Será o flirt, trair?


Sim, o flirt é uma traição! Não, o flirt não é uma traição!

Ambas estão correctas, ou parecem estar. As opiniões dividem-se e eu próprio concordo com as duas, mas sei que uma é verdadeira e a outra é aquela em que quero acreditar, porque é conveniente.

Tecnicamente, um flirt ocasional, não é uma traição. É um jogo ao qual chamo de masturbação sentimental. Durante o flirt e quando somos correspondidos, isso alimenta-nos o ego e se ficarmos pelo flirt, tecnicamente não traímos ninguém.

Agora, neste assunto entra a minha maneira literal e objectiva de ver as coisas.
Ao sermos comprometidos e entrar em jogos de flirt, está de facto a haver uma traição. Comparo o flirt à possibilidade de estar com "x" na cama, mas a pensar em "y". Beijar "w", pensado em "z".

Claro que o flirt sem consequências físicas, não é motivo para alguém terminar uma relação, mas é uma forma de trair e é altura de preencher as lacunas que levam a essa necessidade de afirmação sentimental.

Uma relação séria é mais do que uma entrega física, é uma entrega total, física, sentimental e intelectual, por isso a traição não pode ser vista só pelo lado físico. Pode haver traição a outros níveis, mais ou menos graves, não me compete a mim avaliar.

Sempre que estive na cama com "a" e pensei em "b", foi uma confirmação de que não gostava realmente dessa pessoa. Já me aconteceu pensar que gostava de alguém, mas dar por mim, afectado pelo pensamento ou ao ver outra pessoa. Isto são sinais que colocam em causa a verdade dos nossos sentimentos.

Por vezes os nossos sentimentos mentem-nos, ou nós nos deixamos enganar por eles, devido ao "conforto" sentimental que essa pessoa nos dá. O pensar noutra pessoa, a vontade de flirt com outra pessoa é uma traição. Poderia dizer que é uma traição dupla, traição à pessoa de quem gostamos e traição aos nossos sentimentos. Mas não. Não estamos a trair os nossos sentimentos, mas sim a receber um aviso, para os reavaliar.

Dizem que se ama com o coração, mas isso não é verdade, pois o coração não passa de uma bomba, a nossa "casa das máquinas" que nos permite funcionar. Amamos com o cérebro e como sabem existe o consciente e o subconsciente que entram em conflito muitas vezes. O subconsciente comunica connosco, mostra-nos em sonhos os nossos medos e desejos, que muitas vezes não conseguimos assumir conscientemente e que o consciente trata de negar ou ignorar.

Amar começa como algo inconsciente, não chegamos muitas vezes a pensar nisso. Acontece e pronto. O conflito acontece quando o nosso consciente precisa de outra pessoa, mesmo que nos diga que é tudo um brincadeira, na verdade é um aviso, para pensarmos bem na nossa relação.

Dizem que o coração fala uma linguagem que não conseguimos entender, mas na verdade isso são as mensagens discretas e confusas do nosso cérebro, mensagens que muitas vezes resolvemos ignorar, fugindo um pouco à realidade e no final somos enganados por nós próprios.

Por mais que se diga, que se ama a pessoa com quem estamos, alimentar o ego num flirt com terceiro, é porque há algo que falta na nossa relação. Se falta algo, ou temos de preencher essa falha com a pessoa de quem pensamos gostar, ou sim, iremos traí-la mesmo que mentalmente. Traição não é, nem pode ser vista como física unicamente.

Qualquer pessoa, se sente traída, ao saber que estamos com alguém, que na verdade está ali, ao nosso lado fisicamente, mas com o pensamento noutra pessoa. O flirt é um jogo engraçado, mas perigoso. Um jogo que adoro jogar, mas eu, não tenho uma "mais que tudo" em quem me concentrar. Quem tem, traí. Podem pensar que é algo "pequenino" sem importância, mas se acham isso, pecam a opinião à vossa outra metade, pois essa é a única maneira de confirmarem se é ou não uma traição.




75 Comentários:

  Marta

terça-feira, abril 15, 2008 2:48:00 da tarde

Não são os nossos sentimentos que nos enganam, mas a nossa cabeça!

  ipsis verbis

terça-feira, abril 15, 2008 2:54:00 da tarde

"Por mais que se diga, que se ama a pessoa com quem estamos, alimentar o ego num flirt com terceiro, é porque há algo que falta na nossa relação."

E falta. Falta o tal joguinho do toca e foge que muitas vezes acaba quando já se tem uma "relação séria". Falta estarmos apaixonados e só pensarmos numa pessoa. Falta sentirmo-nos atraentes por terceiros... falta o nervoso miudinho... eh, no final, acho que falta muita coisa numa relação, quando, com um simples flirt se pensa nisto tudo que pensamos precisar, pondo em causa a mesma.

  Ana

terça-feira, abril 15, 2008 4:47:00 da tarde

Concordo em tudo!

Marcelo Camelo (Los Hermanos) já dizia numa das suas musicas "Não te dizer o que eu penso já é pensar em dizer" , acho que se adequa perfeitamente a essa questão, o facto haver flirt só por si já mostra uma certa vontade de estar com a pessoa em questão.
Considero traição apenas quando se é comprometido.

  Tony Soprano

terça-feira, abril 15, 2008 5:13:00 da tarde

Por mim acho que não é um flirtzinho inocente e ocasional que significa que há traicção...

Claro está que quando esse flirt começa a ser "regular" e com apenas uma outra pessoa, aí o caso já muda de figura. É óbvio que nesse caso a nossa mente (ou coração, como quiseres) já está a ir para outros caminhos para onde normalmente só vamos se a nossa relação não está bem...

