Kony 2012 (Parte Final) Sr. Punhetas

O Jason dos Invisible Children foi detido depois de durante um meltdown cerebral ter sido apanhado completamente nu, na rua e acusado de se masturbar em publico. Quanto a isso não tenho nada a dizer pois é óbvio que ele é controlado por grupos poderosos e estamos na presença de mais um que se passa da cabeça por não aguentar a pressão. Nos últimos anos tivemos muitos caso deste tipo, de pessoas que deixam de suportar o controlo e simplesmente de passam da cabeça, como por exemplo: 

Na musica: Britney Spears e Amy Winehouse: Por se quererem retirar da ribalta.
No cinema: Charlie Sheen e Mel Gibson: Depois de respetivamente terem dado as suas opiniões sobre o 11 de Setembro, e Holocausto passaram a acusados de violência domestica e iniciaram um processo auto-destrutivo. Charlie Sheen estava a tornar-se inconveniente depois da sua carta aberta ao Presidente Obama sobre o 11 de Setembro.
Na comédia: Richard Prior e Bernie Mac: O primeiro "matou" o seu próprio carro a tiro e o segundo saiu armado para a rua gritando que o queriam matar, Bernie Mac foi encontrado morto dias depois.
Temos os que escaparam como: Dave Chapell: simplesmente largou tudo, comprou uma quinta no meio do nada e desapareceu, tendo dado uma entrevista deixando no ar uma pergunta "O que acham que leva uma pessoa com dinheiro e sucesso a sair nu para a rua, de arma na mão, gritando querem matar-me?". Outra que escapou foi a dona de uma das melhores vozes do século, Joss Stone: Quando se conseguiu libertar disse que sabia que nunca mais a iam deixar ter sucesso, mas mesmo assim fundou a sua editora e lançou o seu novo disco, dias depois sofreu uma tentativa de assassinato.

Isto não serve para desculpar o líder dos Invisible Children, serve para explicar que quem vende a sua alma a estas elites manipuladoras não tem mais liberdade e não consegue sair sem um enorme prejuízo.
Outro exemplo é Michael Jackson que desapareceu depois de ter lutado contra a Sony Music e ter exposto a manipulação na industria, passou os seguintes anos em tribunais e quando ia voltar ao palco sem as elites, morreu.

Aqui esta parte do que Jason fez na rua, não acredito que se tenha masturbado mas é visível que ficou completamente louco:

video

No entanto os Invisible Children vão continuar com esta propaganda, continuar a recrutar o seu exercito de crianças ativistas para combater crianças soldado e precisam ser combatidos e ridicularizados sendo este o melhor exemplo de ridicularização feito a este grupo... simplesmente genial:



A comunidade do Youtube arrasou a campanha Kony 212 com centenas de vídeos de investigação e críticos, ao pontos dos Invisible Children fecharem os comentários os seus vídeos.
A comunidade Twitter segue o mesmo caminho havendo 3 twitts negativos por cada positivo e o campo de batalha final é o Facebook, onde KONY 2012 ainda tem poder mas ainda há tempo de travar a mais uma loucura, iniciando uma nova guerra de caça a mais um fantasma onde vai ser o povo do Uganda a sofrer. O inimigo do povo não são Hitlers, Sadams, Bin Ladens ou Konys mas sim a propaganda que a historia nos ensinou a identificar mas que a maioria consome como se fossem os seus cereais matinais.


(fim da série)  

14 Comentários:

  HP

sábado, março 24, 2012 4:15:00 da manhã

O Martin Lawrence ainda não morreu...

  André

sábado, março 24, 2012 6:53:00 da manhã

Oi, Bruno!

Devo partilhar contigo e com todos os que visitam o teu blog que estou contente por estares vivo e teres voltado com mais "pontos de fuga", outras perspectivas. É um prazer ler os teus textos, que são uma alternativa à alternativa e que têm sempre espaço para o humor.

Quanto a esta série de textos dedicada à propaganda, estiveste bem! De resto, parece que nunca antes a expressão "viral" foi tão bem utilizada para descrever um video.

Abraço.

  Bruno Fehr

sábado, março 24, 2012 11:59:00 da manhã

Anónimo HP:

"O Martin Lawrence ainda não morreu..."

Ups, gafe, foi corrigido, coloquei o caso do Bernie Mac.

  Bruno Fehr

sábado, março 24, 2012 11:59:00 da manhã

André:

Por vezes é preciso fazer uma pausa.

  Anónimo

domingo, março 25, 2012 4:31:00 da manhã

Publica lá este a ver se tens coragem http://www.reuters.com/article/2012/03/23/uganda-kony-idUSL6E8EN6AL20120323 depois arrnaja aì uma sábia explicação do genero das que tenho lido a explicar como as IC, Jason e todos os que apoiaram são uma cambada de imbecis... e que a reuters é mais um manipulador de massas do pior (desculpa se gastei todos os teus argumentos).

  Bruno Fehr

domingo, março 25, 2012 4:41:00 da manhã

Anónimo:

"Publica lá este a ver se tens coragem http://www.reuters.com/article/2012/03/23/uganda-kony-idUSL6E8EN6AL20120323"

Realmente não me conhece. Logicamente que publico pois isto só o/a ridiculariza.

