Quem és tu?


Há algo no ar sempre que ela passa.

Via-a a primeira vez e fiquei fascinado, não foi o corpo, não foi a cara, não foi o cabelo, não foram os olhos, mas algo... O sorriso lembrou-me um passado perdido, lembrou-me alguém.

Ela entrou, sorrio e a sala iluminou-se, já vi isto antes. Não sou de ficar a pensar "e se...", por isso falei com ela, ela falou-me como se me conhecesse. Não me tratou como um estranho, falou-me como se fosse alguém do grupo de amigos dela. A sua voz doeu-me, deu-me um arrepio frio como se estivesse morto, senti-me gelado por segundos, senti um bolo no estomago.

Eu sei que não há duas pessoas iguais, mas há parecidas. Fisicamente nada de parecido, mas há algo, algo de muito familiar naquele miúda, o que será?

Um pouco do olhar, um pouco do sorriso, um pouco da personalidade mas a mesma força, a fome de vida, está lá. Perco-me no olhar dela e prendo-me no seu sorriso, não penso, os meus músculos parecem gelatina, sinto as pernas fracas...

Gostei de a ver mas não a queria ver mais, para não lembrar, mas parece que está em todo o lado, vi-a outra e outra e outra vez.
Querendo, não a quero ver e parece que por isso a vejo em todo o lado. Numa cidade gigantesca onde é possível nos perdemos, vejo-a ao longe no meio da multidão, como se procurasse por ela. Não procurando.

Quem é ela, de onde veio e porque motivo apareceu na minha vida? Não a quero nem posso querer. Não é justo para mim ver nela alguém que ela não é, nem é justo para ela eu estar alí como se ela fosse outra pessoa.

Vejo-Te nela e dá-me vontade de lhe dizer o que nunca Te disse, mas não és Tu... pareces ser.

41 Comentários:

  ceptic

quinta-feira, junho 19, 2008 2:28:00 da manhã

:D

uau

Este post teve impacto! gostei!

bjs

  Kohinoor

quinta-feira, junho 19, 2008 4:32:00 da manhã

Olá.
Não que precises da minha opinião, mas curto bué o teu blog! =)

Este ultimo post esta muito bonito. E lembrou-me a musica Crestfallen!

"and you may go, but I know you won't leave
too many years built into memories
your life is not your own"

Um abraço

  Foi Bom

quinta-feira, junho 19, 2008 11:30:00 da manhã

Crest, isso e' muito perigoso, sabes que sim!

  Pax

quinta-feira, junho 19, 2008 12:16:00 da tarde

Nao dá para compreender, mas essas coisas acontecem.
Como mal conheceres alguém e sentires que lhe poderias confiar a tua própria vida sem medo de que te desiludisse. Como se tivesses nascido e vivido toda a tua vida ao lado dela.
Acontece.

  ONDINHAS

quinta-feira, junho 19, 2008 12:28:00 da tarde

será algum anjo da guarda?

se apareceu...acredita que deve ter alguma missão!!!

  iFrancisca

quinta-feira, junho 19, 2008 1:20:00 da tarde

Beijo e boa sorte

  anatcat

quinta-feira, junho 19, 2008 2:59:00 da tarde

respira fundo e deixa fluir
vai tudo correr bem

bjs

  A Grafonola

quinta-feira, junho 19, 2008 3:55:00 da tarde

Porra...gostava eu que alguém dissesse algo assim por mim. ;-) Uau. ;-)

Quanto ao que dizes, tb acho, não é justo envolveres-te se é outra pessoa que (re)vês...não fará bem a nenhum dos dois, acredita.

  A Grafonola

quinta-feira, junho 19, 2008 3:57:00 da tarde

Porra, essas coisas tocam o coração de uma gaja, páh. Isso não se faz. :-p

  Gabriela

quinta-feira, junho 19, 2008 5:12:00 da tarde

Senti um aperto no peito enkuanto li o teu post. Uma sensação agri-doce... Amar também dói, mas amar a pessoa errada, dói ainda mais...

  vita

quinta-feira, junho 19, 2008 8:25:00 da tarde

Bem..este texto supreendeu-me..que dizer?
Deixa-te a vida acontecer.;)

  2cute4you

quinta-feira, junho 19, 2008 8:53:00 da tarde

O meu coração ficou apertadinho de te ler...
Talvez a vida te esteja a dar uma segunda oportunidade para fazeres o que não foi feito!!
Boa sorte,Crest!

