Papa

Não acho que seja a minha distancia de Portugal que me impede de perceber o meu país Natal,  mas acho que nada faz sentido e por mais que me tente esclarecer, cada vez menos sentido faz.

A amnistia que é mas não é:

Antes do Papa ter visitado Portugal, li várias noticias que referiam que havia a possibilidade de haver uma amnistia em Portugal mas em caso algum essa amnistia iria incluir os crimes de transito. Achei bem, pois acho menos grave libertar um carteirista do que amnistiar alguém que conduz sob o efeito de álcool.


Agora que o Papa já visitou Portugal e já queimámos 75 milhões de euros com a sua visita e ainda lhe demos uma cópia da primeira edição dos Lusíadas, venho a saber que afinal não houve qualquer amnistia... mas houve. O que quero dizer é que não houve qualquer amnistia criminal que tenha afectado quem está preso, ou qualquer processo criminal referente ao código penal, por outro lado houve uma alteração à lei que amnistiou todos os cadastros criminais relacionados com os crimes ao volante. Ora, alterar uma lei tornando-a mais severa nunca deveria apagar registos criminais, apagando-os, assistimos a uma amnistia à qual não querem chamar amnistia. No fundo é como que ter um cozinheiro chamado Borges a fazer Bacalhau à Brás mas chamar-lhe Bacalhau à Borges.

O Papa em Portugal e a pedofilia:

Ainda referente ao Papa, encontrei online esta noticia "O Papa Bento XVI está disponível para um novo encontro com as vítimas de abuso sexual por padres pedófilos", Achei esta noticia incrível, pois está directamente relacionada com uma série de noticias recentes sobre abuso físico e abuso sexual de crianças por parte de padres aqui na Alemanha.
Foi aqui noticiado que o irmão do Papa agredia fisicamente crianças que faziam parte de um coro num convento aqui na Alemanha, esta noticia dava o próprio Papa como suspeito por ter frequentado na mesma altura esse convento e por ter acesso a essas mesmas crianças. Dias depois o irmão do Papa admite ter dado "uns estalos" em algumas crianças.

 (Georg Ratzinger )

Neste país ainda há uma publicação sem censura e sem medos de investigar e publicar os resultados dessas investigações, já falei diversas vezes dessa publicação que é a revista Spiegel que, após exporem o caso das agressões voltam à carga implicando o irmão do Papa em casos de abuso sexual a essas mesmas crianças e mais uma vez implicavam o próprio Papa.

Há vitimas a acusar. Há processo judicial. Há tudo e mais alguma coisa, mas parece que afinal nenhum dos dois esteve naquela altura naquele convento. Apesar do irmão do Papa ter assumido agressões físicas, o Vaticano afirma que nessa altura, nem ele nem o Papa estavam naquele convento. Na verdade a ausência de registos prova-o (ou pelo menos prova que os fizeram desaparecer), mas essa ausência de registos aconteceu após o irmão do Papa ter assumido o crime.

Este é mais um caso do poder do Vaticano que não agiu para proteger o irmão do Papa, mas sim para proteger o próprio Papa. Na verdade o Papa está imune de processos judiciais por residir num estado independente (Vaticano) e mesmo em deslocações ao exterior possui imunidade diplomática pois ainda é o Rei dos Reis, o representante de Deus na Terra e ainda por cima líder de um estado soberano.

 (O Papa tudo e mais alguma coisa)




Este gajo veio a Portugal e queria encontrar-se com vitimas de pedofilia por parte de padres? Adorei o timming desta disponibilidade após séculos de abusos sexuais por parte da igreja. Será para lhes dizer: "desculpe lá qualquer mau jeito", ou "tomá lá uns trocos da caixa de esmolas e cala-te"? No entanto, acho menos grave esta campanha de marketing do Papa para parecer inocente, do que as vitimas que aceitaram encontrar-se com ele. Uma vitima de pedofilia que aceite conversar com o patrão dos seus abusadores, ele próprio suspeito de pedofilia não merece o meu tempo e perde toda a credibilidade. Reparem que o Papa se disponibilizou para um novo encontro, ou seja, já existiram outros... isto sim é grave e só fica mal às vitimas.


