A verdade de uma guerra de mentiras 3

Croatas e Eslovenos armados pela Alemanha e Áustria dispararam os primeiros tiros. Os Eslovenos com a maior máquina de propaganda publicavam em jornais Europeus que tinham dizimado sozinhos o exército Federal e isto antes da guerra começar, enquanto se discutiam as supostas independências. Tudo isto foi alimentado pela união Europeia e por isso não agiram. A Europa e Nato resolveram agir quando a Sérvia ripostou levando o quarto maior exército da Europa a varrer a Eslovénia, Bósnia, e Croácia. Esta força imparável foi o que tornou possível a intervenção das forças internacionais interessadas em dividir o país, e as forças de paz fizeram isso mesmo, isolaram a Sérvia permitindo a independência da Eslóvenia, Croácia e assumiram controlo da Bósnia. Por ironia essas mesmas forças internacionais tentaram e ainda tentam anular a independência do Kosovo que hoje em dia nem é país nem faz parte da Sérvia, está sob domínio das nações unidas e sem estatuto legal devido à falha das negociações internacionais. O governo provisório do Kosovo assumiu-se como país independente em Fevereiro de 2008, os EUA e Alemanha deram o seu reconhecimento mas a Sérvia reclama o território, factor que levou países como a Rússia e Espanha a não reconhecerem a sua independência.

 
(Bandeira do Kosovo)


Esta dualidade de interesses sobre quem deve e não deve ser independente mete-me nojo, pois são estes interesses que causam guerras, guerras à custa de vidas militares e civis que encheram e enchem os cofres dos países envolvidos politicamente.

No fundo, tudo o que vimos na TV foi um criminoso a liderar um exercito criminoso ou seja: o Sérvio, escondendo que as agressões começaram do lado Croata e Esloveno que recebiam apoio Europeu.

O general do exército federal era meio sérvio meio croata. O general da força aérea era Esloveno. O Almirante da marinha também era Esloveno. De Sérvio o exercito federal não tinha nada, tudo não passou de uma manipulação de palavras pois o Exército Federal era Jugoslavo e não Sérvio. Só o simples facto de ser na Servia que estava o governo central  Jugoslavo foi o que causou este jogo de palavras para criarem o monstro Sérvio.
Era a Jugoslávia que fazia com que o exercito federal lutasse pelo seu país contra os independentistas, não era uma luta étnica, caso contrário estes generais teriam lutado pelas suas etnias e não pelo seu país.

 (Mapa da Jugoslávia)

A Alemanha sem dúvida era o país com mais poder ao apoiar a separação da Jugoslávia, tal era o poder politico, que a Rússia, França e Inglaterra que eram contra a divisão do país acabaram por se remeter ao silencio e mesmo o mais forte adversário Alemão, os EUA, acabaram após reconhecerem a independência da Eslovénia, Croácia e Bósnia e dos aceitar nas nações unidas a retiraram-se do conflito politico.

 (Marechal "Tito")

Durante mais de 70 anos os EUA foram os maiores investidores na Jugoslávia e apoiantes do governo central mesmo durante a guerra fria quando o Presidente comunista Tito se separou do bloco de leste em 1948,  que foi quando os EUA construiriam bases militares no país. Os EUA defendiam a ideia de uma Jugoslávia como um país onde coexistiam 8 regiões diferentes ligadas a um poder federal, país esse que lhes era útil de modo a terem presença militar junto ao bloco de leste. Por isto tentaram contrariar a Alemanha no que se referia à divisão do território.


(continua)

10 Comentários:

  Nuno Guerreiro

quarta-feira, fevereiro 17, 2010 12:03:00 da tarde

Olá Bruno.

E qual foi então o papel de Karazic.
Porque é que fizeram tanta questão de o apanhar e condena-lo?
Para não abrir a boca?

1 abraço e continua o teu trabalho.

Nuno Guerreiro
Aka
Streetwarrior

  Rui Oliveira

quarta-feira, fevereiro 17, 2010 1:32:00 da tarde

Não sei se ainda vais abordar esta parte, mas sempre tive curiosidade acerca da independência "amigável" da Macedónia e Montenegro. Digo amigável porque não causou um banho tão grande de sangue, acho eu.

  Keep Walking

quarta-feira, fevereiro 17, 2010 1:57:00 da tarde

Boas Bruno,

Obrigado por teres colocado cá esta serie de textos, pois era algo que me interessava.

Tudo neste Mundo gira a volta de interesses, sempre foi não seria agora que ia deixar de ser, ainda nos falta evoluir um pouco para contrariar essa tendência e fazer valer os valores superiores de Liberdade, Justiça, Amor e Paz para todos.

  Diogo

quarta-feira, fevereiro 17, 2010 10:49:00 da tarde

A Alemanha teve um papel menor. Quem espartilhou a Jugoslávia e provocou uma enorme mortandade foram os EUA.

  Bruno Fehr

quinta-feira, fevereiro 18, 2010 12:44:00 da manhã

Nuno Guerreiro:

"E qual foi então o papel de Karazic.
Porque é que fizeram tanta questão de o apanhar e condena-lo?"

Porque fazem tanta questão em apanhar o Bin Laden quando ele nada teve a ver com o 11 de Setembro? Se crias um monstro ele tem de aparecer. Por que é que o Saddam foi morto? Por que é que dizem que Hitler se suicidou? Por que é que o sniper que dizem ter morto JFK foi morto? Já reparaste que os grandes monstros tornados gigantescos na imprensa nunca vivem para contar a história?

