um terreno particular. Após queixa do vizinho, dono desse terreno, a Câmara inviabilizou o projecto mas mais uma vez entrou José Sócrates no esquema e apresentou umas alterações sem sentido que mantiveram as vacas no andar debaixo, sem esgotos mas substituiu as janelas por frestas e o resultado é beleza estética que se pode ver.

E termino com a Master Piece, a Monalisa da engenharia de Sócrates:



Casa reconstruída e ampliada estando à frente do projecto José Sócrates. Parece que está torta? Não! Ela está torta!


Tendo em conta que a casa fica numa subida, a estrutura precisa de compensar a inclinação de modo a ficar direita e temos de ter em conta o ângulo da fotografia. Para que se perceba as cores, passo a explicar:

A azul temos a casa original com uma inclinação de acordo com a linha verde que é a do poste de electricidade numa zona mais acentuada do subida A linha amarela tem verticalidade correcta e parece ser o único ponto positivo da obra. A linha vermelha da esquerda mostra um erro: O primeiro piso é mais estreito no topo do que na base e a inclinação é acentuadamente oposta. Parece que este terceiro segmento da casa está a empurrar os restantes para aquilo não cair tudo.

Não percebo de engenharia civil mas percebo de fotografia e o ângulo não muda só metade da foto.

Para comparar, vejam a foto seguinte (num ângulo que causa menos dúvidas). As casas foram construídas por forma a compensar a inclinação e podemos ver na base de uma delas (a laranja) a forma de compensar. Além disso, como mostram as linhas vermelhas as casas possuem a mesma largura do topo à base (que pode ser vista pela distancia entre as linhas vermelhas):



Vamos ver aquele estranho portão, que é único no mundo:



O portão teve de ser feito especialmente para esta casa e é a prova cabal de como isto está tudo torto. Por mais estranho que seja um ângulo de fotografia, ele não faz aquele efeito ao canto inferior direito do portão. Do lado esquerdo a parede é mais larga em cima do que em baixo, temos a vermelho as linhas da casa e a verde como deveria estar. Esse erro foi compensado do outro lado do portão mas de forma exagerada, a linha vermelha contorna o terceiro segmento do portão e a verde é como deveria estar.

Hoje, em resposta, e tendo em conta o diploma vindo do futuro, Sócrates poderia dizer que para aquela casa se inspirou no porto de Düsseldorf que seria construído 20 anos depois:


Não percebo esta loucura por causa de uma licenciatura. Um homem que se matriculou em 1975 e só viu o seu diploma 29 anos depois. Diploma esse passado por uma universidade que ele próprio mandou fechar, passado um homem a quem ele ainda hoje recompensa com cargos públicos bem remunerados. Tudo isto por causa de algo que não é preciso. Sócrates não precisa de uma licenciatura.  Queria uma, ok, eu também queria uma Olivia Munn na minha vida mas o que é que eu fiz para a ter? Ninguém precisa de uma licenciatura para ser Primeiro-Ministro. Ninguém precisa de um título excepto pessoas inseguras ou simplesmente arrogantes que precisam de Dr.'s, Eng.'s, etc, para se sentirem melhor com eles próprios.
Sempre que uma pessoa me pede para o/a tratar por Doutor, Engenheiro, etc, não sou do tipo de exigir semelhante tratamento, limito-me a dizer: "Muito bem, pode tratar-me por Sua Magestade!"

Chamar a Sócrates: arrogante, inculto, mal educado, mentiroso e ainda, uma grande besta, não é difamação pois é o próprio que nos dá os factos que justificam estes carinhosos apelidos. Vejam só os primeiros segundos deste vídeo. O que se chama a um homem destes que caga literalmente para um parceiro económico-histórico-politico para poder lamber o cu às elites Europeias?

34 Comentários:

  I.D.Pena

quinta-feira, outubro 07, 2010 8:57:00 da manhã

esta personagem é a personalização do erro, já chegou a esse patamar, serve de exemplo negativo e para os portugueses perceberem que é gente assim que caga no prato que eles próprios comem, existe um video que agora nao encontro no youtube, e era a visita a uma obra, onde o primeiro ministro actual de portugal e ex amigo do ambiente desabafa no sentido para que haja mais alcatrão. Ele é que merecia ser posto de molho no alcatrão por uns dias, para ver tambem em plano previlegiado o que faz o alcatrão em demasia no organismo humano.
Já tinha visto essas obras de arte eu diria que este engenheiro inventou um novo estilo parecido com o rócócó por ser merda profissional aquela que esta entre inutil e o desintressante, fdx mas que falhado, eu nem acredito como continua no activo mesmo sendo arguido , acho que isso não me soa a muito institucional.

  Anónimo

quinta-feira, outubro 07, 2010 10:59:00 da manhã

Sinceramente?! Tudo o que aqui está escrito, ainda me parece pouco!

Estou tão furiosa com este homenzinho! Se fossemos um país com gente de sangue na guelra já o teríamos deposto, já nos teríamos manifestado nas ruas a exigir moralidade e competência.
Por outro lado, quem temos para o substituir?! Outros do mesmo calibre!

Ou seja, estamos perdidos e sem esperança!

F.M.

  Diogo

sexta-feira, outubro 08, 2010 12:14:00 da manhã

Um dos maiores pulhas que já «governou» o país.

  Cristiana

sexta-feira, outubro 08, 2010 3:51:00 da tarde

Eu não sei quem tu és, mas agradeço a Deus a tua existência!

Não é qualquer pessoa que tem a coragem expor estas coisas que me deixam tão triste e envergonhada enquanto portuguesa e enquanto ser humano.

O desvio do aperto de mão de José Sócrates parece-me propositado e planeado. Já vi o vídeo vezes sem conta e parece que eles prepararam isso porque foi repentino o desvio da mão. Ele nem teve tempo de olhar para o outro homem que o veio cumprimentar, desviou logo a mão sem sequer olhar quem lá vinha. Também não pude deixar de reparar o que o britânico no fim diz: "you are doing well", ou algo do género. Que vergonha este mundo.

Eu não compreendo como se pode estar a festejar com o Mundo à beira do caos total.

E já agora, gostaria de lhe fazer uma pergunta: Se pudesse nomear alguém para primeiro ministro e presidente da república, quem nomearia?

  Mel

sábado, outubro 09, 2010 12:39:00 da manhã

M-E-D-O!!!

  Bruno Fehr

sábado, outubro 09, 2010 1:06:00 da manhã

I.D.Pena:

"existe um video que agora nao encontro no youtube, e era a visita a uma obra, onde o primeiro ministro actual de portugal e ex amigo do ambiente desabafa no sentido para que haja mais alcatrão."

Ele próprio fez um discurso uma vez em que foi a única vez que disse a verdade, ele quer "um país mais pobre".

  Bruno Fehr

sábado, outubro 09, 2010 1:07:00 da manhã

Anónimo F.M.