Agora quando é uma coisa furtuita como uma troca de olhares e sorrisos e nada mais, desculpa lá Crest mas não penso como tu, acho que isso até é divertido e não tem mal nenhum... ...mesmo que a cara metade não achasse piada nenhuma, o que é certo é que toda a gente faz isso...

  anatcat

terça-feira, abril 15, 2008 5:20:00 da tarde

No caso de existência de uma relação séria, eu diria que o flirt é uma mentira tripla, a nós próprios, a quem está conosco e a quem é alvo do flirt. O flirt só é inofensivo quando estamos disponíveis, quando não temos ninguém e se está a descobrir um novo alguém. Mas esta é só a minha opinião.

bjs

  miss bradshaw

terça-feira, abril 15, 2008 5:56:00 da tarde

....o flirt de que falas vem dar forma á velha expressao "procurar fora o que nao se tem em casa".

ja me aconteceu estar com uma pessoa (quer de mao dada...quer na cama) e nao ser com ele que eu queria realmente estar. Ver-me naquela situaçao de intemidade e visualizar outro "protagonista" foi no minimo horrivel...mas ele nem notou =)

Se gosto realmente de quem esta comigo,o resto da populaçao masculina torna-se gado,mais nenhum me chama a atençao e ,como tal, a cena do flirt nao existe.

se é traiçao?para mim sim.mas é uma traiçao a mim mesma,que me sujeito a uma relaçao que nao me satisfaz ou preenche por causa de uma carencia de atençao ou carinho.

  pax

terça-feira, abril 15, 2008 5:56:00 da tarde

Concordo com quase tudo.
Quando se ama e se está apaixonado nunca se pensa em mais ninguém e a ideia do flirt é inconcebivel.
Se passa a haver monotonia nesse "gostar", o flirt trará (ou não) alguma emoção... portanto, depende sempre.
Claro que o "compromisso" se sentirá traído, mesmo que também o pratique.
Eu, pessoalmente, não acho que por aí venha grande mal ao mundo; pelo contrário... poderá até trazer algum colorido aos dias!
(Mas isso sou eu, que tenho um conceito de traição muito diferente do da maioria mas é melhor nem contar que é para não te chocar!)
:)

  afectado

quarta-feira, abril 16, 2008 1:30:00 da manhã

Palavras sábias...

Abraço!

  ceptic

quarta-feira, abril 16, 2008 3:11:00 da manhã

Não acho que seja traição, concordo que é bom para o ego e tal.
O flirt é mais um jogo, à base de provocações!
Não há falta de respeito pela outra parte!
E não conheço casal em que algum mais tarde ou mais cedo não tenha um flirt com alguém por norma é algo sem significância!

Há alguém que tenha assim tanto autocontrolo sobre a sua mente ao ponto de beijar alguem e nao pensar em mais nada???? LOLOL
por norma a mente ja vai muito mais frente que o corpo :P

Traição acho que acontece por desdém, falta de interesse,vingança, mentiras acumuladas, mania de que se é bom, de que se faz as cenas e que nunca vai ser apanhado ou então o desejo inconsciente de se ser apanhado,sei lá...
Não considero que quem traí é má pessoa e que merece morrer, só acho que há diversas formas de se fazer as coisas e que se deve ter em alguma consideração pela outra parte, porque está sentimentos envolvidos e confiança,(e porque pode originar um crime passional sangrento :D )

Quem considera traiçao, o flirt sao aqueles que mais tem a esconder; os mais inseguros possessivos; maniacos com a mania do controlo!

Desde que haja confiança e o minímo de respeito, frontalidade acima de tudo (porque se há "cojones" para umas coisas, tem que haver para o resto também!) acho que não há razão para se preocuparem!

E o "people" gosta de vez em quando de um flirt, anima a malta!é o importante é andarmos animados :P

bjs

  Mrs. Sea

quarta-feira, abril 16, 2008 10:55:00 da manhã

Resolvi comentar porque gostei muito do texto, do tema e da abordagem efectuada!
Para mim traição é quando o outro procura outras sensações físicas ou psicológicas em outras pessoas... Quando nos "entregamos" a alguém tem de ser de corpo e alma e assim não há lugares para terceiros!
Bjins

  Sunshine Jana

quarta-feira, abril 16, 2008 12:48:00 da tarde

Penso sempre que não se ocupa um lugar já ocupado e que uma só pessoa não tem a capacidade de nos preencher a 100%, que são precisas várias e daí termos amigos com gostos e pontos de vista diferentes para preencher todas as nossas nuances e cores. Quando num post anterior disse que é preciso experimentar para saber o que é que queremos, estava a dizer o quanto é importante conhecermo-nos a nós mesmos; só assim podemos descobrir quem é mais compativel e com audácia para nos dar a mão e construir o amor todos os dias.

  Afrodite

quarta-feira, abril 16, 2008 12:53:00 da tarde

Crest...

E...no caso de estarmos na cama com a pessoa que "amamos", com quem estamos de corpo e alma (supostamente)...estamos ali no acto e tal e tal mas é preciso um estimulo :)...tipo, sem rosto até...imaginemos uma fantasiazita com o senhor da cabovisão :) ou o vulgar canalizador...entra-nos na mente e chegamos ao orgasmo num ápice...mas esse senhor nem tem "cara", a situação estimula mas não há um ser real...é uma situação excitante e estimulante...será isso traição??? Será que não conseguir por vezes chegar lá apenas com o estimulo fisico que nos entregam...e utilizar um estimulo cerebralzito é trair?

Abreijos

  Carla

quarta-feira, abril 16, 2008 1:55:00 da tarde

tens carradas de razão, mas que raios sabe tão bem um flirt ocasional, daqueles que tiram a respiração por umas horas...qual o pecado a que corresponde uma traição passageira?
beijos

  Ana Reis

quarta-feira, abril 16, 2008 2:03:00 da tarde

Bom dia tristeza...(estou triste como a noite,o meu gatinho desapareceu...:( )

Tema controverso este!..
Penso que existem vários tipos de flirts,mas para mim um flirt é um jogo de sedução,de inteligência,de savoir faire...
Um flirt é algo que nunca se materializa fisicamente,é assim uma espécie de platonismo que enche o ego,até pode despertar a líbido,mas que por diversas razões está destinado a não se concretizar(ou então sim,concretiza-se e deixa de ser flirt para passar a ser outra coisa qualquer,mas isso já são outros quinhentos...)