  Bruno Fehr

quinta-feira, fevereiro 18, 2010 12:45:00 da manhã

Rui Oliveira:

"Não sei se ainda vais abordar esta parte, mas sempre tive curiosidade acerca da independência "amigável" da Macedónia e Montenegro."

A Macedónia é um país já da antiguidade que tinha uma união voluntária à Jugoslávia e não podemos esquecer que o judaísmo sionistas vem da Macedónia, como por exemplo a família Rothschild. Montenegro está numa situação semelhante optou por ficar unido à Sérvia e negociou pacificamente a sua independência. Pela via pacifica tudo é possível.

  Bruno Fehr

quinta-feira, fevereiro 18, 2010 12:45:00 da manhã

Keep Walking:

"Obrigado por teres colocado cá esta serie de textos, pois era algo que me interessava."

Primeiro irei dar o contexto histórico e depois abordarei o caso Bósnia vs Sérvia com os capacetes azuis no meio.

  Bruno Fehr

quinta-feira, fevereiro 18, 2010 12:45:00 da manhã

Diogo:

"A Alemanha teve um papel menor. Quem espartilhou a Jugoslávia e provocou uma enorme mortandade foram os EUA."

Isso é incorrecto, os EUA com a divisão da Jugoslávia perderam o seu maior aliado, perderam o controlo sobre o quarto maior exército da Europa, mesmo às porta da cortina de ferro e perderam também muitos dos investimentos que tinham feito nos últimos 45 anos. Os principais mercados foram tomados pela Alemanha, os maiores créditos para reconstrução vieram da Alemanha.
O erro dos Americanos foi enviar tropas antes da NATO, mas esse envio era necessário para ocultar a sua presença já no terreno, relembro que os capacetes azuis ficaram do lado Bósnio, e só os EUA tinham bases do lado Sérvio.

  Prešeren

quinta-feira, fevereiro 18, 2010 11:19:00 da tarde

A Macedónia conseguiu-se libertar facilmente porque tinha uma população mais homogenea (de macedonios embora com uma minoria albanesa importante tambem), ou seja, o facto de ter poucos sérvios fez com que a servia se desinteressasse dessa República. Estavamos numa fase em que já se tinha percebido que a Jugoslavia como tal ia acabar e o objectivo da Servia era reunir todos os servios num mmo estado. Ate entao estes estavam bastantes dispersos pelo territorio da bosnia, croacia e montenegro e claro, na propria servia.

Tambem por essa razao a Eslovenia se desligou facilmente, apenas com uma pequena guerra de 10 dias. A populaçao eslovena era mt homogenea, sendo nessa eopca cerca de 90% de eslovenos e 10% de todas as restantes Republicas. A Servia optou por "deixar cair" a Eslovenia e centrar-se nas regioes croatas da Slavonia e Dalmacia onde havia centenas de milhares de servios.

O Bruno Fehr certamente discordará destas afirmaçoes que faço pois sao as da opiniao internacional e as tais que veem na Wikipedia.

De qualquer forma convido-os a ver o documentario feito pela BBC sobre as guerras da Jugoslavia com entrevistas a todos os intervenientes. Incusivé Milosevic! Sao imperdíveis para quem se interessa por este assunto. Procurem por "Death of Yugoslavia" no you tube.
Como dizia, estes documentarios atestam esta ideia da "Grande Sérvia", visto que às tantas há uma passagem do Milosevic onde ele diz claramente "as Republicas tem o direito de escolher o seu caminho mas as suas populaçoes tambem tem o direito a escolher onde vivem por isso nao podemos abandonar os servios que vivem fora da Servia". Tenta autenticamente justificar os actos de guerra como "protecçao aos servios".


O Montenegro foi uma historia totalmente diferente. O termo "montenegrino" é mt recente, para caracterizar os habitantes desse país. Eles e os sérvios sao iguais em tudo e por isso sempre permaneceram juntos através do conflito. Não tinha lógica separarem-se. Essa ideia veio ao de cima quando alguns sectores da população se dão conta que estar ligados a Servia só lhes ia complicar a vida no que diz respeito a acesso a UE, embargos por crimes de guerra, relaçoes internacionais, etc e acima de tudo o serem constantemente arrastados para guerras que eles nao tinham começado.

Cumps.

  Bruno Fehr

sexta-feira, fevereiro 19, 2010 12:27:00 da manhã

Prešeren:

Todo o seu comentário com dados da wikipédia não passa da versão oficial, de rotular os Sérvios com os maus da fita em busca de um estado Sérvio, como se alguma vez na História o povo Sérvio tivesse reclamado superioridade racial ou desejo de independência. O povo sérvio for morto ou expulso de todas as regiões que proclamaram independência. Na Bósnia em poucos dias consegui perceber que a maioria das campas nos jardins da cidade eram nomes Sérvios e não nomes Bósnios, os tais que foram vitimas da tão noticiada limpeza étnica que os sérvios estavam supostamente a fazer.

"Milosevic onde ele diz claramente "as Republicas tem o direito de escolher o seu caminho mas as suas populaçoes tambem tem o direito a escolher onde vivem por isso nao podemos abandonar os servios que vivem fora da Servia". Tenta autenticamente justificar os actos de guerra como "protecçao aos servios"."

A sua interpretação é fantástica... a sério que é. O que Milosevic diz, é que apesar de reconhecer o direito de certas regiões proclamarem a sua independência irá defender o direito dos sérvios de viver onde bem entenderem. se de facto ele tivesse feito agressões militares contra as novas republicas, hoje não iria restar nada delas, nada!