Tudo o que escrevi será certamente pouco, há tanto para expor sobre este senhor, começando pela forma como chegou a líder do PS, apadrinhado pela Imperatriz do PS e quem realmente escolhe o líder (Edite Estrela) até à forma como chegou à fortuna quem tem agora.

"Por outro lado, quem temos para o substituir?! Outros do mesmo calibre!"

A luta não deve ser para o substituir, mas sim para mudar o sistema. Essa luta começa na abstenção. Se não votarmos o sistema caí e terá de ser repensado. É pelo medo de ruptura do sistema que todos os anos tentam combater a abstenção.

Votar é um direito e nao o um dever como eles querem que o povo pense. Tentam impor a ideia de dever para manter um sistema de amigos onde o poder muda de mãos tendo governo o oposição a trabalhar em conjunto dando a ideia de que estão em conflito. Por exemplo: O PSD quer alterar a constituição, o PS finge estar contra mas não está pois essas alterações irão ser no sentido de haver mais poder governativo sobre a sociedade civil e a própria lei.

Portugal está no topo da lista de países que estão mais próximo de ter um estado acima da lei.


"Ou seja, estamos perdidos e sem esperança!"

Esperança há, pois o povo pode fazer com que o sistema entre em colapso, só precisam ignorar as vozes incultas que usam o 25 de Abril como argumento para tornar o voto "obrigatório". O 25 de Abril está pintado com muitas cores bonitas e na verdade com ele, pouco mudou. Porque não se fala tanto no 25 de Novembro? Esta sim, foi uma data importante que impediu que a ditadura de esquerda que começou com o 25 de Abril não acontecesse.

  Bruno Fehr

sábado, outubro 09, 2010 1:07:00 da manhã

Diogo:

Sem dúvida que desde Mário Soares que não havia ninguém tão incompetente, mas pelo menos Mário Soares foi duas vezes eleito e duas vezes o seu governo caiu. O de Sócrates está de pedra e cal devido a termos uma Presidência fragilizada e um povo adormecido.

  Bruno Fehr

sábado, outubro 09, 2010 1:07:00 da manhã

Cristiana:

"Não é qualquer pessoa que tem a coragem expor estas coisas"

Não é coragem, é estar farto de casos abafados, jogadas escondidas enquanto os Portugueses são hipnotizados por torneios de futebol, telenovelas e concursos. Na verdade o que podem fazer contra mim? Processar-me, seria dar-me protagonismo que para minha defesa usaria para expor muito mais.

O que esta gente faz bem, é ignorar pessoas como eu e mandar para cá meia dúzia de anónimos a tentarem descredibilizar-me, ou simplesmente deitarem este blogue a baixo, como já aconteceu por duas vezes.

"E já agora, gostaria de lhe fazer uma pergunta: Se pudesse nomear alguém para primeiro ministro e presidente da república, quem nomearia?.

Todo o sistema politico é controlado pela Maçonaria, não há nomes que se possam colocar nessas posições que não sigam uma agenda maçónica. Nós devemos é mudar o sistema e não as pessoas. O sistema eleitoral português é corrupto, pois tal como o Americano é centrado em partidos e dinheiro e é este sistema que impede de um justo chegar ao poder.

Olha bem à tua volta. O Presidente não pode pertencer a um partido, mas alguém acredita que lá por já não serem membros de um partido não seguem as politicas desse partido?

Mudar o sistema, acabar com esta forma de eleger deputados em que votamos no partido e o partido coloca lá quem quer, as caras e nomes em que votamos podem não ser os escolhidos. Até votando nas legislativas quem é eleito é o partido e não o candidato, temos o exemplo do Durão que foi eleito mas que ao sair permitiu ao PSD escolher outro Primeiro-Ministro.

Precisamos de votar em pessoas e não em partidos. Precisamos de Senados e não de Assembleias. Precisamos de Independentes. Precisamos de mudar o sistema eleitoral e a forma de financiamento dos partidos. Eleger programas e não pilhas de dinheiro.

O sistema Americano é o mais corrupto, onde para alguém se candidatar à Presidência tem de recolher 150 milhões de dólares em donativos e ao recolher fica a dever favores às grandes corporações. Portugal tem um sistema muito idêntico onde além das corporações ficarem com poder politico, os partidos ainda recebem um grande fatia dos nossos impostos.

Além disso, se um candidato recolher 100 milhões e só gastar 20 milhões na campanha, pode ficar com o restante. Ao é para bem do país é um negócio que deveria ofender todos os portugueses.

  Cristiana

sábado, outubro 09, 2010 6:18:00 da manhã

Ao ler os seus artigos, fui estudar por mim própria e cheguei a algumas dúvidas. Aquilo que nos andam a ensinar nas escolas do 25 de abril com cravos e rosas e tudo o mais, eu sempre detestei isso porque nunca ninguém me soube explicar devidamente o que isso significou de verdade, só sabem dizer que foi o fim da ditadura. Mas eu olho para a minha vida e para a vida dos portugueses e de Portugal e o que vejo é uma escravatura como nunca se viu na história da humanidade, só que inteligentemente e lucrativamente disfarçada. Eu vi o documentário Baraka e o "De La Servitude Moderne" e isso descreveu muito bem o que sinto e que sempre senti ao ver este sistema disfarçado de liberdade mas que na verdade é uma ditadura consumista e corporativa, que se esconde por entre o incentivo ao consumo desenfreado, pelo lema: "tu podes ter o que quiseres!", dão-nos tudo mas o mais importante retiram-nos, a saúde e os direitos humanos.

Além disso, nunca mencionaram nem explicaram nas escolas o que foi o 25 de Novembro, nem sequer sabia dessa existência ou qual o significado disso nem tão pouco o que realmente aconteceu. Porque escondem isso tudo nas escolas e na educação das crianças?

Agora, vamos lá ver se entendi.
""O 25 de Novembro deve-se à visão esclarecida e ao trabalho inteligente que um núcleo de oficiais, depois conhecido como Grupo dos Nove, começou a desenvolver a seguir ao 11 de Março. Os seus membros propuseram-se conter a deriva totalitária que se prenunciava, delinearam uma estratégia e uma táctica, foram capazes de se organizar conspirativamente, de planificar a sua acção, de implantar e estruturar os seus apoios, de coordenar as movimentações respectivas, enfim, de levar Costa Gomes a delegar em Ramalho Eanes o comando das operações. Outros, com destaque para Jaime Neves, Vasco Lourenço e Melo Antunes, ajudaram a resolver a questão."

Estamos perante a uma repetição da história ou agora é pior?

Estamos perante uma Democracia Pluralista VS Ditarura Comunista e de Extrema Esquerda?