Todos nós flirtamos no nosso dia a dia,consciente ou inconscientemente.Flirtamos com o homem do talho para nos servir a melhor carne,com os clientes na loja para nos comprarem a peça mais cara,com o big boss quando queremos marcar férias e o mapa está chei naquela data que tanto queriamos...

Estes serão flirts espontâneos,litradas de sedução de descarregamos nos outros com vista a alcançar um determinado objectivo,e a maior parte das vezes nem nos aprecebemos que estamos de facto a flirtar.Estamos a vender o nosso produto,sempre ao longo do nosso dia,mesmo sem nos apercebermos!Lembro-me de uma vez me terem dito que era uma cabra por usar o meu lado sedutor para conseguir o que queria...e eu juro que nem sequer me estava a aperceber que estava a ser mais insinuante!!!Será isso por ser naturalmente irresistivel?:)

Depois existem aquelas pessoas com quem nos dá um gozo tremendo estar na picardia...Fazer jogos de palavras,olhares sedutores de lábios entreabertos e molhados,deixar um rasto de perfume á nossa passagem,o toque das pernas ao acaso durante um almoço de negócios...
Será isso uma traição???Será que por gostarmos de seduzir e massajar o ego vamos pensar em outra pessoa quando estamos com quem amamos?Penso que não!!!
O facto de ter um flirt inofensivo com quem goste de fazer jogos de sedução inteligentes não significa que não ame verdadeiramente a pessoa com quem esteja,significa apenas que sou uma pessoa naturalmente sedutora e com uma grande necessidade de ser apreciada que usa o seu lado mais insinuante quase inocentemente...

Claro que depois existem os outros flirts,os flirts de quem é totalmente livre e descomprometido,que não tem qualquer tipo de barreira ou limitação.Mas a esses já os chamaria de affairs,curtes,enrolanços,whatever,a imaginação é o limite!

Acho que quando existe um flirt existe sempre de parte a parte.Se a tentativa de sedução não resulta já não é um flirt mas sim uma tentativa falhada de seduzir.Penso também que o essencial é que as pessoas envolvidas nesse flirt devam ter a consciência do jogo que jogam,das regras,ou pelo menos do objectivo final que é nenhum para além do gozo momentaneo que a picardia pode dar,para que ,tal como foi dito num comentário anterior,ninguém seja enganado.

Se as pessoas estiverem 100% felizes ao lado da pessoa que amam,vão continuar a flirtar?
Boa pergunta,não sei,talvez sim,talvez não.já houve alturas em que estava feliz com o namorado que tinha e não conseguia resistir a inisinuar-me aquele colega de trabalho charmosissimo.Mas nunca nada passou de isso,o jogo do toca e foge como já foi dito.E não considerava isso traição,apenas sedução.Claro que se o meu namorado da altura soubesse não acharia muita piada...Até porque não era assim muito inteligente no que toca a relações,por isso levou uns patins...

Confesso que sim,mantenho um flirt...Estou em constante flirt com o meu gajo!!!Adoro provocá-lo nas situações mais inusitadas,deixálo com uma tesão gigante e depois dar-lhe tampa.Mandar aquela sms aparentemente insignificante na linguagem que so nos conhecemos e deixá-lo a pensar em mim até me voltar a ter nos seus braços...Olha-lo com aquele expressão de desejo que ele tão bem conhece e saber que estou a despertar mil e uma sensações por baixo daquelas calças largueironas que lhe fazem um cuzinho tão apetitoso...ai ai...

Não sei se daqui para a frente irei ou não flirtar no meu dia-a-dia com alguém que não o meu gajo.Flirtar com a consciência de que estou a flirtar,pois tal como já disse ,espalhar charme inconscientemente é natural.Assim como é natural gostarmos de nos sentir apreciados.Acho que nisso o meu gajo é como eu,um sedutor nato.Simpático,bonito,inteligente e com um charme que é só dele,chama as atenções para ele quer queira quer não.E eu sei que ele flirta no dia a dia no ao balcão do sushibar com as tias quarentonas cheinhas de vontade de comer carninha fresca em vez de peixinho cru.E sei que isso lhe dá pica,lhe massaja o ego.Poderei eu ficar chateada com isso???NUNCA!!!Desde que o meu amor e eu continuemos a desejar ardentemente que os dias passem rápido para voltarmos aos braços um do outro,ao calor um do outro,ao desejo e ao tesão um do outro,não há flirt que nos possa abalar.

Desde que nada nem ninguém se meta entre duas pessoas que se amam,flirtar não é trair.É apenas massajar o ego,encher o copo da líbido para o derramar sobre quem amamos...

Chukie,volta tás perdoado!!!!
Eu quero o meu gatinho!!!!

  clubefashion

quarta-feira, abril 16, 2008 5:07:00 da tarde

Grande post :)

  PsYcHo_MiNd

quarta-feira, abril 16, 2008 5:25:00 da tarde

Só não é traição se o código postal for diferente do da namorada.

  Blondewithaphd

quarta-feira, abril 16, 2008 8:09:00 da tarde

Hmm, será que posso? Assustei-me com a interdição de louras "fritas", whatever that is!

Subscrevo! (o texto, não a loura!)

  Marta Teles

quarta-feira, abril 16, 2008 8:14:00 da tarde

Um flirt pode ser um jogo perigoso quando há por detrás uma relação assumida.
mas a necessidade desse mesmo flirt, pode ser um sinal evidente que algo está mal , naquela relação que julgavamos ser sólida nos seus alicerces.
Beijinho.

  tavguinu

quarta-feira, abril 16, 2008 10:26:00 da tarde

"Por mais que se diga, que se ama a pessoa com quem estamos, alimentar o ego num flirt com terceiro, é porque há algo que falta na nossa relação."

xiii... tanto divórcio ou separação a acontecer por causa desta afirmação !

  luafeiticeira

sexta-feira, abril 18, 2008 12:42:00 da manhã

O melhor texto de sexo que já escrevi já está postado.
beijos que te aguardam

  Sandra

sexta-feira, abril 18, 2008 11:07:00 da manhã

Gostei bastante do comentário da Ana Reis a este post (espero que encontres o teu gatinho), reflecte também a minha posição sobre este assunto.