(Retirado daqui)

... e as pessoas ajoelham-se, choram, gritam e adoram como um Deus aquele que se diz ser o representante de Deus na terra, colocando-o numa posição de ser não mortal, senhor da moral, quando na verdade é mais corrupto moral e criminalmente do que qualquer um de nós pelo simples facto de ocupar o lugar dos maiores homicidas desde a criação do império católico.

A igreja causou mais guerras do que qualquer mera disputa de fronteiras, desentendimento de vizinhos ou de ideais políticos ou raciais. A idade média foi um verdadeiro Holocausto que ao lado do "H"olocausto judeu retira a este o direito de usar o H maiúsculo, pois nem de longe se compara às cruzadas, idade média nem mesmo ao homicídio de nativos quer na América do Norte quer na América do Sul, onde a igreja sempre esteve na frente de batalha.

Parece que nunca será possível as pessoas dissociarem as suas crenças em Deus da Igreja. Nunca irão perceber que para acreditar em Deus, para falar com Deus não precisam de templos nem de homens de batina a dar o mote na conversa com Deus. Nunca irão perceber que um mortal pecador como qualquer outro mortal não tem uma procuração de Deus para nos ilibar dos nossos pecados. Nunca irão perceber que Deus não precisa de dinheiro. Nunca irão perceber que todo o homem é corrupto e que os padres são homens. Nunca irão perceber o motivo de pessoas como eu nunca os irem perceber.

Não acredito em Deus mas não censuro quem precisa de acreditar por forma a sentir-se mais confiante. Critico sim todo o circo montando em torno deste incompreensível ideal de perfeição quando a sua suposta criação está longe de ser perfeita. Critico todo o fanatismo, luxuria, arrogância, avareza. Critico o cuspir nas palavras que pregam. Critico a igreja e critico Deus mas só critico os crentes que aceitam serem chamados de "rebanho" e que seguem cegamente, sem questionar estes homens como sendo os seus pastores, ou seja, donos! Estas pessoas são uma ofensa às ovelhas!



24 Comentários:

  Anónimo

quinta-feira, junho 10, 2010 11:09:00 da manhã

Sem dúvida um dos episódios que mais mexeu comigo nestes últimos tempos em Portugal.
Mais um fait-diver para fazer com que as pessoas se esqueçam do que realmente importa. São uns a seguir aos outros. Papa, mundial, etc, etc, já para não dizer que é a total discriminação pois a religião católica não está a cima de nenhuma outra.
Os homossexuais manifestam-se por qualquer motivo, censuram e criticam sem por à frente as consequências e quando há um evento destes onde é que estão os judeus, os ateus, os muçulmanos a protestarem contra esta discriminação? E acho que serve de exemplo para muitos outros casos. Tudo se conforma, é triste.

  Pedro Almeida

quinta-feira, junho 10, 2010 7:08:00 da tarde

Éna pá...a visita custou 75 milhões de euros!!!!
Espetáculo!!!
Não terão sido antes 100 milhões ou 200 milhões ou 69 milhõs?
Já que estás a inventar podias ter arranjado um número mais redondo.
AHAHAHAHAHA :-)

Achas mesmo que alguém te leva a sério???

  Eleutério Cabral de Ó

quinta-feira, junho 10, 2010 8:14:00 da tarde

Vi algumas "notícias" durante a visita do papa que acompanhavam os preparativos de alguns crentes antes da visita dessa "figura paternal", e algumas queriam que o gajo tocasse nos seus filhos para os abençoar, outros queriam ser tocados por ele na esperança de acontecer algum milagre que curasse os seus males (doenças ou deficiências). Para essas pessoas ele não representa Deus, mas é também ele divino.