E se sim, o zeitgeist tem alguma coisa a ver com a extrema esquerda e comunismo soviético? É que sinceramente, andam todos agora com venus project e zeitgeist para aqui, zeitgeist para ali, e a mim, já me mete impressão porque vejo no Venus Project e no zeitgeist uma estratégia comunista e radical de implementação de uma sociedade tecnologicamente e robóticamente ditatorial, o que não me agrada em absolutamente nada e nem sequer me estou a ver a viver numa cidade assim.

Que porra, as pessoas deste Mundo nunca mais se vão entender? Que porcaria de mundo, que miséria de gente, porquê?

Porque não podemos viver naturalmente, em hierarquias, porque as castas são precisas, mas em respeito uns pelos outros e pelo mérito merecido? E porque não podemos viver com os Patrimónios Arquitectónicos e Históricos que os nossos antepassados, apelidados de génios, tanto se esforçaram para os criar, dando tudo deles de corpo e alma, para nos deixar tamanhas obras de arte e conhecimento adquirido? É que parece que agora queremos destruir isso tudo, limpar por completo a história e começar tudo de novo num mundo tecnocrata, sem sentimentos, ligando as pessoas às máquinas. que horror!

  Cristiana

sábado, outubro 09, 2010 6:19:00 da manhã

Ao ler os seus artigos, fui estudar por mim própria e cheguei a algumas dúvidas. Aquilo que nos andam a ensinar nas escolas do 25 de abril com cravos e rosas e tudo o mais, eu sempre detestei isso porque nunca ninguém me soube explicar devidamente o que isso significou de verdade, só sabem dizer que foi o fim da ditadura. Mas eu olho para a minha vida e para a vida dos portugueses e de Portugal e o que vejo é uma escravatura como nunca se viu na história da humanidade, só que inteligentemente e lucrativamente disfarçada. Eu vi o documentário Baraka e o "De La Servitude Moderne" e isso descreveu muito bem o que sinto e que sempre senti ao ver este sistema disfarçado de liberdade mas que na verdade é uma ditadura consumista e corporativa, que se esconde por entre o incentivo ao consumo desenfreado, pelo lema: "tu podes ter o que quiseres!", dão-nos tudo mas o mais importante retiram-nos, a saúde e os direitos humanos.

Além disso, nunca mencionaram nem explicaram nas escolas o que foi o 25 de Novembro, nem sequer sabia dessa existência ou qual o significado disso nem tão pouco o que realmente aconteceu. Porque escondem isso tudo nas escolas e na educação das crianças?

  Cristiana

sábado, outubro 09, 2010 6:20:00 da manhã

Agora, vamos lá ver se entendi.
""O 25 de Novembro deve-se à visão esclarecida e ao trabalho inteligente que um núcleo de oficiais, depois conhecido como Grupo dos Nove, começou a desenvolver a seguir ao 11 de Março. Os seus membros propuseram-se conter a deriva totalitária que se prenunciava, delinearam uma estratégia e uma táctica, foram capazes de se organizar conspirativamente, de planificar a sua acção, de implantar e estruturar os seus apoios, de coordenar as movimentações respectivas, enfim, de levar Costa Gomes a delegar em Ramalho Eanes o comando das operações. Outros, com destaque para Jaime Neves, Vasco Lourenço e Melo Antunes, ajudaram a resolver a questão."

Estamos perante a uma repetição da história ou agora é pior?

Estamos perante uma Democracia Pluralista VS Ditarura Comunista e de Extrema Esquerda?

E se sim, o zeitgeist tem alguma coisa a ver com a extrema esquerda e comunismo soviético? É que sinceramente, andam todos agora com venus project e zeitgeist para aqui, zeitgeist para ali, e a mim, já me mete impressão porque vejo no Venus Project e no zeitgeist uma estratégia comunista e radical de implementação de uma sociedade tecnologicamente e robóticamente ditatorial, o que não me agrada em absolutamente nada e nem sequer me estou a ver a viver numa cidade assim.

Que porra, as pessoas deste Mundo nunca mais se vão entender? Que porcaria de mundo, que miséria de gente, porquê?

Porque não podemos viver naturalmente, em hierarquias, porque as castas são precisas, mas em respeito uns pelos outros e pelo mérito merecido? E porque não podemos viver com os Patrimónios Arquitectónicos e Históricos que os nossos antepassados, apelidados de génios, tanto se esforçaram para os criar, dando tudo deles de corpo e alma, para nos deixar tamanhas obras de arte e conhecimento adquirido? É que parece que agora queremos destruir isso tudo, limpar por completo a história e começar tudo de novo num mundo tecnocrata, sem sentimentos, ligando as pessoas às máquinas. que horror!

  Bruno Fehr

sábado, outubro 09, 2010 10:00:00 da manhã

Cristiana:

"Aquilo que nos andam a ensinar nas escolas do 25 de abril com cravos e rosas e tudo o mais, eu sempre detestei isso porque nunca ninguém me soube explicar devidamente o que isso significou de verdade, só sabem dizer que foi o fim da ditadura."

Há uns tempos falei do 25 de Abril, o que gerou uma onda de protestos na blogosfera por eu brincar com o tema, mas como considero o 25 de Abril um circo, mantenho o que digo.

O fascismo era um governo totalitarista de direita, mas com a queda dos governos de direita Europeus, Portugal via-se isolado. Como é que a maçonaria conseguiria manter um poder totalitarista e ficar de bem com o mudo? Criando uma tirania de esquerda.

O 25 de Abril tem um mote: "25 de Abril sempre!" e é sempre porque foi uma revolução que nunca foi acabada (os próprios intervenientes admitem isso). Os militares derrubaram o governo, tomaram o poder e largaram-no imediatamente antes de haver estabilidade politica, isso permitiu que uma coligação de esquerda tomasse o poder com o objectivo de aplicar em Portugal o modelo da URSS e desta forma, Portugal já não estaria isolado tendo o apoio da União Soviética que injectou fortunas em PT (Basta ver alguns palácios do PCP a que chamam sedes).

Mário Soares, o vira-casacas jogava dos dois lados, de um lado caminhava para fazer uma republica socialista, por outro passou a receber apoios Americanos e da CIA para a combater. O dinheiro Americano falou mais alto e o 25 de Novembro foi a revolução que impediu Portugal de se tornar numa União Soviética.

O ódio de Ramalho Eanes a Soares vem desse tempo, e acredito que foi o que levou Eanes a demitir o Governo de Soares. Não podemos esquecer que Soares nunca conseguiu terminar um mandato como Primeiro-Ministro, viu por duas vezes o seu governo dissolvido.

Soares foi, é e sempre será um traidor, desde ter queimado a bandeira nacional (que em PT é crime) durante o seu exílio ao ter tentado vender a Guiné aos Ingleses e brincar aos vira-casacas tentando manter ideais de esquerda aliado à direita Americana ele literalmente cagou no país que acolheu um traidor como herói da revolução.

Já reparaste que o PS é socialista mas não é vermelho, é rosa. É rosa pois é um comunismo desbotado que dá para os dois lados, esquerda ou direita depende dos apoios que recebe.

