Bastidores da música (parte 16) Religião & robotização

De alguma forma parece que a certa altura os artistas mais influenciados ficam com a ideia de que todo o seu protagonismo os torna superiores, os torna divinos e regularmente se comparam a Deus.

Kanye West disse o seguinte a respeito de Lil Wayne: "verguem-se na presença de uma verdadeira lenda viva, Lil Wayne o Deus" e disse também a respeito dele mesmo: "Deus escolheu-me, traçou um caminho para mim. Eu sou uma arma de Deus". Jay-Z também se considera divino ao afirmar: "eu sou o Jesus negro".





O termo "I am" é usado em cultos, pronunciado pelos auto-intitulados Deuses, termo usado por exemplo na seita Francesa que se suicidou para viajarem na cauda do cometa Halley, suicidaram-se homens e mulheres depois de matarem os seus filhos, só líder não se matou, o "Deus". Na musica o termo "I am" é comum e usado sem lógica aparente muitas vezes:

Lil Wayne diz coisas como: "I am Hip-Hop" e a sua tournée chama-se: "I am Music". Beyoncé tem a sua tournée chamada: "I am". Álbuns lançados num curto espaco de tempo como: "I am the future", "As I am", "will.I.am", "I am King", "I am...", "I am what I am", "I AM future black president", "Novel I am", são álbuns demais para saírem na mesma altura com nomes parecidos, tal como são álbuns demais a abordar os mesmos assuntos, de pessoas que passam do seu lado branco para o seu lado negro, do peudo-sagrado ao pseudo-profano, metáforas de pessoas que deixam de ser humanos e passam a ser robots.



É muita gente a passar a mesma mensagem que não é mensagem nenhuma de interesse, já não há "Heal the world make it a better place", agora é só "eu, eu, eu, eu, eu". Mensagem à cultura do Eu, à adoracao de vedetas como Deuses, à aceitação da desumanização e que devemos ser mais frios como máquinas. Mensagens de merda que se perderiam no vazio se não fossem centenas de artistas a bater na mesma tecla.



Mensagem que nos dizem que o Eu é superior ao Nós, como se neste momento a humanidade deixasse de ser um grupo com objectivos comuns, onde a sociedade deixa de ser um grupo passando a ser um grande numero de indivíduos que por acaso moram no mesmo local. Onde o Eu e a cultura do Eu tornam desnecessário conhecer a pessoa que desde há 3 anos se senta ao nosso lado todos os dias no metro, pois Eu é que importo e a outra pessoa é só alguém a quem eu permito respirar o meu ar e partilhar o meu espaço. Os meus problemas são maiores que os teus porque são meus. Atitudes que tornam o dizer Brasileiro: "pimenta no cu do meu amigo, para mim é refresco", numa espécie de hino do nosso dia-a-dia. Basta ver um acidente na estrada: uns param para ver sangue e ficam felizes por ser outro e não ele, enquanto outros ficam irritados por aquele acidente os ir atrasar. O que importa é o Eu independentemente se alguém perdeu a vida naquele momento, se uma criança ficou sem pai, nada disso importa pois ainda bem que não sou eu, ainda bem que há pessoas que estão piores que eu, e: "merda, este gajo resolveu morrer logo hoje que tenho uma reunião importante".



Jay-Z faz alusão à sua divindade colocando o publico a gritar "hova, hova, hova" enquanto faz o símbolo da pirâmide" O que é Hova? Será por ele ser Jay? Jay-Hova = Jeova? Será que ele brinca com isto, ou o seu percurso nos Free Masons já o faz acreditar que é divino? Sim porque eu conheço esse mundo, a cada nível que se sobe dentro da Maçonaria temos acesso a novos segredos, novos conhecimentos e todo o percurso é o caminho para a Iluminação para a atingir divindade terrena.


Uma T-shirt com uma Toten Kopf, em baixo a utilização do mesmo símbolo:


Em baixo o simbolo da sociedade secreta Americana Skull & Bones, que recruta membros de Harvard a Yale e os orienta, financia na vida politica e empresarial. Foi nesta sociedade que surgiu toda a ideologia Nazi adoptada por Hitler, ao contrário do que se pensa. Sociedade à qual pertenceu Bush e Kerry tendo sido impossível aos Americanos não terem eleito um membro desta sociedade.
(Símbolo da sociedade secreta e maçónica Skull & Bones)

Sem ter nada a ver com musica ainda ligado à propagando robótica, procurei por um anuncio que vi na People Magazine e que só encontrei em vídeo:


É publicidade a uma vodka, em que diz: "O homem não pode viver só de intrigas", mas... onde está o homem?

Próximo texto: Parte 17

13 Comentários:

  I.D.Pena

sexta-feira, abril 09, 2010 1:11:00 da manhã

Eu acho que ainda há artistas a tentarem promover a paz, artistas, cantores, actores, empenhados a passar uma boa mensagem, não me parece que sejam menos , parece-me é que não são é patrocionados, o que está muito mal.