Ao longo do tempo a minha definição de traição e fidelidade deixou de ser algo linear.

A monogamia não está na natureza do ser humano, assim como não está na da grande maioria dos animais. No entanto, já nem vou por aí. O flirt não implica relação física, aliás, deixaria de o ser se assim fosse.

Querer que uma pessoa só tenha olhos para nós e se dedique totalmente a nós é, do meu ponto de vista, ir contra aquilo que somos. Eu vejo o flirt como algo perfeitamente saudável, desde que se tenha noção dos limites a não transpor.

:)

  iFrancisca

sexta-feira, abril 18, 2008 12:43:00 da tarde

E quando se olha para uma pessoa que passa na rua com desejo sexual, sem sequer flirtar, é traicção?
Penso que existe sempre traicção, agora existe lealdade quando nos afastamos por livre e espontanea vontade dessas "tentações", porque amamos e queremos respeitar a pessoa com quem estamos...
Bjs

  turbolenta

sábado, abril 19, 2008 8:21:00 da tarde

Eu não sei não!
O que sei é que ando deveras preocupada com a ausência do Crest.
Estás doente?
boa semana

  Francisco Norega

domingo, abril 20, 2008 2:31:00 da manhã

Bem Crestfallen, eu leio o blog assiduamente, mas não tenho grande coisa a dizer, porque não tenho experiência nas áreas sobre as quais falas XD Anyway, parabéns pelo excelente blog ;-)

  johny

domingo, abril 20, 2008 2:38:00 da manhã

É a primeira vez que comento alguma coisa aqui. Sei que ninguém me perguntou nada, mas achei importante referir esse facto, uma vez que sou leitor assíduo, mas nunca me deu para comentar. E comento agora para dizer que quando li este texto me pareceu que o seu autor estava perante uma lucidez quase transcendente. Tudo parecia certo e claro como a água. Mas depois achei que não, que há muito românticos (também aqui neste blogue) a pensar que o amor perfeito é aquele em que tudo corre sempre bem e que só temos olhos para aquela pessoa e tesão para aquela pessoa. O amor tem desvios ao seu percurso normal, o amor tem muita luta (perguntem aos velhos, que mais conhecem o amor) e o amor, de vez em quando, tem outras imagens na nossa cabeça a confundir-nos o esquema. O cérebro, tal como as pessoas, é complicado e não podemos pensar que é o amor que o doma. Pelo menos eu não acho. Acho sim que podemos controlar a passagem ao acto (e o flirt já é um acto e não um mero pensamento), é isso que separa a traição de um devaneio. É claro que se andarmos com muitos devaneios isso já quererá dizer alguma coisa... mas um ou outro não fará mal e nem eles podem levar a mal se elas de vez em quando pensam no Matthew McConaughey da mesma forma que elas não podem levar a mal se eles de vez em quando se lembram da Monica Bellucci.

  i just can´t get enough

domingo, abril 20, 2008 1:42:00 da tarde

Toda nós gostamos de sentir cortejados, e isso não tem mal nenhum, sentimentos de posse, isso sim é doentio.
Menino deixei-te um Desafio para ti, se quiseres aceitar passe lá no meu lugar de delícias.
Beijocas

  Ana

domingo, abril 20, 2008 3:28:00 da tarde

Isto é mesmo complicado de assimilar! De facto, todos nós passamos pelo momento do flirt, tenhamos ou não alguém na nossa vida. A questão é que quando se trata de nós mesmos, conhecemos as nossas intenções e sabemos que se trata apenas de uma coisa momentanea que em nada põe em causa o que sentimos pela pessoa que temos ao nosso lado. O pior é quando isto se passa com a outra pessoa... o não sabermos exactamente a intenção daquele flirt, o não sabermos até que ponto aquele flirt poderá ou não ir além disso e, principalmente, o não sabermos se estão em causa os sentimentos que a outra pessoa tem por nós.
É muito fácil dizer "tu também fazes o mesmo!"... mas a verdade é que das nossas intenções só nós é que sabemos!

Gostei deste post;)

  Castronauta

segunda-feira, abril 21, 2008 2:00:00 da manhã

O flirt não é trair, mas pode criar a oportunidade....

pensar nela, e estar com outra será trair? Só é se trocares os nomes, por isso para mim todas são 'meu xuxuzinho'.

  NunoSioux

terça-feira, abril 22, 2008 2:27:00 da manhã

Epah....
à quem diga que não. Conheço alguns casais que o fazem e são felizes!
Mas eu nunca seria capaz de partilhar a pessoa que amo.....

São opiniões!!!

Abraço

  ines

terça-feira, abril 22, 2008 9:42:00 da tarde

em que é que ficámos? é ou não é?

onde andas?

  A Grafonola

terça-feira, abril 22, 2008 11:22:00 da tarde

Bem, comecei a ler os comments e concordo logo com a marta e coma ipsis verbis...falta, falta o jogo do toca e foge. Numa relação longa isso deixa de existir...
E concordo totalmente com a Ana Reis.
É uma traição se fugir a certos tramites. Lá por flirtarmos com o segurança para este nos reservar o datashow, não quer dizer que vá para a cama a pensar nele...
Mas depois há flirts perigosos. Há pensamentos perigosos. Há desejos perigosos. Mas que, se não são postos em carne e osso, não são traição, são apenas sintoma de que algo vai mal no paraíso e que é altura de repensar e resolver as coisas.

  suspeita 1713

quarta-feira, abril 23, 2008 6:23:00 da tarde

crest? tas bem? ou entrou-te casa adentro uma frita mais o seu gato e neste momento tas amarrado a uma cadeira equanto ela te esfrega o gato no nariz!?

  Kátia

quarta-feira, abril 23, 2008 7:09:00 da tarde

Tenho sentido falta de seus novos escritos...onde andas?

Flirt é trair sim!

:)))))

Beijo!