Não falam no 25 de Novembro, pois iria expor o circo que foi o 25 de Abril.

A história ensinada na escola serve para impor um espírito nacionalista, de nação valente e imortal. História repleta de mentiras, desde a formação de Portugal, até ao 25 de Abril, passando pelos descobrimentos (em particular do Brasil). Aquela história de dividir o mundo com o Espanhóis exigindo as milhas necessárias (nem mais uma, nem menos uma, as exactas) para abranger o Brasil que já sabiam que lá estava e que só mais tarde iriam "descobrir".

(continua)

  Bruno Fehr

sábado, outubro 09, 2010 10:00:00 da manhã

Em criança nunca pensaste durante uma aula de história em como deve ser triste aprender história em Espanha por terem sempre levado na boca dos portugueses? Não é triste, pois nem tudo o que aprendemos é verdade, desde a guerra que tornou Portugal independente bem como a data da formação de Portugal, é tudo treta.

O nosso primeiro Rei nunca esteve em guerra com a mãe, mas sim com o seu padrasto. Na guerra da independência o exercito português não era metade mas sim o dobro do liderado pelo ganancioso Espanhol que queria o condado como parte da Galiza. Além disso durante os primeiros 50 anos de Portugal, fomos vassalos de Espanha o que não faz de Portugal uma nação desde 1143. Portugal só deixou de ser vassalo de Castela quando se tornou vassalo da Igreja e isso muda em muito o que aprendemos.

Sem esquecer a insistência Portuguesa de tornar Colombo Tuga, quando por mais que os investigadores portugueses tentem não conseguem nem de longe apresentar argumentos para justificar essa teoria. A nossa navegação, desde o inicio dependeu dos Italianos e Colombo foi só mais 1 dos muitos Italianos que vieram trabalhar para os Portugueses (No caso de Colombo, acabou ao serviço dos Espanhóis).

"E se sim, o zeitgeist tem alguma coisa a ver com a extrema esquerda e comunismo soviético?"

O Zeitgeist não é esquerda nem direita, está ligado ao Venus Project que é uma utopia elitista impraticável com apoios obscuros. Se por um lado o Zeitgeist explica genialmente como funciona a economia, espalha-se ao comprido quando fala, na primeira parte, de religião.

"É que parece que agora queremos destruir isso tudo, limpar por completo a história e começar tudo de novo num mundo tecnocrata, sem sentimentos, ligando as pessoas às máquinas."

Este teu parágrafo está mais certo do que pensas. Estamos numa altura perigosa onde nos querem impor mudanças radicais que vão destruir a sociedade como a conhecemos. Até 2012 isso só irá piorar, iremos ver fantásticas revelações sobre o espaço e sobre a Igreja. Por um lado para nos por a olhar para cima, por outro para acabar com a religião. Estou neste momento a investigar um misterioso "monumento" que está a aparecer um pouco por todo o mundo e que representa isso mesmo: O nascimento de um novo mundo. Tudo isto tirando aproveitamento de toda a profecia Maia, Nibiru, etc e tal.

O povo, esse é mantido no seu lugar, a dormir, hipnotizado por uma televisão estupidificadora e que neste momento é um zero cultural e pelo sim, pelo não, o melhor é manter os livros caros e ter editoras só a publicar merda, não vá o Zé povinho começar a ler e acordar!

  ême

sábado, outubro 09, 2010 6:34:00 da tarde

Já te leio há imenso tempo e, confesso, de politica pouco percebo mas o que mais me faz impressão é que toda a gente tem a tua opinião, toda a gente concorda e, senhores, toda a gente sabe que isto vai de mal a pior... O que não entendo é como é que foi eleito, como ainda se mantem e como é que cada vez que se decide virar isto de cabeça para baixo, poucos são os que aceitam e avançam. Sim, é mais fácil clicar e concordar mas porra, e que tal uma revolução, hum? qualquer coisa, seja o que for mas isto? epah, isto já chega!

  Cristiana

domingo, outubro 10, 2010 5:17:00 da manhã

Obrigada pelas suas respostas esclarecedoras! Estou a tentar perceber tudo. Mas obrigada pelo seu tempo e dedicação! Gostava que este tipo de informação fosse dada na escola, nas disciplinas de história, ou de política, economia ou assuntos internacionais, algo que não sei porque razão, não existem disciplinas dessas nas escolas! Uma criança cresce sem saber gerir e compreender os assuntos financeiros, porque não existem disciplinas de gestão financeira, nem tão pouco de política internacional ou sequer política nacional e nem sequer nos ensinam na história a história toda e verdadeira.
Acho que é preciso que este tipo de informação seja de conhecimento geral e de preferência inserido nos materiais de estudo! Era uma das propostas que gostaria de ver aplicada se houvesse uma reforma educacional, e Deus queira que sim!

Obrigada!

  Anónimo

segunda-feira, outubro 11, 2010 2:05:00 da manhã

Boa malha, Majestade,

  Banda in barbar

segunda-feira, outubro 11, 2010 2:27:00 da manhã

mudar o sistema

bolas um cumunista

  Bruno Fehr

segunda-feira, outubro 11, 2010 10:16:00 da manhã

ême disse...

"mas o que mais me faz impressão é que toda a gente tem a tua opinião, toda a gente concorda e, senhores, toda a gente sabe que isto vai de mal a pior... O que não entendo é como é que foi eleito, como ainda se mantem"

Acho que é uma questão de falta de opinião e isso leva com que concordem com uma opinião formada. A grande maioria da população anda adormecida e esperam que alguém tenha um opinião para depois concordarem. Parece-me que passámos da geração rasca para a geração fantástica e estamos agora na geração zombie que espera que pensem e mudem as coisas por elas.

  Bruno Fehr

segunda-feira, outubro 11, 2010 10:16:00 da manhã

Cristiana:

"Gostava que este tipo de informação fosse dada na escola, nas disciplinas de história, ou de política, economia ou assuntos internacionais, algo que não sei porque razão, não existem disciplinas dessas nas escolas!"

Porque é que não ensinam lei nas escolas? Para que as crianças aprendam desde pequenas a dizer o que autoridade faz, quer tenham ou não razão. Aliás, desde pequenos somos educados até nas escolas a ver a policia como autoridade, quando na verdade são agentes da autoridade tal como advogados e juízes. A autoridade é a lei, lei essa que é igual para todos, cidadão ou agente. Imagina que aprendem que é ilegal obrigar alguém a andar de BI tendo em conta que ter BI é um acto voluntário (dá jeito por tudo o que inventam e exigem BI, mas não é obrigatório ter documentação emitida pelo estado).

Imagina que uma criança aprende que a História tem muitas histórias que os riscos no chão a que chamam fronteiras não possuem qualquer valor ou importância e que servem para dividir as pessoas de forma a ser mais fácil governar.