Mete-me asco porque essa maneira de pensar egocentrica alastra-se como se de ervas daninhas, ou virus se tratasse.

Apenas as crianças têm uma fase assim(a criação do seu eu), e depois crescem, ultrapassam, entendem, são fases.

Esses palhaços da corte não passam de produtos fabricados e viciados nos ditos luxos , são entretenimento básico afixionados por algo momentaneo constantemente a impor a sua opulência , tenho pena que o people não acorde e nem queira acordar e cheirar a toxicidade que a futilidade traz à humanidade.

O dinheiro é sujo, e só traz lucros a alguns fdp que nem se mostram (para aí 1%) porque existe algo muito superior que essa tanga toda.

Problemas reais tais como os oceanos estarem repletos de sujidade e de plástico, com as faunas desiquelibradas , milhares de espécies a morrerem devido a este consumismo estupido desencadeando uma serie de consequencias desastrosas que acabaram com a qualidade de Vida dos seres vivos menos afortunados.

Poderia-se resolver o problema do desemprego a limpar os oceanos, através da agricultura, ou aquacultura, mas não o que interessa a esses 1% não interessa aos restantes 99%.

Não conhecia essa expressão brasileira , mesmo à fuinha aldrabão. Mas nós tugas também temos algumas que primam por ser muito tristes , só digo uma(que já chega de bater no portugues) aquela: "dá Deus nozes a quem não tem dentes" , Deus nunca deu nozes a ninguém !

Há quem tenha sorte e quem não a tenha. E infelizmente como se pode constatar estão-nos a tentar retirar a pouca sorte que ainda temos.

Ao que isto chegou...

  Pedro

sexta-feira, abril 09, 2010 12:50:00 da tarde

Muito bons os textos até agora. Parabéns!

Gostaria tb de colocar-te uma dúvida que não se relaciona com esta série de textos mas surgiu devido a comentários teus que li à pouco tempo no arquivo do teu blog. É sobre a J.K. Rowling e o facto dela poder ter plagiado outros autores. Tens algum texto sobre isso? Ou alguma fonte de informação? Como estou a fazer um trabalho que se relaciona indirectamente com ela gostava de estar elucidado antes de começar.

Obrigado

  ceptic

sexta-feira, abril 09, 2010 1:02:00 da tarde

o k. west é um megalómano, narcisista,acredito que ele vai acabar num manicómio.

o nome do álbum dos Cypress Hill , Skull & Bones, esta relacionado?
A capa tem caveira mas tem o símbolo cannabis associado...

  Anónimo

domingo, abril 11, 2010 5:20:00 da manhã

Caro amigo,

Suas explicações teriam algo a ver com o documentário do youtube "The industry Madonna and Beyonce ritual"?
Parece-me que são muito parecidos, inclusive as imagens que utiliza.

Abraço

  Bruno Fehr

domingo, abril 11, 2010 9:21:00 da manhã

I.D.Pena:

"Eu acho que ainda há artistas a tentarem promover a paz, artistas, cantores, actores, empenhados a passar uma boa mensagem, não me parece que sejam menos , parece-me é que não são é patrocionados, o que está muito mal."

Tem de haver, se não houver não há divisão e se não há divisão não há forma de controlo. Mas há também um outro lado, o que parecem passar uma boa mensagem e existem só para confundir entre quem é honesto e quem segue uma agenda desinformativa.


Sim, essa de Deus dar nozes não tem muita lógica, até porque preferia avelãs :)

  Bruno Fehr

domingo, abril 11, 2010 9:21:00 da manhã

Pedro:

"É sobre a J.K. Rowling e o facto dela poder ter plagiado outros autores. Tens algum texto sobre isso?"

Não tenho texto sobre isto mas há diversos processos contra ela, um deles atinge o valor 1 bilião de dólares, algumas fontes sobre os processos:

http://www.csmonitor.com/Books/chapter-and-verse/2010/0218/J.K.-Rowling-faces-another-plagiarism-suit

http://www.dailymail.co.uk/tvshowbiz/article-1193283/JK-Rowling-sued-500m-plagiarism-lawsuit-family-late-Willy-The-Wizard-author.html

http://www.guardian.co.uk/books/2010/feb/18/harry-potter-jk-rowling-willy-wizard

Apesar de ela ter ganho o caso irão haver recursos e novos processos, visto que os livros não seguem uma linha lógica. Por exemplo, tu como escritor tens um estilo de escrita e não vários, os livros de Harry Potter possuem vários estilos literários: clássicos e modernos. Das duas uma, ou estamos na presença de um génio literário, ou de uma farsa, mas após ter lido os livros excluo a primeira possibilidade.

Ela insiste em não mencionar as suas fontes de inspiração, mas aqui podes encontrar uma lista de obras em que uma ou mais partes possuem extremas semelhanças com o trabalho dela:

http://en.wikipedia.org/wiki/Harry_Potter_influences_and_analogues

O primeiro processo conta ela foi em 1999, acusada pela autora Nancy Stouffer de ter tido a sua obra, publicada em 1984 plagiada, o livro chamava-se interessantemente: "The Legend of Rah. A personagem principal deste livro chamava-se Larry Potter.