  Ana

quinta-feira, junho 19, 2008 11:53:00 da tarde

Certa vez de tanto que as saudades me calejavam, cheguei a vê.lo. A primeira vez foi numa banca de mercado. Lá estava ele de costas. O cabelo moreno ondolado e o jeito de baloiçar as chaves denunciaram.no. A partir daí os encontros começaram a ser frequentes. Da janela da minha casa avistava.lhe a silhueta na varanda enquanto fumava o ultimo cigarro antes de ir pra cama. Na praia chegou a quebrar as ondas de mãos dadas comigo. O mesmo toque, o mesmo andar. Até a forma como gargalhava, jogando a cabeça para trás, era igual...
Senti.lhe o calor de um abraço. Aconchegante. Preciso. Uno. Maltratava violetas no jardim e beliscava as pontinhas dos guardanapos. Tal e qual.
Mas um dia eu falei com ele e a voz, ah, a voz (!!), não era a mesma e ele deixou de aparecer.

Tive uma espécie de Deja vu ao ler.te...

  Kátia

sexta-feira, junho 20, 2008 1:47:00 da manhã

Crest,

Depois de tantos posts polêmicos e cheios deimpressões fortes,
confesso que essa é a primeira vez que o sinto "sentimentalóide"... Não é mal,mas é estranho.
Não sei se o escrito é real ou é fictício...se for real...parte pra outra,querer (re)fazer uma relação com alguém só por lembrar de outra é uma enrascada.
E se for ficção,você tem jeito para esse tipo de texto.Parabéns!
Beijo.

  Crestfallen

sexta-feira, junho 20, 2008 2:40:00 da manhã

ceptic:

Gracias.

  Crestfallen

sexta-feira, junho 20, 2008 2:42:00 da manhã

Kohinoor:

"Este ultimo post esta muito bonito. E lembrou-me a musica Crestfallen!"

Por acaso neste blogue tenho um texto sobre isso mesmo, sobre o nick que uso, foi escrito e gravado mas nunca o publiquei.

  Crestfallen

sexta-feira, junho 20, 2008 2:43:00 da manhã

Foi Bom:

Eu sei que é. O meu maior problema é a curiosidade, achar que tudo tem um motivo e querer saber qual, mesmo sabendo que nunca irei obter respostas.

  Crestfallen

sexta-feira, junho 20, 2008 2:44:00 da manhã

Pax:

Acontece, mas sente-se um misto de conforto e medo...

  Crestfallen

sexta-feira, junho 20, 2008 2:45:00 da manhã

ONDINHAS:

"será algum anjo da guarda?"

Ou um demónio de saias...

"se apareceu...acredita que deve ter alguma missão!!!"

Que pode ser positivo, mas tudo aponta para o contrário.

  Crestfallen

sexta-feira, junho 20, 2008 2:45:00 da manhã

iFrancisca:

Obrigado.

  Crestfallen

sexta-feira, junho 20, 2008 2:46:00 da manhã

anatcat:

Inspira, expira, calma. Repito isto muitas vezes :D

  Crestfallen

sexta-feira, junho 20, 2008 2:48:00 da manhã

A Grafonola:

"Porra...gostava eu que alguém dissesse algo assim por mim. ;-) Uau. ;-)"

Mas eu não digo, escrevo e escrever é fácil.

"Porra, essas coisas tocam o coração de uma gaja, páh. Isso não se faz. :-p"

É pena então, não ter nascido no tempo dos namoros por carta, o engate seria bem mais fácil :P

  Crestfallen

sexta-feira, junho 20, 2008 2:49:00 da manhã

Gabriela:

"Amar também dói, mas amar a pessoa errada, dói ainda mais..."

Pior que amar a pessoa errada é amar o impossível.

  Crestfallen

sexta-feira, junho 20, 2008 2:49:00 da manhã

vita:

Eu deixo. Ela que aconteça, mas que faça sentido.

  Crestfallen

sexta-feira, junho 20, 2008 2:51:00 da manhã

2cute4you:

"Talvez a vida te esteja a dar uma segunda oportunidade para fazeres o que não foi feito!"

Nao acredito em segundas oportunidades neste campo, ainda por cima quando a oportunidade me é dada com uma réplica, visto que o original está inatingível.

  Crestfallen

sexta-feira, junho 20, 2008 2:55:00 da manhã

Ana:

"A primeira vez foi numa banca de mercado. Lá estava ele de costas. O cabelo moreno ondolado e o jeito de baloiçar as chaves denunciaram.no. A partir daí os encontros começaram a ser frequentes."

É mesmo assim. A pessoa pode passar ao nosso lado todos os dias sem repararmos, mas quando reparamos, parece que nos pressegue.

"Tive uma espécie de Deja vu ao ler.te..."

Neste caso, nao há nada em comum no aspecto, gestos é... nao consigo explicar, é algo lá dentro a maneira de sorrir, de falar, algo no olhar. Uma coisa que conforta mas assusta por ser invulgar.

  Crestfallen

sexta-feira, junho 20, 2008 2:56:00 da manhã

Kátia:

"confesso que essa é a primeira vez que o sinto "sentimentalóide"..."