Quanto menos uma criança aprender, mais fácil será de a dominar enquanto adulto. O sistema está desenhado para educar mantendo a pessoa cega e estúpida pois a educação é unicamente direccionada para a escravatura voluntária do mercado de trabalho e não para o melhoramento com ser humano e iluminação pessoal.

"porque não existem disciplinas de gestão financeira, nem tão pouco de política internacional ou sequer política nacional e nem sequer nos ensinam na história a história toda e verdadeira."

Porque não interessa ao poder politico que uma criança cresça a saber que o dinheiro é divida e tem o valor que damos a essa divida. Imagina que ao saber isto, essas crianças deixam de dar valor ao dinheiro? Se deixarmos de dar valor ao dinheiro, ele terá o seu valor real ZERO, é só papel.
Ou melhor, imagina que um criança usa a lei contra o estado?

1- Existe um processo para um pai se desresponsabilizar-se pelas dívidas de um filho.

2- Existe um processo após a morte de um familiar em que os herdeiros, de modo a não herdar dívidas avançam com um processo de recusa de herança/dívida.

3- Existe um processo para um cônjuge se desresponsabilizar pelas dividas do/a parceiro/a.

Se todas a crianças conhecessem o sistema financeiro e a lei, poderiam simplesmente recusar-se a tomar como sua as dívidas dos país, do país, etc, etc.

Os processos legais existentes possuem flexibilidade para tudo isso.

  Bruno Fehr

segunda-feira, outubro 11, 2010 10:22:00 da manhã

Banda in barbar disse...

Há certas coisas que não consigo perceber e o seu comentário é uma delas.

"mudar o sistema
bolas um cumunista"

Se cUmunista for gostar de traseiros, sim, gosto de ver um belo traseiro. Se for politicamente... bem, em que aspecto é que mudar um sistema corrupto é comunismo se o comunismo faz parte do sistema? Se os comunistas estivessem interessados em mudar o sistema, não estariam inseridos nele.

O sistema na URSS era comunista. Estás a querer dizer que quem o queria mudar era comunista também? Então que mudança era essa?

Em Portugal o sistema é de esquerda pois não há partidos como poder politico de direita. Temos vermelhos e vermelhos desbotados: Rosa e Laranja. E temos uns tolinhos que sempre se afirmaram como centro-direita mas não passam de um BE pintado de azul.
Neste caso, mais fácil seria chamar-me fascista do que comunista, mas a minha politica é como a minha religião: Agnosticismo

Não acredito em Deus, mas não afirmo a sua não existência.
Não acredito em políticos honestos mas não digo que não existam.

  Anónimo

segunda-feira, outubro 11, 2010 5:18:00 da tarde

Pois, mudar o sistema...e para qual? Se uma mudança implica a eliminação de um sistema por outro?

Eu tenho votado em branco nos últimos anos. Creio que não ir às urnas é passar aos políticos a ideia de que nos estamos a borrifar para o governo do país. Depois ouve-se nos telejornais: Alta abstenção porque estava um dia de sol, e os portugueses aproveitaram para ir à praia!

Agora, ir e votar em branco é dizer: vim votar porque me interesso, mas não tenho ninguém suficientemente bom, para me representar!

Creio que existem políticos honestos, mas nem ousam aparecer, pois serão boicotados. Por aqueles a quem interessa este sistema podre e que dominam a cena política.

Por isso, permaneço sem esperança.

F.M.

  Cristiana

segunda-feira, outubro 11, 2010 5:29:00 da tarde

Desculpe, não posso deixar de intervir novamente. Disse que não somos obrigados a andar com BI? :s Tem a certeza no que está a dizer? Em que parte da Lei isso está? É que em pequena fui levada à esquadra juntamente com uns amigos porque não andávamos com BI na rua. É que eu vou ter de tirar o cartão de cidadão para o mês que vem, e se há coisas que eu detesto são chips e já li na internet e muitas pessoas dizem que o cartão de cidadão tem um dispositivpo de localização geográfica, câmaras e microfones que não são visíveis a olho nú. Eu não acredito nisso mas fico sempre com um pé atrás, será que é verdade ou não? Em pequena mostraram-me coisas como escutar por telemóveis mesmo com eles desligados e mostraram-me que é possível sim essas coisas, eu fiquei pasmada para a minha vida e por isso estar tão reticente quanto a tirar este cartão de cidadão obrigatório, ou não?

Outra coisa, estou a ler os restantes seus artigos, o Sr. é um pouco asneirento, lol, mas é muito directo, frontal e espontâneo na escrita, agrada-me isso nas pessoas, infelizmente as pessoas tornaram-se muito fechadas, mais preocupadas em falar bem e parecer bem do que propriamente mostrarem o que realmente são e serem assim, simples, como são. Engraçado, diz que está em Hamburgo? Eu já estive em Hamburgo, adorei esse sítio. Estive em cima do Rio Alster quando ele congela. Os monumentos de Hamburgo são deslumbrantes! Tive também a oportunidade de passar pelos lindíssimos jardins que Hamburgo tem e algo encantador são os cimitérios em plenos jardins da cidade em bosques, sem grades nem fronteiras, muito bonito mesmo! E claro, levaram-me a St. Pauli, lol, que horror, quer dizer, ao mesmo tempo horroroso pela leviandade e pelo negócio em que o sexo se tornou, mas ao mesmo tempo muito bem feito, pela maneira como legalizam a prostituição e como as mulheres são controladas, e cuidadosas nos seus actos e pela estruturação e organização desse local. As mulheres eram também muito bonitas e atraentes. Foi na altura do Natal quando lá fui, já fui várias vezes, mas lembro-me de ir com o meu Pai, ia de mãos dadas com ele, e uma mulher loira, muito bonita, com uma roupa de natal, para se distinguirem, se aproximou do meu Pai e quis levá-la com ela, puxou-o pelo braço, eu até me passei carago!!! Quase que lhe dava um par de estalos, não fosse o meu Pai me controlar e se afastar dela. Foi inesquecível esse momento, ah é verdade, e as pizzas no meio da avenida, são muito boas! As casas rústicas, tão lindas, a neve, as pessoas são muito ligadas à família e não andam tanto cá fora nem em bares. O café era horrível, e os portugueses têm muito sucesso aí com o bacalhau e com a cozinha portuguesa :) Lembro-me da brigada secreta de intervenção, andavam sempre à paisana e de bicicleta e quando agiam era certeiro e após longa investigação! Lembro-me que ninguém passava fome aí, pois havia um total apoio do estado aos sem abrigo e também me lembro que o meu Pai chegou a "fugir" do médico pois ele andava sempre em cima dele devido ao planeamento familiar rigoroso típico desse País! Enfim... havia tanto a dizer, foi bom ter estado aí pois deu para ver na real as diferenças abismais na consciência e disciplina de um povo comparativamente ao povo português.