Quanto aos escândalos da "pedofilia sacramental", acho que se está a tornar difícil distinguir os factos da propaganda, dado o excepcional e oportuno timing das revelações que jorram em catadupa. Não nos podemos esquecer do papel que se quer cada vez mais diminuto da religião cristã na emergente cultura global. Sim eles são merda, não nego, e até tenho um ódio de estimação, mas temos que deixar as emoções de lado e perceber "quer merda é esta" quando os mass media, que deviam manter o consenso e o status quo sociais (das elites políticas e corporativas) começam a desfilar com denúncias de pedofilia "em cascata". O que pretendem eles, além de vender sangue?

Acerca dos custos da visita papal, tentei procurar informação exacta mas não é fácil. O presidente da Confederação da Indústria Portuguesa disse que "as perdas por dia de paragem em Portugal estão quantificadas, segundo os últimos estudos, nos 37 milhões de euros".* Foram 2 dias de paragem, mais os custos necessários para a logística... foda-se, evitava-se o aumento do IVA!

Amen porra!

* http://economico.sapo.pt/noticias/visita-de-bento-xi-custa-37-milhoes-por-dia_89213.html

  Bruno Fehr

sexta-feira, junho 11, 2010 12:03:00 da manhã

Anónimo:

"Mais um fait-diver para fazer com que as pessoas se esqueçam do que realmente importa."

Isto está mesmo estranho pois nunca se deu tanta importância a certos acontecimentos como agora. Temos o Euro de futebol e logo passado dois anos o mundial no dois anos de pause metem-se jogos olímpicos, festivais da canção, visitas papais, eleições... tudo isto super-produções televisivas que abafam qualquer outra noticia.

  Bruno Fehr

sexta-feira, junho 11, 2010 12:07:00 da manhã

Pedro Almeida:

"Não terão sido antes 100 milhões ou 200 milhões ou 69 milhõs?
Já que estás a inventar podias ter arranjado um número mais redondo."

Que tu és uma besta já é sobejamente conhecido. Logicamente que pessoas como tu, que acham que o jornal A Bola é literatura (e que só sabem transcrever para um blogue o que sai em jornais desportivos), estão a leste de tudo o que se passa no mundo.

Sobre o valor que refiro, poderás obter alguma info, aqui: http://sic.sapo.pt/online/video/informacao/sinais-de-fogo/2010/5/papa-€uros11-05-2010-235153.htm


Quanto à teoria de ninguém me levar a sério... tu estás aqui batido todos os dias e comentas todos os textos (apesar de, regra geral, não publicar os teus comentários néscios).

  Bruno Fehr

sexta-feira, junho 11, 2010 12:08:00 da manhã

Eleutério Cabral de Ó:

"e algumas queriam que o gajo tocasse nos seus filhos para os abençoar, outros queriam ser tocados por ele na esperança de acontecer algum milagre que curasse os seus males (doenças ou deficiências)"

Sem dúvida que o Papa é visto como divino mas é ele e só ele que tem culpa, pois cultiva, gosta e busca esse tratamento de divindade. O povo é simplesmente ignorante em particular quem tem fé cega.

"quando os mass media, que deviam manter o consenso e o status quo sociais (das elites políticas e corporativas) começam a desfilar com denúncias de pedofilia "em cascata". O que pretendem eles, além de vender sangue?"

Eu sei que a imprensa faz tudo para vender, mas tendo em conta a profundidade das investigações aqui na Alemanha que já levaram ao afastamento de diversos padres, acho que é facto e não ficção. O que acho engraçado é ver a que a igreja está acima da lei, pois um pedófilo vai preso, um politico pedófilo vê o seu processo num beco sem saída e um padre é única e simplesmente afastado da igreja.

Um dos padres implicados neste caso teve como castigo a reforma compulsiva na qual vai receber 7.500 euros por mês.

"O presidente da Confederação da Indústria Portuguesa disse que "as perdas por dia de paragem em Portugal estão quantificadas, segundo os últimos estudos, nos 37 milhões de euros"."

Então ainda dá mais do que os 75 que referi, que foram baseados nas palavras de Miguel Sousa Tavares.