Existem diversos textos sentimentais neste blogue, este é só mais um.

  Pax

sexta-feira, junho 20, 2008 1:32:00 da tarde

"Acontece, mas sente-se um misto de conforto e medo..."

E a terrivel sensacao de que, afinal, nao temos assim tanto controle como gostariamos ou pensariamos sobre certas coisas ou sentimentos...

  FATifer

sábado, junho 21, 2008 12:18:00 da manhã

Crest,

Mais uma vez confirmo que sabes usar as palavras certas para transmitir o que sentes… isso é um dom e por isso é tão agradável ler-te.

Excelente texto… por vezes temos de ter estes episódios na nossa vida para no sentirmos vivos. Acho que saberás tirar desta situação aquilo que achares que deves…

Abraço,
FATifer

  Crestfallen

sábado, junho 21, 2008 3:07:00 da manhã

Pax:

"E a terrivel sensacao de que, afinal, nao temos assim tanto controle como gostariamos ou pensariamos sobre certas coisas ou sentimentos..."

Certas coisas sim, mas os sentimentos, com esforço podem ser controlados ou simplesmente minimizados pela vontade.

  Crestfallen

sábado, junho 21, 2008 3:09:00 da manhã

FATifer.

2Mais uma vez confirmo que sabes usar as palavras certas para transmitir o que sentes… isso é um dom e por isso é tão agradável ler-te."

Discordo. É isso que me irrita, por mais que tente não sai o que quero, sai algo que anda lá perto, mas nunca o quero realmente dizer.

  FATifer

sábado, junho 21, 2008 6:35:00 da tarde

Crest,

Compreendo-te, já senti várias vezes a mesma frustração que descreves. Só tu sabes que o que escreveste não é exacta e precisamente o que sentias mas para quem lê o teu texto parece sentido, pois transmite algo que conseguimos sentir. Se não é exactamente o que sentes mas está perto, acho que não está mal de todo! Afinal há coisas que acabam por ser só nossas, não é?

FATifer

  São

domingo, junho 22, 2008 4:56:00 da manhã

Ao ler o seu texto, recordei-me de um poema da Florbela Espanca que mesmo no fim diz:
" E eu ando a procurar-te e já te vejo"
" E tu já me encontras-te e não me vês"

Que a sua procura tenha chegado ao fim e que ela o veja como o ser humano admirável que é.

São Fonseca

  Jana

domingo, junho 22, 2008 4:28:00 da tarde

crest posso dar uma sugestao pra um post: amizades coloridas e quando nos envolvemos sentimentalente neste tipo de "relação".Beijo..

  Pax

segunda-feira, junho 23, 2008 4:09:00 da tarde

"(...) os sentimentos, com esforço podem ser controlados ou simplesmente minimizados pela vontade."

Concordo só parcialmente.
Ainda que tenhamos mesmo uma força de vontade muito grande e tempo, mas há sentimentos muito dificeis até de minimizar.
Com mais facilidade controlamos os gestos ou as atitudes, os pensamentos, sentimentos e desejos não.

  Crest©

terça-feira, junho 24, 2008 7:07:00 da manhã

FATifer:

"Afinal há coisas que acabam por ser só nossas, não é?"

Isso é verdade.

  Crest©

terça-feira, junho 24, 2008 7:08:00 da manhã

São:

"Ao ler o seu texto, recordei-me de um poema da Florbela Espanca"

Conheco o poema a que se refere, gosto de Florbela Espanca.

  Crest©

terça-feira, junho 24, 2008 7:10:00 da manhã

Jana:

"crest posso dar uma sugestao pra um post: amizades coloridas e quando nos envolvemos sentimentalente neste tipo de "relação"."

Ao ler este comentário, estava para te indicar o post em que falei do assunto, as de facto nunca falei. Já me referi sim aos amigos e amor platónico, que é o oposto das amizades coloridas.

Irei abordar esse estranho tema, muito em breve.

  Crest©

terça-feira, junho 24, 2008 7:12:00 da manhã

Pax:

"Ainda que tenhamos mesmo uma força de vontade muito grande e tempo, mas há sentimentos muito dificeis até de minimizar.
Com mais facilidade controlamos os gestos ou as atitudes, os pensamentos, sentimentos e desejos não."

Refiro-me a sentimentos recentes, ainda nao enraízados. Uma paixao recente pode ser controlada e ultrapassada, só os sentimentos que nao contrariámos a tempo é que nos fazem ferida.

  Pax

quinta-feira, junho 26, 2008 6:58:00 da tarde

"só os sentimentos que nao contrariámos a tempo é que nos fazem ferida."

Sim.
Mas conseguimos sempre contraria-los a tempo?

  Psyhawk

quarta-feira, julho 02, 2008 11:24:00 da tarde

Há pessoas que nos fazem lembra outras mesmo sem o serem...