  Cold

segunda-feira, abril 28, 2008 2:31:00 da tarde

Não é trair. É normal o companheiro sentir-se atraído por outras pessoas, e nós também. Agora, pensar numa pessoa enquanto estamos com outra... é uma traição involuntária e pode (ou não) ser um sinal: um sinal de que a relação está a cair na monotonia e/ou de que estamos a ficar envolvidos emocionalmente por outra pessoa.

  Crestfallen

domingo, maio 04, 2008 6:47:00 da manhã

Marta

"Não são os nossos sentimentos que nos enganam, mas a nossa cabeça!"

Mas só nos engana, porque deixamos!

  Crestfallen

domingo, maio 04, 2008 6:49:00 da manhã

ipsis verbis:

"E falta. Falta o tal joguinho do toca e foge que muitas vezes acaba quando já se tem uma "relação séria"."

É verdade, mas acho que também falta um pouco de auto-confiança.

  Crestfallen

domingo, maio 04, 2008 6:51:00 da manhã

Ana:

"Considero traição apenas quando se é comprometido."

Poderia dizer que, ao fazer flirt sem intenção de finalizar o jogo, é uma traição a nós próprios, demonstra falta de auto-confiança, por isso precisamos de nos sentirmos interessantes perante terceiros.

  Crestfallen

domingo, maio 04, 2008 6:53:00 da manhã

Tony Soprano:

"Por mim acho que não é um flirtzinho inocente e ocasional que significa que há traicção..."

Nao acho que exista o flirt inocente, a não ser quando não é flirt e simplesmente pensamos que a outra pessoa está a fazer flirt.. aí sim é inocente.

  Crestfallen

domingo, maio 04, 2008 6:54:00 da manhã

anatcat:

"No caso de existência de uma relação séria, eu diria que o flirt é uma mentira tripla, a nós próprios, a quem está conosco e a quem é alvo do flirt."

Concordo a 100%.

  Crestfallen

domingo, maio 04, 2008 6:55:00 da manhã

miss bradshaw:

"ja me aconteceu estar com uma pessoa (quer de mao dada...quer na cama) e nao ser com ele que eu queria realmente estar. Ver-me naquela situaçao de intemidade e visualizar outro "protagonista" foi no minimo horrivel...mas ele nem notou =)"

Estava distraído, talvez com outra pessoa na cabeça. Pois se estivermos atentos, se não preocupamos com o/a parceiro/a, isso nota-se.

  Crestfallen

domingo, maio 04, 2008 6:58:00 da manhã

pax:

"Concordo com quase tudo."

Venha lá o "quase" :P

"Se passa a haver monotonia nesse "gostar", o flirt trará (ou não) alguma emoção... portanto, depende sempre."

Mas essa emoção, dever ser procurada dentro da "ralação" e não fora dela!

"(Mas isso sou eu, que tenho um conceito de traição muito diferente do da maioria mas é melhor nem contar que é para não te chocar!)"

Chocar-me? Achas que isso é possível?

  Crestfallen

domingo, maio 04, 2008 6:58:00 da manhã

afectado:

Danke.

  Crestfallen

domingo, maio 04, 2008 7:05:00 da manhã

ceptic:

"Não há falta de respeito pela outra parte!"

Será? Será que o alvo está também a jogar, ou está a acreditar que é um engate? Um jogo para nós, pode ser uma grande desilusao para a outra pessoa e para o/a nosso/a companheiro/a.

"Há alguém que tenha assim tanto autocontrolo sobre a sua mente ao ponto de beijar alguem e nao pensar em mais nada????"

Isso nao é controlo é falta dele. O verdadeiro beijo é mesmo assim, beijas e o tempo para, nao pensas em nada.

"por norma a mente já vai muito mais frente que o corpo :P"

Mas isso sao outros tipos de beijo, sao os beijos para "aquecer o forno".

"Não considero que quem traí é má pessoa e que merece morrer"

Claro que nao, mas tem de avaliar os seus sentimentos, principalmente a respeito de si próprio/a.

"Quem considera traiçao, o flirt sao aqueles que mais tem a esconder; os mais inseguros possessivos; maniacos com a mania do controlo!"

Discordo totalmente. Adoro o flirt mas ao estar envolvido numa relação, não sinto necessidade de afirmação perante terceiros. É possível fazer flirt com a nossa namorada, mais, é óptimo picar à distancia. Quando mais tarde se encontram, é quente, muito quente.

  Crestfallen

domingo, maio 04, 2008 7:06:00 da manhã

Mrs. Sea:

"Para mim traição é quando o outro procura outras sensações físicas ou psicológicas em outras pessoas... Quando nos "entregamos" a alguém tem de ser de corpo e alma e assim não há lugares para terceiros!"

Exactamente :P

  Crestfallen

domingo, maio 04, 2008 7:08:00 da manhã

Sunshine Jana:

"Penso sempre que não se ocupa um lugar já ocupado e que uma só pessoa não tem a capacidade de nos preencher a 100%"

Há aquela, aquela que poucos teem a sorte de encontrar, aquela que "passa ao lado" de muitos, aquela que a maioria nao encontra, pois o mundo é grande demais, mesmo que procuremos.

  Crestfallen

domingo, maio 04, 2008 7:10:00 da manhã

Afrodite:

"E...no caso de estarmos na cama com a pessoa que "amamos", com quem estamos de corpo e alma (supostamente)...estamos ali no acto e tal e tal mas é preciso um estimulo :)...tipo, sem rosto até...imaginemos uma fantasiazita com o senhor da cabovisão :)"

Só será traír quando esse senhor tiver uma cara que nao a do parceiro. Porque nao vestir o menino de testemunha de Jeová e abusar dele?

  Crestfallen

domingo, maio 04, 2008 7:12:00 da manhã

Carla:

"tens carradas de razão, mas que raios sabe tão bem um flirt ocasional, daqueles que tiram a respiração por umas horas...qual o pecado a que corresponde uma traição passageira?"

Pride, Orgulho, pois é uma forma de nos sentirmos melhor e orgulhosos de quem somos ou como somos.