"depois arrnaja aì uma sábia explicação do genero das que tenho lido a explicar como as IC, Jason e todos os que apoiaram são uma cambada de imbecis..."

O objectivo de um acto de propaganda é criar um problema inexistente e levar as pessoas a exigir uma solução. Essa solução é o que os financiadores da propaganda queriam fazer desde o inicio mas nunca teriam apoio popular para iniciar uma guerra. Desta forma o povo pede a guerra: Problem, Reaction, Solution.

"e que a reuters é mais um manipulador de massas do pior"

A REUTERS e AP foram compradas pelo Grupo Rothchild e servem a elite, sem referir que sao as únicas "fontes" internacionais de noticias e digo "fontes" ente aspas pois na verdade fabricam noticias, basta lembrar as "noticias" sobre o Iraque e observar as "noticias" sobre a Síria e Irão.

"(desculpa se gastei todos os teus argumentos)."

Isso é uma impossibilidade e nem faz sentido escrever isso. Uma pessoa não pode gastar argumentos de terceiros, só o próprio o pode fazer. Mas tendo em conta que você se alimenta unicamente dos mass media e eu tanto ouço os mass media como a imprensa livre, estou em vantagem argumentativa.

  Anónimo

domingo, março 25, 2012 12:24:00 da tarde

Caro Bruno, é só para o avisar que o nome ainda consta no texto: "Martin Laurence foi encontrado morto dias depois.".

Já agora, qual a sua opinião em relação aos chemtrails, e a estas últimas pulverizações intensíssimas dos últimos dias? E do que se passou em França, mais um False Flag ao estilo do "atentado" de Olso, e do 11/11 Sueco (desta vez também com um 11 pelo meio...)?

Parabéns pelo blog, e continuação do excelente trabalho ;)

  Já comeste iogurte hoje?

domingo, março 25, 2012 5:04:00 da tarde

Hey, ó Fehr, pára de mandar estouros atrás de estouros aos enviados "espaciais". É com cada patada nos cornos que esses trsites levam que nem se levantam

  Bruno Fehr

terça-feira, março 27, 2012 4:43:00 da tarde

Anónimo:

"Já agora, qual a sua opinião em relação aos chemtrails, e a estas últimas pulverizações intensíssimas dos últimos dias?"

Esse é um dos assuntos dos quais desisti, pois existe tanta informação online que acho que não vale a pena eu falar disso. Além de que o senso comum deveria ser suficiente para ser perceber que nenhum químico libertado sobre a população lhe vai dar saúde.
Acho que basta pegar nos rastos químico nos céus iniciados nos anos 60 e os noiveis atuais de cancro e 1+1=2. Nos anos 70, uma em cada 20 pessoas tinham cancro, hoje temos uma em cada 3. Rastos químicos, comida e bebida contaminada representam 90% da causa.

"E do que se passou em França, mais um False Flag ao estilo do "atentado" de Olso, e do 11/11 Sueco (desta vez também com um 11 pelo meio...)?"

Ainda não me debrucei sobre esse caso, deste os meus primeiros textos com numerologia, percebi que é difícil para a maioria das pessoas perceber a sua importância e quem aliado a uma teoria (correta) de que se procurarmos, encontramos coincidências torna os textos, para mim, insatisfatórios.

Mas certamente que se vir coincidências flagrantes tipo Twin Tower, London, Madrid, Bali, etc, irei escrever sobre isso.
Um white flag attack em França faz todo o sentido tendo em conta que o actual Presidente esta a tentar conseguir o apoio da direita radical e isso passa por um maior combate contra a imigração... um ataque Islâmico é essencial para essa política.

  Bruno Fehr

terça-feira, março 27, 2012 4:43:00 da tarde

Anónimo Já comeste iogurte hoje? disse...

"Hey, ó Fehr, pára de mandar estouros atrás de estouros aos enviados "espaciais". É com cada patada nos cornos que esses trsites levam que nem se levantam"

Eles divertem-me.