  Cristiana

segunda-feira, outubro 11, 2010 5:30:00 da tarde

Outra coisa, estou a ler os restantes seus artigos, o Sr. é um pouco asneirento, lol, mas é muito directo, frontal e espontâneo na escrita, agrada-me isso nas pessoas, infelizmente as pessoas tornaram-se muito fechadas, mais preocupadas em falar bem e parecer bem do que propriamente mostrarem o que realmente são e serem assim, simples, como são. Engraçado, diz que está em Hamburgo? Eu já estive em Hamburgo, adorei esse sítio. Estive em cima do Rio Alster quando ele congela. Os monumentos de Hamburgo são deslumbrantes! Tive também a oportunidade de passar pelos lindíssimos jardins que Hamburgo tem e algo encantador são os cimitérios em plenos jardins da cidade em bosques, sem grades nem fronteiras, muito bonito mesmo! E claro, levaram-me a St. Pauli, lol, que horror, quer dizer, ao mesmo tempo horroroso pela leviandade e pelo negócio em que o sexo se tornou, mas ao mesmo tempo muito bem feito, pela maneira como legalizam a prostituição e como as mulheres são controladas, e cuidadosas nos seus actos e pela estruturação e organização desse local. As mulheres eram também muito bonitas e atraentes. Foi na altura do Natal quando lá fui, já fui várias vezes, mas lembro-me de ir com o meu Pai, ia de mãos dadas com ele, e uma mulher loira, muito bonita, com uma roupa de natal, para se distinguirem, se aproximou do meu Pai e quis levá-la com ela, puxou-o pelo braço, eu até me passei carago!!! Quase que lhe dava um par de estalos, não fosse o meu Pai me controlar e se afastar dela. Foi inesquecível esse momento, ah é verdade, e as pizzas no meio da avenida, são muito boas! As casas rústicas, tão lindas, a neve, as pessoas são muito ligadas à família e não andam tanto cá fora nem em bares. O café era horrível, e os portugueses têm muito sucesso aí com o bacalhau e com a cozinha portuguesa :) Lembro-me da brigada secreta de intervenção, andavam sempre à paisana e de bicicleta e quando agiam era certeiro e após longa investigação! Lembro-me que ninguém passava fome aí, pois havia um total apoio do estado aos sem abrigo e também me lembro que o meu Pai chegou a "fugir" do médico pois ele andava sempre em cima dele devido ao planeamento familiar rigoroso típico desse País! Enfim... havia tanto a dizer, foi bom ter estado aí pois deu para ver na real as diferenças abismais na consciência e disciplina de um povo comparativamente ao povo português.

  Cristiana

segunda-feira, outubro 11, 2010 5:32:00 da tarde

As mulheres eram também muito bonitas e atraentes. Foi na altura do Natal quando lá fui, já fui várias vezes, mas lembro-me de ir com o meu Pai, ia de mãos dadas com ele, e uma mulher loira, muito bonita, com uma roupa de natal, para se distinguirem, se aproximou do meu Pai e quis levá-la com ela, puxou-o pelo braço, eu até me passei carago!!! Quase que lhe dava um par de estalos, não fosse o meu Pai me controlar e se afastar dela. Foi inesquecível esse momento, ah é verdade, e as pizzas no meio da avenida, são muito boas! As casas rústicas, tão lindas, a neve, as pessoas são muito ligadas à família e não andam tanto cá fora nem em bares. O café era horrível, e os portugueses têm muito sucesso aí com o bacalhau e com a cozinha portuguesa :) Lembro-me da brigada secreta de intervenção, andavam sempre à paisana e de bicicleta e quando agiam era certeiro e após longa investigação! Lembro-me que ninguém passava fome aí, pois havia um total apoio do estado aos sem abrigo e também me lembro que o meu Pai chegou a "fugir" do médico pois ele andava sempre em cima dele devido ao planeamento familiar rigoroso típico desse País! Enfim... havia tanto a dizer, foi bom ter estado aí pois deu para ver na real as diferenças abismais na consciência e disciplina de um povo comparativamente ao povo português.

  Bruno Fehr

terça-feira, outubro 12, 2010 12:38:00 da manhã

Anónimo F.M.

"Pois, mudar o sistema...e para qual? Se uma mudança implica a eliminação de um sistema por outro?"

Tenho a certeza que quando andavam em busca de um novo sistema financeiro, pois não dava jeito andar com galinhas para todo o lado, por forma a trocar por cereais, faziam essa pergunta. Há sempre alternativas, por exemplo: E que tal tu elegeres pessoas e não partidos? Porque não, em vez de um AR cheia de partidos, não temos um Senado cheio de representantes distritais? Isto é só um exemplo, pois certamente haverá sistemas que eu não imaginei como a maioria das pessoas nunca imaginaram estar a comprar comida com pedaços de papel.

"Eu tenho votado em branco nos últimos anos. Creio que não ir às urnas é passar aos políticos a ideia de que nos estamos a borrifar para o governo do país."

Os políticos não se importam que votes em branco, eles querem é que votes, pois ao votar o sistema é perpetuado. Um voto em branco é um voto, só abstenção os assusta. Imagina umas eleições com 20% de participação, qual seria o poder desse governo para passar leis de merda? É que nem teriam coragem de o fazer. Um voto em branco contaria para esses 20%.

Não votar é isso mesmo "borrifar para o governo do país", pois o governo está-se a borrifar para o eleitor. Com ou sem votos o país existe só a forma de ser governado teria de ser repensada.

"Depois ouve-se nos telejornais: Alta abstenção porque estava um dia de sol, e os portugueses aproveitaram para ir à praia!"

Isso é propaganda politica com vista a fazer o Tuga sentir-se mal. Quantas vezes ouvi isso e não estava na praia? E quantas pessoas estavam na praia e votaram.
Essas noticias não passam de propaganda, eles querem que votes mesmo que não acredites em nenhum dos políticos e nesse caso querem que votes em branco, mas vota. Muitos acham que se não acreditam em nenhum dos candidatos, não devem votar pois votar em branco é uma perda de tempo. Na verdade votar em branco é um voto no partido vencedor em caso de maioria absoluta, pois é como dizer "tanto me faz quem ganha".

Não votar é mais do que dizer que não se acredita nos candidatos, é dizer que não se acredita no sistema eleitoral baseado em financiamentos obscuros onde são eleitas cores e não pessoas, onde essas cores colocam as pessoas que bem entenderem no poder.

Tal como o caso do Durão Barroso, que como candidato eleito deveria ter cumprido o mandato, no entanto o que fez foi mandar os portugueses há merda pois ofereceram-lhe mais dinheiro. Para mim, isso é traição ao país, é abandonar o barco como um rato e ofender quem votou nele. Com isto o PSD escolheu outro primeiro-ministro não eleito pelo povo, pois o povo até esse momento não tinha percebido que não elege pessoas mas sim partidos e os partidos fazem o que querem.

"Agora, ir e votar em branco é dizer: vim votar porque me interesso, mas não tenho ninguém suficientemente bom, para me representar!"