  Crestfallen

domingo, maio 04, 2008 7:21:00 da manhã

Ana Reis:

"mas para mim um flirt é um jogo de sedução,de inteligência,de savoir faire..."

Concordo.

"Um flirt é algo que nunca se materializa fisicamente,é assim uma espécie de platonismo que enche o ego,até pode despertar a líbido,mas que por diversas razões está destinado a não se concretizar(ou então sim,concretiza-se e deixa de ser flirt para passar a ser outra coisa qualquer"

Mas foi flirt a causa da traicao fisica.

"Todos nós flirtamos no nosso dia a dia,consciente ou inconscientemente.Flirtamos com o homem do talho para nos servir a melhor carne,com os clientes na loja para nos comprarem a peça mais cara,com o big boss quando queremos marcar férias e o mapa está chei naquela data que tanto queriamos..."

A isso nao chamo flirt, mas sim "dar show de charme".

"Lembro-me de uma vez me terem dito que era uma cabra por usar o meu lado sedutor para conseguir o que queria...e eu juro que nem sequer me estava a aperceber que estava a ser mais insinuante!!!Será isso por ser naturalmente irresistivel?:)"

Isso é outra questão. Eu sou do melhor que há a arranjar problemas, mas sou ainda melhor a sair deles. Isso é "jogo de anca", jogo de charme e não propriamente flirt na verdadeira ascensão da palavra.

"Será isso uma traição???Será que por gostarmos de seduzir e massajar o ego vamos pensar em outra pessoa quando estamos com quem amamos?Penso que não!!!"

A opiniao do parceiro conta.


"affairs,curtes,enrolanços..."

...traicao.

"Se as pessoas estiverem 100% felizes ao lado da pessoa que amam,vão continuar a flirtar?"

Se não se sentirem seguros de si próprios, irão sempre buscar algo em terceiros.

"Confesso que sim,mantenho um flirt...Estou em constante flirt com o meu gajo!!!Adoro provocá-lo nas situações mais inusitadas,deixálo com uma tesão gigante e depois dar-lhe tampa."

Isso é óptimo, tirando a tampa :P

"e saber que estou a despertar mil e uma sensações por baixo daquelas calças largueironas que lhe fazem um cuzinho tão apetitoso...ai ai..."

Hmmm, o teu gajo é feijão?



E o gato, voltou?

  Crestfallen

domingo, maio 04, 2008 7:22:00 da manhã

Clubefashion:

Obrigado

  Crestfallen

domingo, maio 04, 2008 7:22:00 da manhã

PsYcHo_MiNd:

"Só não é traição se o código postal for diferente do da namorada."

LOL

  Crestfallen

domingo, maio 04, 2008 7:24:00 da manhã

Blondewithaphd:

"Hmm, será que posso? Assustei-me com a interdição de louras "fritas", whatever that is!"

As louras sao bem vindas, só as cruzadas com homens das cavernas, devem ficar à porta... elas sabem quem sao :P

  Crestfallen

domingo, maio 04, 2008 7:26:00 da manhã

Marta Teles:

"mas a necessidade desse mesmo flirt, pode ser um sinal evidente que algo está mal , naquela relação que julgavamos ser sólida nos seus alicerces."

Gostei da utilização da palavra "julgavamos", pois é mesmo isso. Usaste a palavra na tempo verbal apropriado.

  Crestfallen

domingo, maio 04, 2008 7:26:00 da manhã

tavguinu:

Ahahaha, é verdade!

  Crestfallen

domingo, maio 04, 2008 7:27:00 da manhã

luafeiticeira:

O melhor?, tenho de ler isso :P

  Crestfallen

domingo, maio 04, 2008 7:30:00 da manhã

Sandra:

"Ao longo do tempo a minha definição de traição e fidelidade deixou de ser algo linear."

A minha também, pois só achava que era traição quando me traia a mim próprio. A minha opinião mudou, no dia e que percebi o quanto magoei muita gente, quer namoradas, quer alvos de flirt.

"Eu vejo o flirt como algo perfeitamente saudável, desde que se tenha noção dos limites a não transpor."

Mas ao impor limites, para que nos colocamos na posicao de mogoar terceiros? Alimentar o nosso ego, à custa de derrubar o ego de terceiros?

  Crestfallen

domingo, maio 04, 2008 7:33:00 da manhã

iFrancisca:

"E quando se olha para uma pessoa que passa na rua com desejo sexual, sem sequer flirtar, é traicção?"

Respondeste à tua pergunta!

  Crestfallen

domingo, maio 04, 2008 7:34:00 da manhã

turbolenta:


"O que sei é que ando deveras preocupada com a ausência do Crest.
Estás doente?"

Ando simplesmente ocupado :P

  Crestfallen

domingo, maio 04, 2008 7:35:00 da manhã

Francisco Norega:

Obrigado.

  Crestfallen

domingo, maio 04, 2008 7:41:00 da manhã

johny:

"quando li este texto me pareceu que o seu autor estava perante uma lucidez quase transcendente."

Nao vale exagerar!

"Tudo parecia certo e claro como a água. Mas depois achei que não, que há muito românticos (também aqui neste blogue) a pensar que o amor perfeito é aquele em que tudo corre sempre bem e que só temos olhos para aquela pessoa e tesão para aquela pessoa. O amor tem desvios ao seu percurso normal, o amor tem muita luta (perguntem aos velhos, que mais conhecem o amor) e o amor, de vez em quando, tem outras imagens na nossa cabeça a confundir-nos o esquema."

O amor é confuso. O amor muitas vezes não é amor. O amor por vezes deixa de ser amor, quando sentimos algo de mais forte, que pode ainda não ser amor.

O amor é confuso e nao existe uma escala de amor, para saber se amamos realmente. Os mais romanticos, pensam que acharam o que podem nao ter achado. Para mim, só sabemos se amamos ou nao, depois de perder e sofrer com a perda.

