Para Além da vida



Sonho para além do pensamento, para além do teu sorriso,
Para além da minha dor encontrando o Paraíso.
Corro para além da montanha, para além do horizonte,
Para além da memória onde nada me amedronte.
Voo sobre a floresta vencida, sobre a cidade ardente,
Sobre a água adormecida, sobre o deserto indiferente.
Navego por um lago selvagem, por um oceano esquecido,
Por um rio quebrado num sentimento adormecido.

Lutando contra razão desafiando o destino.
Como arma o coração enfrentando o divino,
E vencida a coorte sem que isso me conforte
Pinto o mundo em tons de morte colorido à minha sorte.

Descansando somente junto a meu túmulo de amor
Somando letras em langor num enigma sem valor.
E choro em murmúrio, por tudo aquilo que não vivi
Sentindo um vazio na alma que era ocupado por ti.
Recordo histórias esquecidas que só nós as sabemos,
Choro em frases sentidas tudo aquilo que perdemos.
E tocando a pedra fria que me separa da felicidade
Verto a agonia para um cálice de saudade

E bebo um trago de vida
Com sabor a despedida.

5 Comentários:

  Gravepisser

quinta-feira, janeiro 07, 2010 1:28:00 da manhã

Excelente.

  lunatiK

quinta-feira, janeiro 07, 2010 10:44:00 da manhã

Gostei muito.
Cumps.

  I.D.Pena

quinta-feira, janeiro 07, 2010 10:46:00 da manhã

Uau.
Adorei, impressionante que não perdes a capacidade de surpreender .
:)

  Marisa

quinta-feira, janeiro 07, 2010 12:08:00 da tarde

Poema sentido.

Beijo.

  Ivete

segunda-feira, janeiro 11, 2010 4:26:00 da tarde

Acompanho sempre as tuas palavras tão lógicas e não pude deixar de me surpreender com a força dos sentimentos expressados aqui. Parabéns!Porque além de um ótimo observador da realidade que te cerca, não deixas de ser um homem cheio de sentimentos.

Um abraço