É aqui que não concordo. Pois há que perceber que os políticos não se interessam pelo que pensas deles, eles querem é o actual sistema eleitoral duvidoso a ser usado e enquanto for usado, não será alterado.

  Bruno Fehr

terça-feira, outubro 12, 2010 12:43:00 da manhã

Cristiana:

A lei diz que todas as pessoas são obrigadas a andar com o B.I., mas só és uma pessoa se tens um B.I.
Uma pessoa é um termo jurídico que tentam fazer passar por ser-humano, mas não é. Se um policia te aborda na rua sem que te acuse de nada e te pede o B.I. só porque lhe apetece, esse policia está sem autoridade pois está a falar com um ser-humano e é o ser-humano que tem autoridade sobre o policia pois é seu servente. No momento em lhe mostras o teu B.I. estás a identificar-te como pessoa e como tal o policia passa a ter autoridade sobre ti.

Tu és um ser-humano, não és uma pessoa, tu tens uma pessoa a qual representas.

Não és obrigada a andar com B.I. pois não és obrigada a ter um B.I.
Ninguém é obrigado a tirar o B.I. pois esse documento é um contrato com o estado onde reconheces a sua autoridade sobre a tua recém-criada pessoa. O B.I. parece obrigatório porque o exigem para diversas coisas, como: contas bancárias, viagens, etc mas para tudo isso a certidão de nascimento basta para provares quem és e que existes.

O caso que contas é só um caso de abuso da autoridade, pois a policia não sabe a lei, se soubesse seriam juízes e nem o juízes sabem tudo e precisam mergulhar em livros.

"É que eu vou ter de tirar o cartão de cidadão para o mês que vem, e se há coisas que eu detesto são chips e já li na internet e muitas pessoas dizem que o cartão de cidadão tem um dispositivpo de localização geográfica, câmaras e microfones que não são visíveis a olho nú."

Diz-se muita coisa que não é verdade. O que é verdade é que cartão do cidadão possui um chip RFID, esse chip controla todos os teus movimentos mas tu já eras controlada dessa forma, pois os cartões de credito também possuem RDIF, os passaportes biométricos, cartas de condução e até os telemóveis.


"Em pequena mostraram-me coisas como escutar por telemóveis mesmo com eles desligados"

Quando desligas o telemóvel isso só apaga o ecrã mas activa um sistema de ondas rádio que além de localizar o telemóvel, poderá também transmitir o que está a ser dito.

O cartão do cidadão é obrigatório tal como o B.I. para todas as pessoas. O problema é que aos 10 anos levam as crianças que ainda não possuem poder legal a tirar o B.I.

Se tens conhecimentos para contornar o sistema, não precisas de cartão do cidadão, se estás 100% inserida na sociedade sem saber como te defender sem cartão do cidadão, o melhor é tirá-lo.

Por exemplo, vais precisar dele para conduzir, pois os seres humanos não podem conduzir, isso está reservado a pessoas e a pessoa é aquela que tens no B.I.

(cont.)

  Bruno Fehr

terça-feira, outubro 12, 2010 12:57:00 da manhã

"Outra coisa, estou a ler os restantes seus artigos, o Sr. é um pouco asneirento"

Adoro palavras e aquilo a que chamam asneiras são palavras tão inocentes como qualquer outra. Entre "merda" e "deram" qual é a diferença senão a ordem das letras? (só se for o significado que lhe damos, mas isso já problema de que dá significado pois a definição de "pénis" e "caralho" é mesma mas na mente das pessoas uma é pior que a outra). Uma palavra só fica feia se for mal usada, é aceitável e não é palavrão dizer: "a puta da caneta, não escreve", pois "puta" está a ser usado fora de contexto e só é ofensiva sendo usada literalmente em referencia a uma mulher.
Asneira é que o Sócrates e sua corja dizem sem dizer os tais palavrões.

"os cimitérios em plenos jardins da cidade em bosques, sem grades nem fronteiras"

Em Portugal tornamos os cemitérios em cidades de mármore, onde até os mortos possuem estatuto social. Depois colocamos um muro para que os mortos não fujam e para que os gatunos não roubem os rios de dinheiro gastos em tretas que o morto não precisa.
Quando entro num cemitério em Portugal, sinto-me mal. Quando entro num cemitério na Alemanha sinto-me como se estivesse unicamente a passear por um enorme parque.

"St. Pauli, lol, que horror, quer dizer, ao mesmo tempo horroroso pela leviandade e pelo negócio em que o sexo se tornou"

St.Pauli é um exemplo para o mundo, onde o negócio mais antigo do mundo é legal e onde as prostitutas além de terem segurança social, assistência médica e direito à reforma, possuem condições de trabalho com instalações limpas podendo trabalhar com higiene.
É preferível St.Pauli às prostitutas da berma da estrada do resto da Europa. Aí sim, é nojento de imaginar como há homens corajosos ou desesperados o suficiente para recorrer a essas mulheres.

As prostitutas existem porque há procura de sexo, e se há procura e elas o vendem, então devem ter direitos e condições de trabalho. Além disso é uma gigantesca fatia fiscal deste Estado que é o mais rico estado independente da Alemanha.

"Lembro-me que ninguém passava fome aí"

Ninguém passa fome, ninguém dorme na rua (excepto quem quer). O apoio social é excelente e por isso há quem abuse dele e não trabalhe.

Visitei já centenas de cidades pelo mundo mas nunca me senti tão bem em nenhuma como aqui e por isso, 6 meses depois de a visitar vim para aqui morar e não tenciono sair daqui. Sou e sempre serei português mas sou hamburguês.

  I.D.Pena

terça-feira, outubro 12, 2010 4:31:00 da tarde

O Venus project é uma tentativa pacifica para que os recursos militares e da guerra sejam usados de forma humanitaria usando a tecnologia contrariando a descentralização, isso exige um passo em frente de parte da humanidade em geral que é estar disposta a mudar, e não são todos que se adaptam infelizmente num universo já modificado com a genética, a robótica é só uma de muitas coisas que surgiram , para além de TONELADAS de desinformação.
As pessoas têm é que se disassociar de religiões por completo, e também de Igrejas, esta luta de ideais está à muito a servir de pano de fundo para a verdadeira batalha de ideologias controle e poder, Iluminatis através da Igreja e Industria de Entertainment? /*/, Maçonaria através de burocracia. Também não sou nada favor que se sigam lideres prefiro que as pessoas pensem e sintam por si.
A Conversa seria muito interessante , mas se calhar seria censurada em Portugal pelos próprios portugueses, contanto que eu sempre disse isto à que tempo, agora olham para mim com cara de atrasados e dãome a razão e eu nisto nao gosto de ter razão... Por isso vou frisar,mais importante ainda que um protegido da maçonaria , e prestar atenção ao que o presidente da comissão europeia anda a fazer. Já bastou o tratado de Lisboa para tornar a Europa Nazi e especialmente racista para os fracos oprimidos , eu lembro quem são os fracos e os oprimidos ( mães,crianças,desempregados, doentes,pais, bébés sem pais, empregados precarios, idosos).
E já agora para os portugueses interessados em contribuirem de uma forma "democratica" precisamos de mais assinaturas vindas de Portugal, obrigada