  Crestfallen

domingo, maio 04, 2008 7:42:00 da manhã

i just can´t get enough:

já lá vou espreitar :P

  Crestfallen

domingo, maio 04, 2008 7:44:00 da manhã

Ana:

"A questão é que quando se trata de nós mesmos, conhecemos as nossas intenções e sabemos que se trata apenas de uma coisa momentanea que em nada põe em causa o que sentimos pela pessoa que temos ao nosso lado. O pior é quando isto se passa com a outra pessoa... o não sabermos exactamente a intenção daquele flirt"

E nisto tudo, toda a gente esquece a terceira pessoa, aquela que é alvo de flirt. Será que ela está a jogar, será que nao estamos a ser crueis ao alimentar-lhe o ego, só para o destruir totalmente?

  Crestfallen

domingo, maio 04, 2008 7:45:00 da manhã

Castronauta:

"pensar nela, e estar com outra será trair? Só é se trocares os nomes, por isso para mim todas são 'meu xuxuzinho'."

No meu caso, nunca as chamo pelo nome, até porque nunca me lembro dos nomes!

  Crestfallen

domingo, maio 04, 2008 7:46:00 da manhã

NunoSioux disse...

Epah....
à quem diga que não. Conheço alguns casais que o fazem e são felizes!
Mas eu nunca seria capaz de partilhar a pessoa que amo.....

São opiniões!!!

Abraço

Terça-feira, Abril 22, 2008 2:27:00 AM
Eliminar
Blogger ines disse...

em que é que ficámos? é ou não é?

onde andas?

Terça-feira, Abril 22, 2008 9:42:00 PM
Eliminar
Blogger A Grafonola disse...

Bem, comecei a ler os comments e concordo logo com a marta e coma ipsis verbis...falta, falta o jogo do toca e foge. Numa relação longa isso deixa de existir...
E concordo totalmente com a Ana Reis.
É uma traição se fugir a certos tramites. Lá por flirtarmos com o segurança para este nos reservar o datashow, não quer dizer que vá para a cama a pensar nele...
Mas depois há flirts perigosos. Há pensamentos perigosos. Há desejos perigosos. Mas que, se não são postos em carne e osso, não são traição, são apenas sintoma de que algo vai mal no paraíso e que é altura de repensar e resolver as coisas.

Terça-feira, Abril 22, 2008 11:22:00 PM
Eliminar
Blogger suspeita 1713 disse...

crest? tas bem? ou entrou-te casa adentro uma frita mais o seu gato e neste momento tas amarrado a uma cadeira equanto ela te esfrega o gato no nariz!?

Quarta-feira, Abril 23, 2008 6:23:00 PM
Eliminar
Blogger Kátia disse...

Tenho sentido falta de seus novos escritos...onde andas?

Flirt é trair sim!

:)))))

Beijo!

Quarta-feira, Abril 23, 2008 7:09:00 PM
Eliminar
Blogger Cold:

"Não é trair. É normal o companheiro sentir-se atraído por outras pessoas, e nós também."

Isso nao é trair, mas também nao é flirt.

  A Grafonola

segunda-feira, maio 05, 2008 11:25:00 da tarde

o que é que se passou nas ultimas comentadelas ás comentadelas?...

  Crestfallen

quarta-feira, maio 07, 2008 4:32:00 da manhã

A grofonola:

Parece que me escaparam alguns comentários :P

  Crestfallen

quarta-feira, maio 07, 2008 4:33:00 da manhã

ines:

"em que é que ficámos? é ou não é?"

É :P

  Crestfallen

quarta-feira, maio 07, 2008 4:35:00 da manhã

A Grafonola:

" É uma traição se fugir a certos tramites. Lá por flirtarmos com o segurança para este nos reservar o datashow, não quer dizer que vá para a cama a pensar nele..."

Mas isso nunca foi dito. O facto de procurar no flirt algo que nao se procura na nossa relacao é trair, pelo menos estamos a trair os nossos próprios sentimentos, a esquecer por momentos a pessoa com quem estamo e o motivo pelo qual estamos com ela e a gozar com a cara de uma terceira pessoa, que pode até gostar de nós e esperar mais do que uma brincadeira.

  Crestfallen

quarta-feira, maio 07, 2008 4:37:00 da manhã

suspeita 1713:

"crest? tas bem? ou entrou-te casa adentro uma frita mais o seu gato e neste momento tas amarrado a uma cadeira equanto ela te esfrega o gato no nariz!?"

Nunca tive medo de um filme de terror, mas esta tua descrição, arrepiou-me da cabeça aos pés e o meu coração começou a bater ao ritmo da musica do filme "O Tubarão"!

  Crestfallen

quarta-feira, maio 07, 2008 4:38:00 da manhã

Kátia:

Estou de volta :P

  Crestfallen

quarta-feira, maio 07, 2008 4:39:00 da manhã

Blogger Cold:

"um sinal de que a relação está a cair na monotonia e/ou de que estamos a ficar envolvidos emocionalmente por outra pessoa"

Mas isto nao desculpa o usar um terceira pessoa de uma forma cruel, para nos sentirmos melhor pelo fracasso ou instabilidade da nossa relacao.

  Pax

sexta-feira, maio 09, 2008 11:30:00 da manhã

A dor que nos causa o facto de sabermos que fomos traidos é uma dor social.
Estipulou-se que teriamos de ser fieis sexualmente a uma só pessoa.
Pela sociedade e pela religião.

Para mim, a traição verdadeira não é a fisica. A traição verdadeira é a que implica a mente. É estar com alguém querendo estar com outra pessoa.
O que mais dói na traição é pensar que a pessoa de quem nós gostamos se envolveu emocionalmente com outra.

"Chocar-me? Achas que isso é possível?"

Na traição, o que considero grave e crime merecedor de pena capital é sexo sem preservativo.

  Crestfallen

sexta-feira, maio 09, 2008 1:01:00 da tarde

Pax:

"A dor que nos causa o facto de sabermos que fomos traidos é uma dor social."

Social? No meu caso é o peso na consciencia, quero que a sociedade se lixe!

"Estipulou-se que teriamos de ser fieis sexualmente a uma só pessoa.
"Pela sociedade e pela religião."

E por nós próprios, nao podemos culpar a sociedade ou a igreja pelas nossas escolhas.