  Eleutério Cabral de Ó

sexta-feira, junho 11, 2010 1:55:00 da manhã

Bruno Fehr: "O que acho engraçado é ver a que a igreja está acima da lei, pois um pedófilo vai preso, um politico pedófilo vê o seu processo num beco sem saída e um padre é única e simplesmente afastado da igreja."

Sim, à semelhança de muitos escândalos financeiros em que os culpados são afastados dos seus cargos actuais e postos "fora da vista" da opinião pública, com uma "palmadinha generosa" nas costas.

O objectivo destas denúncias não é, penso eu, punir os culpados, mas sim denegrir lenta e deliberadamente a imagem da Igreja Católica Romana, que é o rosto da religião cristâ no mundo (actualmente).

Repara que não duvido da veracidade das denúncias (algumas), mas suspeito do objectivo real da projecção mediática que lhes é atribuída dentro do quadro internacional actual. Estes casos são denunciados há decadas mas nunca tiveram tanta projecção como agora. Porquê agora? Eu penso que o papel da Igreja Católica chegou ao fim, para as elites, e os mass media serão a nova forma (única) de controlo social, e não haverá partilha de ovelhas...

  Stiletto

sexta-feira, junho 11, 2010 9:36:00 da tarde

Ora e estavas à espera de quê? A sociedade de hoje funciona por cunhas e conhecimentos. Acontece no dia a dia de qualquer desconhecido.. não haveria de acontecer na Igreja ou na política? Cada vez mais se vive em função do próprio umbigo.
Quanto aos custos da visita papal.. são um absurdo. Mas dos 75 milhões que referes, o grosso vem da tolerância de ponto. É vergonhoso, quando o estado se diz laico e estamos a atravessar uma crise. Mas, mais uma vez, que se lixe o zé povinho...

  Nuno Guerreiro

sexta-feira, junho 11, 2010 10:11:00 da tarde

Boas

Existe uma clara estratégia para diminuir o poder da Igreija católica Romana, tanto que os analistas deste tipo de assuntos,prevêm uma incursão e dominação da religião Islamica por toda a Europa.
Se analisar-mos os ultimos acontecimentos quer a nivel da Turquia quer com a mediatização e marginalização dos Islamicos,nota-se que a Turquia pretende encabeçar esse mesmo movimento.
Claro está que tudo isto faz parte do plano para os new age movements.

Eleutério Cabaral do Ò, tens algum grau de parentesco com o Desidério Lucas do Ò ?

1 abraço a todos
Nuno Guerreiro

  Hugo

sexta-feira, junho 11, 2010 11:22:00 da tarde

Nenhuma alteração à lei apagou cadastros criminais relacionados com crimes ao volante. A alteração à lei, de que fala, aconteceu muito antes sequer de se falar da visita do Papa, e o que aconteceu foi a entrada em vigor de um novo regime da cassação da carta de condução. Houve uma limpeza do registo de contra-ordenações, mas não houve limpeza do cadastro criminal. E coimas por pagar não foram amnistiadas. Como deve saber, crimes ou infracções sujeitas a contra-ordenação são coisas diferentes.

  Innocent Dreams

sábado, junho 12, 2010 12:33:00 da manhã

Curiosamente o G8/G20 vai ser para a semana que vem... durante o FIFA...

Ja aparece anti-G20 summit slogans como "G20 = New World Order".

Entretanto dia 1 de Julho vai começar haver uma nova tax (Harmonized Sales Tax (HST)) aqui em Ontario. Muita coisa vai aumentar.

Depois dizem que a moeda de um cêntimo vai deixar de ter valor.. humm?

É o BP oil spill...

Enfim.

  ceptic

sábado, junho 12, 2010 1:13:00 da manhã

Fogo nem sequer estavamos em Maio e eu ja estava farta de ouvir falar sobre o Papa...

também já tinha assistido um documentário que passou pouco antes de o papa vir a Portugal, que referia que ele tinha fama de "disciplinador" ou seja educação a base da chapada...