https://secure.avaaz.org/po/eu_gmo/?cl=783017115&v=7336

  I.D.Pena

terça-feira, outubro 12, 2010 4:44:00 da tarde

Bolas, n consigo comentar à primeira aqui. dass para que merd desta .%&$
o venus proj é apenas uma tentativa para ter paz mundial eliminando alguns males pela raíz é ousado mas é mais possivel que o caus que obama causa.
Estou sempre atenta aos novos desenvolvimentos e tb nao gosto que sigam o vp como se fosse uma religião. Enfim a humanidade precisa mesmo é de evoluir, não necessariamente mudar radicalmente.
Já agora precisamos de mais assinaturas vindas de Portugal que a batalha indigna pela comida de todos continua em plena ribalta.

CODEX ALIMENTARIUS
Para alémde todos os momentos que chegamos ao milhão colocaram entraves, enviei enviamos dezenas ou centenas de mails spara aquele departamento sem respostas ou responsabilidades.

https://secure.avaaz.org/po/eu_gmo/?cl=783017115&v=7336

Mas era realmente preciso mais expressão vinda de Portugal ou de Portugueses Para
apresentar a petição à União Europeia, é preciso atingir a quota
necessária por país, em Portugal ainda está abaixo do necessário.
Se fosse escolher as cidades pelas cidades , perdia-me pelo mundo, existe sitios incriveis desde os sitios mais cómodos aos mais selvagens .

  Cristiana

quarta-feira, outubro 13, 2010 3:08:00 da manhã

Pelo sim pelo não, vou tirar o Cartão do Cidadão porque vou precisar de conduzir e não sei como sair do sistema pois infelizmente ainda dependo dele :(
Eu não sabia que Hamburgo era um Estado independente e o mais rico Estado da Alemanha :) Agora já começo a compreender muito melhor a história depois de ter ido ler sobre Hamburgo e as suas origens e história, a sua herádica, etc... Eu só quero é que Portugal, falo por mim, se torne Independente! Seria tão bom se assim fosse, imagina, tipo, consumimos o que nós próprios produzimos, claro que existiriam coisas que não teríamos como o lixo tecnológico computacional e electrónico, mas mesmo isso acho que seria uma questão de pouco tempo, pois já temos tantas mentes brilhantes que poderíamos perfeitamente criar os nossos próprios produtos computacionais, à luz solar inclusivé, como fizeram na Espanha, e que por falar nisso, esses portáteis a luz solar nunca mais se ouviu falar neles, eram para sair, segundo li na notícia, em junho de 2009, nunca mais se soube nada, porque será... às tantas é como o carro a água, nunca mais se ouviu falar no homemzinho!

Olhe, segundo li algures por entre os seus artigos muito importantes dos bastidores da música, disse que vai escrever sobre Michael Jackson. Encontrei um site que poderá ser de seu interesse, pois sou uma grande admiradora do trabalho e vida do MJ. O site é este:
http://rutracker.org/forum/viewtopic.php?t=2494288

Desculpe esta mensagem um pouco fora do assunto deste post, mas penso ser importante.

Muito Obrigada! Continue...

P.S. Porque é que lhe chamaram Majestade no comentário em cima?

  Bruno Fehr

quarta-feira, outubro 13, 2010 9:41:00 da manhã

Cristiana:

"Eu não sabia que Hamburgo era um Estado independente e o mais rico Estado da Alemanha :)"

Hamburgo e Bavaria são Estados livres, voluntariamente inseridos na Republica Alemã, possuem governo e leis próprias.

"Eu só quero é que Portugal, falo por mim, se torne Independente! Seria tão bom se assim fosse, imagina, tipo, consumimos o que nós próprios produzimos"

Tendo em conta a nossa dívida externa e quotas de importação, a cada dia que passa é cada vez mais uma utopia.

"e que por falar nisso, esses portáteis a luz solar nunca mais se ouviu falar neles, eram para sair, segundo li na notícia, em junho de 2009, nunca mais se soube nada"

A patente foi comprada e como muitas, comprada para desaparecer.

"às tantas é como o carro a água, nunca mais se ouviu falar no homemzinho!"

Por falta de apoios vendeu a patente à Ford, é só mais uma de muitas a desaparecer por ir contra o sistema económico actual.

Os governos dizem que querem energias limpas, mas das palavras às acções vai uma distancia enorme.

"Olhe, segundo li algures por entre os seus artigos muito importantes dos bastidores da música, disse que vai escrever sobre Michael Jackson."

Visto que vou entrar numa maratona literária no próximo mês, essa série está de molho. Dependendo da quota de palavras diárias que conseguir, irei retomar a série em meados do próximo mês.


"P.S. Porque é que lhe chamaram Majestade no comentário em cima?"

Por eu ter escrito nesta série que quando me exigem que trate alguém por Doutor, eu exijo que me tratem por Sua Magestade :)

  Raquel

quinta-feira, outubro 14, 2010 2:05:00 da manhã

O Cartão do Cidadão é obrigatório para todos os cidadãos nacionais a partir dos 6 anos de idade. O Bilhete de Identidade era obrigatório para todos os cidadãos nacionais a partir dos 10 anos. Está regulamentado por lei. Independentemente do uso que se possa dar-lhe.

  Bruno Fehr

quinta-feira, outubro 14, 2010 5:50:00 da manhã

Raquel:

"O Cartão do Cidadão é obrigatório para todos os cidadãos nacionais a partir dos 6 anos de idade. O Bilhete de Identidade era obrigatório para todos os cidadãos nacionais a partir dos 10 anos. Está regulamentado por lei. Independentemente do uso que se possa dar-lhe."

Uma cidadão é uma pessoa, logo a lei refere-se a pessoas, tu não nasces uma pessoa, essa pessoa é dada pelo estado sob a forma de documentação. A lei que "obriga" não obriga a nada.

Se destruíres a tua documentação, o que te acontece? Nada! Temos o claro exemplo dos emigrantes de etnia cigana que os destroem para não serem extraditados.

Só precisas de documentação emitida pelo Estado quando te identificas como pessoa.O Cartão de Cidadão é um documento de identificação dito "obrigatório" por necessidade. O próprio portal do cidadão o esclarece.

"Este deverá ser requerido por necessidade de obtenção do documento de identificação civil (primeira emissão ou renovação do actual Bilhete de Identidade) ou de qualquer um dos outros cartões de identificação sectorial (Finanças, Segurança Social e Saúde)."

A obrigatoriedade de um documento emitido pelo Estado refere-se à necessidade. Se não tiveres necessidade não há obrigatoriedade.