"Para mim, a traição verdadeira não é a fisica. A traição verdadeira é a que implica a mente. É estar com alguém querendo estar com outra pessoa."

Ambas sao traicoes e agravidade de uma ou outra varia de pessoa para pessoa.

"O que mais dói na traição é pensar que a pessoa de quem nós gostamos se envolveu emocionalmente com outra."

Ou seja, estar com uma pessoa, ele estar a nosso lado, mas sabermos que já a perdemos.

"Na traição, o que considero grave e crime merecedor de pena capital é sexo sem preservativo."

No meu caso, mesmo sem traicao. Basta que saiba que a minha próximo presa nao o usa e salto fora!

  Pax

domingo, maio 11, 2008 2:38:00 da manhã

"Social? No meu caso é o peso na consciencia, quero que a sociedade se lixe!"

Peso na consciencia porque sabes que está socialmente estabelecido que é errado!

"E por nós próprios, nao podemos culpar a sociedade ou a igreja pelas nossas escolhas."

Verdade mas, ainda que o não notes, são séculos de ensinamentos em cima de nós.
Nenhuma das nossas escolhas é completamente desprovida de peso ou influencia social ou religiosa.

"Ou seja, estar com uma pessoa, ele estar a nosso lado, mas sabermos que já a perdemos."

Acho que não podemos perder alguém simplesmente porque ninguém é de ninguém.
Podemos perder o seu afecto ou a sua companhia e sofrer com essa falta, apenas.

"Próxima presa"?!
Vais de preservativo ou de arpão?!
:)

  Crestfallen

domingo, maio 11, 2008 10:44:00 da manhã

Pax:

"Peso na consciencia porque sabes que está socialmente estabelecido que é errado!"

Nao poderia discordar mais. Se o meu dia me correr mal e eu nao tenho paciencia para nada e sem querer respondo mal a alguém que gosto, sinto-me mal e o facto de me sentir mal, nada tem a ver com as imposicoes da sociedade.

O facto de uma pessoa se sentir mal, nada tem a ver com as regras pessoais.

Se eu tenho fome, nao é por isso (ou pelo menos a fome nao é grande o suficiente), que vou roubar comida. Nao o faco, nao por ser crime, ou por ser errado legal e socialmente, mas por ser errado para mim e é isso que importa e é isso e só isso que me poder deixar com peso na consciencia.

Sao os meus principios e nao o principios sociais.

A sociedade é uma anedota, pela qual nao tenho qualquer tipo de sentimento.

"Verdade mas, ainda que o não notes, são séculos de ensinamentos em cima de nós.
Nenhuma das nossas escolhas é completamente desprovida de peso ou influencia social ou religiosa."

Tenho de voltar a discordar e por isso de volta e meia, estou metido em problemas ou sou falado, simplesmente porque nao admito que me sejam impostas regras e mesmo quando é lei, cumpro-a dependendo da situacao e da minha consciencia.

Nao penso duas vezes em quebrar o que quer que seja, mesmo a lei, se entender que o devo fazer. Claro que assumo o que faco e acato com o castigo que me for atribuido.


"Acho que não podemos perder alguém simplesmente porque ninguém é de ninguém."

Isso é um pensamento erudito, que nunca se aplica numa relacao. Amor é posse, damos o nosso amor, damos o nosso coracao. É prova máxima de confianca, damo-nos, confiando que a outra pessoa nao nos vai magoar.

É uma contradicao, dizer que ninguém é de nínguém citando o gnomo do Joao Pedro Pais. Amar é ter, amar é perder.

"Podemos perder o seu afecto ou a sua companhia e sofrer com essa falta, apenas."

Mas nao se pode perder sem se ter?
Eu perco as minhas chaves porque as tinha, mas eu perco a calma quando é algo que continuo a ter. O nosso clube de futebol, nunca é nosso, no entanto perdemos jogos.

Será que perdemos a fome e depois a encontramos, ou será que ela está sempre lá, mas é sobreposta por um sentimento de satisfacao?

Uma pessoa amada, morre e dizemos que a perdemos, sem que nunca tivesse sido nossa.

Perdemos a nossa namorada, pois foi nossa, entregou-se a nós. Quem ama sem querer ter, nao ama tem caprichos.

Mas muita gente, tenta ser lúcida ao ponto de dizer que ninguém é dono de nínguem... até aqui concordo, mas ter nao é possuir. Exepto quando se possuí sexualmente, em que temos a outra pessoa, sem que ela seja nossa.

Ter, possuir nao é dominar ou escravizar.

"Vais de preservativo ou de arpão?!"

Vou de preservativo no arpão!

  Pax

segunda-feira, maio 12, 2008 12:19:00 da manhã

"O facto de uma pessoa se sentir mal, nada tem a ver com as regras pessoais."

Pois não.
Tem a ver com o facto de saberes que a outra pessoa, nesta sociedade, tem determinados valores pelos quais se rege e se vai sentir magoada por um acto teu que vai contra isso.

"Sao os meus principios e nao o principios sociais."

Os teus principios são influenciados pela sociedade em que vives e em que foste educado.
Ninguém consegue fugir a isso.
Ainda que discordes de alguns, lutas pela sua modificação (uma mudança lenta e que só se verifica se for colectiva), dependes deles como bitola na maior parte das tuas acções.

Uma mulher em Marrocos (por exemplo) dorme no quarto ao lado do qual o seu marido dorme com a segunda esposa. Não se sente traída. Sempre foi assim e é, para si, o normal.

"Amor é posse, damos o nosso amor, damos o nosso coracao. É prova máxima de confianca, damo-nos, confiando que a outra pessoa nao nos vai magoar."

Aqui até concordo. Quando gostamos acabamos por ter um certo sentimento de posse porque queremos que o objecto do nosso amor nos dedique exclusividade, retribuindo-lha também.

"Ter, possuir nao é dominar ou escravizar."

Será o ideal.
Mas eu prefiro a palavra "partilhar".

"Vou de preservativo no arpão!"

O momento mais assustador! Sabia que irias escrever isso... :)