E recomendo uma vista de olhos ao livro "Vaticano, SA", mostra uma perspectiva diferente da coisa

  Bruno Fehr

sábado, junho 12, 2010 1:20:00 da manhã

Eleutério Cabral de Ó:

Sem dúvida que há a intenção de destruir a credibilidade não só da igreja católica mas sim de todas as religiões, o que não acho errado. Mas em cada 10 denuncias de abusos sexuais por parte de padres será exagerado? Se fossem castrados...

  Bruno Fehr

sábado, junho 12, 2010 1:21:00 da manhã

Stiletto:

Não percebo as tolerâncias de pontos. Pode ser difícil para os Portugueses perceberem, eu próprio só percebi depois de ter vivido em Inglaterra e na Alemanha. Nós temos entre 13 a 16 feriados, recebemos subsidio de férias e de Natal, além disso em Dezembro entre feriados e pontos trabalha-se 15 dias...

Como pode uma economia recuperar?

  Bruno Fehr

sábado, junho 12, 2010 1:21:00 da manhã

Nuno Guerreiro:

O domínio do Islão sobre a Europa será uma realidade dentro de 15 a 20 anos, isso já está comprovado e foi já assumido pelos governos Alemão, Francês e Belga. Estes países serão maioritariamente muçulmanos em 2025 e a Alemanha em 2050.

Para que isto aconteça, não é preciso descredibilizar a igreja, pois a conquista da Europa está a ser feita através da procriação. Um Europeu tem em média 2,2 filhos e os muçulmanos possuem uma média de 6,0.

  Bruno Fehr

sábado, junho 12, 2010 1:21:00 da manhã

Hugo:

"Houve uma limpeza do registo de contra-ordenações, mas não houve limpeza do cadastro criminal."

Quando falo em cadastro criminal referindo-me a crimes ao volante, obviamente refiro-me ao RIC (Registo Individual do Condutor), esse é um cadastro do condutor. Tudo o que lá constava, anterior a 6 de Junho de 2008, foi apagado. Apagado é perdoado e perdoado é amnistiado.

Quanto às coimas elas devem ser pagas e nunca são perdoadas, no entanto a condução sob o efeito de álcool acima de 1,2 é gravíssimo demais para desaparecer no ar.

  Bruno Fehr

sábado, junho 12, 2010 1:21:00 da manhã

Innocent Dreams:

"Curiosamente o G8/G20 vai ser para a semana que vem... durante o FIFA..."

O G8 e o G20 é sempre nestas alturas, que é para não lhes prestarem grande atenção. Tal como o governo Português gosta de aprovar leis polémicas em Agosto e Dezembro, quando os tugas não querem saber de mais nada a não ser férias e Natal.

  Bruno Fehr

sábado, junho 12, 2010 1:24:00 da manhã

ceptic:

Sim, pelo desenvolvimento do caso por estes lados, os putos cantavam à chapada.

  Eleutério Cabral de Ó

sábado, junho 12, 2010 6:23:00 da tarde

"Sem dúvida que há a intenção de destruir a credibilidade não só da igreja católica mas sim de todas as religiões, o que não acho errado. Mas em cada 10 denuncias de abusos sexuais por parte de padres será exagerado? Se fossem castrados..."

Se o objectivo das denúncias fosse punir estes criminosos "mesmo" eles cumpririam pena de prisão. Como o objectivo é outro, basta sujar a imagem da igreja e já é suficiente. Mais uma vez, não coloco em causa a veracidade da maioria das denúncias, o que é para mim estranho é o timming delas. Para mim esse factor denúncia uma intenção...