  nazunia

quinta-feira, março 29, 2012 6:40:00 da tarde

Quero dar os parabéns ao autor deste blogue... Bruno né?
Confesso que só tomei contacto com ele há umas poucas semanas atrás. De início dei uma olhada aos artigos antigos e achei um pouco de ordinarice a mais; mas que se lixe caralho! Quem não é? Mais vale sermos honestos do que andar aí a fingir que somos bem educados. E às vezes até é bom expressarmos a nossa indignação com termos fortes.
De qualquer forma(ainda me referindo às postagens antigas) a verdade é que me deliciei com muitos deles e dei valentes gargalhadas.
Agora, relativamente aos últimos, nota-se que amadureceste e isso reflecte-se claramente nos conteúdos
...Muito havia para dizer rapaz. Mas acerca desta questão do Koni [quanto a mim gosto mais de cona]:
Mas a sério, não sei se estás familiarizado com o trabalho do Alex Jones(o «maluquinho» do altifalante). Este pesquisador expõe brilhantemente toda a farsa em torno; e inclusive há um vídeo de uma adolescente ugandesa que reside nos E.U.A que revelou que este caso é bastante esquisito: quando a polémica disparou ela ligou para os familiares a perguntar se as coisas eram como a Imprensa estava a divulgar, o qual estes ficaram deveras atónitos porque no dia-a-dia ninguém estava ao corrente de nada - parece mais uma vez que temos dois mundos contrastantes: a realidade X universo televisivo.
Ela disse inclusive que as informações dos parentes era que Kony já tinha morrido há alguns anos.
Quanto a mim: quem está a par destas políticas de bastidores - guerras mundiais, vietnam, golfo, 11 de Setembro - já sabe que isto é mais uma operação de "false flag". Ou seja, criar um pretexto para invadir o país com a concordância das populações que são facilmente manipuladas pelos mídia. Está-se a passar o mesmo com o Irão e há decádas que «cozinham» os conflitos entre israelitas e palestinianos - tudo se trata de marcar uma posição em locais estratégicos para lhes roubar os recursos e a cultura. No entato eles dão sempre a imagem dos bonzinhos que vão lá ajudar os povos a libertarem-se dos tiranos. Fazem propagandas enganosas e até servem-se de figuras públicas para comover os telespectadores; tretas!! Na essência é uma verdadeira invasão para ocidentalizar aqueles que pensam de maneira diferente e que não querem abdicar das suas tradições... Até breve!

  Bruno Fehr

sexta-feira, março 30, 2012 12:59:00 da manhã

nazunia:

O meu uso de palavrões tem o objetivo de libertar as palavras. O palavrão pode ser ordinário ou uma palavra, tudo depende do contexto e no contexto correto devem ser palavra exorcizadas e usadas por todos, indo contra as ridículas convenções sociais.

Quanto ao Alex Jones, assisto ao que ele diz unicamente quando me falta um novo ponto de vista sobre um determinado assunto. Ele tem informação correta mas tem imensa desinformação em particular se alguém mencionar os Zionistas, grupo que ele defende incondicionalmente, atacando de um forma deselegante qualquer um que lhe coloque uma questão sobre esse assunto.

Como todos os blogues e site sobre este tipo de assuntos, nada do que lemos deve ser tomado como certo, unicamente mais uma opinião e fonte de informação comparativa com o objetivo de chegarmos as conclusões pessoais das quais necessitamos.

Se as tuas conclusões te convencem depois de ter informares de forma responsável, não importa que os outros pensam.

  nazunia

sexta-feira, março 30, 2012 2:03:00 da tarde

Sim, percebi plenamente essa questão dos significados, também acho que devemos desprendermos do «peso» que foi atribuído a certas palavras.
Em relação ao Alex, por acaso não tinha conhecimento dessa sua identificação com Zionismo. E ainda acho mais estranho ele tornar-se agressivo em sua defesa. Vou averiguar aquilo que disseste; mas para já deixo aqui duas observações:

1) Acho estranho porque sendo ele um investigador ferrenho destas coisas de governos secretos, tendo o minímo de inteligência não ter chegado à mesma conclusão da maioria de outros estudiosos - segundo aquilo que tenho absorvido, sintetizado, parece-me garantidamente que o Zionismo foi uma política engendrada em torno de um falso movimento de apoio e defesa ao povo judeu em Israel, com vista a acusar qualquer um de anti-semita apenas por denunciar as práticas abusivas das ofensivas israelitas (até mesmo os verdadeiros judeus - embora não seja mediatizado - já condenaram esse movimento zionista, alegando que essa gente nem sequer raízes judais tem).

2) Recentemente até vi ele a entrevistar o David Icke muito animado (o David Icke é um crítico muito assertivo do Zionismo).

Mas de qualquer forma vou pesquisar a respeito... Abraços!!

  Bruno Fehr

sábado, março 31, 2012 6:33:00 da tarde

nazunia:

"parece-me garantidamente que o Zionismo foi uma política engendrada em torno de um falso movimento de apoio e defesa ao povo judeu em Israel, com vista a acusar qualquer um de anti-semita apenas por denunciar as práticas abusivas das ofensivas israelitas (até mesmo os verdadeiros judeus - embora não seja mediatizado - já condenaram esse movimento zionista, alegando que essa gente nem sequer raízes judais tem)."

Isso é verdade o Sionismo ou Zionismo é unicamente um movimento político sem raízes judaicas mas sim de pessoas convertidas ao judaísmo. Algumas das famílias mais antigas Zionistas como os Rothchild, não estão ligado a Israel mas sim a Macedónia.
A guerra entra Árabes e Judeus, da parte dos Árabes é contra o Zionismo, pois sem ele, haveria paz.

"2) Recentemente até vi ele a entrevistar o David Icke muito animado (o David Icke é um crítico muito assertivo do Zionismo)."

Enquanto David Icke não falar do Alex, esta tudo bem. O Alex era muito amigo do falecido William Cooper, até Cooper o ter exposto e tornaram inimigos até ao dia em Cooper foi morto.