  Bruno Fehr

domingo, abril 11, 2010 9:22:00 da manhã

ceptic:

"o k. west é um megalómano, narcisista,acredito que ele vai acabar num manicómio."

Megalómano é elogio não acho que tenha intelecto para tanto :)

"o nome do álbum dos Cypress Hill , Skull & Bones, esta relacionado?"

Não conheço mas irei dar uma olhada. O nome é interessante e nao me parece nada de original tendo em conta que a Skull & Bones é uma organização mais antiga de as universidades de onde recrutam.

  Bruno Fehr

domingo, abril 11, 2010 9:24:00 da manhã

Anónimo:

"Suas explicações teriam algo a ver com o documentário do youtube "The industry Madonna and Beyonce ritual"?"

Seria limitar toda a série, mas o trabalho de Bill K., autor da série The Industry, bem como Lennon Honour autor da série The Borg Agenda são e serão citados várias vezes, tal como referi no texto de introdução à série:

http://so-me-apetece-cobrir.blogspot.com/2010/03/bastidores-da-musica.html

O que diferencia o que digo do que o que ele diz é que Bill K. é extremamente religioso e a sua visão e interpretação é demasiadamente influenciada pelo seu cristianismo. Aliás foi essa a questão que afastou em 3 campos aquilo que um dia foi um trabalho conjunto e o que levou Lennon Honour e deixar a investigação sobre este tema e a centrar-se na agenda robótica.

  Nuno Guerreiro

segunda-feira, abril 12, 2010 1:30:00 da manhã

Boas Bruno...Estou quase quase a acabar o meu trabalho para coloca-lo no youtube....tu e outros leitores vão adorar...Brutal.

...Deixa-me só levantar-te uma ponta do véu e dizer-te que Lisboa, toda ela está erigida sob Alquimia...Após o terra,oto de 1755...todo ou quase tudo em Lisboa, são contruções Maçónicas cheia de simbolismo oculto.

Noutro tema..A capa do D.Noticias de dia 11/04/10 trás a Lady Gaga...advinha como....só com 1 olho aberto e outro fechado,com a frase....Lady GaGa, o Icone da moda.
...Só se for para mentecaptos, pois eu já desabrochei para a farsa.
1 Abraço

Nuno Guerreiro

  ceptic

terça-feira, abril 13, 2010 12:47:00 da manhã

depois mais tarde, fez-se luz na minha cabeça, de vez em quando demora... mas consigo la chegar LOL

tenho a sensação de ter visto a mesma sinalética usada penso eu que pela L gaga mas ao contrário, o que em então seria 999...o que é o mesmo que o 666

Mas acho que se a rapariga não fosse assim tão fora do comum, não teria sucesso, ou piada. Porque as pessoas não gostam dela pela música, acho eu...

  ceptic

terça-feira, abril 13, 2010 12:54:00 da manhã

a questão da tshirt não pode ser uma mera questão de moda?
dependendo da data da foto, pode ser ou não inserida numa fase em tudo e todos usavam caveiras...acho que talvez á coisa de um ano, tudo tinha caveiras, desde os ténis, e todo o tipo de acessórios roupa interior... acho que ate a V. westwood já fez jóias com caveiras...

  ceptic

terça-feira, abril 13, 2010 12:54:00 da manhã

a questão da tshirt não pode ser uma mera questão de moda?
dependendo da data da foto, pode ser ou não inserida numa fase em tudo e todos usavam caveiras...acho que talvez á coisa de um ano, tudo tinha caveiras, desde os ténis, e todo o tipo de acessórios roupa interior... acho que ate a V. westwood já fez jóias com caveiras...

  ArtBetYou Produções

sexta-feira, março 04, 2011 4:47:00 da tarde

Bueno, esperando não ir ao encontro de nenhuma das tuas premissas acima descritas...., gostaria de deixar o meu contributo.
Sugiro que nos distanciemos à escala da evolução do "bicho homem" e que o consideremos mto estúpido e lento nas assimilações estratégicas de mudanças de planos ao longo do seu processo evolutivo. Só mto recentemente o "individuo" se descobre com direito a ser valorizado, como necessidade primeira para um final social. O que ainda não acontece em plenitude. Hoje sentimos que temos pouca influência na forma como a realidade se nos apresenta à nossa volta. Voltamo-nos para dentro. A Realidade é o mundo individual e subjectivo de cada um.
O Budismo e as filosofias orientais que equilibram o sistema à escala universal, com um ser-não antropocêntrico, agora mto em voga, na verdade vão de encontro às necessidades básicas do individuo que procura um sentido para a sua existência e inserção na realidade. Processo lento e em assimilação. Enquanto a relação entre os planos pessoal e social não forem pacificados, complementares e intrínsecos, a esquizofrenia continuará....