Também eu gostaria de viver num mundo sem religião, Bruno, mas enquanto os mass media e os seus mestres destroem a imagem da religião, assiste-se à emergência de outros valores inculcados por eles, que incluem os conceitos que tu e outros denúnciam em videos musicais e no cinema mainstream, se condenas e dessensibilização das massas ao transhumanismo, à adoração de "deuses vivos" e à violência, por parte dos arquitectos ocultos (e ocultistas) do consenso, não é coerente aceitares que as mesmas técnicas devam ser usadas para destruir as religiões actuais, pois para ocupar o lugar delas virão outras que servirão tão bem ou melhor como ferramentas de controlo. E as massas não deveriam ser peões para andarem a ser arrastados de um conjunto de valores para outro só porque um pequeno grupo de pessoas assim o quer. Quando se aceitam tais métodos de persuasão como necessários, algo está errado, pois deixas de ver as pessoas como seres humanos com potencial próprio, e apenas como uma cambada de atrasados mentais que devem ser guiados.

Ah, Nuno Guerreiro, não tenho nada que ver com esses Desidério Lucas do Ò, que tem um nome tão feio :)

  lunatiK

sábado, junho 12, 2010 11:53:00 da tarde

Viva Bruno
todos estes gajos metem nojo, talvez se lhos cortassem.......
As pessoas não entendem que Deuses somos nós, nós é que damos a vida, logo somos Deuses.
Cumps.

  Anónimo

segunda-feira, junho 14, 2010 7:46:00 da tarde

As pessoas acreditam que precisam de ir à Igreja para rezar a Deus e que necessitam de um intermediário ( padre) para isso, porque foi isso que lhes ensinaram desde pequenos, desde a catequese.
A mim também, mas libertei-me dessas dependências, depois de ler sobre outras religiões, outras formas de estar na vida, enfim, abri os meus horizontes. Mas acredito em Deus, não para me sentir confiante, mas porque faz todo o sentido; no meio do caos há perfeição, e leis absolutamente perfeitas que só poderiam ser criadas por uma entidade perfeita.

Quanto às vítimas que se encontraram com o papa, acho que compreendo; são pessoas que independentemente de serem vítimas, tb são católicas e devem acreditar que esses encontros de alguma forma os poderão ajudar. Afinal continuam a ter fé, e vêm no papa o chefe máximo da Igreja delas, não o vendo como o culpado nas agressões que sofreram.

Depois de violências destas sabemos lá como estão as cabeças dessas pessoas!
Não é por isso que perdem credibilidade.

Quanto à sucessão de festas, acontecimentos e festejos, com certeza é para manter a mente dos cidadãos alegremente "ocupadas".

F.M.

  Nuno Guerreiro

terça-feira, junho 15, 2010 8:52:00 da manhã

Obrigado pela tua consideração em responderes Eleutério.
1 grande abraço e que a compaixão nunca desapareça do teu coração.

Nuno Guerreiro

  HAZEL

quarta-feira, junho 16, 2010 12:09:00 da tarde

Aleluia!
Que isto "parece" que na blogosfera já não há liberdade de expressão, e ai daquele que se atreva a dizer uma palavra que não abone a favor da Santa Madre Igreja e do Santo Papa (tom sarcástico).

Em dois blogues que faziam grande destaque desta instituição, e da vinda do gajo vestido de branco a Portugal, comentei relembrando que não há aqui espiritualidade alguma, mas apenas jogos de poder e outras intenções muito pouco cristãs. Referi alguns dos inúmeros crimes cometidos aqui pelos "santinhos", e fui despachada em alta velocidade, por estar a ser inconveniente.

Levei sermões e missas cantadas!

Que não se pode dizer que a Igreja já matou mais pessoas do que o próprio Hitler.
Que não se pode dizer que a Igreja possui uma fortuna incalculável, fruto de saques (palavra mais fina para roubos) cometidos ao longo de séculos.
Que não se pode dizer que os padres pedófilos não foram presos, mas transferidos para outras paróquias, para abusar de novas crianças.

Esta gente anda cega, e ainda enterram mais a cabeça na areia só para não lerem a verdade.

Ler este post fez-me sentir espiritualmente aliviada.
Bem-hajas.

  MSUMO

quinta-feira, julho 22, 2010 1:08:00 da tarde

Muito zeitgeist na cabecinha *.*

Apesar de ser tudo verdadinha como queres tu mostrar a uma sociedade ignorante a verdade ? impossiBele :D

(ahah)